Anda di halaman 1dari 55

CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –

POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

Olá Pessoal

Hoje veremos os seguintes assuntos do edital:

Estimativa do sexo, idade e estatura por meio do estudo dos dentes.


Biotipologia.

1. OS ARCOS DENTÁRIOS NA IDENTIFICAÇÃO

Define-se identidade como uma soma de caracteres que individualiza


uma pessoa, distinguindo-a das demais. Já a identificação é o processo pelo
qual se determina a identidade de uma pessoa ou uma coisa. A identidade
possui fundamentos biológicos (unicidade, imutabilidade e perenidade) e
fundamentos técnicos (praticabilidade e classificabilidade). Vamos defini-los:

- UNICIDADE: também chamada de individualidade, ou seja,


determinados elementos são específicos daquele indivíduo e diferentes dos
demais

- IMUTABILIDADE: são características que não mudam e não se alteram


ao longo do tempo

- PERENIDADE: consiste na capacidade de certos elementos resistirem


à ação do tempo e que permanecem durante toda a vida

- PRATICALIBIDADE: um processo que não seja complexo, tanto na


obtenção como no registro dos caracteres

- CLASSIFICABILIDADE: pode ser classificado para arquivamento e


tenha facilidade na busca dos registros.

Vejam essas questões:

1) FGV/Perito Legista Odontologia/PCRJ 2011 Identificação é o conjunto de


procedimentos diversos utilizado para individualizar uma pessoa ou objeto. Os
requisitos técnicos elementares, para que um processo de identificação seja

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 1


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

aplicável, estão relacionados nas alternativas a seguir, à exceção de uma.


Assinale-a.
A) Unicidade.
B) Imutabilidade.
C) Perenidade.
D) Classificabilidade.
E) Variabilidade.

RESPOSTA E. Não existe variabilidade, portanto a alternativa E está falsa.


Vocês devem saber a definição de cada fundamento porque as Bancas
misturam o nome de um com a definição do outro.

2) FGV/Perito Legista Odontologia/PCRJ 2011 Os requisitos biológicos e


técnicos apresentados pelos arcos dentários são fundamentais para possibilitar
a identificação de um indivíduo. Assinale a alternativa que apresenta esses
requisitos.
A) Unicidade, perenidade e contemporaneidade.
B) Imutabilidade, classificabilidade e dinâmica.
C) Unicidade, imutabilidade e praticabilidade.
D) Praticabilidade, contemporaneidade e dinâmica.
E) Variedade, imutabilidade e singularidade.

RESPOSTA C. Segundo ARBENZ o único processo de identificação que


possui todos os 5 fundamentos é o dactiloscópico. Vamos estudá-lo na aula 07.
Mas Vanrell (2009) diz que os arcos dentários também possuem os requisitos
biológicos básicos (unicidade, perenidade e imutabilidade), além dos requisitos
técnicos (praticabilidade e imutabilidade). Nessa questão nem precisava saber
os fundamentos que os arcos dentários possuem, era só ir por eliminação. Não
existe contemporaneidade, assim excluímos as alternativas A e D. Não existe
dinâmica, eliminamos a alternativa B e não existem variedade nem
singularidade, eliminamos a E. Só sobrou a C que é a resposta.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 2


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

A identificação de um desconhecido é muito importante, pois “se um


corpo não é identificado, não é possível resolver o caso”, além disso há
questões humanitárias e legais. Segundo o manual da ABFO, hoje
existem quatro métodos gerais para identificar corpos humanos:
reconhecimento visual, comparação de impressões digitais, análise de DNA e
comparação médica / odontológica. O reconhecimento visual não é um método
científico. Mas o que os outros têm em comum que os
tornam científicos? Todos eles envolvem a comparação direta de
provas materiais substanciais, por isso dependem da existência de material
antemortem.

Entretanto, o Disaster Victim Identification Guide (2009) da Interpol, traz


uma classificação um pouco diferente pois separa os métodos de identificação
em primários: as análises datiloscópica, dental e DNA e secundários:
descrições pessoais/achados médicos e as evidências e roupas encontradas
com as vítimas.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 3


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

Reparem que em ambas as classificações (ABFO e Interpol) a


Odontologia é colocada em destaque como um método científico de
identificação.

3) UECE/Perito Odontologia/ PCCE 2003 A identificação humana


odontológica é um processo:

A) Integrativo
B) Substitutivo
C) Comparativo
D) Sugestivo

RESPOSTA C. Assim como os outros métodos, a identificação pelos arcos


dentários faz a comparação dos dados antemortem com os dados postmortem
sendo, portanto, um processo científico de identificação comparativo.

Os dentes estão protegidos na cavidade oral e são capazes de resistir a


muitas influências externas mesmo depois da morte. Os dentes são os
materiais mais duros e resistentes do corpo, então mesmo com a
deteriorização de tecidos moles, as características dentais para fins de
identificação permanecem acessíveis. Isso é verdade para tratamentos
odontológicos, como restaurações, coroas, próteses e tratamentos de canal
que são únicos para cada indivíduo. Outros traços anatômicos e morfológicos
também podem ser usados para comparação mesmo que nenhum tratamento
dental esteja presente e podem fornecer informações úteis para fins de
identificação.

Além disso, os odontolegistas também fornecem conclusões sobre


certos aspectos do estilo de vida da pessoa pelo exame dos dentes. Isso pode
ser valioso para procura em base de dados para potenciais combinações. Por
exemplo, se a vítima é estimada ser um adulto jovem, isso pode limitar os
critérios de busca de certos aspectos antemortem.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 4


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

Coleta e preservação de evidências dentais postmortem:

Procedimentos de Exame.

A. Fotografia
A documentação fotográfica da evidência dental pode fornecer dados objetivos.
As fotografias com o uso de uma escala devem ser tomadas antes e após uma
limpeza adequada. As fotografias devem ser claramente identificadas com
o número do processo / nome e data. Todas as informações
fotográficas relevantes devem ser documentadas.

B. Ressecção dos maxilares


Dissecção facial e / ou ressecção dos maxilares podem ser necessárias para o
pleno acesso a estruturas dentais.

C. O registro dental postmortem inclui:


1. Dados básicos: número do processo, data / hora, jurisdição, autoridade,
localização
2. Descrição geral do corpo: idade aproximada, raça e sexo e suas condições
3. Descrição dos maxilares

D. Exame Dental: O sistema de numeração universal dos dentes deve ser


usado. O odontograma deve ilustrar graficamente o seguinte:
1. Configuração de todas as restaurações dentárias (incluindo próteses),
cáries, fraturas, anomalias, abrasões, implantes, erosões ou outras
características para todos os dentes.
2. Materiais utilizados em restaurações dentárias e próteses, quando
conhecidos.
3. Condições periodontais, cálculo e manchas.
4. Relações oclusais, dentes mal posicionados, anômalos, congenitamente
ausentes e dentes supranumerários.
5. Fotografias intra orais devem ser tomadas para mostrar detalhes
anatômicos dos dentes, restaurações, periodonto, oclusão, lesões, etc

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 5


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

E. Moldagens: Moldeiras de plástico ou metal podem ser modificadas para


caber na boca. Escolher um alginato ou outro material de moldagem aprovado
pelos órgãos competentes. O gesso tipo III é o material de escolha para
vazamento dos modelos. Dois modelos tanto da maxila quanto da mandíbula
devem ser obtidos, aparados e adequadamente etiquetados com o número do
processo e data.

F. Radiografias odontológicas: Radiografias postmortem podem complementar


o exame visual de estruturas orais e periorais e podem fornecer dados
essenciais para a identificação. Radiografias postmortem podem ser
consideradas o principal método de identificação. Um exame radiográfico
abrangente pode incluir: radiografias intra orais (comparáveis com as tomadas
antemortem), fragmentos dentários e dentes extraídos, áreas desdentadas e
radiografias extra orais (seio maxilar e panorâmicas). Para as radiografias intra-
orais os filmes duplos são recomendados, sendo que uma radiografia pode ser
mantida no arquivo e outra enviado com o laudo.

Fontes de dados antemortem

Dados antemortem podem incluir radiografias dentais, fotografias,


prontuário odontológico e modelos de gesso.

Comparação das evidências antemortem e postmortem

A comparação é feita com fatores que podem estar presentes em


ambas evidências dentárias antemortem e postmortem e podem ser úteis para
fins de comparação. A maioria das identificações dentárias é baseada em
restaurações, cáries, dentes perdidos e / ou dispositivos protéticos
que podem ser facilmente documentados no prontuário. Assim,
os achados objetivos, particularmente aqueles que são únicos para o indivíduo,
fornecem a base para uma identificação positiva ou exclusão.
Características dentárias úteis na identificação:

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 6


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

- Dentes: presente, irrompido, não-irrompido/impactado.


não

- Dentes ausentes: ausência congênita, perda antemortem e perda postmortem

- Tipo de dente: permanente,


anente, decíduo, supranumerário

- Posição do dente: giroversão vestibular / lingual, rotações, posições supra /


infra, diastemas, outras discrepâncias oclusais

- Morfologia da coroa: tamanho e forma, espessura do esmalte, localização dos


pontos de contato, junção cemento
cemento-esmalte,
esmalte, tubérculo de Carabelli, etc

-Patologias
Patologias dentais: cárie, abrasão, erosão, fusão
fusão,, geminação,
múltiplas cúspides, dens in dente, dentes de Hutchinson, dentes em favo de
mel, etc

- Morfologia da raiz: tamanho, forma, número, dilaceração

- Patologias da raiz: fratura radicular, hipercementose, reabsorção

- Câmara pulpar e morfologia dos canais radiculares

- Câmara pulpar e patologias dos canais radiculares

- Restaurações dentárias: amálgamas, coroas, pinos, próteses fixas,


implantes, resina, porcelana, PPR e PTR

- Periodonto: gengiva, alterações inflamatórias, pigmentações fisiológic


fisiológicas ou
s, placa, tártaro
patológicas,

- Ligamento periodontal: espessura, processo alveolar e lâmina dura,


altura e densidade de crista óssea, exostoses, torus,
us, perda óssea

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 7


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

- Maxila e mandíbula: marcos anatômicos, seios maxilares e relação com os


dentes adjacentes, espinha nasal anterior, canal incisivo,
sutura palatina mediana, tamanho do canal incisivo, canal mandibular e forame
mentoniano, articulação temporomandibular etc.

