Anda di halaman 1dari 23

Cartilha

FIQUE LEGAL - RESTAURANTES*

2018

*Esse material não pode ser comercializado ou divulgado


intergral ou parcialmente sem a identificação de seu autor,
Mouzalas, Borba & Azevedo advogados assciados
SUMÁRIO
1. Introdução: 3
2. Legislação Federal: 3
2.1. Código de Defesa do Consumidor: 3
2.2. 1. Proíbe vantagem manifestamente excessiva; 4
2.2. 2. Cobrança de produto ou serviço sem prévia solicitação; 4
2.2. 3. Comercializar produto fora do prazo de validade ou impróprio; 4
2.2. 4. Informar que não aceita cheque ou cartão; 4
2.2. Consolidação das Leis do Trabalho: 4
2.3. Lei das Contravenções Penais: 4
2.4. Estatuto da Criança e do Adolescente: 5
2.5. ECAD – Escritório Central de Arrecadação e Distribuição: 5
2.6. ANVISA: 6
2.7. Lei Antifumo – n° 9.294/1996 e n° 12.546/2011: 9
2.8. Estatuto do Idoso e a Lei do Atendimento Prioritário: 10
2.9. Lei da Exigência da Nota Fiscal – Lei nº 8.846/1994: 10
2.10. Decreto Federal sobre o Cardápio Externo – Lei nº 5.903/2006: 10
3. Legislação Estadual 11
3.1. 5% de Mesas e Cadeiras - Lei nº 9.540/2011: 11
3.2. Ingredientes - Lei nº 9.632/2011: 11
3.3. Fogos de Artifício - Lei nº 10.194/2013: 11
3.4. Proteção de Talheres e Pratos - Lei nº 10.223/2013: 11
3.5. Canudos Embalados - Lei nº 9.843/2012: 11
3.6. Perigos de Dirigir depois de Beber - Lei nº 9.419/2011: 12
3.7. Gel Sanitizante - Lei nº 9.421/2011: 12
3.8. Cardápio Externo - Lei nº 8.730/2008: 12
3.9 Cardápio em Braille - Lei nº 7.776/2005: 13
3.10. Código Estadual de Proteção Contra Incêndio, Explosão e Controle de Pânico – Lei nº9.625/2011: 13
3.11. Lei dos Copos de Plástico – Lei nº 7548/2004: 13
3.12 Inclusão do telefone e endereço dom PROCON na nota fiscal - Lei nº 9.015/2009: 13
3.13 Afixar o endereço e telefone do PROCON e da Delegacia de Polícia da região - Lei nº 10.421/2015: 13
3.14 Informar o número de telefone de ponto de taxi da região - Lei nº 10.048/2013: 14
3.15 Informar o valor cobrado pelo couvert artístico: 14
3.16 Publicação de cartaz contra turismo sexual: 14
3.17 Informar ausência de glúten e/ou lactose nos cardápios, menus, cartazes ou multimídia: 14
3.18 Lei Estadual 10.223/2013 15
4. Legislação Municipal: 15
4.1. Comanda de Controle - Lei nº 12.794/2014:
15
4.3. Câmeras de Segurança nos estabelecimentos com capacidade para mais de 100 (cem) pessoas - Lei nº 12.631/2013:
.................................................................................................... 15
4.4. Visitação da Cozinha e Deposito de Alimentos - Lei n°12.909/2014: 15
4.5. Proibição de Consumação Mínima - Lei nº 12.519/2013: 16
4.6. Bebidas sem açúcar e sobremesa diet em Eventos - Lei nº 12.428/2012: 16
4.7. Aviso os males do álcool - Lei nº 1.775/2012: 16
4.8. Cardápio Externo - Lei nº 1.742/2012: 16
4.9. Advertência de “Se Beber Não Dirija” - Lei nº 1.698/2011: 16
4.10. – Cassação do Alvará do Estabelecimento que Incentiva à Pedofilia - Lei nº 1.696/2011: 17
4.11. Leis que sobre Produtos Hermeticamente Fechados - Lei nº 1.685/2010 e Lei n° 1.684/2010: 17
4.12. Cardápio em Braille - Lei nº 11.882/ 2010: 17
4.13. Reciclagem de Óleo - Lei nº 11.342/ 2008: 18
4.14. Troco - Lei nº 12.622/ 2013: 18
4.15. Placa de Combate a Prostituição Infantil - Lei nº 10.709/2006: 18
4.16. Lei Municipal 8.686/1998 - Exibição CDC 18
4.17. Lei Municipal e Estadual11.760/2009 8.958/2009 - Proibição de Fumo 18
4.18. Lei Municipal 13.002/2015 - Cardápio Trilíngue 19
4.19. Lei Municipal 13.005/2015 - Preços nos cardápios 19
4.20. Lei Municipal 13.477 DE 04/10/2017 - Cartaz disque denúncia mulher 19
4.21. Lei Municipal 10.895 29/05/2017 - Cartaz discriminação sexual 19
4.22. DECRETO 37.216, DE 23-1-2017 - CPF Obrigatório em nota fiscal em compras acima de R$ 500,00 19
4.23. Lei Ordinária 12.776 DE 03/02/2014 - Cartaz educação trânsito 19
4.24. Lei Municipal 10.796 DE 28/11/2016 - Informação ingredientes cardápio 20
4.25. Lei Municipal 1.848 / 2016 - Informção composição de alimentos 20
4.26. Lei municipal de Campina Grande 6.831/2017 - Cartaz Família 20
4.27. Portaria obrigatoriedade de TEF MÒVEL suspensa em razão de liminar obtida pela ABRASEL e Mouzalas, Borba &
Azevedo advogados associados. 20
1. Introdução

