Anda di halaman 1dari 59

Curso de Direito Página !

1
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere

Ementa:
- Poderes Administrativos;
- Administração Pública;
- Responsabilidade Civil;
- Lei 8.112/1990.

Poderes Administrativos

1. (CESPE/DPE-PE/Defensor Público/2015) Segundo entendimento já consolidado no âmbito no


STJ, a quitação de multas de trânsito vencidas não pode ser condição para a liberação de veículo
regularmente apreendido, haja vista que a multa não constitui punição autoexecutória.

2. (CESPE/DPU/Defensor Público/2015) A multa, como sanção resultante do exercício do poder


de polícia administrativa, não possui a característica da autoexecutoriedade.

3. (CESPE/DPU/Defensor Público/2015) A hierarquia é uma característica encontrada


exclusivamente no exercício da função administrativa, que inexiste, portanto, nas funções
legislativa e jurisdicional típicas.

(CESPE/MPU/Técnico Administrativo/2015) O servidor responsável pela segurança da


portaria de um
órgão público desentendeu-se com a autoridade superior desse órgão. Para se vingar do
servidor, a autoridade determinou que, a partir daquele dia, ele anotasse os dados
completos de todas as pessoas que entrassem e saíssem do imóvel. Com referência essa
situação hipotética, julgue os itens que se seguem.
4. O ato praticado pela autoridade superior, como todos os atos da administração pública, está
submetido ao princípio da moralidade, entretanto, considerações de cunho ético não são
suficientes para invalidar ato que tenha sido praticado de acordo com o princípio da legalidade.

5. O ato da autoridade superior foi praticado no exercício de seu poder disciplinar.

6. (CESPE/MPU/Analista Administrativo/2015) O poder de polícia administrativa, que incide


sobre as atividades, os bens e os próprios indivíduos, tem caráter eminentemente repressivo.

7. (CESPE/FUB/Analista - Administrador/2015) Pelo poder hierárquico, são possíveis a


apuração de faltas funcionais e a aplicação de punições ao agente infrator.

(CESPE/STJ/Analista judiciário/2015) No tocante aos poderes administrativos, julgue os


seguintes itens.
8. O fenômeno da deslegalização, também chamada de delegificação, significa a retirada, pelo
próprio legislador, de certas matérias do domínio da lei, passando-as para o domínio de
regulamentos de hierarquia inferior.

9. O poder de polícia dispõe de certa discricionariedade, haja vista o poder público ter liberdade
para escolher, por exemplo, quais atividades devem ser fiscalizadas para que se proteja o
interesse público.

10. O desvio de finalidade é uma espécie de abuso de poder em que o agente público, apesar de
agir dentro dos limites de sua competência, pratica determinado ato com objetivo diverso daquele
pautado pelo interesse público.

11. A relação entre a administração direta e as entidades que integram a administração indireta
pressupõe a existência do poder hierárquico entre ambas.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !2
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
12. (CESPE/TJDFT/Técnico judiciário/2015) Configura-se abuso de poder por desvio de poder
no caso de vício de finalidade do ato administrativo, e abuso de poder por excesso de poder
quando o ato administrativo é praticado por agente que exorbita a sua competência.

13. (CESPE/TJDFT/Analista - área judiciária/2015) O STF entende ser constitucional a


atribuição, pelo município, do exercício do poder de polícia de trânsito a guardas municipais,
inclusive no que se refere à imposição de sanções administrativas legalmente previstas.

14. (CESPE/TJDFT/Analista - área judiciária/2015) A aplicação da penalidade de demissão não


poderá ser delegada pelo presidente da República a ministro de Estado, sob pena de ineficácia do
ato.

(CESPE/DPU/Todos os cargos/2015) Tendo como referência as normas do direito


administrativo, julgue o próximo item.
15. Constitui manifestação do poder disciplinar da administração pública a aplicação de sanção a
sociedade empresarial no âmbito de contrato administrativo.

16. A interdição de restaurante por autoridade administrativa de vigilância sanitária constitui


exemplo de manifestação do exercício do poder de polícia.

17. (CESPE/DPU/Analista Técnico - Administrativo/2015) A edição de ato normativo constitui


exemplo do exercício do poder de polícia pela administração pública.

(CESPE/DPU/Técnico em Assuntos Educacionais/2015) No que se refere aos poderes da


administração pública e aos serviços públicos, julgue o item subsecutivo.
18. O poder de polícia, decorrente da supremacia geral do interesse público, permite que a
administração pública condicione ou restrinja o exercício de atividades, o uso e gozo de bens e
direitos pelos particulares, em nome do interesse público.

19. Configura-se desvio de poder ou de finalidade quando o agente atua fora dos limites de suas
atribuições, ou seja, no caso de realizar ato administrativo não incluído no âmbito de sua
competência.

20. A autoridade competente do órgão de fiscalização tem a prerrogativa discricionária de


instaurar processo administrativo para apurar a infração cometida pelo servidor.

21. A ausência de advogado para auxiliar o servidor em sua defesa não é causa de nulidade do
processo administrativo disciplinar.


22. Uma vez instaurado o processo administrativo disciplinar para apuração da infração, o servidor
poderá ser afastado de suas funções, por até sessenta dias, sem direito à remuneração do cargo.

23. O princípio da supremacia do interesse público sobre o interesse privado é um dos pilares do
regime jurídico administrativo e autoriza a administração pública a impor, mesmo sem previsão no
ordenamento jurídico, restrições aos direitos dos particulares em caso de conflito com os
interesses de toda a coletividade.

24. (CESPE/ANATEL/Nível Médio/2014) A autoexecutoriedade de certos atos de poder de polícia


é limitada, não sendo possível que a administração, por exemplo, condicione a liberação de
veículo retido por transporte irregular de passageiros ao pagamento de multa anteriormente
imposta.

25. (CESPE/TJ-SE/Técnico Judiciário/2014) No exercício do poder administrativo disciplinar, a


administração pode aplicar punições aos particulares que cometam infrações, independentemente
de estes se sujeitarem às regras do regime administrativo.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !3
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
26. (CESPE/Antaq/Nível Superior/2014) O ato de delegação de competência, revogável a
qualquer tempo pela autoridade delegante, decorre do poder administrativo hierárquico.

27. (CESPE/TCDF/Analista/2014) O presidente da República pode dispor, mediante decreto


autônomo, acerca da organização e do funcionamento da administração federal, vedados o
aumento de despesa e a criação ou extinção de órgãos públicos.

28. (CESPE/Câmara dos Deputados/Consultor/2014) Dado o poder regulamentar da


administração pública, é possível, mediante portaria, alterar-se as atribuições de cargo público.

29. (CESPE/Antaq/Nível Superior/2014 - Adequada) A edição de decretos de execução está


embasada no poder regulamentar, exclusivo do chefe do Poder Executivo.

30. (CESPE/TCDF/Analista/2014) Se a aplicação da multa for indevida, a administração tem o


poder de anulá-la, de ofício, independentemente de provocação do interessado.


31. (CESPE/TCDF/Analista/2014) A aplicação de multa ao estabelecimento comercial decorre do


poder disciplinar da administração pública.


32. (CESPE/TCDF/Analista/2014) Diante do risco à saúde da população, as mercadorias com


prazo de validade expirado poderão ser imediatamente apreendidas, mesmo antes da abertura de
processo administrativo e sem prévio contraditório do proprietário do estabelecimento.

(CESPE/TCDF/Analista/2014) Suponha que um servidor público fiscal de obras do DF, no


intuito de prejudicar o governo, tenha determinado o embargo de uma obra de canalização
de águas pluviais, sem que houvesse nenhuma irregularidade. Em razão da paralisação,
houve atraso na conclusão da obra, o que causou muitos prejuízos à população. Com base
nessa situação hipotética, julgue os itens que se seguem.
33. O ato de embargo da obra atenta contra os princípios da legalidade, da impessoalidade e da
moralidade.

34. (Ministério da Justiça/Analista/2013) O poder administrativo disciplinar consiste na


possibilidade de a administração pública aplicar punições aos agentes públicos e aos particulares
em geral que cometam infrações.


35. (CESPE/STF/Técnico judiciário/2013) O poder disciplinar da administração pública decorre
da relação de hierarquia, razão por que não se admite a aplicação de penalidade ao particular
sem relação contratual com a administração.

36. (MPU/Técnico/2013) Verifica-se a existência de hierarquia administrativa entre as entidades


da administração indireta e os entes federativos que as instituíram ou autorizaram a sua criação.


37. (CESPE/TRT 17ª/Técnico judiciário/2013) Não há relação de hierarquia entre os


parlamentares nem entre os juízes no exercício de suas funções institucionais. Pode-se
considerar, portanto, que o poder hierárquico existe apenas no âmbito do Poder Executivo, não no
âmbito dos Poderes Legislativo e Judiciário.

38. (Ministério da Justiça/Analista/2013) Decorre da hierarquia administrativa o poder de dar


ordens aos subordinados, que implica o dever de obediência aos superiores, mesmo para ordens
consideradas manifestamente ilegais.


39. (CESPE/STF/Técnico judiciário/2013) A avocação de competência atribuída a órgão
hierarquicamente inferior é juridicamente possível, desde que seja temporária, excepcional e
fundada em motivos relevantes devidamente justificados.

40. (CESPE/TCU/Auditor/2013) Se, ao editar um decreto de natureza regulamentar, a


Presidência da República invadir a esfera de competência do Poder Legislativo, este poderá
www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !4
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
sustar o decreto presidencial sob a justificativa de que o decreto extrapolou os limites do poder de
regulamentação.

41. (MPU/Técnico/2013) É denominado regulamento executivo o decreto editado pelo chefe do


Poder Executivo federal para regulamentar leis.

42. (Ministério das Comunicações/Contrato Temporário/2013) Os decretos de execução são


atos normativos ditos secundários.


43. (Ministério das Comunicações/Contrato Temporário/2013) O poder punitivo da


administração se consolida com o poder disciplinar.


44. (Ministério das Comunicações/Contrato Temporário/2013) O poder de polícia somente


poderá ser exercido mediante prévia autorização judicial.


45. (Ministério da Integração/Analista/2013) O poder de polícia, prerrogativa conferida à


administração pública para que possa praticar toda e qualquer ação restritiva em relação ao
administrado em benefício do interesse público, é exercido pela polícia civil, no âmbito dos
estados, e pela polícia federal, no âmbito da União.

46. (CESPE/TRT 17ª/Técnico judiciário/2013) As sanções de polícia, por serem aplicadas pela
própria administração pública com base em previsão legal, não têm prazo prescricional nem
exigem a observância do princípio da ampla defesa e do contraditório.


47. (CESPE/STF/Técnico judiciário/2013) Os atos decorrentes do poder de polícia são passíveis
de controle administrativo. A existência de vício de legalidade resultará na invalidação do ato. Já o
controle de mérito, que leva em conta a conveniência e oportunidade, poderá ocasionar a
revogação do ato, se o interesse público assim o exigir.

48. (CESPE/STF/Técnico judiciário/2013) A autoexecutoriedade é atributo do poder de polícia e


consiste em dizer que a administração pública pode promover a sua execução por si mesma, sem
necessidade de remetê-la previamente a apreciação Judicial.


49. (CESPE/STF/Analista área judiciária/2013) A aplicação de multa pela administração pública


a restaurante que violou norma de vigilância sanitária inclui-se no âmbito do poder disciplinar.

50. (Ministério da Saúde/Analista/2013) A inércia da autoridade administrativa, caracterizada


pela falta de execução de determinada prestação de serviço que por lei está obrigada a cumprir,
constitui abuso de poder.

51. (Ministério da Saúde/Analista/2013) O abuso do poder se configura apenas quando a


autoridade pratica o ato, embora não possua competência para tal.


52. (MPU/Técnico/2013) Considere que determinado técnico do MPU tenha cometido infração
disciplinar e que seu chefe imediato tenha dela tomado conhecimento no dia seguinte ao da
prática do ato. Nesse caso, deve o chefe do servidor promover a apuração imediata da
irregularidade, mediante sindicância ou processo administrativo disciplinar.


53. (CESPE/STF/Técnico judiciário/2013) Quando o agente público pratica ato com abuso de
poder, atuando fora dos seus limites de competência, tem-se o desvio de finalidade.


54. (CESPE/TCU/Auditor/2013) As licenças são atos vinculados por meio dos quais a
administração pública, no exercício do poder de polícia, confere ao interessado consentimento
para o desempenho de certa atividade que só pode ser exercida de forma legítima mediante tal
consentimento.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !5
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
55. (CESPE/STF/Técnico judiciário/2013) A falta de defesa técnica por advogado no processo
administrativo disciplinar ofende a CF.


56. (Ministério da Integração/Analista/2013) Considere que um servidor público, após regular


processo administrativo disciplinar, seja suspenso por decisão da autoridade competente, por
praticar irregularidades no exercício do cargo. Nessa situação, a imposição pela administração
pública da sanção ao servidor, independentemente de decisão judicial, decorre do poder
hierárquico.

Poderes Administrativos
1. E 2. C 3. C 4. E 5. E 6. E

7. E 8. C 9. C 10. C 11. E 12. C

13. C 14. E 15. C 16. C 17. C 18. C

19. E 20. E 21. C 22. E 23. E 24. C

25. E 26. C 27. C 28. C 29. C 30. C


31. E 32. C 33. C 34. E 35. C 36. E

37. E 38. E 39. C 40. C 41. C 42. C

43. C 44. E 45. E 46. E 47. C 48. C

49. E 50. C 51. E 52. C 53. E 54. C

55. E 56. E

FIXAÇÃO

1. (FCC/TJ-GO/Juiz de Direito/2015) O regime jurídico administrativo compreende um conjunto de


prerrogativas e sujeições aplicáveis à Administração e expressa-se sob a forma de princípios
informativos do Direito Público, bem como pelos poderes outorgados à Administração, entre os
quais se insere o poder normativo, que
a) não se restringe ao poder regulamentar, abarcando também atos originários relativos a matéria de
organização administrativa.
b) permite a edição de atos discricionários, com base em critérios de conveniência e oportunidade e afasta
a vinculação a requisitos formais
c) autoriza a Administração a impor limites às atividades privadas em prol do interesse público.
d) é o instrumento pelo qual a Administração disciplina a execução da lei, editando normas que podem
inovar em relação ao texto legal para a criação de obrigações aos administrados.
e) compreende a aplicação de sanções àqueles ligados à Administração por vínculo funcional ou contratual.

2. (FCC/TRE-RR/Técnico judiciário/2015) A edição de atos normativos de efeitos internos, com o


objetivo de ordenar a atuação dos órgãos subordinados decorre do poder
a) disciplinar.
b) regulamentar.
c) hierárquico.
d) de polícia.
e) normativo.

3. (FCC/TCM-GO/Auditor de Controle Externo/2015) A respeito do poder de polícia, considere:


I. Constitui um poder vinculado, descabendo discricionariedade administrativa para a pratica de atos que
envolvam seu exercício.
II. Os atos praticados no exercício do poder de polícia, quando dotados de autoexecutoriedade, possibilitam
que a Administração os ponha em execução sem necessitar de tutela jurisdicional.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !6
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
III. Corresponde apenas a atos repressivos, tanto no âmbito da polícia administrativa como em relação à
polícia judiciária, dotados de coercibilidade.
Está correto o que se afirma APENAS em
a) II.
b) I.
c) III.
d) I e II.
e) II e III.

4. (FCC/SEFAZ-PI/Analista/2015) Motivado por interesses políticos, um administrador público


determinou fiscalização sanitária pelo órgão competente em estabelecimento comercial, tendo sido
constatada uma série de irregularidades pelos agentes públicos, dentre elas, o armazenamento de
mercadorias perecíveis com data de validade expirada. Foram determinadas, assim, nos termos do
que autoriza a lei, a apreensão das mercadorias, a lavratura de auto de infração e a imposição de
multa, sem prejuízo do fechamento do estabelecimento. A atuação da Administração
a) constitui desvio de finalidade, tendo em vista que o poder de polícia não abrange medidas coercitivo-
materiais sem autorização do Poder Judiciário.
b) pode ser considerada nula, tendo em vista que a motivação do ato que determinou a fiscalização eiva de
vício as diligências promovidas e irregularidades constatadas.
c) configura expressão do poder de polícia, devendo ser mantidas as medidas coercitivas e sancionatórias
em face das provas obtidas, sem prejuízo de eventual responsabilização do administrador pela conduta
indicada.
d) excede os limites do poder de polícia, que se restringe a medidas preventivas e limitadoras, em tese, dos
direitos e liberdades individuais dos administrados.
e) é regular e válida, tendo em vista que a motivação ou o motivo dos atos administrativos não são
relevantes para análise de sua validade ou eficácia, importando apenas a consequência.

5. (FGV/TJ-GO/Analista Judiciário/2014) Joana, professora da rede estadual ocupante de


cargo efetivo, requereu ao Secretário de Estado de Educação licença para aprimoramento
profissional de professor. Seu pleito foi indeferido ao argumento de carência de professor
efetivo na rede estadual, para evitar danos ao interesse público por prejuízo ao regular
prosseguimento das aulas. O poder administrativo conferido ao Administrador para aferir a
oportunidade e conveniência na análise do requerimento de Joana chama-se poder:
a) de polícia;
b) discricionário;
c) hierárquico;
d) regulador;
e) disciplinar. 


6. (FGV/TJ-GO/Analista Judiciário/2014) De acordo com a moderna doutrina de direito


administrativo, a atividade do Estado consistente em limitar o exercício dos direitos
individuais em benefício do interesse público é chamada de poder:
a) regulamentar;
b) hierárquico;
c) disciplinar;
d) de polícia;
e) de império. 


7. (FGV/TJ-GO/Analista - Área Judiciária/2014) Sobre o poder de polícia, é correto afirmar


que:
a) a polícia administrativa atua de forma repressiva e é exercida com exclusividade pelo Poder 

Executivo que, por excelência, pratica atos administrativos;
b) tem por fundamento o princípio da predominância do interesse privado sobre o público, que dá
à Administração posição de supremacia sobre os administrados;
c) a autoridade que se afastar da finalidade pública em sua prática incidirá em desvio de poder e 

acarretará a nulidade do ato;
d) a polícia judiciária tem caráter, em regra, preventivo e não está relacionada à prática do ilícito 

penal;

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !7
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
e) pode, em regra, ser plenamente delegado a quaisquer pessoas jurídicas de direito privado,
desde que por meio de formal ato administrativo, com a devida publicação na imprensa oficial. 


8. (IESES/TRT 14a/Analista Judiciário/2014) Quando o Presidente da República edita um


Decreto, esclarecendo como deverá ser cumprida uma lei produzida pelo Congresso
Nacional:
a) A Administração exerce seu poder regulamentar.
b) A Administração exerce seu poder disciplinar.
c) Não há exercício de poder da Administração.
d) A Administração exerce seu poder Legislativo.
e) A Administração exerce seu poder hierárquico. 


9. (IESES/TRT 14a/Analista Judiciário/2014) Ao punir um servidor público segundo os


preceitos legais aplicáveis e ao estabelecer as atribuições de seus órgãos, a Administração
exercita, respectivamente, seu Poder:
a) Regulamentar e Disciplinar.
b) De Polícia e Disciplinar.
c) Hierárquico e Regulamentar.
d) Disciplinar e Regulamentar.
e) Disciplinar e Hierárquico. 


10. (FGV/MPE-RJ/Direito/2014) Francisco iniciou construção clandestina e ilegal de um


imóvel, sem requerer ou obter qualquer licença municipal, inclusive ocupando parte de
área pública. Exercendo seu dever constitucional de promover o adequado ordenamento
territorial, mediante controle do uso e da ocupação do solo urbano, após regular
fiscalização e processo administrativo, o Município determinou a demolição da construção
irregular. O poder administrativo que fundamentou a postura da municipalidade é chamado
de poder:
a) regulamentar;
b) sancionador;
c) hierárquico;
d) de gestão;
e) de polícia. 


11. (IESES/IGP-SC/Auxiliar Pericial/2014) Considerando a legislação vigente, o poder


inerente aos Chefes dos Poderes Executivos (Presidente, Governadores e Prefeitos) para
expedir decretos e regulamentos para complementar, explicitar a lei visando sua fiel
execução, é corretamente chamado de:
a) Poder Regulamentar.
b) Poder Discricionário.
c) Poder Vinculado.
d) Poder Disciplinar. 


12. (VUNESP/TJ-SP/Juiz/2014) A “faculdade de que dispõe a Administração Pública para


condicionar e restringir o uso e gozo de bens, atividades e direitos individuais, em
benefício da coletividade ou do próprio Estado”, como a conceitua Hely Lopes Meirelles, é
conhecida tecnicamente como:
a) poder de polícia.
b) poder regulamentar.
c) poder disciplinar.
d) poder hierárquico. 


13. (FGV/MPE-SC/Procurador/2014) Assinale a alternativa incorreta.


a) Pelo poder hierárquico os agentes públicos podem delegar e avocar competências.
b) Uma entidade estatal não pode exercer o poder hierárquico sobre uma entidade autárquica,
pois não há relação de subordinação entre elas, mas, tão somente, um vínculo administrativo.
www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !8
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
c) O poder hierárquico é aquele que confere à Administração Pública a capacidade de ordenar,
coordenar, controlar e corrigir as atividades administrativas no âmbito interno da Administração.
d) É por meio do poder hierárquico que a Administração Pública ordena funções administrativas,
escalonando-as entre seus órgãos e agentes públicos. Essa relação de subordinação implica o
dever de obediência às ordens superiores, ainda que ilegais.
e) Um órgão administrativo e seu titular poderão, se não houver impedimento legal, delegar parte
da sua competência a outros órgãos ou titulares, ainda que estes não lhe sejam hierarquicamente
subordinados, em razão de circunstâncias de índole técnica, social, econômica, jurídica ou
territorial. 


14. (CESPE/TJ-SE/Titular de Serviços de Notas e de Registros/2014) Acerca dos poderes


administrativos, assinale a opção correta.
a) Se for causada por insuficiência de provas, a absolvição de servidor réu em ação penal aberta
devido a fato apurado também em processo administrativo levará à absolvição desse servidor
também no âmbito administrativo.
b) De acordo com o STJ, manifesta-se o poder discricionário quando o juiz impõe a pena ao
condenado após sentença condenatória.
c) Com relação a poder hierárquico, pode ser objeto de delegação pelo superior hierárquico a
decisão referente a recursos administrativos.
d) O poder de polícia, em sua dupla acepção, restringe-se a atos do Poder Executivo.
e) A autorização de uso de bem público é ato praticado pela administração pública no exercício do
poder vinculado.

15. (CESPE/TJ-CE/Analista - Execução de Mandados/2014) Em relação aos poderes


administrativos, assinale a opção correta.
a) As prerrogativas do Poder Legislativo incluem a sustação dos atos normativos do Poder
Executivo que exorbitem do poder regulamentar.
b) O poder discricionário não é passível de controle pelo Poder Judiciário.
c) O desvio de poder configura-se quando o agente atua fora dos limites de sua competência
administrativa.
d) Nenhum ato inerente ao poder de polícia pode ser delegado, dado ser expressão do poder de
império do Estado.
e) O poder hierárquico restringe-se ao Poder Executivo, uma vez que não há hierarquia nas
funções desempenhadas no âmbito dos Poderes Legislativo e Judiciário.