Em todos os casos de carbonizados deve-se tomar cuidado no


transporte porque o calor pode tornar os dentes quebradiços. Se os dentes
parecerem frágeis fotografar em close antes do transporte para uma possível
reconstrução, em caso de danos durante o transporte do corpo. Tanto os
dentes sadios como aqueles que tenham sido alvo de tratamentos
restauradores, resistem bastante à ação do calor. Dos materiais protéticos, a
amálgama é o mais frágil ao calor. Já as porcelanas, os compostos (resinas +
minerais), os cimentos e o ouro são resistentes ao calor (fundem entre 800 e
1.400 ºC). As peças dentárias submetidas, em forma isolada, diretamente à
ação do fogo, podem produzir fissuras já a 150ºC. Com temperaturas de
270ºC, as raízes se tornam de cor negra; com 400 ºC ocorre a queda
espontânea da coroa quando o dente está sadio ou, então, a coroa se pulveriza
quando existem cáries ou infiltrações. A 800 ºC carboniza-se o esmalte, que se
torna azul, sendo que a dentina é mais resistente ao fogo. As raízes dos dentes
calcinados mostram-se curvadas, podendo facilitar a confusão com as dos
animais.

4) FGV/Perito Legista Odontologia/PCRJ 2011 As peças dentárias


submetidas, em forma isolada, diretamente à ação do fogo podem apresentar
fissuras já a 150ºC. Assinale a alternativa que indica a temperatura necessária
para carbonizar o esmalte dentário.
A) 270ºC B) 400ºC C) 650ºC D) 800ºC E) 1000ºC.

RESPOSTA D. Conforme acabamos de ver.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 8


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

No caso de corpos em decomposição,


decomposição por causa da perda do ligamento
periodontal os dentes podem se soltar
soltar.. Antes de movimentar o corpo
corpo, abrir os
lábios para
ra ver se há ausência de dentes. Se
S ausentes, observar se estão
próximos ao corpo, se não
não, eles podem estar no fundo da boca quando então
en
serão
ão encontrados durante os exames.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 9


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

5) UNIVERSA/ Médico-Legista/
Médico Legista/ GO/ 2010 Prova do curso de formação.
Analisando-se
se uma mandíbula humana, foram constatadas diversas ausências
dentárias, em uma delas, o alvéolo apresentava-se
apresentava se vazio e com os septos
ósseos interradiculares proeminentes e conservados. Essa situação
representa:
A) uma perda dentária antiga, acontecida em vida cerca de 6 meses antes da
morte
B) uma perda dentária recente, acontecida em vida e decorrente de
traumatismo
C) uma perda dentária recente, pós-morte
pós com evidências de
e traumatismo
D) uma perda dentária recente, pós-morte
pós morte e sem sinais de traumatismo
E) tanto uma perda dentária antiga quanto pós-morte
pós

RESPOSTA D. Alvéolos abertos significam perda posmortem


posmortem, se fechados
significam perda antemortem. eptos ósseos também é uma
antemortem Quanto aos septos
consequência lógica, pois quando foram perdidos sem traumatismos estão
íntegros. Quando os dentes foram perdidos por traumatismo também há
destruição de septos e tábuas ósseas. Vide fotografia abaixo que mostra
perdas dentárias porr trauma (projétil de arma de fogo).

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 10


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

Em casos de esqueletizados,
esqueletizado , os dentes são facilmente visíveis
visíveis. A
inserção de tecido entre os dentes e o osso está ausente, portanto,
ortanto, os dentes
são facilmente perdidos
perdidos, o que deixa os alvéolos abertos. É aconselhável
peneirar a terra para encontrar pequenos ossos, dentes ou outras evidências.

CATEGORIAS E TERMINOLOGIA PARA IDENTIFICAÇÃO DO CORPO


A. Identificação Positiva
Positiva: Os dados antemortem e postmortem coincidem
com detalhes suficientes para demonstrar que são do mesmo
indivíduo. Vejam um caso de uma identificação positiva.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 11


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

B. Possível Identificação : Os dados antemortem e postmortem têm


características consistentes, mas, devido à qualidade, não é possível
estabelecer identificação
C. Evidência insuficiente:
uficiente: A informação disponível é insuficiente para formar
a base para uma conclusão.
D. Exclusão:: Os dados antemortem e postmortem são claramente
inconsistentes.
O método de compara
omparação das informações
ções antemortem e postmortem
pode ser feito manualm
manualmente
ente ou utilizando um programa de computador que
priorize uma lista de combinações possíveis. Com o desenvolvimento de
desses
programas tornou-se possível utilizar as evidências para busca e comparação
de registros dentais,, principalmente em casos de desastre
desastres de
massa. Infelizmente, muito poucas agências possuem essa nova tecnologia.
Veja um exemplo desse tipo de programa:

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 12


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

Rugoscopia palatina
Considerada um meio auxiliar de identificação, a rugoscopia palatina tem
por base a análise das cristas, dobras e pregas do palato. Características: o
palato é revestido por uma mucosa fina que, por isso, reproduz as rugosidades
ósseas das apófises palatinas. Na linha mediana atrás dos incisivos centrais
observa-se a papila incisiva. Percorrendo a abóboda, observa-se uma crista
contínua que é a rafe palatina. Do terço anterior da rafe para cada lado da linha
mediana dispõe-se de uma série de cristas variáveis em comprimento, simples
ou ramificadas, retilíneas, curvilíneas, angulosas ou sinuosas, que são as
plicas palatinas (ou dobras, rugas, pregas). As rugas aparecem durante a vida
intra-uterina e são individuais, perenes e inalteráveis. Na espécie humana, o
conjunto formando pelas rugas é assimétrico, ao contrário do que acontece em
outros animais.

6) UECE/Perito Odontologia/ PCCE 2003 No que concerne ao estudo das


rugas palatinas, marque a opção verdadeira.
A) O palato ou parede superior da cavidade bucal, é revestido por uma mucosa
muito fina, que se continua, por intermédio da gengiva palatina e das papilas
intermediárias,com a gengiva vestibular.
B) As rugas são depressões e eminências papilares, formando pregas
sucessivas, situadas na região posterior da abóbada palatina.
C) Na linha mediana, logo atrás dos incisivos mediais, no nível dos orifícios
externos dos canais nasopalatinos, existe uma zona saliente, de formas e
dimensões constantes, conhecida como papila palatina ou palatina incisiva.
D) Percorrendo a abóbada, desde a papila ate a parte terminal do palato mole,
nota-se uma crista contínua, a rafe palatina, linha anatômica saliente que
corresponde à soldadura das duas porções direita e esquerda.

RESPOSTA A. Essa questão e a próxima sobre rugoscopia foram retiradas do


livro do Arbenz. Vamos ver os erros.
A) CORRETO

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 13


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

B) As rugas são depressões cristas e eminências papilares, formando pregas


sucessivas, situadas na região posterior anterior da abóbada palatina.
C) Na linha mediana, logo atrás dos incisivos mediais centrais, no nível dos
orifícios externos dos canais nasopalatinos, existe uma zona saliente, de
formas e dimensões constantes variadas, conhecida como papila palatina ou
palatina incisiva.
D) Percorrendo a abóbada, desde a papila até a parte terminal do palato mole
ósseo, nota-se uma crista contínua, a rafe palatina, linha anatômica saliente
que corresponde à soldadura das duas porções direita e esquerda.

7) UECE/Perito Odontologia/ PCCE 2003 No que diz respeito ao estudo das


rugas palatinas NÃO é correto afirmar:
A) Do terço anterior da rafe, para cada lado da linha mediana, dispõe-se uma
série de cristas, variáveis em comprimento, simples ou ramificadas, retilíneas,
curvilíneas, angulosas ou sinuosas, e recebem a denominação de pregas
palatinas.
B) As rugas palatinas são devidas às rugosidades ósseas existentes no palato.
C) As rugas palatinas aparecem durante a vida intra-uterina e tudo nos leva a
crer que são individuais, mas não perenes e inalteráveis.
D) Na espécie humana, o conjunto formado pelas rugas é assimétrico, ao
contrário do que ocorre nos animais

RESPOSTA C. Todas estão corretas, exceto a letra C porque as rugas


palatinas são individuais, perenes e inalteráveis.

Em uma classificação da disposição das rugas no palato, Carrea, dividiu-


as em quatro categorias:
1. TIPO I: Rugas dirigidas no sentido medial
2. TIPO II: Rugas dirigidas no sentido lateral
3. TIPO III: Rugas dirigidas no sentido distal
4. TIPO IV: Rugas dirigidas no sentido variado

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 14


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

Já Martins dos Santos propôs a seguinte notação:


1. Inicial: corresponde à papila mais anterior à direita e é representada por
uma letra
2. Complementar: corresponde às demais papilas da direita, e é representada
por tantos algarismos quantas forem as rugas contáveis
3. Subinicial: corresponde à papila mais anterior à esquerda, e é representada
por uma letra
4. Subcomplementar: corresponde às demais papilas da esquerda, como a
complementar, é representada por uma série de algarismos relativos às rugas
contáveis.

8) NCE UFRJ/ Perito Legista Odontologia/PCRJ 2001 De acordo com o


método de identificação através da rugoscopia palatina de Glauco Martins
Santos, no que tange à individual rugoscópica, compreende-se como “inicial”:
A) a papila mais anterior, à esquerda;
B) a papila mais posterior, à direita;
C) a papila mais posterior, à esquerda;
D) a papila mais anterior, à direita;
E) todas as papilas localizadas à direita.

RESPOSTA D. Depois de ver a classificação acima fica fácil matar essa


questão. O problema é lembrar disso na hora da prova, então não jeito, é
preciso decorar as duas classificações. Se cair será uma resposta direta.

Mais algumas questões:

9) UNIVERSA/ Médico-Legista/ GO/ 2010 Prova do curso de formação. Dos


diversos métodos de identificação comparativos, aquele que envolve o estudo
dos detalhes anatômicos presentes nos lábios é denominado:
A) rugoscopia palatina
B) queiloscopia
C) podoscopia

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 15


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

D) papiloscopia
E) odontologia legal

RESPOSTA B. Coloquei essa questão para falar sobre a queiloscopia. Esse


método de identificação utiliza os sulcos da estrutura anatômica dos lábios,
através de suas impressões quando os lábios estão com pintura ou batom
comum (impressões visíveis) ou por meio de impressões deixadas pelos lábios
cobertos apenas pela saliva (impressões latentes). Foi idealizado por Lemoyne
Snyder que os classificou em simples (os que têm um só elemento em sua
forma) e compostos (os que constituem de duas ou mais formas distintas).
Outra classificação é a de Suzuki Tsuchihashi que dividem as linhas em Tipo I
(linhas verticais completas), Tipo IA (linhas verticais incompletas, retas e sem
cobrir todo o lábio), Tipo II (linhas ramificadas ou bifurcadas), Tipo III (linhas
entrecruzadas que se cortam em forma de “x”), Tipo IV (linhas reticulares) e
Tipo V (linhas de outras formas e que não estão nas disposições anteriores).
Para as anotações a impressão labial é dividida em quatro quadrantes (dois
superiores e dois inferiores). Mesmo que o desenho dessas impressões seja
imutável, deve-se considerar que o envelhecimento leva a sensíveis
modificações nos lábios, principalmente o superior. Pode-se colher material
para exame de DNA através das impressões queiloscópicas.