O escritório de Advocacia Mouzalas, Borba & Azevedo - Advogados, por meio de estudos
da realidade jurídica de nossos constituintes, que atuam nesta área, percebeu a complexidade
regulatória no setor de Bares e Restaurantes que gera diversas obrigações aos
empreendedores que procuram seguir seus negócios em conformidade.
Visando à sempre antecipar as necessidades dos nossos constituintes, nasceu o inédito
projeto “Fique Legal!” que resume grande parte das regras e leis do setor de bares e
restaurantes,com foco especial no município de João Pessoa.
A cartilha aborda muitas das diversas legislações que afetam o setor de Bares e
Restaurantes, suas praticas, garantias e obrigações, não sendo exaustiva, mas um rol que
auxiliará o gestor na regularização da atividade. A cada ano, ou menor intervalo, o escritório tem
a preocupação de atualizar a cartilha. Boa leitura e nos colocamos à sua disposição.

2. Legislação Federal
2.1. Código de Defesa do Consumidor:
O Código de Defesa do Consumidor é um conjunto de normas que visam à proteção e
defesa dos direitos do consumidor, assim como disciplinar as relações de consumo entre
fornecedores (onde se enquadram, entre outros, os prestadores de serviços) e consumidores
finais. Regulando também as responsabilidades que os fornecedores tem com o consumidor
final, estabelecendo padrões de conduta, prazos e penalidades.
Importante frisar a lei n° 12.291, de 2010, que obriga a manutenção de um exemplar do
Código de Defesa do Consumidor nos estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8078compilado.htm 3
http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2010/lei-12291-20-julho-2010-607328-norma-pl.html
2.2. 1. Proíbe vantagem manifestamente excessiva:
Segundo o art. 39, V, do CDC, não é permitido exigir do consumidor vantagem manifestamente excessiva,
como: i) realizar cobrança pela perda da comanda; ii) cobrar 10% obrigatório; iii) realizar cobrança diferenciada nas
compras pagas com cartão de crédito
2.2. 2. Cobrança de produto ou serviço sem prévia solicitação:
Segundo o art. 39, III, do CDC, não é permitido enviar ou entregar ao consumidor, sem solicitação prévia, qualquer produto,
ou fornecer qualquer serviço.
2.2. 3. Comercializar produto fora do prazo de validade ou impróprio:
Segundo o art. 18 do CDC são impróprios ao uso e consumo os produtos com prazo de validade vencido e os produtos
deteriorados, alterados, adulterados, avariados, falsificados, corrompidos, fraudados, nocivos à vida ou à saúde, perigosos ou,
ainda, aqueles em desacordo com as normas regulamentares de fabricação, distribuição ou apresentação.
2.2. 4. Informar que não aceita cheque ou cartão
Segundo o art. 31 e o art. 6º, III, os estabelecimentos devem informar de forma clara ao consumidor, caso não aceitem o
pagamento por meio de cheque ou cartão de crédito ou débito.
2.2. Consolidação das Leis do Trabalho:
A Consolidação das Leis do Trabalho é uma norma legislativa brasileira e fundamento primeiro para a proteção dos
trabalhadores, abrangendo o Direito do Trabalho e o Direito Processual do Trabalho. Seu principal objetivo é regulamentar as
diversas relações individuas e coletivas de trabalho, nela previstas, tanto no trabalho urbano quanto no trabalho rural.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/Del5452.htm
2.3. Lei das Contravenções Penais:
A Lei das Contravenções Penais dispõe sobre a tipificação e punição das contravenções penais, são delitos considerados
leves e de menor potencial ofensivo. Na situação em epigrafe, dos bares e restaurantes, é necessário atenção especial ao artigo
63:
Art. 63. Servir bebidas alcoólicas: 4
I – a menor de dezoito anos; (Revogado pela Lei nº 13.106, de 2015);
II – a quem se acha em estado de embriaguez;
III – a pessoa que o agente sabe sofrer das faculdades mentais;
IV – a pessoa que o agente sabe estar judicialmente proibida de frequentar lugares onde se consome
bebida de tal natureza:
Pena – prisão simples, de dois meses a um ano, ou multa, de quinhentos mil réis a cinco contos de réis.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/Del3688.htm
Importante: fixar cartaz com a proibição de venda aos menores de 18 anos.
2.4. Estatuto da Criança e do Adolescente:
O Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA – é um conjunto normativo que objetiva a proteção integral da criança e do
adolescente, aplicando inúmeras medidas em relação aos vulneráveis.
Art. 243. Vender, fornecer, servir, ministrar ou entregar, ainda que gratuitamente, de qualquer forma, a
criança ou a adolescente, bebida alcoólica ou, sem justa causa, outros produtos cujos componentes
possam causar dependência física ou psíquica:
Pena - detenção de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa, se o fato não constitui crime mais grave.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8069.htm
Importante: fixar cartaz com a proibição de venda aos menores de 18 anos.
2.5. ECAD – Escritório Central de Arrecadação e Distribuição:
O Ecad – Escritório Central de Arrecadação e Distribuição – é um órgão privado, fundado para arrecadar os direitos autorais
de cada música tocada em “execuções públicas” no Brasil. O dinheiro arrecado vai aos artistas. As lei que vinculam o Ecad são:
- Constituição Federal – Dos direitos e deveres individuais e coletivos;
- Código Penal – Violação de direito autoral;
- Lei 9.610/98e Lei 12.853/13 – Leis de Direitos Autorais.
Os que pretendem, em seus estabelecimentos, oferecer música ao vivo, estarão sujeitos a quatro órgãos:
- O Ecad - Escritório Central de Arrecadação e Distribuição;
- A OMB – Ordem dos Músicos do Brasil – Conselho Regional;
5
- Sindicato dos Músicos da Paraíba;
- Delegacia Regional do Trabalho.
Se a oferta for de apenas de música ambiente, as providencias a serem tomadas se limitarão ao ECAD:
