Anda di halaman 1dari 27

PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)

PROFESSOR TERROR

Português p/ Polícia Federal


(teoria e questões comentadas)

Olá!
Finalmente, saiu o tão esperado edital!!!!
Meu nome é Décio Terror Filho. Sou professor concursado na área federal
e atuo no ensino da Língua Portuguesa para concurso público há doze anos,
procurando desmistificar a decoreba na linguagem e estruturar o estudo
voltado às principais estratégias de abordagem de prova das diversas bancas.
Em nosso curso, veremos tudo o que é peculiar na banca CESPE, para
você se dar bem no concurso da Polícia Federal.
A seleção das questões para este curso foi feita dentre mais de 180
provas. Isso nos dá uma possibilidade de abrangência muito grande no
conteúdo. Percebemos nos cursos anteriores que, quanto menos teoria e mais
questões comentadas houver, melhor aproveitamento teremos. Por isso,
planejamos este curso com teoria simples e muitas questões comentadas.
Especificamente esta aula será curta, por ser apenas uma demonstração
da didática, mas normalmente chegamos a 60 páginas e em torno de 50
questões por aula.
Sempre afirmo em minhas aulas que as questões em concurso são
cíclicas! Assim, não podemos estudar ou enfatizar demais provas que caíram
só neste ano. É natural que enfatizemos as provas de 2011/2012, mas não
podemos desvalorizar provas antigas; pois aprendemos muito com elas e há
forte tendência por determinados tipos de cobrança voltarem. Isso é normal.
Críticas ao material e à abordagem do professor são sempre bem-
vindas e não há qualquer melindre em recebê-las, pois o FOCO é seu
aproveitamento e VOCÊ TEM TODO O DIREITO DE SUGERIR, QUESTIONAR,
SOLICITAR MAIS EXPLICAÇÕES, MAIS QUESTÕES etc.
Agora, partiremos para uma aula demonstrativa para que você tenha
uma melhor noção do conteúdo e da minha abordagem durante o curso.
Ao final de cada aula, teremos alguns tópicos como:
• o que devo tomar nota como mais importante;
• questões de temas anteriores, como revisão.
Isso reforça a didática e nos aponta o que é mais importante. Você não
terá o direcionamento idealizado pelo professor. As questões das provas
anteriores nos guiarão mais concretamente e induzirão aos assuntos que mais
caem e como caem.
Outro detalhe: Você verá em nossas aulas questões de nível superior e
médio. Tire o mito de que a prova de nível analista é muito mais difícil que a
de Técnico. Na linguagem e especificamente por ser a banca CESPE, isso não
faz tanta diferença e vamos provar isso ao longo do curso. O que importa é
praticar bastante e dominar as formas de cobrança desta banca.

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 1


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Veja o programa do edital:
1 Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados. 2
Reconhecimento de tipos e gêneros textuais. 3 Domínio da ortografia oficial.
3.1 Emprego das letras. 3.2 Emprego da acentuação gráfica. 4 Domínio dos
mecanismos de coesão textual. 4.1 Emprego de elementos de referenciação,
substituição e repetição, de conectores e outros elementos de sequenciação
textual. 4.2 Emprego/correlação de tempos e modos verbais. 5 Domínio da
estrutura morfossintática do período. 5.1 Relações de coordenação entre
orações e entre termos da oração. 5.2 Relações de subordinação entre orações
e entre termos da oração. 5.3 Emprego dos sinais de pontuação. 5.4
Concordância verbal e nominal. 5.5 Emprego do sinal indicativo de crase. 5.6
Colocação dos pronomes átonos. 6 Reescritura de frases e parágrafos do texto.
6.1 Substituição de palavras ou de trechos de texto. 6.2 Retextualização de
diferentes gêneros e níveis de formalidade. 7 Correspondência oficial
(conforme Manual da Presidência da República e respectivas atualizações). 7.1
Adequação da linguagem ao tipo de documento. 7.2 Adequação do formato do
texto ao gênero.
Agora, veja o que está previsto sobre os critérios de avaliação:
“A prova objetiva será constituída de 120 itens para julgamento, agrupados
por comandos que deverão ser respeitados. O julgamento de cada item será
CERTO ou ERRADO, de acordo com o(s) comando(s) a que se refere o item.
Haverá, na folha de respostas, para cada item, dois campos de marcação: o
campo designado com o código C, que deverá ser preenchido pelo candidato
caso julgue o item CERTO, e o campo designado com o código E, que deverá
ser preenchido pelo candidato caso julgue o item ERRADO.
Para obter pontuação no item, o candidato deverá marcar um, e somente
um, dos dois campos da folha de respostas.
A nota em cada item da prova objetiva, feita com base nas marcações da
folha de respostas, será igual a: 1,00 ponto, caso a resposta do candidato
esteja em concordância com o gabarito oficial definitivo das provas; 1,00 ponto
negativo, caso a resposta do candidato esteja em discordância com o gabarito
oficial definitivo das provas; 0,00 ponto, caso não haja marcação ou haja
marcação dupla (C e E).”
Então, se você sabe a questão, marque o gabarito, se não sabe, deixe
em branco ou marque os dois campos!!!! Isso determina a maior dificuldade na
prova: trabalhar a cabeça para não “chutar”. Por esse motivo, vamos praticar
muito e você deve observar sempre se realmente sabe a questão ou se chutou,
para evitar perder ponto “de bobeira”!!!!
Ao término de cada aula, você fará a porcentagem de acertos, usando o
seguinte esquema:
Quantidade de acertos (QA): + _____
Quantidade erros (QE): – _____
Total (To=QA-QE): _______ Porcentagem (To x 100): ______
N (quantidade total de questões)

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 2


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Exemplo: numa aula de 50 questões, se você acertou 40, errou 4 e
deixou 6 sem resposta, sua porcentagem será:
QA= +40 QE= –4 To=36x100 = 72%
50
Só passe para a aula seguinte, se você tiver índice maior que 80%.
As questões cumulativas de revisão colocadas no final das aulas vão
ajudar a reforçar seu estudo e dar um diagnóstico melhor sobre o seu
desempenho. Siga esta estratégia “a risca”. Isso funciona muito bem!!!!
A distribuição dos assuntos nas aulas foi feita de maneira a abordar mais
facilmente o entendimento da matéria e a resolução das questões, por isso não
seguiremos fielmente a ordenação, mas todo o conteúdo será visto, entendido,
exercitado e revisado. Veja como abordaremos:
Conteúdo Programático:
Aula 00: Emprego da acentuação gráfica.
Aula 01: Relações de coordenação e subordinação entre termos da oração.
Emprego dos sinais de pontuação.
Aula 02: Relações de coordenação e subordinação entre orações. Domínio da
estrutura morfossintática do período. Emprego dos sinais de
pontuação.
Aula 03: Concordância verbal e nominal.
Aula 04: Regência verbal e nominal. Emprego do sinal indicativo de crase.
Aula 05: Domínio dos mecanismos de coesão textual. Emprego de elementos
de referenciação, substituição e repetição, de conectores e outros
elementos de sequenciação textual. Reescritura de frases e
parágrafos do texto. Substituição de palavras ou de trechos de
texto.
Aula 06: Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados.
Reconhecimento de tipos e gêneros textuais. Retextualização de
diferentes gêneros e níveis de formalidade.
Aula 07: Correspondência oficial. Adequação da linguagem ao tipo de
documento. Adequação do formato do texto ao gênero.
Aula 08: Emprego/correlação de tempos e modos verbais. Colocação dos
pronomes átonos. Domínio da ortografia oficial. Emprego das
letras.
Aula 09: Quatro simulados com gabarito comentado passo-a-passo.

Haverá aula-extra com provas comentadas.

Um detalhe: o edital não previu explicitamente a regência verbal e


nominal, mas isso será cobrado com base em outros temas. Esse é o motivo
de permanecermos com uma aula sobre tal assunto.

Agora, vamos a um resumo da acentuação gráfica, para praticarmos um


pouco.

