Anda di halaman 1dari 51

1

Técnico em Edificações
Construção Civil

REVISÃO

Profº Adeildo Cavalcante


edifecacoes@residenciasaude.com.br

2
DEFINIÇÃO

“Engenharia Civil é a parte da engenharia que


se dedica ao PLANEJAMENTO, PROJETO,
CONSTRUÇÃO e MANUTENÇÃO de estruturas
como edificações, pontes, estradas, túneis,
obras hidráulicas”.

3
DEFINIÇÃO

Engenharia do latim ‘ingeniu’

Significa faculdade inventiva, talento.

4
Engenharia Moderna

• Primeiro Engenheiro : o inglês John


Smeaton (1724-1792) intitulou-se
Engenheiro Civil.

5
Engenharia no Brasil
• 1810 : Academia Real Militar, primeira escola
de Engenharia;
• 1823 : Permitido o ingresso de civis;
• 1874 : Escola Politécnica do Rio de Janeiro;
• 1876 : Ouro Preto (Escola de Minas);
• 1893 : Politécnica de São Paulo

6
Descrição
Técnico de obras civis - Assistente de
engenharia (construção civil), Auxiliar técnico
de engenharia (construção civil) , Fiscal de
medição (obras civis) , Inspetor de obras ,
Técnico de analista de custos (construção
civil) , Técnico de construção civil, Técnico de
edificações, Técnico de edificações, estradas
e saneamento ,Técnico de engenharia civil...

7
Descrição

...Técnico de manutenção de obras ,


Técnico de obras , Técnico de planejamento de
obras , Técnico em canteiro de obras de
construção civil , Técnico em desenho de
construção civil , Técnico em laboratório e
campo de construção civil , Técnico
orçamentista de obras na construção civil.

8
Descrição sumária

Realizam levantamentos topográficos e


planialtimétricos. Desenvolvem e legalizam
projetos de edificações sob supervisão de um
engenheiro civil; planejam a execução, orçam e
providenciam suprimentos e supervisionam a
execução de obras e serviços. Treinam mão de
obra e realizam o controle tecnológico de
materiais e do solo.

9
LEGISLAÇÃO
RESOLUÇÃO N.º 051, DE 25 DE JULHO DE 1946.
“Dispõe sobre o exercício profissional dos
técnicos de grau médio formados pelas escolas
da União ou equivalentes”.

10
LEGISLAÇÃO

O Conselho Federal de Engenharia e


Arquitetura, usando das atribuições que lhe
são conferidas pelo Decreto-lei n.º 8.620, de
10 de janeiro de 1946.

11
SUMÁRIO

Executar atividades de apoio nos


projetos, na fiscalização e no
acompanhamento de obras de
saneamento básico.

12
Características do Trabalho
Trabalham na construção civil e indústrias
de materiais para construção. Podem,
também, trabalhar em laboratórios de
pesquisa e desenvolvimento,
planejamento, orçamento, projetos,
gerenciamento, controle e execução de
obras.

13
ESTUDOS PRELIMINARES

• Estudo com o cliente


• Exame local do terreno
• Limpeza do terreno
• Levantamento topográfico de lotes urbanos
• Nivelamento

14
Estudo com o cliente

• Sabemos que para se executar qualquer


projeto devemos antes de mais nada, realizar
uma entrevista com o interessado em
executar qualquer tipo de construção. No
nosso caso,será o cliente, juntamente com os
seus familiares, pois vamos nos ater a
pequenas obras (residências unifamiliares).

15
EXAME LOCAL DO TERRENO

Sem sabermos as características do


terreno, é quase impossível executar-se
um bom projeto.