- Música Ambiente: Quando ocorrer a mera retransmissão de música, através de toca-fitas, toca-discos, Cds, rádios ou
qualquer outro processo, há que se dirigir ao ECAD. Ele providenciará o cadastramento da sua empresa e fixará o valor
mensal a ser cobrado, após visita ao estabelecimento e medição da área em que será veiculada a música. Estipulado este
valor, será emitido uma Guia de Pagamento que, quitada, servirá de comprovante junto a este órgão.
- Música ao vivo: Necessita das mesma providencias, o que varia é o valor a ser cobrado pela organização. Alguma
exigências devem ser respeitadas:
a) Os músicos contratados devem estar habilitados à Ordem dos Músicos e em dia com o pagamento do Imposto Sindical;
b) A contratação deverá ser formalizada através de um dos seguintes instrumentos: “Contrato de Trabalho”, que pode ser
por prazo determinado ou indeterminado, e “nota contratual”, criada especialmente para regular a prestação de serviço
caracteristicamente eventual do músico (não podendo ultrapassar 7 – sete – dias consecutivos) e é vedado a esse Professional
trabalhar, no mesmo estabelecimento e através de “Nota Contratual”, nos 30 dias subseqüentes;
c) É de responsabilidade da empresa contratante a obtenção do visto da Ordem dos Músicos do Brasil;
d) Após visados, estes documentos contratuais deverão ser entregues à Delegacia Regional do Ministério do Trabalho.
http://www.ecad.org.br/pt/direito-autoral/Legislacao/Paginas/default.aspx
2.6. ANVISA:
A Agencia Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA – é a autarquia responsável pelo aprovação dos produtos e serviços
submetidos à vigilância sanitária, permitindo a eventual comercialização, implementação e produção no país.
Lei nº 6.437, de 20 de agosto de 1977 – Configura infrações à legislação sanitária federal, estabelece as
sanções respectivas e dá outras providências.
Lei nº 7967, de 22 de dezembro de 1989 – Dispõe sobre o valor das multas por infração à legislação
sanitária, altera a Lei nº 6437, de 20 de agosto de 1977, e dá outras providências.
Lei nº 9.782, de 26 de janeiro de 1999 – Define o Sistema Nacional de Vigilância Sanitária, cria a Agência
Nacional de Vigilância Sanitária, e dá outras providências.
Lei nº 9.677, de 2 de julho de 1998 – Altera dispositivo do Capítulo III do Título VIII do Código Penal,
6
incluindo na classificação dos delitos considerados hediondos crimes contra a saúde pública, e dá outras
providências.
http://portal.anvisa.gov.br/wps/content/Anvisa+Portal/Anvisa/Inicio/Alimentos/Assunts+de+Interesse/Legislacao/Legislacao+Geral
a) Resoluções:
- RDC nº 2, de 15 de janeiro de 2007: Aprova o Regulamento Técnico sobre Aditivos Aromatizantes”, que consta como
Anexo da presente Resolução;
- RDC nº 91, de 11 de maio de 2001: Aprova o Regulamento Técnico – Critérios Gerais e Classificação de Materiais para
Embalagens e Equipamentos em Contato com Alimentos constante do Anexo desta Resolução;
- RDC n° 216, de 15 de setembro de 2004: Aprova o Regulamento Técnico e estabelece procedimentos de Boas Práticas
para serviços de alimentação a fim de garantir as condições higiênico-sanitárias do alimento preparado;
- RDC nº 218, de 29 de julho de 2005: Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Procedimentos Higiênico-Sanitários para
Manipulação de Alimentos e Bebidas Preparados com Vegetais;
- RDC nº 234, de 19 de agosto de 2002: Aprovar a tabela de aditivos para complementação do “REGULAMENTO TÉCNICO
SOBRE ADITIVOS UTILIZADOS SEGUNDO AS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO E SUAS FUNÇÕES”;
- RDC nº 275, de 21 de outubro de 2002 - D.O.U de 23/09/2002 - Essa Resolução foi desenvolvida com o propósito de
atualizar a legislação geral, introduzindo o controle contínuo das BPF e os Procedimentos Operacionais Padronizados, além de
promover a harmonização das ações de inspeção sanitária por meio de instrumento genérico de verificação das BPF. Portanto, é
ato normativo complementar à Portaria SVS/MS nº 326/97.
- RDC nº 360, de 23 de dezembro de 2003: Aprova Regulamento Técnico sobre Rotulagem Nutricional de Alimentos
Embalados tornando obrigatória a rotulagem nutricional;
- Resolução nº 386, de 5 de agosto de 1999 : Aprovar o “REGULAMENTO TÉCNICO SOBRE ADITIVOS UTILIZADOS
SEGUNDO AS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO E SUAS FUNÇÕES”, contendo os Procedimentos para Consulta da Tabela
e a Tabela de Aditivos Utilizados Segundo as Boas Práticas de Fabricação;
- Resolução nº 408, de 11 de dezembro de 2008: Resolução CNS que aprova as diretrizes para a promoção da alimentação
saudável com impacto na reversão da epidemia de obesidade e prevenção das doenças crônicas não transmissíveis.
7
b) Portarias:
Portaria nº 40, de 20 de janeiro de 1997 – MAPA: Aprova o Manual de Procedimentos no Controle da Produção de Bebidas e
Vinagres baseado nos princípios do Sistema de Analise de Perigo e Pontos Críticos de Controle – APPCC;
- Portaria nº 326, de 30 de junho de 1997- MS: Aprova o Regulamento Técnico “Condições Higiênico-Sanitárias e de Boas
Práticas de Fabricação para Estabelecimentos Produtores Industrializadores de Alimentos”;
- Portaria nº 354, de 11 de agosto de 2006 e suas atualizações: Aprova e promulga o Regimento Interno da Anvisa e dá
outras providências;
- Portaria nº 368, de 04 de setembro de 1997 – MAPA: Aprova o Regulamento Técnico sobre as condições Higiênico-
Sanitárias e de Boas Práticas de Fabricação para Estabelecimentos Elaboradores Industrializadores de Alimentos;
- Portaria nº 540 – SVS/MS, de 27 de outubro de 1997: Aprovar o Regulamento Técnico: Aditivos Alimentares – definições,
classificação e emprego;
- Portaria nº 710, de 10 de junho de 1999: Aprova a Política Nacional de Alimentação e Nutrição, cuja íntegra consta do
