Anda di halaman 1dari 56

RETROSPECTIVA DE

JURISPRUDÊNCIA
2016

MINISTÉRIO PÚBLICO
E DELEGADO

CICLOS PRÉ-EDITAL @CICLOSR3


SUMÁRIO
RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO.............................................3

01. CONSTITUCIONAL........................................................................... 3
02. ADMINISTRATIVO........................................................................... 7
03. PENAL............................................................................................. 9
04. PROCESSO PENAL......................................................................... 18
05. CIVIL............................................................................................ 28
06. PROCESSO CIVIL........................................................................... 38
07. TRIBUTÁRIO.................................................................................. 44
08. EMPRESARIAL............................................................................... 49
09. DIREITO PENAL MILITAR................................................................ 51
10. CONSUMIDOR............................................................................... 53
11. ECA............................................................................................... 54
12. AMBIENTAL................................................................................... 56

2 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016


MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

01. CONSTITUCIONAL:

»» INVIOLABILIDADE DE DOMICÍLIO: A entra- conteúdo do instituto, não há obstáculo para o


da forçada em domicílio sem mandado judicial conhecimento da ação (ADI 2418/DF). (3) Caso
só é lícita, mesmo em período noturno, quando o STF tenha julgado o mérito da ação sem ter
amparada em fundadas razões, devidamente sido comunicado previamente que houve a
justificadas “a posteriori”, que indiquem que revogação da norma atacada. Nesta hipótese,
dentro da casa ocorre situação de flagrante não será possível reconhecer, após o julgamen-
delito, sob pena de responsabilidade disciplinar, to, a prejudicialidade da ADI já apreciada.
civil e penal do agente ou da autoridade, e de
»» IMPEACHMENT: ADPF 378: Por maioria, o
nulidade dos atos praticados. STF. Plenário. RE
Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF)
603616/RO, Rel. Min. Gilmar Mendes, julgado
julgou parcialmente procedente a Arguição
em 4 e 5/11/2015 (repercussão geral) (Info 806).
de Descumprimento de Preceito Fundamental
»» CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE: (ADPF) 378, que discute a validade de dispo-
Revogação do ato normativo impugnado antes sitivos da Lei 1.079/1950 que regulamentam o
do julgamento da ação. Regra: haverá perda processo de impeachment de presidente da
superveniente do objeto e a ADI não deve- República. Com o julgamento, firmou-se o
rá ser conhecida (STF ADI 1203). Exceções (1): entendimento de que a Câmara dos Deputa-
não haverá perda do objeto e a ADI deverá ser dos apenas dá a autorização para a abertura
conhecida e julgada caso fique demonstrado do processo de impeachment, cabendo ao
que houve “fraude processual”, ou seja, que a Senado fazer juízo inicial de instalação ou não
norma foi revogada de forma proposital a fim do procedimento, quando a votação se dará
de evitar que o STF a declarasse inconstitucio- por maioria simples; a votação para escolha da
nal e anulasse os efeitos por ela produzidos comissão especial na Câmara deve ser aber-
(STF ADI 3306). (2) Não haverá perda do objeto ta, sendo ilegítimas as candidaturas avulsas
se ficar demonstrado que o conteúdo do ato de deputados para sua composição; e o afas-
impugnado foi repetido, em sua essência, em tamento de presidente da República ocorre
outro diploma normativo. Neste caso, como apenas se o Senado abrir o processo.
não houve desatualização significativa no
»» EXTRADIÇÃO: A pessoa pode ser extradita-

3 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

da mesmo que o tratado de extradição firmado Estadual possui legitimidade para atuar dire-
entre o Estado estrangeiro e o Brasil seja poste- tamente no STJ nos processos em que figu-
rior ao crime cometido naquele país, mas desde rar como parte. O MPE, nos processos em
que o tratado preveja expressamente que as que figurar como parte e que tramitam no
suas disposições também serão aplicadas aos STJ, possui legitimidade para exercer todos os
delitos praticados antes de sua vigência. STF. meios inerentes à defesa de sua pretensão. A
Decisão monocrática. PPE 769, Rel. Min. Celso função de fiscal da lei no âmbito do STJ será
de Mello, julgado em 18/02/2016 (Info 816) exercida exclusivamente pelo Ministério Públi-
»» PODER EXECUTIVO. IMUNIDADE PENAL co Federal, por meio dos Subprocuradores-
RELATIVA. Não é possível aplicar o art. 86, -Gerais da República designados pelo Procu-
§ 4º, da CF/88 para o Presidente da Câmara rador-Geral da República. STJ. Corte Especial.
dos Deputados, considerando que a garantia EREsp 1.236.822-PR, Rel. Min. Mauro Campbell
prevista neste dispositivo é destinada expressa- Marques, julgado em 16/12/2015 (Info 576).
mente ao chefe do Poder Executivo da União »» #IMPORTANTE – PODER JUDICIÁRIO.
(Presidente da República). Desse modo, por se MINISTÉRIO PÚBLICO: Compete ao PGR,
tratar de um dispositivo de natureza restriti- na condição de órgão nacional do Ministério
va, não é possível qualquer interpretação que Público, dirimir conflitos de atribuições entre
amplie a sua incidência a outras autoridades, membros do MPF e de Ministérios Públicos
notadamente do Poder Legislativo. STF. Plená- estaduais. STF. Plenário. ACO 924/PR, Rel.
rio. Inq 3983/DF, Rel. Min. Teori Zavascki, julga- Min. Luiz Fux, julgado em 19/5/2016 (Info 826).
do em 02 e 03/03/2016 (Info 816). #MUDANÇADEENTENDIMENTO:

»» DIREITOS FUNDAMENTAIS. QUEBRA DE »» #IMPORTANTE – MINISTÉRIO PÚBLICO:


SIGILO: As autoridades e os agentes fiscais O Procurador-Geral da República não possui
tributários da União, dos Estados, do Distri- legitimidade ativa para impetrar mandado de
to Federal e dos Municípios podem requisitar segurança com o objetivo de questionar deci-
diretamente das instituições financeiras infor- são que reconheça a prescrição da pretensão
mações sobre as movimentações bancárias punitiva em processo administrativo discipli-
dos contribuintes. Esta possibilidade encon- nar. A legitimidade para impetrar mandado de
tra-se prevista no art. 6º da LC 105/2001, que segurança pressupõe a titularidade do direito
foi considerada constitucional pelo STF. Isso pretensamente lesado ou ameaçado de lesão
porque esta previsão não se caracteriza como por ato de autoridade pública. O Procurador-
“quebra” de sigilo bancário, ocorrendo apenas -Geral da República não tem legitimidade para
a “transferência de sigilo” dos bancos ao Fisco. a impetração, pois não é o titular do direito
líquido e certo que afirmara ultrajado. Para a
»» #IMPORTANTE – PODER JUDICIÁRIO.
MINISTÉRIO PÚBLICO: O Ministério Público impetração do MS não basta a demonstração

4 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

do simples interesse ou atuação como custos Lei nº 8.906/94, que estabelece que a obten-
legis, uma vez que os direitos à ordem demo- ção de cópia dos processos ético-disciplinares
crática e à ordem jurídica não são de titularida- é matéria submetida à reserva de jurisdição,
de do Ministério Público, mas de toda a socie- de modo que somente mediante autorização
dade. STF. 2ª Turma. MS 33736/DF, Rel. Min. judicial poderá ser dado acesso a terceiros.
Cármen Lúcia, julgado em 21/6/2016 (Info 831). STJ. Corte Especial. REsp 1.217.271-PR, Rel. Min.
»» #IMPORTANTE – MINISTÉRIO PÚBLICO: Humberto Martins, julgado em 18/5/2016 (Info
Determinado Promotor de Justiça foi consi- 589).
derado aprovado no estágio probatório pelo »» VAQUEJADA: É inconstitucional lei estadual
Colégio de Procuradores do MP. O CNMP, de que regulamenta a atividade da “vaquejada”.
ofício, reformou esta decisão e negou o vita- Segundo decidiu o STF, os animais envolvidos
liciamento do Promotor, determinando a sua nesta prática sofrem tratamento cruel, razão
exoneração. O STF considerou legítima a atua- pela qual esta atividade contraria o art. 225, §
ção do CNMP. O ato de vitaliciamento tem 1º, VII, da CF/88. A crueldade provocada pela
natureza de ato administrativo, e, assim, se “vaquejada” faz com que, mesmo sendo esta
sujeita ao controle de legalidade do CNMP, por uma atividade cultural, não possa ser permiti-
força do art. 130-A, § 2º, II, da CF/88, cuja previ- da. A obrigação de o Estado garantir a todos o
são se harmoniza perfeitamente com o art. 128, pleno exercício de direitos culturais, incentivan-
§ 5º, I, “a”, do texto constitucional. Vale ressaltar do a valorização e a difusão das manifestações,
que, quando o CNMP tomou esta decisão, o não prescinde da observância do disposto no
referido Promotor já estava suspenso do exer- inciso VII do § 1º do art. 225 da CF/88, que veda
cício de suas funções e não chegou a comple- práticas que submetam os animais à cruelda-
tar 2 anos de efetivo exercício. Logo, como o de. STF. Plenário. ADI 4983/CE, Rel. Min. Marco
Promotor ainda não havia acabado seu estágio Aurélio, julgado em 06/10/2016 (Info 842).1
probatório, poderia perder o cargo por decisão
»» TRIBUNAL DE CONTAS: Membro do Minis-
administrativa, não sendo necessária sentença
tério Público junto ao Tribunal de Contas de
judicial transitada em julgado (art. 128, § 5º, I,
Estados ou do Distrito Federal que ocupa esse
“a”, da CF/88). STF. 2ª Turma. MS 27542/DF, Rel.
cargo há menos de dez anos pode ser indicado
Min. Dias Toffoli, julgado em 04/10/2016 (Info
para compor lista tríplice destinada à escolha
842).
de conselheiro da referida corte.STJ. 2a Turma.
»» MINISTÉRIO PÚBLICO: O acesso do MPF RMS 35.403-DF, Rel. Min. Herman Benjamin,
às informações inseridas em procedimentos
disciplinares conduzidos pela OAB depende de
1 A vaquejada, o rodeio e expressões artístico-culturais
prévia autorização judicial. O fundamento para similares ganharão o status de manifestações da cultura
esta decisão encontra-se no § 2º do art. 72 da nacional e serão elevadas à condição de patrimônio cultural
imaterial do Brasil. É o que estabelece a Lei 13.364/2016

5 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

julgado em 3/3/2016 (Info 584). trou mandado de segurança no STF pedindo a


suspensão do processo de cassação que trami-
»» MANDADO DE INJUNÇÃO. O mandado de
tava contra ele na Câmara dos Deputados por
injunção até junho de 2016 não possuía regu-
quebra de decoro parlamentar. O pedido do
lamentação, e aplicava-se, por analogia, a lei
impetrante foi negado. O STF só pode interferir
do mandado de segurança. Entretanto, em 23
em procedimentos legislativos (ex: processo de
de junho de 2016, a lei que disciplina o proces- cassação) em uma das seguintes hipóteses: a)
so e o julgamento do mandado de injunção foi para assegurar o cumprimento da Constituição
sancionada, sem vetos, pelo presidente interino Federal; b) para proteger direitos fundamen-
Michel Temer em 23 de junho de 2016. O texto tais; ou c) para resguardar os pressupostos de
funcionamento da democracia e das instituições
surgiu do projeto de lei (PL 6128/09), do ex-de-
republicanas. Exemplo típico na jurisprudência
putado Flavio Dino, aprovado pela Câmara, em
é a preservação dos direitos das minorias, onde
março de 2015, e pelo Senado, no início do mês
o Supremo poderá intervir. No caso concreto,
de junho de 2016.
o STF entendeu que nenhuma dessas situações
»» #IMPORTANTE – LIBERDADE DE EXPRES- estava presente. Em se tratando de processos
SÃO. É inconstitucional a expressão “em horá-
de cunho acentuadamente político, como é o
rio diverso do autorizado” contida no art. 254
caso da cassação de mandato parlamentar, o
do ECA. “Art. 254. Transmitir, através de rádio
STF deve se pautar pela deferência (respeito) às
ou televisão, espetáculo em horário diverso
decisões do Legislativo e pela autocontenção,
do autorizado ou sem aviso de sua classifica-
somente intervindo em casos excepcionalíssi-
ção: Pena - multa de vinte a cem salários de
mos. Dessa forma, neste caso, o STF optou pela
referência; duplicada em caso de reincidência
técnica da autocontenção ( judicial self-res-
a autoridade judiciária poderá determinar a
traint), que é o oposto do chamado ativismo
suspensão da programação da emissora por
judicial. Na autocontenção, o Poder Judiciário
até dois dias.” O Estado não pode determinar
deixa de atuar (interferir) em questões conside-
que os programas somente possam ser exibi-
radas estritamente políticas. STF. Plenário. MS
dos em determinados horários. Isso seria uma
34.327/DF, Rel. Min. Roberto Barroso, julgado
imposição, o que é vedado pelo texto constitu-
em 8/9/2016 (Info 838).
cional por configurar censura. O Poder Público
pode apenas recomendar os horários adequa- »» LEI 13.367/2016: Foi promulgada e publi-
dos. A classificação dos programas é indicativa cada em 05/12/2016, com o objetivo de alte-
(e não obrigatória). STF. Plenário. ADI 2404/DF, rar a Lei 1.579/52, que dispõe sobre Comissões
Rel. Min. Dias Toffoli, julgado em 31/8/2016 (Info Parlamentares de Inquérito (CPI). #NOVIDADE-
837). LEGISLATIVA
»» #IMPORTANTE – PODER LEGISLATIVO: O
ex-Deputado Federal Eduardo Cunha impe-

6 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

02. ADMINISTRATIVO:

»» CONCURSO PÚBLICO: o direito subjetivo à Foi fixada, portanto, a seguinte tese: Os prazos
nomeação do candidato aprovado em concur- da licença-adotante não podem ser inferio-
so público exsurge quando surgirem novas res ao prazo da licença-gestante, o mesmo
vagas, ou for aberto novo concurso durante a valendo para as respectivas prorrogações. Em
validade do certame anterior, e ocorrer a prete- relação à licença-adotante, não é possível fixar
rição de candidatos de forma arbitrária e imoti- prazos diversos em função da idade da criança
vada por parte da administração nos termos adotada. STF. Plenário. RE 778889/PE, Rel. Min.
acima. STF. Plenário. RE 837311/PI, Rel. Min. Luiz Roberto Barroso, julgado em 10/3/2016 (reper-
Fux, julgado em 09/12/2015 (repercussão geral) cussão geral) (Info 817).
(Info 811).
»» TETO REMUNERATÓRIO: As vantagens
»» PODER DE POLÍCIA: Se a ANVISA classifi- pessoais do servidor também devem respei-
cou determinado produto importado como tar o teto, mesmo que sejam anteriores à EC
“cosmético”, a autoridade aduaneira não pode- 41/2003. STF. Plenário. RE 606358/SP, Rel. Min.
rá alterar essa classificação para defini-lo como Rosa Weber, julgado em 18/11/2015 (repercus-
“medicamento”. Incumbe à ANVISA regulamen- são geral) (Info 808).
tar, controlar e fiscalizar os produtos e serviços
»» RESPONSABILIDADE DO ESTADO: Lei nº
que envolvam risco à saúde pública (art. 8º da
13.286/2016: responsabilidade civil dos notários
Lei nº 9.782/99). Assim, é da Agência a atribui-
e registradores passou a ser SUBJETIVA.
ção de definir o que é medicamento e o que
é cosmético. STJ. 1ª Turma. REsp 1.555.004-SC, »» RESSARCIMENTO AO ERÁRIO. Prazo pres-
Rel. Min. Napoleão Nunes Maia Filho, julgado cricional da ação de ressarcimento ao erário:
em 16/2/2016 (Info 577). É prescritível a ação de reparação de danos à
Fazenda Pública decorrente de ilícito civil. Dito
»» AGENTES PÚBLICOS. LICENÇA MATER-
de outro modo, se o Poder Público sofreu um
NIDADE: O art. 210 da Lei nº 8.112/90, assim
dano ao erário decorrente de um ilícito civil e
como outras leis estaduais e municipais, prevê
deseja ser ressarcido, ele deverá ajuizar a ação
que o prazo para a servidora que adotar uma
no prazo prescricional previsto em lei. Vale
criança é inferior à licença que ela teria caso
ressaltar, entretanto, que essa tese não alcança
tivesse tido um filho biológico. De igual forma,
prejuízos que decorram de ato de improbida-
este dispositivo estabelece que, se a criança
de administrativa que, até o momento, conti-
adotada for maior que 1 ano de idade, o prazo
nuam sendo considerados imprescritíveis (art.
será menor do que seria se ela tivesse até 1 ano.
37, § 5º). STF. Plenário. RE 669069/MG, Rel. Min.
Segundo o STF, tal previsão é inconstitucional.
Teori Zavascki, julgado em 3/2/2016 (repercus-

7 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

são geral) (Info 813). toramento e acesso ao conteúdo das comuni-


cações dos usuários para cumprir disposições
»» CONCURSO PÚBLICO: É legal a cláusula de
legais ou instruir procedimento administrati-
edital que prescreva que as atividades do cargo
vo. STJ. 2ª Turma. RMS 48.665-SP, Rel. Min. Og
de perito datiloscopista são de nível médio,
Fernandes, julgado em 15/9/2015 (Info 576)
desde que, à época da publicação do edital do
concurso para o referido cargo, haja previsão »» IMPROBIDADE. A condenação pela Justiça
legislativa estadual nesse sentido. STJ. 1ª Turma. Eleitoral ao pagamento de multa por infringên-
AgRg no RMS 32.892-RO, Rel. Min. Napoleão cia às disposições contidas na Lei n. 9.504/1997
Nunes Maia Filho, julgado em 17/12/2015 (Info (Lei das Eleições) não impede a imposição
576). de nenhuma das sanções previstas na Lei nº
8.429/1992 (Lei de Improbidade Administrati-
»» CONCURSO PÚBLICO. Editais de concur-
va), inclusive da multa civil, pelo ato de impro-
so público não podem estabelecer restrição a
bidade decorrente da mesma conduta. STJ. 2ª
pessoas com tatuagem, salvo situações excep-
Turma. AgRg no AREsp 606.352-SP, Rel. Min.
cionais em razão de conteúdo que viole valores
Assusete Magalhães, julgado em 15/12/2015
constitucionais. STF. Plenário. RE 898450/SP, Rel.
(Info 576).
Min. Luiz Fux, julgado em 17/8/2016 (repercus-
são geral) (Info 835). »» LEI 13.243/2016:

»» SERVIDORES. ACUMULAÇÃO. Não é possí- ◉◉ Alterou a hipótese de dispensa de licitação


vel a acumulação de dois cargos públicos quan- prevista no inciso XXI do art. 24.
do a soma da carga horária referente aos dois ◉◉ ALTERAÇÃO NA LEI 12.462/2011 (LEI DO
cargos ultrapassar o limite máximo de 60 horas RDC): A Lei nº 13.243/2016 amplia o rol de
semanais. STJ. 2ª Turma. REsp 1.565.429-SE, Rel. objetos e serviços que poderão ser contra-
Min. Herman Benjamin, julgado em 24/11/2015 tados sob a égide do RDC. Desse modo, o
(Info 576). RDC previu regras diferenciadas que afastam
»» SERVIDORES. PAD. Informações obtidas por alguns pontos da Lei nº 8.666/93.
monitoramento de e-mail corporativo de servi-
◉◉ ALTERAÇÃO NA LEI Nº 8.745/93: A Lei nº
dor público não configuram prova ilícita quan-
8.745/93 trata sobre as hipóteses de contra-
do relacionadas com aspectos “não pessoais”
tação por tempo determinado para aten-
e de interesse da Administração Pública e da
der a necessidade temporária de excepcio-
própria coletividade, especialmente quando
nal interesse público, nos termos do inciso
exista, nas disposições normativas acerca do
IX do art. 37 da CF/88. Assim, trata-se de
seu uso, expressa menção da sua destinação
nova hipótese de contratação temporária
somente para assuntos e matérias afetas ao
de excepcional interesse público no âmbito
serviço, bem como advertência sobre moni-
federal.

8 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

»» #IMPORTANTE – IMPROBIDADE: A tortu- MP que originalmente dispunha sobre outro


ra de preso custodiado em delegacia pratica- assunto, não pode ser declarada inconstitucio-
da por policial constitui ato de improbidade nal porque foi editada antes de o STF declarar
administrativa que atenta contra os princípios ilegítima a prática do “contrabando legislativo”
da administração pública. STJ. 1ª Seção. REsp (ADI 5127/DF). Ainda quanto ao aspecto formal,
1.177.910-SE, Rel. Ministro Herman Benjamin, esta Lei não trata sobre normas gerais de Direi-
julgado em 26/8/2015 (Info 577). to Tributário, motivo pelo qual não precisa-
va ser veiculada por lei complementar. Sob o
»» CONSELHOS PROFISSIONAIS: A Lei nº
ponto de vista material, a Lei respeitou os prin-
12.514/2011, que trata sobre as contribuições
cípios da capacidade contributiva, da vedação
(anuidades) devidas aos Conselhos Profissio-
ao confisco e da legalidade. STF. Plenário. ADI
nais, é constitucional. Sob o ponto de vista
4697/DF, Rel. Min. Edson Fachin, julgado em
formal, esta Lei, apesar de ser fruto de uma
06/10/2016 (Info 842).