A Odontologia Legal é um ramo da Medicina Legal que trata da


aplicação dos conhecimentos odontológicos a serviço da justiça e da
elaboração de leis corretivas em sua especialidade. Nasceu como
conseqüência da necessidade de se aplicarem os conhecimentos existentes
sobre os dentes na resolução de problemas de ordem legal. Baseado nos
preceitos da Odontologia Legal e da Lei n.º 5.081/1966, que regulamenta o
exercício da Odontologia no Brasil, julgue os itens seguintes.
10) CESPE/Perito Criminal Área Odontologia/PF 2004 A ficha odontológica
pode ter tanto valor quanto a impressão digital, já que os dentes resistem à
ação do tempo, do fogo e da pressão, enquanto os tecidos moles se
decompõem com facilidade. A resistência dos tecidos dentários mineralizados

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 16


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

permite estudá-los sob abordagens distintas, como morfologia, estrutura,


presença de cárie, restaurações, perdas dentárias e diametrologia, mas,
diferentemente do tecido mole (polpa dentária), impossibilita a extração de
DNA.

ERRADO. Só errou no final. Em casos especiais ínfimas porções de DNA


podem ser recuperadas da dentina ou do cemento, nunca do esmalte.

11) CESPE/Perito Odonto-Legal/PC/PB 2009 Considerando a figura acima,


obtida em uma necropsia de um cadáver não identificado, assinale a opção
correta.
A) O periciando perdeu o dente 22 há mais de 2 anos.
B) Certamente o periciando não utilizava próteses removíveis próximo da
morte.
C) Pode-se afirmar que a causa mortis foi relacionada a disparo de arma de
fogo.
D) O periciando encontra-se na dentição mista.
E) O periciando pode ser considerado edêntulo parcial há tempos.

RESPOSTA E. Pessoal, vejam a sutileza dessa questão, prestem atenção nas


expressões “certamente”, “pode-se afirmar”, “pode ser considerado”.
Odontologia não é matemática e a Banca traz essas expressões para fechar a
questão e não dar chance para recurso.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 17


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

A) ERRADO. Essa é tranquila. Estamos vendo o resto radicular do 22 na boca,


então ele não perdeu o 22.

B) ERRADO. Certamente? Ora não se pode fazer uma afirmação dessa


somente com essa fotografia. Pode ser que ele usava alguma prótese
removível ou pode ser que não.

C)ERRADO. Afirmar? Mesmo raciocínio da alternativa B. Se a fotografia não


mostra nada relacionado com disparo de arma de fogo não podemos deduzir.
Pode até ser que sim mas com os dados que a questão nos deu não tem como
afirmar isso.

D)ERRADO. Pela fotografia não existem nenhum dente decíduo na boca então
ele não está na dentição mista.

E) CORRETO. Poder pode!!! A fotografia mostra que ele é edêntulo parcial e


isso pode ter sido há tempos porque não vemos nenhum tipo de lesão ou
cicatrização com características de recentidade.

12) CESPE/Perito Odonto-Legal/PC/PB 2009 Com base na documentação


odontológica, na ótica da identificação humana, assinale a opção incorreta.
A) A documentação ortodôntica completa é um dos melhores registros ante-
mortem.
B) A identificação por radiografias periapicais deve utilizar, no mínimo, três
películas.
C) A ruga palatina, presente nos modelos superiores, apresenta todos os
quesitos biológicos para a identificação.
D) O perito odonto-legal pode requisitar a documentação em poder do dentista
de suposto falecido, para fins de identificação.
E) Os registros odontológicos, mesmo muito antigos, podem ser utilizados para
identificação.

RESPOSTA ANULADA. O motivo da anulação pelo CESPE no gabarito


definitivo foi: O assunto abordado na questão extrapola o conteúdo

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 18


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

programático definido para o cargo em comento. Mas mesmo assim vamos


tentar resolver pois o conteúdo está dentro do nosso edital.

A) CORRETO. A documentação ortodôntica possui modelos, fotografias e


radiografias que são excelentes meios para identificação. Mostrei acima um
indivíduo que teve identificação positiva com o uso da documentação
ortodôntica.

B) ERRADO. O manual da ABFO fala em filme duplo no qual um é enviado


com o laudo e o outro arquivo na seção, não existe isso de no “mínimo 03
películas”.

C) CORRETO. Além dos três fundamentos biológicos (unicidade, imutabilidade


e perenidade) as rugas palatinas também possuem os dois fundamentos
técnicos (classificabilidade e praticabilidade). Mas isso não deixa a alternativa
incorreta porque ela apenas disse que as rugas possuem todos os quesitos
biológicos e isso é verdade.

D) CORRETO. Já vimos na aula 02 que o perito pode pedir a documentação.

E) CORRETO. Durante a vida de um indivíduo ele pode sofrer mudanças na


sua dentição, entretanto ainda assim será possível o uso desses dados para
identificação. A retirada, eliminação ou desaparecimento de pontos
característicos não impossibilita nem invalida a identificação. Já a
incongruência entre trabalhos realizados ou extrações efetuadas e o achado
dessas peças intactas e presentes na dentadura a ser cotejada exclui a
identificação ou faz a identificação negativa.

13) CESPE/Perito Odonto-Legal/PC/PB 2009 Pelo menos 20 presos


morreram carbonizados na madrugada desta quinta-feira em uma cadeia
pública de Ponte Nova, a 180 quilômetros de Belo Horizonte. Segundo a
polícia, o fogo começou após uma briga. Presos teriam cercado detentos rivais
e colocado fogo em colchões. Uma equipe de legistas da capital deve chegar
ainda nesta quinta-feira a Ponte Nova para fazer exames de DNA e de arcada

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 19


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

dentária para a identificação os corpos. Internet <oglobo.globo.com> (com


adaptações).
Com base nessas informações, assinale a opção correta.
A) Caso a superfície da cabeça esteja completamente carbonizada, o exame
odontológico será infrutífero.
B) Caso o número de mortos tenha superado a capacidade operacional
instalada, ocorreu um desastre de massa.
C) Caso sejam encontradas fraturas cranianas nos cadáveres, é correto
concluir que ocorreram traumatismos contundentes, pérfuro-contundentes ou
corto-contundentes.
D) Os dentes coletados para exame genético devem ser mantidos a baixa
temperatura em solução de hipoclorito de sódio.
E) Pode-se afirmar que o instrumento ou meio empregado foi ação térmica ou
energia térmica.

RESPOSTA B

A) ERRADO. Os dentes são mais resistentes ao calor e podem estar presentes


mesmo que a cabeça esteja carbonizada. Só de curiosidade vários desses
presos foram identificados pela Odontologia Legal aqui no IML de Belo
Horizonte (foram 25 mortos). A fotografia abaixo é da cela onde os presos
morreram e a outra mostra detalhe de um dos presos.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 20


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

antemortem

postmortem

B) CORRETO. Essa definição está na Declaração de Estocolmo de 1994 sobre


ética médica nos desastres de massa:

“Do ponto de vista médico, as situações de desastre são caracterizadas por um


desequilíbrio agudo e imprevisto entre a capacidade e recursos da profissão
médica e as necessidades das vítimas ou das pessoas, cuja saúde é
ameaçada, dentro de um determinado período de tempo”.
C) ERRADO. Devido à intensa ação do calor é comum os ossos do crânio
disjuntarem como verdadeiras fraturas, assim, apenas do crânio ter fraturas
não significa que foram lesões traumáticas.

D) ERRADO. O hipoclorito destrói o DNA então não se pode manter o dente


que será analisado nessa solução.

E) ERRADO. A temperatura é uma energia de ordem física, é o meio e não o


instrumento. Vimos isso na aula passada.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 21


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

Um cadáver humano na fase gasosa da putrefação foi encontrado


boiando nas margens de uma lagoa. Encaminhado ao IML, observaram-se
várias marcas de mordida nas pernas e a ausência da mão direita. A guia de
remoção de cadáveres apontava que o cadáver haveria sido atacado por
jacarés. Em face dessa situação hipotética, julgue os itens a seguir.
14) CESPE/Odonto-Legista/PCRR/2003 Caso fosse apresentada para
confronto apenas uma radiografia periapical da região dos dentes 26, 27 e 28,
sem nenhum tratamento odontológico restaurador, é possível que a
identificação do cadáver pudesse ser feita.

CERTO. Traços anatômicos e morfológicos também podem ser usados para


comparação mesmo que nenhum tratamento dental esteja presente e também
podem fornecer informações úteis para fins de identificação. Interpol, DVIG
(2009).

15) CESPE/Odonto-Legista/PCRR/2003 Considere que o cadáver apresente


uma restauração de amálgama de prata no dente 16 e uma prótese unitária
metalocerâmica no dente 45. Considere, ainda, que essas variáveis sejam
independentes, que a estatística da ocorrência de amálgama de prata no dente
16 é de 20% e que 10% das pessoas possuem coroa metalocerâmica no dente
45. Nessas condições, é correto concluir que a probabilidade de uma
identificação positiva é inferior a 95%.

ERRADO. Quero que fique bem claro que não sou professor de Matemática.
Vou fazer essa questão porque é simples, estava na parte específica de
Odonto-Legista e sei que probabilidade vai cair na prova de vocês (em
Raciocínio Lógico). Tem vários jeitos de resolver, vai ai o meu: como as
variáveis são independentes, vocês podem multiplicar as probabilidades. Se
20% das pessoas tem amálgama no dente 16, quer dizer que a probabilidade
de alguém ter amálgama no dente 16 é 0,20. Se 10% das pessoas possuem
coroa metalocerâmica no dente 45, quer dizer que a probabilidade de alguém

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 22


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

ter coroa metalocerâmica no dente 45 é de 0,10. Então, como são


independentes, a probabilidade de alguém ter os dois ao mesmo tempo é 0,20
x 0,10, o que dará 0,02. Logo, a chance de uma identificação positiva é de
0,98, que é 98%. Como eu disse foi mais matemática do que Odontologia
Legal.

16) CESPE - 2008 - STF - Analista Judiciário - Odontologia As anomalias


dentárias de número, forma e estrutura são usadas como critérios de
identificação no reconhecimento de indivíduos.