anexo desta Portaria e dela é parte integrante;
- Portaria nº 854 – SELOM, de 04 de julho de 2005: Ministério da Defesa: Aprova o Regulamento Técnico de Boas Práticas
de Fabricação em Segurança Alimentar nas Organizações Militares e a Lista de Verificação das Boas práticas de fabricação em
Cozinhas Militares e Serviços de Aprovisionamento;
- Portaria nº 1.210, de 03 de agosto de 2006: Aprova o Regulamento Técnico de Boas Práticas, que estabelece os critérios e
parâmetros para a produção/fabricação, importação, manipulação, fracionamento, armazenamento, distribuição, venda para o
consumo final e transporte de alimentos e bebidas;
- Portaria nº 1428, de 26 de novembro de 1993 – MS: Aprova o Regulamento Técnico para a inspeção sanitária de
alimentos, as diretrizes para o estabelecimento de Boas Práticas de Produção e de Prestação de Serviços na Área de Alimentos
e o Regulamento Técnico para o estabelecimento de padrão de identidade e qualidade para serviços e produtos na área de
alimentos.
c) Circulares:
- Circular nº 175, de 16 de maio de 2005 – CGPE/ DIPOA/ MAPA: Estabelece Programas de Autocontrole que serão
8
sistematicamente submetidos à verificação oficial de sua implantação e manutenção. Estes Programas incluem o Programa de
Procedimentos Padrão de Higiene Operacional – PPHO (SSOP), o Programa de Análise de Perigos e Pontos Críticos de
Controle – APPCC (HACCP) e, num contexto mais amplo, as Boas Práticas de Fabricação – BPFs (GMPs). Em razão de acordos
internacionais existentes, são estabelecidos os Elementos de Inspeção comuns às legislações de todos os países importadores,
particularmente do setor de carnes;
- Circular nº 272, de 22 de dezembro de 1997 – DIPOA/SDA/MAPA: Implanta o Programa de Procedimentos Padrão de
Higiene Operacional (PPHO) e do Sistema de Análise de Risco e Controle de Pontos Críticos (ARCPC) em estabelecimentos
envolvidos com o comércio internacional de carnes e produtos cárneos, leite e produtos lácteos e mel e produtos apícolas;
- Circular nº 369, de 02 de junho de 2003 – DCI/DIPOA/MAPA: Estabelece instruções para elaboração e implantação dos
sistemas PPHO e APPCC nos estabelecimentos habilitados à exportação de carnes.
b) Outros:
- Codex Alimentarius CAC/RCP 11969 Rev. 2003;
- Codex Alimentarius CAC/RCP 1-1969 Rev 2003;
- Recommended international code of practice general principles of food hygien;
- Regulamento de Boas Práticas 2619/2011 SMSG;
- Regulamento de Boas Práticas Portaria nº. 2619/2011-SMS.G.
http://portal.anvisa.gov.br/wps/content/Anvisa+Portal/Anvisa/Inicio/Alimentos/Assunts+de+Interesse/Legislacao/Boas+Praticas+Re
gulamentos+Gerais+e+Especificos
A licença da vigilância sanitária tem vigência de um ano e deve ser solicitada na sede da vigilância sanitária do
município de João Pessoa.
2.7. Lei Antifumo – n° 9.294/1996 e n° 12.546/2011:
Este conjunto de leis se referem às proibições ao fumo dentro de ambientes fechado ou semi-abertos. Deve-se ressaltar a
inexistência de qualquer regulamentação federal que obrigue a presença de placas ou avisos sobre a proibição do fumo. No
entanto, sugerimos a fixação de cartazes indicando a proibição de fumar para evitar transtornos.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9294.htm 9
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/lei/l12546.htm
2.8. Estatuto do Idoso e a Lei do Atendimento Prioritário:
O Estatuto do Idoso, a Lei nº 10.741/03, prevê maior proteção aos direitos dos mais velhos e também prevê punições aos
que o violarem, dando ao idoso preferências e garantias. A Lei nº 10.048/00 confere atendimento prioritário a determinado grupo
de pessoas e funciona, em grande parte, em sintonia com o Estatuto do Idoso. Façamos atenção ao artigo 1º da Lei do
Atendimento:
Art. 1º. As Pessoas portadoras de deficiência, os idosos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos,
as gestantes, as lactantes e as pessoas acompanhadas por crianças de colo terão atendimento prioritário,
nos termos desta lei.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.741.htm
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L10048.htm
Isso se aplica às filas de espera.
2.9. Lei da Exigência da Nota Fiscal – Lei nº 8.846/1994:
Esta Lei dispõe sobre a emissão de documentos fiscais e o arbitramento da receita mínima para efeitos tributários. Pelo o
que consta na lei, também deverá ser fixado, em lugar visível e de fácil leitura cartazes com a obrigatoriedade de emissão
de nota fiscal, recibo ou documento equivalente.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8846.htm
2.10. Decreto Federal sobre o Cardápio Externo – Lei nº 5.903/2006:
Este decreto obriga a colocação de cardápios, com os respectivos preços, na parte externa dos bares e
restaurantes, em local de fácil acesso e grande visibilidade para o consumidor.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/Decreto/D5903.htm
2.11. Lei Federal 12.071/2011 - valor mínimo para o cartão de crédito.
Que proíbe a exigência do valor mínimo para o cartão de crédito, leis municipais como a:
12.622/2013 - Que proíbe aos fornecedores substituir por mercadorias o troco devido aos consumidores; 10
13.002/2015 - que torna obrigatória a disponibilização, uso e oferecimento de cardápios trilíngues aos clientes de hotéis, restaurantes,
bares e similares;
11.882/2010- que dispõe sobre a obrigatoriedade dosestabelecimentos que comercializam comidas e bebidas a disponibilizarem
cardápios impressos em braille.
2.12. Lei Federal 12.291/2010 - manutenção do exemplar do Código de Defesa do Consumidor
Tornam obrigatória a manutenção do exemplar do Código de Defesa do Consumidor (CDC) nos estabelecimentos comerciais
fornecedores de bens e serviços
2.13. Lei Federal12.471/2012
Dispõe sobre medidas de esclarecimentos ao consumidor.