03. PENAL

»» #IMPORTANTE – LEI DE DROGAS. A causa é irrelevante para fins de dosimetria da pena.


de aumento prevista no inciso V do art. 40 não De acordo com a Lei nº 11.343/2006, prepon-
exige a efetiva transposição da fronteira. deram apenas a natureza e a quantidade da
droga apreendida para o cálculo da dosimetria
»» #IMPORTANTE – HOMICÍDIO: Contra auto-
da pena. STF. 2ª Turma. HC 132909/SP, Rel. Min.
ridade ou agente descrito nos arts. 142 e 144
Cármen Lúcia, julgado em 15/3/2016 (Info 818).
da Constituição Federal, integrantes do siste-
ma prisional e da Força Nacional de Segurança »» LEI DE DROGAS: Classifica-se como “droga”,
Pública, no exercício da função ou em decor- para fins da Lei nº 11.343/2006 (Lei de Drogas),
rência dela, ou contra seu cônjuge, companhei- a substância apreendida que possua “cana-
ro ou parente consanguíneo até terceiro grau, binoides” (característica da espécie vegetal
em razão dessa condição: (Incluído pela Lei nº Cannabis sativa), ainda que naquela não haja
13.142, de 2015). tetrahidrocanabinol (THC). STJ. 6ª Turma. REsp
»» CRIMES DE RESPONSABILIDADE DOS 1.444.537-RS,Rel. Min. Rogerio Schietti Cruz,
PREFEITOS: (DL 201/67) Para a configura- julgado em 12/4/2016 (Info 582).
ção do delito do art. 1º, XIV, é indispensável a »» #IMPORTANTE – LEI DE DROGAS: Ainda
inequívoca ciência do Prefeito. que o réu comprove o exercício de atividade
»» LEI DE DROGAS: O grau de pureza da droga profissional lícita, se, de forma concomitante,
ele se dedicava a atividades criminosas, não terá

9 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

direito à causa especial de diminuição de pena de que houve prejuízo ao erário e de que o
prevista no art. 33, § 4º, da Lei nº 11.343/2006 agente tinha a finalidade específica de favore-
(Lei de Drogas). STJ. 6ª Turma. REsp 1.380.741- cimento indevido. Assim, mesmo que a deci-
MG, Rel. Min. Rogerio Schietti Cruz, julgado em são de dispensa ou inexigibilidade da licitação
12/4/2016 (Info 582). tenha sido incorreta, isso não significa necessa-
riamente que tenha havido crime, sendo neces-
»» CRIMES CONTRA O SISTEMA FINANCEIRO: A
sário analisar o prejuízo e o dolo do agente.
absolvição quanto ao crime de emissão, ofere-
Art. 89. Dispensar ou inexigir licitação fora das
cimento ou negociação de títulos fraudulentos
hipóteses previstas em lei, ou deixar de obser-
(art. 7º da Lei nº 7.492/86) não ilide a possibi-
var as formalidades pertinentes à dispensa ou
lidade de condenação por gestão fraudulenta
à inexigibilidade: Pena - detenção, de 3 (três)
de instituição financeira (art. 4º, caput, da Lei
a 5 (cinco) anos, e multa. STF. 2ª Turma. Inq
nº 7.492/86). STJ. 6ª Turma. HC 285.587-SP, Rel.
3731/DF, Rel. Min. Gilmar Mendes, julgado em
Rogerio Schietti Cruz, julgado em 15/3/2016
2/2/2016 (Info 813).
(Info 580).
»» #IMPORTANTE – EXECUÇÃO PROVISÓRIA »» TEORIA GERAL DA PENA: Súmula 562-STJ:
DA PENA: STJ acompanha o STF e também É possível a remição de parte do tempo de
admite a execução provisória da pena. 6/4/2016 execução da pena quando o condenado, em
(Info 582). regime fechado ou semiaberto, desempe-
nha atividade laborativa, ainda que extra-
»» CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO
muros.
PÚBLICA: Desvio de recursos de convênio e
sua aplicação em finalidade diversa. Secretá- »» #IMPORTANATE – FURTO. CRIME IMPOS-
ria de Estado que desvia verbas de convênio SÍVEL. Súmula 567-STJ: Sistema de vigilân-
federal que tinha destinação específica e as cia realizado por monitoramento eletrô-
utiliza para pagamento da folha de servido- nico ou por existência de segurança no
res não pratica o crime de peculato (art. 312 interior de estabelecimento comercial, por
do CP), mas sim o delito de emprego irregular si só, não torna impossível a configuração
de verbas ou rendas públicas (art. 315). STF. 2ª do crime de furto.
Turma. Inq 3731/DF, Rel. Min. Gilmar Mendes, »» FURTO QUALIFICADO POR ROMPIMENTO
julgado em 2/2/2016 (Info 813). DE OBSTÁCULO – QUEBRA DO VIDRO DA
»» #IMPORTANTE – CRIMES CONTRA A LEI JANELA DO CARRO PARA FURTAR APARELHO
DE LICITAÇÕES: (LEI 8.666/93) Requisitos DE SOM: É questão polêmica na jurisprudência.
para a configuração do crime do art. 89 Para Mas, o STJ firmou orientação de que a subtra-
que haja a condenação pelo crime do art. 89 ção de objeto localizado no interior do veículo
da Lei nº 8.666/93, exige-se a demonstração automotor mediante o rompimento de obstá-
culo – quebra do vidro – qualifica o furto. Em

10 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

sentido contrário, há importante jurisprudência superior hierárquico (o STF chamou de “impo-


inclinando-se no sentido de que o rompimento sição hierárquica”). STF. Plenário. Inq 3983/
de quebra-ventos de veículo para subtração de DF, Rel. Min. Teori Zavascki, julgado em 02 e
objetos existentes no seu interior NÃO caracte- 03/03/2016 (Info 816).
riza a qualificadora, em razão da razoabilidade
»» #IMPORTANTE – PRISÕES: A Lei nº
e proporcionalidade, uma vez que a quebra
13.257/2016 alterou as hipóteses de prisão
do vidro para furtar o próprio veículo é furto
domiciliar previstas nos incisos IV, V e VI do art.
simples.
318 do CPP. Assim, é importantíssimo que você
»» PRINCÍPIO DA INSIGNIFICÂNCIA: É possí- faça esta observação para lembrar quando
vel aplicar o princípio da insignificância para estiver estudando. Hipóteses de prisão domi-
crimes ambientais. Ex: pessoa encontrada em ciliar do CPP: Art. 318. Poderá o juiz substituir
uma unidade de conservação onde a pesca a prisão preventiva pela domiciliar quando o
é proibida, com vara de pescar, linha e anzol, agente for: IV - gestante; V - mulher com filho
conduzindo uma pequena embarcação na qual de até 12 (doze) anos de idade incompletos; VI
não havia peixes. STF. 2ª Turma. Inq 3788/DF, - homem, caso seja o único responsável pelos
Rel. Min. Cármen Lúcia, julgado em 1°/3/2016 cuidados do filho de até 12 (doze) anos de
(Info 816) idade incompletos.

»» PRINCÍPIO DA INSIGNIFICÂNCIA: STF INF »» HOMICÍDIO CULPOSO: O fato de o autor de


756: o STF concluiu que poderia ser aplicado homicídio culposo na direção de veículo auto-
o princípio da insignificância, considerando motor estar com a CNH vencida não justifica
a chamada “teoria da reiteração não cumu- a aplicação da causa especial de aumento de
lativa de condutas de gêneros distintos”. É pena descrita no inciso I do § 1º do art. 302
possível aplicar o princípio da insignificância do CTB. O inciso I do § 1º do art. 302 pune
mesmo havendo condenação anterior, porque o condutor que “não possuir Permissão para
a contumácia de infrações penais que não têm Dirigir ou Carteira de Habilitação”. O fato de
o mesmo patrimônio como bem jurídico tute- o condutor estar com a CNH vencida não se
lado pela norma penal não pode ser valorada amolda a essa previsão não se podendo aplicá-
como fator impeditivo à aplicação do princípio -lo por analogia in malam partem. STJ. 6ª Turma.
da insignificância. HC 226.128-TO, Rel. Min. Rogerio Schietti Cruz,
julgado em 7/4/2016 (Info 581).
»» CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO: O
simples fato de o réu exercer um manda- »» HOMICÍDIO. DOLO EVENTUAL. A qualifica-
to popular não é suficiente para fazer incidir dora do motivo fútil (art. 121, § 2º, II, do CP)
a causa de aumento do art. 327, § 2º, do CP. é compatível com o homicídio praticado com
É necessário que ele ocupe uma posição de dolo eventual? A pessoa que cometeu homi-

11 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

cídio com dolo eventual pode responder pela tual do delito (mandante). STJ. 5ª Turma. REsp
qualificadora de motivo fútil? 1ª corrente: SIM. 1.563.169-DF, Rel. Min. Reynaldo Soares da
O fato de o réu ter assumido o risco de produ- Fonseca, julgado em 10/3/2016 (Info 580).
zir o resultado morte, aspecto caracterizador »» CRIMES CONTRA A ORDEM TRIBUTÁRIA:
do dolo eventual, não exclui a possibilidade de Investigação preliminar antes da constituição
o crime ter sido praticado por motivo fútil, uma definitiva do crédito tributário. Nos crimes de
vez que o dolo do agente, direto ou indireto, sonegação tributária, apesar de a jurisprudên-
não se confunde com o motivo que ensejou a cia do STF condicionar a persecução penal à
conduta, mostrando-se, em princípio, compa- existência do lançamento tributário definitivo, o
tíveis entre si. STJ. 5ª Turma. REsp 912.904/SP, mesmo não ocorre quanto à investigação preli-
Rel. Min. Laurita Vaz, julgado em 06/03/2012. minar (Info 819).
2ª corrente: NÃO. A qualificadora de moti-
vo fútil é incompatível com o dolo, tendo em »» TEORIA GERAL DA PENA: É legítima a fixação
vista a ausência do elemento volitivo. STJ. 6ª de regime inicial semiaberto, tendo em conta a
Turma. HC 307.617-SP, Rel. Min. Nefi Cordeiro, quantidade e a natureza do entorpecente, na
Rel. para acórdão Min. Sebastião Reis Júnior, hipótese em que ao condenado por tráfico de
julgado em 19/4/2016 (Info 583). STJ. 6ª Turma. entorpecentes tenha sido aplicada pena infe-
HC 307.617-SP, Rel. Min. Nefi Cordeiro, Rel. para rior a 4 anos de reclusão. STF. 2ª Turma. HC
acórdão Min. Sebastião Reis Júnior, julgado em 133308/SP, Rel. Min. Cármen Lúcia, julgado em
19/4/2016 (Info 583). 29/3/2016 (Info 819).

»» #IMPORTANTE – HOMICÍDIO. MOTIVO »» LEI DE DROGAS. MAUS ANTECEDENTES:


FÚTIL. Não incide a qualificadora de motivo Possibilidade de, no caso concreto, desconsi-
fútil (art. 121, § 2º, II, do CP), na hipótese de derar condenações anteriores datadas há mais
homicídio supostamente praticado por agente de 5 anos para fins de maus antecedentes.
que disputava “racha”, quando o veículo por ele Para o entendimento pacificado no STJ, mesmo
conduzido - em razão de choque com outro ultrapassado o lapso temporal de cinco anos,
automóvel também participante do “racha” a condenação anterior transitada em julgado é
- tenha atingido o veículo da vítima, tercei- considerada como maus antecedentes. Apesar
ro estranho à disputa automobilística. STJ. 6ª disso, em um caso concreto, o STJ decidiu rela-
Turma. HC 307.617-SP, Rel. Min. Nefi Cordeiro, tivizar esse entendimento e afirmou que era
Rel. para acórdão Min. Sebastião Reis Júnior, possível a aplicação da minorante prevista no §
julgado em 19/4/2016 (Info 583). 4º do art. 33 da Lei nº 11.343/2006 em relação
a réu que, apesar de ser tecnicamente primá-
»» CONCURSO DE PESSOAS: Em princípio, a rio ao praticar o crime de tráfico, ostentava
incidência da agravante do art. 62, I, do Códi- duas condenações (a primeira por receptação
go Penal é compatível com a autoria intelec- culposa e a segunda em razão de furto quali-

12 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

ficado pelo concurso de pessoas) cujas penas STJ. 6ª Turma. RHC 67.771-MG, Rel. Min. Nefi
foram aplicadas no mínimo legal para ambos Cordeiro, julgado em 10/3/2016 (Info 579).
os delitos anteriores (respectivamente, 1 mês
»» EVASÃO DE DIVISAS: Nos casos de evasão
em regime fechado e 2 anos em regime aber-
de divisas praticada mediante operação do tipo
to, havendo sido concedido sursis por 2 anos),
“dólar-cabo”, não é possível utilizar o valor de R$
os quais foram perpetrados sem violência ou
10 mil como parâmetro para fins de aplicação
grave ameaça contra pessoa, considerando-
do princípio da insignificância. STJ. 6ª Turma.
-se ainda, para afastar os maus antecedentes,
REsp 1.535.956-RS, Rel. Min. Maria Thereza de
o fato de que, até a data da prática do crime
Assis Moura, julgado em 1º/3/2016 (Info 578).
de tráfico de drogas, passaram mais de 8 anos
da extinção da punibilidade do primeiro crime »» EVASÃO DE DIVISAS: Na fixação da pena do
e da baixa dos autos do segundo crime, sem crime de evasão de divisas (art. 22, parágrafo
que tenha havido a notícia de condenação único, da Lei nº 7.492/86), o fato de o delito
do réu por qualquer outro delito, de que ele ter sido cometido por organização criminosa
se dedicava a atividades delituosas ou de que complexa e bem estrutura pode ser valorado
integrava organização criminosa. Vale ressaltar de forma negativa a título de circunstâncias do
que o STJ não mudou seu entendimento acima crime. STJ. 6ª Turma. REsp 1.535.956-RS, Rel.
explicado. A decisão foi tomada com base nas Min. Maria Thereza de Assis Moura, julgado em
circunstâncias do caso concreto. STJ. 6ª Turma. 1º/3/2016 (Info 578).
REsp 1.160.440-MG, Rel. Min. Rogerio Schietti
»» #IMPORTANTE – DOSIMETRIA DA PENA:
Cruz, julgado em 17/3/2016 (Info 580).
É possível compensar a atenuante da confis-
»» #IMPORTANTE – PRESCRIÇÃO. CRIMES são espontânea (art. 65, III, «d», do CP) com
CONTRA A ORDEM TRIBUTÁRIA. O reco- a agravante da promessa de recompensa (art.
nhecimento de prescrição tributária em execu- 62, IV). STJ. 5ª Turma. HC 318.594-SP, Rel. Min.
ção fiscal não é capaz de justificar o trancamen- Felix Fischer, julgado em 16/2/2016 (Info 577).
to de ação penal referente aos crimes contra a
»» #IMPORTANTE – CONTRABANDO: Confi-
ordem tributária previstos nos incisos I a IV do
gura crime de contrabando (art. 334-A do CP)
art. 1º da Lei nº 8.137/90. A constituição regular
a importação de colete à prova de balas sem
e definitiva do crédito tributário é suficiente para
prévia autorização do Comando do Exército.
tipificar as condutas previstas no art. 1º, I a IV,
STJ. 6ª Turma. RHC 62.851-PR, Rel. Min. Sebas-
da Lei nº 8.137/90, não influenciando em nada,
tião Reis Júnior, julgado em 16/2/2016 (Info 577).
para fins penais, o fato de ter sido reconhecida
a prescrição tributária. STJ. 5ª Turma. AgRg no »» #IMPORTANTE – CRIMES DO ECA: Foto-
AREsp 202.617/DF, Rel. Min. Campos Marques grafar cena e armazenar fotografia de criança
(Des. Conv. do TJ/PR), julgado em 11/04/2013. ou adolescente em poses nitidamente sensuais,

13 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

com enfoque em seus órgãos genitais, ainda Súmula 512-STJ: A aplicação da causa de dimi-
que cobertos por peças de roupas, e incontro- nuição de pena prevista no art. 33, § 4º, da Lei
versa finalidade sexual e libidinosa, adequam- n. 11.343/2006 não afasta a hediondez do crime
-se, respectivamente, aos tipos do art. 240 e de tráfico de drogas.
241-B do ECA. Portanto, configuram os crimes
»» CRIME DE FURTO – LEI 13.330/16: a Lei
dos arts. 240 e 241-B do ECA quando fica clara
13330, que acrescentou o §6º ao art. 155 do CP,
a finalidade sexual e libidinosa de fotografias
ou seja, ao crime de furto, e incluiu o art. 180-A,
produzidas e armazenadas pelo agente, com
com as seguintes redações:
enfoque nos órgãos genitais de adolescente -
ainda que cobertos por peças de roupas -, e de
Furto
poses nitidamente sensuais, em que explora-
da sua sexualidade com conotação obscena e Art. 155 – Subtrair, para si ou para outrem,
pornográfica. STJ. 6ª Turma. REsp 1.543.267-SC, coisa alheia móvel:
Rel. Min. Maria Thereza de Assis Moura, julga-
Pena – reclusão, de um a quatro anos, e multa.
do em 3/12/2015 (Info 577).
(…)
»» SÚMULA 574-STJ: Para a configuração
do delito de violação de direito autoral e a § 6º  A pena é de reclusão de 2 (dois) a 5
comprovação de sua materialidade, é suficiente (cinco) anos se a subtração for de semovente
a perícia realizada por amostragem do produto domesticável de produção, ainda que abatido
apreendido, nos aspectos externos do material, ou dividido em partes no local da subtração.
e é desnecessária a identificação dos titulares (Incluído pela Lei nº 13330, de 2016)
dos direitos autorais violados ou daqueles que
Art. 180-A. Adquirir, receber, transportar,
os representem.
conduzir, ocultar, ter em depósito ou vender,
»» LEI DE DROGAS: O chamado “tráfico privi- com a finalidade de produção ou de comer-
legiado”, previsto no § 4º do art. 33 da Lei cialização, semovente domesticável de
nº 11.343/2006 (Lei de Drogas), não deve ser produção, ainda que abatido ou dividido em
considerado crime equiparado a hediondo. partes, que deve saber ser produto de crime:
(Incluído pela Lei nº 13330, de 2016)
STF. Plenário. HC 118533/MS, Rel. Min. Cármen
Lúcia, julgado em 23/6/2016 (Info 831). Pena – reclusão, de 2 (dois) a 5 (cinco) anos,
e multa. (Incluído pela Lei nº 13330, de 2016).
O STJ possui um enunciado em sentido contrá-
rio (Súmula 512-STJ). Todavia, a tendência é o
entendimento da Súmula ser superado com a »» CLONAGEM DE CARTÃO DE CRÉDITO: A
mudança de entendimento do STF. Lei nº 12.737/2012 acrescentou o parágrafo
único ao art. 298 do CP prevendo o seguin-

14 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

te: Art. 298. Falsificar, no todo ou em parte, pratica atividade clandestina de telecomunica-
documento particular ou alterar documento ção (art. 183 da Lei nº 9.472/97), de modo que
particular verdadeiro: (...) Parágrafo único. Para a tipicidade da conduta está presente, deven-
fins do disposto no caput, equipara-se a docu- do ser afastada a aplicação do princípio da
mento particular o cartão de crédito ou débito. insignificância mesmo que, no caso concreto,
Ocorre que mesmo antes da edição da Lei nº a potência fosse inferior a 25 watts, o que é
12.737/2012 a jurisprudência do STJ já conside- considerado baixa potência, nos termos do art.
rava que cartão bancário poderia se amoldar 1º, § 1º, da Lei nº 9.612/98. STF. 1ª Turma. HC
ao conceito de “documento”. Assim, a inser- 118400/RO, Rel. Min. Marco Aurélio, julgado em
ção do parágrafo único no art. 298 do Código 04/10/2016 (Info 842).
Penal apenas confirmou que cartão de crédito/
»» CONFISSÃO. A confissão, mesmo que quali-
débito é considerado documento, sendo a Lei
ficada, dá ensejo à incidência da atenuante
nº 12.737/2012 considerada como lei interpre-
prevista no art. 65, III, d, do CP, quando utilizada
tativa exemplificativa. Logo, ainda que prati-
para corroborar o acervo probatório e funda-
cada antes da Lei nº 12.737/2012, a conduta
mentar a condenação. STJ. 3ª Seção. EREsp
de falsificar, no todo ou em parte, cartão de
1.416.247-GO, Rel. Min. Ribeiro Dantas, julga-
crédito ou débito é considerada como crime de
do em 22/6/2016 (Info 586). #IMPORTANTE:
falsificação de documento particular (art. 298
Deve-se recordar o entendimento sumulado
do CP). STJ. 6ª Turma. REsp 1.578.479-SC, Rel.
do STJ sobre o tema: Súmula 545-STJ: Quan-
Min. Maria Thereza de Assis Moura, Rel. para
do a confissão for utilizada para a formação
acórdão Min. Rogerio Schietti Cruz, julgado em
do convencimento do julgador, o réu fará jus à
2/8/2016 (Info 591).
atenuante prevista no artigo 65, III, d, do Códi-
»» ESTATUTO DO DESARMAMENTO: A posse go Penal.
(art. 12 da Lei nº 10.826/2003) ou o porte (art.
»» ESTUPRO DE VULNERÁVEL. O agente que
14) de arma de fogo configura crime mesmo passa as mãos nas coxas e seios da vítima
que ela esteja desmuniciada. Da mesma forma, menor de 14 anos, por dentro de sua roupa,
a posse ou o porte apenas da munição (ou seja, pratica, em tese, o crime de estupro de vulne-
desacompanhada da arma) configura crime. rável (art. 217-A do CP). Não importa que não
Isso porque tal conduta consiste em crime de tenha havido penetração vaginal (conjunção
perigo abstrato, para cuja caracterização não carnal). STF. 1ª Turma. RHC 133121/DF, rel. orig.
importa o resultado concreto da ação. STF. 1ª Min. Marco Aurélio, red. p/o acórdão Min.
Turma. HC 131771/RJ, Rel. Min. Marco Aurélio, Edson Fachin julgado em 30/8/2016 (Info 837).
julgado em 18/10/2016 (Info 844).
»» DOSIMETRIA 
- AUMENTO DA PENA-BASE
»» PRINCÍPIO DA INSIGNIFICÂNCIA: O réu PELO FATO DE A CONCUSSÃO TER SIDO
que disponibiliza provedor de internet sem fio PRATICADA POR POLICIAL. É legítima a