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 3


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
ACENTUAÇÃO GRÁFICA.
Há dois tipos de acentuação das palavras: a tônica e a gráfica.
Acentuação tônica
As palavras podem ser átonas ou tônicas. Algumas preposições (“em”,
“de”, “por”), os artigos, os pronomes oblíquos átonos (“o”, “me”, “nos”, se”)
etc são palavras átonas.
Já as palavras-chave de uma frase, como os substantivos, verbos,
adjetivos, advérbios são tônicas, isto é, possuem sílaba mais forte em relação
às outras.
Assim, quando a sílaba tônica de uma palavra é a última, é chamada de
oxítona (ruim, café, jiló, alguém, anzol, condor). Quando a tonicidade recai
na penúltima sílaba, é chamada de paroxítona (dólar, planeta, vírus, capa,
jato, âmbar, hífen). Quando a sílaba tônica é a antepenúltima, é chamada de
proparoxítona (córrego, cúpula, trânsito, xícara, médico).
Com base na acentuação tônica, possuímos a acentuação gráfica.
Imagine por que temos as regras de acentuação gráfica, vendo esta frase:
Dona Delia, arquejava para o lado, empunhava a citara¹ e fazia um belo som
ao fundo, enquanto o poeta, de renome entre a corte, citara² um pequeno
recorte de seus preciosos versos. “Depois dele, quem mais citara³ coisa tão
linda!”, exclamou Ambrozina, filha de Galdeco.
1. cítara: instrumento musical;
2. citara: verbo “citar” no pretérito-mais-que-perfeito do indicativo;
3. citará: verbo “citar” no futuro do presente do indicativo.
Sem a acentuação gráfica nas ocorrências de “citara”, temos dificuldade
de entender o texto acima, não é?
A Língua Portuguesa já passou por tempos em que não havia a
acentuação gráfica e isso fazia com que houvesse alguns problemas de
interpretação dos textos da corte, das leis, das ordens.
Houve, portanto, necessidade de padronizar a linguagem de forma a ter
mais clareza, disso resultaram as regras de acentuação gráfica.
A acentuação gráfica é a aplicação de sinais sobre algumas vogais de
forma a representar a tonicidade da palavra. Esses sinais são basicamente os
acentos agudo (´) e circunflexo (^).
Além desses, há ainda o acento grave (`), que é o indicador da crase; o
trema (¨), o qual foi suprimido das palavras portuguesas ou aportuguesadas
pela Reforma Ortográfica, exceto nos casos de derivados de nomes próprios:
“mülleriano” (derivado de “Müller”); o til (~), o qual indica nasalização das
vogais a e o.
As regras básicas nasceram da necesidade de padronização:
Vamos estudá-las como foram geradas: do mais simples (tonicidade que
possui poucas regras) para o mais trabalhoso (tonicidade que possui mais
regras).

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 4


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Foi percebido no vocabulário da época que a menor quantidade de
vocábulos tônicos se concentrava nas proparoxítonas. Por isso, todas são
acentuadas: lâmpada, relâmpago, Atlântico, trôpego, Júpiter, lúcido, ótimo,
víssemos, flácido.
Assim, ficou mais fácil e prático.
Depois, foi percebido que os monossílabos tônicos também tinham,
dentre o vocabulário da época, pouca quantidade de palavras e maior
incidência das vogais “a”, “e”, “o”, podendo ficar no plural. Então acharam por
bem acentuar:
a, as: já, gás, pá.
e, es: pé, mês, três.
o, os: pó, só, nós.
Os monossílabos tônicos terminados em “ói”, “éi”, “éu” eram acentuados.
Mas, antes da reforma ortográfica assinada em 2009, esses ditongos abertos e
tônicos tinham acento em qualquer sílaba tônica. A partir de janeiro de 2009,
ela passou a ser fixa do monossílabo tônico. Por isso, acrescentamos:
ói, éu, éi: dói, mói, céu, véu, méis.
Foi visto, à época − e hoje não é diferente −, que a quantidade de
vocábulos paroxítonos é muito maior do que os oxítonos. Percebeu-se,
também, que havia muita paroxítona terminada em “a”, “e”, “o”, “em”, ens”.
Então se criou a regra justamente das oxítonas, em oposição às paroxitonas,
para evitar que tivéssemos que acentuar tanta palavra. Assim:
a, as: crachá, cajá, estás.
Por isso, não acentuamos as paroxítonas “capa, ata, tapa”.
e, es: você, café, jacarés.
Por isso, não acentuamos as paroxítonas “pele, crepe, tempo”.
o, os: paletó, jiló, retrós.
Por isso, não acentuamos as paroxítonas “rolo, bolo, copo”.
em, ens: ninguém, também, parabéns.
Por isso, não acentuamos as paroxítonas “garagem, item, hifens”.
Como ocorreu nos monossílabos tônicos, as oxítonas terminadas em “ói”,
“éi”, “éu” já eram acentuadas. Mas, antes da reforma ortográfica assinada em
2009, esses ditongos abertos e tônicos tinham acento em qualquer sílaba
tônica. A partir de janeiro de 2009, ela passou a ser fixa também das oxítonas.
Por isso, acrescentamos:
ói, éu, éi: herói, corrói, troféu, chapéu, ilhéu, anéis, fiéis, papéis.
Por esse motivo, deixamos de acentuar as paroxítonas que possuem a
tonicidade nestes ditongos abertos tônicos, como “assembleia, ideia, heroico,
joia”.
Restaram, então, as demais terminações para as paroxítonas. Perceba
que a acentuação desta regra ocorreu também em oposição à oxítona.

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 5


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
i, is: táxi, beribéri, lápis, grátis, júri.
us, um, uns: vírus, bônus, álbum, parabélum, álbuns, parabéluns.
l, n, r, x, ps: incrível, útil, ágil, fácil, amável, próton, elétron, herôon1,
éden, hífen, pólen, dólmen, lúmen, líquen, éter, mártir, blêizer,contêiner,
destróier, gêiser2, Méier, caráter, revólver, tórax, ônix, fênix, bíceps, fórceps.
ã, ãs, ão, ãos: ímã, órfã, ímãs, órfãs, bênção, órgão, órfãos, sótãos.
on, ons: elétron, elétrons, próton, prótons.
ditongo oral, crescente ou decrescente, seguido ou não de s:
água, árduo, pônei, vôlei, cáries, mágoas, pôneis, jóqueis.
Por isso, não acentuamos as oxítonas “caqui, jabutis”; “urubu, bambus”;
“anel, cateter, ureter, durex”; “irmã, irmão” (Perceba que o “til” é apenas um
marcador de nasalização); e “voltei, carregarei”.

Como no Direito, a regra geral não abarca tudo. Deve haver algumas
peculiaridades para algumas situações. No caso da linguagem, há
particularidades para algumas palavras. Daí se seguem as regras especiais.
Isso ocorreu primeiro por causa de vocábulos como:
pais, país cai, caí, saia, saía
O vocábulo “pais” é um monossílabo tônico e não tem acento porque sua
terminação não permite (apenas os monossílabos terminados em “a, e, o”,
seguidos ou não de “s”, são acentuados). Esse vocábulo é formado pela vogal
“a” (som mais forte) e a semivogal “i” (som mais brando). Assim, percebemos
um declínio no som. Chamamos isso de ditongo, pois é construído por uma
vogal e uma semivogal. Mas também pode haver o ditongo formado por
semivogal e em seguida uma vogal. Veja as paroxítonas terminadas em
ditongo oral para ficar mais claro:
á-gua, ár-duo, cá-ries, má-goas, pô-nei, vô-lei, jó-queis.
As quatro primeiras palavras possuem a sequência semivogal (u, u, i,
o), seguida de vogal (a, o, e, a). Já as três últimas possuem a vogal (e)
seguida de semivogal (i).
Veja agora o vocábulo “país”. Ele possui duas sílabas (pa-ís). Há, na
realidade, duas vogais. Assim, obrigatoriamente, devem ficar em sílabas
diferentes. Chamamos isso de HIATO.
Houve necessidade de criar a regra do hiato, para evitar confundir a
pronúncia das palavras.
Veja como ficou:
As regras especiais
a) hiato – as vogais “i” ou “u” recebem acento, quando nas seguintes
condições:

1
Herôon: espécie de santuário que era construído em homenagem aos antigos heróis gregos e romanos.
2
Gêiser: nascente termal que entra em erupção periodicamente, lançando uma coluna de água quente e vapor
para o ar.

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 6


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
- sejam a segunda vogal do hiato;
- sejam tônicas;
- estejam sozinhas ou com s na mesma sílaba;
- não sofram nasalização.
ex.: saída: sa-í-da; faísca: fa-ís-ca; balaústre: ba-la-ús-tre; (nós)arguímos:
ar-gu-í-mos; (vós)arguís: ar-gu-ís; possuímos: pos-su-í-mos; possuía: pos-su-
í-a.
Observação: as vogais “i” ou “u”, após ditongo nas palavras oxítonas,
recebem acento: Piauí, tuiuiú, teiú. Com a reforma ortográfica, não há mais
acento nas paroxítonas de mesma regra: feiura, baiuca. (Cuidado com estas
duas palavras! Por serem a exceção, podem cair em prova.)
b) acento diferencial − é utilizado para diferenciar palavras de grafia
semelhante.
I) Usamos o acento diferencial para distinguir o verbo “pôde” (pretérito
perfeito do indicativo) do verbo “pode” (presente do indicativo).
II) Também usamos para distinguir o verbo “pôr” da preposição “por”.
III) Ele distingue ainda os verbos “vir” e “ter” para marcar plural:
ele tem − eles têm
ele vem − eles vêm
IV) Admite-se o acento circunflexo na acepção de “vasilha” (fôrma de
bolo) para diferenciar-se da homógrafa de timbre aberto equivalente a
“formato” (forma física) ou relativa à conjugação do verbo FORMAR (ele
forma).