3. Legislação Estadual
3.1. 5% de Mesas e Cadeiras - Lei nº 9.540/2011:
Torna obrigatória a reserva de 5% (cinco por cento) de mesas e cadeiras para idosos, portadores de necessidades
especiais e mulheres gestantes nos restaurantes. Locais devem ter espaço de circulação adequada a cadeirantes.
http://201.65.213.154:8080/sapl/sapl_documentos/norma_juridica/10157_texto_integral
3.2. Ingredientes - Lei nº 9.632/2011:
Confere ao cidadão o direito de ser informado sobre os ingredientes utilizados no preparo dos alimentos fornecidos pelos
restaurantes.
http://201.65.213.154:8080/sapl/sapl_documentos/norma_juridica/10249_texto_integral
Importante manter a ficha alimentar de ingredientes de cada prato de modo que possa ser impressa ou
apresentada rapidamente ao consumidor.
3.3. Fogos de Artifício - Lei nº 10.194/2013:
11
Lei que proíbe o uso de fogos de artifício, sinalizadores, shows pirotécnicos com fogos de qualquer espécie e similares em
boates, bares e restaurantes.
http://201.65.213.154:8080/sapl/sapl_documentos/norma_juridica/11358_texto_integral
3.4. Proteção de Talheres e Pratos - Lei nº 10.223/2013:
Obriga aos bares, restaurantes ou qualquer outro estabelecimento, que forneça comida ao quilo,a proteger pratos
e talheres com embalagens individuais.
http://201.65.213.154:8080/sapl/sapl_documentos/norma_juridica/11392_texto_integral
3.5. Canudos Embalados - Lei nº 9.843/2012:
Obriga os restaurantes, bares, lanchonetes, quiosques, ambulantes e similares a utilizarem canudos de plástico
individualmente e hermeticamente embalado.
http://201.65.213.154:8080/sapl/sapl_documentos/norma_juridica/10967_texto_integral
3.6. Perigos de Dirigir depois de Beber - Lei nº 9.419/2011:
Obriga a exibição, em modo destacado, de advertência sobre o perigo de ingestão de bebida alcoólica e direção no
transito.
http://201.65.213.154:8080/sapl/sapl_documentos/norma_juridica/10011_texto_integral
3.7. Gel Sanitizante - Lei nº 9.421/2011:
Obriga a disponibilização de dispensadores de álcool em gel sanitizante aos seus clientes.
http://201.65.213.154:8080/sapl/sapl_documentos/norma_juridica/10995_texto_integral
Violação ao art. 1 e 2 da Lei Estadual nº. 9.421/2011
Art. 1° Determina que os hotéis, restaurantes, bares e similares localizados no Estado da Paraíba sejam
obrigados a disponibilizarem dispensador de álcool gel sanitizante aos seus usuários.
Art. 2° Ficam os hotéis, restaurantes, bares e similares obrigados a colocar o dispensador de álcool gel
sanitizante em local visível e de fácil acesso para
12
o consumidor.
3.8. Cardápio Externo - Lei nº 8.730/2008:
Esta Lei Estadual complementa a Lei Federal n° 5.903/2006, e também dispõe sobre a obrigatoriedade dos proprietários de
bares e restaurantes em afixar, no exterior de seus estabelecimentos e em local visível ao publico, o cardápio com seus
respectivos valores.
http://201.65.213.154:8080/sapl/sapl_documentos/norma_juridica/9152_texto_integral
Violação ao art. 1 e 2 da Lei Estadual nº 8.730/2008
Art.1° Fica instituída a obrigatoriedade de colocação de cardápios, com seus respectivos preços, na parte
externas de bares, restaurantes e similares em local de fácil acesso e grande visibilidade para o
consumidor no âmbito do Estado da Paraíba.

