Anda di halaman 1dari 8

NIFEDIPINA TÓPICA

Associada à Lidocaína tópica promove 92% de cura da trombose


hemorroidária, e isolada promove 95% de cura da fissura anal.

Doutor
O objetivo deste informe científico é demonstrar que o uso tópico
de NIFEDIPINA, atualmente utilizada para tratamento de desordens
cardiovasculares, pode ser uma opção terapêutica no tratamento da trombose
hemorroidária. NIFEDIPINA tópica 0,2% apresentou eficácia superior, quando
comparada ao tratamento tópico com Lidocaína + Acetato de Hidrocortisona.

Hemorróidas(7)
Hemorróidas são dilatações tortuosas dos vasos sanguíneos da região anal, chamadas
de veias hemorroidárias. Elas podem se apresentar de forma interna ou externa,
causando diversos sintomas com intensidade variável, tais como: dor, ardência anal,
prolapso, sangramento durante e após a evacuação, prurido anal e excreção de muco
ao evacuar.

As hemorróidas podem aparecer quando houver aumento da pressão


nas veias da região anal, dificultando a circulação do sangue e
dilatando os vasos. Isso geralmente ocorre pelo maior esforço para
eliminação das fezes secas e endurecidas.

Entre os principais fatores que contribuem para o aparecimento das


hemorróidas, estão:
9 Prisão de ventre, fezes secas e endurecidas;
9 Hereditariedade e obesidade;
9 Esforço exagerado;
9 Gravidez .

Pesquisa recente mostra uma maior predominância do sexo masculino


para hemorróidas.(1)

-As hemorróidas externas podem tornar-se trombosadas, com coágulos em seu


interior, causando dor, ou ainda ulcerar, com subseqüente sangramento, dando origem
à trombose hemorroidária.(11)
- A fissura anal crônica é uma patologia orificial comum, associada à hipertonia do
esfíncter interno do ânus.(12)

Tratamento(7)
O tratamento das hemorróidas pode ser clínico (com o uso de medicamentos)
ou cirúrgico. Dentre os tratamentos disponíveis para a trombose hemorroidária tem-se
a NIFEDIPINA de uso tópico, que apresenta excelentes resultados, tanto na
diminuição das dores como na regressão da trombose nesses pacientes.
NIFEDIPINA tópica promove a remissão da dor em 86% dos
pacientes com trombose hemorroidária
Pacientes com trombose hemorroidária, tratados com terapia tópica à
base de NIFEDIPINA + Lidocaína, apresentaram resultados
significativos quando comparados aos pacientes tratados com
Lidocaína tópica.(2)

O objetivo desse estudo foi demonstrar a alta eficácia da NIFEDIPINA,


associada à Lidocaína para uso tópico, em pacientes com trombose
hemorroidária, em comparação à terapia isolada com Lidocaína tópica.
O estudo envolveu dois grupos :

GRUPO 1 GRUPO 2
Pomada de NIFEDIPINA Pomada de Lidocaína
0,3% + Lidocaína 1,5% 2 1,5%
vezes ao dia

RESULTADOS
Após 7 dias de tratamento.

Outro resultado: após 14 dias de tratamento tópico com


NIFEDIPINA + Lidocaína, obteve-se cura em 92% dos
pacientes tratados.

Conclusão
O estudo demonstrou que o uso tópico de NIFEDIPINA,
atualmente utilizada para tratamento de desordens cardiovasculares,
pode ser uma opção terapêutica no tratamento da trombose
hemorroidária.
Dis Colon Rectum. 2001 Mar;44(3):405-9.
NIFEDIPINA tópica na fissura anal - remissão dos sintomas
em 95% dos pacientes tratados
NIFEDIPINA tópica apresentou eficácia superior, quando comparada
ao tratamento tópico com Lidocaína + Acetato de Hidrocortisona.(3)

Estudo duplo-cego, envolvendo 283 pacientes, teve como objetivo avaliar a eficácia da
aplicação local de gel de NIFEDIPINA em pacientes com fissura anal.

GRUPO 1 GRUPO 2
Gel de NIFEDIPINA 0,2% Gel de Lidocaína 1% +
2 vezes ao dia Acetato de Hidrocortisona
1%
Resultados obtidos após 3 semanas de tratamento:

Não foi observado nenhum efeito colateral sistêmico ou hemorragia anorretal


significativos em pacientes tratados com NIFEDIPINA tópica.