15 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

utilização da condição pessoal de policial ainda que praticados na forma simples. Em


civil como circunstância judicial desfavorá- outras palavras, seja antes ou depois da Lei no
vel para fins de exasperação da pena-base 12.015/2009, toda e qualquer forma de estupro
aplicada a acusado pela prática do crime (ou atentado violento ao pudor) é considerada
de concussão. Aquele que está investido de crime hediondo, sendo irrelevante que a prá-
parcela de autoridade pública — como é o caso tica de qualquer deles tenha causado, ou não,
de um juiz, um membro do Ministério Público lesões corporais de natureza grave ou morte.
ou uma autoridade policial — deve ser avalia- STF. 1a Turma. HC 100612/SP, rel. orig. Min.
do, no desempenho da sua função, com maior Marco Aurélio, red. p/ o acórdão Min. Roberto
rigor do que as demais pessoas não ocupantes Barroso, julgado em 16/8/2016 (Info 835).
de tais cargos. STF. 1a Turma. HC 132990/PE,
»» ROUBO. CONSUMAÇÃO. Súmula 582, STJ:
rel. orig. Min. Luiz Fux, red. p/ o acórdão Min.
Consuma-se o crime de roubo com a inver-
Edson Fachin, julgado em 16/8/2016 (Info 835).
são da posse do bem mediante emprego de
»» DOSIMETRIA 
- IMPOSSIBILIDADE DE violência ou grave ameaça, ainda que por breve
AUMENTO DA PENA PELO CUSTO DA tempo e em seguida à perseguição imediata ao
INVESTIGAÇÃO. Os elevados custos da atua- agente e recuperação da coisa roubada, sendo
ção estatal para apuração da conduta crimi- prescindível a posse mansa e pacífica ou desvi-
nosa e o enriquecimento ilícito obtido pelo giada. #SÚMULANOVA #STJ
agente não constituem motivação idônea para
a valoração negativa do vetor “consequências »» ESTUPRO DE VULNERÁVEL. A conduta de
do crime” na 1ª fase da dosimetria da pena. Em contemplar lascivamente, sem contato físi-
outras palavras, o fato de o Estado ter gasto co, mediante pagamento, menor de 14 anos
muitos recursos para investigar os crimes (no desnuda em motel pode permitir a deflagra-
caso, era uma grande operação policial) e de ção da ação penal para a apuração do delito
o réu ter obtido enriquecimento ilícito com as de estupro de vulnerável. Segundo a posição
práticas delituosas não servem como motivo majoritária na doutrina, a simples contempla-
para aumentar a pena-base. STF. 2ª Turma. HC ção lasciva já configura o “ato libidinoso” descri-
134193/GO, Rel. Min. Dias Toffoli, julgado em to nos arts. 213 e 217-A do Código Penal, sendo
26/10/2016 (Info 845). irrelevante, para a consumação dos delitos, que
haja contato físico entre ofensor e ofendido.
»» CRIMES HEDIONDOS - NATUREZA STJ. 5ª Turma. RHC 70.976-MS, Rel. Min. Joel
HEDIONDA DO ESTUPRO E DO ANTIGO Ilan Paciornik, julgado em 2/8/2016 (Info 587).
ATENTADO VIOLENTO AO PUDOR. Os
crimes de estupro e atentado violento ao pudor, »» DESCAMINHO. Quando o falso se exaure no
mesmo que cometidos antes da edição da Lei descaminho, sem mais potencialidade lesiva, é
no 12.015/2009, são considerados hediondos, por este absorvido, como crime-fim, condição

16 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

que não se altera por ser menor a pena a este (Código Penal). #NOVIDADELEGISLATIVA è
cominada. STJ. 3ª Seção. REsp 1.378.053-PR, As principais mudanças no CP foram:
Rel. Min. Nefi Cordeiro, julgado em 10/8/2016
»» LIVRAMENTO CONDICIONAL: Art. 83. V -
(Info 587). #IMPORTANTE
cumpridos mais de dois terços da pena, nos
»» LAVAGEM DE DINHEIRO. É possível a inter- casos de condenação por crime hediondo,
posição de apelação, com fundamento no art. prática de tortura, tráfico ilícito de entorpe-
593, II, do CPP, contra decisão que tenha deter- centes e drogas afins, tráfico de pessoas e
minado medida assecuratória prevista no art. terrorismo, se o apenado não for reincidente
4º, caput, da Lei nº 9.613/98 (Lei de lavagem específico em crimes dessa natureza.
de Dinheiro), a despeito da possibilidade de
»» CRIME DE TRÁFICO DE PESSOAS: Art. 149-A. 
postulação direta ao juiz constritor objetivando
Agenciar, aliciar, recrutar, transportar, trans-
a liberação total ou parcial dos bens, direitos ou
ferir, comprar, alojar ou acolher pessoa,
valores constritos (art. 4º, §§ 2º e 3º, da mesma
mediante grave ameaça, violência, coação,
Lei). O indivíduo que sofreu os efeitos da medi-
fraude ou abuso, com a finalidade de: I -
da assecuratória prevista no art. 4º da Lei nº
remover-lhe órgãos, tecidos ou partes do
9.613/98 tem a possibilidade de postular dire-
corpo; II - submetê-la a trabalho em condi-
tamente ao juiz a liberação total ou parcial dos
ções análogas à de escravo; III - submetê-la a
bens, direitos ou valores constritos. No entanto,
qualquer tipo de servidão; IV - adoção ilegal;
isso não proíbe que ele decida não ingressar
ou V - exploração sexual. Pena - reclusão, de
com esse pedido perante o juízo de 1º instância
4 (quatro) a 8 (oito) anos, e multa. § 1o A pena
e queira, desde logo, interpor apelação contra
é aumentada de um terço até a metade se: I -
a decisão proferida, na forma do art. 593, II, do
o crime for cometido por funcionário público
CPP. STJ. 5ª Turma. REsp 1.585.781-RS, Rel. Min.
no exercício de suas funções ou a pretexto de
Felix Fischer, julgado em 28/6/2016 (Info 587).
exercê-las;  II - o crime for cometido contra
»» LEI 13.344/2016: Em 06 de outubro de criança, adolescente ou pessoa idosa ou
2016, foi editada a Lei 13.344/2016, que dispõe com deficiência; III - o agente se prevalecer
sobre prevenção e repressão ao tráfico interno de relações de parentesco, domésticas, de
e internacional de pessoas e sobre medidas de coabitação, de hospitalidade, de dependên-
atenção às vítimas; altera a Lei no 6.815, de 19 cia econômica, de autoridade ou de supe-
de agosto de 1980 (Estatuto do Estrangeiro), o rioridade hierárquica inerente ao exercício de
Decreto-Lei no 3.689, de 3 de outubro de 1941 emprego, cargo ou função; ou IV - a vítima
(Código de Processo Penal), e o Decreto-Lei do tráfico de pessoas for retirada do territó-
no 2.848, de 7 de dezembro de 1940 (Código rio nacional. § 2o A pena é reduzida de um
Penal); e revoga art. 231 e art. 231-A do Decre- a dois terços se o agente for primário e não
to-Lei no  2.848, de 7 de dezembro de 1940 integrar organização criminosa.” 

17 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

»» REVOGAÇÃO: Arts. 231 e 231-A do Decre- Sebastião Reis Júnior, julgado em 28/6/2016


to-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940 (Info 590).
(Código Penal).
»» LESÃO CORPORAL: A lesão corporal que
»» ARREPENDIMENTO POSTERIOR: Não se provoca na vítima a perda de dois dentes tem
aplica o instituto do arrependimento poste- natureza grave (art. 129, § 1º, III, do CP), e não
rior (art. 16 do CP) para o homicídio culposo gravíssima (art. 129, § 2º, IV, do CP). A perda
na direção de veículo automotor (art. 302 do de dois dentes pode até gerar uma debilidade
CTB) mesmo que tenha sido realizada compo- permanente (§ 1º, III), ou seja, uma dificuldade
sição civil entre o autor do crime a família da maior da mastigação, mas não configura defor-
vítima. Para que seja possível aplicar a causa midade permanente (§ 2º, IV). § 1º Se resulta:
de diminuição de pena prevista no art. 16 do III - debilidade permanente de membro, senti-
CP é indispensável que o crime praticado seja do ou função; § 2º Se resulta: IV - deformida-
patrimonial ou possua efeitos patrimoniais. O de permanente; STJ. 6ª Turma. REsp 1.620.158-
arrependimento posterior exige a reparação do RJ, Rel. Min. Rogerio Schietti Cruz, julgado em
dano e isso é impossível no caso do homicí- 13/9/2016 (Info 590)
dio. STJ. 6ª Turma. REsp 1.561.276-BA, Rel. Min.

04. PROCESSO PENAL

»» INTERCEPTAÇÃO TELEFÔNICA: Ausência tipo previsto no art. 149 do CP caracteriza-se


de autos apartados configura mera irregula- como crime contra a organização do traba-
ridade. STF. 1ª Turma. HC 128102/SP, Rel. Min. lho e, portanto, atrai a competência da justi-
Marco Aurélio, julgado em 9/12/2015 (Info 811). ça federal (art. 109, VI, da CF/88). STF. Plená-
rio. RE 459510/MT, rel. orig. Min. Cezar Peluso,
»» HABEAS CORPUS: Não é cabível habeas
red. p/ o acórdão Min. Dias Toffoli, julgado em
corpus para o reexame dos pressupostos de
26/11/2015 (Info 809)
admissibilidade dos recursos. A jurisprudência
admite o “habeas corpus substitutivo”? • STJ e 1ª »» PRODUÇÃO ANTECIPADA DE PROVA: Oitiva
Turma do STF: NÃO (mas pode ser conhecido antecipada de testemunhas apenas pelo fato
habeas corpus de ofício). • 2ª Turma do STF: de serem policiais. A oitiva das testemunhas que
SIM. são policiais é considerada como prova urgente
para os fins do art. 366 do CPP? 1ª corrente:
»» COMPETÊNCIA: Compete à justiça federal
SIM. O fato de o agente de segurança pública
processar e julgar o crime de redução à condi-
atuar constantemente no combate à criminali-
ção análoga à de escravo (art. 149 do CP). O

18 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

dade faz com que ele presencie crimes diaria- realização do interrogatório ao final da instru-
mente. Em virtude disso, os detalhes de cada ção criminal, prevista no art. 400 do CPP, na
uma das ocorrências acabam se perdendo em redação dada pela Lei nº 11.719/2008, também
sua memória. Existem vários precedentes do se aplica às ações penais em trâmite na Justiça
STJ nesse sentido. 2ª corrente: NÃO. Não serve Militar, em detrimento do art. 302 do Decreto-
como justificativa a alegação de que as teste- -Lei nº 1.002/69. Logo, na hipótese de crimes
munhas são policiais responsáveis pela prisão, militares, o interrogatório também deve ser
cuja própria atividade contribui, por si só, para realizado depois da oitiva das testemunhas,
o esquecimento das circunstâncias que cercam ao final da instrução. Obs: este entendimen-
a apuração da suposta autoria de cada infração to acima só se tornou obrigatório a partir de
penal. STF. 2ª Turma. HC 130038/DF, Rel. Min. 10/03/2016. Os interrogatórios realizados antes
Dias Toffoli, julgado em 3/11/2015 (Info 806). desta data são válidos, ainda que não tenham
observado o art. 400 do CPP, ou seja, ainda que
»» COMPETÊNCIA. Compete à Justiça Federal
tenham sido realizados como primeiro ato da
processar e julgar os crimes consistentes em
instrução. STF. Plenário. HC 127900/AM, Rel.
disponibilizar ou adquirir material pornográ-
Min. Dias Toffoli, julgado em 3/3/2016 (Info 816).
fico envolvendo criança ou adolescente (arts.
241, 241-A e 241-B do ECA), quando praticados »» EXECUÇÃO PROVISÓRIA DA PENA: A execu-
por meio da rede mundial de computadores ção provisória de acórdão penal condenató-
(internet). STF. Plenário. RE 628624/MG, Rel. rio proferido em grau de apelação, ainda que
Orig. Min. Marco Aurélio, Red. p/ o acórdão sujeito a recurso especial ou extraordinário,
Min. Edson Fachin, julgado em 28 e 29/10/2015 não compromete o princípio constitucional da
(repercussão geral) (Info 805). A competência presunção de inocência. Em outras palavras, é
territorial é da Seção Judiciária do local onde o possível o início da execução da pena conde-
réu publicou as fotos, não importando o Esta- natória após a prolação de acórdão condena-
do onde se localize o servidor do site: STJ. CC tório em 2º grau e isso não ofende o princípio
29.886/SP, julgado em 12/12/2007. constitucional da presunção da inocência. STF.
»» #IMPORTANTE – INDICIAMENTO – LEGITIMI- Plenário. HC 126292/SP, Rel. Min. Teori Zavascki,
DADE: o indiciamento é atribuição exclusiva da julgado em 17/2/2016 (Info 814).
autoridade policial (delegado), não podendo »» HABEAS CORPUS: NÃO é cabível habeas
ser determinado por magistrado. corpus em face de decisão monocrática profe-
»» PROCEDIMENTO. INTERROGATÓRIO COMO rida por Ministro do STF. STF. Plenário. HC
ÚLTIMO ATO PROCESSUAL. A exigência de 105959/DF, rel. orig. Min. Marco Aurélio, red.
realização do interrogatório ao final da instru- p/ o acórdão Min. Edson Fachin, julgado em
ção criminal, conforme o art. 400 do CPP, é 17/2/2016 (Info 814).
aplicável no âmbito de processo penal militar. A »» INTERCEPTAÇÃO TELEFÔNICA: A título de

19 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

prova emprestada, a interceptação telefônica essa prova (exs: denúncia, pronúncia etc.) não
pode ser usada em processo civil e administra- devem ser desentranhadas e substituídas. A
tivo (STF, Pet. 3683 QO-MG). denúncia, a sentença de pronúncia e as demais
»» #IMPORTANTE – As alterações provocadas peças judiciais não são “provas” do crime e, por
pela lei 13.245/2016 no inquérito policial: essa razão, estão fora da regra que determina
a exclusão das provas obtidas por meios ilíci-
◉◉ A lei nº 13.245/2016: da relativização do sigi- tos prevista art. 157 do CPP. STF. 2ª Turma. RHC
lo e do caráter inquisitivo nas investigações 137368/PR, Rel. Min. Gilmar Mendes, julgado
criminais. em 29/11/2016 (Info 849).
◉◉ A Lei nº 13.257/2016 alterou as hipóteses de »» PRINCÍPIO DA INSIGINIFICÂNCIA E REVISÃO
prisão domiciliar previstas nos incisos IV, V e DE VÉSPERA – ESTATUTO DO DESARMAMEN-
VI do art. 318 do CPP. TO: É atípica a conduta daquele que porta, na
forma de pingente, munição desacompanhada
»» PROVAS EM ESPÉCIE: As notícias anônimas
de arma. STF. 2ª Turma. HC 133984/MG, Rel.
(“denúncias anônimas”) não autorizam, por si
Min. Cármen Lúcia, julgado em 17/5/2016 (Info
sós, a propositura de ação penal ou mesmo,
826).
na fase de investigação preliminar, o emprego
de métodos invasivos de investigação, como »» COMPETÊNCIA FEDERAL: O fato de o delito
interceptação telefônica ou busca e apreen- ter sido cometido por brasileiro no exterior, por
são. Entretanto, elas podem constituir fonte si só, não atrai a competência da justiça fede-
de informação e de provas que não podem ral. STF. 1ª Turma. HC 105461/SP, Rel. Min. Marco
ser simplesmente descartadas pelos órgãos do Aurélio, julgado em 29/3/2016 (Info 819).
Poder Judiciário.
»» HABEAS CORPUS: Não cabe HC para se discu-
»» PROVAS. É ilícita a devassa de dados, bem tir se houve dolo eventual ou culpa consciente
como das conversas de whatsapp, obtidos dire- em homicídio praticado na direção de veículo
tamente pela polícia em celular apreendido no automotor. STF. 2ª Turma. HC 132036/SE, Rel.
flagrante, sem prévia autorização judicial. STJ. Min. Cármen Lúcia, julgado em 29/3/2016 (Info
6ª Turma. RHC 51.531-RO, Rel. Min. Nefi Cordei- 819).
ro, julgado em 19/4/2016 (Info 583). »» TEORIA GERAL DA PROVA. PROVA EMPRES-
»» PROVAS. As peças processuais que fazem refe- TADA: Não é nula a condenação criminal
rência à prova declarada ilícita não devem ser lastreada em prova produzida no âmbito da
desentranhadas do processo. Se determina- Receita Federal do Brasil por meio da obtenção
da prova é considerada ilícita, ela deverá ser de informações de instituições financeiras sem
desentranhada do processo. Por outro lado, prévia autorização judicial de quebra do sigi-
as peças do processo que fazem referência a lo bancário. Isso porque o STF decidiu que são

20 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

constitucionais os arts. 5º e 6º da LC 105/2001, »» #IMPORTANTE – PRISÕES: Não cabe recla-


que permitem o acesso direto da Receita Fede- mação por uso indevido de algemas se este
ral à movimentação financeira dos contribuin- ocorreu por ordem de autoridade policial. STF.
tes. STF. 2ª Turma. RHC 121429/SP, Rel. Min. Dias 1ª Turma. Rcl 7116/PE, Rel. Min. Marco Aurélio,
Toffoli, julgado em 19/4/2016 (Info 822). julgado em 24/5/2016 (Info 827). #POLÊMICO.
»» #IMPORTANTE – INQUÉRITO POLICIAL. INDI- »» RECURSOS: No julgamento de apelação inter-
CIAMENTO: Em regra, a autoridade com foro posta pelo Ministério Público contra sentença
por prerrogativa de função pode ser indicia- de absolvição sumária, o Tribunal não poderá
da. Existem duas exceções previstas em lei de analisar o mérito da ação penal para conde-
autoridades que não podem ser indiciadas: nar o réu. Isso viola os princípios do juiz natu-
a) Magistrados (art. 33, parágrafo único, da ral, do devido processo legal, da ampla defe-
LC 35/79); b) Membros do Ministério Público sa e do duplo grau de jurisdição. Neste caso,
(art. 18, parágrafo único, da LC 75/73 e art. 40, entendendo que não era hipótese de absolvi-
parágrafo único, da Lei nº 8.625/93). Excetua- ção sumária, o Tribunal deverá dar provimen-
das as hipóteses legais, é plenamente possível to ao recurso para determinar o retorno dos
o indiciamento de autoridades com foro por autos ao juízo de primeiro grau, a fim de que
prerrogativa de função. No entanto, para isso, o processo prossiga normalmente, com a reali-
é indispensável que a autoridade policial obte- zação da instrução e demais atos processuais,
nha uma autorização do Tribunal competente até a prolação de nova sentença pelo magistra-
para julgar esta autoridade. Ex: em um inqué- do. STJ. 6ª Turma. HC 260.188-AC, Rel. Min. Nefi
rito criminal que tramita no STJ para apurar Cordeiro, julgado em 8/3/2016 (Info 579).
crime praticado por Governador de Estado, o
»» RECURSOS. APELAÇÃO: A matéria suscitada
Delegado de Polícia constata que já existem
em apelação criminal interposta pelo Ministé-
elementos suficientes para realizar o indicia-
rio Público deve ser apreciada quando, embo-
mento do investigado. Diante disso, a autorida-
ra não tenha sido especificada na petição de
de policial deverá requerer ao Ministro Relator
interposição, fora explicitamente delimitada e
do inquérito no STJ autorização para realizar o
debatida nas razões recursais. STJ. 6ª Turma. HC
indiciamento do referido Governador. Chamo
263.087-SP, Rel. Min. Nefi Cordeiro, julgado em
atenção para o fato de que não é o Ministro
17/3/2016 (Info 580).
Relator quem irá fazer o indiciamento. Este ato
é privativo da autoridade policial. O Ministro »» RECURSOS. HABEAS CORPUS. É admissível a
Relator irá apenas autorizar que o Delegado interposição de recurso ordinário para impug-
realize o indiciamento. STF. Decisão monocrá- nar acórdão de Tribunal de Segundo Grau
tica. HC 133835 MC, Rel. Min. Celso de Mello, concessivo de ordem de habeas corpus na
julgado em 18/04/2016 (Info 825). hipótese em que se pretenda questionar even-

21 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

tual excesso de medidas cautelares fixadas por TJ, que manteve a sentença. Em seguida, ele
ocasião de deferimento de liberdade provisó- interpôs recurso especial ao STJ, que conhe-
ria. A CF/88 não prevê o cabimento de recurso ceu do Resp (examinou o mérito), mas negou
ordinário contra a decisão concessiva de HC. provimento, mantendo a condenação. Houve
No entanto, ainda que a liberdade provisória o trânsito em julgado. Contra o acórdão do
tenha sido concedida, se as medidas cautelares STJ, o réu impetrou habeas corpus no STF. A 1ª
impostas ao réu se mostram excessivas, ele terá Turma do STF conheceu do habeas corpus, mas
interesse em interpor recurso ordinário, sendo não concedeu a ordem por entender que não
este o instrumento adequado para impugnar houve ilegalidade. A competência para julgar
a decisão. STJ. 5ª Turma. RHC 65.974-SC, Rel. eventual revisão criminal será do STJ. STJ. 3ª
Min. Reynaldo Soares da Fonseca, julgado em Seção. RvCr 2.877-PE, Rel. Min. Gurgel de Faria,
10/3/2016 (Info 579). julgado em 25/2/2016 (Info 578).