16. (CESPE/TJ-CE/Técnico judiciário/2014) Considere que a prefeitura de determinado


município tenha concedido licença para reforma de estabelecimento comercial. Nessa
situação hipotética, assinale a opção em que se explicita o poder da administração
correspondente ao ato administrativo praticado, além das classificações que podem
caracterizá-lo.
a) poder disciplinar, ato bilateral e discricionário
b) poder de polícia, ato bilateral e discricionário
c) poder disciplinar, ato unilateral e discricionário
d) poder de polícia, ato unilateral e vinculado
e) poder hierárquico, ato unilateral e vinculado

17. (CESPE/TJ-CE/Técnico judiciário/2014) A respeito dos poderes da administração,


assinale a opção correta.
a) Em respeito ao princípio da separação dos poderes, o Congresso Nacional não pode sustar ato
normativo do Poder Executivo.
b) Um dos meios pelo quais a administração exerce seu poder de polícia é a edição de atos
normativos de caráter geral e abstrato.
c) A delegação de atribuições de um órgão público para outra pessoa jurídica configura exemplo
de desconcentração administrativa.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !9
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
d) Ao tomar conhecimento da ocorrência de infração disciplinar, a administração deve, em um
primeiro momento, avaliar a conveniência e oportunidade da instauração de processo
administrativo.
e) O poder regulamentar é prerrogativa conferida à administração pública para expedir normas de
caráter geral, em razão de eventuais lacunas, com a finalidade de complementar ou modificar a
lei.

18. (CESPE/TJ-CE/Técnico judiciário/2014) Assinale a opção correta no que se refere aos


poderes e deveres dos administradores públicos.
a) Em caso de omissão do administrador, o administrado pode exigir, por via administrativa ou
judicial, a prática do ato imposto pela lei.
b) No exercício do poder hierárquico, os agentes superiores têm competência, em relação aos
agentes subordinados, para comandar, fiscalizar atividades, revisar atos, delegar, avocar
atribuições e ainda aplicar sanções.
c) O poder de agir da administração refere-se à sua faculdade para a prática de determinado ato
de interesse público.
d) Caracteriza-se desvio de finalidade quando o agente atua além dos limites de sua competência,
buscando alcançar fins diversos daqueles que a lei permite.
e) Há excesso de poder quando o agente, mesmo que agindo dentro de sua competência, exerce
atividades que a lei não lhe conferiu.

19. (CESPE/TJ-CE/Analista judiciário/2014) No tocante aos poderes da administração


pública, assinale a opção correta.
a) O poder disciplinar é aquele exercido pela administração pública para apurar infrações e aplicar
penalidades aos servidores públicos e aos empregados terceirizados que lhe sejam subordinados.
b) O poder de polícia, em sentido amplo, estende-se à atividade do Estado de condicionar a
liberdade e a propriedade, ajustando-as aos interesses coletivos, o que abrange os atos do
Judiciário, do Legislativo e do Executivo.
c) Na hipótese de o presidente da República editar decreto que exorbite do poder regulamentar, é
possível a sustação do referido ato normativo do Poder Executivo pelo Congresso Nacional.
d) Caso um agente público atue fora dos limites de sua competência, ficarão caracterizados tanto
o excesso quanto o desvio de poder.
e) Decorre do poder hierárquico a possibilidade de delegação da edição de atos de caráter
normativo, devendo o ato de delegação ser publicado em meio oficial.

20. (CESPE/TJ-SE/Titular de Cartório - remoção/2014) A respeito dos poderes da


administração, assinale a opção correta.
a) No que diz respeito ao poder de polícia, entende o STJ que, na hipótese de determinado
veículo ser retido apenas por transporte irregular de passageiro, a sua liberação não está
condicionada ao pagamento de multas e despesas.
b) Configura hipótese de desvio de poder a atuação do agente público que extrapole os limites de
suas atribuições, previstas em lei.
c) De acordo com o STJ, fica caracterizado o poder discricionário da administração pública no ato
administrativo de indeferimento de pleito de servidor para gozar de licença para tratar de interesse
particular, sendo lícito o controle pelo Poder Judiciário na hipótese de manifesta ilegalidade, mas
não na de motivação inidônea.
d) Decorrente do poder hierárquico, a avocação temporária de competências pelo superior
hierárquico é permitida sempre que ele entender ser ela conveniente.
e) No que tange ao poder disciplinar, entende o STJ ser obrigatória a intimação do interessado
para apresentar alegações finais após o relatório final de processo administrativo disciplinar
apresentado pela comissão processante, em respeito à ampla defesa e ao contraditório.

21. (CESPE/TJ-DF/Titular de Cartório/2014) A respeito dos poderes administrativos, assinale


a opção correta.
a) Desde que haja previsão legal, é possível o exercício do poder de polícia, em especial a
realização de atos coercitivos, por pessoa jurídica da iniciativa privada não integrante da
administração pública.
www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !10
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
b) O poder disciplinar e o hierárquico fundamentam a aplicação de sanção administrativa a
particular que, contratado pela administração, descumpra obrigações contratuais.
c) Insere-se no âmbito do poder regulamentar a competência privativa, não passível de
delegação, do presidente da República para expedir decretos para a fiel execução das leis.
d) A interdição de estabelecimentos comerciais, a apreensão de mercadorias e a detenção de
pessoas são exemplos de atos praticados pela administração pública no âmbito do poder de
polícia.
e) Dada a relação de hierarquia existente entre a União e autarquia federal, é possível a
delegação a esta de parte da competência daquela, quando conveniente, em razão de
circunstâncias de índole técnica, social, econômica, jurídica ou territorial.

22. (CESPE/TJ-DF/Titular de Cartório/2014) No que concerne aos atos administrativos,


assinale a opção correta.
a) É possível a revogação de ato administrativo enunciativo, como uma certidão, caso o ato seja
conveniente e oportuno para a administração pública.
b) Caso o particular obtenha licença para construir e deixe de cumprir as condições que a lei exige
para tanto, deve a administração extinguir o referido ato administrativo por meio de cassação.
c) Incorre no vício de desvio de poder o agente público que exceda os limites de sua competência
ao aplicar a subordinado penalidade além dos imites de sua alçada.
d) A imposição e a execução de multa estabelecida pela administração pública a particular
independem de decisão judicial, dado o atributo da autoexecutoriedade dos atos administrativos.
e) A falta de motivação do ato administrativo configura vício insanável, visto que atinge o elemento
motivo, indispensável às ações da administração pública.

23. (CESPE/TJ-DF/Titular de Cartório/2014) Com relação aos poderes administrativos,


assinale a opção correta.
a) A polícia administrativa realiza atividades fiscalizatórias e repressivas e suas ações incidem
sobre bens, serviços e pessoas.
b) Ao buscar uma finalidade, ainda que de interesse público, alheia à categoria do ato que utilizou,
o agente público competente incorre em excesso de poder.
c) Os atos administrativos praticados no exercício do poder de polícia não são suscetíveis de
controle judicial, uma vez que se caracterizam por coercibilidade e autoexecutoriedade.
d) A atividade da administração pública que, mediante atos normativos ou concretos, limita ou
condiciona a liberdade e a propriedade dos indivíduos, de acordo com o interesse coletivo, refere-
se ao exercício do poder regulamentar.
e) A avocação e a delegação de competência são atos administrativos praticados no exercício do
poder hierárquico da administração pública.

Poderes Administrativos - Fixação


1. a 2. c 3. a 4. c 5. b 6. d
7. c 8. a 9. d 10. e 11. a 12. a
13. d 14. b 15. a 16. b 17. d 18. b
19. a 20. c 21. a 22. c 23. e

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !11
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere

Administração Pública

1. (CESPE/DPU/Defensor Público/2015) Considera-se desconcentração a transferência, pela


administração, da atividade administrativa para outra pessoa, física ou jurídica, integrante do
aparelho estatal.

(CESPE/MPU/Técnico Administrativo/2015) Julgue os itens a seguir, de acordo com o


regime jurídico das autarquias.
2. Autarquia é entidade dotada de personalidade jurídica própria, com autonomia administrativa e
financeira, não sendo possível que a lei institua mecanismos de controle da entidade pelo ente
federativo que a criou.

3. O instrumento adequado para a criação de autarquia é o decreto, pois o ato é de natureza


administrativa e de iniciativa privativa do chefe do Poder Executivo.

(CESPE/MPU/Analista Administrativo/2015) Julgue o item a seguir, referente às autarquias


federais.
4. A criação de autarquia é uma forma de descentralização por meio da qual se transfere
determinado serviço público para outra pessoa jurídica integrante do aparelho estatal.

5. (CESPE/TCU/Técnico de Controle Externo/2015) Se for imprescindível à segurança da


sociedade e do Estado, será permitido o sigilo dos atos administrativos.

6. (CESPE/TCU/Técnico de Controle Externo/2015) Ofenderá o princípio da impessoalidade a


atuação administrativa que contrariar, além da lei, a moral, os bons costumes, a honestidade ou
os deveres de boa administração.

(CESPE/FUB/Analista - Administrador/2015) A respeito da administração direta e indireta,


julgue os itens a seguir.
7. As fundações públicas de personalidade jurídica de direito público, na área federal, são
entidades da administração direta.

8. Integram a administração federal indireta, entre outras entidades, os serviços sociais


autônomos e as organizações sociais.

9. As fundações públicas, tanto as de direito público quanto as de direito privado, são


necessariamente criadas por lei, devendo estar o patrimônio delas vinculado a um fim específico.

(CESPE/FUB/Analista - Administrador/2015) Julgue os itens subsecutivos, de acordo com


os princípios que compõem o direito administrativo brasileiro.
10. A ação administrativa tendente a beneficiar ou a prejudicar determinada pessoa viola o
princípio da isonomia.

11. O agente público só poderá agir quando houver lei que autorize a prática de determinado ato.

12. Os atos administrativos se aperfeiçoam pela publicidade, sendo possível, em alguns casos,
que sejam praticados sob sigilo.

13. (CESPE/STJ/Analista judiciário/2015) O princípio da especialidade na administração indireta


impõe a necessidade de que conste, na lei de criação da entidade, a atividade a ser exercida de
modo descentralizado.

14. (CESPE/STJ/Analista judiciário/2015) O simples fato de o poder público passar a deter a


maioria do capital social de uma empresa privada a transforma em sociedade de economia mista,
independentemente de autorização legal.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !12
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
(CESPE/STJ/Técnico Judiciário/2015) Julgue os itens a seguir, acerca dos conceitos de
Estado, governo e administração pública.
15. A Presidência da República integra a administração pública federal direta.

16. No âmbito da administração pública, o Poder Executivo tem a função finalística de praticar
atos de governo e de administração.

17. Em seu sentido subjetivo, a administração pública restringe-se ao conjunto de órgãos e


agentes públicos do Poder Executivo que exercem a função administrativa.

(CESPE/STJ/Técnico Judiciário/2015) Julgue os itens que se seguem à luz dos princípios


do direito administrativo.
18. Em um Estado democrático de direito, deve-se assegurar o acesso amplo às informações do
Estado, exigindo-se, com amparo no princípio da publicidade, absoluta transparência, sem espaço
para excepcionalidades no âmbito interno.

19. De acordo com o princípio da moralidade administrativa, os agentes públicos, no exercício de


suas atribuições, não devem desvirtuar suas funções em prol de interesses privados, ainda que
legítimos.

(CESPE/DPU/Agente Administrativo/2015) A respeito da centralização, descentralização,


concentração e desconcentração e da organização administrativa da União, julgue o item
subsequente.
20. As fundações públicas admitem dois regimes jurídicos de pessoal: o estatutário, em que o
servidor público ocupa o cargo regido por um estatuto; e o celetista, em que o empregado público
é regido pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

21. A desconcentração de serviços é caracterizada pelas situações em que o poder público cria,
por meio de lei, uma pessoa jurídica e a ela atribui a execução de determinado serviço.

22. Se determinada atribuição administrativa for outorgada a órgão público por meio de uma
composição hierárquica da mesma pessoa jurídica, em uma relação de coordenação e
subordinação entre os entes, esse fato corresponderá a uma centralização.

23. (CESPE/DPU/Agente Administrativo/2015) Acerca da gestão de contratos, julgue o item


subsecutivo.
Considere que seja necessário estabelecer parceria entre um município e outro ente da
Federação, para juntos promoverem, em matéria tributária, a mútua assistência para fiscalização
de tributos respectivos e permuta de informações. Nessa situação, é correta a realização de um
convênio entre as partes, já que, nos convênios, os objetivos dos entes participantes devem ser
comuns.

24. (CESPE/DPU/Agente Administrativo/2015) Órgãos e entidades públicas, tanto da


administração direta quanto da indireta, podem aumentar a sua autonomia gerencial, orçamentária
e financeira mediante contratos firmados, conforme previsão legal.

25. (CESPE/DPU/Agente Administrativo/2015) Faculta-se ao poder público, nos contratos de


gestão, o estabelecimento de metas de desempenho para o aumento da eficiência do ente
contratante.

26. (CESPE/DPU/Analista Técnico - Administrativo/2015) A repartição do poder estatal em


funções — legislativa, executiva e jurisdicional — não descaracteriza a sua unicidade e
indivisibilidade.

(CESPE/DPU/Analista Técnico - Administrativo/2015) Uma autarquia federal, desejando


comprar um bem imóvel — não enquadrado nas hipóteses em que a licitação é dispensada,
dispensável ou inexigível — com valor de contratação estimado em R$ 50.000,00, efetuou
licitação na modalidade concorrência. Considerando a situação descrita, julgue os itens a

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !13
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
seguir, acerca da organização administrativa da União, das licitações e contratos
administrativos e do disposto na Lei n.º 8.112/1990.
27. É prerrogativa da referida autarquia, que certamente foi criada por meio de lei específica, a
impenhorabilidade dos seus bens.

(CESPE/DPU/Técnico em Assuntos Educacionais/2015) Em relação à administração pública


direta e indireta e às funções administrativas, julgue o item a seguir.
28. A criação de autarquia federal depende de edição de lei complementar.

29. Cria-se empresa pública e autoriza-se seu imediato funcionamento por meio de publicação de
lei ordinária específica.

30. Em regra, as sociedades de economia mista devem realizar concurso público para contratar
empregados.

31. A função administrativa é exclusiva do Poder Executivo, não sendo possível seu exercício
pelos outros poderes da República.

32. A aplicação da lei pelo Poder Executivo, no exercício da função administrativa, depende de
provocação do interessado, sendo vedada a aplicação de ofício.

33. A administração pública em sentido formal, orgânico ou subjetivo, compreende o conjunto de


entidades, órgãos e agentes públicos no exercício da função administrativa. Em sentido objetivo,
material ou funcional, abrange um conjunto de funções ou atividades que objetivam realizar o
interesse público.

34. (CESPE/TJ-SE/Analista - área judiciária/2014) As empresas públicas se diferenciam das


sociedades de economia mista, entre outros fatores, pela forma jurídica e de constituição de seu
capital social.

35. (CESPE/TJ-SE/Técnico judiciário/2014) Pode ser qualificada como agência executiva a


autarquia que tenha plano estratégico de reestruturação e de desenvolvimento institucional em
andamento e que celebre contrato de gestão com órgão do governo federal.

36. (CESPE/TCDF/Técnico de administração/2014) O Serviço Social do Comércio, exemplo de


entidade de direito privado que atua em colaboração com o Estado, apesar de ter sido criado por
lei, não integra a administração indireta.

37. (CESPE/TCDF/Técnico - Adm. Pública/2014) Os municípios, assim como os estados-


membros, poderão ter sua administração indireta, em razão da autonomia a eles conferida pela
CF.

38. (CESPE/TCDF/Técnico - Adm. Pública/2014) Configura hipótese de descentralização


administrativa a criação de uma eventual Secretaria de Estado de Aquisições do DF.

39. (CESPE/Câmara dos Deputados/Consultor/2014) A criação de uma nova pessoa jurídica,


mediante a transferência de hierarquia e a manutenção do controle por quem gerou a nova
pessoa jurídica, caracteriza a técnica administrativa denominada de desconcentração.

40. (CESPE/Câmara dos Deputados/Consultor/2014) A criação de uma sociedade de economia


mista por uma unidade da Federação é exemplo de descentralização por serviços.

41. (CESPE/TCDF/Técnico - Adm. Pública/2014) Ao contrário das empresas públicas, em que o


regime de pessoal é híbrido, sendo permitida a vinculação de agentes tanto sob o regime celetista
quanto sob o estatutário, nas sociedades de economia mista, o vínculo jurídico que se firma é
exclusivamente contratual, sob a égide da Consolidação das Leis do Trabalho.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !14
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
42. (CESPE/Câmara dos Deputados/Consultor/2014) A exploração de atividade econômica pela
administração pública requer a instituição de uma autarquia.

43. (CESPE/Câmara dos Deputados/Consultor/2014) Uma empresa pública consiste em uma


entidade de direito privado em que pelo menos 51% do seu capital pertence à administração
pública.

44. (CESPE/Câmara dos Deputados/Consultor/2014) A sociedade de economia mista que não


honrar os compromissos assumidos junto aos seus fornecedores não poderá pleitear a
recuperação judicial ou extrajudicial.

45. (CESPE/Câmara dos Deputados/Consultor/2014) Uma causa de descontinuidade de


fornecimento de insumos básicos para a atividade de uma sociedade de economia mista sob o
controle acionário da União deverá ser julgada pela justiça federal.

46. (CESPE/Câmara dos Deputados/Consultor/2014) Os empregados de empresa pública são,


necessariamente, estatutários e os de sociedade de economia mista celetistas, sendo necessária
prévia aprovação em concurso público para o ingresso em ambos os regimes.

47. (CESPE/TJ-SE/Analista - área judiciária/2014) Em consonância com os princípios


constitucionais da impessoalidade e da moralidade, o STF, por meio da Súmula Vinculante nº 13,
considerou proibida a prática de nepotismo na administração pública, inclusive a efetuada
mediante designações recíprocas — nepotismo cruzado.

48. (CESPE/TCDF/Técnico de administração/2014) Em virtude do princípio da reserva legal, a


criação dos entes integrantes da administração indireta depende de lei específica.

49. (CESPE/TJ-SE/Técnico judiciário/2014) Verifica-se a descentralização por colaboração


quando o poder público, por meio de contrato ou ato administrativo unilateral, transfere a
titularidade e a execução de determinado serviço público a pessoa jurídica de direito privado.

50. (CESPE/TJ-SE/Analista - área judiciária/2014) Nas empresas públicas e sociedades de


economia mista, que possuem personalidade jurídica de direito privado, os atos de demissão de
funcionários devem ser motivados.

51. (CESPE/TJDFT/Analista - área judiciária/2013) Administração pública em sentido orgânico


designa os entes que exercem as funções administrativas, compreendendo as pessoas jurídicas,
os órgãos e os agentes incumbidos dessas funções.

52. (Ministério da Saúde/Analista/2013) A tripartição de funções é absoluta no âmbito do


aparelho do Estado.


(Ministério da Integração/Analista/2013) Com relação a Estado, governo e administração


pública, julgue os itens seguintes.
53. Os conceitos de governo e administração não se equiparam; o primeiro refere-se a uma
atividade essencialmente política, ao passo que o segundo, a uma atividade eminentemente
técnica.

54. Consoante as regras do direito brasileiro, as funções administrativas, legislativas e judiciais


distribuem-se entre os poderes estatais — Executivo, Legislativo e Judiciário, respectivamente —,
que as exercem de forma exclusiva, segundo o princípio da separação dos poderes.

55. Em sentido objetivo, a expressão administração pública denota a própria atividade


administrativa exercida pelo Estado.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !15
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
56. (Ministério da Saúde/Analista/2013) A administração é o aparelhamento do Estado
preordenado à realização dos seus serviços, com vistas à satisfação das necessidades coletivas.

57. (Ministério da Integração/Analista/2013) Consoante o modelo de Estado federativo adotado


pelo Brasil, os estados-membros são dotados de autonomia e soberania, razão por que elaboram
suas próprias constituições.

58. (Ministério da Integração/Analista/2013) Toda pessoa jurídica da administração pública


indireta, embora não se subordine, vincula-se a determinado órgão da estrutura da administração
direta, estando, assim, sujeita à chamada supervisão ministerial.

59. (CESPE/CNJ/técnico judiciário/2013) As entidades políticas são pessoas jurídicas de direito


público interno, como a União, os estados, o Distrito Federal e os municípios. Já as entidades
administrativas integram a administração pública, mas não têm autonomia política, como as
autarquias e as fundações públicas.

60. (CESPE/STF/Técnico judiciário/2013) A administração direta é constituída pelo conjunto de


órgãos e entidades administrativas submetidos a regime de direito público para os quais foi
atribuída a competência para o exercício, de forma centralizada, das atividades administrativas do
Estado.

61. (CESPE/STF/Técnico judiciário/2013) Autarquias, empresas públicas, sociedades de
economia mista e fundações públicas possuem personalidade jurídica própria e integram a
administração indireta.

62. (CESPE/STF/Técnico judiciário/2013) A composição do Poder Executivo em ministérios


exemplifica a descentralização administrativa desse poder.

63. (Ministério da Integração/Analista/2013) A desconcentração administrativa consiste no


desmembramento de órgãos públicos, para criação de diversas pessoas jurídicas, às quais se
distribuem competências, mantidas ligadas por um vínculo de subordinação ao órgão originário.

64. (CESPE/TRT 10a REGIÃO/Analista - exec. mandados/2013) O Ministério da Previdência


Social é um exemplo de descentralização administrativa.

65. (CESPE/TJDFT/Técnico judiciário/2013) Quando o Estado cria uma entidade e a ela


transfere, por lei, determinado serviço público, ocorre a descentralização por meio de outorga.

66. (CESPE/TJDFT/Técnico judiciário/2013) A criação, por uma universidade federal, de um


departamento específico para cursos de pós-graduação é exemplo de descentralização.

67. (CESPE/TRT 10ª REGIÃO/Analista - exec. mandados/2013) O fato de uma autarquia federal
criar, em alguns estados da Federação, representações regionais para aproximar o poder público
do cidadão caracteriza o fenômeno da descentralização administrativa.

68. (Ministério da Saúde/Analista/2013) Caso entidade da administração distribua


competências, no âmbito de sua própria estrutura, com a finalidade de tornar mais ágil a
prestação do serviço, ocorrerá desconcentração.

69. (Ministério da Saúde/Analista/2013) A atividade administrativa centralizada é exercida pelo


próprio Estado, que atua por meio de seus órgãos.

70. (MPU/Técnico/2013) A transferência pelo poder público, por meio de contrato ou ato
administrativo unilateral, apenas da execução de determinado serviço público a pessoa jurídica de
direito privado corresponde à descentralização por serviços, também denominada
descentralização técnica.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !16
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere

71. (Ministério das Comunicações/Contrato Temporário/2013) A realização de algumas


funções do Estado por meio de outras pessoas jurídicas caracteriza a descentralização.