Para ajudar na acentuação gráfica, é importante saber a sílaba tônica de


algumas palavras que possam causar dúvidas. Assim, cuidado com a
pronúncia:
Oxítonas: cateter, condor, mister , Nobel, novel, ruim, ureter.
Paroxítonas: acórdão, avaro, caracteres, cânon, edito (lei, decreto), efebo,
filantropo, fluido, fortuito, gratuito, ibero, impio (cruel), látex, libido,
misantropo, necropsia, pudico, recorde, rubrica.
Proparoxítonas: arquétipo, crisântemo, édito(ordem judicial), ímpio(sem fé),
ímprobo, ínterim.

Não se esqueça de que acentuamos os verbos oxítonos terminados em


“a”, “e”, “o”, seguidos dos pronomes pessoais oblíquos átonos “-lo”, “-la”,
“-los”, “-las".
Veja:
Vou cantar a música. Vou cantá-la.
Vou beber a água. Vou bebê-la.
Vou compor a música. Vou compô-la.

Então não acentuamos as oxítonas terminadas em “i”:


Vou partir o bolo. Vou parti-lo.
Vou dividir as tarefas. Vou dividi-las.

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 7


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Mas não se descuide da oxítona formada por hiato com o “i” tônico, pois
há acento nesse caso:
Vou instruir a equipe. Vou instruí-la. (ins-tru-í)
Vou construir uma ponte. Vou construí-la. (cons-tru-í)

Agora, vamos a um resumo sobre o que mudou na regra antiga com a


reforma ortográfica, ok!!

RESUMO DO ACORDO ORTOGRÁFICO (ACENTUAÇÃO GRÁFICA)


Como era Nova regra Como é
Alfabeto:
O alfabeto era formado por O alfabeto é formado As letras k, w, y fazem parte
23 letras, mais as letras por 26 letras. do alfabeto. São usadas em
chamadas de ‘especiais’ k, siglas, símbolos, nomes
w, y. próprios estrangeiros e seus
derivados. Exemplos: km,
watt, Byron, byroniano.
Trema:
agüentar, conseqüência, O trema é eliminado aguentar, consequência,
cinqüenta, qüinqüênio, em palavras cinquenta, quinquênio,
freqüência, freqüente, portuguesas e frequência, frequente,
eloqüência, eloqüente, aportuguesadas. eloquência, eloquente,
argüição, delinqüir, arguição, delinquir,
pingüim, tranqüilo, pinguim, tranquilo,
lingüiça linguiça
O trema permanece em nomes próprios estrangeiros e seus derivados:
Müller, mülleriano, hübneriano.
Acentuação
assembléia, platéia, Não se acentuam os assembleia, plateia,
idéia, colméia, ditongos abertos -ei e ideia, colmeia,
boléia, panacéia, –oi nas palavras boleia, panaceia,
Coréia, hebréia, bóia, paroxítonas. Coreia, hebreia, boia,
paranóia, jibóia, apóio paranoia, jiboia, apoio
(forma verbal), (forma verbal),
heróico, paranóico heroico, paranoico
• O acento nos ditongos -éi e -ói permanece nas palavras oxítonas e
monossílabos tônicos de som aberto: herói, constrói, dói, anéis, papéis,
anzóis.
• O acento no ditongo aberto –éu permanece: chapéu, véu, céu, ilhéu.
enjôo Não se acentua o hiato - enjoo
(subst. e forma verbal), oo. (subst. e forma verbal),
vôo voo
(subst. e forma verbal), (subst. e forma verbal),
corôo, perdôo, côo, coroo, perdoo, coo,
môo, abençôo, povôo moo, abençoo, povoo
crêem, dêem, lêem, Não se acentua o hiato - creem, deem, leem,

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 8


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
vêem ee dos verbos crer, dar, veem,
descrêem, relêem, ler, ver e seus derivados descreem, releem,
revêem ( 3a p. pl.). reveem
pára (verbo), Não se acentuam as para (verbo),
péla (subst. e verbo), palavras paroxítonas que pela (subst. e verbo),
pêlo (subst.), são homógrafas. pelo (subst.),
pêra (subst.), péra pera (subst.), pera
(subst.), (subst.),
pólo (subst.) polo (subst.)
• O acento diferencial permanece nos homógrafos: pode (3ª pessoa do sing.
do presente do indicativo do verbo poder) e pôde (3ª pessoa do pretérito
perfeito do indicativo).
• O acento diferencial permanece em pôr (verbo) em oposição a por
(preposição).
argúi, apazigúe, Não se acentua o -u argui, apazigue,
averigúe, tônico nas formas averigue,
enxagúe, obliqúe verbais rizotônicas enxague, oblique
(acento na raiz), quando
precedido de -g ou -q e
seguido de –e ou -i
(grupos que/qui e
gue/gui).
baiúca, boiúna Não se acentuam o -i e baiuca, boiuna,
cheiínho, saiínha, -u tônicos das palavras cheiinho, saiinha,
feiúra, feiúme paroxítonas quando feiura, feiume
precedidas de ditongo.
Agora, vamos às questões:
Questão 1: TRE - AP / 2007 / Analista
São acentuados por serem paroxítonos terminados em ditongo os seguintes
substantivos abstratos: “órgão”, “área”, “agrária”, “famílias” e “período”.
Comentário: Primeiro, os substantivos “órgão”, “área”, “família” e “período”
são concretos (e não abstratos, como afirmado na questão). O vocábulo
“agrária” não é substantivo, mas adjetivo. Quanto à acentuação, as palavras
“órgão”, “área”, “agrária” e “famílias” são acentuadas por serem paroxítonas
terminadas em ditongo oral. Perceba que, além disso, no vocábulo “famílias”
esse ditongo é seguido de “s”. Já o vocábulo “período” é uma proparoxítona,
cuja divisão silábica é: pe-rí-o-do.
Gabarito: E

Questão 2: TRE - ES / 2011 / nível médio


Em “contribuíram”, o emprego do acento gráfico justifica-se pela presença de
ditongo em sílaba tônica.
Comentário: Ditongo é o encontro de dois sons vocálicos (vogal e semivogal
ou semivogal e vogal). Note que o ditongo obrigatoriamente deve ficar na
mesma sílaba, pois cada sílaba possui obrigatoriamente uma vogal. Hiato é o
encontro de duas vogais. Assim, obrigatoriamente, reconhece-se o hiato
quando cada som vocálico estiver em sílabas diferentes. Perceba o verbo con-

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 9


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
tri-bu-í-ram. A vogal “u” está em sílaba diferente da vogal “í”. Portanto,
ocorre a regra especial de acentuação (hiato com vogal “i” ou ”u”, seguidos ou
não de “s”).
Gabarito: E

Questão 3: TRE - ES / 2011 / nível médio


As palavras “catástrofe” e “climática” recebem acento gráfico com base em
justificativas gramaticais diferentes.
Comentário: As palavras “catástrofe” e “climática” recebem acento gráfico
pelo mesmo motivo: toda proparoxítona deve ser acentuada.
Gabarito: E

Questão 4: TRE - PA / 2007 / Técnico


Desconsidere a Nova Reforma Ortográfica, assinada em 2009.
Com referência à grafia e acentuação de palavras, assinale a opção em que
uma das três palavras não segue a mesma regra que as outras duas.
(A) mantém, além e também
(B) importância, comércio e conseqüências
(C) democrática, públicas e eletrônica
(D) idéia, assembléia e país
(E) início, municípios, médio
Comentário: Além da regra, vou apontar também a divisão silábica para
melhor visualização.
Na alternativa (A), as palavras man-tém, a-lém e tam-bém são
acentuadas por serem oxítonas terminadas em “em”.
Na alternativa (B), são acentuadas as paroxítonas terminadas em
ditongos orais, seguidos ou não de “s”. Nestes casos, os ditongos são “ia” e
“io”. Comprove que essas palavras são paroxítonas, observando a divisão
silábica: im-por-tân-cia, co-mér-cio e con-se-qüên-cias. Veja que esta prova
ocorreu antes de 2009, por isso o vocábulo “conseqüências” está de acordo
com a regra antiga e temos de admitir como correto o uso do trema. Nas
provas a partir de 2009, quando a nova reforma entrou em vigor, perdeu-se o
trema.
Na alternativa (C), as palavras de-mo-crá-ti-ca, pú-bli-cas e e-le-trô-ni-
ca são acentuadas por serem proparoxítonas.
A alternativa (D) é a correta, pois no vocábulo “país” há acento por
ocorrer hiato “a-í” (encontro de duas vogais), diferentemente da regra das
duas anteriores. Antes da reforma ortográfica, devíamos acentuar todas as
palavras que possuíssem os ditongos abertos tônicos “éi”, “ói” e “éu". Por isso,
antes de 2009, eram corretas as formas “idéia” e “assembléia” (com acento).
Com a reforma, foram eliminados os acentos desta regra nas paroxítonas,
por isso hoje em dia devemos grafar “ideia” e “assembleia” (sem acento).
Veja a divisão silábica: i-dei-a; as-sem-blei-a. Isso comprova que são
paroxítonas. Bom, como dissemos, esta prova não levou em conta esta
reforma. Assim, esta é a alternativa correta.
Na alternativa (E), os vocábulos i-ní-cio, mu-ni-cí-pios, mé-dio são
paroxítonos terminados em ditongos orais “io”, seguidos ou não de “s”.
Gabarito: D