Conclusão
De acordo com o estudo realizado, constatou-se que a utilização de
NIFEDIPINA no tratamento da fissura anal apresenta resultados altamente
significativos.
Dis Colon Rectum. 1999 Aug;42(8):1011-5. Comment in: Dis Colon Rectum. 2000 Mar;43:430-1.

-Estudo realizado por uma universidade italiana demonstrou que a terapia tópica com
NIFEDIPINA + Lidocaína em pacientes com fissura anal apresentou 94,5% de cura
e redução da pressão anal de repouso em 11%(4).
Dis Colon Rectum. 2002 Nov;45(11):1468-75.
-Pesquisa realizada na Universidade de Oxford comprovou que o uso de
NIFEDIPINA oral no tratamento da fissura anal diminuiu a pressão anal de
repouso em 36% dos pacientes, e 60% dos pacientes obtiveram a cura da
doença.(5)
Br J Surg. 1999 Oct;86(10):1269-73. Comment in: Br J Surg. 2000 Feb;87(2):251.
-Estudo realizado por uma universidade de medicina da Turquia avaliou a eficácia do
tratamento da fissura anal com a utilização de NIFEDIPINA oral. Obteve-se
diminuição em 30% da pressão anal máxima de repouso e cura de 60% dos
pacientes submetidos ao tratamento.(6)
Dig Surg. 2003;20(5):452-6. Epub 2003 Jul 31.

NIFEDIPINA tópica no tratamento da trombose


hemorroidária e da fissura anal
Exclusividade da farmácia de manipulação
NIFEDIPINA(8)

É um agente antianginoso, anti-hipertensivo e bloqueador seletivo do canal de


cálcio.
Propriedades Farmacológicas
9 -Diminui a pressão anal; (3,4)
(8)
9 -Apresenta ação vasodilatadora.

Mecanismo de ação (10)

O íon cálcio é vital para a ativação de células


excitatórias, fundamentais para a contração do
músculo liso arteriolar. Ao penetrar na célula, o
íon cálcio se liga à calmodulina e esse complexo
ativa a miosina quinase, levando à fosforilação
de uma cadeia de miosina, que se liga à actina.
O resultado é a contração arteriolar
(vasoconstrição).
Os bloqueadores dos canais de cálcio (também
conhecidos como antagonistas de cálcio) agem
bloqueando a ação do cálcio no músculo liso da
parede das arteríolas. O bloqueio da ação do
cálcio causa dilatação, resultando na redução da
pressão arterial.

Indicações Posologia(2)
9 Tratamento da trombose 9 Hemorróidas: 0,3% 2 vezes ao
hemorroidária externa;(2) dia(2).
(3,4)
9 Tratamento de fissuras anais . 9 Fissura anal: 0,2% 2 vezes ao
dia(3).
Formulário

1. Pomada de NIFEDIPINA + Lidocaína – tratamento da


trombose hemorroidária Dis Colon Rectum. 2001 Mar;44(3):405-9.

Nifedipina________________________0,3% -Bloqueadora dos canais de


cálcio. Vasodilatadora.
Lidocaína________________________1,5% -Anestésico local.
Pomada lavável qsp _______________ 50 g - Veículo.
Aplicar no local afetado 2 vezes ao dia ou conforme orientação médica.
2. Pomada de NIFEDIPINA para fissura anal
Dis Colon Rectum. 1999 Aug;42(8):1011-5. Comment in: Dis
Colon Rectum. 2000 Mar;43(3):430-1.

Nifedipina________________________0,2% -Bloqueadora dos canais de


cálcio. Vasodilatadora.
Pomada lavável____________________30 g -Veículo.
Aplicar 2 vezes ao dia ou conforme orientação médica.

Terapia Coadjuvante Importante

1. Laxantes
Laxantes químicos(9)
Droga Dose para adultos
Bisacodil 10 mg 1 vez ao dia
Dantrona De 50 a 150 mg ao dia
Lactulose De 15 a 30 ml ao dia
Óleo mineral De 15 a 45 ml 2 vezes ao dia
Picossulfato sódico De 2 a 15 mg ao dia

1.1. Xarope de Lactulose


Lactulose___________300 ml
Tomar de 15 a 30 ml ao dia.