»» PENA: Se o réu estava cumprindo pena priva- »» #IMPORTANTE – DENÚNCIA: Se o magistra-


tiva de liberdade pelo crime 1 e, em outra ação do constatar que o MP não apresentou rol de
penal, recebeu medida de segurança de inter- testemunhas, poderá determinar a sua intima-
nação pela prática do crime 2, isso não significa ção para que emende a denúncia e indique
que a pena privativa de liberdade que estava testemunhas a serem ouvidas? ♣ SIM. Posição
sendo executada deva ser convertida em medi- da 5ª Turma do STJ. A intimação do Ministério
da de segurança. Neste caso, após terminar de Público para que indique as provas que preten-
cumprir a medida de internação, não há óbice de produzir em Juízo e a juntada do rol de teste-
que seja determinado o cumprimento da pena munhas pela acusação, após a apresentação da
privativa da liberdade remanescente. Isso não denúncia, mas antes da formação da relação
viola o sistema vicariante, considerando que processual, não são causas, por si sós, de nuli-
este somente proíbe a imposição cumulativa dade absoluta. STJ. 5ª Turma. RHC 37.587-SC,
ou sucessiva de pena e medida de segurança Rel. Min. Reynaldo Soares da Fonseca, julga-
referente a um mesmo fato. No caso concre- do em 16/2/2016 (Info 577). ♣ NÃO. Posição
to, eram dois fatos distintos. STJ. 6ª Turma. HC da 6ª Turma do STJ. Isso é causa de nulidade
275.635-SP, Rel. Min. Nefi Cordeiro, julgado em considerando que, se o MP não apresenta o rol
8/3/2016 (Info 579). na denúncia, haverá preclusão. Além disso, a
iniciativa probatória do magistrado no proces-
»» COMPETÊNCIA. HABEAS CORPUS. O julga-
so penal deverá ocorrer apenas de maneira
mento pelo STF de HC impetrado contra deci-
subsidiária. STJ. 6ª Turma. RHC 45.921/SP, Rel.
são proferida em recurso especial não afasta,
Min. Maria Thereza de Assis Moura, julgado em
por si só, a competência do STJ para proces-
16/12/2014.
sar e julgar posterior revisão criminal. João foi
condenado em 1ª instância, tendo apelado ao »» #IMPORTANTE – PROVAS. INQUÉRITO POLI-

22 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

CIAL: Os dados bancários entregues à autorida- rência do ato infracional. STJ. 3ª Seção. RHC
de fiscal pela sociedade empresária fiscalizada, 63.855-MG, Rel. Min. Nefi Cordeiro, Rel. para
após regular intimação e independentemente acórdão Min. Rogerio Schietti Cruz, julgado em
de prévia autorização judicial, podem ser utili- 11/5/2016 (Info 585).
zados para subsidiar a instauração de inquérito
»» SÚMULA VINCULANTE 56: A falta de esta-
policial para apurar suposta prática de crime
belecimento penal adequado não autoriza a
contra a ordem tributária. STJ. 5ª Turma. RHC
manutenção do condenado em regime prisio-
66.520-RJ, Rel. Min. Jorge Mussi, julgado em
nal mais gravoso, devendo-se observar, nessa
2/2/2016 (Info 577).
hipótese, os parâmetros fixados no RE 641.320/
»» #IMPORTANTE – NULIDADE: Não gera nuli- RS.STF. Plenário. Aprovada em 29/06/2016.
dade do processo o fato de, em audiência de
»» PRISÃO: O Marco Legal da Primeira Infância
instrução, o magistrado, após o registro da
(Lei nº 13.257/2016), ao alterar as hipóteses
ausência do representante do MP (que, mesmo
autorizativas da concessão de prisão domiciliar,
intimado, não compareceu), complementar a
permite que o juiz substitua a prisão preventiva
inquirição das testemunhas realizada pela defe-
pela domiciliar quando o agente for gestan-
sa, sem que o defensor tenha se insurgido no
te ou mulher com filho até 12 anos de idade
momento oportuno nem demonstrado efetivo
incompletos (art. 318, IV e V, do CPP). STF. 2ª
prejuízo. STJ. 6ª Turma. REsp 1.348.978-SC, Rel.
Turma. HC 134069/DF, Rel. Min. Gilmar Mendes,
Min. Rogerio Schietti Cruz, Rel. para acórdão
julgado em 21/6/2016 (Info 831).
Min. Nefi Cordeiro, julgado em 17/12/2015 (Info
577). »» PROVAS: A utilização pelo Ministério Público
de documentos enviados por outros países
»» #IMPORTANTE – PRISÃO: A prática de atos
para fins de investigação por meio de coope-
infracionais anteriores serve para justificar a
ração jurídica internacional é legítima mesmo
decretação ou manutenção da prisão preven-
não havendo ainda legislação específica no
tiva como garantia da ordem pública, consi-
Brasil regulamentando o tema. Isso porque a
derando que indicam que a personalidade
transferência de procedimento criminal encon-
do agente é voltada à criminalidade, havendo
tra abrigo em convenções internacionais sobre
fundado receio de reiteração. Não é qualquer
cooperação jurídica, cujas normas, quando rati-
ato infracional, em qualquer circunstância, que
ficadas, assumem status de lei federal.
pode ser utilizado para caracterizar a periculo-
sidade e justificar a prisão antes da sentença. É »» Dessa forma, é legítima a providência da auto-
necessário que o magistrado analise: a) a gravi- ridade brasileira de, com base em material
dade específica do ato infracional cometido; probatório obtido da Confederação Suíça, por
b) o tempo decorrido entre o ato infracional e sistema de cooperação jurídica internacional,
o crime; e c) a comprovação efetiva da ocor- investigar e processar o congressista em ques-

23 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

tão pelo delito de evasão de divisas, já que se agir, atuava de forma parcial. Se o próprio juiz,
trata de fato delituoso diretamente vinculado à ao perceber que o advogado do investigado foi
persecução penal objeto da cooperação, que indevidamente “grampeado”, anula as grava-
tem como foco central delitos de corrupção e ções envolvendo o profissional e, na senten-
lavagem de capitais. ça, não utiliza nenhuma dessas conversas nem
qualquer prova derivada delas, não há motivo
»» STF. Plenário. Inq 4146/DF, Rel. Min. Teori
para se anular a condenação imposta. STF. 2ª
Zavascki, julgado em 22/6/2016 (Info 831).
Turma. HC 129706/PR, Rel. Min. Gilmar Mendes,
»» #IMPORTANTE – NOTICIA CRIMINIS: A julgado em 28/6/2016 (Info 832).
Delegacia da Receita Federal deve enviar ao
»» COMUTAÇÃO DE PENA: O benefício da comu-
Ministério Público Federal os autos das repre-
tação de penas previsto no Decreto de indulto
sentações fiscais para fins penais relativas aos
natalino deve ser negado quando o apena-
crimes contra a ordem tributária previstos na
do tiver praticado falta disciplinar de natureza
Lei no 8.137/1990 e aos crimes contra a previ-
grave nos 12 meses anteriores à publicação
dência social (arts. 168-A e 337-A do CP) após
do Decreto, mesmo que a respectiva decisão
proferida a decisão final, na esfera administra-
homologatória tenha sido proferida posterior-
tiva, sobre a exigência fiscal do crédito tribu-
mente.
tário correspondente, mesmo quando houver
afastamento de multa agravada. STJ. 2a Turma. »» Assim, não terá direito de comutação de pena,
REsp 1.569.429-SP, Rel. Min. Herman Benjamin, o apenado que praticar falta grave no lapso de
julgado em 5/5/2016 (Info 584). 12 meses anteriores à publicação do Decreto
»» #IMPORTANTE – INTERCEPTAÇÃO TELE- Presidencial, desde que homologada a falta,
FÔNICA E NULIDADES: O simples fato de o ainda que a decisão seja posterior ao Decreto.
advogado do investigado ter sido interceptado »» STJ. 3ª Seção. EREsp 1.549.544-RS, Rel. Min.
não é causa, por si só, para gerar a anulação Felix Fischer, julgado em 14/9/2016 (Info 591).
de todo o processo e da condenação que foi
»» STF. 2ª Turma. RHC 133443/SC, Rel. Min. Dias
imposta ao réu. Se o Tribunal constatar que
Toffoli, julgado em 04/10/2016 (Info 842).
houve indevida interceptação do advogado
do investigado e que, portanto, foram viola- »» STF. 2ª Turma. HC 132236/SP, Rel. Min. Dias
das as prerrogativas da defesa, essa situação Toffoli, julgado em 30/8/2016 (Info 837).
poderá gerar três consequências processuais:
»» SUSPENSÃO CONDICIONAL DO PROCES-
1ª) Cassação ou invalidação do ato judicial que
SO: O réu foi denunciado pela prática de dois
determinou a interceptação; 2ª) Invalidação dos
crimes em concurso formal. A sentença conde-
atos processuais subsequentes ao ato atentató-
nou o agente pelos dois delitos. Em embargos
rio e com ele relacionados; 3ª) Afastamento do
de declaração foi reconhecida a prescrição da
magistrado caso se demonstre que, ao assim

24 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

pretensão punitiva, pela pena em concreto, em de inocência (art. 5º, LVII, da CF/88) e não viola
relação a um dos crimes. A pena mínima do o texto do art. 283 do CPP. STF. Plenário. ADC
delito que restou é igual a 1 ano. Mesmo assim, 43 e 44 MC/DF, rel. orig. Min. Marco Aurélio,
não se poderá conceder suspensão condicional red. p/ o ac. Min. Edson Fachin, julgados em
do processo em relação a este crime remanes- 05/10/2016 (Info 842).
cente. A súmula 337 do STJ afirma: “É cabível a
»» COMPETÊNCIA. Compete à Justiça Comum
suspensão condicional do processo na desclas-
Federal - e não à Justiça Militar - processar e
sificação do crime e na procedência parcial da
julgar a suposta prática, por militar da ativa, de
pretensão punitiva.” No caso, no entanto, a
crime previsto apenas na Lei nº 8.666/93 (Lei
denúncia foi julgada totalmente procedente e
de Licitações), ainda que praticado contra a
somente após isso foi reconhecida a prescrição
administração militar. STJ. 3ª Seção. CC 146.388-
em razão da pena concreta. Assim, não houve
RJ, Rel. Min. Felix Fischer, julgado em 22/6/2016
procedência PARCIAL da pretensão punitiva,
(Info 586). #IMPORTANTE
mas sim integral, não sendo caso de incidên-
cia da Súmula 337 do STJ. STJ. 6ª Turma. REsp »» AMICUS CURIAE NO PROCESSO PENAL.
1.500.029-SP, Rel. Min. Sebastião Reis Júnior, IMPOSSIBILIDADE: Determinado Deputado
julgado em 27/9/2016 (Info 591). Federal estava respondendo a ação penal no
STF pela suposta prática do crime de peculato.
»» PRISÃO: O advogado só terá direito à prisão O partido político que ele integra requereu a
em sala de Estado-Maior se estiver no livre sua intervenção no feito como amicus curiae. O
exercício da profissão, o que não é o caso se STF indeferiu o pedido afirmando que a agre-
ele estiver suspenso dos quadros da OAB. miação partidária, autoqualificando-se como
»» Assim, decretada a prisão preventiva de advo- amicus curiae, pretendia, na verdade, ingressar
gado, este não terá direito ao recolhimento numa posição que a relação processual penal
provisório em sala de Estado Maior caso sua não admite, considerados os estritos termos
inscrição na ordem esteja suspensa. do CPP. STF. 1ª Turma. AP 504/DF, rel. orig. Min.
Cármen Lúcia, red. p/ o acórdão Min. Dias
»» STJ. 6ª Turma. HC 368.393-MG, Rel. Min. Maria
Toffoli, julgado em 9/8/2016 (Info 834).
Thereza de Assis Moura, julgado em 20/9/2016
(Info 591). »» NULIDADE. Não há que se falar em nulidade do
julgamento da apelação interposta pelo Minis-
»» #IMPORTANTE – EXECUÇÃO PROVISÓRIA DA
tério Público se a defesa, regularmente intimada
PENA/PRESUNÇÃO DE INOCÊNCIA: A execu-
para a apresentação de contrarrazões, perma-
ção provisória de acórdão penal condenató-
nece inerte. Em outras palavras, a ausência de
rio proferido em grau de apelação, ainda que
contrarrazões à apelação do Ministério Público
sujeito a recurso especial ou extraordinário, não
não é causa de nulidade por cerceamento de
ofende o princípio constitucional da presunção
defesa se o defensor constituído pelo réu foi

25 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

devidamente intimado para apresentá-las, mas não destinados a aparelhar procedimentos


não o fez. STF. 1ª Turma. RHC 133121/DF, rel. investigatórios criminais formalizados. STJ. 1ª
orig. Min. Marco Aurélio, red. p/o acórdão Min. Turma. REsp 1.439.193-RJ, Rel. Min. Gurgel de
Edson Fachin julgado em 30/8/2016 (Info 837). Faria, julgado em 14/6/2016 (Info 587).

»» HABEAS CORPUS. Não se admite habeas »» #IMPORTANTE – SEGREDO DE JUSTIÇA. No


corpus para se questionar nulidade cujo tema caso de processo penal que tramita sob segre-
não foi trazido antes do trânsito em julgado da do de justiça em razão da qualidade da vítima
ação originária e tampouco antes do trânsito
(criança ou adolescente), o nome completo do
em julgado da revisão criminal. A nulidade não
acusado e a tipificação legal do delito podem
suscitada no momento oportuno é impassível
constar entre os dados básicos do proces-
de ser arguida através de habeas corpus, no afã
so disponibilizados para consulta livre no sítio
de superar a preclusão, sob pena de transfor-
eletrônico do Tribunal, ainda que os crimes
mar o writ em sucedâneo da revisão criminal.
apurados se relacionem com pornografia
STF. 1ª Turma. RHC 124041/GO, rel. orig. Min.
infantil. Muito embora o delito de divulgação
Dias Toffoli, red. p/ o acórdão Min. Roberto
de pornografia infantil possa causar repulsa à
Barroso, julgado em 30/8/2016 (Info 837).
sociedade, não constitui violação ao direito de
»» #IMPORTANTE – CONTROLE EXTERNO DA intimidade do réu a indicação, no site da Justiça,
ATIVIDADE POLICIAL. O controle externo da do nome de acusado maior de idade e da tipi-
atividade policial exercido pelo Ministério Públi- ficação do delito pelo qual responde em ação
co Federal não lhe garante o acesso irrestrito a penal, ainda que o processo tramite sob segre-
todos os relatórios de inteligência produzidos do de justiça. STJ. 5ª Turma. RMS 49.920-SP, Rel.
pela Diretoria de Inteligência do Departamento Min. Reynaldo Soares da Fonseca, julgado em
de Polícia Federal, mas somente aos de natu- 2/8/2016 (Info 587).
reza persecutório-penal. O controle externo da
atividade policial exercido pelo Parquet deve »» PROGRESSÃO DE REGIME. O cumprimento
de pena em penitenciária federal de segurança
circunscrever-se à atividade de polícia judiciá-
máxima por motivo de segurança pública não é
ria, conforme a dicção do art. 9º da LC n. 75/93,
compatível com a progressão de regime prisio-
cabendo-lhe, por essa razão, o acesso aos
nal. STF. 2ª Turma. HC 131.649/RJ, rel. orig. Min.
relatórios de inteligência policial de natureza
Cármen Lúcia, rel. p/ac. Min. Dias Toffoli, julga-
persecutório-penal, ou seja, relacionados com
do em 6/9/2016 (Info 838).
a atividade de investigação criminal. O poder
fiscalizador atribuído ao Ministério Público não »» BUSCA E APREENSÃO. A apreensão de docu-
lhe confere o acesso irrestrito a “todos os rela- mentos no interior de veículo automotor consti-
tórios de inteligência” produzidos pelo Depar- tui uma espécie de “busca pessoal” e, portanto,
tamento de Polícia Federal, incluindo aqueles não necessita de autorização judicial quando

26 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

houver fundada suspeita de que em seu inte- minou a busca e apreensão de telefone celular
rior estão escondidos elementos necessários ou smartphone do investigado, é lícito que as
à elucidação dos fatos investigados. Exceção: autoridades tenham acesso aos dados armaze-
será necessária autorização judicial quando o nados no aparelho apreendido, especialmente
veículo é destinado à habitação do indivíduo, quando a referida decisão tenha expressamen-
como no caso de trailers, cabines de caminhão, te autorizado o acesso a esse conteúdo. STJ. 5ª
barcos, entre outros, quando, então, se inserem Turma. RHC 75.800-PR, Rel. Min. Felix Fischer,
no conceito jurídico de domicílio. STF. 2ª Turma. julgado em 15/9/2016 (Info 590).
RHC 117767/DF, Rel. Min. Teori Zavascki, julgado
»» INDENIZAÇÃO POR ERRO JUDICIÁRIO: Os
em 11/10/2016 (Info 843).
efeitos deletérios da reincidência perduram
»» CONTROLE EXTERNO DA ATIVIDADE POLI- pelo prazo máximo de cinco anos, contados da
CIAL: O Ministério Público, no exercício do data do cumprimento ou da extinção da pena
controle externo da atividade policial, pode (art. 64, I, do CP). No caso em que o reconheci-
ter acesso a ordens de missão policial (OMP). mento da reincidência tenha origem em infra-
Ressalva: no que se refere às OMPs lançadas ção anterior cuja pena tenha sido cumprida ou
em face de atuação como polícia investigativa, extinta há mais de 5 anos, deferido o pedido
decorrente de cooperação internacional exclu- revisional para diminuir a pena equivocadamen-
siva da Polícia Federal, e sobre a qual haja acor- te fixada, será devida a indenização ao conde-
do de sigilo, o acesso do Ministério Público não nado que tenha sofrido prejuízos em virtude
será vedado, mas realizado a posteriori. STJ. 1ª do erro judiciário. Ex: João praticou tráfico de
Turma. REsp 1.439.193-RJ, Rel. Min. Gurgel de drogas, foi condenado e terminou de cumprir
Faria, julgado em 14/6/2016 (Info 587). sua pena em 02/02/2010. Em 03/03/2015, ou
»» PROVAS: A obtenção do conteúdo de conver- seja, mais de 5 anos depois de ter cumprido a
sas e mensagens armazenadas em aparelho de pena, ele comete novo tráfico de drogas. João
telefone celular ou smartphones não se subor- foi condenado pelo novo tráfico e na 2ª fase
dina aos ditames da Lei nº 9.296/96. O acesso da dosimetria, o juiz aumentou a pena do réu
ao conteúdo armazenado em telefone celular reconhecendo que ele seria reincidente. Por
ou smartphone, quando determinada judicial- conta desse reconhecimento, a pena de João
mente a busca e apreensão destes aparelhos, foi aumentada em mais 1 ano. Além disso,
não ofende o art. 5º, XII, da CF/88, consideran- como reincidente específico a execução penal
do que o sigilo a que se refere esse dispositi- de João ficou submetida a critérios mais rígi-
vo constitucional é em relação à interceptação dos para progressão de regime (art. 2º, § 2º, da
telefônica ou telemática propriamente dita, ou Lei nº 8.072/90). A defesa ingressa com revisão
seja, é da comunicação de dados, e não dos criminal alegando que a sentença violou o art.
dados em si mesmos. Assim, se o juiz deter- 64, I, do CP. O Tribunal, ao julgar procedente

27 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

a revisão, deverá condenar o Poder Público a Rel. Min. Reynaldo Soares da Fonseca, julgado
indenizar o réu pelos prejuízos sofridos (art. em 22/9/2016 (Info 590).
630 do CPP). STJ. 5ª Turma. REsp 1.243.516-SP,

05. CIVIL

»» DOMICÍLIO CONTRATUAL (DIREITOS DA terá direito de receber a respectiva diferença,


PERSONALIDADE). O CPC15, por sua vez, cabendo, porém, se estipulado no contrato, o
trouxe no art. 63, caput, a cláusula de eleição prévio desconto de outras despesas ou encar-
de foro. A mudança veio no §3º: o caso passou gos pactuados.
a ser de ineficácia (escala pontiana) e não
»» DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE
de nulidade, bem como se é usado o termo
JURÍDICA: Legitimidade da pessoa jurídica
“abusiva” em sentido amplo, que vale então
para recorrer contra decisão que determina a
para contrato tanto de adesão como de consu-
desconsideração; desconsideração incidental.
mo (lembrando que eles não se confundem).
»» CONTRATOS EM ESPÉCIE: O Seguro Obriga-
»» ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA: Desnecessidade de
tório de Danos Pessoais causados por veículos
registro do contrato de alienação fiduciária de
automotores de via terrestre (DPVAT) não cobre
veículos no RTD. Quando for realizada a aliena-
os danos de acidente ocasionado por trem. STJ.
ção fiduciária de um veículo, o contrato deverá
3ª Turma. REsp 1.285.647-SC, Rel. Min. Luis Feli-
ser registrado no DETRAN e esta informação
pe Salomão, julgado em 12/4/2016 (Info 582).
constará no CRV do automóvel. É desneces-
sário o registro do contrato de alienação fidu- »» CONTRATOS EM ESPÉCIE: O fato de o bene-
ciária de veículos em cartório. STF. Plenário. RE ficiário de seguro de vida ter sido reformado
611639/RJ, Rel. Min. Marco Aurélio, julgado em pelo Exército em razão de incapacidade total
21/10/2015 (repercussão geral). STF. Plenário. para sua atividade habitual (serviço militar) não
ADI 4333/DF e ADI 4227/DF, Rel. Min. Marco implica, por si só, o direito à percepção de inde-
Aurélio, julgados em 21/10/2015 (Info 804). nização securitária em seu grau máximo quan-
do a apólice de seguro estipula que esse grau
»» ARRENDAMENTO MERCANTIL: Súmula
máximo é devido no caso de invalidez total
564-STJ: No caso de reintegração de posse
permanente para qualquer atividade laboral.
em arrendamento mercantil financeiro, quan-
STJ. 3ª Turma. REsp 1.318.639-MS, Rel. Min. João
do a soma da importância antecipada a títu-
Otávio de Noronha, julgado em 26/4/2016 (Info
lo de valor residual garantido (VRG) com o
582).
valor da venda do bem ultrapassar o total do
VRG previsto contratualmente, o arrendatário »» JUROS: Na responsabilidade civil extracontra-

28 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

tual, se houver a fixação de pensionamento do o direito à meação dos valores que foram
mensal, os juros moratórios deverão ser conta- depositados em conta vinculada ao FGTS em
bilizados a partir do vencimento de cada pres- datas anteriores à constância do casamento e
tação, e não da data do evento danoso ou da que tenham sido utilizados para aquisição de
citação. STJ. 4ª Turma. REsp 1.270.983-SP, Rel. imóvel pelo casal durante a vigência da rela-
Min. Luis Felipe Salomão, julgado em 8/3/2016 ção conjugal. STJ. 2ª Seção. REsp 1.399.199-RS,
(Info 580). Rel. Min. Maria Isabel Gallotti, Rel. para acórdão
Min. Luis Felipe Salomão, julgado em 9/3/2016
»» ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA: Em alienação fidu-
(Info 581).
ciária de bem imóvel (Lei nº 9.514/1997), é
nula a intimação do devedor para oportuni- »» LOCAÇÃO: É válida a chamada cláusula de
zar a purgação de mora realizada por meio “aluguel dúplice” (ou “13º aluguel”) nos contra-
de carta com aviso de recebimento quando tos de locação de espaço em shopping center.
esta for recebida por pessoa desconhecida e Fundamento: princípio da autonomia privada.
alheia à relação jurídica. STJ. 3ª Turma. REsp STJ. 3ª Turma. REsp 1.409.849-PR, Rel. Min. Paulo
1.531.144-PB, Rel. Min. Moura Ribeiro, julgado de Tarso Sanseverino, julgado em 26/4/2016
em 15/3/2016 (Info 580) (Info 582).