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 10


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Questão 5: TRE - MG / 2008 / Técnico
Obedecem à mesma regra de acentuação gráfica os vocábulos “pérola”,
“derruída” e “visível”.
Comentário: Há erro na questão, porque as regras são diferentes. A palavra
pé-ro-la é uma proparoxítona e todas são acentuadas; der-ru-í-da possui
hiato “u-i” e vi-sí-vel leva acento por ser paroxítona terminada em “l”.
Gabarito: E

Questão 6: TRE - MG / 2008 / Analista


Os vocábulos “econômicas”, “falíveis”, “volúveis”, “máquinas” e cálculos”
recebem acento gráfico por terminarem em vogal seguida de s.
Comentário: Não há regra de acentuação gráfica para palavra que termine
com vogal não especificada seguida de “s”. Assim, a questão está errada, pois
e-co-nô-mi-cas, má-qui-nas e cál-cu-los têm acento por serem
proparoxítonas; fa-lí-veis e vo-lú-veis têm acento por serem paroxítonas
terminadas em ditongo oral (“ei”), seguido de “s”.
Gabarito: E

Questão 7: ABIN / 2008 / Nível médio


As palavras “última”, “década” e “islâmica” recebem acento gráfico com base
em regras gramaticais diferentes.
Comentário: A regra de acento para essas palavras é a mesma: úl-ti-ma, dé-
ca-da e is-lâ-mi-ca são proparoxítonas e todas devem ser acentuadas por
isso.
Gabarito: E

Questão 8: CEF / 2010 / Superior


Os vocábulos “políticas”, “desperdício” e “carcerária” recebem acento gráfico
com base na mesma regra de acentuação.
Comentário: A palavra po-lí-ti-cas recebe acento por ser proparoxítona; as
palavras des-per-dí-cio e car-ce-rá-ria são acentuadas por serem paroxítonas
terminadas em ditongos orais (io, ia). Portanto, regras diferentes.
Gabarito: E

Questão 9: FUB / 2010 / Médio


Fragmento do texto: Para se ter uma ideia, apenas os alunos de ótimo
boletim têm direito à inscrição e, ainda assim, 85% deles ficam de fora.
Em razão do contexto, o acento gráfico empregado na forma verbal “têm” é
obrigatório.
Comentário: O verbo “têm” possui o acento circunflexo por causa da regra
do acento diferencial. Ele sinaliza o plural, tendo em vista que o núcleo do
sujeito deste verbo está no plural: “alunos”. Portanto, esse acento é
obrigatório.
Gabarito: C

Questão 10: INCA / 2010 / Médio


As palavras “Único”, “críticas” e “público” recebem acento gráfico porque têm
sílaba tônica na antepenúltima sílaba.

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 11


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Comentário: A antepenúltima sílaba corresponde justamente à tonicidade
proparoxítona, a qual é regra de acento para os vocábulos Ú-ni-co, “crí-ti-cas”
e “pú-bli-co.
Gabarito: C

Questão 11: MRE / 2008 / Superior


As palavras “equilíbrio” e “câmbio” recebem acento gráfico com base na
mesma regra gramatical.
Comentário: As palavras e-qui-lí-brio e câm-bio são paroxítonas terminadas
em ditongo oral (“io”).
Gabarito: C

Questão 12: MRE / 2008 / Superior


O emprego do acento gráfico nas palavras “concluída” e “caí” atende à mesma
regra gramatical.
Comentário: Os vocábulos con-clu-í-da e ca-í são acentuados pelo mesmo
motivo: por possuírem os hiatos (u-í, a-í).
Gabarito: C

Questão 13: PC ES / 2010 / Superior


Fragmento do texto:
Especialmente nas áreas urbanas do país, a sensação de medo e
insegurança tem sido experimentada como grave problema público devido à
expectativa de que qualquer pessoa pode-se tornar vítima de crime em
qualquer ponto das cidades e em qualquer momento de sua vida cotidiana.
Nesse cenário caótico de insegurança, um dos temas frequentemente
levantados é a necessidade de profissionalizar a polícia brasileira como
recurso para capacitá-la para o desempenho mais eficiente, mais responsável
e mais efetivo na condução da ordem e da segurança públicas.
Os vocábulos “público” (linha 2) e “caótico” (linha 5), que foram empregados
no texto como adjetivos, obedecem à mesma regra de acentuação gráfica.
Comentário: Primeiramente, observamos que pú-bli-co e ca-ó-ti-co são
palavras proparoxítonas e por isso são acentuadas. Depois, percebemos que,
na expressão “grave problema público”, o núcleo do termo é o substantivo
“problema” e os vocábulos “grave” e “público” são adjetivos, pois caracterizam
esse núcleo. Na expressão “cenário caótico de insegurança”, perceba que o
núcleo é o substantivo “cenário”, e os vocábulos “caótico” (adjetivo) e “de
insegurança” (locução adjetiva) caracterizam esse núcleo. Portanto a questão
está correta.
Gabarito: C

Questão 14: PM ES / 2007 / Médio


As palavras “políticos”, “século” e “oligárquicos” recebem acento gráfico com
base na mesma regra gramatical.
Comentário: As palavras po-lí-ti-cos, sé-cu-lo e o-li-gár-qui-cos são
proparoxítonas, por isso possuem a mesma regra de acentuação gráfica.
Gabarito: C

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 12


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Questão 15: Pol Fed / 1997 / Delegado
Com referência ao emprego correto de pronomes e da pontuação e à correção
ortográfica, julgue o item que se segue.
São obstante a policia estar cumprindo seu papel, há uma guerra nas ruas:
excessivos assaltos dos marginais à sociedade fazem que as primeiras vitimas
sejam os mais pobres.
Comentário: Primeiro, a expressão correta é “Não obstante”, pois inicia ideia
de contraste. Em seguida, veja que palavra paroxítona terminada em ditongo
oral deve ser acentuada: po-lí-cia. Além disso, toda proparoxítona deve ser
acentuada: ví-ti-mas.
Perceba que a questão se referiu exclusivamente ao emprego de
pronomes (que está correto); da pontuação (também correto, pois a vírgula
marca a antecipação de oração subordinada adverbial concessiva e os dois-
pontos marcam uma explicação). Quanto à correção ortográfica, já vimos os
erros.
É normal pensarmos que deveria ter uma preposição “com” após o
verbo “fazem” (...fazem com que...). Isso é possível, mas não é obrigatório,
pois este verbo é transitivo direto e admite o objeto direto preposicionado ou
não. Mas note que a questão não abordou “regência”, que é o tema que trata
do uso ou não da preposição exigida por verbo (regência verbal) ou nome
(regência nominal).
Gabarito: E

Questão 16: TRE - AP / 2007 / Analista


Os vocábulos a seguir são acentuados porque são palavras proparoxítonas:
“números”, “créditos”, “públicas”, “elétrica” e “técnica”.
Comentário: Todas as palavras realmente são proparoxítonas, por isso são
acentuadas.
Gabarito: C

Questão 17: SEDU ES / 2010 / Superior


As palavras “metrópoles”, “acúmulo”, “inúmeros” e “mínimas” recebem acento
gráfico com base em justificativas gramaticais diferentes.
Comentário: As palavras me-tró-po-les, a-cú-mu-lo, i-nú-me-ros e mí-ni-
mas são todas proparoxítonas e por isso são acentuadas.
Gabarito: E

Questão 18: Pref VV ES / 2008 / Superior


As palavras “água”, “renovável” e “distribuído”, utilizadas no texto, recebem
acento gráfico pela mesma razão.
Comentário: Não há mesma razão para a acentuação. A palavra á-gua é
paroxítona terminada em ditongo oral (“ua”), “re-no-vá-vel” é uma paroxítona
terminada em “l” e dis-tri-bu-í-do possui o hiato “u-í”. Portanto, são regras
diferentes para a acentuação gráfica.
Gabarito: E

