Anda di halaman 1dari 2

A moagem úmida apresenta menor custo de investimento e menor custo operacional do que a

moagem a seco, porém em alguns lugares onde se tem carência de água não é propícia a
instalação.

De acordo com JKMRC (1995), estima-se que 30 a 50% de toda a energia gasta em uma planta
de beneficiamento é consumida na etapa de cominuição, podendo esse valor chegar a 70%
para minérios muito competentes e/ou quando o grau de moagem requerido é muito alto.
Portanto, é necessário sempre um estudo sensato de qual a melhor forma de utilizar a energia
disponível e assim dimensionar um circuito de cominuição para se obter melhores custos de
investimentos e de operação.

A moagem é o último estágio do processo de cominuição. Nela se obtém um produto mais fino
adequado à concentração ou a qualquer outro processo industrial seja o mesmo utlizado para
a pelotização, lixiviação, combustão, etc.

Grupo 1: Moinhos revolventes ou tubulares (“Tumbling Mills” ou “Tube Mills”):

• moinhos de barras;

• moinhos de bolas;

• moinhos de “cylpebs”;

• moinhos de seixos;

• moinhos autógenos e semi-autógenos.

A moagem a úmido é mais utilizada em tratamento de minérios por ser a forma mais
econômica e mais adequada aos tratamentos posteriores e devido ao fato da água ser um
excelente meio de transporte, dissipador de calor. Algumas vantagens de se utilizar a moagem
a úmido são: menor consumo de energia em kWh/t, maior capacidade por unidade de volume
do moinho, torna possível o uso de peneiramento e classificação a úmido no controle do
produto, elimina o problema de poeira, torna possível o uso de meio de transporte simples
como calhas, bombas e canos.

9- Quais os principais objetivos das operações de britagem? Onde a britagem é normalmente


inserida em circuitos de beneficiamento mineral?

A britagem pode ser definida como conjunto de operações que objetiva a


fragmentação de blocos de minérios vindos da mina, levando-os a granulometria compatíveis
para utilização direta ou para posterior processamento, para permitir o transporte continuo
por transportadores de correia, e permitir o manuseio do material de mineração.

Em circuitos de beneficiamento mineral, a britagem é considerada o primeiro estagio


do processo de fragmentação, auxiliando na liberação dos minerais uteis para posterior
concentração.
18- Como é o aproveitamento de energia na moagem? Moinhos tubulares podem ser
classificados como equipamentos eficientes em termos de aproveitamento energético?

A moagem é o último estágio do processo de cominuição. Cerca de 80% da energia consumida


em plantas de beneficiamento são nas etapas de comunição

A moagem corresponde ao ultimo estagio do processo de cominuição, sendo a área da


fragmentação quer requer maiores investimentos, devido alto consumo de energia. Em
moinhos de bolas, por exemplo, deve-se considerar o efeito da carga de bolas, pois a medida
que o moinho é ocupado por um grande volume de bolas, maior será a potencia requerida
para promover o funcionamento do muito, e consequentemente, maior será o consumo
energético.

Em moinhos de bolas e barras, por exemplo, que trabalham com constante consumo de
energia,

Torque

Moinho tem que levantar as bolas

A moagem é o último estágio do processo de cominuição

22- Qual a importância da correta seleção de corpos moedores para moinhos tubulares? Cite
os principais tipos de corpos moedores normalmente utilizados.

A correta seleção de corpos moedores constitui um importante item de custo nas


operações de moagem. A quantidade de trabalho útil depende da forma dos corpos moedores,
do seu tamanho em relação ao tamanho do material que está sendo moído, da sua quantidade
e do material de que eles são feitos. Existe, naturalmente, um custo direto pela reposição dos
corpos moedores desgastados pelo uso. Este custo está ligado ao consumo dos corpos
moedores que por sua vez depende, dentre outros fatores, de parâmetros operacionais, tais
como do nível de enchimento e diluição da polpa.

Existem, também, custos indiretos que estão ligados à eficiência da moagem e que são
influenciados pela forma, pelo tamanho máximo dos corpos moedores, pela sua distribuição
granulométrica e também por sua densidade. As variações na eficiência, além de se refletirem
numa variação do consumo específico de energia, devem também ser consideradas tanto na
adequabilidade do produto às suas especificações finais quanto na sua compatibilidade com os
processos subseqüentes.

Os corpos moedores mais freqüentemente utilizados em moinhos tubulares são


cilindros, cylpebs (troncos de cone) e bolas, podendo ser usados, entre outros, seixos ou
pedaços do próprio material a ser moído.

Contaminação da polpa com o material do corpo moedor.