Art.2° Na elaboração dos cardápios, cada estabelecimento deverá especificar as modalidades de pratos
servidos, se têm acompanhamento, o preço total, e se há opção de consumo em separado.
3.9. Cardápio em Braille - Lei nº 7.776/2005:
Essa Lei, alterada pela Lei nº 9.800/2012, dispõe sobre a obrigatoriedade de cardápio em braille nos hotéis, restaurantes,
bares e similares.
http://201.65.213.154:8080/sapl/sapl_documentos/norma_juridica/7925_texto_integral
http://201.65.213.154:8080/sapl/sapl_documentos/norma_juridica/11032_texto_integral
Violação ao art. 1º da Lei Estadual nº 9.015/2012
Art. 1 ° Ficam os hotéis, pousadas restaurantes e similares, que possuam cardápios como meios
informativos de seus produtos aos clientes, obrigados a produzir e dispor de exemplar na linguagem braille,
para atendimento às necessidades dos
deficientes visuais.
3.10. Código Estadual de Proteção Contra Incêndio, Explosão e Controle de Pânico – Lei nº9.625/2011:
Este é o código que dispõe sobre o serviço de segurança contra incêndio, explosão e controle de pânico no Estado da
Paraíba. Sofreu algumas alterações presentes na Lei nº 9.882/2012.
13
http://201.65.213.154:8080/sapl/sapl_documentos/norma_juridica/10239_texto_integral
http://201.65.213.154:8080/sapl/sapl_documentos/norma_juridica/10930_texto_integral
3.11. Lei dos Copos de Plástico – Lei nº 7548/2004:
Esta lei dispõe que os restaurantes, que ficam próximos a estádios ou locais onde se realiza competições
esportivas, ficam obrigados ao uso de copo descartável em papel, papelão, plástico ou similar, quando servirem, em
balcão, refrigerantes, cafés, água e outras bebidas.
http://201.65.213.154:8080/sapl/sapl_documentos/norma_juridica/7388_texto_integral
3.12. Inclusão do telefone e endereço dom PROCON na nota fiscal - Lei nº 9.015/2009.
Essa Lei dispõe sobre a obrigatoriedade de incluir o telefone e o endereço do PROCON na nota fiscal.
Violação ao art. 1º da Lei Estadual nº 9.015/2009.
3.13. Afixar o endereço e telefone do PROCON e da Delegacia de Polícia da região - Lei nº 10.421/2015:
Essa Lei dispõe sobre a obrigatoriedade de afixar em local visível o endereço e o telefone do PROCON e da Delegacia de
Política da jurisdição do estabelecimento.
Violação ao art. 1º da Lei Estadual nº 10.421/2015
3.14. Informar o número de telefone de ponto de taxi da região - Lei nº 10.048/2013:
Essa Lei dispõe sobre a obrigatoriedade de informar o número de telefone de pontos de taxi ou de centrais de rádio táxi nos
estabelecimentos que comercializam bebidas alcoólicas.
Violação ao art. 1º parágrafo único da Lei Estadual nº 10.048/2013
3.15. Informar o valor cobrado pelo couvert artístico:
Essa Lei dispõe sobre a obrigatoriedade dos estabelecimentos comerciais informarem o valor do couvert artístico em local
visível.
Violação ao art. 1º da Lei Estadual nº 9.904/2012
3.16. Publicação de cartaz contra turismo sexual:
14
Essa Lei dispõe sobre a obrigatoriedade de hotéis e pousadas fixarem, junto aos painéis em que exibe os preços dos
serviços, cartaz com os dizeres “Diga não ao turismo sexual”.
Violação ao art. 1º da Lei Estadual nº 6.789/1999.