CORRETO. Segundo Arbenz, as anomalias, especialmente as de maior


amplitude que chamam a atenção do observador atento, são excelentes pontos
para futuras comparações para fins de identificação. Só para relembrar:

- anomalias de volume: gigantismo e nanismo

- anomalias de número: anodontia (ausência de dentes), oligodontia


(diminuição) e poliodontia (aumento)

- anomalias de forma e estrutura: conoidismo (forma de dois cones justapostos


pela base), dilaceração (curvatura do maior eixo do dente), coalescência
(concreção: união de dois dentes pela formação de cemento entre eles; fusão:
união de dois dentes provenientes de dois folículos vizinhos sendo possível
visualizar o sulco entre eles; geminação: um folículo origina dois dentes sendo
que não há sulco entre eles), e erosão/hipoplasia (em fossa, fissura, dentes de
Hutchinson e dentes em favo de mel)

- anomalias de posição: anomalias de direção (modificações segundo os eixos


vertical, transversal e anteroposterior) e anomalias de localização
(transposição, migração e gênese)

- anomalias de erupção: precoce, retardada, inclusão, impactação, terceira


dentição.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 23


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

2. ESTIMATIVA DO SEXO, IDADE E ESTATURA POR MEIO DO ESTUDO


DOS DENTES
2.1. Estimativa do sexo por meio do estudo dos dentes
LIMA (1959) realizou estudos odontométricos em 16.000 dentes
extraídos de cadáveres e verificou que os dentes femininos são menores que
os masculinos.
A amelogenina é um gene que codifica proteínas encontradas no
esmalte dental. O gene se localiza nos braços curtos dos cromossomos X e Y
( AMGX e AMGY). A existência de dois alelos semelhantes porém distintos é
certamente um dos fatores responsáveis pelo dimorfismo sexual em dentes
humanos. JARRETA, em 1999, afirma que a determinação do sexo utilizando
restos ósseos pode ser realizada através da amplificação de um fragmento do
gene X Y homólogo da amelogenina e se constitui em um sólido método de
tipificação de amostras muito degradadas. Vamos ver isso com detalhes na
próxima aula.
Picosse in Arbenz verificou que no arco superior a porcentagem de
forma elíptica é de 98%. Verificou ainda que 86,7% dos homens e 84% das
mulheres exibem em ambos os arcos a forma elíptica.
Com referência à morfologia dos dentes, verifica-se que os incisivos
superiores são as peças que exibem maior dimorfismo sexual, pois são mais
volumosos nos indivíduos do sexo masculino que nos de sexo feminino, mas
essa diferença é milimétrica, portanto essa característica é um fator limitante.
Outra diferenciação morfológica refere-se à relação entre o diâmetro
mesiodistal do incisivo central e do incisivo lateral do maxilar superior. Esse
diâmetro é menor na mulher pois elas possuem uma regularidade maior que no
homem. Quanto à cronologia de erupção, verifica-se que no sexo feminino a
erupção da dentição definitiva é mais precoce (em torno de 4 meses).

17) CESPE/Odonto-Legista/PCRR/2003 Os incisivos superiores são os


dentes que apresentam maior dimorfismo sexual, mas sua forma,
isoladamente, não permite a identificação do sexo.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 24


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

CERTO. Conforme vimos no parágrafo anterior.

18) UNIVERSA/Perito Criminal/Prova 3 Odontologia/PCDF/2012 De acordo


com a análise dentária, pode-se estimar a maior ou menor probabilidade de
um dente ser de uma pessoa do sexo masculino ou do feminino. A esse
respeito, o grupo dentário que apresenta características morfológicas de
maior relevância na distinção entre o sexo masculino e feminino é o de

A) caninos.

B) pré-molares.

C) terceiros molares.

D) molares inferiores.

E) incisivos superiores.

RESPOSTA E. Viram como as questões se repetem? Por isso é importante


fazer muitos exercícios. Essa questão caiu esse ano no concurso de Perito da
PCDF e é idêntica à questão anterior.

19) CESPE/PERITO Odontologia/PF 2004 Existem algumas diferenças


sexuais importantes que podem ser utilizadas para se determinar o sexo dos
indivíduos. O índice de Aitchison mede os diâmetros mesiodistais dos incisivos
centrais e laterais. Essa medida apresenta maiores desproporções no homem
que na mulher. Na tradução numérica dessa medida, os valores são mais
elevados no homem.

ERRADO. Questão difícil. Achei esse índice no Livro do Revert Coma chamado
Antropologia Forense (só existe em espanhol). O índice de Aitchison é obtido
por uma fórmula [(MD I2 /MD I1)x100], sendo que I2 corresponde ao incisivo
lateral superior e I1 ao central superior. Ele relaciona os diâmetros mesiodistais
dos incisivos central e lateral superiores. Sendo > 150 no sexo feminino e <

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 25


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

150 no sexo masculino. Nós sempre pensamos que no homem é tudo maior,
mas aqui não! Lembre-se disso.

Fonte: Coma (1999).

2.2. Estimativa da idade por meio de estudo dos dentes

Os dentes humanos passam por vários estágios de desenvolvimento


desde o útero até a idade adulta e esses estágios de desenvolvimento e
erupção podem ser usados para estimar a idade do indivíduo. As etapas de
evolução são: calcificação, rizólise, erupção e modificações dentárias
tardias. Quanto mais jovem o periciando, maior a aproximação da idade
cronológica poderá ser obtida porque são maiores as alterações que ocorrem
nos primeiros anos de vida.
O processo de erupção dentária compreende três fases: pré-eruptiva
(início do desenvolvimento do dente e a completa formação da coroa), pré-
funcional (formação da raiz até o momento em que o dente entra em contato
com o antagonista) e funcional (entra em oclusão em diante).
Quando um infrator chega no IML alegando ter menos de 18 anos ele
passa na perícia médica quando serão observadas características como
desenvolvimento muscular e da genitália, presença de pelos, radiografia de
punho, entre outros. Depois passa na Odontologia Legal onde se observará o
desenvolvimento dentário. A soma de todos esses fatores estima a idade do
indivíduo. As características dentárias fornecem os melhores subsídios para a
estimativa porque sofrem menos interferências de fatores sistêmicos.
A avaliação pode ser direta (exame clínico) quando se verificará a
erupção dentária e indireta (radiografias) quando se examinará a
mineralização dentária, sendo esta mais confiável.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 26


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

Não se encontram diferenças significativas entre os hemiarcos, porém


os elementos dentários da mandíbula, via de regra, erupcionam mais cedo do
que seus homólogos da maxila. A erupção é mais precoce nos climas quentes
e, o que é mais notável, mais precoce na zona urbana.
O biótipo parece interferir na erupção, tendo sido notado que esta se faz
precocemente nos longilíneos, em relação aos normolíneos e brevilíneos. Em
crianças magras, a erupção dentária é antecipada quando comparada com as
obesas.
Existem várias tabelas de erupção e mineralização, lembram das aulas
de odontopediatria? Vou colocar aqui as tabelas do livro do Arbenz que apesar
de ser um livro antigo é muito respeitado. Infelizmente vocês precisam decorar
as tabelas porque como verão nas questões é isso que cai, a Banca vai dar um
caso clínico e pedir para estimar a idade.
ERUPÇÃO
DENTIÇÃO DECÍDUA
DENTE MÉDIA (meses)
Incisivos centrais inferiores 7
Incisivos centrais superiores 9
Incisivos laterais superiores 11
Incisivos laterais inferiores 13
1° molares superiores 15
1° molares inferiores 17
caninos 22
2°molares 26

DENTIÇÃO PERMANENTE
DENTE MÉDIA (anos)
1° molares 5,5 a 6
Incisivos centrais 6,5 a 10
Incisivos laterais 8 a 8,5
1° premolares 9 a 9,5
2° premolares 10,5 a 11
caninos 11
2°molares 12
3°molares 18

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 27


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

FECHAMENTO APICAL
DENTIÇÃO PERMANENTE
DENTE MÉDIA (anos)
Incisivo central 10
Incisivos lateral Pouco mais de 10
canino Pouco mais de 12
1° premolares 12
2° premolares 12
1° molar 9
2°molar 18
3°molar 18 a 20

OBS.: Quando forem fazer os exercícios observem se a questão está


fornecendo dados da mineralização ou da erupção para ver qual tabela usar.
E qual tipo de mineralização, se for do fechamento apical usa-se essa aqui de
cima se for dos estágios da mineralização é a de Nicodemo. Para facilitar para
vocês eu coloquei as idades médias, mas existem as mínimas e as máximas,
então não fiquem presos em números exatos.

A tabela de Nicodemo traz a cronologia da mineralização dos dentes


permanentes e divide os dentes nos seguintes estágios de mineralização: 1ª
evidência da mineralização, 1/3 da coroa, 2/3 da coroa, coroa completa, início
da formação radicular, 1/3 da raiz, 2/3 da raiz e término apical. Acho difícil a
banca cobrar uma questão prática disso porque ela terá que dar a tabela de
Nicodemo e uma radiografia panorâmica do caso que ela quer que vocês
estimem a idade. Para fazer isso vocês precisam analisar todos os dentes em
formação e comparar com os estágios de mineralização. O problema é que
nem todos aparecem como estão no esquema cabendo ao Perito fazer os
ajustes. Ai é que surge o problema porque pode gerar dúvidas e a banca não
vai colocar questões dúbias que certamente vão dar recursos e anulações. Só
de curiosidade isso foi uma questão aberta da prova de Mestrado em
Odontologia Legal da UNICAMP ano passado.
A partir dos 20 anos inicia-se o processo de envelhecimento ou
regressão orgânica, a partir daí começam a surgir, em várias partes dos
dentes, certas alterações que podem ser usadas como meios auxiliares na

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 28


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

estimativa da idade. Gustafson aproveitou essas alterações para elaborar uma


classificação fixando seis processos evolutivos que devem ser considerados
em conjunto:
A- desgaste da superfície de oclusão
P- periodontose
S- desenvolvimento de dentina secundária no interior da cavidade pulpar
C- deposição de cemento da raiz
R- reabsorção da raiz
T- transparência do ápice da raiz
Cada um desses fenômenos apontados recebe um número de 0 a 3 de
acordo com a intensidade ou grau de modificação. Após a observação dos seis
fenômenos precede-se a somatória dos pontos. A linha pontilhada da figura
representa um exemplo concreto (8 pontos = 50 anos).

20) UNIVERSA/Perito Criminal/Prova 3 Odontologia/PCDF/2012 Após


receberem uma ossada completa, os peritos criminais utilizaram a técnica e
a equação de Gustafson para estimativa de idade humana na época da
morte utilizando os dentes humanos. Essa técnica leva em consideração
as alterações regressivas dentárias (6 critérios). Para tanto, depois de
somados os valores dos 6 parâmetros analisados, os peritos obtiveram um
valor total igual a 9. Nessa situação, qual é a idade estimada mais provável?

A) 34,23 anos

B) 43,35 anos

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 29


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

C) 52,47 anos

D) 61,59 anos

E) 70,71 anos

RESPOSTA C. Questão difícil porque tinha que saber o gráfico da Reta de


Regressão de Gustafson que eu mostrei acima. Essa questão é igual ao
exemplo que eu mostrei. Olhem no gráfico acima: o número de pontos que a
questão deu foi 9, jogando no gráfico vai dar uma idade estimada entre 50-60
anos, portanto só pode ser a letra C.

21) NCE UFRJ/ Perito Legista Odontologia/PCRJ/2001 A técnica de


Gustafson para a estimativa da idade em pessoas adultas baseia-se na
utilização de dentes nos quais são analisados:
A) os estágios de mineralização;
B) a erupção passiva e a erupção ativa;
C) desgaste da superfície de oclusão; periodontose; desenvolvimento de
dentina secundária no interior da cavidade pulpar; deposição de cemento na
raiz; transparência do ápice da raiz;
D) a erupção passiva e os movimentos migratórios;
E) a erupção ativa e os movimentos migratórios.

