Anda di halaman 1dari 12

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE


CURSO DE ODONTOLOGIA
COMISSÃO DE CONTROLE DE INFECÇÃO ODONTOLÓGICA

PLANO DE PREVENÇÃO DE RISCOS DE ACIDENTES


COM MATERIAIS PERFUROCORTANTES

PPRAMP

2016/2017
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
CURSO DE ODONTOLOGIA
COMISSÃO DE CONTROLE DE INFECÇÃO ODONTOLÓGICA

IDENTIFICAÇÃO:

 Nome: CURSO DE ODONTOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ


 Endereço: Av Pref. Lothário Meissner, 632 – Campus Jardim Botânico
 Fone: (41) 3360-4053 e-mail: coord.odontologia@ufpr.br
 Responsável Técnico: Angela Fernandes

APROVADO POR:

Coordenador do Curso de Odontologia – Profa. Angela Fernandes

Presidente da Comissão de Controle de Infecção de Odontologia – Prof. Delson João Costa

ELABORADO POR:

Enfermeira da Comissão de Controle de Infecção de Odontologia – Lucimara Albrecht

Data da elaboração: 30 de outubro de 2015.


Data da próxima revisão: 30 de outubro de 2016.
Revisado em: 05 de novembro de 2016.
Data da 2ª revisão: 05 de novembro de 2017
SUMÁRIO
INTRODUÇÃO 04
1. COMISSÃO GESTORA 05
2. LOCAL DE APLICAÇÃO 05
3. PESSOAL ENVOLVIDO EM ACIDENTES COM MATERIAL PERFUROCORTANTE 05
4. SELEÇÃO DE MATERIAL PERFUROCORTANTE 06
5. SITUAÇÕES E ÁREAS DE RISCO PARA ACIDENTES COM MATERIAL PERFUROCORTANTE 07
6. MEDIDAS E PROCEDIMENTOS DE CONTROLE E PREVENÇÃO DE ACIDENTES 08
7. COLETOR PARA MATERIAIS PERFUROCORTANTE 08
8. REGISTRO E NOTIFICAÇÃO DE ACIDENTE COM MATERIAL PERFUROCORTANTE 09
9. PLANO DE AÇÃO 11
10. CAPACITAÇÃO 11
11. REVISÃO DO PPRAMP 11
12. GLOSSÁRIO 12
13. REFERENCIAL BIBLIOGRÁFICO CONSULTADO 12
INTRODUÇÃO

Os procedimentos odontológicos são de alto risco para acidente com material


perfurocortante que pode ser provocado pelo estreito contato físico entre profissional e paciente
com menos de 1 metro de distância, e pela presença de secreções como sangue e saliva do
paciente que podem estar potencialmente contaminadas.
Alguns destes objetos são descartados após uso e outros devem ser higienizados e
esterilizados para o próximo atendimento. Em ambas as situações deve-se utilizar técnicas
adequadas no seu transporte e manuseio que são alcançadas na adoção de uma cultura de medidas
de segurança na prática odontológica.
Este Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfurocortantes –
PPRAMP estabelece as diretrizes para proteção, segurança e saúde dos profissionais bem como a
redução do risco de acidentes quando na exposição a agentes biológicos baseados na Portaria
n.1.748, de 30/08/2011 do Ministério do Trabalho e Emprego. Em contrapartida, também tem por
finalidade analisar as circunstâncias da ocorrência de acidentes com os objetos ou materiais
perfurocortantes apontando as possíveis soluções e/ou medidas corretivas.
Na implementação deste plano todos os envolvidos deverão ser capacitados e treinados
para conhecimento de todas as ações necessárias para prevenção e reduções dos riscos de
acidentes com material perfurcortante.

4
1. COMISSÃO GESTORA
Esta comissão é composta dos serviços e profissionais envolvidos desde a aquisição do
coletor para material perfurocortante até a empresa responsável pelo tratamento e descarte
correto do resíduo.
Comissão de Controle de Infecção Odontológica – CCIO
Coordenador do Curso
Chefes de Departamento
Docente responsável pela disciplina de Biossegurança
Discente do CAOGS
Responsável pelo Almoxarifado temporário de guarda de materiais e insumos
Servidores técnicos administrativos atuantes nos locais de aplicação (descarte de resíduos)
Funcionárias do serviço terceirizado da higienização e limpeza
Serquip – Tratamento de resíduos®

2. LOCAL DE APLICAÇÃO
É o ambiente em que será utilizado material perfurocortante e posteriormente descartado.
Os seguintes ambientes correspondem ao local de aplicação:
- Clínica I; Clínica II; Clínica Integrada; Pronto Atendimento; Centro Cirúrgico; Laboratório dos
Protéticos; Banco de Dentes Humanos e Laboratório de Patologia.