Questão 19: SEPLAG MG / 2008 / Médio


Os acentos gráficos em “bancária” e em “ocorrência” têm justificativa

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 13


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
gramatical em regras diferentes.
Comentário: As palavras ban-cá-ria e o-cor-rên-cia são paroxítonas
terminadas em ditongo oral (“ia”). Portanto, é a mesma regra.
Gabarito: E

Questão 20: STM / 2010/ Médio


A regra de acentuação gráfica que justifica o emprego do acento gráfico em
“aeroportuário” é a mesma que justifica o emprego do acento em
“meteorológica”.
Comentário: A palavra a-e-ro-por-tu-á-rio é paroxítona terminada em
ditongo oral, e me-te-o-ro-ló-gi-ca é proparoxítona, por isso são regras
diferentes.
Observação: à época desta prova, muita gente pediu recurso contra esta
questão por entender que as duas poderiam ser proparoxítonas. Algumas
gramáticas até veiculam a possibilidade de dupla tonicidade de palavras como
“portuário”, “história”, “secretária”. Assim, poderiam ser entendidas como
proparoxítonas ou paroxítonas terminadas em ditongo oral. Mas essa não é
a interpretação do CESPE. Além disso, para serem da mesma regra, as
duas palavras deveriam ter a dupla possibilidade de tonicidade, mas
“meteorológica” só pode ser proparoxítona. Isso fez com que a banca
não acatasse o pedido de anulação da questão.
Gabarito: E

Questão 21: TRE - MA / 2005/ Analista


No texto abaixo, de autoria de Mário Quintana e reproduzido com adaptações,
os itens em algarismos romanos referem-se aos termos em negrito que os
antecedem. Julgue-os com relação ao emprego dos vocábulos e das
expressões quanto à sintaxe de construção do período e à grafia.
O milagre
Dias maravilhosos em que (I) os jornais vêm (II) cheios de poesia e do
lábio amigo brota (III) palavras de eterno encanto. Dias mágicos em que os
burgueses espiam (IV), através das vidraças dos escritórios, a graça
gratuíta (V) das nuvens.
Estão certos apenas os itens
(A) I, II e IV.
(B) I, III e V.
(C) I, IV e V.
(D) II, III e IV.
(E) II, III e V.
Comentário: Vejamos que o pronome relativo “que” está antecipado da
preposição “em” corretamente, pois os dois formam o adjunto adverbial de
tempo (os jornais vêm cheios de poesia nos dias maravilhosos). Assim, está
correto o emprego e eliminamos as alternativas (D) e (E).
O verbo “vêm” está corretamente flexionado no plural por concordar
com seu sujeito “os jornais”. Assim, já sabemos que a alternativa (A) é a
correta, mas devemos confirmar.
O sujeito “palavras de eterno encanto” leva o seu verbo a se flexionar

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 14


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
no plural (brotam). Esse verbo é intransitivo e a expressão “do lábio amigo” é
adjunto adverbial de lugar.
O verbo “espiam” está corretamente grafado, pois está no sentido de
olhar, ver, observar; diferente do sentido de “expiar” que significa pagar uma
pena, uma culpa.
Cuidado com os adjetivos “gratuito” (gra-tui-to), “fortuito”(for-tui-to) e
o substantivo “fluido” (flui-do). Eles não possuem acento, porque “ui” é
ditongo. Não é hiato.
Compare com o verbo “fluir” no particípio, que possui acento (flu-í-do):
As aulas têm fluído bem. (verbo no particípio)
Comprei um fluido de freio para meu carro. (substantivo)
Assim, a alternativa correta é mesmo a (A).
Gabarito: A

Questão 22: Pol Fed / 1997 / Delegado


Julgue a correção gramatical dos itens a seguir.
A solução depende da educação, mas os que escolhem suas vitimas ao acaso,
não precisam exatamente educação: muitos criminosos detém boa educação e
até mesmo dinheiro.
Comentário: A questão cobrou os temas pontuação, concordância, regência e
acentuação gráfica. Assim, vamos comentar por temas:
Pontuação: a primeira vírgula está correta, porque inicia a oração
coordenada sindética adversativa “mas os (...) não precisam exatamente
educação”. O pronome demonstrativo reduzido “os” (=aqueles) tem valor
generalizante e necessita, neste contexto, de uma oração subordinada
adjetiva restritiva (“que escolhem suas vitimas ao acaso”) para especificar sua
característica. Por isso, ela não pode ficar entre vírgulas, muito menos possuir
apenas uma vírgula no final, como ocorreu nesta frase. Assim, devemos
retirar a vírgula após a palavra “acaso”. O sinal de dois-pontos está correto,
porque tem valor explicativo. Note que podemos até substituí-lo pela
conjunção “porque”: “...não precisam exatamente educação porque muitos
criminosos...”
Concordância: o verbo “detém”, nesta questão, junta dois temas
(concordância e acentuação gráfica). Esse verbo possui o sujeito “muitos
criminosos”. Assim deve ser flexionado na terceira pessoa do plural. O verbo
“detém” já possui acento normalmente porque é uma palavra oxítona
terminada em “em”, mas, para marcar que não se encontra no singular, mas
no plural, recebe o acento diferencial (detêm).
Acentuação gráfica: além da acentuação anterior, vemos que todas as
proparoxítonas devem ser acentuadas. Por isso, o correto é vítimas.
Regência: o verbo “precisam” é transitivo indireto e seu objeto indireto
recebe a preposição “de”: de educação. Mas não podemos dizer que a
preposição é obrigatória, pois este verbo e o verbo “necessitar” também
admitem ser transitivos diretos: preciso amigo ou preciso de amigo; necessito
amigo ou necessito de amigo.
Mas você não tem que ficar decorando estas pegadinhas. Note que a
banca já lhe deu um monte de motivos para considerar a questão errada,

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 15


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
concorda?
Gabarito: E

Questão 23: TRE - MA / 2005/ Analista


De acordo com a ortografia oficial, a palavra “recorde” admite a grafia
alternativa record, que deve ser lida como palavra proparoxítona, a exemplo
do que ocorre nos textos de muitos telejornais.
Comentário: Cuidado com os vocábulos “recorde”, “rubrica”, “filantropo”.
Eles são paroxítonos. Não podem receber acento. É errada a construção como
proparoxítono, como sugere a questão. É claro que você vê e ouve várias
vezes os repórteres, principalmente da Globo, falando esta palavra com a
tonicidade no “re”. Isso tem mais fundamento na não pronúncia da rede
concorrente (Record) do que qualquer propriedade linguística. Foi justamente
isso que a banca cobrou. Aí a gente pensa: “Se no Jornal Nacional ouvimos o
W. B. dizer récorde, então deve estar certo”. Não está certo, não senhor!!!!
Gabarito: E

Questão 24: TRT - RJ / 2008/ Analista


Os vocábulos lágrima e Gênesis seguem a mesma regra de acentuação.
Comentário: A afirmativa está correta, porque as palavras lágrima e Gênesis
são proparoxítonas, então seguem a mesma regra de acentuação.
Gabarito: C

Questão 25: TRT - RJ / 2008/ Analista


As palavras oásis e lápis são acentuadas pelo mesmo motivo.
Comentário: A afirmativa está correta, pois as palavras oásis e lápis são
acentuadas por serem paroxítonas terminadas em “i”, seguidas de “s”. Assim,
mesmo motivo.
Gabarito: C

Questão 26: TJ SE / 2006/ Médio


Os seguintes vocábulos do texto são acentuados devido à mesma regra:
“Imobiliário”, “Colégio”, “seminários”, “notários” e “área”.
Comentário: Essas palavras são acentuadas por serem todas paroxítonas
terminadas em ditongo oral, seguidas ou não de “s”. Veja a divisão silábica: I-
mo-bi-li-á-rio; Co-lé-gio, se-mi-ná-rios, no-tá-rios e á-rea.
Gabarito: C

Questão 27: ANAC / 2009/ Analista


No trecho “Era um dos pioneiros nessa atividade, que tornaria a aviação
acessível ao grande público”, as palavras “acessível” e “público” são
acentuadas de acordo com diferentes regras de acentuação.
Comentário: A palavra a-ces-sí-vel é uma paroxítona terminada em “l”. Já a
palavra “pú-bli-co” é uma proparoxítona. Portanto, são regras diferentes.
Gabarito: C

Questão 28: Pref VV ES / 2008/ Médio


As palavras “África” e “América” são acentuadas de acordo com a mesma

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 16


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
regra gramatical.
Comentário: As palavras Á-fri-ca e A-mé-ri-ca são proparoxítonas, por isso
são acentuadas.
Gabarito: C