72. (CESPE/FUB/Auxiliar de administração/2013) As entidades da administração indireta são


dotadas de personalidade jurídica própria.

73. (CESPE/CNJ/técnico judiciário/2013) Considere que determinada sociedade de economia


mista exerça atividade econômica de natureza empresarial. Nessa situação hipotética, a referida
sociedade não é considerada integrante da administração indireta do respectivo ente federativo,
pois, para ser considerada como tal, ela deve prestar serviço público.

74. (CESPE/TJDFT/Técnico judiciário/2013) Entidades paraestatais, pessoas jurídicas de direito


privado que integram a administração indireta, não podem exercer atividade de natureza lucrativa.

75. (CESPE/STF/Analista judiciário/2013) Em se tratando de desconcentração, as atribuições


são repartidas entre órgãos públicos pertencentes a uma única pessoa jurídica, como acontece,
por exemplo, com a organização do Poder Judiciário em tribunais, que são órgãos públicos
desprovidos de personalidade jurídica própria.

76. (IBAMA/Analista/2013) O IBAMA é uma autarquia, portanto, é um órgão da administração


direta e descentralizada.

77. (CESPE/TRT 17ª/Analista/2013) Uma autarquia federal pode ser criada mediante decreto
específico do presidente da República.

78. (CESPE/TRT 17ª/Analista/2013) A PETROBRAS é um exemplo de empresa pública.

79. (CESPE/STF/Técnico judiciário/2013) A fundação pública de direito privado tem sua


instituição autorizada por lei específica, cabendo a lei complementar definir as áreas de sua
atuação.

80. (Ministério das Comunicações/Contrato Temporário/2013) Fundação pública é a pessoa


jurídica de direito público, criada por lei, com capacidade de autoadministração, para o
desempenho de serviço público descentralizado, mediante controle administrativo exercido nos
limites da lei.

81. (CESPE/FUB/Auxiliar de administração/2013) As autarquias não visam lucro e são criadas


diretamente por lei específica, não sendo necessário o registro de seus atos constitutivos em
órgão de registro de pessoas jurídicas.

82. (CESPE/TRT 10ª REGIÃO/Analista - exec. mandados/2013) As empresas públicas devem


ser constituídas obrigatoriamente sob a forma de sociedade anônima.

83. (CESPE/TRT 10ª REGIÃO/Analista - exec. mandados/2013) As empresas públicas possuem


natureza jurídica de direito privado e, por isso, não estão sujeitas à obrigatoriedade de contratação
de pessoal mediante concurso público.

84. (CESPE/TRT 10ª REGIÃO/Analista - exec. mandados/2013) As sociedades de economia


mista da União devem adotar obrigatoriamente a forma de sociedades anônimas.

85. (CESPE/CNJ/Analista - área administrativa/2013) As empresas públicas, sejam elas


exploradoras de atividade econômica ou prestadoras de serviços públicos, são entidades que
compõem a administração indireta e por isso não se admite que seus atos e contratos sejam
submetidos a regras do direito privado.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !17
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
86. (CESPE/TJDFT/Analista - área judiciária/2013) As sociedades de economia mista podem
revestir-se de qualquer das formas em direito admitidas, a critério do poder público, que procede à
sua criação.

87. (CESPE/TJDFT/Analista - área judiciária/2013) Nos litígios comuns, as causas que digam
respeito às autarquias federais, sejam estas autoras, rés, assistentes ou oponentes, são
processadas e julgadas na justiça federal.

88. (CESPE/TJDFT/Analista - área judiciária/2013) Pessoas jurídicas de direito privado


integrantes da administração indireta, as empresas públicas são criadas por autorização legal
para que o governo exerça atividades de caráter econômico ou preste serviços públicos.

89. (CESPE/FUB/Auxiliar de administração/2013) As sociedades de economia mista e as


empresas públicas são constituídas de capital diverso, razão por que devem assumir a forma de
sociedades anônimas.

90. (Ministério da Saúde/Analista/2013) As empresas públicas têm personalidade de direito


privado; suas atividades são regidas pelos preceitos comerciais, mas seu capital é exclusivamente
público.

91. (Ministério das Comunicações/Contrato Temporário/2013) O Poder Executivo não poderá,


por ato de sua exclusiva competência, extinguir uma empresa pública.

92. (Ministério da Integração/Analista/2013) Nas empresas públicas e sociedades de economia


mista, não existem cargos públicos, mas somente empregos públicos.

93. (Ministério da Integração/Analista/2013) Empresas públicas são pessoas jurídicas de direito


privado que integram a administração indireta, constituídas por capital público e privado.

94. (MPU/Analista/2013) A empresa pública federal caracteriza-se, entre outros aspectos, pelo
fato de ser constituída de capital exclusivo da União, não se admitindo, portanto, a participação de
outras pessoas jurídicas na constituição de seu capital.

95. (Ministério da Saúde/Analista/2013) As sociedades de economia mista são pessoas jurídicas


de direito privado e podem ser constituídas sob qualquer forma jurídica.

96. (Ministério da Saúde/Analista/2013) As empresas públicas exploradoras da atividade


econômica não estão sujeitas à responsabilidade civil objetiva.

97. (Ministério da Saúde/Analista/2013) Considere que o Estado tenha criado uma entidade e a
ela tenha transferido, por lei, determinado serviço público. Nesse caso, ocorreu descentralização
por meio de delegação.

98. (IBAMA/Analista/2013) São pessoas jurídicas de direito público as autarquias, as fundações


públicas e as empresas públicas.

99. (CESPE/TRT 17ª/Analista área judiciária/2013) Entre as entidades da administração indireta


e os entes federativos que as instituíram ou que autorizaram sua criação inexiste relação de
subordinação, havendo entre eles relação de vinculação que fundamenta o exercício do controle
finalístico ou tutela.

100. (CESPE/STF/Técnico judiciário/2013) O Estado poderá intervir no domínio econômico


quando, na forma da lei, isso se mostrar necessário diante de relevante interesse coletivo.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !18
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
101. (CESPE/STF/Analista Judiciário/2013) Fundações são instituídas pelo poder público e, de
acordo com a sua natureza jurídica, podem ser regidas por princípios de direito público ou de
direito privado.

Administração Pública
1. E 2. E 3. E 4. C 5. C 6. E

7. E 8. E 9. C 10. E 11. C 12. C

13. C 14. E 15. C 16. C 17. E 18. E

19. C 20. E 21. E 22. E 23. C 24. C

25. E 26. C 27. C 28. E 29. E 30. C

31. E 32. E 33. C 34. C 35. C 36. C

37. C 38. E 39. E 40. C 41. E 42. E

43. E 44. C 45. E 46. E 47. C 48. C

49. E 50. C 51. C 52. E 53. C 54. E

55. C 56. C 57. E 58. C 59. C 60. E

61. C 62. E 63. E 64. E 65. C 66. E

67. E 68. C 69. C 70. E 71. C 72. C

73. E 74. E 75. C 76. E 77. E 78. E

79. C 80. E 81. C 82. E 83. E 84. C

85. E 86. E 87. C 88. C 89. E 90. C

91. C 92. C 93. E 94. C 95. C 96. C

97. E 98. E 99. C 100. C 101. E

FIXAÇÃO

1. (FCC/TJ-GO/Juiz de Direito/2015) A denominada Administração pública indireta compreende, entre


outras entidades,
a) concessionárias de serviços públicos, que exercem a descentralização de serviços por colaboração.
b) empresas públicas, sendo a elas equiparadas as fundações instituídas ou mantidas pelo poder público.
c) sociedades de economia mista, que podem ser prestadoras de serviço público ou exploradoras de
atividade econômica.
d) organizações sociais que celebrem contratos de gestão com a Administração direta.
e) autarquias, sujeitas ao regime jurídico de direito privado, salvo em matéria de pessoal

2. (FCC/SEFAZ-PI/Auditor Fiscal/2015) Considere as seguintes afirmações sobre Administração


Direta e Indireta:
I. Autarquias são pessoas jurídicas de direito público, que desempenham serviço público descentralizado,
com capacidade de auto-administração.
II. Sociedades de economia mista submetem-se ao regime jurídico de direito público e têm por objeto,
exclusivamente, o exercício de atividade econômica em regime de competição no mercado.
III. Empresas públicas são pessoas jurídicas de direito privado que podem desempenhar apenas serviços
públicos ou atividade econômica em regime de monopólio.
Está correto o que se afirma APENAS em

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !19
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
a) II.
b) I.
c) I e III.
d) II e III.
e) III.

3. (FCC/TCM-GO/Auditor de Controle Externo/2015) Suponha que o Governo do Estado de Goiás


pretenda implementar medidas de reestruturação administrativa, extinguindo alguns órgãos e
também entidades da Administração indireta e fundindo algumas Secretarias, bem como
extinguindo cargos vagos. De acordo com as normas que disciplinam a organização administrativa
constantes da Constituição Federal,
a) todas as medidas poderão ser implementadas por ato do Chefe do Executivo, mediante decreto.
b) todas as medidas somente poderão ser implementadas por lei, de iniciativa do Chefe do Executivo, salvo
a fusão de Secretarias, que pode ser efetivada por decreto.
c) a extinção de cargos vagos necessita de lei específica e as demais medidas poderão ser implementadas
por decreto.
d) a extinção de entidades da Administração indireta somente poderá ser feita por lei, enquanto a extinção
de órgãos e de cargos vagos pode ocorrer por decreto.
e) a extinção de entidades e órgãos depende de lei, enquanto a extinção de cargos vagos pode ser feita por
decreto do Chefe do Executivo.

4. (FCC/SEFAZ-PI/Analista/2015) As autarquias foram instituídas no contexto de descentralização


das atividades estatais, possuindo fundamental relevância no desempenho das competências
constitucionais atribuídas às pessoas políticas. O desempenho das atividades atribuídas às
autarquias
a) não pode contemplar a delegação da titularidade de serviços públicos, somente sua execução, eis que
essas atividades são privativas e exclusivas das pessoas políticas indicadas nas normas constitucionais.
b) pode contemplar a execução de serviços públicos e ser prestada por empregados submetidos ao regime
jurídico trabalhista, não obstante sofram inflexões do regime público, como no caso da investidura.
c) pode ser feito por servidores denominados empregados públicos quando aquelas atividades forem típicas
da prestação por empresas estatais, tendo em vista que nesse caso o ente passa a se submeter ao regime
jurídico privado.
d) permite a contratação de servidores estatutários, empregados públicos e de comissionados, aos quais
não se aplica a vedação ao nepotismo, restrito à Administração direta.
e) exige que o regime a que se sujeitam seus servidores seja o mesmo previsto para a Administração direta,
não sendo possível a submissão a regime jurídico trabalhista, em razão de se consubstanciarem em longa
manus do Poder Público.

5. (FCC/SEFAZ-PI/Analista/2015) As empresas estatais integram a Administração Indireta e podem


exercer funções com natureza de serviço público ou de atividade econômica. A natureza das
atividades que desempenham
a) pode predicar o regime jurídico aplicável aos bens da empresa, tendo em vista que as prestadoras de
serviço público podem receber a proteção do regime jurídico de direito público para proteção dos bens
afetados àquele serviço.
b) determina o regime trabalhista de seus funcionários, tendo em vista que as prestadoras de serviço
público somente podem contar com servidores efetivos, ocupantes de cargos públicos providos mediante
concurso público.
c) determina a composição do capital social e o nível de participação do ente que as criou, visto que apenas
as exploradoras de atividade econômica permitem participação minoritária do ente político que as criou.
d) maneja o nível de controle exercido pelo ente que as criou, possibilitando que a Administração central
forme relação de hierarquia com as empresas prestadoras de serviço público.
e) predica a existência ou não de controle por parte da Administração central e do legislativo sobre o ente,
tendo em vista que somente as estatais prestadoras de serviço público ficam sujeitas à sindicância por parte
das três esferas de Poder.

6. (FCC/TCM-GO/Auditor/2015) O Município de Itumbiara, por intermédio de sua Secretaria da Saúde,


precisa adquirir um lote de vacinas que será utilizado na campanha de prevenção da gripe “A”. Para
tanto, a Secretaria está autorizada a
a) celebrar contrato em nome do Município de Itumbiara, ao qual referido órgão público se vincula.
b) celebrar contrato em nome do Secretário, autoridade máxima do referido órgão público, não havendo
necessidade de participação do Municipio, porque o órgão dispõe de personalidade judiciária, a despeito de
não possuir personalidade jurídica própria.
c) celebrar contrato em nome próprio, porque o ordenamento jurídico confere ao referido órgão autonomia
em relação ao Município.
www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !20
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
d) adquirir o medicamento sem a formalização de contrato, de forma verbal, em nome do Secretário,
porquanto a exigência de formalização de ajuste por contrato escrito só se aplica às pessoas jurídicas.
e) celebrar contrato em nome próprio, porque o ordenamento jurídico confere a referido ente público
personalidade jurídica própria, a despeito de não conferir autonomia em relação ao Município ao qual
pertence.

7. (FCC/TRT 1ª/Analista - TI/2014) A Administração pública está sujeita a observância de


normas e princípios, alguns expressos, outros implícitos. A instauração, instrução e
decisão dos processos administrativos está sujeita a incidência de princípios, tendo a Lei
nº 9.784/99 elencado, de forma expressa, mais princípios do que a Constituição Federal, no
que concerne à atividade administrativa. Sobre a aplicação dos princípios mencionados
nesses Diplomas, tem-se que
a) o princípio da motivação não se aplica aos processos administrativos quando tratarem de atos
de improbidade.

b) os princípios da razoabilidade e da proporcionalidade podem incidir no exercício, pela
Administração pública, de competência discricionária.
c) os princípios do contraditório e da ampla defesa aplicam-se somente aos processos
administrativos que tratem de apuração de infrações disciplinares, vez que punidas com sanções
mais severas.

d) o princípio da segurança jurídica impede o exercício da competência discricionária pela
Administração pública.
e) os princípios do interesse público e da eficiência admitem a derrogação de leis, quando houver
meio jurídico mais ágil ao atendimento da finalidade pública.

8. (FCC/TCE-RS/Auditor Público Externo/2014) A necessidade de publicação dos atos


administrativos no Diário Oficial e, em alguns casos, em jornais de grande circulação é
forma de observância do princípio da

a) legalidade, ainda que essa obrigação não esteja prevista na legislação.
b) impessoalidade, na medida em que os atos administrativos são publicados sem identificação da
autoridade que os emitiu.

c) eficiência, posto que a Administração deve fazer tudo o que estiver a seu alcance para
promover uma boa gestão, ainda que não haja lastro na legislação.
d) supremacia do interesse público, pois a Administração tem prioridade sobre outras publicações.

e) publicidade, na medida em que a Administração deve dar conhecimento de seus atos aos
administrados.

9. (FCC/TCE-RS/Auditor Público Externo/2014) Os princípios que regem a Administração


pública

a) são aqueles que constam expressamente do texto legal, não se reconhecendo princípios
implícitos, aplicando-se tanto à Administração direta quanto à indireta.

b) podem ser expressos ou implícitos, os primeiros aplicando-se prioritariamente em relação aos
segundos, ambos se dirigindo apenas à Administração direta.

c) são prevalentes em relação às leis que regem a Administração pública, em razão de seu
conteúdo ser mais relevante.

d) dirigem-se indistintamente à Administração direta e às autarquias, aplicando-se seja quando
forem expressos, seja quando implícitos.

e) aplicam-se à Administração direta, indireta e aos contratados em regular licitação, seja quando
forem expressos, seja quando implícitos.

10. (FCC/MPE-PE/Promotor de Justiça/2014) Em sua formação, o Direito Administrativo


brasileiro recebeu a influência da experiência doutrinária, legislativa e jurisprudencial de
vários países, destacando-se especialmente a França, considerada como berço da
disciplina. No rol de contribuições do Direito Administrativo francês à prática atual do
Direito Administrativo no Brasil, NÃO é correto incluir
a) a adoção de teorias publicísticas em matéria de responsabilidade extracontratual das entidades
estatais.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !21
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
b) a adoção do interesse público como eixo da atividade administrativa.

c) a ideia de exorbitância em relação ao direito comum, aplicável aos particulares.

d) a teoria do desvio de poder.
e) o sistema de contencioso administrativo.

11. (CESPE/TJ-CE/Técnico judiciário/2014) Com relação aos princípios que fundamentam a


administração pública, assinale a opção correta.

a) A publicidade marca o início da produção dos efeitos do ato administrativo e, em determinados
casos, obriga ao administrado seu cumprimento.
b) Pelo princípio da autotutela, a administração pode, a qualquer tempo, anular os atos eivados de
vício de ilegalidade.

c) O regime jurídico-administrativo compreende o conjunto de regras e princípios que norteia a
atuação do poder público e o coloca numa posição privilegiada.
d) A necessidade da continuidade do serviço público é demonstrada, no texto constitucional,
quando assegura ao servidor público o exercício irrestrito do direito de greve.

e) O princípio da motivação dos atos administrativos, que impõe ao administrador o dever de
indicar os pressupostos de fato e de direito que determinam a prática do ato, não possui
fundamento constitucional.

12. (CESPE/TJ-CE/Técnico judiciário/2014) Assinale a opção que explicita o princípio da


administração pública na situação em que um administrador público pratica ato
administrativo com finalidade pública, de modo que tal finalidade é unicamente aquela que
a norma de direito indica como objetivo do ato.
a) eficiência

b) moralidade

c) razoabilidade

d) impessoalidade

e) segurança jurídica

13. (CESPE/TJ-CE/Analista judiciário/2014) No que se refere ao Estado, governo e à


administração pública, assinale a opção correta.

a) O Estado liberal, surgido a partir do século XX, é marcado pela forte intervenção na sociedade
e na economia.
b) No Brasil, vigora um sistema de governo em que as funções de chefe de Estado e de chefe de
governo não são concentradas na pessoa do chefe do Poder Executivo.

c) A administração pública, em sentido estrito, abrange a função política e a administrativa.

d) A administração pública, em sentido subjetivo, diz respeito à atividade administrativa exercida
pelas pessoas jurídicas, pelos órgãos e agentes públicos que exercem a função administrativa.
e) A existência do Estado pode ser mensurada pela forma organizada com que são exercidas as
atividades executivas, legislativas e judiciais.

14. (CESPE/TJ-CE/Analista - execução de mandados/2014) No que se refere ao regime


jurídico administrativo, assinale a opção correta.

a) A autotutela administrativa compreende tanto o controle de legalidade ou legitimidade quanto o
controle de mérito.
b) A motivação deve ser apresentada concomitantemente à prática do ato administrativo.

c) De acordo com o princípio da publicidade, que tem origem constitucional, os atos
administrativos devem ser publicados em diário oficial.

d) No Brasil, ao contrário do que ocorre nos países de origem anglo-saxã, o costume não é fonte
do direito administrativo.

e) A criação de órgão público deve ser feita, necessariamente, por lei; a extinção de órgão,
entretanto, dado não implicar aumento de despesa, pode ser realizada mediante decreto.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !22
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere

15. (ESAF/SRFB/Auditor Fiscal/2014) Nos termos da lei, a Administração Pública Federal


observará, em se tratando do processo administrativo, princípios específicos, exceto:

a) princípio da segurança jurídica.

b) princípio da razoabilidade.
c) princípio da eficiência.

d) princípio da insignificância.
e) princípio da motivação.

16. (CESPE/TJDFT/Titular de cartório/2014) Em relação ao regime jurídico-administrativo e


aos princípios aplicáveis à administração pública, assinale a opção correta.

a) É obrigatória a observância do princípio da publicidade nos processos administrativos,
mediante a divulgação oficial dos atos administrativos, inclusive os relacionados ao direito à
intimidade.
b) A presunção de legitimidade dos atos administrativos, que impõe aos particulares o ônus de
provar eventuais vícios existentes em tais atos, decorre do regime jurídico-administrativo aplicável
à administração pública.

c) Uma das exceções ao princípio da legalidade administrativa consiste na possibilidade de o
presidente da República editar decreto para criar cargos ou funções públicas.
d) A violação do princípio da moralidade administrativa não pode ser fundamento exclusivo para o
controle judicial realizado por meio de ação popular.

e) Para que determinada conduta seja caracterizada como ato de improbidade administrativa
violadora do princípio da impessoalidade, é necessária a comprovação do respectivo dano ao
erário.

17. (FCC/MPE-PA/Promotor de Justiça/2014) A doutrina e a jurisprudência nacional


reconhecem a existência de dois tipos de fundação governamental: as de direito público e
as de direito privado. NÃO faz parte dos traços comuns dessas duas espécies

a) a inexigibilidade de inscrição de seus atos constitutivos no Registro Civil das Pessoas Jurídicas.
b) a imunidade tributária no que se refere ao patrimônio, à renda e aos serviços, vinculados a suas
finalidades essenciais ou às delas decorrentes.

c) a vedação de acumulação de cargos e empregos públicos.

d) a submissão às normas gerais de licitação estabelecidas por lei federal.
e) o controle pelos Tribunais de Contas.

18. (CESPE/TJ-SE/Titular de Cartório/2014) Com relação à descentralização e à


administração indireta, assinale a opção correta.

a) A descentralização por colaboração ocorre quando se transfere a execução de um serviço
público a pessoa jurídica de direito privado já existente, conservando o poder público a titularidade
desse serviço.
b) Os consórcios públicos são considerados entidades da administração indireta, dotados de
personalidade jurídica de direito público, integrantes de todos os entes da Federação
consorciados.

c) As empresas públicas exploradoras de atividade econômica sujeitam-se ao regime jurídico
próprio das empresas privadas, com exceção do que for concernente às obrigações comerciais.
d) As autarquias são entidades integrantes da administração indireta não sujeitas à tutela, tendo
em vista a sua capacidade de autoadministração.

e) A descentralização pressupõe a existência de, pelo menos, dois órgãos ou pessoas jurídicas
entre os quais se repartem as competências.


19. (FCC/TCE-RS/Auditor Público Externo/2014) A Administração indireta pode ser


estruturada por meio da

a) instituição de pessoas jurídicas de diversas naturezas, que não guardam vínculo hierárquico
com a Administração direta.
b) instituição de pessoas jurídicas com personalidade jurídica própria, vinculadas
hierarquicamente à Administração centralizada.


www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !23
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
c) instituição de pessoas jurídicas com personalidade jurídica própria, todas criadas por meio de
lei.

d) criação de órgãos integrantes de sua estrutura, vinculadas hierarquicamente à Administração
centralizada.
e) criação de órgãos distintos da Administração direta, vinculados hierarquicamente à
Administração central.