3. PESSOAL ENVOLVIDO EM ACIDENTES COM MATERIAL PERFUROCORTANTE


Os profissionais que estão expostos a risco de acidente com material perfurocortante são:
 Acadêmicos
 Servidores técnicos professores
 Servidores técnicos administrativos
 Funcionários do serviço terceirizado da higienização e limpeza
 Paciente
 Outros

5
4. SELEÇÃO DO MATERIAL PERFUROCORTANTE
Os materiais perfurocortantes que ocasionam acidente na Odontologia são os utilizados em
procedimentos clínicos e cirúrgicos, podendo ser descartáveis ou não:
 Agulhas hipodérmicas, de anestesia, de sutura e de irrigação para endodontia
 Alavanca
 Alicate
 Broca
 Cinzéis
 Cureta
 Espátula
 Fio ortodôntico
 Fórceps
 Frascos de vidro, placas de vidro, pote Dappen, placa de Petri, lâminas e lamínulas quebrados
 Grampo cirúrgico
 Lâmina de aço inox para corte de cone de guta percha
 Lâmina de bisturi
 Lima endodôntica
 Sondas exploradora e periodontal
 Tesoura
 Tiras de lixa de aço
 Tubete anestésico de vidro

6
5. SITUAÇÕES E ÁREAS DE RISCO PARA ACIDENTES COM MATERIAL PERFUROCORTANTE
As áreas de risco consideradas no curso de Odontologia são todos os locais de aplicação
citados no item 2.
As situações de maior ocorrência de acidentes são:
 Descarte inadequado do material sem equipamento de proteção individual (EPI)
 Reencape de agulha de anestesia
 Limpeza e secagem do material
 Transporte inadequado do material
 Recolhimento de material perfurocortante em superfície fixa – piso e bancadas

Estas situações são consequentes de:


 Falta de atenção
 Pressa
 Movimento inesperado do paciente ou de outro profissional que esteja auxiliando no
procedimento
 Passagem incorreta do material durante o procedimento
 Agulha de anestesia desprotegida na mesa clínica e/ou cirúrgica
 Ausência do uso de EPI

7
6. MEDIDAS E PROCEDIMENTOS DE CONTROLE E PREVENÇÃO DE ACIDENTES
Para a prevenção de acidentes com material perfurocortante devem-se aplicar boas práticas
na execução dos procedimentos:
- manuseio com cautela;
- não reencapar e/ou manusear agulhas;
- possuir imunização para hepatite-B e tétano;
- coletor apropriado para o descarte dos materiais e disponibilizado em local de fácil acesso;

7. COLETOR PARA MATERIAIS PERFUROCORTANTES


O coletor para descarte de materiais perfurocortantes está disponível nas áreas de limpeza
de materiais das Clínicas I, II e Integrada, Pronto Atendimento, Centro Cirúrgico, Banco de Dentes
Humanos e Laboratório de Patologia, em suporte próprio, limpo, livre de risco de umidade e
próximo ao local de descarte dos materiais perfurocortantes com fácil acesso.
a. Aquisição: os técnicos administrativos responsáveis pelos locais de aplicação solicitam o
coletor ao almoxarifado de guarda temporária de materiais do Curso de Odontologia que o
fornece montado;
b. Colocação no local específico: realizada pelos técnicos administrativos responsáveis pelos
locais de aplicação;
c. Remoção, fechamento e encaminhamento para coleta do material descartado: o coletor é
fechado, lacrado com fita adesiva e identificado pelos técnicos administrativos responsáveis
dos locais de aplicação quando estiver preenchido em até 2/3 de sua capacidade.
Posteriormente, avisam o funcionário da equipe de higienização e conservação do ambiente
para a remoção, acondicionando-o em saco plástico de resíduo infectante. O coletor é
encaminhado ao armazenamento temporário por meio de carrinhos sendo depositado em
bombonas com tampas, identificadas para resíduos infectantes no aguardo da coleta semanal
pela empresa terceirizada Serquip – Tratamento de Resíduos ®;