RESPOSTA C. Questão bem direta. Pediu os seis processos evolutivos da


classificação de Gustafson.

22) CESPE/Odonto-Legista/PCRR/2003 O exame radiográfico de um jovem


com aparência de dezoito anos de idade determina se este será enquadrado
no Código Penal ou no Estatuto da Criança e do Adolescente.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 30


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

ERRADO. Segundo Arbenz, nessa época os dentes não oferecem indicação de


confiança e assim a idade não pode ser fixada com precisão. A questão está
errada quando diz que o exame radiográfico DETERMINA a idade.

23) No processo de identificação de um cadáver pela arcada dentária, a


superposição computadorizada (comparação da radiografia feita pelo dentista
com a dos dentes do cadáver para a aferição de semelhanças no formato dos
dentes), constitui-se um importante recurso. Inexistindo quaisquer dados sobre
a identidade do morto, a única informação que se pode ter através da arcada
dentária é uma estimativa da sua idade. O uso desse recurso é confiável para:

A) adultos jovens
B) crianças
C) pessoas até 16 anos
D) pessoas idosas
E) qualquer idade

RESPOSTA C. Segundo Arbenz a partir de certa idade o exame dos dentes


tem caráter puramente subsidiário. Assim, 18 e 21 anos (quando o livro foi
escrito a maioridade civil ainda era 21 anos) idades importantes do ponto de
vista jurídico, não podem ser fixadas com precisão. O exame do terceiro molar
que teoricamente deveria irromper aos 18 anos, com muita freqüência irrompe
em época diversa, assim estimar a idade pela erupção do terceiro molar
representa um perigo incalculável. Já Moacyr da Silva diz que no final da
adolescência e início da maturidade, o processo de estimativa torna-se
dificultado em razão de que, praticamente, todos os elementos dentários já
atingiram o seu estágio de maturação. Bom, reparem que a Banca seguiu o
raciocínio do Moacyr da Silva e do Arbenz fixando que a estimativa de idade
é mais confiável até 16 anos.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 31


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

A estimativa da idade pode ser realizada utilizando-se dados gerais:


estatura, peso, desenvolvimento ósseo e dentário. A estimativa da idade pelo
exame dos dentes fornecerá uma idade mais próxima da idade cronológica,
quanto mais jovem for o examinando. Cada um dos itens a seguir apresenta
uma situação hipotética acerca desse assunto, seguida de uma assertiva a ser
julgada.
24) CESPE/PERITO Odontologia/PF 2004 No exame macroscópico da
mandíbula de uma criança durante necropsia, observou-se que os dentes
ocupavam a maior parte do corpo da mandíbula, o primeiro incisivo decíduo
estava irrompido e a coroa do primeiro molar permanente estava em formação,
característica dos difiodontes. Nessa situação, os dados são tecnicamente
compatíveis com criança de cerca de seis meses de idade.

CERTO. Aqui a questão misturou erupção com mineralização. Vamos por


partes. A tabela de erupção de decíduos que eu mostrei acima mostra que a
erupção do incisivo central inferior é 7 meses, portanto compatível com “uma
criança de cerca de seis meses”. Na tabela de Nicodemo (vide abaixo)
observamos que a 1° evidência de mineralização do 1 ° molar se dá entre 1-6
meses novamente compatível com “uma criança de cerca de seis meses”.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 32


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

25) UNIVERSA/Perito Criminal/Prova 3 Odontologia/PCDF/2012 O exame


radiográfico é um procedimento de rotina na odontologia que permite
diversas análises na área da antropologia forense e odontologia legal.
Nesse contexto, existe uma tabela, elaborada por Nicodemo, Moraes e Médici
Filho, muito utilizada para estimativa de idade com base na cronologia de
mineralização dos dentes permanentes nos brasileiros. De acordo com tal
tabela, um indivíduo que, como exame radiográfico, exibe o terceiro molar
inferior com 2/3 da raiz mineralizada possui idade estimada, em meses,
mais provável, compreendida no intervalo entre

A) 162 e 198.

B) 180 e 204.

C) 192 e 234.

D) 216 e 246.

E) 234 e 252.

RESPOSTA C. Poxa! Questões como essa derrubam qualquer um. Para mim
isso não mede conhecimento de ninguém. Infelizmente tinha que saber a
Tabela de Nicodemo que coloquei na questão anterior.

26) CESPE/PERITO Odontologia/PF 2004 No exame macroscópico da


mandíbula de uma criança durante a necropsia, observou-se que o primeiro
prémolar iniciou o processo de irrompimento, provocando a reabsorção das
raízes do primeiro molar decíduo, o segundo pré-molar estava situado entre as
raízes do segundo molar decíduo, o primeiro molar permanente era funcional e
a ponta de cúspide do segundo molar permanente, em movimento de erupção,
havia perfurado a mucosa bucal. Nessa situação, o exame deve indicar que a
criança tem pelo menos 10 anos de idade.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 33


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

ERRADO. Segundo Arbenz, do ponto vista pericial, vencido o obstáculo ósseo


e o mucoso, o dente está irrompido. Se o segundo molar está irrompido a
criança tem aproximadamente 12 anos. Ai vocês vão dizer: mas pelo menos 10
é acima de 10 então engloba o 12. Correto, mas entra 10 e 1 mês, 2 meses,
etc... ai fica errado, pois essas idades são incompatíveis com uma criança que
já erupcionou o segundo molar. Olhem na tabela, é na bibliografia que temos
que nos basear e cuidado com o português. Tem outra coisa: o segundo molar
erupcionou antes dos pré-molares? Sim, por algum motivo isso aconteceu mas
a banca não disse, não vamos brigar com os dados que a questão nos deu. Se
vocês pegarem a tabela com as idades mínimas e máximas verão que isso é
possível de acontecer.

27) CESPE/PERITO Odontologia/PF 2004 Dentes foram corados em


hematoxilina-eosina, visando adequá-los para exame ao microscópio, com o
objetivo de se determinar a idade do cadáver. Nessa situação, é provável que
sejam observadas as seguintes características: atrição, estrias de Retzius,
dentina secundária e aposição de cemento.

ERRADO . Há dois tipos de cortes histológicos para dentes: um fazendo o


desgaste e o outro fazendo a desmineralização e corando com hematoxilina-
eosina. Quando se faz a desmineralização perde-se o esmalte, assim, não é
possível visualizar as estrias de Retzius, também conhecidas como linhas
incrementais que demonstram a formação do esmalte e são perpendiculares
aos feixes dos prismas.

28) CESPE/Odonto-Legista/PCRR/2003 Geralmente, a mineralização dentária


dos incisivos se completa primeiro no arco superior que no inferior.

ERRADO. Consultando a tabela de Nicodemo da mineralização dos dentes


observamos que os incisivos centrais superiores completam o término apical
entre 100-116 meses enquanto que os incisivos centrais inferiores entre 90-

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 34


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

102meses. Ora se o tempo para fechamento apical nos incisivos inferiores é


menor então ele completou primeiro sua mineralização, por isso errada a
afirmativa. Realmente a questão fica difícil sem a tabela, mas poderíamos fazer
essa questão por intuição, pois sabemos que a erupção dos incisivos inferiores
é mais precoce do que dos superiores, então teoricamente os inferiores estão
em um estágio mais avançado de mineralização.

29) CESPE/Perito Odonto-Legal/PC/PB 2009 A figura acima ilustra a


mineralização dentária permanente de determinado periciando, cuja idade
aproximada é
A) 4 anos.
B) 6 anos.
C) 10 anos.
D) 14 anos.
E) 16 anos.

RESPOSTA C. Vamos resolver essa questão com a tabela de fechamento


apical. Olhem na figura e olhem na tabela (que vai estar na sua cabeça na hora
da prova). Reparem que todos os incisivos estão com ápice fechado então o
periciando tem pouco mais de 10 anos, mas tem menos de 12 porque os
caninos ainda estão com ápice aberto. A única alternativa que nos atende é a
letra C.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 35


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

30) UNIVERSA/Perito Criminal/Prova 3 Odontologia/PCDF/2012 Com


relação à estimativa de idade humana a partir dos elementos dentários e
do crânio, assinale a alternativa correta.

A) Quanto mais jovem é o indivíduo, maior é a deposição e aposição de


cemento na porção radicular no terço médio e apical.

B) Após os 50 anos de idade, o índice de precisão na estimativa de


idade em indivíduos vivos, a partir da análise dentária, aumenta de forma
exponencial de acordo com seu envelhecimento.

C) A tabela cronológica de mineralização dos dentes permanentes no


Brasil, elaborada por Nicodemo, Moraes e Médici Filho, classifica os
dentes em seis estágios de mineralização a partir de exames
radiográficos.

D) O ângulo mandibular (gônio) sofre alterações relacionadas à


reabsorção dos alvéolos dentários a partir de certo momento na idade
adulta, tornando-se paulatinamente mais obtuso.

E) No ser humano adulto, o estudo das características estruturais


dentárias tem grande utilidade na determinação da idade, sendo
observados mudanças de cor e contornos menos definidos. Todavia, a
abrasão e a atrição não são consideradas na estimativa de idade.

RESPOSTA D.

A) ERRADO. Pelo contrário, quanto mais idoso o indivíduo maior a deposição


de cemento.

B) ERRADO. Pelo contrário, vimos que a precisão da estimativa de idade pelos


dentes começa a ficar prejudicada a partir do final da adolescência.

C) ERRADO. São 8 estágios, não 6 como diz a alternativa.

D) CORRETO. Vamos ver isso na próxima aula. Com a perda dos dentes o
ângulo mandibular (formado pelo ramo ascendente e horizontal da mandíbula)
fica maior (mais obtuso).

E) ERRADO. A abrasão e a atrição são consideradas “desgaste da superfície


de oclusão” na estimativa de Gustafson.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 36


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

2.3. Estimativa da estatura por meio do estudo dos dentes


Para estimativa de estatura por meio do estudo dos dentes usa-se a
técnica de Carrea que consiste na medida com um paquímetro da corda que
vai da mesial do incisivo central inferior até a distal do canino. E para obtenção
do arco mede-se com uma fita milimetrada os mesmos dentes (vide figura
abaixo).

A partir daí calcula-se a altura máxima multiplicando o arco x 6 x π e


dividindo por 2. A altura mínima é calculada multiplicando a corda x 6 x π e
dividindo por 2. A corda e o arco são expressos em milímetros e a estatura em
centímetros.

31) FGV/Perito Legista Odontologia/PCRJ 2011 Com base na fórmula de


Carrea, assinale a alternativa que corresponde aos elementos dentários que
são utilizados para se estimar a altura de um indivíduo:
A) 11, 12, 13.
B) 21, 22, 23.
C) 14, 15, 16.
D) 45, 46, 47.
E) 31, 32, 33.

