Anda di halaman 1dari 3

UNIVERIDADE FEDERAL DO AMAPÁ

COORDENAÇÃO DE LETRAS
PROF. KATIUSCIA FERNANDES S. DIAS
DISCIPLINA: TOPICOS AVANÇADOS EM FONÉTICA DA LINGUA FRANCESA

Fonética e fonologia: conceitos elementares

Definição:
Fonética e Fonologia são disciplinas da Linguística que estudam os sons da fala e como eles são
produzidos. A Fonética estuda os sons da fala e a Fonologia estuda a função desses sons dentro de uma
determinada língua. Trocando em miúdos, a Fonética estuda como é produzido o som “X” e a Fonologia
estuda que função esse som “X” tem na língua.

A Fonética é o ramo da Linguística que estuda a natureza física da produção e da percepção


dos sons da fala humana. Preocupa-se com a parte significante do signo linguístico e não com o seu
conteúdo. Segundo Gregory1, subdivide-se em:

 Fonética articulatória: estuda como os sons são produzidos, isto é, a posição e a função de cada
um dos órgãos do aparelho fonador (língua, lábios, etc.);

 Fonética acústica: analisa as características físicas dos sons da fala, ou seja, as ondas
mecânicas produzidas e a sua percepção auditiva.

Outros autores consideram também uma terceira subdivisão:

 Fonética auditiva: estuda os processos que realiza o receptor na recepção e interpretação da onda
sonora.

Os sons da fala:
Quando falamos, produzimos uma corrente de ar que sai de nossos pulmões e vai até nossa boca, passando
por diversos órgãos e estruturas. Os sons da fala são produzidos quando alguns desses órgãos e estruturas
agem sobre essa corrente, ou seja, quando há mudança dessa corrente de ar. O conjunto de órgãos e
estruturas que produzem os sons de nossa fala é chamado de aparelho fonador.

1
Borba, Francisco S. (1975). Introdução aos Estudos Linguísticos. São Paulo: Companhia Editora Nacional.
p. 251
Os sons da fala podem ser classificados de acordo com seu vozeamento e sua nasalidade. Veja o
quadro abaixo:

Um som é vozeado (ou sonoro) quando a corrente de ar que vem dos pulmões encontra as pregas
vocais retesadas (fechadas), fazendo-as vibrar, produzindo o som vozeado como o percebido na palavra
“Bato”. Um som é surdo quando a corrente de ar que vem dos pulmões encontra as pregas vocais relaxadas
(abertas), não correndo virbração e produzindo o som surdo percebido na palavra “Prato.”
Um som é bucal quando a corrente de ar passa unicamente pela cavidade bucal. Esse tipo de som
pode ser percebido na palavra “bAto”. Um som é nasal quando a corrente de ar passa, além de na cavidade
bucal, também na cavidade nasal, produzindo sons como os das plavras “pÃo”, “leÃo”, “capitÃo”,
“bANto”, “prANto”, etc.

Som e fonema:
Fonemas são os sons da fala que são capazes de estabelecer uma diferenciação de significado entre dois
vocábulos. Em outras palavras, um fonema é um som que é capaz de distinguir uma palavra de outra. Por
exemplo, nos vocábulos ERRO (do verbo errar: eu ERRO frequentemente) e ERRO (substantivo: o ERRO
é uma oportunidade de aprendizagem) os sons /é/ (do verbo) e /ê/ (do substantivo) são fonemas porque
diferenciam dois vocábulos. Um outro exemplo de fonema é o som /c/ e o som /p/ nas palavras CÃO e
PÃO. Esses sons são fonemas porque diferenciam dois vocábulos de uma língua.
Note, no entanto, que o mesmo fonema nem sempre é realizado pelo mesmo som. Veja figura abaixo:

Os diferentes sons que podem realizar um fonema são chamados de alofones ou variantes. Tente
perceber no seu dia a dia como é diverso o modo das pessoas pronunciarem uma mesma palavra e
compreenda que isso é natural da comunicação humana. A variação na fala é alvo de muito preconceito
no mundo todo. Isso é uma pena, pois a variação é uma das grandes riquezas que uma língua pode ter. É
evidente que em situações mais formais deve-se falar de modo mais adequado, mas ninguém deveria
sofrer preconceito pelo modo de falar. Quanto à escrita, aí é outra história. Na hora de escrever precisamos
estar atentos e obedecer às regras de ortografia e de gramática. Isso porque a escrita não é uma transcrição
direta da fala, tendo suas próprias regras e convenções que devem ser respeitadas. Já pensou se todo
mundo resolvesse escrever do jeito que acha melhor? Não seria uma confusão? É por isso que essas regras
e convenções existem, para facilitar a comunicação.

Referencias

Benjamim Linhares Machado Marchi. Disponível em:


http://gramaticasimples.blogspot.com.br/2008/11/fontica-e-fonologia-os-sons-da-fala.html. Acesso em
15.04.17

Borba, Francisco S. disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Fon%C3%A9tica#cite_note-Borba-1. Acesso em


15.04.17