Anda di halaman 1dari 4

FACULDADE SÃO BRAZ

CURSO DE PEDAGOGIA

MARIANE CHAGAS SUZARTE

RESENHA DO DOCUMENTÁRIO “FORA DE SÉRIE”, PRODUZIDO PELO


OBSERVATÓRIO JOVEM - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE
(UFF) E DIRIGIDO POR PAULO CARRANO.

CURITIBA-PR
2018
MARIANE CHAGAS SUZARTE

RESENHA DO DOCUMENTÁRIO “FORA DE SÉRIE”, PRODUZIDO PELO


OBSERVATÓRIO JOVEM - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE
(UFF) E DIRIGIDO POR PAULO CARRANO.

Trabalho apresentado à Faculdade São Braz, no


segundo semestre de 2018 como requisito parcial para
avaliação da disciplina Metodologia Científica, ministrada
pela professora Gílian Cristina

CURITIBA-PR
2018
O documentário “Fora de Série” aborda a história acadêmica de jovens de escola
pública do Rio de Janeiro, como resultado de uma pesquisa, com o objetivo de entender a
trajetória escolar que gera repetências e evasão. Dentre os depoimentos, é possível
compreender que, estes jovens valorizam a educação, porém enfrentam muitos desafios.
Os questionamentos do diretor Paulo Carrano são de extrema valia para os
problemas enfrentados pelos estudantes de instituições públicas, tais como o que
acontece nestas escolas e como estas podem ser melhoradas, e ainda, se esses
estudantes são ouvidos.
É possível perceber nos relatos, que a falta de incentivo por parte da família e de
professores, a presença de violência dentro dos muros da instituição e por parte da
família, preconceitos e bullying na própria escola, dificuldade quanto à mobilidade, além
de responsabilidades impostas precocemente, impelem os jovens ao abandono da vida
escolar. Contudo, ressaltando que alguns conseguem retomar e retornam por intermédio
da Educação de Jovens e Adultos (EJA) ou pela escola regular.
Um ponto importante a ser destacado é a função de mediador que o educador
exerce, para prover meios que inspirem os estudantes a galgar oportunidades,
valorizando os estudos como modo de melhorar sua qualidade de vida. Visto que,
muitos abrem mão da educação ainda na infância por fatores diversos e ingressam na
vida profissional através de subempregos.
Apesar do cansaço pela dupla jornada, como estudantes e trabalhadores, estes
jovens conseguem persistir com objetivo de alcançar metas e sonhos. É explícito que, a
metodologia de ensino praticada no EJA apresenta-se defasada e pouco interessante, o
que convém pontuar a necessidade de uma nova dinâmica e adoção de uma nova
prática, que englobe o contexto destes estudantes, a fim de levá-los à identificação
através de livre associação com o conteúdo.
A necessidade financeira é uma das maiores justificativas para evasão escolar,
porém há percepção de que, ao abrirem mão da educação, em tempo, percebem que as
dificuldades são ainda maiores. Devido à falta de qualificação, as oportunidades de
trabalho são reduzidas e também há consciência de que o ingresso ao ensino superior,
torna-se quase nula.
Embora, o objetivo da EJA seja acelerar os estudos, muitos destes jovens
compreendem que a qualidade de ensino ofertada, não é suficiente para conseguirem
acesso ao Ensino Superior. Assim, compreende-se o quanto a participação efetiva do
educador no processo ensino-aprendizagem faz-se importante, seja através de uma
escuta ativa e reforçando seu compromisso com a instituição e os alunos.
Mesmo reconhecendo às dificuldades implícitas no processo, buscam motivações e
também propiciam apoio mútuo. Muitos referem os filhos como incentivo para persistirem
na jornada, a fim de lhes dar melhores condições de vida, também com intuito de realizar
seus próprios sonhos.
É imprescindível a valorização e a reformatação da modalidade EJA, para que os
estudantes sintam-se estimulados à seguir com os estudos, possibilitando a formação de
cidadãos críticos e cientes de seus direitos e deveres, assim como a formação de
qualidade de professores do setor público para a mediação de um futuro melhor dos
estudantes.