Questão 29: CEF / 2009 / Médio


Fragmento do texto: O despreparo dos jovens, portanto, é patente. “Desde
cedo, é preciso ensinar as crianças a pensar e a se adequar a novas
realidades”, diz Ramos.
Na linha 2, o acento que distingue a forma verbal ‘é’ da conjunção ‘e’
estabelece diferença morfológica, gráfica e fonética, tal como ocorre com pôr
e por.
Comentário: Foi afirmado que o acento gráfico diferenciou os vocábulos “é”,
“e” em três níveis: morfológico (nome das palavras), gráfico (como se escreve
a palavra) e fonético (como se pronuncia a palavra). Por meio da conjunção
de comparação de igualdade “tal como”, foi afirmado que esses três níveis são
iguais também entre as palavras “por” e “pôr”.
Morfologicamente, “e” é uma conjunção, enquanto “é” constitui-se em
um verbo. O vocábulo “por” é uma preposição, enquanto “pôr” é um verbo.
Assim, realmente o acento gráfico estabeleceu diferença morfológica (de
conjunção para verbo, de preposição para verbo).
Graficamente, também há mudança. Simplesmente porque os
vocábulos receberam o acento. Assim, mudam a grafia. Compare: e→é;
por→pôr.
Foneticamente, o som pronunciado (o timbre) em “é” (com acento) é
aberto, enquanto o som pronunciado (o timbre) em “e” (sem acento) é
fechado. Assim, por interferência do acento, houve, sim, mudança fonética
(pronúncia da palavra).
Até aqui a questão estaria correta.
Porém, a preposição “por” e o verbo “pôr” não apresentam diferença de
pronúncia estando com ou sem acento.
Veja que a questão abordou que haveria diferença fonética com o
acento; mas, exclusivamente nestas duas últimas palavras, isso não ocorreu e
a questão está errada.
Gabarito: E

Questão 30: CEF / 2009 / Médio


Os vocábulos “negócio”, “matemática” e “acadêmico” recebem acento gráfico
com base na mesma regra de acentuação.
Comentário: O vocábulo ne-gó-cio é uma paroxítona terminada em ditongo
oral (io), enquanto ma-te-má-ti-ca e a-ca-dê-mi-co são proparoxítonas.
Gabarito: E

Questão 31: PM DF / 2009 / Superior


Julgue o item seguinte quanto à correção gramatical e à grafia das palavras.
O poder público, com a participação da sociedade, há de provêr a segurança
pública como caminho para o exercício da cidadania.
Comentário: O único problema da questão é acentuar uma palavra oxítona

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 17


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
terminada em “r”. Somente as oxítonas terminadas em “a”, “e”, “o” (seguidas
ou não de “s”), “em”, “ens” e nos ditongos abertos tônicos “éi”, “ói”, “éu”,
seguidos ou não de “s” podem ter esse acento. Assim, o correto é “prover”.
Gabarito: E

Questão 32: TCE - TO / 2009 / Médio


Obedecem à mesma regra de acentuação gráfica os vocábulos “também”,
“Moisés” e “só”.
Comentário: A palavra “também” é uma oxítona terminada em “em”,
enquanto “Moisés” é uma oxítona terminada em “e”, seguida de “s”, e “só” é
um monossílabo tônico terminado em “o”. Portanto, são regras diferentes.
Gabarito: E

Questão 33: TCE - TO / 2009 / Superior


Justificam-se pela mesma regra de acentuação os acentos gráficos dos
seguintes vocábulos do texto: “única”, “caráter”, “intrínsecas” e “antitéticas”.
Comentário: As palavras “única”, “intrínsecas” e “antitéticas” são
proparoxítonas; já o vocábulo “caráter” é uma paroxítona terminada em “r”.
Gabarito: E

Questão 34: TRT - RJ / 2008 / Superior


As palavras “distâncias” e “caráter” acentuam-se com base na mesma regra
de acentuação.
Comentário: São regras diferentes, pois “distâncias” é acentuada por ser
paroxítona terminada em ditongo oral (ia), seguido de “s”, e “caráter” é
acentuada por ser paroxítona terminada em “r”.
Gabarito: E

Questão 35: MTE / 2009 / Médio


De acordo com as regras de acentuação gráfica da língua portuguesa, a
palavra “ibero-americanos” também poderia ser corretamente escrita da
seguinte forma: íbero-americanos.
Comentário: O adjetivo “ibérica” é uma palavra proparoxítona (península
ibérica). Quando esse adjetivo se reduz para formar palavra composta, a
sílaba tônica continua sendo a mesma, mas ela perde uma sílaba, passando a
ser uma palavra paroxítona. Compare: ibérica (adjetivo desenvolvido)
ibero (adjetivo reduzido)
Por isso, só pode ocorrer a forma “ibero-americanos”. Veja um exemplo em
frase: “Os acordos ibero-americanos foram assinados ontem.”
Gabarito: E

Questão 36: IPA JM / 2006 / Superior


As palavras “municípios”, “famílias”, “frequência” e “convivência” recebem
acento gráfico com base na mesma regra gramatical.
Comentário: Veja a divisão silábica para comprovar que esses vocábulos são
paroxítonos terminados em ditongos orais seguidos ou não de “s”:
mu-ni-cí-pios, fa-mí-lias, fre-quên-cia con-vi-vên-cia
Gabarito: C

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 18


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR

Questão 37: Médico Perito / 2007 / Superior


As palavras “depósitos” e “políticas” recebem acento gráfico com base em
regras gramaticais diferentes.
Comentário: As palavras de-pó-si-tos e po-lí-ti-cas são proparoxítonas e
todas são acentuadas pelo mesmo motivo.
Gabarito: E

Questão 38: TRE GO / 2008 / Superior


Os elementos destacados no texto abaixo podem conter erros gramaticais.
As eleições realizadas em outubro de 2000 foram o marco mais
importante de um projeto de informatização do processo eleitoral brasileiro. A
utilização de recursos computacionais em apoio ao processo eleitoral vem
crescendo desde à década de 70, com grande ênfase, na década de 80, a
determinadas etapas do processo. Para entendermos o significado desse
processo é necessário dividí-lo em etapas. A etapa inicial consiste na
recepção do voto de cada eleitor, a segunda etapa vai desde a abertura da
urna contendo votos dos eleitores até a finalização dos mapas de apuração de
urna, conhecidos como Boletim de Urna (BU), e a etapa final vai da obtenção
dos BUs à totalização e à divulgação dos resultados pelos tribunais regionais
eleitorais.
Texto adaptado de Evandro Luiz de Oliveira,
Internet: <http://www.informaticapublica.mg.gov.br>.

A quantidade de erros gramaticais é igual a


(A) 1. (B) 2. (C) 3. (D) 4. (E) 5.
Comentário: Os problemas reais na questão são:
a) a preposição “desde” não admite preposição “a”, por isso só há o
artigo “a” e não pode ocorrer crase: ...desde a década...;
b) Somente os verbos oxítonos terminados em “a”, “e” e “o”, seguidos
do pronome “lo, la, los, las” possuem acento. Assim, “dividi-lo” não pode
receber acento gráfico. Veja os que podem:
Vou estudá-la. (oxítona terminada em “a” possui acento)
Vou bebê-la. (oxítona terminada em “e” possui acento)
Vou compô-la. (oxítona terminada em “o” possui acento)
Vou construí-la. (hiato “i”, sendo vogal diferente da anterior, possui acento)
O restante está de acordo com a gramaticalidade. É natural você ter
ficado na dúvida quanto à falta de acento indicativo de crase na seguinte
estrutura: “...a segunda etapa vai desde a abertura da urna contendo votos
dos eleitores até a finalização dos mapas de apuração de urna...”
Lembre-se de que a preposição “até” é a única que admite
facultativamente a preposição “a” em seguida. Neste caso, o autor pode optar
em colocá-la ou não. No caso em que está, temos a presença apenas do artigo
“a”.
Gabarito: B

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 19


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Questão 39: BB / 2008 / Médio
Fragmento do texto: As reservas internacionais em moeda forte funcionam
como um seguro que o Brasil contrata para se proteger contra eventuais
ataques especulativos e crises abruptas. Foi graças ao acúmulo desses
recursos que o Brasil pôde decretar o fim de sua dívida externa. Na última
crise financeira que atingiu o Brasil, em 2002, essa poupança era bem mais
modesta.
O acento circunflexo em “pôde” (linha 4) indica que, além de a pronúncia da
vogal ser fechada, como em ovo, por exemplo, o verbo está no pretérito, o
que, por sua vez, indica que o fim da dívida externa foi decretado.
Comentário: Esta questão cobra três entendimentos do candidato: o primeiro
diz respeito ao timbre aberto (/é/, /ó/) e timbre fechado (/ê/,/ô/).
Percebemos que em “ovo” e “pôde” ocorre o timbre fechado.
Depois, percebemos que o verbo “pôde” realmente se encontra no
pretérito perfeito do indicativo, marcando uma ação acabada no passado. Este
é o acento diferencial deste mesmo verbo no presente do indicativo (pode).
Por fim, o emprego deste verbo é justamente para marcar que foi
decretado o fim da dívida externa.
“Foi graças ao acúmulo desses recursos que o Brasil pôde decretar o fim de
sua dívida externa.”
Gabarito: C