1.2. Cápsulas de Bisacodil


Bisacodil___________10 mg
Mande 20 cápsulas.
Tomar 1 cápsula ao deitar ou conforme orientação médica.

1.3. Cápsulas de Dantrona


Dantrona___________75 mg
Mande 20 cápsulas.
Tomar 1 a 2 cápsulas ao deitar ou conforme orientação médica.

1.4. Óleo mineral


Óleo mineral qsp_____200 ml
Tomar de 15 a 45 ml 2 vezes ao dia.
1.5. Gotas de Picossulfato sódico
Picossulfato sódico _____7,5 mg/ml
Gotas de groselha qsp_______20 ml
Tomar de 5 a 10 gotas (equivalente a 3,75 – 7,5 mg) ao dia. As gotas devem
ser administradas diluídas com um pouco d’água.

Laxantes Fitoterápicos
Droga Dose para adultos
Cáscara sagrada E.seco De 100 a 500 mg
Frângula E.seco De 100 a 400 mg
Ruibarbo E.seco De 100 a 500 mg
Sene E.seco De 100 a 300 mg

1.1. Cápsulas de Cáscara sagrada 1.3. Cápsulas de Ruibarbo


Cáscara sagrada E. seco_150 mg Ruibarbo E. seco ______ 100 mg
Mande 30 cápsulas. Mande 30 cápsulas.
Tomar 1 cápsula ao deitar. Tomar 1 cápsula ao deitar.

1.2. Cápsulas de Frângula 1.4. Cápsulas de Sene

Frângula E.seco _______100 mg Sene E. seco _________ 100 mg


Mande 30 cápsulas. Mande 30 cápsulas.
Tomar 1 cápsula ao deitar. Tomar 1 cápsula ao deitar.

2. Fibras
Shake com fibras sabor morango, chocolate e baunilha
VEGESOY FIBER_____________________________30 g
Lecitina em pó______________________________0,3 g
Edulcorante__________________________________qs
Flavorizante__________________________________qs
Mande 30 sachês.
Posologia: tomar 1 vez ao dia.
Modo de preparo: misturar 1 sachê em 250 ml de água e tomar
imediatamente após o preparo.

3. Sachês de Psyllium
Plantago psyllium _______ 10 g
Mande 30 sachês.
Posologia: tomar 1 a 2 vezes ao dia, nas refeições ou ao deitar.
Modo de preparo: misturar 1 sachê em 1 copo de água ou de suco (ou ainda
em sopas) e tomar imediatamente após o preparo.
4. Anestésicos locais
Droga Concentração de Uso
Benzocaína De 1% a 2%
Lidocaína 2%

4.1. Creme de Benzocaína 4.2. Creme de Lidocaína


Benzocaína _____________ 2% Lidocaina _______________ 2%
Creme Xalifin qsp_________30 g Creme Xalifin qsp_________30 g
Aplicar pela manhã e à noite após Aplicar pela manhã e à noite após
a evacuação. a evacuação.

5. Antiinflamatório local corticosteróide


5.1. Creme de Hidrocortisona com Lidocaína
Acetato de hidrocortisona__________0,5%
Lidocaína_________________________2%
Creme Xalifin qsp_________________ 30 g
Aplicar pela manhã e à noite após a evacuação.

6. Antiinflamatórios sistêmicos - inibidores da COX(9)


Nome da droga Dose recomendada
Diclofenaco De 50 a 75 mg 4 vezes ao
dia
Meloxicam De 7,5 a 15 mg/dia
Nimesulida De 100 a 200 mg/dia

6.1.Cápsulas de diclofenaco

Diclofenaco 50 mg

Mande 120 cápsulas.


Tomar 1 cápsula 4 vezes ao dia.

6.2. Cápsulas de meloxicam


(seletivo para COX-2)

Meloxicam 7,5 mg

Mande 60 cápsulas.
Tomar 1 a 2 cápsulas 1 vez ao dia.
6.3. Cápsulas de nimesulida (seletivo para COX-2)
Nimesulida_________________100 mg
Mande 60 cápsulas.
Tomar 1 cápsula 1 a 2 vezes ao dia.

Outra terapia importante


Dis Colon Rectum. 2004 Mar 4 [Epub ahead of print]
1. Pomada de diinitrato de isossorbida Dig Surg. 2003;20(2):122-6.