RESPOSTA E. Usa-se os incisivos central e lateral e o canino inferiores.


Carrea não explicita em seu trabalho se foram medidos os dentes do lado
direito ou esquerdo.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 37


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

32) UNIFAP/Perito Odontologia/2004 Com relação à Pesquisa


Antropométrica, o índice de Carrea:
A) Estima a estatura humana a partir dos dentes.
B) Determina o sexo através de mensurações do crânio.
C) Estima a estatura humana através dos ossos longos.
D) Determina o sexo pela análise quantitativa da mandíbula.
E)Determina a cor a qual, provavelmente, pertence o indivíduo.

RESPOSTA A. Questão bem direta. Carrea foi um argentino que realizou


estudos visando proporcionar dados odontométricos que ele pudesse
relacionar com a estimativa da estatura.

3. BIOTIPOLOGIA
A biotipologia é a ciência das constituições, temperamentos e
caracteres, em outras palavras, é a ciência que estuda o homem sob um
tríplice ponto de vista: morfológico, funcional e psíquico.
Acredito que a Banca quer que saibamos algumas características
morfológicas das raças e o biótipo crânio-facial de interesse Odontolegal, este
último vamos ver na aula 05.

33) UECE/Perito Odontologia/ PCCE 2003 A ciência que estuda a


constituição dos seres humanos e os classifica segundo seus diferentes
aspectos morfológicos, funcionais e psíquicos é a:
A) Bionomia
B) Biogenia
C) Biotaxia
D) Biotipologia

RESPOSTA D. Como definimos acima.

34) UNIVERSA/Perito Criminal/Prova 3 Odontologia/PCDF/2012 A


biotipologia é a ciência que estuda o homem sob o ponto de vista

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 38


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

A) morfológico e funcional, apenas.

B) morfológico, apenas.

C) morfológico, funcional e psíquico.

D) morfológico e psíquico, apenas.

E) dos tipos de deformações dos crânios, desde as mais discretas até as


grandes deformidades.

RESPOSTA C. Parecida com a questão anterior, só que aqui pediu os


aspectos que a biotipologia estuda o homem.

Há 5 tipos étnicos fundamentais:


- Tipo caucásico: pele branca ou trigueira, cabelos lisos ou crespos,
louros ou castanhos, íris azul ou castanha, contorno crânio-facial anterior
ovóide ou ovóide-poligonal, perfil facial ortognata e ligeiramente prognata.
- Tipo mongólico: pele amarela, cabelos lisos, face achatada de diante
para trás, fronte larga e baixa, espaço interorbital largo, maxilares pequenos e
mento saliente.
- Tipo negroide: pele negra, cabelos crespos, crânio pequeno, perfil
facial prognata, fronte alta e saliente, íris castanha, nariz pequeno, largo e
achatado, perfil côncavo e curto, narinas espessas e afastadas, visíveis de
frente e circulares.
- Tipo indiano: não se afigura como um tipo racial definido. Estatura alta;
pele amarelo-trigueira, tendente ao avermelhado; cabelos pretos, lisos,
espessos e luzidios; íris castanha, crânio mesocéfalo, supercílios espessos,
orelhas pequenas, nariz saliente, estreito e longo, barba escassa, fronte
vertical: zigomas salientes e largos
- Tipo australoide: estatura alta, pele trigueira, nariz curto e largo,
arcadas zigomáticas largas e volumosas, prognatismo maxilar e alveolar,
cinturas escapular larga e pélvica estreita, dentes fortes, mento retraído;
arcadas superciliares salientes e crânio dolicocéfalo.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 39


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

Nariz curva/ângulo
Côncavo reto convexo Para baixo Horizontal Para cima

Lóbulos da orelha

Livre Preso

Formato da Cabeça de Frente


Oval Pontiaguda Piramidal

Circular Retangular Quadrangular

Os cabelos podem ser considerados como lissótrico (liso, apresentando


secção circular), cimatótrico (ondulado, secção oval) e ulótrico (espiralado,
secção oval).

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 40


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

35) CESPE/Perito Odonto-Legal/PC/PB 2009 Acerca das possibilidade


periciais propiciadas pelo exame dos pelos, assinale a opção correta.
A) Os cabelos lissótricos são característicos do grupo étnico caucasóide.
B) Os cabelos ulótricos são característicos do grupo étnico mongolóide.
C) A forma da secção transversal dos pelos varia conforme o grupo étnico.
D) A presença de um pelo crestado indica que houve a ação de um álcalis ou
ácido.
E) Os pelos dos indivíduos do grupo étnico caucasóide são, em geral, de
menor diâmetro que os dos negróides.

RESPOSTA C

A) ERRADO. Os lissótricos são típicos do tipo mongólico.


B) ERRADO. Cabelos crespos no tipo mongólico? Sem comentários.
C) CERTO. Conforme já vimos: lissótrico (secção circular), cimatótrico (secção
oval) e ulótrico (secção oval).
D) ERRADO. Crestado é queimado, ressecado. Ora não é somente álcalis que
faz isso com o cabelo.
E) ERRADO. Em geral cabelos crespos e muito crespos possuem um córtex
mais fino, e torna o cabelo mais suscetível a quebras e danos provocados pelo
calor.
Quanto aos aspectos odontolegais, as principais características raciais
encontram-se presentes especialmente nos molares através dos quais é
possível diferenciar as raças ortognatas (brancos ou caucasóides), prognatas
(negros, melanodermas e faiodermas) e as denominadas raças primitivas
(aborígenes australianos, da Oceania etc), que, em geral, se caracterizam por
apresentarem prognatismo maxilar variável mais expressivo.
As raças ortognatas apresentam:
- nos molares superiores as cúspides palatinodistais muito pequenas, quando
comparadas com as cúspides mesiopalatinas.
- o 1° molar inferior conservando apenas uma marca leve da soldadura da
cúspide posterior;

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 41


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

- o 2° e o 3° molares inferiores não têm cúspides p osteriores diferenciadas.


As raças prognatas por sua vez:
- nos seus molares superiores as cúspides palatinodistais apresentam bom
tamanho
- nos molares inferiores, uma cúspide posterior diferenciada.
As raças primitivas exibem molares inferiores semelhantes aos dos
chimpanzés.
Quanto às cúspides do primeiro molar inferior, observa-se uma
predominância da forma mamelonada na raça branca (1), estrelada na raça
negra (2) e intermediária na raça amarela (3).

Fonte: (França, 2011)

As formas do palato e arco superior também apresentam relação com o


grupo étnico: triangular no caucasóide, retangular no negróide e em ferradura
no mongolóide.

36) CESPE/Odonto-Legista/PCRR/2003 A forma do palato triangular é típica


de indivíduos do grupo étnico negróide.

ERRADO. A forma do palato triangular é típica no caucasóide.

37) FGV/Perito Legista Odontologia/PCRJ 2011 Algumas características


raciais encontram-se presentes especialmente nos molares, através dos quais
pode-se diferenciar as raças ortognatas, prognatas e primitivas. Assinale a

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 42


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

alternativa que apresenta, respectivamente, exemplos de indivíduos de raça


ortognata, prognata e primitiva:
A) caucasianos, aborígenes e negros.
B) aborígenes, negros e faiodermas.
C) caucasianos, faiodermas e melanodermas.
D) melanodermas, faiodermas e melanodermas.
E) caucasianos, negros e aborígenes.

RESPOSTA E Ortognatas (brancos ou caucasóides), prognatas (negros,


melanodermas e faiodermas) e as raças primitivas (aborígenes australianos, da
Oceania etc)

38) CESPE/Perito Odonto-Legal/PC/PB 2009 Com relação à biotipologia,


assinale a opção correta.
A) Um indivíduo euriprosopo apresenta uma face com predomínio da dimensão
vertical, isto é, uma face alongada verticalmente.
B) Um indivíduo leptoprosopo apresenta uma face com predomínio da
dimensão transversal, isto é, uma face alargada horizontalmente.
C) É característica da etnia caucasóide ser mesoprosópico.
D) É característica da etnia negróide ser leptoprosópico.
E) É característica da etnia mongolóide ser euriprosópico.

RESPOSTA E. Para responder essa questão devemos saber algumas


definições usadas para a face:
- Mesoprosopo: largura e altura equivalentes.
- Leptoprosopo: altura predominante sobre a largura (estreita)
- Euriprosopo: largura predominante sobre a altura (larga)
A) ERRADA. Um indivíduo euriprosopo apresenta largura (horizontal)
predominante sobre a altura.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 43


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

B) ERRADA. Um indivíduo leptoprosopo apresenta altura (vertical)


predominante sobre a largura.

C) ERRADA. A etnia caucasóide é leptoprosopo.

D) ERRADA. A etnia negróide é mesoprosopo.

E) CERTA. Apresentam fronte larga e baixa.

39) UNIVERSA/Perito Criminal/Prova 3 Odontologia/PCDF/2012 O índice


dentário de Flower é utilizado para se estabelecerem diferenças entre
grupos humanos e é calculado pela seguinte fórmula:

(Comprimento em reta entre a borda mesial do 1.º pré-molar e a borda distal


do 3.º molar) × 100 / Distância basionásio

Com base nessas informações, assinale a alternativa correta.

A) Índice dentário menor que 41,9 corresponde ao grupo étnico australoide.

B) Índice dentário maior que 44,0 corresponde ao grupo étnico caucásico.

C) Índice dentário entre 42,0 e 43,9 corresponde ao grupo étnico negroide.

D) Índice dentário entre 42,0 e 43,9 corresponde ao grupo étnico australoide.

E) Índice dentário entre 42,0 e 43,9 corresponde ao grupo étnico caucasóide

RESPOSTA C. Deixei essas duas últimas questões para falar desse índice que
é o mais importante, pois existem outros. Ele emprega segmentos do arco. É
uma relação centesimal entre a distância, em linha reta, que vai do primeiro
pré-molar (mesial) ao terceiro molar (distal) e a distância násio-básio. Permite a
seguinte classificação dos indivíduos:

TIPO INDICE DENTARIO GRUPO ETNICO


Microdontes <41,9 Caucasoides
Mesodontes 42,0 a 43,9 Negroides, mongólicos
Megodontes >44,0 Australoides

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 44


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

40) CESPE/PERITO Odontologia/PF 2004 O índice de Flower permite


determinar o tamanho dos dentes de acordo com as dimensões do crânio.
Esse índice considera a distância entre o primeiro pré-molar e o terceiro molar
e a distância násio-básio, com base nas evidências de proporcionalidade
existentes entre as medidas craniofaciais, dentais e do indivíduo como um
todo.

CORRETO. Conforme vimos na questão anterior.

Ufa!!! Terminamos hoje por aqui. Até a nossa próxima aula. Bons estudos para
vocês, não percam o ritmo.