»» DIREITO DE FAMÍLIA: É válido o acordo »» #IMPORTANTE – FAMÍLIA: É possível o reco-


de alimentos celebrado pelos interessados nhecimento da paternidade socioafetiva post
na presença do magistrado e do Ministério mortem, ou seja, mesmo após a morte do
Público, mas sem a participação do advoga- suposto pai socioafetivo. STJ. 3ª Turma. REsp
do do alimentante capaz. STJ. 3ª Turma. REsp 1.500.999-RJ, Rel. Min. Ricardo Villas BôasCue-
1.584.503-SP, Rel. Min. Ricardo Villas Bôas va, julgado em 12/4/2016 (Info 581).
Cueva, julgado em 19/4/2016 (Info 582).
»» #IMPORTANTE – BEM DE FAMÍLIA: A impe-
»» DIREITO DE FAMÍLIA: O companheiro faz jus à nhorabilidade do bem de família no qual reside
cobertura de cláusula de remissão por morte de o sócio devedor não é afastada pelo fato de o
titular de plano de saúde na hipótese em que imóvel pertencer à sociedade empresária. STJ.
a referida disposição contratual faça referência 4ª Turma. EDcl no AREsp 511.486-SC, Rel. Min.
a cônjuge, sendo omissa quanto a companhei- Raul Araújo, julgado em 3/3/2016 (Info 579).
ro. STJ. 3ª Turma. REsp 1.457.254-SP, Rel. Min.
»» POSSE: #POLÊMICA É cabível o ajuizamento de
Ricardo Villas BôasCueva, julgado em 12/4/2016
ações possessórias por parte de invasor de terra
(Info 581)
pública contra outros particulares. A ocupação
»» DIREITO DE FAMÍLIA: Diante do divórcio de de área pública, sem autorização expressa e
cônjuges que viviam sob o regime da comu- legítima do titular do domínio, não pode ser
nhão parcial de bens, não deve ser reconheci- confundida com a mera detenção. Aquele que

29 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

invade terras e nela constrói sua moradia jamais invade terra pública e nela constrói sua moradia
exercerá a posse em nome alheio. Não há entre esteja exercendo a posse em nome do Poder
ele e o proprietário uma relação de depen- Público. Não está. Além disso, não há entre ele
dência ou subordinação. Ainda que a posse e o ente público uma relação de dependência
não possa ser oposta ao ente público, senhor ou de subordinação. Logo, não há que se falar
da propriedade do bem, ela pode ser oposta que o invasor tenha mera detenção. - O inva-
contra outros particulares, tornando admissí- sor possui animus domni, ou seja, age como
veis as ações possessórias entre invasores. STJ. se fosse o dono. Sabe-se que as terras públi-
3ª Turma. REsp 1.484.304-DF, Rel. Min. Moura cas não estão sujeitas à usucapião, no entan-
Ribeiro, julgado em 10/3/2016 (Info 579). - Real- to, mesmo assim o invasor age como se fosse
mente, existem acórdãos do STJ no sentido de o dono. Isso é indiscutível. Na prática, o inva-
que a ocupação de área pública sem autoriza- sor, na maioria das vezes, nem sabe quem é
ção expressa e legítima do titular do domínio o proprietário da terra e também desconhece
constitui mera detenção (STJ. 3ª Turma. REsp que não poderá adquiri-la. Ele simplesmente
998.409-DF, DJe 3/11/2009). Contudo, neste age como se fosse o dono, de forma que isso
julgado, a 3ª Turma do STJ, mesmo reconhe- caracteriza a posse. Diante desse contexto, é
cendo a existência desses precedentes, decidiu perfeitamente possível que o invasor de terras
chegar a uma posição diferentes e entender públicas proponha interditos possessórios caso
que há sim posse. - Art. 1.198. Considera-se um outro particular tente ou efetivamente
detentor aquele que, achando-se em relação consiga tomar-lhe a posse. - Vale ressaltar que
de dependência para com outro, conserva a o tema é polêmico e, como se trata apenas de
posse em nome deste e em cumprimento de uma decisão da 3ª Turma, não se pode afirmar,
ordens ou instruções suas. Ao ler esse artigo, com convicção, que tenha havido uma mudan-
percebe-se que o invasor de uma terra públi- ça de entendimento do STJ sobre o assunto.
ca não pode ser enquadrado neste conceito,
»» ALIMENTOS: Em execução de alimentos
ou seja, não pode ser considerado detentor. O
devidos a filho menor de idade, é possível o
art. 1.198 fala em “relação de dependência”, de
protesto e a inscrição do nome do devedor
forma que a posse deve ser exercida em nome
em cadastros de proteção ao crédito. Mostra-
de outrem que ostenta o jus possidendi ou o
-se juridicamente possível o pedido do credor
jus possessionis. É o caso, por exemplo, de um
para que seja realizado protesto e inclusão do
“caseiro” que mora no sítio. Este, sim, é consi-
nome do devedor de alimentos nos cadastros
derado “detentor” porque possui uma relação
de proteção ao crédito (SPC e Serasa), como
de dependência com o possuidor e conserva
medida executiva a ser adotada pelo magistra-
a posse em nome deste e em cumprimento
do para garantir a efetivação dos direitos funda-
de suas ordens. - Por outro lado, em sentido
mentais da criança e do adolescente. No CPC
contrário, não se pode dizer que a pessoa que

30 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

2015 existe previsão expressa nesse sentido (art. ção venha a ser prorrogada por prazo indeter-
528, § 1º e art. 782, §§ 3º e 4º). STJ. 3ª Turma. minado em razão da permanência do locatário
REsp 1.469.102-SP, Rel. Min. Ricardo Villas Bôas no imóvel (art. 56, parágrafo único, da Lei nº
Cueva, julgado em 8/3/2016 (Info 579). STJ. 4ª 8.245/91). STJ. 3ª Turma. REsp 1.566.231-PE, Rel.
Turma. REsp 1.533.206-MG, Rel. Min. Luis Felipe Min. Ricardo Villas Bôas Cueva, julgado em
Salomão, julgado em 17⁄11⁄2015. 1º/3/2016 (Info 578).

»» RESPONSABILIDADE CIVIL: O fato de a víti- »» INVESTIGAÇÃO DE PATERNIDADE: Mesmo


ma de ato ilícito com resultado morte possuir, nas hipóteses em que não ostente a condição
na data do óbito, idade superior à expectativa de herdeira, a viúva poderá impugnar ação
média de vida do brasileiro não afasta o direito de investigação de paternidade post mortem,
de seu dependente econômico ao recebimento devendo receber o processo no estado em que
de pensão mensal, que será devida até a data este se encontra. STJ. 4ª Turma. REsp 1.466.423-
em que a vítima atingiria a expectativa de vida GO, Rel. Min. Maria Isabel Gallotti, julgado em
prevista na tabela de sobrevida (Tábua Comple- 23/2/2016 (Info 578).
ta de Mortalidade) do IBGE vigente na data do
»» SUCESSÕES: A viúva meeira que não ostente
óbito, considerando-se, para os devidos fins, o
a condição de herdeira é parte ilegítima para
gênero e a idade da vítima. STJ. 3ª Turma. REsp
figurar no polo passivo de ação de petição de
1.311.402-SP, Rel. Min. João Otávio de Noronha,
herança na qual não tenha sido questionada
julgado em 18/2/2016 (Info 578).
a meação, ainda que os bens integrantes de
»» RESPONSABILIDADE CIVIL: A instituição finan- sua fração se encontrem em condomínio “pro
ceira deverá restituir os valores desviados por indiviso” com os bens pertencentes ao quinhão
gerente que, conquanto tivesse autorização do hereditário. STJ. 4ª Turma. REsp 1.500.756-
correntista para realizar aplicações financeiras, GO, Rel. Min. Maria Isabel Gallotti, julgado em
utilizou-se das facilidades de sua função para 23/2/2016 (Info 578).
desviar, em proveito próprio, valores constan-
»» ARRAS: Cálculo das arras confirmatórias e
tes da conta bancária do cliente. STJ. 3ª Turma.
desproporção entre a quantia paga inicialmen-
REsp 1.569.767-RS, Rel. Min. Paulo de Tarso
te e o preço ajustado: se a proporção entre a
Sanseverino, julgado em 1º/3/2016 (Info 578)
quantia paga inicialmente e o preço total ajus-
»» LOCAÇÃO: O valor estabelecido em ação revi- tado evidenciar que o pagamento inicial englo-
sional de aluguel de imóvel não residencial bava mais do que o sinal, não se pode declarar
não tem sua incidência limitada ao período a perda integral daquela quantia inicial como
compreendido entre a citação e o termo final se arras confirmatórias fosse, sendo legítima a
do contrato original de locação, devendo inci- redução equitativa do valor a ser retido. STJ. 3ª
dir até a efetiva entrega das chaves caso a loca- Turma. REsp 1.513.259-MS, Rel. Min. João Otávio

31 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

de Noronha, julgado em 16/2/2016 (Info 577). pai biológico em seu registro de nascimento,
ainda que preexista vínculo socioafetivo de
»» CONTRATO DE COMPRA E VENDA: O direito
filiação com o pai registral. STJ. 3ª Turma. REsp
de preferência previsto no art. 504 do CC apli-
1.417.598-CE, Rel. Min. Paulo de Tarso Sanseve-
ca-se ao contrato de compra e venda celebra-
rino, julgado em 17/12/2015 (Info 577).
do entre condômino e terceiro, e não àquele
ajustado entre condôminos. Art. 504. Não pode »» DPVAT: É válido o pagamento de indeni-
um condômino em coisa indivisível vender a sua zação do Seguro DPVAT aos pais - e não ao
filho - do de cujus no caso em que os genito-
parte a estranhos, se outro consorte a quiser,
res, apresentando-se como únicos herdei-
tanto por tanto. O condômino, a quem não ros, entregaram os documentos exigidos
se der conhecimento da venda, poderá, depo- pela Lei nº 6.194/74 para o aludido paga-
sitando o preço, haver para si a parte vendida mento (art. 5º, § 1º), dentre os quais certi-
a estranhos, se o requerer no prazo de cento dão de óbito que afirmava que o falecido
e oitenta dias, sob pena de decadência. STJ. 4ª era solteiro e não tinha filhos. STJ. 3ª Turma.
Turma. REsp 1.137.176-PR, Rel. Min. Marco Buzzi, REsp 1.601.533-MG, Rel. Min. João Otávio de
julgado em 16/2/2016 (Info 577). Noronha, julgado em 14/6/2016 (Info 585).

»» ARRENDAMENTO RURAL. DIREITOS REAIS. O »» NEGÓCIO JURÍDICO: Não são convalidáveis


contrato de arrendamento rural que, a despeito os negócios jurídicos celebrados com o intui-
da vedação prevista no art. 18, parágrafo único, to de alterar o quadro societário de sociedade
do Decreto nº 59.566/66, estabelece pagamen- empresária por meio da falsificação de assina-
to em quantidade de produtos agrícolas pode tura de sócio, ainda que o próprio sócio preju-
ser usado como prova escrita para instruir ação dicado pelo falso tenha, por escritura pública,
monitória. STJ. 3ª Turma. REsp 1.266.975-MG, concedido ampla, geral e irrevogável quitação,
Rel. Min. Ricardo Villas Bôas Cueva, julgado em a fim de ratificar os negócios jurídicos.
10/3/2016 (Info 580). »» STJ. 3ª Turma. REsp 1.368.960-RJ, Rel. Min. Marco
»» DOAÇÃO: É inválida a doação realizada por Aurélio Bellizze, julgado em 7/6/2016 (Info 585).
meio de procurador se o instrumento procu- »» BEM DE FAMÍLIA: O art. 3º da Lei nº 8.009/90
ratório concedido pelo proprietário do bem traz as hipóteses em que o bem de família legal
não mencionar o donatário, sendo insuficien- pode ser penhorado. O inciso V afirma que o
te a declaração de poderes gerais na procura- imóvel poderá ser penhorado, mesmo sendo
ção. STJ. 4ª Turma. REsp 1.575.048-SP, Rel. Min. bem de família, se ele foi dado como hipoteca
Marco Buzzi, julgado em 23/2/2016 (Info 577). (garantia real) de uma dívida em favor da enti-
»» #IMPORTANTE – FILIAÇÃO: O filho tem direi- dade familiar e esta, posteriormente, não foi
to de desconstituir a denominada “adoção à paga. Neste caso, o bem de família poderá ser
brasileira” para fazer constar o nome de seu alienado e seu produto utilizado para satisfazer

32 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

o credor. área do imóvel ser inferior à correspondente ao


“módulo urbano” (a área mínima a ser observa-
»» Vale ressaltar que não é necessário que a hipo-
da no parcelamento de solo urbano por deter-
teca esteja registrada no cartório de Registro
minação infraconstitucional). STJ. 4a Turma.
de Imóveis. Assim, a ausência de registro da
REsp 1.360.017-RJ, Rel. Min. Ricardo Villas Bôas-
hipoteca em cartório de registro de imóveis
Cueva, julgado em 5/5/2016 (Info 584).
não afasta a exceção à regra de impenhorabi-
lidade prevista no art. 3º, V, da Lei nº 8.009/90. »» DIREITO DE VIZINHANÇA: O proprietário de
imóvel tem direito de construir aqueduto no
»» Em outras palavras, o fato de a hipoteca não
terreno do seu vizinho, independentemente
ter sido registrada não pode ser utilizado como
do consentimento deste, para receber águas
argumento pelo devedor para evitar a penhora
provenientes de outro imóvel, desde que não
do bem de família.
existam outros meios de passagem de águas
»» STJ. 3ª Turma. REsp 1.455.554-RN, Rel. Min. João para a sua propriedade e haja o pagamento de
Otávio de Noronha, julgado em 14/6/2016 (Info prévia indenização ao vizinho prejudicado.
585).
»» Trata-se de direito de vizinhança assegurado
»» SÚMULA 573-STJ: Nas ações de indeniza- pelo art. 1.293 do Código Civil. STJ. 3ª Turma.
ção decorrentes de seguro DPVAT, a ciência REsp 1.616.038-RS, Rel. Min. Nancy Andrighi,
inequívoca do caráter permanente da invalidez, julgado em 27/9/2016 (Info 591).
para fins de contagem do prazo prescricional,
»» ARBITRAGEM: A franquia não é um contrato
depende de laudo médico, exceto nos casos de
de consumo (regido pelo CDC), mas, mesmo
invalidez permanente notória ou naqueles em
assim, é um contrato de adesão.
que o conhecimento anterior resulte compro-
vado na fase de instrução. »» Segundo o art. 4º, § 2º da Lei nº 9.307/96, nos
contratos de adesão, a cláusula compromissó-
»» SÚMULA 572 - STJ: O Banco do Brasil, na
ria só terá eficácia se o aderente:
condição de gestor do Cadastro de Emiten-
tes de Cheques sem Fundos (CCF), não tem • tomar a iniciativa de instituir a arbitragem;
a responsabilidade de notificar previamente ou
o devedor acerca da sua inscrição no aludido
• concordar, expressamente, com a sua insti-
cadastro, tampouco legitimidade passiva para
tuição, por escrito, em documento anexo ou
as ações de reparação de danos fundadas na
em negrito, com a assinatura ou visto espe-
ausência de prévia comunicação. STJ. 2ª Seção.
cialmente para essa cláusula.
Aprovada em 11/05/2016, DJe 16/05/2016.
Todos os contratos de adesão, mesmo aqueles
»» USUCAPIÃO: Não obsta o pedido declarató-
que não consubstanciam relações de consumo,
rio de usucapião especial urbana o fato de a

33 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

como os contratos de franquia, devem observar que esteja alugado quando o valor do aluguel
o disposto no art. 4º, § 2º, da Lei nº 9.307/96. é destinado unicamente ao pagamento de
locação residencial por sua entidade familiar.
Assim, é possível a instituição de cláusu-
la compromissória em contrato de franquia, STJ. 2ª Turma. REsp 1.616.475-PE, Rel. Min.
desde que observados os requisitos do art. 4º, Herman Benjamin, julgado em 15/9/2016 (Info
§ 2º, da Lei nº 9.307/96. STJ. 3ª Turma. REsp 591).
1.602.076-SP, Rel. Min. Nancy Andrighi, julgado
»» PRESCRIÇÃO: É de 3 anos o prazo prescricional
em 15/9/2016 (Info 591).
de ação proposta por entidade de previdência
»» ARBITRAGEM: O Poder Judiciário pode decre- privada complementar contra terceiro que se
tar a nulidade de cláusula arbitral (compromis- apropriou indevidamente de verbas relativas a
sória) sem que essa questão tenha sido aprecia- benefício previdenciário. Não há previsão espe-
da anteriormente pelo próprio árbitro? Regra: cífica para este caso na LC 109/2001, razão pela
Não. Segundo o art. 8º, parágrafo único da Lei qual se aplica o art. 206, § 3º, IV, do Código
de Arbitragem (Lei nº 9.307/96), antes de judi- Civil (pretensão de ressarcimento de enrique-
cializar a questão, a parte que deseja arguir a cimento sem causa). Ex: o segurado morreu e,
nulidade da cláusula arbitral deve formular esse como a entidade de previdência não foi infor-
pedido ao próprio árbitro. Exceção: compro- mada, continuou a depositar, todos os meses,
missos arbitrais patológicos. O Poder Judiciário o valor da aposentadoria; tais quantias foram
pode, nos casos em que prima facie é identifi- sacadas indevidamente da conta bancária por
cado um compromisso arbitral “patológico”, isto uma sobrinha do falecido; a entidade terá o
é, claramente ilegal, declarar a nulidade dessa prazo de 3 anos para reaver os valores. STJ. 4ª
cláusula, independentemente do estado em Turma. REsp 1.334.442-RS, Rel. Min. Luis Felipe
que se encontre o procedimento arbitral. STJ. Salomão, Rel. para acórdão Min. Raul Araújo,
3ª Turma. REsp 1.602.076-SP, Rel. Min. Nancy julgado em 7/6/2016 (Info 588).
Andrighi, julgado em 15/9/2016 (Info 591).
»» NOME: O brasileiro que adquiriu dupla cida-
»» #IMPORTANTE – BEM DE FAMÍLIA: Segundo a dania pode ter seu nome retificado no registro
redação literal da súmula 486-STJ, “é impenho- civil do Brasil, desde que isso não cause prejuí-
rável o único imóvel RESIDENCIAL do deve- zo a terceiros, quando vier a sofrer transtornos
dor que esteja locado a terceiros, desde que a no exercício da cidadania por força da apresen-
renda obtida com a locação seja revertida para tação de documentos estrangeiros com sobre-
a subsistência ou a moradia da sua família.”. nome imposto por lei estrangeira e diferente
do que consta em seus documentos brasilei-
A 2ª Turma do STJ, contudo, ampliou esta
ros. STJ. 3ª Turma. REsp 1.310.088-MG, Rel. Min.
proteção e decidiu que também é impenho-
João Otávio de Noronha, Rel. para acórdão
rável o único imóvel COMERCIAL do devedor

34 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

Min. Paulo de Tarso Sanseverino, julgado em empresária destinados a sua própria conta de
17/5/2016 (Info 588). reserva não são partilháveis entre o casal no
caso de dissolução de união estável de sócio.
»» CONDOMÍNIO: O condomínio, independen-
STJ. 3ª Turma. REsp 1.595.775-AP, Rel. Min.
temente de previsão em regimento interno,
Ricardo Villas Bôas Cueva, julgado em 9/8/2016
não pode proibir, em razão de inadimplên-
(Info 588).
cia, condômino e seus familiares de usar áreas
comuns, ainda que destinadas apenas a lazer. »» DPVAT. Súmula 580, STJ: A correção monetária
STJ. 3ª Turma. REsp 1.564.030-MG, Rel. Min. nas indenizações de seguro DPVAT por morte
Marco Aurélio Bellizze, julgado em 9/8/2016 ou invalidez, prevista no parágrafo 7º do arti-
(Info 588). go 5º da Lei 6.194/74, redação dada pela Lei
»» FILIAÇÃO SOCIOAFETIVA. AVÓS SOCIOAFE- 11.482/07, incide desde a data do evento dano-
TIVOS. O filho, em nome próprio, não tem so. #SÚMULANOVA #STJ
legitimidade para deduzir em juízo pretensão »» #IMPORTANTE – DPVAT A intimação da parte
declaratória de filiação socioafetiva entre sua para o comparecimento à perícia médica deve
mãe - que era maior, capaz e, ao tempo do ser pessoal, e não por intermédio de advogado.
ajuizamento da ação, pré-morta ( já falecida) - Não pode a intimação ser feita ao representan-
e os supostos pais socioafetivos dela. Obs: o te processual se o ato deve ser pessoalmente
filho teria legitimidade para propor ação pedin- praticado pela própria parte. Ato personalíssi-
do o reconhecimento de sua relação de paren- mo. STJ. 4ª Turma. REsp 1.364.911-GO, Rel. Min.
tesco socioafetivo com os pretensos avós. Aí, Marco Buzzi, julgado em 1/9/2016 (Info 589).
contudo, seria outra ação, na qual se busca-
»» #IMPORTANTE – DIREITOS AUTORAIS. É
ria um direito próprio (e não de sua mãe). STJ.
indevida a cobrança de direitos autorais pela
3ª Turma. REsp 1.492.861-RS, Rel. Min. Marco
execução, sem autorização prévia dos titula-
Aurélio Bellizze, julgado em 2/8/2016 (Info 588).
res dos direitos autorais ou de seus substitu-
»» DIVISÃO DE BENS NA UNIÃO ESTÁVEL. Algu- tos, de músicas folclóricas e culturais em festa
mas vezes, uma empresa apura lucro, mas junina realizada no interior de estabelecimento
decide que não irá distribuí-los aos acionistas, de ensino, na hipótese em que o evento tenha
retendo esses lucros com o objetivo de incre- sido organizado como parte de projeto peda-
mentar o seu capital social. O lucro destinado à gógico, reunindo pais, alunos e professores,
conta de reserva, ou seja, que não é distribuído com vistas à integração escola-família, sem
aos sócios, continua pertencendo à sociedade venda de ingressos e sem a utilização econô-
empresária (e não ao sócio). Em razão disso, mica das obras. STJ. 2ª Seção. REsp 1.575.225-
essa quantia não será partilhada caso um dos SP, Rel. Min. Raul Araújo, julgado em 22/6/2016
sócios termine a união estável que mantinha. (Info 587).
Em outras palavras, os lucros de sociedade

