Anda di halaman 1dari 3

Para lembrar de mim – eu viverei para sempre

Remember Me - I Will Live Forever


The day will come when my body will lie upon a white sheet
neatly tucked under four corners of a mattress located in a
hospital; busily occupied with the living and the dying. At a
certain moment a doctor will determine that my brain has
ceased to function and that, for all intents and purposes, my
life has stopped.

When that happens, do not attempt to instill artificial life


into my body by the use of a machine. And don't call this my
deathbed. Let it be called the bed of life, and let my body be
taken from it to help others lead fuller lives.

Give my sight to the man who has never seen a sunrise,


a baby's face or love in the eyes of a woman.

Give my heart to a person whose own heart has caused


nothing but endless days of pain.

Give my blood to the teenager who was pulled from the


wreckage of his car, so that he might live to see his
grandchildren play.

Give my kidneys to the one who depends on a machine


to exist from week to week.

Take my bones, every muscle, every fiber and nerve in


my body and find a way to make a crippled child walk.
Explore every corner of my brain.

Take my cells, if necessary, and let them grow so that,


someday a speechless boy will shout at the crack of a bat and
a deaf girl will hear the sound of rain against her window.
Burn what is left of me and scatter the ashes to the winds
to help the flowers grow.

If you must bury something, let it be my faults, my


weakness and all prejudice against my fellow man.

Give my sins to the devil.

Give my soul to God. If, by chance, you wish to remember


me, do it with a kind deed or word to someone who needs you.
If you do all I have asked, I will live forever.

Para lembrar de mim - eu viverei para sempre

Lembre-se de mim - vou viver para sempre

Chegará o dia em que meu corpo ficará deitado sobre uma folha branca cuidadosamente
colocada sob quatro cantos de um colchão localizado em um hospital; ocupado ocupado com os
vivos e os moribundos. Em certo momento, um médico determinará que meu cérebro deixou
de funcionar e que, para todos os efeitos, minha vida parou.

Quando isso acontece, não tente incutir vida artificial no meu corpo pelo uso de uma máquina.
E não chame isso de meu leito de morte. Deixe-se chamar o leito da vida, e deixe meu corpo ser
tirado dele para ajudar os outros a levarem vidas mais completas.

Dê minha visão ao homem que nunca viu um nascer do sol, o rosto de um bebê ou o amor nos
olhos de uma mulher.

Dê meu coração a uma pessoa cujo próprio coração não causou nada além de dias sem fim de
dor.

Dê o meu sangue ao adolescente que foi puxado dos destroços de seu carro, para que ele
pudesse viver para ver seus netos jogar.

Dê meus rins para aquele que depende de uma máquina para existir de semana para semana.

Pegue meus ossos, cada músculo, cada fibra e nervo em meu corpo e encontre uma maneira de
fazer uma criança paralisada andar.

Explore todos os cantos do meu cérebro.

Pegue minhas células, se necessário, e deixe-as crescer para que, algum dia, um menino sem
palavras gritará contra a rachadura de um morcego e uma garota surda ouvirá o som da chuva
contra sua janela.

Queime o que sobrou de mim e espalhe as cinzas aos ventos para ajudar as flores a crescer.

Se você deve enterrar alguma coisa, que seja minha falha, minha fraqueza e todo preconceito
contra os meus semelhantes.
Dê meus pecados ao diabo. Dê a minha alma a Deus.

Se, por acaso, você deseja lembrar de mim, faça isso com uma boa ação ou palavra para alguém
que precisa de você. Se você fizer tudo o que eu pedi, viveria para sempre.

Minat Terkait