Anda di halaman 1dari 39

SISTEMAS DE

TRANSPORTES

01 - Introdução

Campus Alto Paraopeba


INTRODUÇÃO:
- Conceitos e Definição de Transportes;
- Generalidades dos Sistemas de Transportes;
- Funções do Sistema de Transporte;
- Áreas e subáreas do Setor de Transportes;
- Organismos de Transportes;
- Os Modais.

2
Conceitos e Definição de Transportes

3
Conceitos e Definição de Transportes
✓ Transporte: Meio de translação de pessoas ou bens a partir de um lugar para outro;

✓ Transporte Urbano: deslocamento de pessoas ou bens realizado no interior das cidades;


✓ Modos de transporte: maneira como o trasporte é realizado;

✓ Tem grande responsabilidade em qualquer atividade econômica, ou seja, essencial para o


desenvolvimento de uma região;
✓ É um meio que viabiliza de forma econômica os deslocamentos para satisfação de
necessidades pessoais ou coletivas, sendo que, os maiores benefícios produzidos são a
mobilidade e acessibilidade;

✓ É o responsável pela grande parcela dos custos logísticos dentro da maioria das
empresas;

✓ Brasil escoa cerca de 150 milhões de toneladas na produção de grãos;


✓ 60% da movimentação de cargas e 90% da movimentação de passageiros ocorrem pelas
rodovias (Dados da CNT).

$ Logística $
Produtor Consumidor

4
Conceitos e Definição de Transportes
O transporte comercial moderno está a serviço de interesses públicos e inclui:

✓ todos os meios e infra-estruturas implicados nos movimentos das pessoas ou bens;


serviços de recepção, entrega e manipulação de tais bens.

O Governo é responsável por dar condições de atendimento á demanda.

✓ Transporte comercial de pessoas: ✓ Transporte comercial de bens:

Serviço de passageiros Serviço de mercadorias

Considerações:
Anualmente gera-se vultuosa perda na produção agrícola pela dificuldade de transporte.
Nas Cidades a demanda pelos meios de transporte cresce mais do que a oferta.

5
Conceitos e Definição de Transportes

O transporte é influenciado, operacionalmente, pelos parâmetros de distância, tempo, local e


quantidade.
✓ Distância corresponde ao trajeto entre os pontos de origem e destino.
✓ Tempo refere-se ao tempo de transporte necessário para ligar estes dois pontos.
✓ Local trata-se dos pontos de origem e destino, ou seja, de onde o transporte deverá partir e
onde deverá chegar.
✓ Quantidade é o embarque da carga necessário em cada transporte.

Figura 01-Parâmetros de transporte

6
Conceitos e Definição de Transportes
Levando-se em consideração:

✓ O preço;
✓ O tempo em trânsito;
Qual a melhor relação custo x benefício?
✓ Danos e perdas;
✓ Manutenção.

Figura 02-Modais de transporte.


Fonte: Plano CNT de Transporte e Logística 2011 7
Conceitos e Definição de Transportes

8
Conceitos e Definição de Transportes

Transporte, meio de translação de pessoas ou bens a


partir de um lugar para outro.

Com o Aumento da demanda pelos deslocamentos, o problema torna-se mais


complexo, precisando também de sistemas de constrole, legislação específica,
etc.

Exemplos:
Brasil escoa cerca de 150 milhões de toneladas na produção de
grãos.
Rio de Janeiro realiza cerca de 8 BM de deslocamentos urbanos

Portanto o tranporte é fator essencial ao desenvolvimento de uma


empresa, cidade, região ou país.

O Governo é responsável por dar condições de atendimento á


demanda. 9
Generalidades dos Sistemas de Transportes

10
Generalidades dos Sistemas de Transportes
Os transportes estão presentes ao longo de toda a Cadeia Logística (tradicional e reversa) e
absorvem cerca de dois terços dos seus custos.