QUESTÕES DA AULA DE HOJE

1) FGV/Perito Legista Odontologia/PCRJ 2011 Identificação é o conjunto de


procedimentos diversos utilizado para individualizar uma pessoa ou objeto. Os
requisitos técnicos elementares, para que um processo de identificação seja
aplicável, estão relacionados nas alternativas a seguir, à exceção de uma.
Assinale-a.
A) Unicidade.
B) Imutabilidade.
C) Perenidade.
D) Classificabilidade.
E) Variabilidade.

2) FGV/Perito Legista Odontologia/PCRJ 2011 Os requisitos biológicos e


técnicos apresentados pelos arcos dentários são fundamentais para possibilitar
a identificação de um indivíduo. Assinale a alternativa que apresenta esses
requisitos.
A) Unicidade, perenidade e contemporaneidade.
B) Imutabilidade, classificabilidade e dinâmica.
C) Unicidade, imutabilidade e praticabilidade.
D) Praticabilidade, contemporaneidade e dinâmica.
E) Variedade, imutabilidade e singularidade.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 45


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

3) UECE/Perito Odontologia/ PCCE 2003 A identificação humana


odontológica é um processo:

A) Integrativo
B) Substitutivo
C) Comparativo
D) Sugestivo

4) FGV/Perito Legista Odontologia/PCRJ 2011 As peças dentárias


submetidas, em forma isolada, diretamente à ação do fogo podem apresentar
fissuras já a 150ºC. Assinale a alternativa que indica a temperatura necessária
para carbonizar o esmalte dentário.
A) 270ºC B) 400ºC C) 650ºC D) 800ºC E) 1000ºC.

5) UNIVERSA/ Médico-Legista/ GO/ 2010 Prova do curso de formação.


Analisando-se uma mandíbula humana, foram constatadas diversas ausências
dentárias, em uma delas, o alvéolo apresentava-se vazio e com os septos
ósseos interradiculares proeminentes e conservados. Essa situação
representa:
A) uma perda dentária antiga, acontecida em vida cerca de 6 meses antes da
morte
B) uma perda dentária recente, acontecida em vida e decorrente de
traumatismo
C) uma perda dentária recente, pós-morte com evidências de traumatismo
D) uma perda dentária recente, pós-morte e sem sinais de traumatismo
E) tanto uma perda dentária antiga quanto pós-morte

6) UECE/Perito Odontologia/ PCCE 2003 No que concerne ao estudo das


rugas palatinas, marque a opção verdadeira.
A) O palato ou parede superior da cavidade bucal, é revestido por uma mucosa
muito fina, que se continua, por intermédio da gengiva palatina e das papilas
intermediárias,com a gengiva vestibular.
B) As rugas são depressões e eminências papilares, formando pregas
sucessivas, situadas na região posterior da abóbada palatina.
C) Na linha mediana, logo atrás dos incisivos mediais, no nível dos orifícios
externos dos canais nasopalatinos, existe uma zona saliente, de formas e
dimensões constantes, conhecida como papila palatina ou palatina incisiva.
D) Percorrendo a abóbada, desde a papila ate a parte terminal do palato mole,
nota-se uma crista contínua, a rafe palatina, linha anatômica saliente que
corresponde à soldadura das duas porções direita e esquerda.

7) UECE/Perito Odontologia/ PCCE 2003 No que diz respeito ao estudo das


rugas palatinas NÃO é correto afirmar:
A) Do terço anterior da rafe, para cada lado da linha mediana, dispõe-se uma
série de cristas, variáveis em comprimento, simples ou ramificadas, retilíneas,

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 46


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

curvilíneas, angulosas ou sinuosas, e recebem a denominação de pregas


palatinas.
B) As rugas palatinas são devidas às rugosidades ósseas existentes no palato.
C) As rugas palatinas aparecem durante a vida intra-uterina e tudo nos leva a
crer que são individuais, mas não perenes e inalteráveis.
D) Na espécie humana, o conjunto formado pelas rugas é assimétrico, ao
contrário do que ocorre nos animais

8) NCE UFRJ/ Perito Legista Odontologia/PCRJ 2001 De acordo com o


método de identificação através da rugoscopia palatina de Glauco Martins
Santos, no que tange à individual rugoscópica, compreende-se como “inicial”:
A) a papila mais anterior, à esquerda;
B) a papila mais posterior, à direita;
C) a papila mais posterior, à esquerda;
D) a papila mais anterior, à direita;
E) todas as papilas localizadas à direita.

9) UNIVERSA/ Médico-Legista/ GO/ 2010 Prova do curso de formação. Dos


diversos métodos de identificação comparativos, aquele que envolve o estudo
dos detalhes anatômicos presentes nos lábios é denominado:
A) rugoscopia palatina
B) queiloscopia
C) podoscopia
D) papiloscopia
E) odontologia legal

A Odontologia Legal é um ramo da Medicina Legal que trata da


aplicação dos conhecimentos odontológicos a serviço da justiça e da
elaboração de leis corretivas em sua especialidade. Nasceu como
conseqüência da necessidade de se aplicarem os conhecimentos existentes
sobre os dentes na resolução de problemas de ordem legal. Baseado nos
preceitos da Odontologia Legal e da Lei n.º 5.081/1966, que regulamenta o
exercício da Odontologia no Brasil, julgue os itens seguintes.
10) CESPE/Perito Criminal Área Odontologia/PF 2004 A ficha odontológica
pode ter tanto valor quanto a impressão digital, já que os dentes resistem à
ação do tempo, do fogo e da pressão, enquanto os tecidos moles se
decompõem com facilidade. A resistência dos tecidos dentários mineralizados
permite estudá-los sob abordagens distintas, como morfologia, estrutura,
presença de cárie, restaurações, perdas dentárias e diametrologia, mas,
diferentemente do tecido mole (polpa dentária), impossibilita a extração de
DNA.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 47


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

11) CESPE/Perito Odonto-Legal/PC/PB 2009 Considerando a figura acima,


obtida em uma necropsia de um cadáver não identificado, assinale a opção
correta.
A) O periciando perdeu o dente 22 há mais de 2 anos.
B) Certamente o periciando não utilizava próteses removíveis próximo da
morte.
C) Pode-se afirmar que a causa mortis foi relacionada a disparo de arma de
fogo.
D) O periciando encontra-se na dentição mista.
E) O periciando pode ser considerado edêntulo parcial há tempos.

12) CESPE/Perito Odonto-Legal/PC/PB 2009 Com base na documentação


odontológica, na ótica da identificação humana, assinale a opção incorreta.
A) A documentação ortodôntica completa é um dos melhores registros ante-
mortem.
B) A identificação por radiografias periapicais deve utilizar, no mínimo, três
películas.
C) A ruga palatina, presente nos modelos superiores, apresenta todos os
quesitos biológicos para a identificação.
D) O perito odonto-legal pode requisitar a documentação em poder do dentista
de suposto falecido, para fins de identificação.
E) Os registros odontológicos, mesmo muito antigos, podem ser utilizados para
identificação.

13) CESPE/Perito Odonto-Legal/PC/PB 2009 Pelo menos 20 presos


morreram carbonizados na madrugada desta quinta-feira em uma cadeia
pública de Ponte Nova, a 180 quilômetros de Belo Horizonte. Segundo a
polícia, o fogo começou após uma briga. Presos teriam cercado detentos rivais
e colocado fogo em colchões. Uma equipe de legistas da capital deve chegar
ainda nesta quinta-feira a Ponte Nova para fazer exames de DNA e de arcada
dentária para a identificação os corpos. Internet <oglobo.globo.com> (com
adaptações).
Com base nessas informações, assinale a opção correta.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 48


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

A) Caso a superfície da cabeça esteja completamente carbonizada, o exame


odontológico será infrutífero.
B) Caso o número de mortos tenha superado a capacidade operacional
instalada, ocorreu um desastre de massa.
C) Caso sejam encontradas fraturas cranianas nos cadáveres, é correto
concluir que ocorreram traumatismos contundentes, pérfuro-contundentes ou
corto-contundentes.
D) Os dentes coletados para exame genético devem ser mantidos a baixa
temperatura em solução de hipoclorito de sódio.
E) Pode-se afirmar que o instrumento ou meio empregado foi ação térmica ou
energia térmica.

Um cadáver humano na fase gasosa da putrefação foi encontrado


boiando nas margens de uma lagoa. Encaminhado ao IML, observaram-se
várias marcas de mordida nas pernas e a ausência da mão direita. A guia de
remoção de cadáveres apontava que o cadáver haveria sido atacado por
jacarés. Em face dessa situação hipotética, julgue os itens a seguir.
14) CESPE/Odonto-Legista/PCRR/2003 Caso fosse apresentada para
confronto apenas uma radiografia periapical da região dos dentes 26, 27 e 28,
sem nenhum tratamento odontológico restaurador, é possível que a
identificação do cadáver pudesse ser feita.

15) CESPE/Odonto-Legista/PCRR/2003 Considere que o cadáver apresente


uma restauração de amálgama de prata no dente 16 e uma prótese unitária
metalocerâmica no dente 45. Considere, ainda, que essas variáveis sejam
independentes, que a estatística da ocorrência de amálgama de prata no dente
16 é de 20% e que 10% das pessoas possuem coroa metalocerâmica no dente
45. Nessas condições, é correto concluir que a probabilidade de uma
identificação positiva é inferior a 95%.

16) CESPE - 2008 - STF - Analista Judiciário - Odontologia As anomalias


dentárias de número, forma e estrutura são usadas como critérios de
identificação no reconhecimento de indivíduos.

17) CESPE/Odonto-Legista/PCRR/2003 Os incisivos superiores são os


dentes que apresentam maior dimorfismo sexual, mas sua forma,
isoladamente, não permite a identificação do sexo.

18) UNIVERSA/Perito Criminal/Prova 3 Odontologia/PCDF/2012 De acordo


com a análise dentária, pode-se estimar a maior ou menor probabilidade de
um dente ser de uma pessoa do sexo masculino ou do feminino. A esse
respeito, o grupo dentário que apresenta características morfológicas de
maior relevância na distinção entre o sexo masculino e feminino é o de
A) caninos.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 49


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

B) pré-molares.
C) terceiros molares.
D) molares inferiores.
E) incisivos superiores.