As características ideais de um
terreno para um projeto econômico são:

16
EXAME LOCAL DO TERRENO
a) Não existir grandes movimentações de
terra para a construção;
b) Ter dimensões tais que permita projeto
e construção de boa residência;
c) Ser seco;
d) Ser plano ou pouco inclinado para a rua;
e) Ser resistente para suportar bem a
construção;
17
EXAME LOCAL DO TERRENO
f ) Ter facilidade de acesso;
g) Terrenos localizados nas áreas mais
altas dos loteamentos;
h) Escolher terrenos em áreas não sujeitas
a erosão;
i) Evitar terrenos que foram aterrados
sobre materiais sujeitos a decomposição
orgânica.
18
LIMPEZA DO TERRENO

Temos algumas modalidades para


limpeza do terreno, que devemos levar em
consideração e sabermos defini-las:

19
LIMPEZA DO TERRENO

Carpir - Quando a vegetação é rasteira e


com pequenos arbustos, usando para tal,
unicamente a enxada.

20
LIMPEZA DO TERRENO

Roçar - Quando além da vegetação


rasteira, houver árvores de pequeno
porte, que poderão ser cortadas com
foice.

21
LIMPEZA DO TERRENO

Destocar - Quando houver árvores de


grande porte, necessitando desgalhar,
cortar ou serrar o tronco e remover parte
da raiz. Este serviço pode ser feito com
máquina ou manualmente.

22
LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO
DE LOTES URBANOS

O levantamento topográfico é
geralmente apresentado através de
desenhos de planta com curavas de nível e
de perfis.

23
NIVELAMENTO (LEVANTAMENTO ALTIMÉTRICO)

Nos métodos descritos abaixo se usa


basicamente balizas com distância uma da
outra no máximo de 5,0m, ou de acordo com a
inclinação do terreno. Terrenos muito íngremes
a distância deverá ser menor e terrenos com
pouca inclinação podemos utilizar as balizas na
distância de 5,0 em 5,0m.

24
NIVELAMENTO (LEVANTAMENTO ALTIMÉTRICO)

• Alguns métodos para levantarmos o perfil do


terreno:
• a) Com o nível e Abney ( clinômetro)
• b) Com o nível de mão
• c) Com o nível de mangueira

25
NIVELAMENTO (LEVANTAMENTO ALTIMÉTRICO)

Com uso do clinômetro (Nível de Abney)


• Materiais: - clinômetro
- 2 balizas
- trena

26
NIVELAMENTO (LEVANTAMENTO ALTIMÉTRICO)

Clinômetro ou Nível de Abney (Borges, 1972)

27
NIVELAMENTO (LEVANTAMENTO ALTIMÉTRICO)

28
NIVELAMENTO (LEVANTAMENTO ALTIMÉTRICO)

29
Agregados
Materiais em forma de grãos, geralmente inertes,
sem tamanho e forma definidos, que têm por
objetivo compor argamassas e concretos.
•Funções dos agregados:
– resistir aos esforços:
• Mecânicos;
• Desgaste;
• Intemperismo;
– reduzir as variações volumétricas;
– reduzir o custo.
Agregados
• Classificação
– Quanto a Origem:
• Naturais:
–Ex.: areia de rio e seixos.

• Artificiais:
–Ex.: britas, argilas expandidas,
escória granulada de alto forno e
vermiculita.
Pedras naturais para construção civil
Todas as classes de rochas com propriedades
adequadas ao emprego na construção civil.
• Classificação geológica:
– Eruptivas
– Sedimentares
– Metamórficas
• Classificação tecnológica:
– Silicosas
– Calcárias
– Argilosas
Aplicação na construção civil
• Silicosas eruptivas • Calcárias sedimentares
– Granito – Calcário
– Basalto – Dolomita
– Diorito – Travertino
• Silicosas sedimentares • Calcárias metamórficas
– Arenito – Mármore
• Silicosas metamórficas • Argilosas sedimentares
– Gnaisse – Margas
– Micaxisto • Argilosas metamórficas
– Quartzito – Filitos
– Talcoxisto – Ardósia
Propriedades da rocha
• Resistência à compressão
• Massa unitária
• Massa específica
• Dilatação térmica
• Higroscopicidade
• Absorção
• Porosidade
• Fratura
• Trabalhabilidade
• Homogeneidade
• Durabilidade
Aglomerantes

Cimento
Adições
Cal
Gesso
Aglomerantes
Material ligante que tem por objetivo promover a união entre os
grãos dos agregados.