Segundo Kawamoto (1994), Sistemas de Transportes pode ser definido como o conjunto de
partes (veículos, vias e terminais) que se integram de modo a promover deslocamento espacial
de pessoas e mercadorias, segundo vontade dos usuários, programação dos operadores e
regras estabelecidas.

Pode-se sintetizar uma visão sistêmica dos Sistemas de Transporte da seguinte forma:

Pessoas, mercadorias, veículos,


O que entra no sistema (insumos) combustíveis, materiais, mão de obra,
etc.

Vias, terminais, veículos.


Sistema de Transporte Fluxo de veículos, passageiros,
cargas, etc.

Pessoas e mercadorias transportadas,


O que sai do sistema (produtos)
ruídos, fumaça, gás carbônico, etc.

11
Generalidades dos Sistemas de Transportes

Os componentes funcionais dos sistemas de transportes são:

✓ Vias – as conexões que unem dois ou mais pontos (estradas, hidrovias, aerovias, etc.);

✓ Veículos – a componente usada para movimentar pessoas e cargas de um local para outro
(carros, navios, trens, etc.);

✓ Terminais – os pontos onde as viagens se iniciam e terminam, como por exemplo,


aeroportos, portos, terminais de ônibus, estacionamentos, etc.);

✓ Plano de operações – o conjunto de procedimentos usados para se obter um


funcionamento adequado e eficaz do sistema de transporte.

12
Generalidades dos Sistemas de Transportes

O sistema de transporte é o conjunto formado pelos seguintes elementos:

✓ Meio de transporte (modalidades);

✓ Via de transporte (trajetória);

✓ Instalações (carregamento, descarga e armazenagem);

✓ Sistema de controle (planejamento e logística);

✓ Meio ambiente (redução de impactos).

13
Generalidades dos Sistemas de Transportes

➢ Visão Sistêmica

14
Generalidades dos Sistemas de Transportes

➢ Visão Sistêmica

15
Generalidades dos Sistemas de Transportes

➢ Logística
Segundo a Confederação Nacional do Transporte (CNT) a logística representa o processo de
planejamento, operação e controle do fluxo de produtos (bens manufaturados, graneis
agrícolas, graneis minerais etc.), por meio do uso intenso de informações, de modo a oferecer
a exata quantidade de mercadorias a custos mínimos nos locais e períodos definidos.

Figura 03-Cadeia Produtiva


Fonte: Plano CNT de Transporte e Logística 2011

16
Generalidades dos Sistemas de Transportes

➢ Logística

O transporte no processo logístico

1. Usa 60% das despesas logísticas;

2. Pode variar entre 4% e 25% do faturamento bruto,


e em muitos casos supera o lucro operacional;

17
Generalidades dos Sistemas de Transportes

➢ A Importância do Sistema de Transportes

Ao observarmos nações desenvolvidas e em desenvolvimento, verificamos a grande influência


que o Sistema de Transportes de cada país exerce como fator de:

✓ possibilidade de aumento da competição no mercado;

✓ redução dos preços das mercadorias;

✓ garantia da economia de escala de produção.

O Sistema de Transportes, ao desenvolver suas atividades, contribui, de maneira direta e


indireta, também, para:

✓ Acesso da população a níveis e padrões de vida mais elevados;


✓ Disponibilidade de bens para a população;
✓ Efeito estabilizador nos preços das mercadorias, principalmente nas entressafras;
✓ Existência de uma sadia concorrência entre os produtores;
✓ Flexibilidade para a localização da Produção (Parque Industrial), não atrelada aos
mercados consumidores (se for o caso).
18
Generalidades dos Sistemas de Transportes
➢ Para a melhoria do setor é necessário:

✓ Planejar;
✓ Projetar;
✓ Construir; Gerenciamento do Sistema
✓ Operar;
✓ Manter.

➢ Cenário:
- Os recursos financeiros não são suficientes para atender a demanda.