20. (FCC/TCE-RS/Auditor Público Externo/2014) Uma autarquia estadual precisa reformar


suas instalações, e adaptá-las ao atendimento que será prestado ao público em
decorrência de uma nova atribuição que lhe foi outorgada por lei. Para tanto,

a) poderá realizar licitação, sob qualquer das modalidades previstas na lei, ou promover
contratação direta, mediante prévia pesquisa de mercado, tendo em vista que as autarquias não
se sujeitam ao regime de direito público.
b) deverá realizar regular licitação, tendo em vista que as autarquias, submetidas ao regime de
direito público, sujeitam-se a obrigatoriedade do certame.

c) poderá contratar diretamente outra empresa que integre a Administração indireta, tendo em
vista que os regimes jurídicos são semelhantes.
d) deverá realizar licitação caso o valor da contratação supere R$ 150.000,00 (cento e cinquenta
mil reais), tendo em vista que até esse montante incide hipótese de dispensa de licitação.

e) deverá contratar diretamente empresa de engenharia para promover as obras, tendo em vista
que as autarquias não se sujeitam ao princípio que obriga a realização de licitação.

21. (FCC/MPE-PE/Promotor de Justiça/2014) Em relação às empresas públicas, NÃO é


aspecto obrigatório a ser observado em seu regime jurídico a

a) realização de licitação para contratação de obras, serviços, compras e alienações, observados
os princípios da administração pública.
b) criação por meio de registro de seus atos constitutivos, na forma do Código Civil.
c) forma societária de sociedade anônima.

d) personalidade jurídica de direito privado.

e) vedação à acumulação remunerada de cargos, empregos e funções públicas.

22. (CESPE/TJ-CE/Técnico judiciário/2014) No que se refere à administração direta e à


indireta, à centralizada e à descentralizada, assinale a opção correta.

a) As empresas públicas e as sociedades de economia mista são integrantes da administração
indireta, independentemente de prestarem serviço público ou de exercerem atividade econômica
de natureza empresarial.
b) Toda pessoa integrante da administração indireta está vinculada a determinado órgão da
administração direta, fato que decorre do princípio da especificidade.

c) Em virtude do princípio da separação dos poderes, a administração pública direta é exercida
exclusivamente pelo Poder Executivo, o qual é incumbido da atividade administrativa em geral.
d) A criação de empresa pública e de sociedade de economia mista depende de autorização
legislativa, porém, o mesmo não ocorre às suas subsidiárias.

e) Trata-se de administração indireta quando o Estado, a fim de obter maior celeridade e
eficiência, exerce algumas de suas atividades de forma desconcentrada.

23. (CESPE/TJ-CE/Analista judiciário/2014) A propósito da organização administrativa,


assinale a opção correta.

a) Compete ao Ministério da Justiça a qualificação de pessoas jurídicas de direito privado, sem
fins lucrativos, como organizações da sociedade civil de interesse público.
b) Ocorrerá descentralização administrativa funcional caso haja criação de uma nova vara em um
tribunal de justiça.

c) São integrantes da administração indireta, entre outros, as autarquias, as fundações e os
serviços sociais autônomos.
d) Exige-se lei específica para a criação de subsidiárias de empresas públicas e de sociedades de
economia mista.

e) As autarquias caracterizam-se por serem dotações patrimoniais criadas por lei, sujeitas a
controle ou tutela, com personalidade jurídica pública e capacidade de autoadministração.
www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !24
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere

24. (CESPE/TJ-CE/Técnico judiciário/2014) No que se refere à administração direta e à


indireta, à centralizada e à descentralizada, assinale a opção correta.

a) Trata-se de administração indireta quando o Estado, a fim de obter maior celeridade e
eficiência, exerce algumas de suas atividades de forma desconcentrada.
b) As empresas públicas e as sociedades de economia mista são integrantes da administração
indireta, independentemente de prestarem serviço público ou de exercerem atividade econômica
de natureza empresarial.

c) Toda pessoa integrante da administração indireta está vinculada a determinado órgão da
administração direta, fato que decorre do princípio da especificidade.
d) Em virtude do princípio da separação dos poderes, a administração pública direta é exercida
exclusivamente pelo Poder Executivo, o qual é incumbido da atividade administrativa em geral.

e) A criação de empresa pública e de sociedade de economia mista depende de autorização
legislativa, porém, o mesmo não ocorre às suas subsidiárias.

25. (CESPE/TJDFT/Titular de cartório/2014) No que se refere à administração pública,


assinale a opção correta.

a) Consoante o entendimento do STF, encontra fundamento constitucional a exigência legal de
aprovação legislativa prévia para a exoneração de ocupante do cargo de presidente de autarquia.
b) Por não se submeterem ao regime jurídico de direito público, as sociedades de economia mista
exploradoras de atividade econômica estão dispensadas da realização de concurso público para a
admissão de pessoal

c) Não se aplica às empresas públicas prestadoras de serviço público a responsabilidade civil
objetiva pelos danos que seus agentes, nessa qualidade, causarem a terceiros.
d) A descentralização administrativa por meio de delegação de serviço público pode ocorrer por
meio de contrato e pressupõe relação de hierarquia.

e) As entidades paraestatais, entes privados que não integram a administração pública direta e
indireta, colaboram com o Estado no desempenho de atividades de interesse público, sem
finalidade lucrativa, como os serviços sociais autônomos.

26. (ESAF/SRFB/Auditor Fiscal/2014) Considere que o Poder Público conserve a titularidade


de determinado serviço público a que tenha transferido a execução à pessoa jurídica de
direito privado. Nessa situação, a descentralização é denominada:
a) por colaboração.
b) funcional.
c) técnica.
d) geográfica.
e) por serviços.

27. (FCC/MPE-PA/Promotor de Justiça/2014) No tocante às chamadas organizações sociais,


a legislação federal aplicável a tais entidades

a) obriga a publicação anual, em jornal de circulação diária no Estado ou nos municípios em que
se der a atuação da entidade, dos relatórios financeiros e do relatório de execução do contrato de
gestão.
b) veda a remuneração dos membros da diretoria da entidade.

c) prevê responsabilidade individual e solidária dos dirigentes pelos danos ou prejuízos
decorrentes de sua ação ou omissão, em caso de desqualificação da entidade pelo
descumprimento das disposições contidas no contrato de gestão.
d) estabelece como hipótese de inexigibilidade de licitação a celebração de contratos de
prestação de serviços com as organizações sociais, qualificadas no âmbito das respectivas
esferas de governo, para atividades contempladas no contrato de gestão.

e) permite que apenas associações civis sejam qualificadas como organizações sociais.

28. (CETRO/IF-PR/Assistente de Alunos/2014) Acerca da Administração Pública, conforme


artigo 37 e seus incisos e parágrafos, assinale a alternativa incorreta.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !25
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
a) Os atos de improbidade administrativa importarão a suspensão dos direitos políticos, a perda
da função pública, a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário, na forma e gradação
previstas em lei, sem prejuízo da ação penal cabível.

b) As pessoas jurídicas de direito público e as de direito privado prestadoras de serviços públicos
responderão pelos danos que seus agentes, nessa qualidade, causarem a terceiros, assegurado o
direito de regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa.
c) A lei reservará percentual dos cargos e empregos públicos para as pessoas portadoras de
deficiência e definirá os critérios de sua admissão.

d) A lei estabelecerá os casos de contratação por tempo determinado para atender à necessidade
temporária de excepcional interesse público.
e) Haverá vinculação de quaisquer espécies remuneratórias para o efeito de remuneração de
pessoal do serviço público.

Administração Pública - Fixação


1. c 2. b 3. e 4. b 5. a 6. a

7. b 8. e 9. d 10. e 11. c 12. d

13. e 14. a 15. d 16. b 17. a 18. a

19. a 20. b 21. c 22. a 23. a 24. b

25. e 26. a 27. c 28. e

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !26
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere

Responsabilidade Civil

1. (CESPE/MPU/Técnico Administrativo/2015) As autarquias responderão objetivamente pelos


danos provocados por seus agentes a terceiros, ainda que se comprove que esses agentes
tenham agido com prudência, perícia e cuidados exigidos.

(CESPE/FUB/Analista - Administrador/2015) Considerando a responsabilidade civil do


Estado, julgue os itens seguintes.
2. De acordo com a teoria do risco administrativo, é vedado considerar a culpa exclusiva da vítima
como hipótese de exclusão da responsabilidade civil do Estado.

3. A responsabilidade civil do Estado deve ser excluída em situações inevitáveis, isto é, em caso
fortuito ou em evento de força maior cujos efeitos não possam ser minorados.

4. O ato emanado do Poder Judiciário e adstrito ao processo judicial, ainda que provoque
consequências danosas às partes, isenta o Estado de responsabilidade.

5. Pela responsabilidade civil, o Estado deve indenizar terceiros por perdas e danos materiais e
morais sofridos em decorrência de ação ou omissão antijurídica imputável ao Estado.

6. A constatação do dano moral ou material é um dos elementos necessários à configuração da


responsabilidade civil do Estado.

7. (CESPE/STJ/Analista judiciário/2015)
Situação hipotética: Um policial militar, durante período de folga, em sua residência, se
desentendeu com seu vizinho, desferindo-lhe um tiro com arma pertencente à corporação.
Assertiva: Nessa situação, não haverá responsabilidade civil do Estado, pois o dano foi causado
por policial fora de suas atribuições públicas.

8. (CESPE/STJ/Analista Judiciário - área específica/2015) A responsabilidade da administração


pública decorrente de omissão resulta de seu dever de agir e da capacidade de essa ação evitar o
dano.

(CESPE/STJ/Técnico Judiciário/2015) Tendo em vista que, no Brasil, o Estado é


responsável pelos atos praticados por seus agentes, julgue os próximos itens, a respeito
da responsabilidade civil do Estado.
9. A responsabilidade objetiva do Estado por danos causados a terceiros tem sustentação na
teoria da culpa administrativa.

10. A responsabilidade civil do Estado por atos jurisdicionais vem sendo aceita, segundo a
jurisprudência do STF, em caso de comprovada falta objetiva na prestação judiciária.

11. (CESPE/DPF/Agente/2015) Na hipótese de danos causados a particulares por atos de


multidões, o Estado somente poderá ser responsabilizado caso seja comprovada sua participação
culposa.

(CESPE/TJDFT/Técnico judiciário/2015) Julgue os itens subsequentes, a respeito da


responsabilidade civil do Estado.
12. Devido à indisponibilidade do interesse público, não se admite o reconhecimento espontâneo,
pela administração, de sua obrigação de indenizar por ato danoso praticado por um de seus
agentes.

13. A prescrição quinquenal da pretensão de reparação de danos contra a administração não se


estende a pessoas jurídicas de direito privado que dela façam parte, como concessionárias de
serviço público, por exemplo.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !27
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere

14. O agente público não pode figurar como parte, em conjunto com o ente administrativo ao qual
esteja vinculado, em ação de reparação de danos promovida pela vítima: a previsão é de que ele
somente seja demandado regressivamente por supostos danos praticados no exercício de sua
função.

15. (CESPE/DPU/Analista Técnico - Administrativo/2015) Situação hipotética: Considere que


uma pessoa jurídica de direito público tenha sido responsabilizada pelo dano causado a terceiros
por um dos seus servidores públicos. Assertiva: Nessa situação, o direito de regresso poderá ser
exercido contra esse servidor ainda que não seja comprovada a ocorrência de dolo ou culpa.

16. (CESPE/DPU/Técnico em Assuntos Educacionais/2015) Para a configuração da


responsabilidade objetiva do Estado, é necessária a demonstração de culpa ou dolo do agente
público.

17. (CESPE/DPU/Técnico em Assuntos Educacionais/2015) A responsabilidade do Estado


inclui o dever de indenizar as vítimas quando de ação ou omissão, ainda que lícita, resultar-lhes
danos.

18. (CESPE/Anatel/Nível médio/2014) Tal qual o ressarcimento pelo particular por prejuízo ao
erário, é imprescritível a pretensão do administrado quanto à reparação de dano perpetrado pelo
Estado.

19. (CESPE/TC-DF/Analista - TI/2014) Tanto o dano moral quanto o dano material são passíveis
de gerar a responsabilidade civil do Estado.

20. (CESPE/TC-DF/Auditor/2014) De acordo com o sistema da responsabilidade civil objetiva


adotado no Brasil, a administração pública pode, a seu juízo discricionário, decidir se intenta ou
não ação regressiva contra o agente causador do dano, ainda que este tenha agido com culpa ou
dolo.

21. (CESPE/Câmara dos Deputados/2014) Servidor responsável pela gestão dos sistemas de
tecnologia da informação da Câmara dos Deputados, em retaliação à aprovação de uma lei que
ele considerava prejudicial aos interesses nacionais, resolveu, após o horário de expediente,
invadir o órgão e instalar um vírus no sistema de protocolo, o que ocasionou a perda de todas as
informações sobre a tramitação dos processos legislativos no último ano. Considerando essa
situação hipotética, a administração não responde pelo dano causado a terceiros em razão da
conduta do servidor, uma vez que o ato foi praticado após o horário de expediente.

22. (CESPE/MTE/Contador/2014) A força maior, a culpa concorrente da vítima e a culpa de


terceiro são consideradas causas excludentes da responsabilidade civil extracontratual objetiva do
Estado.

23. (CESPE/MTE/Agente administrativo/2014) O servidor que, por descumprimento de seus


deveres funcionais, causar dano ao erário, ficará obrigado ao ressarcimento, em ação regressiva.

24. (CESPE/Anatel/Nível médio/2014) Caso seja impossível a identificação do agente público


responsável por um dano, o Estado será obrigado a reparar o dano provocado por atividade
estatal, mas ficará inviabilizado de exercer o direito de regresso contra qualquer agente.

25. (CESPE/Anatel/Nível médio/2014) A conduta do lesado, a depender da extensão de sua


participação para o aperfeiçoamento do resultado danoso, é relevante e tem o condão de afastar
ou de atenuar a responsabilidade civil do Estado.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !28
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
26. (CESPE/Anatel/Nível médio/2014) De acordo com o princípio da presunção de
constitucionalidade, o Estado não pode ser responsabilizado por danos oriundos de lei
posteriormente declarada inconstitucional.

27. (Ministério da Saúde/Analista/2013) São imprescritíveis as ações de reparação de dano


promovidas contra o Estado, caso o dano resulte de motivação política.

28. (Ministério das Comunicações/Contrato Temporário/2013) Considere que um particular


tenha adquirido um veículo devidamente registrado no DETRAN e que, em determinada ocasião,
o veículo tenha sido furtado. Considere ainda que, em uma blitz policial, esse mesmo veículo
tenha sido apreendido por ter sido objeto de furto. Nessa situação, fica configurada a
responsabilidade civil objetiva do Estado pelos danos causados ao particular.

29. (Ministério das Comunicações/Contrato Temporário/2013) Para que fique configurada a


responsabilidade civil do Estado, é necessário que o ato praticado seja ilícito.

30. (Ministério das Comunicações/Contrato Temporário/2013) Considere que um detento


tenha sido assassinado dentro do presídio por seus colegas de carceragem, em razão de um
acerto de contas entre eles. Nessa situação, a responsabilidade do Estado fica totalmente
afastada pelo fato de o detento ter sido morto por colegas de carceragem.

31. (Ministério da Integração/Analista/2013) Considere que um particular, ao avançar o sinal


vermelho do semáforo, tenha colidido seu veículo contra veículo oficial pertencente a uma
autarquia que trafegava na contramão. Nessa situação, o Estado deverá ser integralmente
responsabilizado pelo dano causado ao particular, dado que, no Brasil, se adota a teoria da
responsabilidade objetiva e, de acordo com ela, a culpa concorrente não elide nem atenua a
responsabilidade do Estado de indenizar.

32. (Ministério da Justiça/Analista/2013) Para configurar a responsabilidade civil do Estado, é


irrelevante que o agente público causador do dano atue no exercício da função pública. Estando o
agente, no momento em que tenha realizado a ação ensejadora do prejuízo, dentro ou fora do
exercício da função pública, seu comportamento acarretará responsabilidade ao Estado.

33. (Ministério da Justiça/Analista/2013) Por ostentarem natureza pública, apenas as pessoas


jurídicas de direito público responderão objetivamente pelos danos que seus agentes causarem a
terceiros.

34. (Ministério da Justiça/Analista/2013) Caso ocorra o suicídio de um detento dentro de


estabelecimento prisional mantido pelo Estado, a administração pública, segundo entendimento
recente do STJ, estará, em regra, obrigada ao pagamento de indenização por danos morais.

35. (Ministério da Justiça/Analista/2013) A teoria que impera atualmente no direito


administrativo para a responsabilidade civil do Estado é a do risco integral, segundo a qual a
comprovação do ato, do dano e do nexo causal é suficiente para determinar a condenação do
Estado. Entretanto, tal teoria reconhece a existência de excludentes ao dever de indenizar.

36. (Ministério da Justiça/Analista/2013) Para a configuração da responsabilidade civil do


Estado, é irrelevante licitude ou a ilicitude do ato lesivo. Embora a regra seja a de que os danos
indenizáveis derivam de condutas contrárias ao ordenamento jurídico, há situações em que a
administração pública atua em conformidade com o direito e, ainda assim, produz o dever de
indenizar.

37. (MPU/Analista/2013) A responsabilidade civil do Estado incide apenas se os danos causados


forem de caráter patrimonial.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !29
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
38. (MPU/Técnico/2013) Considere que veículo oficial conduzido por servidor público, motorista
de determinada autoridade pública, tenha colidido contra o veículo de um particular. Nesse caso,
tendo o servidor atuado de forma culposa e provados a conduta comissiva, o nexo de causalidade
e o resultado, deverá o Estado, de acordo com a teoria do risco administrativo, responder civil e
objetivamente pelo dano causado ao particular.

39. (CESPE/BACEN/Analista/2013) A responsabilidade civil objetiva do Estado não abrange as


empresas públicas e sociedades de economia mista exploradoras de atividade econômica.

40. (CESPE/BACEN/Analista/2013) Os efeitos da ação regressiva movida pelo Estado contra o


agente que causou o dano transmitem-se aos herdeiros e sucessores, até o limite da herança, em
caso de morte do agente.

41. (CESPE/BACEN/Analista/2013) Um dos efeitos da absolvição do servidor por negativa de


autoria, em processo penal relativo a fato objeto também de processo administrativo, consiste na
extinção do processo administrativo.

42. (CESPE/BACEN/Analista/2013) De acordo com a teoria da culpa administrativa, existindo o


fato do serviço e o nexo de causalidade entre esse fato e o dano sofrido pelo administrado,
presume-se a culpa da administração.

43. (CESPE/STF/Analista área judiciária/2013) A responsabilidade do servidor público pode se


dar na esfera civil, penal e administrativa, sendo afastada esta última no caso de absolvição
criminal que negue a existência do fato ou de sua autoria.

44. (CESPE/STF/Técnico judiciário/2013) Nos casos de condutas omissivas, a doutrina e a


jurisprudência dominantes reconhecem a aplicação da teoria subjetiva, estando assim o dever de
indenizar condicionado à comprovação do elemento subjetivo da culpa ou dolo.

45. (CESPE/STF/Técnico judiciário/2013) É causa de exclusão da responsabilidade civil do


Estado a ausência de comprovação da conduta estatal, do dano e do nexo de causalidade entre a
conduta e o dano.

46. (CESPE/STF/Técnico judiciário/2013) Considerando a teoria da responsabilidade civil


adotada no Brasil, caso o Estado demonstre que se comportou com diligência, perícia e
prudência, estará isento de indenizar.

47. (CESPE/STF/Analista área judiciária/2013) Se, no exercício de suas funções, um servidor


público agride verbalmente cidadão usuário de serviço público, não haverá responsabilidade
objetiva do Estado devido à inexistência de danos materiais.

48. (CESPE/TRT 17a/Analista/2013) As sociedades de economia mista exploradoras de atividade


econômica respondem pelos danos causados por seus agentes da mesma forma que respondem
as demais pessoas privadas.

49. (CESPE/TRT 17a/Analista/2013) A teoria do risco administrativo prega que a


responsabilidade civil do Estado depende da comprovação da ausência do serviço público.

50. (CESPE/STF/Analista judiciário/2013) O servidor da administração direta que, no exercício


de sua função, causar dano a particular não poderá ser pessoalmente demandado por este em
ação de reparação de danos; nesse caso, o particular terá de acionar juridicamente o órgão ou
departamento público em que trabalhe o servidor. Essa peculiaridade da responsabilidade civil do
Estado tem a ver com a teoria do órgão mais aceita atualmente, de acordo com a qual os órgãos
públicos, desprovidos de vontade própria, são as unidades funcionais da organização
administrativa e os agentes públicos, mandatários do órgão.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !30
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere

51. Ministério da Saúde/Analista/2013) Considere que um paciente internado em hospital


público tenha falecido após ter se jogado pela janela. Nessa situação, a responsabilidade do
Estado será objetiva, por omissão.

52. (Ministério da Saúde/Analista/2013) A responsabilidade do Estado será objetiva caso um


sargento da polícia militar estadual utilizando arma da corporação, em dia de folga, efetue
disparos contra um desafeto, gerando lesões graves, utilizando uma arma da corporação.

53. (Ministério da Saúde/Analista/2013) A responsabilidade civil das pessoas jurídicas de direito


privado prestadoras de serviço público é objetiva relativamente a terceiros usuários e não usuários
do serviço prestado.

Responsabilidade Civil do Estado


1. C 2. E 3. C 4. E 5. C 6. C

7. C 8. C 9. E 10. C 11. C 12. E

13. E 14. C 15. E 16. E 17. C 18. E

19. C 20. E 21. E 22. E 23. E 24. C

25. C 26. E 27. C 28. E 29. E 30. E

31. E 32. E 33. E 34. C 35. E 36. C

37. E 38. C 39. C 40. C 41. C 42. E


43. C 44. C 45. C 46. E 47. E 48. C

49. E 50. E 51. E 52. C 53. C

FIXAÇÃO

1. (FCC/TRT 6ª/Juiz do Trabalho/2015) Em face de greve de serventuários da Justiça alguns


candidatos à vagas abertas por uma prestigiada empresa de tecnologia não puderam se
submeter ao correspondente processo seletivo, por não terem logrado obter certidões
necessárias para comprovar a inexistência de antecedentes criminais. A responsabilidade
civil do Estado, perante referidos cidadãos,
a) somente se configura em face de condutas comissivas, sendo afastada, dada a sua natureza
objetiva, quando não identificado o agente causador do dano.

b) independe de comprovação de dolo ou culpa do agente, elementos esses que, somente, são
requeridos para fins do direito de regresso do Estado perante o agente.
c) depende da comprovação de dolo ou culpa dos serventuários, não bastando a comprovação do
dano e do nexo de causalidade com ação ou omissão de agente público.

d) é de natureza subjetiva, ensejando o direito de regresso em face dos servidores
responsabilizados em processo administrativo
e) é de natureza objetiva e independe, portanto, da comprovação do dano, bastando a
identificação do nexo de causalidade.

2. (VUNESP/PC-CE/Escrivão/2015) Considere que a viatura “X” da Polícia Civil do Estado do


Ceará, durante o serviço policial, conduzida pelo Policial Civil “Y”, ao ultrapassar um
semáforo vermelho, estando com a sirene ligada, colidiu contra o veículo particular do
cidadão “K”. Com relação à responsabilidade civil, é correto afirmar que o cidadão “K”, ao
ajuizar a ação em relação ao Estado, para ser indenizado pelos danos que a viatura
provocou em seu veículo, deverá provar que

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !31
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
a) houve o dano resultante da atuação administrativa do Policial Civil “Y”, independentemente de
culpa, em razão da responsabilidade objetiva do Estado.

b) o Policial Civil “Y” ultrapassou o semáforo vermelho, em razão da responsabilidade subjetiva do
Estado.
c) houve culpa do Policial Civil “Y”, em razão da responsabilidade subjetiva do Estado.
d) houve dolo do Policial Civil “Y”, em razão da responsabilidade objetiva do Estado.
e) houve culpa do Policial Civil “Y”, em razão da responsabilidade objetiva do Estado.

