Anda di halaman 1dari 2

====== Planta Medicinal: ALCAÇUZ ======

===== Nome científico: Glycyrrhiza glabra L. =====

==== Família: Fabaceae. ====

Sinônimo botânico: Glycyrrhiza glabra subsp. glandulifera (Waldst. & Kit.) Ponert,
Glycyrrhiza glabra var. caduca X.Y. Li, Glycyrrhiza glabra var. glandulosa X.Y. Li,
Glycyrrhiza glabra var. laxifoliolata X.Y. Li, Glycyrrhiza glabra var. violacea
(Boiss. & Noë) Boiss., Glycyrrhiza glandulifera Waldst. & Kit., Glycyrrhiza hirsuta
Pall., Glycyrrhiza violacea Boiss. & Noë.

Outros nomes populares: glicirriza, salsa, regoliz, regaliz, pau-doce, raiz-doce,


alcaçus, alcaçuz-da-europa, alcaçuz-glabro, madeira-doce; deutsches süssholz
(alemão), orozus e regalicia (espanhol), licorice (inglês), liquirizia comune
(italiano).

Constituintes químicos: ácido glicirretínico, ácido glicirrízico, ácido uralênico,


amido, cumarinas, enzimas, glicirrizina, glicosídeos, isoliquiritigenina,
isoliquiritina, licoricona, liquiritigenina, liquiritina, óleo essencial,
sacarídeos, saponinas, taninos, triterpenos.

==== Propriedades medicinais: ====


Antiespasmódica, antiinflamatória, antimicrobiana, antioxidante, antitóxica, anti-
séptica, antitumoral, aromática, diurética, emoliente, expectorante, laxante,
refrescante, tônica.

Indicações: abscesso, bronquites, catarro, catarro da bexiga, conjuntivite,


dificuldades de urinar, espasmo, estimular a secreção de hormônios pelo córtex
adrenal, feridas, furúnculos, gota, inflamação, inflamação bucal, pedra e cálculo,
prisão de ventre, resfriado, rouquidão, tosses catarrais, transtornos biliares,
tumor, úlceras gástricas, vesícula, vias urinárias.

Parte utilizada: raízes.

Contra-indicações/cuidados: gestantes (mesmo banhos ou massagem), nutrizes,


crianças, pessoas anêmicas, hipertensas, com glaucoma, doenças cardíacas, que usam
contraceptivos ou fazem reposição hormonal.

Efeitos colaterais: o uso interno provoca retenção de líquidos, Se prolongado pode


causar ainda hipertensão, perda de potássio e retenção de sódio, dores abdominais,
dor de cabeça e deficiência respiratória. Segundo a literatura consultada não há
efeitos colaterais advindos do uso externo.

Modo de usar:
- fabricação de: . loções para limpeza da pele, tratamento da acne;
. cremes hidratantes: prevenção de rugas e na melhoria da textura da pele;
. géis e loções de proteção solar;
. loções e pomadas: abscessos, feridas e úlceras;
- infusão da raiz: inflamações do ventre e das vias urinárias. Bochechos:
inflamações bucais. Compressa: conjuntivite aguda;
- pó da raiz: 100 g de alcaçuz, 20 g de erva doce moída em um pouco de água e
misturar. Tomar uma colher de sobremesa à noite: regulador intestinal;
- decocção de 2 colheres de sopa de raiz moída em 1 litro de água, fervendo por 10
minutos. Tomar 3 vezes ao dia, sem açúcar. Para crianças reduzir a quantidade de
erva para 1/3;
- compressas (uso externo): decocção 6 colheres de sopa de raiz moída em um litro
d'água;
- decocção de 200 g de alcaçuz em um litro de água. Ferver por três minutos. Após
meia hora, filtrar: bochechos e gargarejos, várias vezes ao dia;
- decocção de 20 g de raízes e ramos de alcaçuz, 40 g de eucalipto e 10 g de
segurelha um litro de água. Ferver, por dez minutos. Deixar repousar por meia hora
e filtrá-lo: bochechos e gargarejos freqüentes;
- decocção de 15 g de raízes de alcaçuz, 20 g de raízes de genciana, 20 g de raízes
de salsaparrilha, 50 g de raízes de bardana, 50 g de raízes de gramínea, 150 g de
raízes de dente-de-leão em três litros de água, por uma hora (em fogo brando).
Deixar esfriar e filtrar. Tomar três xícaras por dia, de manhã (em jejum), a tarde
e antes de deitar: depurativo, eczema;
- infusão em água morna de uma colher de café da mistura de: 5 g de raízes de
alcaçuz em pó, 5 g de folhas de sene em pó, 3 g de sementes de funcho em pó. Deixar
repousar por alguns minutos. Remisturar e beber à noite, antes de deitar: prisão de
ventre;
- vinho medicinal: 120 g de raízes de alcaçuz esmagadas, 60 g de sementes de anis e
60 g de sementes de funcho em um litro de vinho branco. Deixar em infusão por dez
dias. Filtrar e tomar seis colheres ao dia e fazer bochechos: mau hálito, tosse;
- decocção: ferver, por cinco minutos, 100 g de alcaçuz e 100 g de hipérico em um
litro de água. Deixar repousar por meia hora e filtrar. Tomar uma xícara pela
manhã, em jejum, e uma após as refeições principais: úlcera duodenal;
- bala de alcaçuz: dissolver 500 g de alcaçuz em meio litro de água, adicionar 250
g de goma arábica, 150 g de açúcar e 50 g de gengibre. Ferver até a mistura
adquirir a consistência de massa ou pasta. espalhar sobre uma superfície de
mármore, untada. Depois de fria, corta-se a massa e fazer as balas: acalmar tosses
e acessos de bronquite;
- raiz, por decocção: tosse, laringites, afonia, afecções das vias respiratórias,
peitoral, emoliente, catarros crônicos, dispnéia, congestão hepática, laxativo,
inflamações do ventre e vias urinárias, inflamações da gengiva e da língua,
depurativo, eczemas.
- mastigação da raiz: mau hálito, ajudar a parar de fumar;
- cataplasma de raiz seca, reduzida a pó com um pouco de farinha de trigo: aplicar
sobre as partes afetadas: erisipela, para acalmar a dor;

Algumas espécies do gênero: Glycyrrhiza.

**Imagem: Alcacuz - Glycyrrhiza glabra L.**

{{::alcacuz_glycyrrhiza_glabra_l..jpg?400|}}

Referências:
http://www.cura-pela-natureza.cf/alcacuz