35 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

»» PARENTESCO. Os efeitos da sentença transi- Rel. Min. Luiz Fux, julgado em 21 e 22/09/2016
tada em julgado que reconhece o vínculo de (Info 840).
parentesco entre filho e pai em ação de inves-
»» #IMPORTANTE – ALIMENTOS. A obrigação
tigação de paternidade alcançam o avô, ainda
dos avós de prestar alimentos tem natureza
que este não tenha participado da relação jurí-
complementar e subsidiária e somente exsur-
dica processual. STJ. 4ª Turma. REsp 1.331.815-
ge se ficar demonstrada a impossibilidade de
SC, Rel. Min. Antonio Carlos Ferreira, julgado
os dois genitores proverem os alimentos dos
em 16/6/2016 (Info 587).
filhos, ou de os proverem de forma suficiente.
»» FILIAÇÃO. O filho tem direito de ter reconhe- Assim, morrendo o pai que pagava os alimen-
cida sua verdadeira filiação. Assim, mesmo tos, só se poderá cobrar alimentos dos avós
que ele tenha nascido durante a constância do se ficar demonstrado que nem a mãe nem o
casamento de sua mãe e de seu pai registrais, espólio do falecido têm condições de susten-
ele poderá ingressar com ação de investigação tar o filho. Não tendo ficado demonstrada a
de paternidade contra o suposto pai biológi- impossibilidade ou a insuficiência do cumpri-
co. A presunção legal de que os filhos nasci- mento da obrigação alimentar pela mãe, como
dos durante o casamento são filhos do marido também pelo espólio do pai falecido, não há
não pode servir como obstáculo para impedir como reconhecer a obrigação do avô de pres-
o indivíduo de buscar a sua verdadeira pater- tar alimentos. O falecimento do pai do alimen-
nidade. STF. Plenário. AR 1244 EI/MG, Rel. Min. tante não implica a automática transmissão do
Cármen Lúcia, julgado em 22/09/2016 (Info dever alimentar aos avós. STJ. 4ª Turma. REsp
840). 1.249.133-SC, Rel. Min. Antonio Carlos Ferreira,
Rel. para acórdão Min. Raul Araújo, julgado em
»» FILIAÇÃO. A paternidade socioafetiva, declara-
16/6/2016 (Info 587). #IMPORTANTE
da ou não em registro público, não impede o
reconhecimento do vínculo de filiação conco- »» #IMPORTANTE – DIREITOS REAIS. É inválida a
mitante baseado na origem biológica, com os penhora da integralidade de imóvel submetido
efeitos jurídicos próprios. Ex: Lucas foi registra- ao regime de multipropriedade (time-sharing)
do e criado como filho por João; vários anos em decorrência de dívida de condomínio de
depois, Lucas descobre que seu pai biológico responsabilidade do organizador do compar-
é Pedro; Lucas poderá buscar o reconhecimen- tilhamento. A multipropriedade imobiliária,
to da paternidade biológica de Pedro sem que mesmo não efetivamente codificada, possui
tenha que perder a filiação socioafetiva que natureza jurídica de direito real, harmonizando-
construiu com João; ele terá dois pais; será um -se com os institutos constantes do rol previs-
caso de pluriparentalidade; o filho terá direitos to no art. 1.225 do Código Civil. STJ. 3ª Turma.
decorrentes de ambos os vínculos, inclusive no REsp 1.546.165-SP, Rel. Min. Ricardo Villas Bôas
campo sucessório. STF. Plenário. RE 898060/SC, Cueva, Rel. para acórdão Min. João Otávio de

36 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

Noronha, julgado em 26/4/2016 (Info 589). danoso. STJ. 2ª Seção. Aprovada em 14/09/2016,
DJe 19/09/2016 (Info 590)
»» CONTRATO DE SEGURO: O art. 771 do CC
determina que o segurado deverá comunicar »» #IMPORTANTE – AÇÕES POSSESSÓRIAS:
imediatamente à seguradora quando ocorrer Particulares podem ajuizar ação possessória
algum sinistro envolvendo o veículo, já que isso para resguardar o livre exercício do uso de
possibilita que esta tome medidas que possam via municipal (bem público de uso comum do
amenizar os prejuízos da realização do risco, povo) instituída como servidão de passagem.
bem como a sua propagação. Esse dispositivo Ex: a empresa começou a construir uma indús-
legal prevê que, se não houver esta comuni- tria e a obra está invadindo a via de acesso (rua)
cação imediata, o segurado perderá o direito que liga a avenida principal à uma comunidade
à indenização. Vale ressaltar, no entanto, que, de moradores locais. Os moradores possuem
para que ocorra a sanção prevista no art. 771 legitimidade para ajuizar ação de reintegra-
do CC, é necessário que fique demonstrada a ção de posse contra a empresa alegando que
ocorrência de uma omissão dolosa do segura- a rua que está sendo invadida representa uma
do, que beire a má-fé, ou culpa grave e que, servidão de passagem. STJ. 3ª Turma. REsp
com isso, prejudique, de forma despropor- 1.582.176-MG, Rel. Min. Nancy Andrighi, julga-
cional, a atuação da seguradora. Assim, se o do em 20/9/2016 (Info 590).
segurado demorou três dias para comunicar à »» ALIMENTOS: A genitora que, ao tempo em
seguradora que o veículo foi roubado porque que exercia a guarda judicial do filho, represen-
foi ameaçado pelo criminoso, ele não perderá tou-o em ação de execução de débitos alimen-
o direito de ser indenizado já que, neste caso, tares possui legitimidade para prosseguir no
não poderia ser dele exigido comportamento processo executivo com intuito de ser ressar-
diverso. Resumindo: o segurado que, devido às cida, ainda que, no curso da cobrança judi-
ameaças de morte feitas pelo criminoso a ele e cial, a guarda tenha sido transferida ao genitor
à sua família, deixou de comunicar prontamen- (executado). Ex: João e Maria foram casados e
te o roubo do seu veículo à seguradora não são pais de Lucas. Depois que se separaram,
perde o direito à indenização securitária (art. iniciou-se uma disputa pela guarda do filho.
771 do CC). STJ. 3ª Turma. REsp 1.404.908-MG, Enquanto não se definia a questão, a guarda
Rel. Min. Ricardo Villas Bôas Cueva, julgado em foi provisoriamente deferida para Maria. O juiz
2/8/2016 (Info 590). determinou que João pagasse pensão alimen-
»» DPVAT - Súmula 580-STJ: A correção mone- tícia em favor do filho. O pai ficou devendo 4
tária nas indenizações do seguro DPVAT por meses de pensão (abril a julho/2015). Em razão
morte ou invalidez, prevista no § 7º do art. 5º disso, Lucas, representado por Maria, ajuizou
da Lei nº 6.194/1974, redação dada pela Lei nº execução de alimentos cobrando a quantia. Em
11.482/2007, incide desde a data do evento novembro de 2015, o juiz, na sentença, deter-

37 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

minou que a guarda de Lucas deveria ficar com ela era guardiã do filho. Isso porque ela teve
o pai, revogando a decisão interlocutória ante- que assumir as despesas com o filho no perío-
rior que havia deferido a guarda em favor de do em que o pai não pagou a pensão alimentí-
Maria. Mesmo assim, a genitora possui legitimi- cia e precisa ser ressarcida. STJ. 4ª Turma. REsp
dade para prosseguir na execução dos débitos 1.410.815-SC, Rel. Min. Marco Buzzi, julgado em
alimentares relacionados com a época em que 9/8/2016 (Info 590).

06. PROCESSO CIVIL

»» PETIÇÃO INICIAL. INTIMAÇÃO: Nos casos de ções excepcionais que autorizem a conces-
intimação pessoal realizada por oficial de justi- são de efeitos infringentes. Obs: a doutrina
ça, a contagem do prazo para a interposição entende que, mesmo com o novo CPC, não
de recursos ou a eventual certificação de trân- cabem honorários advocatícios no julgamento
sito em julgado começa a partir da juntada aos de embargos de declaração, seja em 1ª instân-
autos do mandado devidamente cumprido. cia, seja nos Tribunais STF. 1ª Turma. RE 929925
STF. 2ª Turma. ARE 892732/SP, Rel. Min. Teori AgR-ED/RS, Rel. Min. Luiz Fux, julgado em
Zavascki, red. p/ o acórdão Min. Dias Toffoli, 7/6/2016 (Info 829).
julgado em 5/4/2016 (Info 820).2 »» JULGAMENTO CONFORME O ESTADO DO
»» COMPETÊNCIA: Súmula 570-STJ: Compete PROCESSO. RENÚNCIA: É possível reconhecer,
à Justiça Federal o processo e julgamento de também na instância extraordinária, a possibi-
demanda em que se discute a ausência de ou lidade da homologação do pedido de renún-
o obstáculo ao credenciamento de instituição cia ao direito sobre o qual se funda a ação,
particular de ensino superior no Ministério da quando postulado por procurador habilitado
Educação como condição de expedição de com poderes específicos, desde que anterior
diploma de ensino a distância aos estudantes. ao julgamento final do recurso extraordinário.
STF. 2ª Turma. RE 514639 QO/RS, Rel. Min. Dias
»» RECURSOS. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO.
Toffoli, julgado em 10/5/2016 (Info 825).
HONORÁRIOS SUCUMBENCIAIS: É possível
condenar a parte sucumbente em honorá- »» #IMPORTANTE – PROCESSO COLETIVO: A
rios advocatícios na hipótese de o recurso de associação não tem legitimidade ativa para
embargos de declaração, interposto perante defender os interesses dos associados que
Tribunal, não atender os requisitos previstos no vierem a se agregar somente após o ajuiza-
art. 1.022 e tampouco se enquadrar em situa- mento da ação de conhecimento. STJ. 2ª Turma.
REsp 1.468.734-SP, Rel. Min. Humberto Martins,
2 Ver julgado completo e comparação com o NOVO CPC. julgado em 1º/3/2016 (Info 579).

38 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

»» DEPÓSITO JUDICIAL: O particular que aceita em 16/12/2015 (Info 578).


exercer o múnus público de depositário judicial
»» ARBITRAGEM: É válida a cláusula compromis-
tem o direito de reter o depósito até que sejam
sória que excepcione do juízo arbitral certas
ressarcidas as despesas com armazenagem
situações especiais a serem submetidas ao
e conservação do bem guardado e pagos os
Poder Judiciário. STJ. 4ª Turma. REsp 1.331.100-
seus honorários. STJ. 3ª Turma. REsp 1.300.584-
BA, Rel. Min. Maria Isabel Gallotti, Rel. para acór-
MT, Rel. Min. João Otávio de Noronha, julgado
dão Min. Raul Araújo, julgado em 17/12/2015
em 3/3/2016 (Info 578).
(Info 577).
»» ATO ATENTATÓRIO À DIGNIDADE DA JUSTI-
»» RECURSOS: Concursos federais. No agravo
ÇA: Aplicação da multa do art. 774, IV, do
de instrumento, em regra, se o agravante não
CPC 2015 é restrita ao processo de execução.
juntou a cópia de certidão de intimação da
A multa por ato atentatório à dignidade da
decisão agravada, seu recurso não será conhe-
Justiça, prevista no art. 774, IV, do CPC 2015,
cido em virtude de esta certidão ser prevista
somente pode ser aplicada no processo de
como documento obrigatório (art. 525, I, do
execução, em caso de conduta de deslealda-
CPC 1973 / art. 1.017, I, do CPC 2015). A Lei
de processual praticada pelo executado. STJ. 4ª
exige esse documento para que o Tribunal
Turma. REsp 1.231.981/RS, Rel. Min. Luis Felipe
possa saber quando a parte foi intimada e,
Salomão, julgado em 15/12/2015 (Info 578).
assim, ter certeza que o recurso foi interposto
»» MANDADO DE SEGURANÇA: O prazo deca- tempestivamente. Exceção: é possível dispen-
dencial para impetrar mandado de segurança sar a certidão de intimação se existirem outros
contra redução do valor de vantagem integran- meios para se aferir a tempestividade do recur-
te de proventos ou de remuneração de servi- so. O termo de abertura de vista e remessa dos
dor público renova-se mês a mês. A redução, autos à Fazenda Nacional substitui, para efeito
ao contrário da supressão de vantagem, confi- de demonstração da tempestividade do agravo
gura relação de trato sucessivo, pois não equi- de instrumento por ela interposto, a apresenta-
vale à negação do próprio fundo de direito. ção de certidão de intimação da decisão agra-
Assim, o prazo decadencial para se impetrar a vada (art. 525, I, do CPC 1973 / art. 1.017, I, do
ação mandamental renova-se mês a mês. • Ato CPC 2015). STJ. Corte Especial. REsp 1.383.500-
que SUPRIME vantagem: é ato ÚNICO (o prazo SP, Rel. Min. Benedito Gonçalves, julgado em
para o MS é contado da data em que o preju- 17/2/2016 (recurso repetitivo) (Info 577).
dicado tomou ciência do ato). • Ato que REDUZ
»» PROCESSO COLETIVO: Os autores de ações
vantagem: consiste em prestação de TRATO
individuais em cujos autos não foi dada ciên-
SUCESSIVO (o prazo para o MS renova-se mês
cia do ajuizamento de ação coletiva e que não
a mês). STJ. Corte Especial. EREsp 1.164.514-AM,
requereram a suspensão das demandas indivi-
Rel. Min. Napoleão Nunes Maia Filho, julgado

39 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

duais podem se beneficiar dos efeitos da coisa ram as constrições e registros imobiliários que
julgada formada na ação coletiva. STJ. 1ª Turma. o arrematante pretende cancelar, têm direito
REsp 1.593.142-DF, Rel. Min. Napoleão Nunes ao devido processo legal, com contraditório e
Maia Filho, julgado em 7/6/2016 (Info 585). ampla defesa a fim de manterem o bem vincu-
lado a seus interesses. As possíveis falhas nos
»» #IMPORTANTE – PROCESSO COLETIVO: É
atos judiciais que antecederam a arrematação,
cabível ação civil pública proposta por Ministé-
porque não mencionavam as outras constri-
rio Público Estadual para pleitear que Município
ções de outros Juízos sobre o imóvel a ser arre-
proíba máquinas agrícolas e veículos pesados
matado, não possibilitam ao Juízo da arrema-
de trafegarem em perímetro urbano deste e
tação determinar a baixa de outras constrições
torne transitável o anel viário da região. STJ. 2ª
levadas a efeito por outros juízos. STJ. 4ª Turma.
Turma. REsp 1.294.451-GO, Rel. Min. Herman
RMS 48.609-MT, Rel. Min. Raul Araújo, julgado
Benjamin, julgado em 1/9/2016 (Info 591).
em 19/5/2016 (Info 585).
»» PROCESSO COLETIVO: Em ação civil pública,
»» SENTENÇA: A sentença, qualquer que seja sua
a formação de litisconsórcio ativo facultativo
natureza, de procedência ou improcedência do
entre o Ministério Público Estadual e o Federal
pedido, constitui título executivo judicial, desde
depende da demonstração de alguma razão
que estabeleça obrigação de pagar quantia,
específica que justifique a presença de ambos
de fazer, não fazer ou entregar coisa, admitida
na lide. STJ. 3ª Turma. REsp 1.254.428-MG, Rel.
sua prévia liquidação e execução nos próprios
Min. João Otávio de Noronha, julgado em
autos.
2/6/2016 (Info 585).
STJ. Corte Especial. REsp 1.324.152-SP, Rel. Min.
»» EXECUÇÃO: Arrematado bem imóvel, o Juízo
Luis Felipe Salomão, julgado em 4/5/2016 (Info
da execução que conduziu a arrematação não
585).
pode determinar o cancelamento automático
de constrições determinadas por outros Juízos Obs.: existe polêmica na doutrina se este enten-
de mesma hierarquia e registradas na matrícula dimento prevalece ou não com o novo CPC,
do bem, mesmo que o edital de praça e o auto que trata sobre o tema no art. 515, I. A posição
de arrematação tenham sido silentes quanto à majoritária é a de que sim. No mesmo senti-
existência dos referidos gravames. Além de o do, o Min. Rel. Luis Felipe Salomão em deter-
Juízo da execução não deter competência para minado trecho de seu voto dá a entender que
o desfazimento ou cancelamento de constri- o entendimento do STJ proferido neste julgado
ções e registros determinados por outros Juízos continua a vigorar com o CPC 2015.
de mesma hierarquia, os titulares dos direitos »» #IMPORTANTE – FUNDAMENTAÇÃO DE DECI-
decorrentes das decisões judiciais proferidas SÃO: O julgador não está obrigado a respon-
em outros processos (“credores”), as quais gera- der a todas as questões suscitadas pelas partes,

40 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

quando já tenha encontrado motivo suficiente conhecida e julgada.


para proferir a decisão.
Como exemplo da situação descrita no § 4º do
O julgador possui o dever de enfrentar apenas art. 5º, o STJ decidiu que:
as questões capazes de infirmar (enfraquecer)
É dispensável o requisito temporal
a conclusão adotada na decisão recorrida. Essa
(pré-constituição há mais de um ano) para
é a interpretação que se extrai do art. 489, § 1º,
associação ajuizar ação civil pública quando
IV, do CPC/2015.
o bem jurídico tutelado for a prestação de
Assim, mesmo após a vigência do CPC/2015, informações ao consumidor sobre a exis-
não cabem embargos de declaração contra a tência de glúten em alimentos. STJ. 2ª Turma.
decisão que não se pronunciou sobre determi- REsp 1.600.172-GO, Rel. Min. Herman Benjamin,
nado argumento que era incapaz de infirmar a julgado em 15/9/2016 (Info 591).
conclusão adotada.
»» COMPETÊNCIA. Se o juízo reconhece a sua
STJ. 1ª Seção. EDcl no MS 21.315-DF, Rel. Min. incompetência absoluta para conhecer da
Diva Malerbi (Desembargadora convocada do causa, ele deverá determinar a remessa dos
TRF da 3ª Região), julgado em 8/6/2016 (Info autos ao juízo competente e não extinguir o
585). processo sem exame do mérito. O argumento
de impossibilidade técnica do Poder Judiciário
»» SÚMULA 579-STJ: Não é necessário ratifi-
em remeter os autos para o juízo competen-
car o recurso especial interposto na pendên-
te, ante as dificuldades inerentes ao processa-
cia do julgamento dos embargos de declara-
mento eletrônico, não pode ser utilizado para
ção, quando inalterado o resultado anterior.
prejudicar o jurisdicionado, sob pena de confi-
(CORTE ESPECIAL, julgado em 01/07/2016, DJe
gurar-se indevido obstáculo ao acesso à tute-
01/08/2016).
la jurisdicional. Assim, implica indevido obstá-
»» PROTEÇÃO EM JUÍZO: Como regra, para que culo ao acesso à tutela jurisdicional a decisão
uma associação possa propor ACP, ela deverá que, após o reconhecimento da incompetên-
estar constituída há pelo menos 1 ano. cia absoluta do juízo, em vez de determinar a
remessa dos autos ao juízo competente, extin-
Exceção. Este requisito da pré-constituição
gue o feito sem exame do mérito, sob o argu-
poderá ser dispensado pelo juiz, quando haja
mento de impossibilidade técnica do Judiciário
manifesto interesse social evidenciado pela
em remeter os autos para o órgão julgador
dimensão ou característica do dano, ou pela
competente, ante as dificuldades inerentes ao
relevância do bem jurídico a ser protegido (§
processamento eletrônico. STJ. 2ª Turma. REsp
4º do art. 5º da Lei nº 7.347/85). Neste caso,
1.526.914-PE, Rel. Min. Diva Malerbi (Desem-
a ACP, mesmo tendo sido proposta por uma
bargadora convocada do TRF da 3ª Região),
associação com menos de 1 ano, poderá ser

41 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

julgado em 21/6/2016 (Info 586). licençasprêmio em pecúnia), está no exercício


de função administrativa federal, razão pela
»» AÇÃO DEMARCATÓRIA. Em ação demarcatória
qual não se pode reconhecer a competência
de parte de imóvel, é facultativo - e não neces-
do Tribunal de Justiça do Distrito Federal para
sário - o litisconsórcio passivo entre o réu e os
o julgamento de mandado de segurança impe-
confinantes da área do bem que não é objeto
trado contra tal ato. Obs: quando o MS é impe-
de demarcação. STJ. 3ª Turma. REsp 1.599.403-
trado contra atos praticados pelo PGJ-DF sob
MT, Rel. Min. João Otávio de Noronha, julgado
jurisdição administrativa local, a competência
em 23/6/2016 (Info 586).
será do Tribunal de Justiça do Distrito Federal.
»» COMPETÊNCIA. OAB. Compete à justiça fede- STJ. 1ª Turma. REsp 1.303.154-DF, Rel. Min. Gurgel
ral processar e julgar ações em que a Ordem de Faria, julgado em 16/6/2016 (Info 587).
dos Advogados do Brasil (OAB), quer median-
»» COMPETÊNCIA. É da Justiça do Trabalho (e não
te o conselho federal, quer seccional, figure na
da Justiça Comum) a competência para proces-
relação processual. STF. Plenário. RE 595332/PR,
sar e julgar a ação de indenização movida
Rel. Min. Marco Aurélio, julgado em 31/8/2016
por atleta de futebol em face de editora pelo
(repercussão geral) (Info 837) #IMPORTANTE
suposto uso indevido de imagem em álbum
»» RECURSOS. Súmula 579-STJ: Não é neces- de figurinhas quando, após denunciação da
sário ratificar o recurso especial interposto lide ao clube de futebol (exempregador), este
na pendência do julgamento dos embargos alegar que recebeu autorização expressa do
de declaração, quando inalterado o resulta- jogador para ceder o direito de uso de sua
do anterior. STJ. Corte Especial. Aprovada em imagem no período de vigência do contrato de
01/07/2016, DJe 01/08/2016 #SÚMULANOVA trabalho. Na ementa oficial do julgado, restou
#IMPORTANTE assim consignado: Compete à Justiça do Traba-
»» #IMPORTANTE – COMPETÊNCIA. É do TRF da lho processar e julgar ação indenizatória movi-
1º Região (e não do TJDFT) a competência para da contra editora, por suposto uso indevido de
processar e julgar mandado de segurança impe- imagem de atleta de futebol, caracterizado por
trado contra ato do Procurador-Geral de Justiça publicação, sem autorização, do autor de sua
do Distrito Federal que determinou a retenção fotografia em álbum de figurinhas, na hipótese
de Imposto de Renda (IR) e de contribuição ao de denunciação da lide pela ré ao clube empre-
Plano de Seguridade Social (PSS) sobre valo- gador. STJ. 2ª Turma. CC 128.610-RS, Rel. Min.
res decorrentes da conversão em pecúnia de Raul Araújo, julgado em 22/6/2016 (Info 587).
licenças-prêmio. O Procurador-Geral de Justiça »» SUSPEIÇÃO. A declaração pelo magistrado
do Distrito Federal, ao determinar a retenção (“autodeclaração”) de suspeição por motivo
de tributos federais por ocasião do pagamen- superveniente não tem efeitos retroativos, não
to de parcelas remuneratórias (conversão de importando em nulidade dos atos processuais