3. (FCC/TJ-GO/Juiz de Direito/2015) Suponha que um servidor público tenha cometido erro


na alimentação do sistema informatizado de distribuição de ações judiciais, o que levou a
constar, equivocadamente, a existência de antecedente criminal para determinado cidadão.
Essa situação gerou prejuízos concretos para o cidadão, que foi preterido em processo de
seleção para emprego de vigilante e também obrigado a desocupar o quarto na pensão
onde residia. Diante dessa situação, referido cidadão
a) possui direito de obter indenização do servidor pelos prejuízos suportados, independentemente
de comprovação de dolo ou culpa, em caráter subsidiário à responsabilidade objetiva do Estado.
b) possui direito de obter do Estado a indenização pelos danos materiais e morais sofridos,
condicionado à comprovação da culpa in elegendo ou in vigilando da Administração.
c) poderá acionar judicial ou administrativamente o servidor que cometeu a falha, o qual possui
responsabilidade objetiva pelos prejuízos comprovados.
d) possui direito de ser indenizado pelo Estado pelos prejuízos decorrentes da conduta do servidor
público, independentemente da comprovação de dolo ou culpa deste.
e) poderá demandar, administrativa ou judicialmente, o Estado e o servidor, que possuem
responsabilidade pelos danos causados por ação ou omissão, respondendo o Estado em caráter
subsidiário em relação ao servidor.

4. (FCC/SEFAZ-PI/Auditor Fiscal/2015) Determinado servidor da Secretaria da Fazenda


inseriu informações falsas sobre cidadão, seu desafeto, no cadastro de contribuintes do
Estado, fazendo com que o referido cidadão passasse a figurar no cadastro de
inadimplentes. Diante dessa situação, o cidadão, que é um pequeno empresário, sofreu
diversos prejuízos morais e patrimoniais, especialmente em decorrência de restrições de
crédito. A responsabilidade do Estado pelos danos sofridos pelo cidadão é
a) subjetiva, dependendo, pois, da prévia responsabilização do agente público em processo
disciplinar ou administrativo.
b) objetiva, dependendo, para efeito do dever de indenizar o cidadão, da comprovação do nexo de
causalidade entre a conduta do servidor e os danos sofridos.
c) afastada, se comprovada culpa exclusiva do agente público, o qual responde civilmente perante
o cidadão prejudicado e administrativamente por falta disciplinar.
d) condicionada à comprovação de dolo do servidor, circunstância que, se presente, obriga o
Estado a indenizar os danos patrimoniais e morais sofridos pelo cidadão.
e) decorrente da prestação do serviço público, não estando presente na situação narrada em face
da conduta dolosa do agente público.

5. (FCC/SEFAZ-PI/Analista/2015) Autoridades policiais efetuaram a prisão de determinado


cidadão, sob a acusação de prática de ilícito penal qualificado. Durante a tramitação da
ação penal, o réu persistia alegando sua inocência, afirmando que jamais estivera no local
dos fatos. Dois anos após o início da ação penal, em atendimento de urgência, as
autoridades policiais locais efetuaram a prisão em flagrante de outro cidadão pela prática
de crime da mesma natureza daquele que motivou a condenação acima mencionada,
ocasião em que se constatou homonímia em relação às duas pessoas. Checados os
documentos de identificação, restou apurado que coincidiam, não só o nome dos
homônimos, mas também de suas genitoras. O primeiro cidadão mencionado terminou por
ser absolvido e posto em liberdade. Em relação a este, considerando o período em que foi
injustamente privado de sua liberdade
a) responde civilmente o Estado, sob a modalidade subjetiva, na medida em que os atos de
determinar e efetuar a prisão são de natureza comissiva e, como tal, prescindem da
demonstração de culpa dos agentes públicos.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !32
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
b) responde civilmente o Estado em razão da ação ou omissão das autoridades policiais, não se
podendo imputar responsabilidade baseada na atuação do magistrado da ação penal, tendo em
vista que não pode ser considerado servidor público e, portanto, agente público para fins de
responsabilização.
c) não responde civilmente o Estado, em razão dos agentes públicos terem agido em estrito
cumprimento do dever legal, o que exclui a responsabilidade ainda que seja identificado nexo de
causalidade entre a ação estatal e os danos causados.
d) responde civilmente o Estado no caso de ser demonstrada ação ou omissão dos agentes
públicos ou mesmo do serviço, incluído o magistrado que atuou na ação penal, que forme nexo de
causalidade com os danos experimentados pelo cidadão que ficou preso indevidamente.
e) não responde civilmente, salvo se ficar comprovada culpa do magistrado, ou seja, que tinha
como identificar a homonímia, não se estendendo a responsabilização à atuação dos agentes
policiais, em razão do ato ser escopo de sua atuação.

6. (CESPE/TJDF/Juiz Substituto/2014) Ênio foi condenado a dezessete anos de prisão por


meio de sentença penal condenatória transitada em julgado. Sob a custódia do Estado,
deparou-se com um sistema prisional inepto para tutelar os direitos fundamentais previstos
no texto constitucional: celas superlotadas, falta de preparo dos agentes carcerários,
rebeliões, péssimas condições de higiene, doenças, violências das mais diversas.
Agregaram-se a isso problemas pessoais: além de ter contraído doenças, sua esposa
pediu-lhe o divórcio e seus filhos e amigos não quiseram mais contato algum com ele.
Após um ano de prisão, Ênio entrou em depressão e se suicidou dentro da cela, durante a
noite. Em razão desse fato, seus herdeiros ajuizaram ação de indenização por danos
materiais e morais contra o Estado. Considerando essa situação hipotética, assinale a
opção correta acerca da responsabilidade extracontratual, ou aquiliana, do Estado, com
base no entendimento jurisprudencial do STF e do STJ.
a) O Estado não pode ser responsabilizado pelo suicídio de Ênio, uma vez que não tem o dever
de guardião universal das pessoas sob sua custódia. No caso narrado, não há sequer nexo de
causalidade entre omissão e dano, visto que concorreram para o suicídio fatores da vida pessoal
de Ênio; afinal, todo o seu sofrimento originou-se de sua conduta criminosa. Assim, com base no
princípio da razoabilidade, o Estado não tinha como evitar o evento danoso e não deve indenizar.
b) Trata-se de hipótese de responsabilidade subjetiva do Estado por omissão, cabendo aos
autores da demanda demonstrar em juízo a falha estatal e o dano, o nexo causal entre eles, bem
como a culpa da administração pública.
c) Não é necessário demonstrar a culpa da administração pública, visto que a responsabilidade
civil estatal pela integridade dos presidiários é objetiva em face dos riscos inerentes ao meio em
que eles estão inseridos por conduta do próprio Estado.

d) Em que pese não haver, nessa hipótese, nexo de causalidade, visto que concorreram para o
suicídio circunstâncias pessoais da vida do preso, subsiste a obrigação do Estado de indenizar,
haja vista tratar-se de responsabilidade objetiva.
e) É necessário demonstrar a culpa da administração pública, mas não o nexo de causalidade,
uma vez que tal nexo é presumido quando o lesado está sob custódia do Estado.

7. (UPENET/PM-PE/Oficial da Polícia Militar/2014) Segundo a disposição constitucional que


rege a responsabilidade civil da administração, não estão incluídos, na responsabilização
objetiva do ente a que pertencem, os danos causados pelos seguintes agentes:

a) empregados de concessionárias de serviço público.
b) servidores públicos da administração direta.

c) empregados de uma empresa pública que desenvolve atividade econômica em regime de
concorrência.

d) servidores de uma autarquia.

e) empregados de uma sociedade de economia mista que presta serviços públicos.

8. (IBFC/PC-RJ/Papiloscopista/2014) Considerando o entendimento do Supremo Tribunal


Federal sobre a possibilidade de responsabilização civil do Estado em caso de prisão
preventiva de acusado que, ao final da ação penal, venha a ser absolvido, assinale a
alternativa correta:

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !33
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
a) Pode ser reconhecida, pois nesse caso há presunção de erro judiciário, o que enseja a
responsabilização do Estado, cabendo ação de regresso contra o magistrado, caso este tenha
agido com dolo ou culpa.

b) Pode ser reconhecida, pois nesse caso a situação é análoga ao excesso de prazo na prisão
cautelar, o que enseja a responsabilização do Estado, sem, contudo, responsabilizar
subjetivamente o magistrado.
c) Pode ser reconhecida, pois nesse caso a situação é análoga à prisão por excesso de prazo,
cabendo ação de regresso contra o magistrado, caso este tenha agido com dolo ou culpa.

d) Não pode ser reconhecida, pois nesse caso a responsabilidade é pessoal do juiz pelo erro
judiciário e, sendo ele um agente público, responderá caso tenha agido com dolo ou culpa.
e) Não pode ser reconhecida, pois interpretação diversa violaria o princípio do livre convencimento
do juiz, salvo nos casos em que este proceda com dolo, situação em que caberá a sua
responsabilização pessoal.

9. (FCC/PGE-RN/Procurador/2014) O Estado foi condenado judicialmente a indenizar cidadã


por danos sofridos em razão da omissão de socorro em hospital da rede pública, eis que o
hospital negou-se a realizar parto iminente alegando falta de leito disponível. Diante de tal
condenação, entende-se que o Estado poderá exercer direito de regresso em face do
servidor que negou a internação
a) desde que comprove conduta omissiva ou comissiva dolosa, afastada a responsabilidade no
caso de culpa decorrente do exercício de sua atividade profissional.

b) com base na responsabilidade objetiva do mesmo, bastando a comprovação do nexo de
causalidade entre a atuação do servidor e o dano.
c) com base na responsabilidade subjetiva do mesmo, que decorre automaticamente da
condenação do Estado, salvo se comprovadas, pelo servidor, causas excludentes de
responsabilidade.

d) independentemente da comprovação de dolo ou culpa, desde que constatado descumprimento
de dever funcional.
e) com base na responsabilidade subjetiva do servidor, condicionada à comprovação de dolo ou
culpa.

10. (FGV/PGM - Niterói/Procurador/2014) Maria caiu abruptamente em buraco existente na


calçada da Rua Sem Número, o que pôde ser provado por meio de boletim de atendimento
médico feito no hospital Municipal de Niterói, além de fotos do local e do depoimento de
testemunha que presenciou o fato. O acidente resultou em lesões no tornozelo esquerdo
compatíveis com o acidente, tendo as provas documental e pericial comprovado a
precariedade da conservação pública do local. Diante do caso concreto, assinale a
afirmativa correta.

a) A responsabilidade pela conservação das calçadas é dos proprietários dos imóveis em frente e
não do Município, o que afasta a responsabilidade objetiva do ente público pelo acidente.
b) A ocorrência de omissão é específica do Município, pois a causa do evento que provocou o
dano foi a falta de cumprimento pelo ente público do dever de conservação e fiscalização das
calçadas, para propiciar segurança à circulação dos pedestres.

c) A responsabilidade perseguida do ente público é subjetiva, razão pela qual não basta a
demonstração do fato, do dano e do nexo causal.
d) Não tendo a municipalidade comprovado nenhuma das causas excludentes de sua
responsabilidade, como fato exclusivo da vítima ou de terceiro, ou de caso fortuito ou força maior,
não responde objetivamente pelos danos causados à pedestre.

e) A responsabilidade civil das pessoas jurídicas de direito público é regulada no Art. 37, § 6º, da
Constituição da República, a prever somente a responsabilidade subjetiva.

11. (FGV/PGM - Niterói/Procurador/2014) Diante da jurisprudência mais recente dos nossos


Tribunais, com relação à responsabilidade do Município por danos causados a terceiros
por seus agentes, assinale a afirmativa correta.

a) A absolvição do servidor público na esfera criminal pela negativa de autoria não produz efeitos
nas esferas administrativa e civil.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !34
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
b) O terceiro lesado deverá propor a ação em face do Município, e este, então, no caso de dolo ou
culpa do agente, deverá entrar com ação de regresso contra o mesmo.

c) O Art. 37, § 6o, da Constituição da República torna compulsória a denunciação da lide ao
agente público causador do dano.
d) A indenização devida pelo Município por obras defeituosas cobre apenas, quanto aos danos
materiais, os lucros cessantes, mas não os danos emergentes.

e) Os servidores públicos somente respondem pelos prejuízos causados à Administração
decorrentes de atos dolosos.

12. (FGV/Prefeitura de Florianópolis/Fiscal de Serviço/2014) Antônio, motorista de ônibus


da empresa concessionária de transporte público municipal, conduzia o coletivo e, ao
mesmo tempo, conversava com uma bonita jovem, em flagrante investida romântica. Em
razão da distração, Antônio não percebeu que se aproximava um perigoso cruzamento e foi
obrigado a frear bruscamente o ônibus, causando um tombo na passageira idosa Dona
Gertrudes, que quebrou o fêmur e ficou hospitalizada por três meses. Após receber alta,
Dona Gertrudes foi à Defensoria Pública buscar auxílio para ajuizar ação indenizatória,
ocasião em que foi informada de que se aplica ao caso a responsabilidade civil:
a) objetiva da concessionária de serviço público;
b) objetiva e direta do Município, na qualidade de poder concedente do serviço público;
c) subjetiva da concessionária de serviço público;
d) subjetiva e direta do Município, na qualidade de poder concedente do serviço público;
e) subjetiva e solidária da concessionária de serviço público e do Município.

13. (FCC/DPE-CE/Defensor Público/2014) No tocante ao regime público de responsabilidade


extra-contratual, é INCORRETO afirmar:

a) Sociedade de economia mista que atua como instituição financeira está sujeita ao regime de
responsabilidade objetiva estabelecido no art. 37, § 6º da Constituição Federal.
b) Em caso de falecimento de servidor que tenha sido o autor do ato danoso em razão de conduta
culposa ou dolosa, a ação de regresso será proposta em relação a seus sucessores.

c) Segundo entendimento atual do Supremo Tribunal Federal, a regra de responsabilidade objetiva
em razão de comportamento comissivo aplica-se tanto aos danos causados a usuários como a
terceiros não usuários.
d) As associações públicas se sujeitam ao regime de responsabilidade objetiva estabelecido no
art. 37, § 6º da Constituição Federal.

e) A excludente de responsabilidade referente a atos de terceiros não se aplica na hipótese de
atentado terrorista contra aeronaves de matrícula brasileira operadas por empresas brasileiras de
transporte aéreo público, caso em que a União responderá por tais danos, na forma da lei.

14. (FGV/PROCEMPA/Analista/2014) Sobre o tema da Responsabilidade Civil do Estado,


analise as afirmativas a seguir.
I. Segundo a doutrina administrativista majoritária, a responsabilidade civil objetiva do Estado só
se aplica às hipóteses de ato comissivo, sendo que para os atos omissivos vigora a Teoria da
Irresponsabilidade estatal.

II. A responsabilidade civil objetiva do Estado não é ilidida pela demonstração da existência de
causas excludentes de nexo de causalidade, mas apenas pela comprovação de inexistência de
dano.
III. Nenhum dano decorrente de ato lícito gera dever de indenizar por parte do Estado.
Assinale:
a) se somente a afirmativa I estiver incorreta.
b) se somente a afirmativa III estiver incorreta.
c) se somente as afirmativas I e II estiverem incorretas.
d) se somente as afirmativas II e III estiverem incorretas.
e) se todas as afirmativas estiverem incorretas.

15. (MPE-RS/Assessor - Direito/2014) Assinale com V (verdadeiro) ou com F (falso) as


seguintes afirmações.


www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !35
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
( ) Por ser o ato de improbidade administrativa personalíssimo em relação ao agente que o
comete, no caso de lesão ao erário ou enriquecimento ilícito seus sucessores não estão sujeitos
às cominações da Lei nº 8.429/92.
( ) O direito de regresso do Estado contra o agente público que, por dolo ou culpa, causou o dano
a terceiros consiste numa faculdade da Administração, que avaliará a oportunidade e
conveniência de processar o agente faltoso, sendo essa decisão um típico ato administrativo
discricionário, visto que o direito de ação não é coercitivo e o Estado pode não ter interesse em
expor o servidor causador do dano a um processo judicial.
( ) A aplicação das sanções previstas na Lei de Improbidade Administrativa independe da efetiva
ocorrência de dano ao patrimônio público, salvo quanto à pena de ressarcimento, e da aprovação
ou rejeição das contas pelo órgão de controle interno ou pelo Tribunal ou Conselho de Contas.

( ) As disposições da Lei de Improbidade Administrativa são aplicáveis, no que couber, àquele
que, mesmo não sendo agente público, induza ou concorra para a prática do ato de improbidade
ou dele se beneficie sob qualquer forma direta ou indireta, incluindo pessoas jurídicas, sendo que
com relação a estas é possível a utilização da teoria da desconsideração da personalidade
jurídica.
A sequência correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é
a) V – V – F – V.
b) V – V – V – F.
c) F – F – V – V.
d) V – F – F – V.
e) F – F – V – F.

16. (FGV/TJ-RJ/Técnico de Atividade Judiciário/2014) Em relação à responsabilidade civil


do Estado por danos causados ao particular, é correto afirmar que ela:

a) sempre será objetiva, independentemente do comportamento do Estado e de seus agentes,
que pode ser omissivo ou comissivo;
b) sempre será subjetiva, exigindo que seja demonstrada a falta do serviço, o nexo de causalidade
entre a conduta dos agentes do Estado e o resultado lesivo, bem como o dolo ou a culpa destes
últimos;

c) será objetiva, na hipótese de atividade nuclear, gerando para os Estados e os Municípios o
dever jurídico de indenizar todos os danos causados;
d) será sempre subjetiva, cabendo à vítima demonstrar a falta do serviço e o elemento subjetivo
dos agentes do Estado, somente sendo afastado o dever de indenizar se demonstrada a culpa
exclusiva da vítima;

e) será objetiva no caso de atos comissivos dos agentes das pessoas jurídicas de direito público
que, nessa qualidade, causem danos a terceiros.

17. (FCC/SEFAZ-PE/Auditor do Tesouro Estadual/2014) Considere o trecho do acórdão do


Superior Tribunal de Justiça e as assertivas a seguir: “Quanto ao mérito, nos termos da
jurisprudência do STJ, a responsabilidade civil do Estado para condutas omissivas é
subjetiva, sendo necessário, dessa forma, comprovar negligência na atuação estatal, o
dano e o nexo causal entre ambos. (…) Com se vê, da análise das razões do acórdão
recorrido, observa-se que este delineou a controvérsia dentro do universo fático-
probatório. Caso em que não há como aferir eventual inexistência de nexo de causalidade
sem que se abram as provas ao reexame.”(Min. Rel. Humberto Martins; AgR no AGRAVO
EM RECURSO ESPECIAL no 501.507 - RJ; j. 27.05.2014)

I. Embora a Constituição Federal tenha estabelecido a modalidade objetiva de responsabilidade
para o Estado tanto para atos omissivos, quanto para atos comissivos, a jurisprudência mitigou
esse rigor, passando-a a subjetiva em ambas as hipóteses.

II. O Superior Tribunal de Justiça admite a modalidade subjetiva de responsabilidade para o
Estado nos casos de omissão, o que não afasta a necessidade de demonstração do nexo de
causalidade.

III. Para a comprovação da responsabilidade objetiva não é necessária a demonstração de nexo
de causalidade e de culpa do agente público, enquanto que na responsabilidade subjetiva, esses
requisitos são indispensáveis.

De acordo com o exposto, está correto o que se afirma em


www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !36
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
a) III, apenas.

b) I e II, apenas.

c) I, II e III.

d) II, apenas.

e) I e III, apenas.

18. (FGV/TJ-GO/Analista Judiciário/2014) Maria é servidora pública e trabalha como


merendeira na cozinha da Escola Municipal Letras e Artes. Por descuido, Maria deixou cair
um objeto pontiagudo enquanto preparava o lanche dos alunos e o estudante João, de 7
anos, acabou o ingerindo junto com o sanduíche. João foi levado ao hospital, onde ficou
internado por um mês. Em razão dos danos morais e materiais sofridos por João, caberá
indenização baseada na responsabilidade civil:
a) objetiva da Maria, que responde pelos danos que causou a João, sendo imprescindível a
comprovação de dolo ou culpa em sua conduta e cabendo responsabilidade subsidiária do
Município no caso de insolvência de Maria;

b) objetiva do Município, que responde pelos danos que seu agente, nessa qualidade, causou a
João, sendo prescindível a análise do elemento subjetivo e assegurado o direito de regresso
contra Maria nos casos de dolo ou culpa;
c) objetiva do Município, que responde pelos danos que seu agente, nessa qualidade, causou a
João, sendo imprescindível a análise do dolo ou culpa de Maria e assegurado o direito de
regresso contra Maria nesses casos;

d) subjetiva da Maria, que responde pelos danos que causou a João, sendo prescindível a
comprovação de dolo ou culpa em sua conduta e cabendo responsabilidade subsidiária do
Município no caso de insolvência de Maria;
e) subjetiva do Município, que responde pelos danos que seu agente, nessa qualidade, causou a
João, sendo imprescindível a análise do elemento subjetivo e assegurado o direito de regresso
contra Maria nos casos de dolo ou culpa.

19. (MPE-RS/Promotor de Justiça/2014) Assinale a alternativa INCORRETA.


a) As licitações não terão caráter sigiloso, salvo quanto ao conteúdo das propostas que vierem a
ser apresentadas e, apenas, até a respectiva abertura.

b) As obras e serviços licitados poderão ser executados de forma direta ou indireta (empreitada
por preço global, empreitada por preço unitário, tarefa ou empreitada integral), consoante
preceitua o artigo 10 da Lei Federal nº 8.666/1993.
c) As concessões de serviço público devem ser outorgadas por tempo determinado, podendo seu
prazo máximo ser fixado em lei dos Estados-membros, do Distrito Federal e dos Municípios.

d) A Constituição Federal, em seu artigo 37, parágrafo 6º, dispõe que as pessoas jurídicas de
Direito Público e as de Direito Privado prestadoras de serviços públicos responderão pelos danos
que seus agentes, nessa qualidade, causarem a terceiros, adotando, assim, a teoria do risco
integral.
e) As servidões administrativas, ao contrário da desapropriação, embora configurem ônus, nem
sempre são indenizáveis.