➢ É essencial otimizar o Gerenciamento do Sistema de Transporte (necessidade de mão de


obra especializada) - pré-requisito para o desenvolvimento de uma cidade, de um país.

19
Generalidades dos Sistemas de Transportes
➢ Plano CNT de Transporte e Logística
Tem por objetivo identificar as intervenções necessárias para o melhor desempenho e
integração dos sistemas de transporte do País.

Essa iniciativa visa facilitar o deslocamento de bens e pessoas da forma mais conveniente e
com menos tempo e custo, utilizando os mais adequados meios à disposição para esse fim.

Figura 04-Plano CNT


Fonte: Plano CNT de Transporte e Logística 2014

Criada em 1954 com o status jurídico de entidade sindical de grau superior, sem fins lucrativos,
a Confederação Nacional do Transporte (CNT) tem como missão atuar na defesa dos
interesses do setor de transportes. 20
Generalidades dos Sistemas de Transportes
➢ Plano Nacional de Logística e Transportes (Ministério dos Transportes)
Diante do quadro crítico experimentado, o Ministério dos Transportes apresentou à sociedade
brasileira o PNLT. Este plano vem com o objetivo de resgatar o planejamento estratégico no
setor de transportes.
Algumas premissas foram adotadas para o desenvolvimento do PNLT, uma delas é que o
PNLT é um plano para o Estado Brasileiro e não um simples Plano de Governo. O PNLT tem
seu horizonte focado até 2023.
Uma inovação foi a forma de reestruturação do país em Vetores Logísticos. Vetores Logísticos
(regiões de dinâmica socioeconômica mais homogênea quanto à produção, deslocamento,
mercados e exportações) representam uma nova forma de organização espacial do país na
qual as microrregiões homogêneas foram agrupadas em função da superposição
georreferenciada de diversos fatores representativos para melhor analisar o portfólio de
investimentos.
Dessa organização, resultaram sete agrupamentos chamados de Vetores Logísticos:

• Amazônico;
• Centro-Norte;
• Nordeste Setentrional;
• Nordeste Meridional;
• Leste;
• Centro-Sudeste;
• Sul. 21
Generalidades dos Sistemas de Transportes
➢ Plano Nacional de Logística e Transportes (Ministério dos Transportes)

Figura 05-Mapa de Vetores Logísticos


Fonte: PNLT, Ministério dos Transportes, 2014. 22
Funções do Sistema de Transporte

23
Funções do Sistema de Transporte

Tem a função básica de proporcionar elevação na disponibilidade de bens e acesso a produtos


que de outra maneira não estariam disponíveis para uma sociedade.

Tem a função econômica de promover a integração entre sociedades que produzem bens
diferentes entre si. Uma outra função econômica atribuída ao sistema de transporte é a
possibilidade de expandir mercados.

Tem como função social permitir a mobilidade das pessoas, estimulando a disseminação de
informações e ideias. Além do mais, interrelacionando-se com a distribuição dos recursos,
topografia e desenvolvimento do comércio, o sistema é um dos condicionantes da distribuição
da população.

Tem como função gerar desenvolvimento econômico. O país não poderá produzir e distribuir a
sua produção se não for atendido satisfatoriamente por um transporte adequado.

24
Áreas e subáreas do Setor de Transportes

25
Áreas e subáreas do Setor de Transportes

26
Áreas e subáreas do Setor de Transportes
➢ Engenharia de Transporte
É um dos ramos da engenharia, que lhe compete à construção e manutenção de redes
rodoferroviárias, além de portos e aeroportos, projeto de veículos e logística de transferência
de produtos.
Segundo ITE (1991, pág A30), a Engenharia de Tráfego, muitas vezes é confundida com a
Engenharia de Transporte, e, na verdade a mesma é descrita como sendo o ramo da
Engenharia de Transporte que lida com o planejamento e Projeto Geométrico, terminais e área
adjacentes e o controle de veículos nesses locais.