Questão 40: BB / 2008 / Médio


Fragmento do texto: A linguagem é provavelmente a marca mais notória da
cultura. As trocas simbólicas permitem a comunicação, geram relações sociais,
mantêm ou interrompem essas relações, possibilitam o pensamento abstrato
e os conceitos. Sem linguagem, não há acesso à realidade.
O sinal de acentuação gráfica em “mantêm” (linha 3) marca o plural do verbo,
que assim é acentuado para concordar com “trocas” (linha 2).
Comentário: O verbo “mantêm” recebeu o acento gráfico pela regra da
diferenciação com o mesmo verbo no singular, tendo em vista que o núcleo de
seu sujeito é o substantivo plural “trocas”.
Gabarito: C

Questão 41: MDS / 2008 / Superior


Os vocábulos “importância, “estatísticos”, “públicos”, “político” e “econômico”
são acentuados graficamente em decorrência da mesma regra.
Comentário: Os vocábulos es-ta-tís-ti-cos, pú-bli-cos, po-lí-ti-co e e-co-nô-
mi-co possuem a mesma regra: todas as palavras proparoxítonas são
acentuadas. Mas a regra diferente está em im-por-tân-cia, por ser paroxítona
terminada em ditongo oral (“ia”).
Gabarito: E

Questão 42: EBC / 2011 / Superior


Levando-se em consideração o que está previsto na ortografia oficial vigente,
é correto afirmar que: o vocábulo “têxtil”, que segue o padrão de flexão do
vocábulo pênsil, é acentuado também na forma plural; “obsolescência” é
vocábulo que segue o padrão do vocábulo ciência, no que se refere ao

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 20


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
emprego de sinal de acentuação; a acentuação gráfica do vocábulo “déspotas”
também é empregada quando o vocábulo é grafado na forma singular.
Comentário: As paroxítonas terminadas em “il” normalmente fazem o plural
com a supressão de “il” e inserção de “eis”: têxteis, pênseis (=suspenso,
pendurado). A regra de acentuação das duas palavras é a mesma: paroxítona
terminada em ditongo oral, seguido de “s”.
As palavras “ciência” e “obsolescência” são acentuadas por serem
paroxítonas terminadas em ditongo oral.
A palavra “déspotas” é acentuada por ser proparoxítona, estando no
singular ou plural.
Assim, todas as afirmações estão corretas.
Gabarito: C

Questão 43: MPE-PI / 2012 / Superior


De acordo com a ortografia oficial vigente, o vocábulo “órgãos” segue a
mesma regra de acentuação que o vocábulo “últimos”.
Comentário: O vocábulo “órgãos” é acentuado por ser paroxítono terminado
em “ão”, seguido de “s”. Já o vocábulo “últimos” é acentuado por ser uma
palavra proparoxítona.
Gabarito: E

Questão 44: MPE-PI / 2012 / Superior


Os verbos “comunicar”, “ensinar” e “comandar”, quando complementados pelo
pronome a, acentuam-se da mesma forma que “constatá-las”, “designá-las” e
“elevá-las”.
Comentário: Os verbos “comunicar”, “ensinar” e “comandar” são oxítonos.
Quando recebem o pronome oblíquo átono “a”, perdem obrigatoriamente o “r”
para se inserir a consoante “l”. Assim, todos os vocábulos enumerados nesta
questão devem receber acento pelo mesmo motivo: oxítona terminada em
“a”. Veja:
“comunicá-la”, “ensiná-la”, “comandá-la”, “constatá-las”, “designá-las” e
“elevá-las”.
Gabarito: C

O que devo tomar nota como mais importante?

• Saber diferenciar a regra das proparoxítonas, paroxítonas terminadas em


ditongo oral e hiato, pois são essas que basicamente caem.

Muita gente me pergunta se o concurso cobrará a nova reforma


ortográfica. Está previsto no edital simplesmente “Domínio da ortografia
oficial”. Se a banca cobrar alguma regra nova, possivelmente será a que
excluiu o acento de palavras como “ideia”, “heroico”, “veem”, “leem”, “enjoo”,
“voo". Por isso, é importante entender o resumo colocado no início da aula.

Espero que você tenha gostado de nossa aula.

Grande abraço.
Terror

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 21


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR

Lista de questões
Questão 1: TRE - AP / 2007 / Analista
São acentuados por serem paroxítonos terminados em ditongo os seguintes
substantivos abstratos: “órgão”, “área”, “agrária”, “famílias” e “período”.

Questão 2: TRE - ES / 2011 / nível médio


Em “contribuíram”, o emprego do acento gráfico justifica-se pela presença de
ditongo em sílaba tônica.

Questão 3: TRE - ES / 2011 / nível médio


As palavras “catástrofe” e “climática” recebem acento gráfico com base em
justificativas gramaticais diferentes.

Questão 4: TRE - PA / 2007 / Técnico


Desconsidere a Nova Reforma Ortográfica, assinada em 2009.
Com referência à grafia e acentuação de palavras, assinale a opção em que
uma das três palavras não segue a mesma regra que as outras duas.
(A) mantém, além e também
(B) importância, comércio e conseqüências
(C) democrática, públicas e eletrônica
(D) idéia, assembléia e país
(E) início, municípios, médio

Questão 5: TRE - MG / 2008 / Técnico


Obedecem à mesma regra de acentuação gráfica os vocábulos “pérola”,
“derruída” e “visível”.

Questão 6: TRE - MG / 2008 / Analista


Os vocábulos “econômicas”, “falíveis”, “volúveis”, “máquinas” e cálculos”
recebem acento gráfico por terminarem em vogal seguida de s.

Questão 7: ABIN / 2008 / Nível médio


As palavras “última”, “década” e “islâmica” recebem acento gráfico com base
em regras gramaticais diferentes.

Questão 8: CEF / 2010 / Superior


Os vocábulos “políticas”, “desperdício” e “carcerária” recebem acento gráfico
com base na mesma regra de acentuação.

Questão 9: FUB / 2010 / Médio


Fragmento do texto: Para se ter uma ideia, apenas os alunos de ótimo
boletim têm direito à inscrição e, ainda assim, 85% deles ficam de fora.
Em razão do contexto, o acento gráfico empregado na forma verbal “têm” é
obrigatório.

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 22


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Questão 10: INCA / 2010 / Médio
As palavras “Único”, “críticas” e “público” recebem acento gráfico porque têm
sílaba tônica na antepenúltima sílaba.

Questão 11: MRE / 2008 / Superior


As palavras “equilíbrio” e “câmbio” recebem acento gráfico com base na
mesma regra gramatical.

Questão 12: MRE / 2008 / Superior


O emprego do acento gráfico nas palavras “concluída” e “caí” atende à mesma
regra gramatical.

Questão 13: PC ES / 2010 / Superior


Fragmento do texto:
Especialmente nas áreas urbanas do país, a sensação de medo e
insegurança tem sido experimentada como grave problema público devido à
expectativa de que qualquer pessoa pode-se tornar vítima de crime em
qualquer ponto das cidades e em qualquer momento de sua vida cotidiana.
Nesse cenário caótico de insegurança, um dos temas frequentemente
levantados é a necessidade de profissionalizar a polícia brasileira como
recurso para capacitá-la para o desempenho mais eficiente, mais responsável
e mais efetivo na condução da ordem e da segurança públicas.
Os vocábulos “público” (linha 2) e “caótico” (linha 5), que foram empregados
no texto como adjetivos, obedecem à mesma regra de acentuação gráfica.

Questão 14: PM ES / 2007 / Médio


As palavras “políticos”, “século” e “oligárquicos” recebem acento gráfico com
base na mesma regra gramatical.

Questão 15: Pol Fed / 1997 / Delegado


Com referência ao emprego correto de pronomes e da pontuação e à correção
ortográfica, julgue o item que se segue.
São obstante a policia estar cumprindo seu papel, há uma guerra nas ruas:
excessivos assaltos dos marginais à sociedade fazem que as primeiras vitimas
sejam os mais pobres.

Questão 16: TRE - AP / 2007 / Analista


Os vocábulos a seguir são acentuados porque são palavras proparoxítonas:
“números”, “créditos”, “públicas”, “elétrica” e “técnica”.

Questão 17: SEDU ES / 2010 / Superior


As palavras “metrópoles”, “acúmulo”, “inúmeros” e “mínimas” recebem acento
gráfico com base em justificativas gramaticais diferentes.