20. (FUNDEP/DPE-MG/Defensor Público/2014) Sobre a responsabilidade civil do Estado,


assinale a alternativa INCORRETA.

a) A administração responde pelos danos causados, ainda que advindos de comportamentos
lícitos, hipótese em que a responsabilidade se fundamenta no princípio da igualdade.
b) Por ser uma exceção à imputação de responsabilidades, a responsabilidade objetiva do Estado
aplica-se somente aos órgãos e entidades da Administração Pública direta e indireta.

c) Consoante à jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça, a administração pública responde
objetivamente no caso de morte por suicídio de detento ocorrido dentro de estabelecimento
prisional mantido pelo Estado.
d) Em caso de conduta estatal omissiva, aplica-se a responsabilidade subjetiva, devendo ser
demonstrada a culpa ou dolo do agente público.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !37
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere

Responsabilidade Civil do Estado - Fixação


1. b 2. a 3. d 4. b 5. d 6. c

7. c 8. e 9. e 10. b 11. b 12. a

13. a 14. e 15. c 16. e 17. d 18. b

19. d 20. b

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !38
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere

Servidores e Agentes Públicos

1. (CESPE/TRE-GO/Técnico Judiciário/2015) Alice, aprovada em concurso público para o cargo


de técnico administrativo de um TRE, precisa acompanhar cirurgia de ente familiar que ocorrerá
no mesmo dia em que foi marcada sua posse. Nessa situação, Alice poderá nomear, por
procuração específica, alguém que a represente no ato da posse.

2. (CESPE/TRE-GO/Técnico Judiciário/2015) Remoção é o deslocamento do servidor, a pedido,


no âmbito do mesmo quadro, com ou sem mudança de sede.

3. (CESPE/TRE-GO/Técnico Judiciário/2015) Paulo, técnico judiciário em exercício na capital do


estado de jurisdição de um TRE, pediu sua remoção para outra cidade, na mesma jurisdição
desse tribunal. Nessa situação, se for removido, Paulo não terá direito a ajuda de custo.

4. (CESPE/DPE-PE/Defensor Público/2015) Conforme entendimento atual do STF, é dever da


administração pública nomear candidato aprovado em concurso público dentro das vagas
previstas no edital, em razão do princípio da boa-fé e da proteção da confiança, salvo em
situações excepcionais caracterizadas pela necessidade, superveniência e imprevisibilidade.

5. (CESPE/FUB/Nível Superior/2015) A licença de um servidor para tratar de assuntos


particulares, desde que preenchidos os requisitos previstos em lei, dependerá da concessão da
administração. No entanto, a interrupção da licença somente ocorrerá com o consentimento do
servidor licenciado.

(CESPE/FUB/Nível Superior/2015) No que diz respeito aos servidores públicos segundo


disposições da CF, julgue os itens subsequentes.
6. Os subsídios e as remunerações dos servidores públicos federais, incluídas as verbas de
qualquer natureza, mesmo indenizatórias, não podem exceder o subsídio mensal dos ministros do
Supremo Tribunal Federal (STF).

7. Há na CF dispositivo que autoriza a vinculação do reajuste do subsídio dos secretários de


estado ao subsídio do governador como forma de se evitar discrepâncias remuneratórias.

8. (CESPE/FUB/Nível Médio/2015) Considere que João, de setenta anos de idade, servidor


público federal aposentado por invalidez, tenha solicitado a reversão de sua aposentadoria. Nessa
situação, mesmo que a junta médica oficial tenha concluído que o referido servidor não apresenta
qualquer condição incapacitante para o exercício profissional, a administração deverá indeferir a
solicitação de João.

9. (CESPE/FUB/Nível Médio/2015) Considere que Joana, servidora pública da Universidade de


Brasília, tenha recebido documentação para a instrução do processo administrativo de posse de
um professor estrangeiro em um cargo público da universidade. Nessa situação, Joana deve
desconsiderar a não apresentação, pelo professor, do documento comprobatório de nacionalidade
brasileira, devendo dar prosseguimento ao referido processo.

(CESPE/MPU/Técnico Administrativo/2015) Acerca do regime jurídico dos servidores


públicos federais, julgue os itens subsequentes.
10. O servidor público federal estável, habilitado em concurso público e empossado em cargo de
provimento efetivo, só perderá o cargo em virtude de sentença judicial transitada em julgado.

11. O servidor ocupante de cargo em comissão pode ser exonerado a qualquer momento,
independentemente de motivação.

12. Os impedimentos, as proibições e os deveres previstos na Lei nº 8.112/1990 somente se


aplicam ao servidor público após a posse, momento em que ocorre a investidura no cargo.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !39
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
(CESPE/MPU/Técnico Administrativo/2015) Acerca de deveres, proibições e penalidades
previstos na Lei nº 8.112/1990, julgue o item subsecutivo.
13. Atrasos constantes no cumprimento da jornada de trabalho podem caracterizar conduta
desidiosa, procedimento que, de acordo com o estatuto dos servidores públicos civis da União,
pode resultar em demissão.

(CESPE/MPU/Analista Administrativo/2015) A respeito dos cargos e funções públicas,


julgue os itens que se seguem.
14. A função pública compreende o conjunto de atribuições conferidas aos servidores ocupantes
de cargo efetivo, razão por que não é exercida por servidores temporários.

15. O ocupante de cargo vitalício só perde o cargo mediante regular processo judicial com
sentença transitada em julgado.

16. (CESPE/TCU/Técnico de Controle Externo/2015) A vedação ao acúmulo remunerado de


cargos, empregos ou funções públicas não se estende aos empregados das sociedades de
economia mista.

17. (CESPE/TCU/Técnico de Controle Externo/2015) O prazo de validade de concurso público é


de até dois anos, podendo ele ser prorrogado enquanto houver candidatos aprovados no cadastro
de reserva.

(CESPE/FUB/Analista - Administrador/2015) De acordo com o Decreto nº 1.171/1994 (Código


de Ética Profissional do Servidor Público Civil do Poder Executivo Federal) e com a Lei
Federal nº 8.112/1990 (Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União), julgue os
itens a seguir.
18. Após a aposentadoria, o servidor público encontra-se isento das penalidades previstas no
regime disciplinar estabelecido pela Lei nº 8.112/1990.

19. O conteúdo normativo do Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil é restrito à
vida profissional e silente em relação às condutas na vida particular do servidor.

20. De acordo com o Código de Ética do Servidor Público, deve ser criada uma comissão de ética
em todos os órgãos da administração pública.

21. As formas de provimento de cargo público incluem a ascensão e a transferência.

22. Entre os itens avaliados no desempenho do cargo do servidor durante seu estágio probatório
incluem-se sua capacidade de iniciativa e sua disciplina.

23. De acordo com a Lei Federal nº 8.112/1990, vencimento e remuneração consistem na


retribuição pecuniária pelo exercício do cargo.

(CESPE/FUB/Analista - Administrador/2015) Julgue os próximos itens, relativos ao regime


dos servidores públicos federais.
24. Um servidor nomeado para cargo de provimento efetivo ficará sujeito a estágio probatório pelo
período de vinte e quatro meses.

25. É obrigatória a aprovação prévia em concurso para provimento de quaisquer cargos ou


empregos na administração direta ou indireta, ressalvadas as nomeações para cargos em
confiança, declarados em lei como de livre nomeação e exoneração.

26. São formas de provimento de cargo público: nomeação, promoção, readaptação, reversão,
aproveitamento, reintegração e recondução.

(CESPE/STJ/Analista judiciário/2015) Em relação aos agentes públicos, julgue os próximos


itens.
27. Os servidores públicos gozam de todos os direitos sociais previstos no texto constitucional
para os trabalhadores da iniciativa privada.
www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !40
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere

28. O diploma ou habilitação legal exigido para o exercício do cargo deve ser apresentado pelo
candidato no ato de inscrição do concurso público pleiteado.

29. No que se refere ao exame psicotécnico, além de previsão legal, são exigidos mais três
requisitos para que seja válida a sua exigência em certames públicos: ser pautado em critérios
objetivos e científicos, ser compatível com as atribuições normais do cargo e ser ofertado direito
de recurso na via administrativa.

(CESPE/DPU/Agente Administrativo/2015) Com base nas disposições da Lei n.º 8.112/1990,


que trata do regime jurídico dos servidores públicos federais, julgue o item a seguir.
30. Além do vencimento, poderão ser pagos ao servidor indenizações, gratificações e adicionais,
vantagens que serão incorporadas ao seu vencimento.

31. Situação hipotética: Carlos trabalha em atividade considerada insalubre e perigosa e faz jus
ao recebimento dos adicionais de insalubridade e de periculosidade. Assertiva: Nesse caso,
Carlos deverá optar por um deles, sendo-lhe vedado acumular os dois adicionais

32. O tempo de serviço público prestado a estado, a município ou ao Distrito Federal será
contado, para todos os efeitos, no âmbito federal.

33. Caso o servidor público tenha causado danos ao poder público, a obrigação de reparar tais
danos estende-se aos seus sucessores e contra eles será executada, até o limite do valor da
herança recebida.

34. Somente nos casos previstos em lei poderá haver a prestação gratuita de serviços ao poder
público.

35. Em face da garantia da estabilidade, o servidor público estável só perderá o cargo por força de
decisão judicial.

(CESPE/DPU/Técnico em Assuntos Educacionais/2015) Com base nas disposições da Lei


n.º 8.112/1990, julgue o seguinte item.
36. Situação hipotética: Cláudio, servidor público federal, foi demitido após ter respondido a
processo administrativo pela suposta prática de ato de improbidade administrativa. Inconformado,
Cláudio ingressou com ação judicial e conseguiu anular a demissão, tendo sido reinvestido no
cargo. Assertiva: Nesse caso, a reinvestidura de Cláudio no cargo público se dará por meio da
reversão.

37. O cargo público, definido como o conjunto de atribuições e responsabilidades incumbidas ao


servidor, é criado por lei para provimento em caráter efetivo ou em comissão.

38. Situação hipotética: Giorgio, de quarenta anos de idade, é cidadão italiano e não tem
nacionalidade brasileira. Foi aprovado, dentro do número de vagas, em concurso público para
prover cargo do professor de ensino superior de determinada universidade federal, tem o nível de
escolaridade exigido para o cargo e aptidão física e mental. Assertiva: Nessa situação, por não
ter a nacionalidade brasileira, Giorgio não poderá tomar posse no referido cargo.

39. Ascensão e reintegração são formas de provimento de cargo público.

(CESPE/DPU/Técnico em Assuntos Educacionais/2015) Ainda com base no disposto na Lei


n.º 8.112/1990 e na Constituição Federal de 1988 (CF), julgue o próximo item.
40. Servidor do Instituto Nacional do Seguro Social que agir como procurador de seu cônjuge na
obtenção de benefício previdenciário violará proibição estabelecida no regime disciplinar dos
servidores públicos federais.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !41
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
41. É permitido o exercício de mais de um cargo em comissão, desde que seja na condição de
interino.

42. Com referência ao servidor público federal, a responsabilidade administrativa e a penal são
independentes entre si, podendo cumular-se, salvo no caso de absolvição criminal que negue a
ocorrência do fato ou a sua autoria.

43. O servidor que for nomeado para cargo de provimento efetivo será submetido, após entrar em
exercício, a estágio probatório de três anos, no qual será avaliado com base na assiduidade,
disciplina, capacidade de iniciativa, produtividade e responsabilidade.

(CESPE/DPU/Analista Técnico - Administrativo/2015) Uma autarquia federal, desejando


comprar um bem imóvel — não enquadrado nas hipóteses em que a licitação é dispensada,
dispensável ou inexigível — com valor de contratação estimado em R$ 50.000,00, efetuou
licitação na modalidade concorrência. Considerando a situação descrita, julgue os itens a
seguir, acerca da organização administrativa da União, das licitações e contratos
administrativos e do disposto na Lei n.º 8.112/1990.
44. Servidor público efetivo da referida autarquia federal que, no curso do processo licitatório,
recusasse fé a documento público regularmente apresentado por um dos licitantes não estaria
sujeito a sanção administrativa prevista na Lei n.º 8.112/1990, uma vez que servidores de
autarquias submetem-se a regime jurídico próprio.

45. (CESPE/DPU/Analista Técnico - Administrativo/2015) A investidura em cargo público em


comissão ocorre com a nomeação e independe de prévia habilitação em concurso público.

46. (CESPE/DPU/Analista Técnico - Administrativo/2015) Os servidores contratados por tempo


determinado para atender à necessidade temporária de excepcional interesse público e os
empregados públicos classificam-se, em virtude da ausência de estabilidade, como servidores
temporários.

(CESPE/DPU/Técnico em Assuntos Educacionais/2015) Em relação ao regime jurídico dos


cargos, empregos e funções públicas e às disposições da Lei n.º 8.112/1990, julgue o item
que se segue.
47. Readaptação é a investidura do servidor em cargo de atribuições e responsabilidades
compatíveis com a limitação em sua capacidade física ou mental, verificada em inspeção médica,
advinda após sua posse em cargo público.

48. De acordo com a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, é válida a exigência de exame
psicotécnico em concursos públicos desde que esteja a exigência prevista no edital do certame.

49. A investidura em cargo público ocorre com a posse.

(CESPE/DPU/Todos os cargos/2015) Ainda com base no disposto na Lei n.º 8.112/1990 e na


Constituição Federal de 1988 (CF), julgue o próximo item.
50. Com referência ao servidor público federal, a responsabilidade administrativa e a penal são
independentes entre si, podendo cumular-se, salvo no caso de absolvição criminal que negue a
ocorrência do fato ou a sua autoria.

51. A inassiduidade habitual será apurada mediante procedimento sumário, cabendo, nesse caso,
a penalidade de remoção ou de advertência.

52. Ao servidor público federal que tenha recebido certidão emitida por órgão público estadual
para instruir pedido administrativo é lícito exigir o reconhecimento de firma da autoridade estadual.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !42
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere

53. (CESPE/ICMBio/Técnico Administrativo/2014) A Lei nº 8.112/1990 se aplica a todos os


indivíduos que trabalham no serviço público federal, incluindo os servidores da administração
federal, os militares e os empregados públicos.

54. (CESPE/ICMBio/Técnico Administrativo/2014) É obrigatória a realização de concurso


público para provimento de cargo efetivo na administração direta ou indireta.

55. (CESPE/Câmara dos Deputados/Analista Legislativo/2014) O agente público está obrigado


a declarar bens e valores que componham o seu patrimônio privado — requisito que condiciona a
sua posse em cargo ou função pública —, e poderá ser demitido a bem do serviço público caso
apresente falsa declaração.

56. (CESPE/Câmara dos Deputados/Analista Legislativo/2014) Se um ocupante de cargo


efetivo de nível superior do Poder Legislativo federal, ao final do seu primeiro ano de exercício
nesse cargo, for requisitado para ocupar cargo de natureza especial em outro órgão da União, e
tal pedido for negado pelo superior hierárquico sob o argumento de não se poder infringir
disposição legal, o indeferimento da requisição terá respaldo na legislação vigente, haja vista que
o servidor ainda se encontrará em estágio probatório.

57. (CESPE/ICMBio/Analista Administrativo/2014) Considere que Pedro, técnico judiciário de


um tribunal de justiça, tenha tomado posse no cargo de analista do ICMBio em 2011 e se
aposentado voluntariamente, aos sessenta anos de idade, em 2012. Nessa situação hipotética, se
Pedro requerer sua reversão ao instituto em 2014, ainda que haja cargo vago e interesse da
administração, sua solicitação deverá ser indeferida.

58. (CESPE/MTE/Agente Administrativo/2014) Apenas por meio de prévia aprovação em


concurso de provas ou de provas e títulos, poderá o cidadão brasileiro ter acesso aos cargos e
empregos públicos.

59. (CESPE/Câmara dos Deputados/Analista Legislativo/2014) O servidor público federal tem


direito de ser removido a pedido, independentemente do interesse da administração, para
acompanhar cônjuge que, sendo empregado de empresa pública federal, tenha sido deslocado
para outra localidade no interesse da administração.

60. (CESPE/SUFRAMA/Agente Administrativo/2014) Considerando que, no interesse da


administração, um servidor efetivo da SUFRAMA tenha sido removido de ofício para outra
localidade, julgue os itens a seguir, considerando que CF corresponde à Constituição Federal de
1988. Cabem à administração as despesas de transporte do servidor e de sua família para a nova
localidade de exercício, incluídos os gastos com passagem, bagagem e bens pessoais.

61. (CESPE/ANATEL/Administrador/2014) Será concedido auxílio-moradia ao servidor público


desde que ele ou seu cônjuge, ou companheiro, conforme o caso, nos doze meses que
antecederem a sua nomeação, não seja ou tenha sido proprietário, promitente comprador,
cessionário ou promitente cessionário de imóvel no município onde for exercer o cargo, incluída a
hipótese de lote edificado sem averbação de construção.

62. (CESPE/ICMBio/Técnico Administrativo/2014) Caso um técnico do ICMBio tenha tomado


posse no seu cargo em 2013 e entre em gozo de licença para atividade política em 2014, o
estágio probatório deverá ser suspenso durante o período de afastamento.

63. (CESPE/Câmara dos Deputados/Técnico Legislativo/2014) Servidor técnico legislativo da


Câmara dos Deputados em gozo de licença para tratar de interesses particulares poderá participar
da gerência de sociedade privada, sendo-lhe vedado apenas o exercício de atos de comércio.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !43
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
(CESPE/Câmara dos Deputados/Analista Legislativo/2014) Acerca da capacitação de
pessoal, julgue os próximos itens.
64. É possível ao servidor, ainda que fora do interesse da administração, afastar-se, após cinco
anos de efetivo exercício, para gozar de licença remunerada com vistas à capacitação no período
de vinte dias.

65. O programa de pós-graduação lato sensu no país é considerado evento de capacitação,


sendo o tempo de afastamento do servidor público em virtude de participação no mencionado
programa considerado tempo de efetivo exercício.

66. O servidor titular de cargo efetivo em seu órgão de lotação há cinco anos poderá, no interesse
da administração, afastar-se para realizar programa de pós-doutorado no exterior, desde que não
se tenha afastado por licença para tratar de assuntos particulares ou para participar de programa
de pós-graduação stricto sensu, nos quatro anos anteriores à data da solicitação de afastamento.

67. (CESPE/ANATEL/Administrador/2014) Licenças para tratamento de assuntos particulares


poderão ser concedidas, por discricionariedade da administração pública, a servidor ocupante de
cargo efetivo, ainda que esteja cumprindo o estágio probatório, pelo prazo de até três anos
consecutivos, desde que sem remuneração.

68. (CESPE/ICMBio/Analista Administrativo/2014) O servidor beneficiado por afastamento para


realizar programa de mestrado ou de doutorado no país deverá permanecer no exercício de suas
funções após seu retorno por período igual ao do afastamento concedido, ficando impedido de
solicitar exoneração ou aposentadoria antes de cumprido o período de permanência no exercício
de sua função.

69. (CESPE/ICMBio/Técnico Administrativo/2014) A licença para capacitação tem natureza


discricionária, é remunerada e pode ser solicitada mesmo durante o período de estágio probatório.

70. (CESPE/FUB/Nível Superior/2014) Ao servidor público em estágio probatório é garantida a


licença para tratar de assuntos particulares. Concedida a licença, o período avaliativo ficará
suspenso, sendo retomado a partir do término do impedimento.

71. (CESPE/SUFRAMA/Nível Superior/2014) Determinado servidor público teve seu pedido de


férias negado pela chefia competente e, em que pese a possibilidade de indeferir a solicitação
sem fundamentar sua decisão de forma expressa, a autoridade competente o fez, sob o
fundamento de falta de pessoal na repartição. Nessa situação hipotética, caso o servidor consiga
provar que, em verdade, havia excesso de servidores onde trabalha, o referido ato será inválido.

72. (CESPE/Câmara dos Deputados/Técnico Legislativo/2014) Considere que determinada


autoridade tenha instaurado processo disciplinar para apurar denúncia que relata o cometimento
de irregularidades por servidor lotado no setor sob sua responsabilidade. Nessa situação, como
medida cautelar e a fim de evitar que o servidor denunciado influa na apuração, a autoridade
poderá afastá-lo do exercício do cargo durante todo o curso do processo, sem prejuízo de sua
remuneração.

73. (CESPE/ANATEL/Administrador/2014) Durante o período de apuração dos deveres


inerentes ao cargo do servidor, as sanções administrativas decorrentes do processo disciplinar
poderão cumular-se com as sanções penais, sendo afastada, entretanto, a responsabilidade
administrativa do servidor no caso de absolvição criminal.

74. (CESPE/ICMBio/Técnico Administrativo/2014) De acordo com a Lei n.º 8.112/1990, a


demissão não é aplicável aos ocupantes de cargos em comissão.

75. (CESPE/ICMBio/Analista Administrativo/2014) Caso um analista do ICMBio tenha sido


nomeado para determinado cargo em comissão no próprio instituto, não poderá ser nomeado,
mesmo interinamente, para outro cargo de confiança.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !44
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
76. (CESPE/MDIC/Agente Administrativo/2014) Considere que um servidor vinculado à
administração unicamente por cargo em comissão cometa uma infração para a qual a Lei n.º
8.112/1990 preveja a sanção de suspensão. Nesse caso, se comprovadas a autoria e a
materialidade da irregularidade, o servidor sofrerá a penalidade de destituição do cargo em
comissão.

77. (Ministério das Comunicações/Contrato Temporário/2013) A posse poderá ocorrer


mediante instrumento de procuração específica para tal ato.

78. (Ministério das Comunicações/Contrato Temporário/2013) A investidura em cargo público


ocorrerá com a entrada em exercício nas funções inerentes ao cargo.

79. (CESPE/TCE-RS/Controle Externo/2013) Professor estrangeiro que resida no Brasil e


pretenda ocupar cargo público em universidade federal somente poderá atuar como professor
visitante, visto que a investidura em cargo público é restrita a brasileiros natos ou naturalizados.

80. (CESPE/MPU/Analista/2013) São requisitos para a investidura em cargo público, entre outros,
a idade mínima de dezoito anos e a aptidão física e mental, podendo as atribuições do cargo
justificar a exigência de outros requisitos estabelecidos em lei.

81. (CESPE/DPF/Escrivão/2013) A posse de um candidato aprovado em concurso público


somente poderá ocorrer pessoalmente.

82. (CESPE/DPF/Escrivão/2013) A investidura no cargo público ocorre com a nomeação, sendo


de trinta dias o prazo para o nomeado tomar posse.

83. (CESPE/TCU/Auditor/2013) A promoção, a readaptação e a posse em outro cargo


inacumulável incluem- se entre os fatos que geram a situação de vacância do cargo público.

84. (CESPE/Telebras/Técnico de Gestão/2013) A nomeação em cargo efetivo constitui um


exemplo de provimento originário, quando se tratar de candidato aprovado em concurso público, e
será considerada de provimento derivado, quando se tratar de constituir servidor em condição
interina.

85. (CESPE/DPF/Escrivão/2013) Considere que um servidor público federal estável, submetido a


estágio probatório para ocupar outro cargo público após aprovação em concurso público, desista
de exercer a nova função. Nessa situação, o referido servidor terá o direito de ser reconduzido ao
cargo ocupado anteriormente no serviço público.

86. (CESPE/MTE/Auditor fiscal do Trabalho/2013) Um servidor público federal foi demitido após
o devido processo administrativo. Contra o ato de demissão ele ajuizou ação judicial, na qual
obteve decisão favorável à sua reintegração no cargo, em decorrência da nulidade do ato de
demissão. Nessa situação, o servidor reintegrado não terá direito ao tempo de serviço, aos
vencimentos e às vantagens que lhe seriam pagos no período de afastamento.