Rodoviário
✓ Avaliação econômica da pavimentação de uma estrada.
Engenharia de transporte

Ferroviário ✓ Eletrificação ou dieselização de uma ferrovia.


✓ Plano de expansão de terminal portuário.
Aquaviário
✓ Dimensionamento de uma frota de aviões para atender
voos entre cidades A, B e C.
Aéreo
✓ Estudo de viabilidade de implantação de dutovias para um
mineradora.
Dutoviário
✓ Planejamento de transportes para criação de planos
Transporte Diretores de transportes.
urbano
27
Áreas e subáreas do Setor de Transportes
➢ Engenharia de Transporte

Em conjunto, as duas finalidades de transporte (cargas e pessoas) compõem a base para os


estudos do Sistema de Transporte.

O Sistema de Transporte, por sua vez, abrange:

✓ Infra-estrutura: vias (estradas, ferrovias, hidrovias e dutos) e terminais (aeroportos, portos,


pátios ferroviário e rodoviário).

✓ Equipamentos de operação: veículos de transporte e equipamentos de movimentação.

Engenharia
de
Transporte

Engenheira Planejamento Transporte


Infraestrutura
de Trafego do transporte Urbano

28
Áreas e subáreas do Setor de Transportes
➢ Engenharia de Transporte

29
Organismos de Transportes

30
Organismos de Transportes

As organizações de transporte, de acordo com suas funções podem ser de três tipos:
✓Entidades que fornecem serviços de transporte, tais como uma ferrovia, uma companhia
aérea, o veículo particular;

✓Entidades que fornecem infraestrutura necessária para o serviço de transporte, como


rodovias, aeroportos, portos e rios navegáveis;

✓Entidades que planejam a operação de sistemas de transporte, estabelecendo políticas de


desenvolvimento para cada modalidade, critérios de interrelacionamento entre as várias
modalides, e, de certa forma, controlando a evolução de cada sistema através de ações
reguladoras.

31
Organismos de Transportes

- Marinha mercante;
Transportes aquaviários - Portos
- Hidrovias de interiores
Ministério
dos - Transporte rodoviário
Transportes Terrestres
Transportes - Transporte ferroviário

- Institucional tecnológico e de qualidade


Desenvolvimento
- Logística de transporte
Federal
- Exército – Diretoria de fiscalização e produtos controlados –
DFPC, etc.
Ministério da Defesa - Marinha – Diretoria de portos e costas – DPC, etc.
- Aeronáutica – Dep. de aviação civil (DAC); Dep. de controle
do espaço aéreo (DECEA), etc.

Ministério da Justiça -Polícia Rodoviária Federal, etc.


Ministério das Cidades -DETRAN – CONTRAN, etc.
Estadual Secretarias Estaduais de Transporte - Dep. De Estradas e Rodagem – DER/MG
Municipal Secretarias Municipais de Transporte - Empresa de Trânsito e Transporte de Belo Horizonte (BHTRANS)

Figura 06 - Órgãos de Transportes

32
Organismos de Transportes

Tabela 01 – Relação dos principais órgãos e departamentos nacionais de infraestrutura de transportes.

ÓRGÃO/DEPARTAMENTO SITE
Ministério dos Transportes http://www.transportes.gov.br/
Confederação Nacional de Transportes http://www.cnt.org.br/Paginas/index.aspx
Associação Nacional do Transporte de Cargas e http://www.portalntc.org.br/
Logística
Departamento Nacional de Infraestrutura http://www.dnit.gov.br/
Terrestre
Agência Nacional de Transportes Terrestres http://www.antt.gov.br/
Agência Nacional de Transportes Aquaviários http://www.antaq.gov.br/Portal/default.asp
Associação Brasileira de Movimentação http://www.abml.org.br/hist_viv.htm
Logística
Associação Brasileira dos Terminais Portuários http://www.abtp.org.br/
Infraestrutura de Aeroportos http://www.infraero.gov.br/
Agência Nacional de Aviação Civil http://www.anac.gov.br/
Fonte: FIESP 2011 apud Apostila de Sistemas de Transportes. UFPR 2013 33
Os Modais

34
Os Modais
Existem variadas formas de se apresentar o Sistema de Transportes. Didaticamente,
adotaremos a apresentação da seguinte maneira: dividindo-o em subsistema terrestre,
subsistema aquaviário e subsistema aéreo.