3.17. Informar ausência de glúten e/ou lactose nos cardápios, menus, cartazes ou multimídia:
A Lei Estadual 10.796/16 (sobre a ausência de glúten e/ou lactose) é bem objetiva, a determinar que os restaurantes e afins
informem nos cardápios, menus, cartazes ou multimídia, se a refeição não contém glúten e/ou lactose.
Sendo assim, os restaurantes e afins estão obrigados a informar a presença de glúten e/ou lactose em seus cardápios.
Entretanto, o legislador não foi claro como deveria ser a referida informação.
Diante disso, recorremos a Lei Federal 10.674/03 (sobre os produtos alimentícios comercializados que informem sobre a
presença de glúten) determinando que as informações sejam em "caracteres com destaque, nítidos e de fácil leitura.»
Violação a Lei Estadual 10.796/16

3.18 Lei Estadual 10.223/2013


Obriga os restaurantes, bares e estabelecimentos que fornecem comida a quilo, aproteger pratos e talheres com
embalagens individuais e dá outras providências.

4. Legislação Municipal

4.1. Comanda de Controle - Lei nº 12.794/2014:


Obriga os bares e restaurantes a disponibilizarem comandas para controle de consumo a seus clientes no âmbito do
município.
Http://177.200.32.195:9673/sapl/consultas/materia/materia_mostrar_proc?Cod_materia=30687
4.2. Informar a Inoperância do Sistema de Cartão de Crédito - Lei nº 12.725/2013:
Dispõe sobre a colocação de aviso, em estabelecimentos comerciais, principalmente em bares e restaurantes, informando
aos consumidores quando o sistema de pagamento com cartão de crédito e/ou débito estiver inoperante. 15
Http://177.200.32.195:9673/sapl/consultas/materia/materia_mostrar_proc?Cod_materia=30676
4.3. Câmeras de Segurança nos estabelecimentos com capacidade para mais de 100 (cem) pessoas - Lei nº
12.631/2013:
Dispõe sobre a instalação de câmeras de monitoramento nos bares, casas noturnas, casas de eventos, restaurantes
dançantes e similares com capacidade mínima acima de 100 pessoas.
Http://177.200.32.195:9673/sapl/consultas/materia/materia_mostrar_proc?Cod_materia=28498
4.4. Visitação da Cozinha e Deposito de Alimentos - Lei n°12.909/2014:
Dispõe sobre a visualização das instalações de cozinha e deposição de alimentos dos bares, restaurantes e similares
Http://177.200.32.195:9673/sapl/consultas/materia/materia_mostrar_proc?Cod_materia=27694
4.5. Proibição de Consumação Mínima - Lei nº 12.519/2013:
Dispõe sobre a proibição de cobrança de consumação mínima em bares, danceterias, restaurantes e casas noturnas
Http://177.200.32.195:9673/sapl/consultas/materia/materia_mostrar_proc?Cod_materia=25010
Violação ao art.39,I,CDC
4.6. Bebidas sem açúcar e sobremesa diet em Eventos - Lei nº 12.428/2012:
Institui a obrigatoriedade nos bares, restaurantes populares, lanchonetes em eventos sociais e festas organizadas por
buffets disponibilizar pelo menos dois tipos de bebidas sem açúcar e um tipo de sobremesa diet
Http://177.200.32.195:9673/sapl/consultas/materia/materia_mostrar_proc?Cod_materia=22424
4.7. Aviso os males do álcool - Lei nº 1.775/2012:
Dispõe sobre a colocação de avisos nos bares, restaurantes e demais locais que vendem bebidas alcoólicas sobre os
males do álcool.
Http://177.200.32.195:9673/sapl/consultas/materia/materia_mostrar_proc?Cod_materia=22213
16
4.8. Cardápio Externo - Lei nº 1.742/2012:
Dispõe sobre a obrigatoriedade dos bares e restaurantes de João Pessoa a disponibilizarem os cardápios dos seus
produtos em frente aos seus estabelecimentos (entrada) de forma a facilitar a visualização por parte dos consumidores
Http://177.200.32.195:9673/sapl/consultas/materia/materia_mostrar_proc?Cod_materia=21590
4.9. Advertência de “Se Beber Não Dirija” - Lei nº 1.698/2011:
Dispõe sobre a divulgação da advertência “se beber não dirija” nos cardápios e panfletos de propaganda dos restaurantes,
bares e lanchonetes no município de João Pessoa
Http://177.200.32.195:9673/sapl/consultas/materia/materia_mostrar_proc?Cod_materia=19432
Violação ao art.1º da Lei Estadual nº 7985/2006
Art 1° Torna obrigatória da frase “Se beber, não dirija; se dirigir não beba”, a ser impressa nos cardápios e
material publicitários de bares, restaurantes e casas de shows do Estado da Paraíba.
4.10. Cassação do Alvará do Estabelecimento que Incentiva à Pedofilia - Lei nº 1.696/2011:
Dispõe sobre a cassação dos alvarás de funcionamento de casas de diversão, boates, casas de shows, hotéis, motéis,
bares, restaurantes que permitirem a prática de apologia, incentivo, mediação ou favorecimento à pedofilia no município
Http://177.200.32.195:9673/sapl/consultas/materia/materia_mostrar_proc?Cod_materia=19127
4.11. Leis que sobre Produtos Hermeticamente Fechados - Lei nº 1.685/2010 e Lei n° 1.684/2010:
Dispõem sobre a individualização de guardanapos, palitos entre outros - dispõe sobre a obrigatoriedade de restaurantes,
bares, quiosques e similares a fornecerem aos clientes, guardanapos, palitos e condimentos alimentícios em embalagem
individuais e hermeticamente fechados, assim como usarem e fornecerem canudos plásticos individual e hermeticamente
embalados.
Http://177.200.32.195:9673/sapl/consultas/materia/materia_mostrar_proc?Cod_materia=15214
Http://177.200.32.195:9673/sapl/consultas/materia/materia_mostrar_proc?Cod_materia=15213
4.12. Cardápio em Braille - Lei nº 11.882/ 2010:
17
Dispõe sobre a obrigatoriedade dos estabelecimentos que comercializam alimentos e bebidas, como restaurantes, bares,
casas noturnas, e similares, disponibilizarem cardápios impressos em “Braille”.
Http://177.200.32.195:9673/sapl/consultas/materia/materia_mostrar_proc?Cod_materia=14751
4.13. Reciclagem de Óleo - Lei nº 11.342/ 2008:
Dispõe sobre a implantação no município de João Pessoa do programa de reciclagem de óleo comestível a ser recolhido
em restaurantes, bares, lanchonetes, hotéis, pousadas e similares
Http://177.200.32.195:9673/sapl/consultas/materia/materia_mostrar_proc?Cod_materia=6857
4.14. Troco - Lei nº 12.622/ 2013:
Proíbe aos fornecedores substituir por mercadorias o troco devido aos consumidores - lei do troco
Http://177.200.32.195:9673/sapl/consultas/materia/materia_mostrar_proc?Cod_materia=27415
4.15. Placa de Combate a Prostituição Infantil - Lei nº 10.709/2006:

Dispõe sobre a obrigatoriedade dos estabelecimentos comerciais: bares, restaurantes, hotéis, pousadas e motéis a fixarem
placa em local visível sobre a campanha contra a prostituição infantil no município de João Pessoa, e da outras providências.

Https://leismunicipais.com.br/a/pb/j/joaopessoa/leiordinaria/2006/1071/10709/lei-ordinaria-n-10709-2006-dispoe-sobre-aobrigatoriedade-
dos-estabelecimentos-comerciais-bares-restaurantes-hoteispousadas-e-moteis-a-fixarem-placa-em-local-visivel-sobre-a-campanha-contra-
aprostituicao-infantil-no-municipio-de-joao-pessoa-e-da-outras-providencias

4.16. Lei Municipal 8.686/1998 - Exibição CDC


Tornam obrigatória a manutenção do exemplar do Código de Defesa do Consumidor (CDC) nos estabelecimentos comerciais
fornecedores de bens e serviços;

4.17. Lei Municipal e Estadual11.760/2009 8.958/2009 - Proibição de Fumo


Proíbe consumo de cigarros, charutos, cachimbos ou quaisquer produtos fumígenos, derivados ou não do tabaco;
18
4.18. Lei Municipal 13.002/2015 - Cardápio Trilíngue
Torna obrigatória a disponibilização, uso e oferecimento de cardápios trilíngues aos clientes de hotéis, restaurantes,
bares e similares

4.19. Lei Municipal 13.005/2015 - Preços nos cardápios


Obriga bares, restaurantes, lanchonetes e similares a colocarem cardápios em locais e ampla visibilidade, contendo
todos os produtos e serviços oferecidos e seus respectivos preços, além de conter, em destaque, o telefone e o endereço do
Procon-JP.

4.20. Lei Municipal 13.477 DE 04/10/2017 - Cartaz disque denúncia mulher


Dispõe sobre a obrigatoriedade da divulgação do serviço de Disque-Denúncia Nacional de Violência Contra a Mulher e
do Centro de Referência da Mulher Ednalva Bezerra, no âmbito do Município de João Pessoa.

4.21. Lei Municipal 10.895 29/05/2017 - Cartaz discriminação sexual


Dispõe sobre a obrigatoriedade de afixação de cartaz em estabelecimentos comerciais e órgãos públicos, informando
que a Lei Estadual nº 7.309/2003 proíbe e pune atos de discriminação em virtude de orientação sexual e dá outras
providências.

4.22. DECRETO 37.216, DE 23-1-2017 - CPF Obrigatório em nota fiscal em compras acima de R$ 500,00

REGULAMENTO - Alteração
Estado introduz alterações no RICMS
Estas modificações no Decreto 18.930, de 19-6-97 - RICMS-PB, dispõem sobre a emissão da Nota Fiscal de Consumidor
Eletrônica- NFC-e, nas condições que especifica, com efeitos a partir de 1-2-2017.
Disponivel:http://www.contabeis.com.br/legislacao/1728781/decreto-pb-37216-2017/

4.23. Lei Ordinária 12.776 DE 03/02/2014 - Cartaz educação trânsito


Dispõe sobre a instalação de cartazes ou similares de estímulo à educação no trânsito em estacionamentos que
especifica, no âmbito do município de joão pessoa, e dá outras providências.
Art. 1º Os estacionamentos que forneçam a capacidade acima de 100 (cem) vagas no Município de João
18
19
4.24. Lei Municipal 10.796 DE 28/11/2016 - Informação ingredientes cardápio

Dispõe sobre a obrigatoriedade dos estabelecimentos comerciais informarem, em seus cardápios, sobre a ausência de
glúten e/ou lactose em suas refeições.

4.25. Lei Municipal 1.848 / 2016 - Informção composição de alimentos


Dispõe sobre a obrigatoriedade dos fornecedores do sistema de Fast Food em dispor a composição, valor nutricional e
calórico dos alimentos comercializados no município de João Pessoa.

4.26. Lei municipal de Campina Grande 6.831/2017 - Cartaz Familía


Prefeitura de Campina Grande ficou obrigada fornecer cartazes que irão ser colocados em todos os prédios públicos,
condomínios, comércio, bares, restaurantes e hotéis com os dizeres “O respeito à família é legal”.
Obs: Até o momento da fabricação dessa cartilha não localizamos a publicação dessa lei.

4.27. Portaria obrigatoriedade de TEF MÒVEL suspensa em razão de liminar obtida pela ABRASEL e Mouzalas,
Borba & Azevedo advogados associados.

18
20
ou 83 98834-8070

*Esse material não pode ser comercializado ou divulgado


intergral ou parcialmente sem a identificação de seu autor,
Mouzalas, Borba & Azevedo advogados assciados 21