42 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

praticados em momento anterior ao fato ense- STJ, ao Tribunal de origem, do agravo interpos-
jador da suspeição. STJ. 1ª Seção. PET no REsp to contra decisão que inadmite recurso espe-
1.339.313-RJ, Rel. Min. Sérgio Kukina, Rel. para cial com base na aplicação de entendimento
acórdão Min. Assusete Magalhães, julgado em firmado em recursos repetitivos, para que seja
13/4/2016 (Info 587). #IMPORTANTE conhecido como agravo interno. STJ. 3ª Turma.
AREsp 959.991-RS, Rel. Min. Marco Aurélio
»» HONORÁRIOS RECURSAIS. É cabível a fixa-
Bellizze, julgado em 16/8/2016 (Info 589).
ção de honorários recursais, prevista no
art. 85, § 11, do CPC/2015, mesmo quando »» #IMPORTANTE – EXECUÇÃO. PENHORA. É
não apresentadas contrarrazões ou contra- inválida a penhora da integralidade de imóvel
minuta pelo advogado da parte recorrida. submetido ao regime de multipropriedade
STF. 1ª Turma. AI 864689 AgR/MS e ARE (time-sharing) em decorrência de dívida de
951257 AgR/RJ, rel. orig. Min. Marco Auré- condomínio de responsabilidade do organiza-
lio, red. p/ o ac. Min. Edson Fachin, julgado dor do compartilhamento. A multipropriedade
em 27/09/2016 (Info 841). imobiliária, mesmo não efetivamente codifi-
»» #IMPORTANTE – RECURSOS. NÃO APLICA- cada, possui natureza jurídica de direito real,
ÇÃO DO PRINCÍPIO DA FUNGIBILIDADE. O harmonizando-se com os institutos constantes
CPC/2015 trouxe previsão legal expressa de do rol previsto no art. 1.225 do Código Civil. STJ.
que não cabe agravo para o STJ contra decisão 3ª Turma. REsp 1.546.165-SP, Rel. Min. Ricardo
que inadmite recurso especial quando o acór- Villas Bôas Cueva, Rel. para acórdão Min. João
dão recorrido decidiu em conformidade com Otávio de Noronha, julgado em 26/4/2016 (Info
recurso repetitivo (art. 1.042). Tal disposição 589).
legal aplica-se aos agravos apresentados contra »» LEI 13.363/2016. Esta Lei, promulgada e
decisão publicada após a entrada em vigor do publicada em 25/11/2016, altera a Lei no 8.906,
Novo CPC, em conformidade com o princípio de 4 de julho de 1994 (Estatuto da OAB), e a
tempus regit actum. Caso o Tribunal de origem Lei no  13.105, de 16 de março de 2015 (Códi-
decida em conformidade com entendimento go de Processo Civil), para estipular direitos e
firmado pelo STJ em recurso repetitivo, a parte garantias para a advogada gestante, lactan-
deverá interpor agravo interno. Se, em vez te, adotante ou que der à luz e para o advo-
disso, a parte interpuser o agravo em recurso gado que se tornar pai. O NCPC ficou com a
especial para o STJ (art. 1.042), cometerá erro seguinte redação no art. 313: “IX - pelo parto
grosseiro. Chegando ao STJ este agravo, ele ou pela concessão de adoção, quando a advo-
não será conhecido e ele não retornará para gada responsável pelo processo constituir a
que seja julgado pelo Tribunal de origem como única patrona da causa; X - quando o advoga-
agravo interno. Assim, após a entrada em vigor do responsável pelo processo constituir o único
do CPC/2015, não é mais devida a remessa pelo patrono da causa e tornar-se pai. § 6º No caso

43 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

do inciso IX, o período de suspensão será de 30 em vez de mandar o juiz exarar nova decisão, o
(trinta) dias, contado a partir da data do parto Tribunal decidiu desde lodo o mérito do pedido
ou da concessão da adoção, mediante apre- e deferiu a medida cautelar de indisponibilida-
sentação de certidão de nascimento ou docu- de dos bens de Pedro, apontando os argumen-
mento similar que comprove a realização do tos pelos quais este requerido também prati-
parto, ou de termo judicial que tenha conce- cou, em tese, ato de improbidade. STJ. Corte
dido a adoção, desde que haja notificação ao Especial. REsp 1.215.368-ES, Rel. Min. Herman
cliente. § 7º No caso do inciso X, o período de Benjamin, julgado em 1/6/2016 (Info 590).
suspensão será de 8 (oito) dias, contado a partir
»» LIQUIDAÇÃO DE SENTENÇA: É possível ao
da data do parto ou da concessão da adoção,
julgador, na fase de liquidação de sentença
mediante apresentação de certidão de nasci-
por arbitramento, acolher as conclusões peri-
mento ou documento similar que comprove a
ciais fundadas em presunções e deduções
realização do parto, ou de termo judicial que
para a quantificação do prejuízo sofrido pelo
tenha concedido a adoção, desde que haja
credor a título de lucros cessantes. A utiliza-
notificação ao cliente.” #NOVIDADELEGISLA-
ção de presunções não pode ser afastada de
TIVA
plano, uma vez que esta espécie de prova é
»» RECURSOS: Admite-se a aplicação da teoria utilizada pelo direito processual nacional como
da causa madura (art. 515, § 3º, do CPC/1973 forma de facilitação de provas difíceis, desde
/ art. 1.013, § 3º do CPC/2015) em julgamento que razoáveis. Na apreciação de lucros cessan-
de agravo de instrumento. Ex: o MP ingressou tes, o julgador não pode se afastar de forma
com ação de improbidade contra João, Paulo e absoluta de presunções e deduções, porquanto
Pedro pedindo a indisponibilidade dos bens dos deverá perquirir acerca dos benefícios legítimos
requeridos. O juiz deferiu a medida em relação que não foram realizados por culpa da parte ex
a todos eles, no entanto, na decisão não houve adversa. Exigir prova absoluta do lucro que não
fundamentação quanto à autoria de Pedro. ocorreu, seria impor ao lesado o ônus de prova
Diante disso, ele interpôs agravo de instrumen- impossível (prova diabólica). STJ. 3ª Turma. REsp
to. O Tribunal, analisando o agravo, entendeu 1.549.467-SP, Rel. Min. Marco Aurélio Bellizze,
que a decisão realmente é nula quanto a Pedro julgado em 13/9/2016 (Info 590).
por ausência de fundamentação. No entanto,

07. TRIBUTÁRIO

»» IRRETROATIVIDADE E IR: É inconstitucio- alíquota incidente sobre o lucro proveniente de


nal a aplicação retroativa de lei que majora a operações incentivadas ocorridas no passado,

44 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

ainda que no mesmo ano-base, tendo em vista 813).


que o fato gerador se consolida no momento »» SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL. PIS/
em que ocorre cada operação de exportação, COFINS: Não incidência da contribuição ao PIS
à luz da extrafiscalidade da tributação na espé- e à COFINS sobre os atos cooperativos típicos.
cie. A Súmula 584 do STF permanece válida. No STJ julgado em 27/4/2016 (Info 582).
entanto, este enunciado não se aplica para as
»» SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL. PIS/
hipóteses em que o tributo tenha função extra-
COFINS: O valor suportado (pago) pelo bene-
fiscal. STF. Plenário. RE 592396/SP, Rel. Min.
ficiário do serviço, nele incluindo a quantia
Edson Fachin, julgado em 3/12/2015 (repercus-
referente ao ISSQN, compõe o conceito de
são geral) (Info 810)
receita ou faturamento para fins de adequação
»» IPI: Incide o IPI em importação de veícu- à hipótese de incidência da Contribuição para
los automotores por pessoa natural. Incide o o PIS e COFINS. Assim, o valor do ISSQN inte-
IPI em importação de veículos automotores gra o conceito de receita bruta, assim enten-
por pessoa natural, ainda que não desempe- dida como a totalidade das receitas auferidas
nhe atividade empresarial, e o faça para uso com o exercício da atividade econômica, de
próprio. STF. Plenário. RE 723651/PR, Rel. Min. modo que não pode ser dedutível da base de
Marco Aurélio, julgado em 3 e 4/2/2016 (reper- cálculo do PIS e da COFINS. STJ. 1ª Seção. REsp
cussão geral) (Info 574). 1.330.737-SP, Rel. Min. Og Fernandes, julgado
em 10/6/2015 (recurso repetitivo) (Info 581).
»» IOF: IOF e transmissão de ações de compa-
nhias abertas É constitucional o art. 1º, IV, da »» IMPOSTOS EM ESPÉCIE: Súmula 569-STJ: Na
Lei nº 8.033/90, uma vez que a incidência de importação, é indevida a exigência de nova
IOF sobre o negócio jurídico de transmissão de certidão negativa de débito no desembaraço
títulos e valores mobiliários, tais como ações aduaneiro, se já apresentada a comprovação
de companhias abertas e respectivas bonifica- da quitação de tributos federais quando da
ções, encontra respaldo no art. 153, V, da CF, concessão do benefício relativo ao regime de
sem ofender os princípios tributários da ante- drawback.
rioridade e da irretroatividade, nem deman-
»» IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO: Atribuição para
dar a reserva de lei complementar. Art. 1º São
classificar como medicamento produto impor-
instituídas as seguintes incidências do imposto
tado Se a ANVISA classificou determinado
sobre operações de crédito, câmbio e seguro,
produto importado como “cosmético”, a auto-
ou relativas a títulos ou valores mobiliários: IV -
ridade aduaneira não poderá alterar essa clas-
transmissão de ações de companhias abertas
sificação para defini-lo como “medicamento”.
e das consequentes bonificações emitidas. STF.
Incumbe à ANVISA regulamentar, controlar e
Plenário. RE 583712/SP, Rel. Min. Edson Fachin,
fiscalizar os produtos e serviços que envolvam
julgado em 4/2/2016 (repercussão geral) (Info

45 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

risco à saúde pública (art. 8º da Lei nº 9.782/99). REsp 811.486-RN, Rel. Min. Napoleão Nunes
Assim, é da Agência a atribuição de definir o Maia Filho, julgado em 16/2/2016 (Info 578).
que é medicamento e o que é cosmético. STJ. 1ª
»» ICMS: O ICMS integra a sua própria base de
Turma. REsp 1.555.004-SC, Rel. Min. Napoleão
cálculo, sendo isso chamado de ICMS “por
Nunes Maia Filho, julgado em 16/2/2016 (Info
dentro” ou “cálculo por dentro”. O ICMS por
577).
dentro está previsto no art. 13, § 1º, I, da LC
»» PIS/COFINS. Incidência de PIS e COFINS em 87/96, sendo considerado constitucional pelo
juros sobre capital próprio. Obs.: este julgado STF. Essa mesma regra aplica-se para o ICMS
somente interessa aos candidatos a concursos substituição tributária, considerando que se
federais que exijam Direito Tributário de forma trata do mesmo tributo. Assim, ainda que se
mais intensa. Para a grande maioria, basta ler a adote a substituição tributária como forma de
conclusão do precedente. Não são dedutíveis arrecadação de ICMS, é legal aplicar-se a siste-
da base de cálculo das contribuições ao PIS e mática do “cálculo por dentro”. STJ. 2ª Turma.
COFINS o valor destinado aos acionistas a títu- REsp 1.454.184-MG, Rel. Min. Mauro Campbell
lo de juros sobre o capital próprio, na vigência Marques, julgado em 5/5/2016 (Info 585).
da Lei nº 10.637/2002 e da Lei nº 10.833/2003.
»» IPI: A base de cálculo do IPI na venda a prazo é o
Não é possível classificar os juros sobre capi-
preço “normal” da mercadoria (preço de venda
tal próprio como sendo “lucros e dividendos”
à vista) mais os eventuais acréscimos decorren-
em razão de possuírem diferenças jurídicas.
tes do parcelamento. A base de cálculo do IPI
Logo, não se pode excluir da base de cálculo
nas vendas a prazo, sem a intermediação de
do PIS e da COFINS os JCP ( juros sobre capital
instituição financeira, é o valor total da opera-
próprio) invocando o art. 1º, §3º, V, “b”, da Lei
ção. Situação diferente ocorre na chamada
nº 10.637/2002 e o mesmo dispositivo da Lei
“venda financiada”. Nesta, o comprador obtém
nº 10.833/2003, considerando que eles tratam
recursos de instituição financeira para pagar a
apenas de “lucros e dividendos”. STJ. 1ª Seção.
aquisição da mercadoria e o IPI incide apenas
REsp 1.200.492-RS, Rel. Min. Napoleão Nunes
sobre o valor efetivamente pago ao vendedor
Maia Filho, Rel. para acórdão Min. Mauro
do produto, não englobando os juros pagos
Campbell Marques, julgado em 14/10/2015 (Info
ao financiador, sobre o qual incidirá apenas o
577).
IOF. STJ. 2a Turma. REsp 1.586.158-SP, Rel. Min.
»» IPI: O direito ao creditamento do IPI decorrente Herman Benjamin, julgado em 3/5/2016 (Info
da aquisição de matéria-prima, produto inter- 584).
mediário e material de embalagem utilizados »» REPRESENTAÇÃO FISCAL PARA FINS PENAIS:
na fabricação de produtos isentos ou sujeitos A Delegacia da Receita Federal deve enviar ao
ao regime de alíquota zero, surgiu apenas com Ministério Público Federal os autos das repre-
a vigência da Lei nº 9.779/99. STJ. 1ª Turma. sentações fiscais para fins penais relativas aos

46 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

crimes contra a ordem tributária previstos na Edson Fachin, julgado em 06/10/2016 (Info 842).
Lei no 8.137/1990 e aos crimes contra a previ-
»» CONTRIBUIÇÕES: É inconstitucional, por ofen-
dência social (arts. 168-A e 337-A do CP) após
sa ao princípio da legalidade tributária, lei
proferida a decisão final, na esfera administra-
que delega aos conselhos de fiscalização de
tiva, sobre a exigência fiscal do crédito tribu-
profissões regulamentadas a competência de
tário correspondente, mesmo quando houver
fixar ou majorar, sem parâmetro legal, o valor
afastamento de multa agravada. STJ. 2a Turma.
das contribuições de interesse das categorias
REsp 1.569.429-SP, Rel. Min. Herman Benjamin,
profissionais e econômicas, usualmente cobra-
julgado em 5/5/2016 (Info 584).
das sob o título de anuidades, vedada, ademais,
»» TAXAS: Não viola a legalidade tributária a a atualização desse valor pelos conselhos em
lei que, prescrevendo o teto, possibilita o ato percentual superior aos índices legalmente
normativo infralegal fixar o valor de taxa em previstos. STF. Plenário. RE 704292/PR, Rel. Min.
proporção razoável com os custos da atuação Dias Toffoli, julgado em 19/10/2016 (repercussão
estatal, valor esse que não pode ser atualiza- geral) (Info 844).
do por ato do próprio conselho de fiscalização
»» PRINCÍPIO DA LEGALIDADE/TAXAS: Não viola
em percentual superior aos índices de correção
a legalidade tributária a lei que, prescrevendo o
monetária legalmente previstos. STF. Plenário.
teto, possibilita o ato normativo infralegal fixar
RE 838284/SC, Rel. Min. Dias Toffoli, julgado em
o valor de taxa em proporção razoável com os
19/10/2016 (repercussão geral) (Info 844).
custos da atuação estatal, valor esse que não
»» CONTRIBUIÇÕES: A Lei nº 12.514/2011, que pode ser atualizado por ato do próprio conse-
trata sobre as contribuições (anuidades) devi- lho de fiscalização em percentual superior aos
das aos Conselhos Profissionais, é constitu- índices de correção monetária legalmente
cional. Sob o ponto de vista formal, esta Lei, previstos. STF. Plenário. RE 838284/SC, Rel. Min.
apesar de ser fruto de uma MP que original- Dias Toffoli, julgado em 06/10/2016 (repercus-
mente dispunha sobre outro assunto, não pode são geral) (Info 842).
ser declarada inconstitucional porque foi edita-
»» PIS/COFINS. O contribuinte não tem direi-
da antes do STF declarar ilegítima a prática do
to a creditamento, no âmbito do regime não
“contrabando legislativo” (ADI 5127/DF). Ainda
cumulativo das contribuições ao PIS/PASEP e
quanto ao aspecto formal, esta Lei não trata
da COFINS, dos valores que, na condição de
sobre normas gerais de Direito Tributário, moti-
substituído tributário, paga ao substituto a títu-
vo pelo qual não precisava ser veiculada por
lo de reembolso pelo recolhimento do ICMS-
lei complementar. Sob o ponto de vista mate-
-ST. Quando ocorre a retenção e recolhimento
rial, a Lei respeitou os princípios da capacida-
do ICMS pela empresa a título de substituição
de contributiva, da vedação ao confisco e da
tributária (ICMS-ST), a empresa substituta não
legalidade. STF. Plenário. ADI 4697/DF, Rel. Min.

47 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

é a contribuinte. O contribuinte é o próximo na nal lei municipal que veicule exclusão de valo-
cadeia (o substituído). Nessa situação, a própria res da base de cálculo do ISSQN fora das hipó-
legislação tributária prevê que tais valores são teses previstas em lei complementar nacional.
meros ingressos na contabilidade da empresa Também é incompatível com o texto constitu-
substituta, que se torna apenas depositária de cional medida fiscal que resulte indiretamente
tributo (responsável tributário por substituição na redução da alíquota mínima estabelecida
ou agente arrecadador) que será entregue ao pelo art. 88 do ADCT, a partir da redução da
Fisco estadual. Logo, não ocorre a incidência carga tributária incidente sobre a prestação
das contribuições ao PIS/PASEP, COFINS, já que de serviço na territorialidade do ente tributan-
não há receita da empresa substituta. Desse te. STF. Plenário. ADPF 190/SP, Rel. Min. Edson
modo, não sendo receita bruta, o ICMS-ST não Fachin, julgado em 29/09/2016 (Info 841).
está na base de cálculo das contribuições ao
»» IMPOSTO DE RENDA. Em 2010, o STJ decidiu que
PIS/PASEP e COFINS não cumulativas devidas
incide Imposto de Renda sobre os rendimentos
pelo substituto. Sendo assim, o valor do ICMS-
recebidos a título de abono de permanência
-ST não pode compor o conceito de valor de
(1ª Seção. REsp 1192556/PE, Rel. Min. Mauro
bens e serviços adquiridos para efeito de credi-
Campbell Marques, julgado em 25/08/2010.
tamento das referidas contribuições para o
Recurso repetitivo). Ocorre que, antes deste
substituído, exigido pelos arts. 3, §1º, das Leis
julgamento, a posição do STJ era no senti-
nº 10.637/2002 e 10.833/2003, já que o princí-
do oposto. Diante disso, como houve radical
pio da não cumulatividade pressupõe o paga-
mudança da jurisprudência, o STJ decidiu que
mento do tributo na etapa econômica anterior,
o entendimento adotado no REsp 1.192.556-PE
ou seja, pressupõe a cumulatividade (ou a inci-
não alcança fatos geradores pretéritos ao refe-
dência em “cascata”) das contribuições ao PIS/
rido julgado. Em outras palavras, incide o IRPF
PASEP e COFINS. STJ. 2ª Turma. REsp 1.456.648-
sobre o valor do abono de permanência, mas
RS, Rel. Min. Mauro Campbell Marques, julgado
somente a partir de 2010, data do julgamento
em 2/6/2016 (Info 586).
do REsp. 1.192.556/PE, não valendo este enten-
»» IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS. As operadoras de dimento para fatos geradores anteriores a este
planos privados de assistência à saúde (plano acórdão. STJ. 1ª Turma. REsp 1.596.978-RJ, Rel.
de saúde e seguro-saúde) realizam prestação Min. Napoleão Nunes Maia Filho, julgado em
de serviço sujeita ao Imposto Sobre Serviços 7/6/2016 (Info 589).
de Qualquer Natureza - ISSQN, previsto no
»» #IMPORTANTE – ICMS. O Imposto sobre
art. 156, III, da CF/88. STF. Plenário. RE 651703/
Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS)
PR, Rel. Min. Luiz Fux, julgado em 29/09/2016
incide sobre a tarifa de assinatura básica mensal
(repercussão geral)(Info 841).
cobrada pelas prestadoras de serviço de telefo-
»» IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS. É inconstitucio- nia, independentemente da franquia de minu-

48 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

tos concedida ou não ao usuário. STF. Plenário. Mercadorias e Serviços (ICMS) pago a mais, no
RE 912888/SP, Rel. Min. Teori Zavascki, julgado regime de substituição tributária para a frente,
em 13/10/2016 (repercussão geral) (Info 843). se a base de cálculo efetiva da operação for
Cuidado. Não confundir com o RE 572020/DF, inferior à presumida. STF. Plenário. ADI 2675/PE,
rel. orig. Min. Marco Aurélio, red. p/ o acórdão Rel. Min. Ricardo Lewandowski e ADI 2777/SP,
Min. Luiz Fux, julgado em 6/2/2014 (Info 734) red. p/ o ac. Min. Ricardo Lewandowski, julga-
#IMPORTANTE dos em 19/10/2016 (Info 844). STF. Plenário. RE
»» #IMPORTANTE – ICMS: É devida a restituição 593849/MG, Rel. Min. Edson Fachin, julgados
da diferença do Imposto sobre Circulação de em 19/10/2016 (repercussão geral) (Info 844).