Dinitrato de - Vasodilatador dos músculos lisos através da


isossorbida______0,2% ação do NO.
Pomada lavável qsp_________50 g - Veículo.
Aplicar 2 vezes ao dia.

Referências Bibliográficas
1. Pinho MS, Ferreira LC, Vasconcelos ECG, Souza Filho NA, Reis MC. Análise da prevalência por
sexo e idade nas doenças anorretais freqüentes. Rev bras coloproct, 2002(3):158-163
Disponível em : http://sbcp.org.br/revista/nbr223/P158_163.htm. Acessado em: 11/05/05.
2. Perrotti, P., Antropoli, C., Molino, D., De Stefano, G., Antropoli, M.. Conservative treatment of
acute thrombosed external hemorrhoids with topical nifedipine. Emergency Surgery
Department, A. Cardarelli Hospital, Naples, Italy. Dis Colon Rectum. 2001 Mar;44(3):405-9.
3. Antropoli, C., Perrotti, P., Rubino, M., Martino, A., De Stefano, G., Migliore, G., Antropoli, M., Piazza,
P.. Nifedipine for local use in conservative treatment of anal fissures: preliminary results
of a multicenter study. Emergency Surgery Department, A. Cardarelli Hospital, Naples, Italy. Dis
Colon Rectum. 1999 Aug;42(8):1011-5. Comment in: Dis Colon Rectum. 2000 Mar;43(3):430-1.
4. Perrotti, P., Bove, A., Antropoli, C., Molino, D., Antropoli, M., Balzano, A., De Stefano, G., Attena,
F.. Topical nifedipine with lidocaine ointment vs. active control for treatment of chronic
anal fissure: results of a prospective, randomized, double-blind study. Divisione VII,
Chirurgia Gastroenterologica, A. Cardarelli Hospital, 2nd University of Naples, School of Medicine,
Via Domenico Fontana 39, 80128 Naples, Italy. Dis Colon Rectum. 2002 Nov;45(11):1468-75.
5. Cook, .T.A., Humphreys, M.M., McC Mortensen, N.J.. Oral nifedipine reduces resting anal
pressure and heals chronic anal fissure. Department of Colorectal Surgery, John Radcliffe
Hospital, Headley Way, Headington, Oxford, UK. Br J Surg. 1999 Oct;86(10):1269-73. Comment in:
Br J Surg. 2000 Feb;87(2):251.
6. Agaoglu, N., Cengiz, S., Arslan, M.K., Turkyilmaz ,S.. Oral nifedipine in the treatment of
chronic anal fissure. Karadeniz Technical University, Faculty of Medicine, Department of General
Surgery, Trabzon, Turkey. nagaoglu@meds.ktu.edu.tr Dig Surg. 2003;20(5):452-6. Epub 2003 Jul
31.
7. Secretaria Executiva de Saúde Pública do Pará. Hemorróidas. Disponível em:
http://www.sespa.pa.gov.br/Atualiza%C3%A7%C3%A3o/hemorroidas.htm. Acessado em 11/05/05.
8. Korolkovas, A. Dicionário Terapêutico Guanabara. Editora Guanabara Koogan S.A., Edição
2003/2004. Rio de Janeiro,RJ.2003.
9. DEF – Dicionário de Especialidades Farmacêuticas. Edição: 2000/2001
10. Goodman & Gilman. As Bases Farmacológicas da Terapêutica, 10ª Edição, Ed. MacGrawHill,
Rio de Janeiro, 2003
11. http://www.univap.br/institutos/ipd/EngBio2001/Cury.pdf
12. Lopes Paulo F. Atualização. Nifedipina tópica vs. Gliceril Trinitrato tópico no tratamento da
fissura anal crônica. Rev. Bras Coloproct 2004; 24(1):68. Disponível em:
http://www.sbcp.org.br/pdfs/24_1/11.pdf. Acessado em: 15/05/05

Elaborado por www.consulfarma.com


Direitos Autorais Protegidos pela Lei 9610 de 19 de Fev. de 1998.
Estas informações devem ser analisadas pelo profissional prescritor antes de adotados na clínica, e são de distribuição e
uso exclusivo de médicos, farmacêuticos, dentistas e veterinários devidamente inscritos em seus C.R.s.