✓O Subsistema Terrestre:
- Modal Rodoviário;
- Modal Ferroviário;
- Modal Dutoviário (gás, gasolina, óleo diesel, álcool etc.)
✓O Subsistema Aquaviário:
- Modal Fluvial (hidroviário);
- Modal Lacustre (hidroviário);
-Modal Marítimo: de longo curso (alto-mar) ou de cabotagem(sobre a costa).
✓O Subsistema Aéreo:
- Modal aéreo de carga;
- Modal aéreo de passageiros.

35
Os Modais
Distribuídos em cinco tipos, para transporte de cargas:

✓ Rodoviário: aquele feito por caminhões, carretas e treminhões.


✓ Ferroviário: aquele realizado nas ferrovias por trens, compostos de vagões que são
puxados por locomotivas.
✓ Aquaviário: abrange o modo marítimo e hidroviário.
- Marítimo: aquele onde a carga é transportada por embarcações, através de
mares e oceanos.
- Hidroviário: também denominado de fluvial ou lacustre, aquele transportado
em embarcações pelos rios, lagos ou lagoas.
✓ Aeroviário: aquele realizado por aeronaves.
✓ Dutoviário: aquele em que os produtos são transportados por meio de dutos.

36
Os Modais
Cada modal tem suas peculiaridades:

- Custos
Adequação ao tipo de mercadoria
- Condicionantes operacionais

Para análise do melhor modal deve-se levar em consideração:

- Natureza da mercadoria;
- Tamanho do lote;
- Níveis de serviços prestados;
- Disponibilidade e frequência do transporte;
- O tempo de trânsito;
- Valor do frete;
- ...

37
Os Modais

Figura 07 – Exemplo de treminhão, modal rodoviário.

38
Bibliografia
Confederação Nacional do Transporte. Plano CNT de Transporte e Logística 2014. Disponível
em: <http://www.cnt.org.br/Paginas/Plano-CNT-de-Log%C3%ADstica.aspx>.
Confederação Nacional do Transporte. Plano CNT de Transporte e Logística 2011. Disponível
em:
<http://www.cnt.org.br/Imagens%20CNT/PDFs%20CNT/Plano%20CNT%20de%20Log%C3%A
Dstica/PlanoCNTdeLog2011.pdf>.
BRASIL. Ministério dos Transportes. Plano Nacional de Logística de Transportes, 2007.
Disponível em: < http://transportes.gov.br/public/arquivo/arq1352742260.pdf>
BRASIL; Ministério dos Transportes-Banco de Informações e Mapas de Transportes – BIT,
2014. Disponível em: < http://www2.transportes.gov.br/bit/01-inicial/index.html>.
HOEL, L. Engenharia de Infraestrutura de Transportes - Uma Integração Multimodal. 1ª ed.
Editora Cengage Learning. 598 p. 2011.
RODRIGUES, P. R. A. Introdução aos sistemas de transporte no Brasil e á logística
internacional. 4ª ed. Editora Aduneiras. 243 p. 2007.
MIRANDA, L. M. Sistemas de Transportes e intermodalidade. 1ª ed. Editora Leitura. 2012.
Pereira, D.M.; Ratton E.; Blasi, G.F.; Pereira M.A.; Filho, K.W.; Lendzion, E. Apostila de
Sistemas de Transportes. UFPR, Departamento de Transportes, 2013. Disponível em: <
http://www.dtt.ufpr.br/Sistemas/Arquivos/apostila-sistemas-2013.pdf>.
39