87. (CESPE/CNJ/Analista judiciário/2013) Em caso de afastamento ou impedimento legal do


servidor titular superior a quinze dias consecutivos, o servidor substituto terá direito a retribuição
pelo exercício do cargo ou função de direção ou chefia ou de cargo de natureza especial, paga na
proporção dos dias de efetiva substituição que excederem o referido período.

88. (Ministério da Justiça/Analista/2013) Segundo entendimento do STJ, o servidor público


federal tem direito de ser removido a pedido, independentemente do interesse da administração,
para acompanhar o seu cônjuge empregado de empresa pública federal que tenha sido deslocado
para outra localidade no interesse da administração.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !45
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
89. (CESPE/CNJ/Analista judiciário/2013) O vencimento do cargo efetivo, acrescido das
vantagens de caráter permanente, é irredutível, salvo nos casos de calamidade pública ou guerra
externa.

90. (Ministério da Justiça/Analista/2013) Conforme decisão recente do STJ, o adicional noturno


previsto na Lei nº 8.112/1990 será devido ao servidor público federal que preste serviço em
horário compreendido entre 22 horas de um dia e 5 horas do dia seguinte. Entretanto, esse
adicional não será devido se o serviço for prestado em regime de plantão.

91. (CESPE/MJ/Analista/2013) Se um servidor público federal tiver realizado despesas com a


utilização de meio próprio de locomoção para a execução de serviços externos por força das
atribuições próprias do cargo, ele terá direito ao recebimento de indenização de transporte, que se
incorporará ao seu vencimento.

92. (CESPE/MI/Assistente Técnico Administrativo/2013) Os vencimentos dos servidores


públicos podem ser objeto de arresto, sequestro e penhora para pagamento de dívidas
comerciais.

93. (CESPE/TRT 10ª/Técnico Judiciário/2013) O servidor público civil que fizer jus aos
adicionais de insalubridade e periculosidade acumulará ambos os acréscimos sobre seu
vencimento.

94. (CESPE/TRT 10ª/Analista Judiciário - TI/2013) Ao servidor é facultado abater de suas férias
as faltas injustificadas, de modo a preservar a remuneração referente aos dias em que deixar de
comparecer ao serviço.

95. (CESPE/TRT10/Técnico judiciário/2013) Ao servidor é facultado abater de suas férias as


faltas injustificadas, de modo a preservar a remuneração referente aos dias em que deixar de
comparecer ao serviço.

96. (CESPE/DEPEN/Especialista/2013) É assegurado ao servidor público federal o direito a


licença, sem prejuízo da remuneração, para o desempenho de mandato em sindicato
representativo da categoria.

97. (CESPE/TCE-RS/Oficial de Controle Externo/2013) Se determinado servidor necessitar de


licença para acompanhar seu cônjuge, ela lhe poderá ser concedida, a critério da administração,
por prazo indeterminado, sem remuneração.

98. (CESPE/MPOG/Analista - Negócios/2013) Um sargento que contava com 12 anos de serviço


no Exército, quando conseguiu aprovação em concurso público e tomou posse em outro cargo
como servidor civil no Ministério do Planejamento, terá o tempo de serviço anterior como militar
computado para fins de aposentadoria como funcionário público civil.

99. (CESPE/DPRF/Policial/2013) O servidor público federal investido em mandato eletivo


municipal somente será afastado do cargo se não houver compatibilidade de horário, sendo-lhe
facultado, em caso de afastamento, optar pela sua remuneração.

100. (CESPE/ANS/Analista/2013) Considere que a diretoria colegiada da ANS determine que a


concessão de afastamento para a participação em programa de pós-graduação stricto sensu no
país só pode ser dada, simultaneamente, para, no máximo, cinco servidores. Nessa situação, a
determinação da diretoria colegiada da ANS é compatível com a legislação.

101. (CESPE/MPU/Analista - Direito/2013) O período em que o servidor estiver de licença para


desempenhar mandato classista conta como tempo de serviço, sendo considerado de efetivo
exercício, salvo para efeito de promoção por merecimento.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !46
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
(Ministério das Comunicações/Contrato Temporário/2013) Com referência aos agentes
administrativos, julgue os itens subsequentes.

102. Se um servidor estiver respondendo a um processo administrativo disciplinar e estiver sujeito
a uma diversidade de sanções, o julgamento caberá à autoridade competente para impor a pena
mais grave.

103. Um dos fundamentos aptos a ensejar a revisão do processo disciplinar é a alegação e a


demonstração da injustiça na aplicação da pena.

104. (CESPE/STF/Analista área judiciária/2013) A responsabilidade do servidor público pode se


dar na esfera civil, penal e administrativa, sendo afastada esta última no caso de absolvição
criminal que negue a existência do fato ou de sua autoria.

105. (CESPE/STF/Analista área judiciária/2013) Em se tratando de processo administrativo


disciplinar, a autoridade instauradora pode, como medida cautelar e para que não haja
interferências na apuração da irregularidade, decretar o afastamento do servidor investigado, sem
prejuízo da remuneração.

106. (CESPE/STF/Técnico judiciário/2013) Ao servidor é proibido recusar fé a documentos


públicos.

(CESPE/FUB/Auxiliar de administração/2013) Julgue os itens que se seguem, relativos ao


regime disciplinar dos servidores públicos federais.

107. É vedada aos servidores públicos toda e qualquer acumulação remunerada de cargos
públicos.

108. Poderá o servidor público federal ausentar-se do seu trabalho, por motivo imperioso, sem
prévia autorização do chefe imediato.

109. São consideradas penalidades disciplinares a advertência, a suspensão e a demissão.

110. (CESPE/TCU/Auditor/2013) A instauração de processo administrativo disciplinar é


obrigatória para a aplicação das penas de suspensão por mais de trinta dias, demissão, cassação
de aposentadoria ou disponibilidade e destituição de cargo em comissão.

111. (CESPE/TRT 10ª/Técnico Judiciário/2013) Uma vez aplicadas ao servidor faltoso, as


penalidades de advertência e de suspensão ficarão permanentemente registradas em seu
assentamento funcional.

112. (CESPE/TRT 10ª/Técnico judiciário/2013) Havendo conveniência para o serviço, a pena de


suspensão pode ser convertida em multa correspondente à metade por dia do vencimento ou
remuneração, ficando o servidor obrigado a permanecer no desempenho de suas atribuições.

113. (CESPE/TRT10ª/Técnico judiciário/2013) A acumulação lícita de cargos públicos por parte


do servidor é condicionada à demonstração de compatibilidade de horários.

114. (CESPE/CNJ/Analista judiciário/2013) São penalidades disciplinares a advertência, a


suspensão e a destituição de cargo em comissão.

(Ministério da Saúde/Analista/2013) Mediante portaria ministerial, um ministro de Estado


determinou a demissão de um funcionário do cargo de servidor público, com restrição do
seu retorno ao serviço público federal, devido ao fato de este ter praticado ato de
improbidade administrativa e ter-se valido do cargo para lograr proveito pessoal. Com base
nessa situação hipotética, julgue os itens que se seguem.
115. A desinvestidura, forçada ou voluntária, afasta o dever da autoridade pública de apurar
supostos ilícitos administrativos cometidos por aquele que já foi investido no cargo público e não o

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !47
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
é mais, quer por sponte propria, quer por força do poder disciplinar exercido pelo Estado-
administração.

116. O fato de a administração pública ter lançado mão de dados de ação penal instaurada para
apurar as condutas do servidor configura segunda punição baseada no mesmo processo.

117. Não gera nulidade do ato administrativo o fato de o servidor processado, apesar de intimado,
não se fazer acompanhar por advogado no momento do seu interrogatório.

118. Caso o presidente da comissão processante tenha participado de outro processo


administrativo instaurado contra o mesmo servidor que tenha sido posteriormente anulado por
cerceamento de defesa, deverá ser determinada, segundo entendimento dominante, a sua
suspeição, uma vez que houve vício apto a determinar a nulidade do ato demissório e do
processo administrativo.

119. (CESPE/CNJ/técnico judiciário/2013) Considere que determinado cidadão tenha sido


convocado como mesário em um pleito eleitoral. Nessa situação hipotética, no exercício de suas
atribuições, ele deve ser considerado agente político e, para fins penais, funcionário público.

120. (CESPE/TCE-RS/Controle Externo/2013) Para a instauração de processo administrativo


disciplinar para a apuração de responsabilidade de servidor público, deve ser composta comissão
com três servidores estáveis, devendo o presidente da comissão ser ocupante de cargo efetivo
superior ou de mesmo nível do indiciado, ou ter nível de escolaridade igual ou superior ao dele.

121. (CESPE/DEPEN/Especialista/2013) Ao servidor público federal é vedado participar de


sociedade privada que explore atividade econômica.

122. (CESPE/MTE/Auditor fiscal do Trabalho/2013) Determinado servidor público federal, que


responde a processo administrativo disciplinar, requereu sua aposentadoria voluntária, e a
administração pública indeferiu-lhe o pedido. Nessa situação, o indeferimento do pleito está de
acordo com a legislação de regência, pois o servidor que responde a processo disciplinar somente
poderá ser aposentado voluntariamente após a conclusão do processo e o cumprimento da
penalidade eventualmente aplicada.

123. (CESPE/DPRF/Agente Administrativo/2012) Integram a categoria dos agentes


administrativos aqueles que são contratados temporariamente para atender a uma necessidade
temporária de excepcional interesse público.

124. (CESPE/ANAC/Técnico Administrativo/2012) O emprego público é uma unidade de


atribuições que se distingue do cargo público principalmente por vincular o agente ao Estado por
um contrato de trabalho sob o regime celetista.

125. (CESPE/ANAC/Técnico Administrativo/2012) Os servidores temporários, contratados por


tempo determinado para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público, são
ocupantes de cargo público e, portanto, são agentes públicos.

126. (CESPE/ANATEL/Técnico Administrativo/2012) Os agentes políticos definem e


implementam estratégias políticas para que o Estado atinja seus fins e sua investidura se dá,
exclusivamente, mediante eleição.

127. (CESPE/TRE-RJ/Técnico Judiciário/2012) Cargos públicos são núcleos de encargos de


trabalho permanentes a serem preenchidos por agentes contratados para desempenhá-los sob
relação trabalhista.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !48
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
128. (CESPE/TJ-AL/Auxiliar Judiciário/2012) Admite-se a extinção pelo presidente da
República, independentemente de autorização legislativa, mediante decreto autônomo, de
funções e cargos públicos que estejam vagos.

129. (CESPE/TJ-AL/Auxiliar Judiciário/2012) A designação agente público restringe-se à pessoa


física que, após se submeter a concurso de prova ou de provas e títulos, passa a prestar serviços
ao Estado e às pessoas jurídicas da administração indireta.

130. (CESPE/TJ-AL/Auxiliar Judiciário/2012) Os empregados públicos são contratados sob o


regime da legislação trabalhista, não se submetendo, portanto, às regras constitucionais relativas
à acumulação de cargos e vencimentos.

131. (CESPE/TJ-RR/Administrador/2012) A investidura política decorre unicamente da eleição


direta, mediante sufrágio universal, na forma da lei.

132. (CESPE/TJ-RR/Técnico Judiciário/2012) Os empregados públicos, embora sujeitos à


legislação trabalhista, submetem-se às normas constitucionais referentes a concurso público e à
acumulação remunerada de cargos públicos.

133. (CESPE/MPE-PI/Analista Ministerial/2012) A Constituição Federal determina a


obrigatoriedade de a União, os estados, o Distrito Federal e os municípios instituírem, no âmbito
de sua competência, regime jurídico único e planos de carreira para os servidores da
administração direta e de todas as entidades da administração indireta.

134. (CESPE/MPE-PI/Analista Ministerial/2012) Tanto a investidura em cargo como em emprego


público exige aprovação prévia em concurso público, mas a nomeação para cargos em comissão
e funções de confiança, assim como a contratação para serviços temporários, prescinde dessa
exigência.

135. (CESPE/TCDF/Auditor de Controle Externo/2012) O direito à livre associação sindical é


aplicável ao servidor público civil, mas não abrange o servidor militar, já que existe norma
constitucional expressa que veda aos militares a sindicalização e a greve.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !49
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
Servidores e Agentes Públicos
1. C 2. C 3. C 4. C 5. E 6. E

7. E 8. C 9. C 10. E 11. C 12. E

13. C 14. E 15. C 16. E 17. E 18. E

19. E 20. C 21. E 22. C 23. E 24. E

25. E 26. C 27. E 28. E 29. C 30. E

31. C 32. E 33. C 34. C 35. E 36. E

37. C 38. E 39. E 40. E 41. C 42. C

43. C 44. E 45. E 46. E 47. C 48. E

49. C 50. C 51. E 52. E 53. E 54. C

55. C 56. E 57. C 58. E 59. C 60. C

61. E 62. C 63. E 64. E 65. E 66. C

67. E 68. E 69. E 70. E 71. C 72. E

73. E 74. E 75. E 76. C 77. C 78. E

79. E 80. C 81. E 82. E 83. C 84. E

85. C 86. E 87. E 88. C 89. E 90. E

91. E 92. E 93. E 94. E 95. E 96. E

97. E 98. C 99. E 100. C 101. C 102. C

103. E 104. C 105. C 106. C 107. E 108. E

109. C 110. C 111. E 112. C 113. C 114. C

115. E 116. E 117. C 118. E 119. E 120. C

121. E 122. C 123. C 124. C 125. E 126. E

127. E 128. C 129. E 130. E 131. E 132. C

133. E 134. C 135. C

FIXAÇÃO

1. (FCC/TJ-GO/Juiz de Direito/2015) As normas constitucionais que delineiam os contornos


do regime jurídico dos servidores públicos preconizam a possibilidade de contratação sem
prévio concurso público de provas e títulos para
I. empregos públicos, em sociedades de economia mista e empresas públicas que atuem em
regime de competição no mercado.
II. cargos em comissão, destinados exclusivamente a funções de chefia, direção e
assessoramento.
III. contratações temporárias, limitadas a 20% do quadro permanente efetivo.
Está correto as situações descritas APENAS em
a) III.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !50
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
b) I.
c) I e II.
d) II e III.
e) II.

2. (FCC/TRE-RR/Técnico judiciário/2015) Um servidor da União utilizou recursos materiais


da repartição em atividade particular. Nos termos da Lei n° 8.112/90, esse ato é passível da
aplicação da penalidade de
a) demissão.
b) advertência.
c) suspensão de 15 dias.
d) suspensão de 30 dias.
e) suspensão de 90 dias.

3. (FCC/CNMP/Analista - Estatística/2015) De acordo com a Lei n o 8.112/90, o servidor que,


a serviço, afastar-se da sede em caráter eventual ou transitório para outro ponto do
território nacional ou para o exterior, fará jus a passagens e diárias destinadas a indenizar
as parcelas de despesas extraordinária com pousada, alimentação e locomoção urbana,
conforme dispuser em regulamento. Quando o deslocamento NÃO exigir pernoite fora da
sede,
a) só será devido o pagamento de diária, ainda que não integral, se o afastamento superar 20
quilômetros.
b) não é devido o pagamento de diária
c) só será devido o pagamento de diária, ainda que não integral, se o afastamento superar 30
quilômetros.
d) a diária é devida em 70%
e) a diária é devida pela metade.

4. (FCC/CNMP/Analista - Estatística/2015) De acordo com a Lei n o 8.112/90, a demissão ou a


destituição de cargo em comissão, incompatibiliza o ex-servidor para nova investidura em
cargo público federal, pelo prazo de 5 anos, em razão da prática da conduta de
a) incontinência pública e conduta escandalosa, na repartição.
b) valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem, em detrimento da dignidade da
função pública.
c) insubordinação grave em serviço
d) ofensa física, em serviço, a servidor ou a particular, salvo em legítima defesa própria ou de
outrem
e) aplicar irregularmente dinheiros públicos.

5. (FCC/CNMP/Analista - Direito/2015) Luciomar, servidor público federal, após regular


processo administrativo disciplinar, foi exonerado. Considerando que ele possuía débito
com o erário, de acordo com a Lei no 8.112/90, Luciomar
a) será notificado para pagamento ou parcelamento do débito dentro do prazo de quinze dias da
efetivação de sua exoneração, sob pena de inscrição na dívida ativa após noventa dias.
b) terá o prazo de noventa dias para quitar o débito, sendo que a não quitação do débito dentro
desse prazo implicará sua inscrição em dívida ativa.
c) terá seu débito inscrito imediatamente na dívida ativa por expressa previsão legal, em razão da
extinção de seu vínculo com Administração pública.
d) terá o prazo de sessenta dias para quitar o débito, sendo que a não quitação do débito dentro
desse prazo implicará sua inscrição em dívida ativa.
e) será notificado para pagamento ou parcelamento do débito dentro do prazo de trinta dias da
efetivação de sua exoneração, sob pena de inscrição na dívida ativa após cento e vinte dias.

6. (FCC/CNMP/Analista - Direito/2015) Considere as seguintes situações:


I. Rovanilda, servidora pública federal, mantinha sob sua chefia imediata, em função de confiança,
seu irmão, Rivaildo.
II. Renata, servidora pública federal, aceitou comissão de estado estrangeiro.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !51
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
Neste casos, de acordo com a Lei no 8.112/90, considerando as condutas praticadas, bem
como que ambas são servidoras primárias, sem processo administrativo disciplinar
anterior, Rovanilda e Renata estão sujeitas às penas de
a) suspensão de até sessenta dias.
b) advertência e suspensão, respectivamente.
c) suspensão de até trinta dias.
d) advertência e demissão, respectivamente.
e) demissão.

7. (FCC/TCM-GO/Auditor/2015) A Constituição Federal estabeleceu o concurso público


como exigência ao ingresso na Administração pública objetivando igualar, da melhor forma
possível, as oportunidades de acesso às vagas disponíveis no serviço público. A partir
dessa afirmativa, é correto afirmar:
a) A regra do concurso público incide no acesso aos cargos de provimento efetivo, não
alcançando o procedimento de contratação pela CLT levado a efeito pela Administração pública,
que, neste caso, está obrigada a realizar processo de seleção simplificado.
b) O servidor que tenha originalmente ingressado na Administração pública por concurso público
pode ser alçado a cargo de outra carreira sem que, com isso, haja ofensa ao princípio do
concurso público, o que se denomina provimento por derivação.
c) É exceção à regra do concurso público a nomeação para cargo em comissão declarado em lei
de livre nomeação e exoneração, bem como os casos de contratação por tempo determinado para
atender necessidade temporária de excepcional interesse público.
d) É exceção à regra da prévia aprovação em concurso público de provas e de provas e títulos o
provimento de emprego público em autarquias, porquanto estas integram a Administração pública
indireta, que realiza concurso baseado unicamente em títulos.
e) A exigência constitucional do concurso público aplica-se inclusive ao provimento de cargos em
comissão, razão porque os servidores comissionados, a partir da Constituição Federal de 1988,
são dotados de estabilidade.

8. (VUNESP/PC-CE/Delegado de Polícia/2015) Considerando o regime jurídico dos


servidores públicos civis, a que alude a Lei no 8.112/1990, assinale a alternativa correta.
a) A reintegração é a reinvestidura do servidor estável no cargo anteriormente ocupado, ou no
cargo resultante de sua transformação, quando invalidada a sua demissão por decisão
administrativa ou judicial, com ressarcimento de todas as vantagens.
b) O servidor que deva ter exercício em outro município em razão de ter sido removido,
redistribuído, requisitado, cedido ou posto em exercício provisório terá, no mínimo, 15 e, no
máximo, 30 dias de prazo, contados da publicação do ato, para a retomada do efetivo
desempenho das atribuições do cargo, incluído nesse prazo o tempo necessário para o
deslocamento à nova sede.
c) É possível a remoção para acompanhar pai ou filho também servidor público civil ou militar, de
qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, que foi
deslocado no interesse da Administração.
d) É de 30 dias o prazo para o servidor empossado em cargo público entrar em exercício,
contados da data da posse.
e) O servidor em débito com o erário, que for demitido, exonerado ou que tiver sua aposentadoria
ou disponibilidade cassada, terá o prazo de 90 dias para quitar o débito.

9. (FCC/TRT 6ª/Juiz do Trabalho/2015) Sandro, servidor público, ocupa cargo efetivo de


engenheiro, integrante do quadro de autarquia federal responsável pelos sistemas de
transporte rodoviário. Tendo em vista a sua classificação no concurso público de ingresso,
Sandro teve a oportunidade de ocupar cargo lotado em unidade regional da autarquia,
localizada próxima à cidade onde reside. Ocorre que, no decorrer do tempo, diversos
cargos do quadro de engenheiros da autarquia ficaram vagos em função de aposentadorias
e desligamentos, prejudicando o atendimento em determinadas localidades. Considerando
as disposições da Lei federal no 8.112/1990, Sandro
a) poderá sofrer remoção, de ofício, no interesse da Administração, ainda que com mudança de
sede.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !52
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
b) caso removido de ofício pela Administração para outra localidade, terá prioridade para
recondução à lotação de origem na hipótese de abertura de novo concurso público para
provimento de cargos vagos.
c) poderá ter a sua lotação alterada para outra sede, no interesse da Administração, desde que
instaurado processo seletivo de remoção.
d) somente poderá ser removido a pedido, salvo se ainda não tiver completado o período de
estágio probatório.
e) somente estará obrigado a exercer suas atribuições em localidade diversa de sua lotação
original na hipótese de redistribuição do seu cargo.

10. (CETRO/AMAZUL/Advogado/2015) A respeito dos direitos e das vantagens dos


servidores públicos federais, baseados na Lei nº 8.112/1990, marque V para verdadeiro ou F
para falso e, em seguida, assinale a alternativa que apresenta a sequência correta.
( ) Remuneração é o vencimento do cargo efetivo, acrescido das vantagens pecuniárias
permanentes estabelecidas em lei.
( ) As faltas justificadas decorrentes de caso fortuito ou de força maior deverão ser compensadas.
( ) O servidor em débito com o erário, que for demitido, exonerado ou que tiver sua aposentadoria
ou disponibilidade cassada, terá o prazo de 60 (sessenta) dias para quitar o débito.
( ) Constituem indenizações ao servidor, entre outras: adicional pelo exercício de atividades
insalubres, perigosas ou penosas; ajuda de custo; e adicional noturno.
a) V/ F/ F/ V
b) V/ F/ V/ V
c) F/ V/ F/ F
d) F/ V/ F/ V
e) V/ F/ V/ F

11. (CETRO/AMAZUL/Advogado/2015) Conforme o disposto no artigo 95, da Lei nº


8.112/1990, é correto afirmar que o servidor não poderá ausentar-se do País para estudo ou
missão oficial, sem autorização do
a) ministro das Relações Exteriores.
b) chefe imediato.
c) diretor do Órgão, Autarquia, Empresa Pública ou Fundação a que o servidor esteja vinculado.
d) presidente da República, presidente dos Órgãos do Poder Legislativo e presidente do Supremo
Tribunal Federal.
e) ministro da Casa Civil.

