Anda di halaman 1dari 3
CARTA DE ACEITE Certificamos que a comunicação PARRICÍDIO E FILICÍDIO EM "A EMPAREDADA DA RUA NOVA"

CARTA DE ACEITE

Certificamos que a comunicação PARRICÍDIO E FILICÍDIO EM "A EMPAREDADA DA RUA NOVA" DE CARNEIRO VILELA proposta por JOAQUIM TELES DE FARIA foi selecionada para compor o simpósio LITERATURA , CINEMA E PSICANÁLISE: SINTOMAS DA CULTURA no Congresso Internacional ABRALIC 2018, a ser realizado entre os dias 30 de julho e 03 de agosto, na Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Minas Gerais.

Rogério da Silva Lima
Rogério da Silva Lima

Presidente ABRALIC (2018-2019)

Brasília, 25 de abril de 2018

XVI ENCONTRO ABRALIC Inscrição Comunicação Proponente 1 Nome: Joaquim Teles de Faria CPF: 274.811.488-48 Passaporte :kjdifaria@hotmail.com Professor de IES: NÃO Proponente 2 Nome: CPF: Passaporte: Instituição: Modalidade: Professor de IES: Email: Dados do Trabalho Simpósio: Literatura , Cinema e Psicanálise: sintomas da cultura Título: Parricídio e Filicídio em Resumo: Este estudo surge como uma reflexão à partir de leituras de obras de Freud e Jaques Lacan, nesse percurso dois conceitos ganham destaque e chamam a atenção, sendo eles o parricídio e o filicídio. O romance “A Emparedada da Rua Nova”, do romancista pernambucano Carneiro Vilela, surge como objeto de aplicação das teorias psicanalíticas para uma análise da relação entre pai e filha, tomando por base os personagens do romance. A trama apresenta a figura de um núcleo familiar que vai se desconstruindo paulatinamente até culminar em adultérios e homicídio. Em razão disto “A Emparedada da Rua Nova” surge como uma possibilidade trágica moderna, p or onde se pode compreender os conceitos psicanalíticos do parricídio simbólico e do filicídio. Essa abordagem desenvolve-se como estudo literário, porém, andeja pelas sendas da psicanálise procurando entender como os conceitos de parricídio e filicídio podem permitir uma análise mais acurada do universo mental que constitui a mentalidade dos personagens desse enredo. Desse modo, utilizando a Psicanálise aplicada como instrumento de análise literária. observa-se como as pulsões reprimidas da filha do protagonista do romance, vai no desenrolar da trama, resultar em um parricídio simbólico, que coloca pai e filha em uma relação de completo estranhamento. Essa relação desgastada que desemboca no estranhamento absoluto ocasiona como consequência no filicídio efetivo, onde o protagonista Jaime Favais, acaba por assassinar a filha emparedando-a viva em um dos cômodos de sua casa. A narrativa trágica de Carneiro Vilela dialoga por meio da intertextualidade coma Antígona de Sófocles e nesse sentido torna possível notar uma releitura da tragédia " id="pdf-obj-1-3" src="pdf-obj-1-3.jpg">
 

XVI ENCONTRO ABRALIC Inscrição Comunicação

Proponente 1

Nome: Joaquim Teles de Faria CPF: 274.811.488-48

 

Passaporte

: Instituição: Universidade de Brasília-Unb Modalidade: ESTUDANTE DE MESTRADO Email: kjdifaria@hotmail.com

Professor de IES: NÃO

Proponente 2

Nome:

CPF:

Passaporte:

Instituição:

Modalidade:

Professor de IES:

Email:

Dados do Trabalho

Simpósio: Literatura , Cinema e Psicanálise: sintomas da cultura Título: Parricídio e Filicídio em

Resumo: Este estudo surge como uma reflexão à partir de leituras de obras de Freud e Jaques Lacan, nesse

percurso dois conceitos ganham destaque e chamam a atenção, sendo eles o parricídio e o filicídio. O romance “A Emparedada da Rua Nova”, do romancista pernambucano Carneiro Vilela, surge como objeto de aplicação das teorias psicanalíticas para uma análise da relação entre pai e filha, tomando por base os personagens do romance. A trama apresenta a figura de um núcleo familiar que vai se desconstruindo paulatinamente até culminar em adultérios e homicídio. Em razão disto “A Emparedada da Rua Nova” surge como uma possibilidade trágica moderna, por onde se pode compreender os conceitos psicanalíticos do parricídio simbólico e do filicídio. Essa abordagem desenvolve-se como estudo literário, porém, andeja pelas sendas da psicanálise procurando entender como os conceitos de parricídio e filicídio podem permitir uma análise mais acurada do universo mental que constitui a mentalidade dos personagens desse enredo. Desse modo, utilizando a Psicanálise aplicada como instrumento de análise literária. observa-se como as pulsões reprimidas da filha do protagonista do romance, vai no desenrolar da trama, resultar em um parricídio simbólico, que coloca pai e filha em uma relação de completo estranhamento. Essa relação desgastada que desemboca no estranhamento absoluto ocasiona como consequência no filicídio efetivo, onde o protagonista Jaime Favais, acaba por assassinar a filha emparedando-a viva em um dos cômodos de sua casa. A narrativa trágica de Carneiro Vilela dialoga por meio da intertextualidade coma Antígona de Sófocles e nesse sentido torna possível notar uma releitura da tragédia

grega na narrativa do escritor Pernambucano.

Palavras-chave: Parricídio, tragégia, filicídio, feminino, masculi Data Envio: 02/04/2