AGLOMERANTE + ÁGUA = PASTA

AGLOMERANTE + AGREGADO MIÚDO + ÁGUA = ARGAMASSA

AGLOMERANTE + AGREGADO GRAÚDO + ÁGUA = CONCRETO


Classificação
• Quimicamente ativos
– Aéreos: secagem ocorre através do ar. Ex.: gesso, cal
– Hidráulicos: seu endurecimento ocorre em contato com
água. Ex.: cimento Portland
• Simples
– Cimento Portland comum
– CP V - ARI
• Compostos
– Cimento Portland composto
– Cimento Portland pozolânico
– Cimento Portland alto forno
Classificação
• Quimicamente inertes
 argila
 betume
Cimento
O cimento é um material existente na forma de
um pó fino, com dimensões médias da ordem
dos 50 µm, que resulta da mistura de clínquer
com outros materiais, tais como o gesso,
pozolanas, ou escórias siliciosas, em
quantidades que dependem do tipo de
aplicação e das características procuradas para o
cimento.
Adições
As adições são matérias-primas que, misturadas ao clínquer na
fase de moagem, permitem a fabricação dos diversos tipos de
cimento portland hoje disponíveis no mercado.

–Fíler calcário;
–Escórias de alto-forno;
–Materiais pozolânicos;
–Sílica ativa.
Cal
A cal foi usada extensivamente por aproximadamente 2000 anos
embora houvesse uma evidência do uso da cal que data de uns
10.000 anos atrás.
Nos últimos 5 a 10 anos a importância do uso da cal começou a
ser compreendida. Embora o tempo e o planejamento sejam
requeridos para o uso da cal, o custo total é menor quando
comparado aos danos que podem resultar ao usar uma
argamassa de cimento impermeável.
Gesso
Aglomerante obtido da desidratação parcial ou total da gipsita,
uma espécie de rocha sedimentária que é formada basicamente
de sulfato de cálcio hidratado.

2[CaSO4.2H2O] → 2[CaSO4.½H2O] + 3H2O

Encontrado praticamente em todo o mundo e ocorre no Brasil


abundantemente em terrenos cretáceos de formação marinha,
sobretudo nos estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Piauí e
Pernambuco.
Conceitos
Em termos gerais, a análise dinâmica de
estruturas difere da análise estática pois tem
em consideração a variação no tempo das
solicitações, bem como a existência de
movimentos (associados ao comportamento
dinâmico das estruturas) que induzem forças
de inércia devidas à aceleração.

43
Conceitos
Face a estas importantes
particularidades, convém introduzir
alguns conceitos iniciais que são
essenciais para o estudo da dinâmica de
estruturas, assim, define-se:

44
Conceitos

• Ação dinâmica, como uma ação


que varia de grandeza, direção, e
ponto de aplicação com o tempo;

45
Conceitos
• Resposta dinâmica, como a
resposta à ação dinâmica,
usualmente expressa em termos
de deslocamentos, velocidades,
acelerações e tensões, que
obviamente também variam com o
tempo.
46
Conceitos
• Neste enquadramento inicial é
ainda importante introduzir os
tipos de análises usualmente
utilizados na dinâmica de
estruturas, bem como os modelos
de análise.

47
Tipos de análise
Análise dinâmica de estruturas
depende do conhecimento, ou não,
da lei de variação da ação dinâmica
no tempo, subdividindo-se por esta
razão em:

48
Tipos de análise
Análise determinística, quando a lei
de variação da ação dinâmica no
tempo é conhecida

49
Tipos de análise
Análise estocástica, quando a lei de variação
da ação dinâmica no tempo não é
completamente conhecida, mas pode ser
definida em termos estatísticos

50
MUITO OBRIGADO!!!!!!

Profº Adeildo Cavalcante


adeildocavalcante@residenciasaude.com.br

51