12. (FGV/PGM - Niterói/Procurador/2014) Levando-se em conta a jurisprudência dominante


dos Tribunais Superiores em matéria de direito administrativo, analise as afirmativas a
seguir.
I. É indevida a indenização por danos materiais a candidato aprovado em concurso público cuja
nomeação tardia decorreu de decisão judicial.
II. Empresa pública que realiza contrato de locação de imóvel de sua propriedade não pode se
escusar de renovar o contrato na hipótese em que o locatário tenha cumprido todos os requisitos
da lei de locações, para garantir o direito à renovação.
III. É cabível a concessão de licença a servidor público para acompanhamento de cônjuge na
hipótese em que se tenha constatado o preenchimento dos requisitos legais para tanto, ainda que
o cônjuge a ser acompanhado não seja servidor público e que o seu deslocamento não tenha sido
atual.
Assinale:
a) se somente a afirmativa I estiver correta.
b) se somente a afirmativa II estiver correta.
c) se somente a afirmativa III estiver correta.
d) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas.
e) se todas as afirmativas estiverem corretas.

13. (CONTEMAX/COREN-PB/Agente Administrativo/2014) Leia as afirmações abaixo e


assinale a alternativa correta:
I. A investidura em cargo público ocorre com a posse.
II. A posse deve ocorrer no prazo de 30 (trinta) dias contados da publicação do ato de nomeação.
www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !53
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
III. Caso o servidor esteja na data de publicação do ato de provimento em licença por motivo de
doença em pessoa da família, o prazo para a sua posse será de 60 (sessenta) dias.
IV. O servidor pode tomar posse através de procurador com poderes específicos.
a) Todas as assertivas estão corretas.
b) Apenas as assertivas I, II e III estão corretas.
c) penas as assertivas I, II e IV estão corretas.
d) Apenas as assertivas I e IV estão corretas.
e) Todas as assertivas estão erradas.

14. (CETRO/IF-PR/Auxiliar de Biblioteca/2014) De acordo com a Lei nº 8.112/1990, quando o


servidor, a pedido, desloca-se para outra localidade por motivo de saúde, condicionada à
comprovação por junta médica oficial, é correto afirmar que se trata de
a) remoção.
b) redistribuição.
c) readaptação.
d) recondução.
e) nomeação.

15. (IESES/TRT 14ª/Analista Judiciário - Médico/2014) Considerando o que consta da Lei


8.112/90, que trata do regime jurídico dos servidores federais, assinale a assertiva
INCORRETA:
a) A lei em questão assegura isonomia de vencimentos para cargos de atribuições iguais ou
assemelhadas do mesmo Poder, ou entre servidores dos três Poderes, ressalvadas as vantagens
de caráter individual e as relativas à natureza ou ao local de trabalho.
b) A lei em questão autoriza redistribuição ex officio, em caso de reorganização de órgão público,
quando necessário para ajustamento de lotação e força de trabalho às necessidades dos serviços.
c) A lei em questão autoriza remoção a pedido, para outra localidade, independentemente do
interesse da Administração, para acompanhar companheiro, servidor público civil estadual, que foi
deslocado no interesse da Administração.
d) Apenas quando há mudança de sede, denomina-se Remoção o deslocamento do servidor, a
pedido ou de ofício, no âmbito do mesmo quadro.
e) A lei em questão determina que o substituto assuma automática e cumulativamente, sem
prejuízo do cargo que ocupa, o exercício do cargo ou função de direção ou chefia, quando houver
afastamento do titular que importe em vacância de seu cargo.

16. (CETRO/IF-PR/Pedagogo/2014) Sobre as licenças concedidas ao servidor público, de


que trata a Lei nº 8.112/1990, assinale a alternativa correta.
a) A licença ao servidor para acompanhar cônjuge ou companheiro que foi deslocado para o
exterior ou para exercício de mandato eletivo dos Poderes Executivo e Legislativo será por prazo
determinado em lei.
b) O servidor terá direito à licença, com remuneração, durante o período entre sua escolha em
convenção partidária, como candidato a cargo eletivo, e o dia do registro de sua candidatura
perante a Justiça Eleitoral.
c) A partir do registro da candidatura e até o décimo dia seguinte ao da eleição, o servidor fará jus
à licença, assegurados os vencimentos do cargo efetivo, somente pelo período de 3 (três) meses.
d) A licença concedida dentro de 60 (sessenta) dias do término de outra da mesma espécie será
considerada como uma nova licença.
e) Ao servidor em estágio probatório poderá ser concedida licença para o trato de assuntos
particulares pelo prazo de até 3 (três) anos consecutivos, sem remuneração.

17. (CETRO/IF-PR/Pedagogo/2014) De acordo com a Lei nº 8.112/1990, contar-se-á apenas


para efeito de aposentadoria e disponibilidade:
I. o tempo de serviço público prestado aos Estados, Municípios e Distrito Federal.
II. o tempo correspondente ao desempenho de mandato eletivo federal, estadual, municipal ou
distrital, anterior ao ingresso no serviço público federal.
III. o tempo de serviço em atividade privada, vinculada à Previdência Social.
É correto o que está contido em
a) I, apenas.
b) I e II, apenas.
www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !54
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
c) I, II e III.
d) II e III, apenas.
e) II, apenas.

18. (IESES/TRT 14ª/Analista Judiciário/2014) Para o primeiro período aquisitivo de férias


serão exigidos:
a) 2 (dois) anos de contribuição.
b) 18 (dezoito) meses de exercício.
c) 1 (um) mês de contribuição.
d) 24 (vinte e quatro) meses de exercício
e) 12 (doze) meses de exercício.

19. (IESES/TRT 14ª/Analista Judiciário/2014) Segundo a norma legal vigente, conceder-se-á


licença ao servidor público federal para, EXCETO:
a) Para o serviço militar.
b) Para atividade política.
c) Prêmio por assiduidade.
d) Por motivo de afastamento do cônjuge ou companheiro.
e) Para tratar de interesses particulares.

20. (IESES/TRT 14ª/Analista Judiciário - Médico/2014) Considerando o que está previsto na


Lei 8.112/90 (que trata do regime jurídico dos servidores federais), assinale a assertiva
INCORRETA:
a) A partir do registro da candidatura e até o décimo dia seguinte ao da eleição, o servidor fará jus
a licença remunerada, sendo assegurados os vencimentos de seu cargo efetivo, somente pelo
período de três meses.
b) Poderá ser concedida licença ao servidor por motivo de doença de cônjuge, companheiro, dos
pais, de ascendente, de descendente, do padrasto, da madrasta, de enteado ou de dependente
que viva a suas expensas e conste do seu assentamento funcional, mediante comprovação por
perícia médica oficial.
c) Após cada cinco anos de efetivo exercício, o servidor poderá, no interesse da Administração,
afastar-se do exercício do cargo efetivo, com a respectiva remuneração, por até três meses, para
participar de curso de capacitação profissional.
d) O servidor terá direito a licença, sem remuneração, durante o período que mediar entre a sua
escolha em convenção partidária, como candidato a cargo eletivo, e a véspera do registro de sua
candidatura perante a Justiça Eleitoral.
e) A licença por motivo de doença em pessoa da família, incluídas suas prorrogações, poderá ser
concedida a cada período de doze meses, por até 60 (sessenta) dias consecutivos ou não,
mantida a remuneração do servidor; e por até 90 (noventa) dias consecutivos ou não, sem
remuneração.

21. (CESPE/PGE-PI/Procurador do Estado/2014) Um servidor, vinculado à administração


pública unicamente por cargo em comissão, cometeu infração administrativa e, após
regular processo administrativo disciplinar, a autoridade julgadora, concordando com o
relatório final da comissão processante, entendeu que a falta se enquadrava nas hipóteses
de suspensão. Nesse caso, nos termos da Lei n.º 8.112/1990, a penalidade a ser aplicada ao
servidor será
a) a exoneração de ofício.
b) a destituição do cargo em comissão.
c) a demissão.
d) a suspensão.
e) o desligamento.

22. (CESPE/TRE-MS/Técnico judiciário/2013) Ao funcionário público federal estável


aprovado em novo concurso público, para outro órgão, mas não habilitado no estágio
probatório desse novo cargo aplica-se, para que retorne ao cargo por ele anteriormente
ocupado, o instituto da

a) reversão.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !55
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
b) reintegração.
c) redistribuição.
d) recondução.
e) readaptação.

23. (CESPE/TRE-MS/Técnico judiciário/2013) Acerca dos requisitos para a investidura em


cargo público, assinale a opção correta.

a) As universidades podem prover seus cargos com professores estrangeiros.

b) A idade mínima para a investidura em cargo público é dezesseis anos.
c) A investidura em o cargo público é concretizada com a publicação da nomeação no Diário
Oficial.

d) Vinte por cento das vagas de todos os concursos públicos devem ser reservadas aos
portadores de deficiência, vedada qualquer alegação de incompatibilidade entre a deficiência e o
cargo.

e) Para ser investido em cargo público, o candidato deve ter, ao menos, o ensino fundamental
completo.

24. (FCC/TRT 9ª/Analista Judiciário/2013) Saulo, ocupante de cargo efetivo do Poder


Executivo federal, foi informado que seu cargo fora deslocado para outro órgão da
Administração direta federal, no qual deveria passar a atuar. De acordo com as disposições
da Lei no 8.112/90, trata-se do instituto da
a) remoção, que somente pode ocorrer de ofício por inequívoca necessidade de serviço e
observada a equivalência de vencimentos.

b) remoção de ofício, que pressupõe, entre outros requisitos, o mesmo nível de escolaridade,
especialidade ou habilitação profissional.
c) redistribuição, que pressupõe, entre outros requisitos, a manutenção da essência das
atribuições do cargo.

d) redistribuição, que, todavia, somente pode ser aplicada em relação a cargos vagos,
assegurando a Saulo o direito de permanecer no órgão de origem.
e) redistribuição do servidor, que pode ser a pedido ou de ofício, pressupondo, entre outros
requisitos, a compatibilidade de atribuições.

25. (FCC/TRT 9ª/Técnico Judiciário - Enfermagem/2013) Carlos, servidor público federal


ocupante de cargo efetivo, estável, é casado com Ana, também servidora pública, e ambos
possuem a mesma localidade de exercício funcional. Ocorre que Ana foi deslocada para
outra cidade, no interesse da Administração. De acordo com as disposições da Lei no
8.112/90, Carlos
a) pode ser removido a pedido, no interesse da Administração, desde que Ana tenha ingressado
no serviço público antes dele.

b) possui direito à remoção a pedido, a critério da Administração, desde que Ana seja servidora
federal.

c) pode ser removido de ofício, independentemente do interesse da Administração.
d) possui direito à remoção a pedido, mesmo que Ana seja servidora estadual ou municipal.

e) não pode ser removido a pedido, mas apenas de ofício e desde que conte com mais de cinco
anos de serviço público.

26. (CESPE/TRT 8a/Técnico judiciário/2013) A propósito das vantagens previstas na Lei n.o
8.112/1990 que podem ser pagas ao servidor, assinale a opção correta.
a) Ao servidor ocupante de cargo efetivo investido em função de chefia é devido o pagamento de
adicional pelo seu exercício.

b) A gratificação por encargo de curso ou concurso será devida ao servidor que, em caráter
eventual, participar de banca examinadora para exames orais e somente será paga se a referida
atividade for exercida sem prejuízo das atribuições de seu cargo, ou mediante compensação de
carga horária, quando desempenhada durante a jornada de trabalho.
c) As gratificações, os adicionais e as indenizações incorporam-se ao vencimento, nos casos e
condições indicados em lei.


www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !56
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
d) É possível a concessão de auxílio-moradia para o servidor cujo deslocamento tenha ocorrido
por força de alteração de lotação resultante de concurso de remoção a pedido.
e) A ajuda de custo consiste em vantagem indenizatória que se destina a compensar as despesas
de instalação do servidor que, no interesse do serviço, passar a ter exercício em nova sede, com
mudança de domicílio em caráter transitório ou permanente.

27. (CESPE/TRT 5ª/Juiz do Trabalho/2013) Assinale a opção correta em relação à ajuda de


custo no âmbito da Lei no 8.112/1990.

a) É vedada a concessão de ajuda de custo àquele que, não sendo servidor da União, for
nomeado para cargo em comissão, com mudança de domicílio.
b) O servidor ficará obrigado a restituir a ajuda de custo quando, injustificadamente, não se
apresentar na nova sede no prazo de quinze dias.

c) A ajuda de custo destina-se a compensar as despesas de instalação do servidor que, no
interesse do serviço, passar a ter exercício em nova sede, com mudança de domicílio em caráter
eventual.
d) É vedado o duplo pagamento de indenização a título de ajuda de custo, a qualquer tempo, no
caso de o servidor passar a ter exercício na mesma sede de seu cônjuge ou companheiro,
também servidor, anteriormente agraciado com o benefício.

e) Cabe ajuda de custo ao servidor que se afastar do cargo, ou reassumi-lo, em virtude de
mandato eletivo.

28. (CESPE/TRE-MS/Analista Judiciário/2013) Considere que Luísa tenha sido aprovada em


concurso público para o cargo de auditora da Receita Federal, tendo sido nomeada para
assumir o cargo em outro estado da federação. Com base nessa situação hipotética,
assinale a opção correta.
a) Na hipótese de Luísa trabalhar horas extras, além da jornada regular de trabalho, no período
noturno, ela terá direito ao acréscimo do adicional noturno que incidirá sobre a remuneração do
adicional por serviço extraordinário.
b) Luísa poderá tirar férias após doze meses de exercício e converter um terço das férias em
abono pecuniário.

c) Após cinco anos de efetivo exercício, Luísa fará jus ao adicional por tempo de serviço.

d) Caso Luísa não possua imóvel no local de lotação, ela terá direito a auxílio-moradia.
e) Se por necessidade do serviço Luísa trabalhar além da jornada de quarenta horas semanais,
ela deve ser remunerada com acréscimo de cem por cento em relação à hora normal de trabalho.

29. (FCC/TRT 1ª/Analista Judiciário/2013) Pedro, servidor público federal, foi eleito vereador
na cidade onde reside e desempenha as atribuições de seu cargo. Deseja permanecer no
cargo público, concomitantemente ao exercício do mandato eletivo. De acordo com as
disposições da Lei 8.112/90, tal pretensão é
a) legal, desde que requeira licença para tratar de interesses particulares, que não poderá exceder
5 (cinco) anos.

b) ilegal, importando a investidura no mandato de vereador na imediata exoneração do cargo
público.

c) legal, devendo afastar-se do cargo público quando não houver compatibilidade de horário com
as funções de vereador, hipótese que deverá optar por uma das remunerações.
d) ilegal, salvo se o servidor afastar-se do cargo com prejuízo da remuneração,
independentemente da compatibilidade de horário com as funções de vereador.

e) legal, podendo o servidor afastar-se do cargo sem prejuízo da remuneração, pelo prazo
máximo do mandato de vereador, independentemente de compatibilidade de horários.

30. (CESPE/TRT8/Técnico judiciário/2013) No que tange às licenças e aos afastamentos


disciplinados pela Lei nº 8.112/1990, assinale a opção correta.

a) Um dos requisitos necessários para a autorização de afastamento de servidor público, para
estudo no exterior, destinado à realização de programa de doutorado, consiste na exigência de
que o servidor titular de cargo efetivo esteja no respectivo órgão há pelo menos quatro anos,
incluído o período de estágio probatório.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !57
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
b) O servidor público federal investido em mandato de deputado federal será afastado do cargo,
sendo-lhe facultado optar pela sua remuneração.

c) A licença para capacitação concedida dentro de noventa dias do término de outra da mesma
espécie será considerada como prorrogação.
d) O estágio probatório deve ser interrompido durante a licença para atividade política e será
reiniciado a partir do término do impedimento.

e) É assegurado ao servidor o direito a licença, sem prejuízo da remuneração, para o
desempenho de mandato classista.

31. (CESPE/TRE-MS/Técnico judiciário) Com base na Lei nº 8.112/1990, assinale a opção


correta.
a) O afastamento do servidor por motivo de doença profissional é considerado como efetivo
exercício.

b) A licença-prêmio por assiduidade será concedida apenas aos servidores aprovados no estágio
probatório. c) O servidor público convocado para o serviço militar obrigatório deverá, para que não
fique configurado o abandono de cargo, requerer licença para tratar de assuntos particulares,
devendo retornar ao serviço no prazo máximo de trinta dias após o término do período do serviço
obrigatório.

d) O servidor pode ausentar-se do serviço por dois dias para votar em outro estado da Federação.

e) Ao servidor estudante será concedido horário especial, quando comprovada a incompatibilidade
entre o horário escolar e o da repartição, independentemente de compensação de horário.

32. (CESPE/TRT 8ª/Analista área judiciária/2013) A respeito do regime jurídico dos


servidores públicos e das hipóteses de afastamento, assinale a opção correta de acordo
com a jurisprudência do STJ.

a) O tempo de serviço prestado por servidor público na administração indireta no período em que
esteve cedido à sociedade de economia mista não pode ser computado para fins de
disponibilidade.
b) Durante o período de férias e licenças, o servidor público não terá direito ao recebimento de
auxílio- alimentação, dado não estar em efetivo exercício no período.

c) A concessão de licença não remunerada para tratar de interesse particular não é considerada
uma faculdade da administração, mas um direito do servidor, razão pela qual, ao ser postulada,
não pode ser indeferida pelo órgão a que se encontra vinculado o servidor.
d) Considere que, em ação judicial, tenha sido determinada a reintegração de servidor público
após o reconhecimento de que este fora coagido a celebrar termo de adesão a desligamento
voluntário do serviço. Nessa situação, o servidor não terá direito ao pagamento de parcelas
remuneratórias que deixou de receber no período de afastamento, sob pena de configuração de
enriquecimento ilícito.
e) A licença para o acompanhamento de cônjuge constitui direito assegurado ao servidor público e
a sua concessão independe do juízo de discricionariedade da administração, bastando, para
tanto, o preenchimento dos requisitos legais.

33. (CESPE/TRE - MS/Analista Judiciário/2013) Carlos, servidor público federal há onze


meses, pretende disputar eleições para uma vaga de deputado federal. Para tanto,
protocolou no órgão em que está lotado um pedido de licença do cargo para o exercício de
atividade política. Considerando essa situação hipotética, assinale a opção correta quanto
à disciplina da licença requerida por Carlos.
a) O período em que Carlos estiver licenciado deve ser computado para fins de aposentadoria e
estágio probatório.

b) Carlos tem direito à licença com remuneração durante o período que mediar entre sua escolha
como candidato, em convenção partidária, e o registro de sua candidatura perante a Justiça
Eleitoral.
c) Carlos não poderá obter essa modalidade de licença, porque ele está em estágio probatório.

d) Caso Carlos exerça cargo de direção, chefia ou assessoramento na localidade onde pretende
se candidatar, ele deverá ser afastado, a partir do dia imediato ao da sua escolha como candidato
em convenção partidária.

e) Carlos tem direito a licença com vencimentos integrais, a partir do registro da candidatura na

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !58
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere
Justiça Eleitoral até o décimo dia seguinte ao pleito, desde que esse período não ultrapasse três
meses.

34. (CESPE/TRT 8ª/Técnico judiciário/2013) Acerca das disposições da Lei nº 8.112/1990


relacionadas ao processo administrativo disciplinar, assinale a opção correta.

a) O processo disciplinar poderá ser revisto quando se aduzirem fatos novos suscetíveis
de justificar a inadequação da penalidade aplicada, devendo o requerimento de revisão do
processo ser dirigido ao ministro de Estado competente ou a autoridade equivalente.
b) O processo disciplinar deve ser conduzido por comissão composta de três servidores estáveis e
ocupantes de cargo efetivo de mesmo nível ou de nível superior ao do indiciado.

c) Concluído o interrogatório do acusado, a comissão deverá promover a inquirição das
testemunhas.

d) Na hipótese de sugestão, pela comissão processante, em um mesmo processo administrativo
disciplinar, de aplicação da penalidade de cassação de aposentadoria a um indiciado e da
aplicação da penalidade de suspensão de vinte dias a outro indiciado, o julgamento, em cada
caso, caberá ao chefe da repartição em que estiver lotado o indiciado.
e) Da sindicância poderá resultar a aplicação de penalidade de suspensão de até sessenta dias.

35. (CESPE/TRE-MS/Analista Judiciário/2013) Maria, servidora pública federal, foi eleita para
o cargo eletivo de vereadora do município de seu estado natal, cidade onde já exerce cargo
efetivo. Com base nessa situação hipotética, assinale a opção correta sobre a situação
funcional de Maria à luz do que prevê a Lei nº 8.112/1990.
a) Maria deverá necessariamente optar pela remuneração do cargo efetivo.

b) Maria terá que pedir exoneração, visto que os referidos cargos são inacumuláveis.

c) Caso Maria seja transferida de ofício para outro estado, ela deverá renunciar ao mandato de
vereadora ou pedir exoneração do cargo efetivo.

d) Se houver compatibilidade de horário, Maria poderá receber as vantagens de seu cargo
cumuladas com a remuneração do cargo de vereadora.

e) Ao ser diplomada em cargo de mandado eletivo, Maria ficará automaticamente afastada do
cargo efetivo.

36. (FUNCAB/PC-ES/Delegado de Polícia/2013) Quanto aos cargos públicos, leia as


afirmativas a seguir e assinale a alternativa correta.
I. É vedada a acumulação remunerada de cargos públicos, exceto, quando houver compatibilidade
de horários, a de dois cargos de professor, a de um cargo de professor com outro técnico ou
científico, a de dois cargos ou empregos privativos de profissionais de saúde, com profissões
regulamentadas.
II. Extinto o cargo ou declarada a sua desnecessidade, o servidor estável ficará em
disponibilidade, com remuneração integral, até seu adequado aproveitamento em outro cargo.
III. A proibição de acumular estende-se a empregos e funções e abrange autarquias, fundações,
empresas públicas, sociedades de economia mista, suas subsidiárias, e sociedades controladas,
direta ou indiretamente, pelo poder público.
IV. Invalidada por sentença judicial a demissão do servidor estável, será ele reintegrado, e o
eventual ocupante da vaga, se estável, reconduzido ao cargo de origem, com direito à
indenização, aproveitado em outro cargo ou posto em disponibilidade com remuneração integral.
Estão corretas apenas as afirmativas:
a) I e II.
b) I e III.
c) II e IV.
d) I, II e IV.
e) II, III e IV.

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com
Curso de Direito Página !59
Administrativo
Prof./Adv. Raphael Spyere

Servidores e Agente Públicos - Fixação


1. e 2. a 3. e 4. b 5. d 6. d

7. c 8. a 9. a 10. e 11. d 12. b

13. c 14. a 15. d 16. c 17. c 18. e

19. c 20. b 21. b 22. d 23. a 24. c

25. d 26. b 27. d 28. a 29. c 30. a


31. a 32. e 33. e 34. a 35. d 36. b

www.raphaelspyere.com.br ruiz.spyere@hotmail.com