19) CESPE/PERITO Odontologia/PF 2004 Existem algumas diferenças


sexuais importantes que podem ser utilizadas para se determinar o sexo dos
indivíduos. O índice de Aitchison mede os diâmetros mesiodistais dos incisivos
centrais e laterais. Essa medida apresenta maiores desproporções no homem
que na mulher. Na tradução numérica dessa medida, os valores são mais
elevados no homem.
20) UNIVERSA/Perito Criminal/Prova 3 Odontologia/PCDF/2012 Após
receberem uma ossada completa, os peritos criminais utilizaram a técnica e
a equação de Gustafson para estimativa de idade humana na época da
morte utilizando os dentes humanos. Essa técnica leva em consideração
as alterações regressivas dentárias (6 critérios). Para tanto, depois de
somados os valores dos 6 parâmetros analisados, os peritos obtiveram um
valor total igual a 9. Nessa situação, qual é a idade estimada mais provável?
A) 34,23 anos
B) 43,35 anos
C) 52,47 anos
D) 61,59 anos
E) 70,71 anos

21) NCE UFRJ/ Perito Legista Odontologia/PCRJ/2001 A técnica de


Gustafson para a estimativa da idade em pessoas adultas baseia-se na
utilização de dentes nos quais são analisados:
A) os estágios de mineralização;
B) a erupção passiva e a erupção ativa;
C) desgaste da superfície de oclusão; periodontose; desenvolvimento de
dentina secundária no interior da cavidade pulpar; deposição de cemento na
raiz; transparência do ápice da raiz;
D) a erupção passiva e os movimentos migratórios;
E) a erupção ativa e os movimentos migratórios.

22) CESPE/Odonto-Legista/PCRR/2003 O exame radiográfico de um jovem


com aparência de dezoito anos de idade determina se este será enquadrado
no Código Penal ou no Estatuto da Criança e do Adolescente.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 50


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

23) No processo de identificação de um cadáver pela arcada dentária, a


superposição computadorizada (comparação da radiografia feita pelo dentista
com a dos dentes do cadáver para a aferição de semelhanças no formato dos
dentes), constitui-se um importante recurso. Inexistindo quaisquer dados sobre
a identidade do morto, a única informação que se pode ter através da arcada
dentária é uma estimativa da sua idade. O uso desse recurso é confiável para:
A) adultos jovens
B) crianças
C) pessoas até 16 anos
D) pessoas idosas
E) qualquer idade

A estimativa da idade pode ser realizada utilizando-se dados gerais:


estatura, peso, desenvolvimento ósseo e dentário. A estimativa da idade pelo
exame dos dentes fornecerá uma idade mais próxima da idade cronológica,
quanto mais jovem for o examinando. Cada um dos itens a seguir apresenta
uma situação hipotética acerca desse assunto, seguida de uma assertiva a ser
julgada.
24) CESPE/PERITO Odontologia/PF 2004 No exame macroscópico da
mandíbula de uma criança durante necropsia, observou-se que os dentes
ocupavam a maior parte do corpo da mandíbula, o primeiro incisivo decíduo
estava irrompido e a coroa do primeiro molar permanente estava em formação,
característica dos difiodontes. Nessa situação, os dados são tecnicamente
compatíveis com criança de cerca de seis meses de idade.

25) UNIVERSA/Perito Criminal/Prova 3 Odontologia/PCDF/2012 O exame


radiográfico é um procedimento de rotina na odontologia que permite
diversas análises na área da antropologia forense e odontologia legal.
Nesse contexto, existe uma tabela, elaborada por Nicodemo, Moraes e Médici
Filho, muito utilizada para estimativa de idade com base na cronologia de
mineralização dos dentes permanentes nos brasileiros. De acordo com tal
tabela, um indivíduo que, como exame radiográfico, exibe o terceiro molar
inferior com 2/3 da raiz mineralizada possui idade estimada, em meses,
mais provável, compreendida no intervalo entre
A) 162 e 198.
B) 180 e 204.
C) 192 e 234.
D) 216 e 246.
E) 234 e 252.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 51


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

26) CESPE/PERITO Odontologia/PF 2004 No exame macroscópico da


mandíbula de uma criança durante a necropsia, observou-se que o primeiro
prémolar iniciou o processo de irrompimento, provocando a reabsorção das
raízes do primeiro molar decíduo, o segundo pré-molar estava situado entre as
raízes do segundo molar decíduo, o primeiro molar permanente era funcional e
a ponta de cúspide do segundo molar permanente, em movimento de erupção,
havia perfurado a mucosa bucal. Nessa situação, o exame deve indicar que a
criança tem pelo menos 10 anos de idade.

27) CESPE/PERITO Odontologia/PF 2004 Dentes foram corados em


hematoxilina-eosina, visando adequá-los para exame ao microscópio, com o
objetivo de se determinar a idade do cadáver. Nessa situação, é provável que
sejam observadas as seguintes características: atrição, estrias de Retzius,
dentina secundária e aposição de cemento.

28) CESPE/Odonto-Legista/PCRR/2003 Geralmente, a mineralização dentária


dos incisivos se completa primeiro no arco superior que no inferior.

29) CESPE/Perito Odonto-Legal/PC/PB 2009 A figura acima ilustra a


mineralização dentária permanente de determinado periciando, cuja idade
aproximada é
A) 4 anos.
B) 6 anos.
C) 10 anos.
D) 14 anos.
E) 16 anos.

30) UNIVERSA/Perito Criminal/Prova 3 Odontologia/PCDF/2012 Com


relação à estimativa de idade humana a partir dos elementos dentários e
do crânio, assinale a alternativa correta.
A) Quanto mais jovem é o indivíduo, maior é a deposição e aposição de
cemento na porção radicular no terço médio e apical.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 52


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

B) Após os 50 anos de idade, o índice de precisão na estimativa de


idade em indivíduos vivos, a partir da análise dentária, aumenta de forma
exponencial de acordo com seu envelhecimento.
C) A tabela cronológica de mineralização dos dentes permanentes no
Brasil, elaborada por Nicodemo, Moraes e Médici Filho, classifica os
dentes em seis estágios de mineralização a partir de exames
radiográficos.
D) O ângulo mandibular (gônio) sofre alterações relacionadas à
reabsorção dos alvéolos dentários a partir de certo momento na idade
adulta, tornando-se paulatinamente mais obtuso.
E) No ser humano adulto, o estudo das características estruturais
dentárias tem grande utilidade na determinação da idade, sendo
observados mudanças de cor e contornos menos definidos. Todavia, a
abrasão e a atrição não são consideradas na estimativa de idade.

31) FGV/Perito Legista Odontologia/PCRJ 2011 Com base na fórmula de


Carrea, assinale a alternativa que corresponde aos elementos dentários que
são utilizados para se estimar a altura de um indivíduo:
A) 11, 12, 13.
B) 21, 22, 23.
C) 14, 15, 16.
D) 45, 46, 47.
E) 31, 32, 33.

32) UNIFAP/Perito Odontologia/2004 Com relação à Pesquisa


Antropométrica, o índice de Carrea:
A) Estima a estatura humana a partir dos dentes.
B) Determina o sexo através de mensurações do crânio.
C) Estima a estatura humana através dos ossos longos.
D) Determina o sexo pela análise quantitativa da mandíbula.
E)Determina a cor a qual, provavelmente, pertence o indivíduo.

33) UECE/Perito Odontologia/ PCCE 2003 A ciência que estuda a


constituição dos seres humanos e os classifica segundo seus diferentes
aspectos morfológicos, funcionais e psíquicos é a:
A) Bionomia
B) Biogenia
C) Biotaxia
D) Biotipologia

34) UNIVERSA/Perito Criminal/Prova 3 Odontologia/PCDF/2012 A


biotipologia é a ciência que estuda o homem sob o ponto de vista

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 53


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

A) morfológico e funcional, apenas.


B) morfológico, apenas.
C) morfológico, funcional e psíquico.
D) morfológico e psíquico, apenas.
E) dos tipos de deformações dos crânios, desde as mais discretas até as
grandes deformidades.

35) CESPE/Perito Odonto-Legal/PC/PB 2009 Acerca das possibilidade


periciais propiciadas pelo exame dos pelos, assinale a opção correta.
A) Os cabelos lissótricos são característicos do grupo étnico caucasóide.
B) Os cabelos ulótricos são característicos do grupo étnico mongolóide.
C) A forma da secção transversal dos pelos varia conforme o grupo étnico.
D) A presença de um pelo crestado indica que houve a ação de um álcalis ou
ácido.
E) Os pelos dos indivíduos do grupo étnico caucasóide são, em geral, de
menor diâmetro que os dos negróides.

36) CESPE/Odonto-Legista/PCRR/2003 A forma do palato triangular é típica


de indivíduos do grupo étnico negróide.

37) FGV/Perito Legista Odontologia/PCRJ 2011 Algumas características


raciais encontram-se presentes especialmente nos molares, através dos quais
pode-se diferenciar as raças ortognatas, prognatas e primitivas. Assinale a
alternativa que apresenta, respectivamente, exemplos de indivíduos de raça
ortognata, prognata e primitiva:
A) caucasianos, aborígenes e negros.
B) aborígenes, negros e faiodermas.
C) caucasianos, faiodermas e melanodermas.
D) melanodermas, faiodermas e melanodermas.
E) caucasianos, negros e aborígenes.

38) CESPE/Perito Odonto-Legal/PC/PB 2009 Com relação à biotipologia,


assinale a opção correta.
A) Um indivíduo euriprosopo apresenta uma face com predomínio da dimensão
vertical, isto é, uma face alongada verticalmente.
B) Um indivíduo leptoprosopo apresenta uma face com predomínio da
dimensão transversal, isto é, uma face alargada horizontalmente.
C) É característica da etnia caucasóide ser mesoprosópico.
D) É característica da etnia negróide ser leptoprosópico.
E) É característica da etnia mongolóide ser euriprosópico.

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 54


CURSO ON-LINE – ODONTOLOGIA LEGAL TEORIA E EXERCÍCIOS –
POLÍCIA FEDERAL
PROFESSOR GERALDO MIRANDA

39) UNIVERSA/Perito Criminal/Prova 3 Odontologia/PCDF/2012 O índice


dentário de Flower é utilizado para se estabelecerem diferenças entre
grupos humanos e é calculado pela seguinte fórmula:
(Comprimento em reta entre a borda mesial do 1.º pré-molar e a borda distal
do 3.º molar) × 100 / Distância basionásio
Com base nessas informações, assinale a alternativa correta.
A) Índice dentário menor que 41,9 corresponde ao grupo étnico australoide.
B) Índice dentário maior que 44,0 corresponde ao grupo étnico caucásico.
C) Índice dentário entre 42,0 e 43,9 corresponde ao grupo étnico negroide.
D) Índice dentário entre 42,0 e 43,9 corresponde ao grupo étnico australoide.
E) Índice dentário entre 42,0 e 43,9 corresponde ao grupo étnico caucasóide

40) CESPE/PERITO Odontologia/PF 2004 O índice de Flower permite


determinar o tamanho dos dentes de acordo com as dimensões do crânio.
Esse índice considera a distância entre o primeiro pré-molar e o terceiro molar
e a distância násio-básio, com base nas evidências de proporcionalidade
existentes entre as medidas craniofaciais, dentais e do indivíduo como um
todo.

GABARITO

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
E C C D D A C D B E

11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
E NULA B C C C C E E C

21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
C E C C C E E E C D

31 32 33 34 35 36 37 38 39 40
E A D C C E E E C C

Prof. Geraldo Miranda www.pontodosconcursos.com.br 55