8
8. REGISTRO E NOTIFICAÇÃO DE ACIDENTE COM MATERIAL PERFUROCORTANTE

Os acidentes por exposição à material biológico do paciente, seja por respingo e/ou
perfurocortante, devem ser notificados a Comissão de Controle de Infecção Odontológica (CCIO) do
Curso de Odontologia mediante preenchimento do formulário de NOTIFICAÇÃO DE ACIDENTE POR
EXPOSIÇÃO À MATERIAL BIOLÓGICO (figura 1).
As ocorrências são registradas para orientação ao acidentado quanto ao encaminhamento e
acompanhamento de atendimento médico laboratorial no Hospital do Trabalhador (Centro de
referência para atendimento a este tipo de acidentes).
Os acidentes são analisados para conhecimento das possíveis situações de risco nos diversos
procedimentos realizados e desta forma, executar um plano de ação para minimizar novos
incidentes.
A subnotificação dos acidentes prejudica a identificação das possíveis causas e fatores
associados ao acidente. Esta conduta é resultante do provável desconhecimento das causas reais e
consequências que podem ser geradas para o acidentado.
A CCIO orienta os acadêmicos a cada início de ano letivo, bem como os demais profissionais
envolvidos na prática odontológica, quanto a condutas pré e pós exposição a material biológico do
paciente incluindo o fluxo de atendimento do acidente.
A monitoração dos acidentes está fundamentada nos indicadores do acidente contidas no
formulário da notificação do acidente:
- tipo de material biológico;
- tipo de exposição;
- local de lesão;
- agente do acidente;
- circunstâncias do acidente;
- fonte /origem do acidente;
- uso de EPI’s;
- situação vacinal – status sorológico do acidentado

9
Figura 1: formulário de NOTIFICAÇÃO DE ACIDENTE POR EXPOSIÇÃO À MATERIAL BIOLÓGICO utilizada no curso de
Odontologia da Universidade Federal do Paraná (revisado em 2016).

10
9. PLANO DE AÇÃO
A CCIO realiza periodicamente orientações de acordo com o cronograma semestral de aulas
do ano letivo da seguinte forma:
- na recepção aos acadêmicos do 1º período;
- aos acadêmicos do 2º ao 9º períodos;
- aos servidores técnicos administrativos e professores;
- a equipe de funcionários da higienização e limpeza dos ambientes;
- divulgação de orientações no mural da CCIO;
- relatórios periódicos à comunidade via ofício às chefias e coordenação do curso com a divulgação
da monitoração das notificações dos acidentes.

10. CAPACITAÇÃO
O treinamento e capacitação ao público envolvido nas situações de risco de acidente com
material perfurocortante abordam os seguintes temas:
- precauções padrão;
- higienização das mãos;
- uso dos equipamentos de proteção individual – EPI’s;
- práticas e medidas adotadas para o manuseio seguro do material perfurocortante;
- processamento dos materiais e instrumentais (limpeza, embalagem e esterilização adequadas);
- controle do ambiente na limpeza das superfícies.

11. REVISÃOO DO PPRAMP


- anual ou quando necessário por alterações das condições de trabalho

11
12. GLOSSÁRIO
 Acidente: é um evento súbito e inesperado que interfere nas condições normais de operação e
que pode resultar em danos ao trabalhador, à propriedade ou ao meio ambiente.
 Dano: comprometimento da estrutura ou função do corpo e/ou qualquer efeito dele oriundo,
incluindo doenças, lesão, sofrimento, morte, incapacidade ou disfunção, podendo, assim, ser
físico, social ou psicológico;
 Exposição acidental: exposição involuntária e imprevisível decorrente de situação de acidente.
 Incidente: é um evento súbito e inesperado que interfira na atividade normal do trabalho sem
dano ao trabalhador, à propriedade ou ao meio ambiente;
 Material perfurocortante: envolve qualquer material com capacidade de corte ou perfuração da
pele que deve ser manuseado com máximo cuidado e descartado em recipiente rígido,
impermeável e resistente à punção;
 Perfurocortantes: que têm ponta ou gume, materiais utilizados para perfurar ou cortar.
 Risco: probabilidade da ocorrência de um evento desfavorável

13. REFERENCIAL BIBLIOGRÁFICO CONSULTADO


1. Brasil. Ministério do Trabalho e Emprego/Gabinete do Ministro. Portaria n.485, de 11 de
novembro de 2005. Aprova a Norma Regulamentadora n. 32 sobre a Segurança e Saúde no
Trabalho em Estabelecimentos de Saúde. Brasília. DOU de 16/11/05.
2. Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Segurança do paciente em serviços de
saúde: limpeza e desinfecção de superfícies. Brasília: 2010. 116p.
3. Brasil. Ministério do Trabalho e Emprego/Gabinete do Ministro. Portaria n.1.748, de 30 de
agosto de 2011. Aprova o Anexo III da Norma Regulamentadora n.32 sobre o Plano de Prevenção
de Riscos de Acidentes com Materiais Perfurocortantes. Brasília. DOU 31/08/2011.

12