Questão 18: Pref VV ES / 2008 / Superior


As palavras “água”, “renovável” e “distribuído”, utilizadas no texto, recebem
acento gráfico pela mesma razão.

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 23


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Questão 19: SEPLAG MG / 2008 / Médio
Os acentos gráficos em “bancária” e em “ocorrência” têm justificativa
gramatical em regras diferentes.

Questão 20: STM / 2010/ Médio


A regra de acentuação gráfica que justifica o emprego do acento gráfico em
“aeroportuário” é a mesma que justifica o emprego do acento em
“meteorológica”.

Questão 21: TRE - MA / 2005/ Analista


No texto abaixo, de autoria de Mário Quintana e reproduzido com adaptações,
os itens em algarismos romanos referem-se aos termos em negrito que os
antecedem. Julgue-os com relação ao emprego dos vocábulos e das
expressões quanto à sintaxe de construção do período e à grafia.
O milagre
Dias maravilhosos em que (I) os jornais vêm (II) cheios de poesia e do
lábio amigo brota (III) palavras de eterno encanto. Dias mágicos em que os
burgueses espiam (IV), através das vidraças dos escritórios, a graça
gratuíta (V) das nuvens.
Estão certos apenas os itens
(A) I, II e IV.
(B) I, III e V.
(C) I, IV e V.
(D) II, III e IV.
(E) II, III e V.

Questão 22: Pol Fed / 1997 / Delegado


Julgue a correção gramatical dos itens a seguir.
A solução depende da educação, mas os que escolhem suas vitimas ao acaso,
não precisam exatamente educação: muitos criminosos detém boa educação e
até mesmo dinheiro.

Questão 23: TRE - MA / 2005/ Analista


De acordo com a ortografia oficial, a palavra “recorde” admite a grafia
alternativa record, que deve ser lida como palavra proparoxítona, a exemplo
do que ocorre nos textos de muitos telejornais.

Questão 24: TRT - RJ / 2008/ Analista


Os vocábulos lágrima e Gênesis seguem a mesma regra de acentuação.

Questão 25: TRT - RJ / 2008/ Analista


As palavras oásis e lápis são acentuadas pelo mesmo motivo.

Questão 26: TJ SE / 2006/ Médio


Os seguintes vocábulos do texto são acentuados devido à mesma regra:
“Imobiliário”, “Colégio”, “seminários”, “notários” e “área”.

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 24


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR

Questão 27: ANAC / 2009/ Analista


No trecho “Era um dos pioneiros nessa atividade, que tornaria a aviação
acessível ao grande público”, as palavras “acessível” e “público” são
acentuadas de acordo com diferentes regras de acentuação.

Questão 28: Pref VV ES / 2008/ Médio


As palavras “África” e “América” são acentuadas de acordo com a mesma
regra gramatical.

Questão 29: CEF / 2009 / Médio


Fragmento do texto: O despreparo dos jovens, portanto, é patente. “Desde
cedo, é preciso ensinar as crianças a pensar e a se adequar a novas
realidades”, diz Ramos.
Na linha 2, o acento que distingue a forma verbal ‘é’ da conjunção ‘e’
estabelece diferença morfológica, gráfica e fonética, tal como ocorre com pôr
e por.

Questão 30: CEF / 2009 / Médio


Os vocábulos “negócio”, “matemática” e “acadêmico” recebem acento gráfico
com base na mesma regra de acentuação.

Questão 31: PM DF / 2009 / Superior


Julgue o item seguinte quanto à correção gramatical e à grafia das palavras.
O poder público, com a participação da sociedade, há de provêr a segurança
pública como caminho para o exercício da cidadania.

Questão 32: TCE - TO / 2009 / Médio


Obedecem à mesma regra de acentuação gráfica os vocábulos “também”,
“Moisés” e “só”.

Questão 33: TCE - TO / 2009 / Superior


Justificam-se pela mesma regra de acentuação os acentos gráficos dos
seguintes vocábulos do texto: “única”, “caráter”, “intrínsecas” e “antitéticas”.

Questão 34: TRT - RJ / 2008 / Superior


As palavras “distâncias” e “caráter” acentuam-se com base na mesma regra
de acentuação.

Questão 35: MTE / 2009 / Médio


De acordo com as regras de acentuação gráfica da língua portuguesa, a
palavra “ibero-americanos” também poderia ser corretamente escrita da
seguinte forma: íbero-americanos.

Questão 36: IPA JM / 2006 / Superior


As palavras “municípios”, “famílias”, “frequência” e “convivência” recebem
acento gráfico com base na mesma regra gramatical.

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 25


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Questão 37: Médico Perito / 2007 / Superior
As palavras “depósitos” e “políticas” recebem acento gráfico com base em
regras gramaticais diferentes.

Questão 38: TRE GO / 2008 / Superior


Os elementos destacados no texto abaixo podem conter erros gramaticais.
As eleições realizadas em outubro de 2000 foram o marco mais
importante de um projeto de informatização do processo eleitoral brasileiro. A
utilização de recursos computacionais em apoio ao processo eleitoral vem
crescendo desde à década de 70, com grande ênfase, na década de 80, a
determinadas etapas do processo. Para entendermos o significado desse
processo é necessário dividí-lo em etapas. A etapa inicial consiste na
recepção do voto de cada eleitor, a segunda etapa vai desde a abertura da
urna contendo votos dos eleitores até a finalização dos mapas de apuração de
urna, conhecidos como Boletim de Urna (BU), e a etapa final vai da obtenção
dos BUs à totalização e à divulgação dos resultados pelos tribunais regionais
eleitorais.
Texto adaptado de Evandro Luiz de Oliveira,
Internet: <http://www.informaticapublica.mg.gov.br>.

A quantidade de erros gramaticais é igual a


(A) 1. (B) 2. (C) 3. (D) 4. (E) 5.

Questão 39: BB / 2008 / Médio


Fragmento do texto: As reservas internacionais em moeda forte funcionam
como um seguro que o Brasil contrata para se proteger contra eventuais
ataques especulativos e crises abruptas. Foi graças ao acúmulo desses
recursos que o Brasil pôde decretar o fim de sua dívida externa. Na última
crise financeira que atingiu o Brasil, em 2002, essa poupança era bem mais
modesta.
O acento circunflexo em “pôde” (linha 4) indica que, além de a pronúncia da
vogal ser fechada, como em ovo, por exemplo, o verbo está no pretérito, o
que, por sua vez, indica que o fim da dívida externa foi decretado.

Questão 40: BB / 2008 / Médio


Fragmento do texto: A linguagem é provavelmente a marca mais notória da
cultura. As trocas simbólicas permitem a comunicação, geram relações sociais,
mantêm ou interrompem essas relações, possibilitam o pensamento abstrato
e os conceitos. Sem linguagem, não há acesso à realidade.
O sinal de acentuação gráfica em “mantêm” (linha 3) marca o plural do verbo,
que assim é acentuado para concordar com “trocas” (linha 2).

Questão 41: MDS / 2008 / Superior


Os vocábulos “importância, “estatísticos”, “públicos”, “político” e “econômico”
são acentuados graficamente em decorrência da mesma regra.

Questão 42: EBC / 2011 / Superior


Levando-se em consideração o que está previsto na ortografia oficial vigente,

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 26


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
é correto afirmar que: o vocábulo “têxtil”, que segue o padrão de flexão do
vocábulo pênsil, é acentuado também na forma plural; “obsolescência” é
vocábulo que segue o padrão do vocábulo ciência, no que se refere ao
emprego de sinal de acentuação; a acentuação gráfica do vocábulo “déspotas”
também é empregada quando o vocábulo é grafado na forma singular.

Questão 43: MPE-PI / 2012 / Superior


De acordo com a ortografia oficial vigente, o vocábulo “órgãos” segue a
mesma regra de acentuação que o vocábulo “últimos”.

Questão 44: MPE-PI / 2012 / Superior


Os verbos “comunicar”, “ensinar” e “comandar”, quando complementados pelo
pronome a, acentuam-se da mesma forma que “constatá-las”, “designá-las” e
“elevá-las”.

GABARITO

1. E 2. E 3. E 4. D 5. E 6. E 7. E 8. E 9. C 10. C
11. C 12. C 13. C 14. C 15. E 16. C 17. E 18. E 19. E 20. E
21. A 22. E 23. E 24. C 25. C 26. C 27. C 28. C 29. E 30. E
31. E 32. E 33. E 34. E 35. E 36. C 37. E 38. B 39. C 40. C
41. E 42. C 43. E 44. C

Controle de desempenho:
Quantidade de acertos (QA): + _____
Quantidade erros (QE): – _____
Total (To=QA-QE): _______
Porcentagem ( x 100): ______
44 (quantidade de questões da aula)
Só passe para a aula seguinte, se você tiver índice maior que 80%.

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 27