08. EMPRESARIAL

»» RECUPERAÇÃO JUDICIAL: Se, no âmbito de ria só terá eficácia se o aderente:


Assembleia Geral de Credores, a maioria deles
• tomar a iniciativa de instituir a arbitragem; ou
- devidamente representados pelas respectivas
classes - optar, por meio de dispositivo expres- • concordar, expressamente, com a sua insti-
samente consignado em plano de recupera- tuição, por escrito, em documento anexo ou
ção judicial, pela supressão de todas as garan- em negrito, com a assinatura ou visto espe-
tias fidejussórias e reais existentes em nome cialmente para essa cláusula.
dos credores na data da aprovação do plano,
Todos os contratos de adesão, mesmo aqueles
todos eles - inclusive os que não comparece-
que não consubstanciam relações de consumo,
ram à Assembleia ou os que, ao comparece-
como os contratos de franquia, devem observar
rem, abstiveram-se ou votaram contrariamente
o disposto no art. 4º, § 2º, da Lei nº 9.307/96.
à homologação do acordo - estarão indistinta-
mente vinculados a essa determinação. Assim, é possível a instituição de cláusu-
la compromissória em contrato de franquia,
STJ. 3ª Turma. REsp 1.532.943-MT, Rel. Min.
desde que observados os requisitos do art. 4º,
Marco Aurélio Bellizze, julgado em 13/9/2016
§ 2º, da Lei nº 9.307/96. STJ. 3ª Turma. REsp
(Info 591).
1.602.076-SP, Rel. Min. Nancy Andrighi, julgado
»» FRANQUIA: A franquia não é um contrato em 15/9/2016 (Info 591).
de consumo (regido pelo CDC), mas, mesmo
»» CONTRATOS EMPRESARIAIS. É de 1 ano o
assim, é um contrato de adesão.
prazo de prescrição da pretensão do segurador,
Segundo o art. 4º, § 2º da Lei nº 9.307/96, nos sub-rogado nos direitos do segurado, de inde-
contratos de adesão, a cláusula compromissó- nização pela deterioração de carga em navio

49 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

por falha em contêiner. Aplica-se, neste caso, o ser analisada, concretamente, a presença dos
art. 8º do Decreto-Lei 116/1967, que trata sobre requisitos caracterizadores do instituto (neces-
o prazo prescricional envolvendo as ações por sariedade e inevitabilidade – art. 393, parágrafo
extravio, perdas e avarias de carga. Não se apli- único, do Código Civil). A parte que faz esta
ca o art. 206, § 3º, V, do CC considerando que alegação deverá comprovar que a ocupação
se trata de norma geral e, por isso, não revo- ilegal da propriedade rural pelo MST criou óbice
gou o art. 8º do DL nº 116/1967, que é consi- intransponível ao cumprimento da obrigação.
derado norma especial. Aplica-se à presente Deverá também provar que não havia meios
situação a Súmula 151 do STF que, apesar de de evitar ou impedir os seus efeitos. Assim, a
antiga, continua vigente: Súmula 151-STF: Pres- cédula de crédito rural hipotecária permane-
creve em um ano a ação do segurador sub-ro- cerá exigível na hipótese de o MST invadir o
gado para haver indenização por extravio ou imóvel do financiado e este deixar de compro-
perda de carga transportada por navio. STJ. 4ª var que a invasão constitui óbice intransponível
Turma. REsp 1.278.722-PR, Rel. Min. Luis Felipe ao pagamento do crédito e que não existiam
Salomão, julgado em 24/5/2016 (Info 586). meios de evitar ou impedir os efeitos dessa
ocupação. STJ. 3ª Turma. REsp 1.564.705-PE,
»» RECUPERAÇÃO JUDICIAL. Súmula 581, STJ: A
Rel. Min. Ricardo Villas Bôas Cueva, julgado em
recuperação judicial do devedor principal não
16/8/2016 (Info 589).
impede o prosseguimento das ações e execu-
ções ajuizadas contra terceiros devedores soli- »» TÍTULO DE CRÉDITO. CÉDULA DE CRÉDITO
dários ou coobrigados em geral, por garantia RURAL. A invasão promovida por integrantes
cambial, real ou fidejussória. #SÚMULANOVA do MST em propriedade rural, por si só, não é
fato suficiente para configurar o evento como
»» TÍTULO DE CRÉDITO. CHEQUE. Em qualquer
de força maior, pois deve ser analisada, concre-
ação utilizada pelo portador para cobrança de
tamente, a presença dos requisitos caracteriza-
cheque, a correção monetária incide a partir
dores do instituto (necessariedade e inevitabi-
da data de emissão estampada na cártula, e os
lidade – art. 393, parágrafo único, do Código
juros de mora a contar da primeira apresenta-
Civil). A parte que faz esta alegação deverá
ção à instituição financeira sacada ou câmara
comprovar que a ocupação ilegal da proprie-
de compensação. STJ. 2ª Seção. REsp 1.556.834-
dade rural pelo MST criou óbice intransponível
SP, Rel. Min. Luis Felipe Salomão, julgado em
ao cumprimento da obrigação. Deverá também
22/6/2016 (recurso repetitivo) (Info 587).
provar que não havia meios de evitar ou impedir
»» TÍTULO DE CRÉDITO RURAL. A invasão promo- os seus efeitos. Assim, a cédula de crédito rural
vida por integrantes do MST em propriedade hipotecária permanecerá exigível na hipótese
rural, por si só, não é fato suficiente para confi- de o MST invadir o imóvel do financiado e este
gurar o evento como de força maior, pois deve deixar de comprovar que a invasão constitui

50 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

óbice intransponível ao pagamento do crédito credores. STJ. 3ª Turma. REsp 1.544.267-DF, Rel.
e que não existiam meios de evitar ou impe- Min. Ricardo Villas Bôas Cueva, julgado em
dir os efeitos dessa ocupação. STJ. 3ª Turma. 23/8/2016 (Info 589).
REsp 1.564.705-PE, Rel. Min. Ricardo Villas Bôas
»» RECUPERAÇÃO JUDICIAL. Súmula 581-STJ: A
Cueva, julgado em 16/8/2016 (Info 589).
recuperação judicial do devedor principal não
»» FALÊNCIA. A natureza trabalhista do crédito impede o prosseguimento das ações e execu-
não impede que o credor requeira a falência ções ajuizadas contra terceiros devedores soli-
do devedor. Assim, o credor trabalhista tem dários ou coobrigados em geral, por garan-
legitimidade ativa para ingressar com pedi- tia cambial, real ou fidejussória. STJ. 2ª Seção.
do de falência, considerando que o art. 97, IV, Aprovada em 14/09/2016, DJe 19/09/2016 (Info
da Lei nº 11.101/2005 não faz distinção entre 590).

09. DIREITO PENAL MILITAR

»» ATUALIZADO NO REVISÃO DE VÉSPERA - O conforme o art. 400 do CPP, é aplicável no


tipo penal do art. 235 do CPM continua sendo âmbito de processo penal militar. A realização
crime mesmo com a CF/88. No entanto, devem do interrogatório ao final da instrução crimi-
ser consideradas incompatíveis com a CF/88 as nal, prevista no art. 400 do CPP, na redação
expressões empregadas que falem em homos- dada pela Lei nº 11.719/2008, também se aplica
sexualismo. Isso porque o crime em tela se às ações penais em trâmite na Justiça Militar,
configura tanto quando o militar pratica rela- em detrimento do art. 302 do Decreto-Lei nº
ção sexual com alguém do mesmo sexo, como 1.002/69. Logo, na hipótese de crimes milita-
também de sexo diferente, não devendo haver res, o interrogatório também deve ser realizado
distinção de tratamento. Assim, as expressões depois da oitiva das testemunhas, ao final da
“pederastia ou outro” — mencionada na rubri- instrução. Obs: este entendimento acima só se
ca enunciativa referente ao art. 235 do CPM — tornou obrigatório a partir de 10/03/2016. Os
e “homossexual ou não” — contida no aludido interrogatórios realizados antes desta data são
dispositivo — não foram recepcionadas pela válidos, ainda que não tenham observado o
CF/88. STF. Plenário. ADPF 291/DF, Rel. Min. art. 400 do CPP, ou seja, ainda que tenham sido
Roberto Barroso, julgado em 28/10/2015 (Info realizados como primeiro ato da instrução. STF.
805). Plenário. HC 127900/AM, Rel. Min. Dias Toffoli,
»» INTERROGATÓRIO COMO ÚLTIMO ATO julgado em 3/3/2016 (Info 816).
PROCESSUAL. A exigência de realização do »» INQUÉRITO: Não viola o entendimento da SV
interrogatório ao final da instrução criminal, 14-STF a decisão do juiz que nega a réu denun-

51 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

ciado com base em um acordo de colaboração criminosa ignorada ou imputada a outrem. A


premiada o acesso a outros termos de decla- atenuante de pena prevista no art. 65, III, “d”, do
rações que não digam respeito aos fatos pelos Código Penal comum exige apenas a espon-
quais ele está sendo acusado, especialmente taneidade, mas não pode ser aplicada para os
se tais declarações ainda estão sendo investi- crimes militares em virtude do critério da espe-
gadas, situação na qual existe previsão de sigi- cialidade. STF. 1ª Turma. HC 115189/AM, Rel. Min.
lo, nos termos do art. 7º da Lei nº 12.850/2013. Marco Aurélio, julgado em 3/5/2016 (Info 824)
STF. 2ª Turma. Rcl 22009 AgR/PR, rel. Min. Teori
»» REVISÃO DE VÉSPERA: O CPPM não prevê
Zavascki, julgado em 16/2/2016 (Info 814).
expressamente a possibilidade de interrogató-
»» REVISÃO DE VÉSPERA: O art. 116, II, da Lei nº rio por meio de carta precatória, mas é possí-
6.880/80 (Estatuto dos Militares) prevê que, se vel a sua realização pela aplicação subsidiária
o oficial tiver menos que 5 anos de oficialato e do CPP. STF. 1ª Turma. HC 115189/AM, Rel. Min.
pedir seu desligamento das Forças Armadas, ele Marco Aurélio, julgado em 3/5/2016 (Info 824).
deverá indenizar as despesas feitas pela União
»» PROCEDIMENTOS: O art. 396-A do Código de
com a sua preparação e formação. Se o praça,
Processo Penal não se aplica ao rito do proces-
logo após completar o período de Escola Naval,
so penal militar. STF. 2ª Turma. HC 125777/CE,
e poucos dias antes de se tornar oficial, pede o
Rel. Min. Gilmar Mendes, julgado em 21/6/2016
seu desligamento das Forças Armadas, deve-
(Info 831).
rá pagar à União a indenização de que trata
o art. 116, II, da Lei nº 6.880/80 (Estatuto dos »» PRESCRIÇÃO: A prescrição em perspectiva (ou
Militares). É certo que o inciso II do art. 116 faz prescrição virtual) não é admitida nos crimes
referência expressa ao oficialato, mas isso não militares, assim como ocorre também nos
impede que se reconheça o dever do ex-mili- crimes comuns. STF. 2ª Turma. HC 125777/CE,
tar de indenizar a União, com base no princípio Rel. Min. Gilmar Mendes, julgado em 21/6/2016.
que veda o enriquecimento ilícito. Neste caso, (Info 831).
a situação em tela evidencia que o ex-militar se
»» COMPETÊNCIA: Compete à Justiça Militar julgar
utilizou de comportamento estratégico com o
a conduta de civil que saca valores oriundos de
objetivo de evitar o pagamento da indenização,
pensão militar depositados na conta bancária
em desrespeito aos investimentos realizados às
de ex-militar que faleceu e a Administração
custas do erário. STF. 1ª Turma. RMS 27072/DF,
Militar, por desconhecer a morte, continuou
Rel. Min. Marco Aurélio, julgado em 29/3/2016
depositando, por engano, o valor da pensão
(Info 819).
durante meses após o óbito.
»» REVISÃO DE VÉSPERA: A atenuante da confis-
O saque indevido por civil de benefício de
são tratada no art. 72, III, “d”, do Código Penal
pensão militar afeta bens e serviços das insti-
Militar está vinculada à revelação da autoria

52 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

tuições militares, estando justificada a compe- julgar a suposta prática, por militar da ativa, de
tência da Justiça Militar. STF. 2ª Turma. HC crime previsto apenas na Lei nº 8.666/93 (Lei
125777/CE, Rel. Min. Gilmar Mendes, julgado de Licitações), ainda que praticado contra a
em 21/6/2016 (Info 831). administração militar. STJ. 3ª Seção. CC 146.388-
RJ, Rel. Min. Felix Fischer, julgado em 22/6/2016
»» COMPETÊNCIA: Compete à Justiça Militar
(Info 586). #IMPORTANTE
julgar a conduta de ex-militar acusado do
crime de “apropriação de coisa havida aciden- »» COMPETÊNCIA. O mero fato de a vítima e de
talmente” (art. 249 do CPM) pelo fato de ele, o agressor serem militares não faz com que a
mesmo depois de desincorporado das fileiras, competência seja obrigatoriamente da Justi-
ter continuado sacando o soldo que era depo- ça Militar. O cometimento de delito por militar
sitado por engano em sua conta. STF. 2ª Turma. contra vítima militar somente será de compe-
HC 136539/AM, Rel. Min. Ricardo Lewandowski, tência da Justiça Castrense nos casos em que
julgado em 04/10/2016 (Info 842). houver vínculo direto com o desempenho da
atividade militar. STF. 1ª Turma. HC 135019/SP,
»» COMPETÊNCIA. Compete à Justiça Comum
Rel. Min. Rosa Weber, julgado em 20/09/2016
Federal - e não à Justiça Militar - processar e
(Info 840).

10. CONSUMIDOR

»» Súmula 563-STJ: O Código de Defesa do cobrança indevida. Para configurar a existên-


Consumidor é aplicável às entidades abertas cia do dano extrapatrimonial, é necessário que
de previdência complementar, não incidindo se demonstre que a operadora de cartão de
nos contratos previdenciários celebrados com crédito, além de ter incluído a cobrança na fatu-
entidades fechadas. ra, praticou outras condutas que configurem
dano moral, como por exemplo: a) reiteração
»» VENDA CASADA. É possível impor ao consu-
da cobrança indevida mesmo após o consu-
midor sua prévia filiação à entidade aberta
midor ter reclamado; b) inscrição do cliente
de previdência complementar como condição
em cadastro de inadimplentes; c) protesto da
para contratar com ela empréstimo financeiro.
dívida; d) publicidade negativa do nome do
STJ. 4ª Turma. REsp 861.830-RS, Rel. Min. Maria
suposto devedor; ou e) cobrança que exponha
Isabel Gallotti, julgado em 5/4/2016 (Info 581).
o consumidor, o submeta à ameaça, coação ou
»» DANO MORAL: Não configura dano moral in re constrangimento. STJ. 4ª Turma. REsp 1.550.509-
ipsa a simples remessa de fatura de cartão de RJ, Rel. Min. Maria Isabel Gallotti, julgado em
crédito para a residência do consumidor com 3/3/2016 (Info 579).

53 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

»» PLANO DE SAÚDE: É nula a cláusula inserta por Cueva, julgado em 1º/3/2016 (Info 578).
operadora de plano privado de assistência à
»» PLANO DE SAÚDE. O plano de saúde deve
saúde em formulário de Declaração de Doenças
reembolsar o segurado pelas despesas que
ou Lesões Preexistentes (Declaração de Saúde)
pagou com tratamento médico realizado
prevendo a renúncia pelo consumidor contra-
em situação de urgência ou emergência por
tante à entrevista qualificada orientada por um
hospital não credenciado, ainda que o referido
médico, seguida apenas de espaço para aposi-
hospital integre expressamente tabela contra-
ção de assinatura, sem qualquer menção ao
tual que exclui da cobertura os hospitais de alto
fato de tal entrevista se tratar de faculdade do
custo, limitando-se o reembolso, no mínimo,
beneficiário. A inserção de cláusula de renúncia
ao valor da tabela de referência de preços de
em declaração de saúde é abusiva por induzir
serviços médicos e hospitalares praticados pelo
o segurado a abrir mão do direito ao exercício
plano de saúde. STJ. 3ª Turma. REsp 1.286.133-
livre da opção de ser orientado por um médico
MG, Rel. Min. Marco Aurélio Bellizze, julgado
por ocasião do preenchimento daquela decla-
em 5/4/2016 (Info 580).
ração, notadamente porque se trata de docu-
mento que tem o condão de viabilizar futura »» PLANO DE SAÚDE: Quando o contrato de
negativa de cobertura de procedimento ou plano de saúde incluir atendimento obstétrico,
tratamento. STJ. 3ª Turma. REsp 1.554.448-PE, a operadora tem o dever de prestar assistência
Rel. Min. João Otávio de Noronha, julgado em ao recém-nascido durante os primeiros trin-
18/2/2016 (Info 578). ta dias após o parto (art. 12, III, “a”, da Lei no
9.656/98), independentemente de a operadora
»» PLANO DE SAÚDE: A migração de beneficiário
ter autorizado a efetivação da cobertura, ter ou
de plano de saúde coletivo empresarial extin-
não custeado o parto, tampouco de inscrição
to para plano individual ou familiar não ense-
do neonato como dependente nos trinta dias
ja a manutenção dos valores das mensalida-
seguintes ao nascimento. STJ. 4a Turma. REsp
des previstos no plano primitivo. STJ. 3ª Turma.
1.269.757-MG, Rel. Min. Luis Felipe Salomão,
REsp 1.471.569-RJ, Rel. Min. Ricardo Villas Bôas
julgado em 3/5/2016 (Info 584).

11. ECA

»» Lei 13.306: Altera o ECA, a fim de fixar em ro mínimo de atos infracionais graves para justi-
cinco anos a idade máxima para o atendimento ficar a internação do menor infrator com fulcro
na educação infantil. no art. 122, II, do ECA (reiteração no cometi-
mento de outras infrações graves).
»» INTERNAÇÃO: O ECA não estipulou um núme-

54 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

»» Logo, cabe ao magistrado analisar as peculiari- adequados. A classificação dos programas


dades de cada caso e as condições específicas é indicativa (e não obrigatória). STF. Plenário.
do adolescente a fim de aplicar ou não a inter- ADI 2404/DF, Rel. Min. Dias Toffoli, julgado em
nação. 31/8/2016 (Info 837).

»» A depender das particularidades e circunstân- »» #IMPORTANTE – REMISSÃO. Se o represen-


cias do caso concreto, pode ser aplicada, com tante do Ministério Público ofereceu a adoles-
fundamento no art. 122, II, do ECA, medida de cente remissão pré-processual (art. 126, caput,
internação ao adolescente infrator que antes do ECA) cumulada com medida socioeducativa
tenha cometido apenas uma outra infração e o juiz discordou dessa cumulação, ele não
grave. pode excluir do acordo a aplicação da medida
socioeducativa e homologar apenas a remis-
»» Está superado o entendimento de que a inter-
são. É prerrogativa do Ministério Público, como
nação com base nesse dispositivo somente
titular da representação por ato infracional, a
seria permitida com a prática de no mínimo
iniciativa de propor a remissão pré-proces-
3 infrações. STF. 1ª Turma. HC 94447, Rel. Min.
sual como forma de exclusão do processo. O
Luiz Fux, julgado em 12/04/2011. STJ. 5ª Turma.
juiz, no ato da homologação, se discordar da
HC 332.440/SP, Rel. Min. Reynaldo Soares da
remissão concedida, deverá remeter os autos
Fonseca, julgado em 24/11/2015. STJ. 6ª Turma.
ao Procurador-Geral de Justiça para que ele
HC 347.434-SP, Rel. Min. Nefi Cordeiro, Rel.
decida, tal como ocorre no art. 28 do CPP. O
para acórdão Min. Antonio Saldanha Palheiro,
juiz, no ato da homologação, se discordar da
julgado em 27/9/2016 (Info 591).
remissão concedida pelo Ministério Público,
»» CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA. É inconstitucio- deverá remeter os autos ao Procurador-Geral
nal a expressão “em horário diverso do auto-
de Justiça e este terá três opções: a) oferece-
rizado” contida no art. 254 do ECA. “Art. 254.
rá representação; b) designará outro Promotor
Transmitir, através de rádio ou televisão, espetá-
para apresentar a representação; ou c) ratifi-
culo em horário diverso do autorizado ou sem
cará o arquivamento ou a remissão, hipótese
aviso de sua classificação: Pena - multa de vinte
na qual o juiz estará obrigado a homologar.
a cem salários de referência; duplicada em caso
Assim, mesmo que o juiz discorde parcialmente
de reincidência a autoridade judiciária poderá
da remissão, não pode modificar os termos da
determinar a suspensão da programação da
proposta oferecida pelo MP para fins de excluir
emissora por até dois dias.” O Estado não pode
aquilo que não concordou. STJ. 6ª Turma. REsp
determinar que os programas somente possam
1.392.888-MS, Rel. Min. Rogerio Schietti, julga-
ser exibidos em determinados horários. Isso
do em 30/6/2016 (Info 587).
seria uma imposição, o que é vedado pelo texto
constitucional por configurar censura. O Poder »» #IMPORTANTE – ADOÇÃO: O termo inicial do
Público pode apenas recomendar os horários prazo de permanência de registro de nome

55 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3


RETROSPECTIVA DE JURISPRUDÊNCIA 2016
MINISTÉRIO PÚBLICO E DELEGADO

de consumidor em cadastro de proteção ao ficável da medida anteriormente imposta. STF.


crédito (art. 43, § 1º, do CDC) inicia-se no dia 1ª Turma. HC 125016/SP, red. orig. Min. Marco
subsequente ao vencimento da obrigação não Aurélio, red. p/ o acórdão Min. Roberto Barro-
paga, independentemente da data da inscrição so, julgado em 15/3/2016 (Info 818).
no cadastro. Assim, vencida e não paga a obri-
»» EDUCAÇÃO INFANTIL: Lei 13.306: Altera o
gação, inicia-se no dia seguinte a contagem do
ECA, a fim de fixar em cinco anos a idade máxi-
prazo de 5 anos previsto no §1º do art. 43, do
ma para o atendimento na educação infantil.
CDC, não importando a data em que o nome
do consumidor foi negativado. STJ. 3ª Turma. »» ATO INFRACIONAL. REVISÃO DE VÉSPERA:
REsp 1.316.117-SC, Rel. Min. João Otávio de É possível que o adolescente infrator inicie o
Noronha, Rel. para acórdão Min. Paulo de Tarso imediato cumprimento da medida socioeduca-
Sanseverino, julgado em 26/4/2016 (Info 588). tiva de internação que lhe foi imposta na senten-
ça, mesmo que ele tenha interposto recurso de
»» ATO INFRACIONAL: O ato de internação do
apelação e esteja aguardando seu julgamento.
menor é medida excepcional, apenas cabível
O adolescente infrator, em regra, não tem direi-
quando atendidos os requisitos do art. 122 do
to de aguardar em liberdade o julgamento da
ECA: Art. 122. A medida de internação só pode-
apelação interposta contra a sentença que lhe
rá ser aplicada quando: I — tratar-se de ato
impôs a medida de internação. STJ. 3ª Seção.
infracional cometido mediante grave amea-
HC 346.380-SP, Rel. Min. Maria Thereza de Assis
ça ou violência a pessoa; II — por reiteração
Moura, Rel. para acórdão Min. Rogerio Schietti
no cometimento de outras infrações graves;
Cruz, julgado em 13/4/2016 (Info 583).
III — por descumprimento reiterado e injusti-

12. AMBIENTAL

»» REVISÃO DE VÉSPERA. AMBIENTAL INTER- a Lei nº 11.934/2009. STF. Plenário. RE 627189/


NACIONAL. No atual estágio do conhecimen- SP, Rel. Min. Dias Toffoli, julgado em 8/6/2016
to científico, que indica ser incerta a existência (repercussão geral) (Info 829).
de efeitos nocivos da exposição ocupacional
e da população em geral a campos elétri-
cos, magnéticos e eletromagnéticos gerados
por sistemas de energia elétrica, não existem
impedimentos, por ora, a que sejam adotados
os parâmetros propostos pela Organização
Mundial de Saúde (OMS), conforme estabelece

56 CICLOS PRÉ-EDITAL @CLICLOSR3