Anda di halaman 1dari 12

Rua Dr.

José Peroba, no 251,


STIEP, CEP 41770-235, Salvador - BA
www.unifacs.br

UNIVERSIDADE SALVADOR – UNIFACS


DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA

PROJETO OPERAÇÕES UNITÁRIAS – SISTEMAS TÉRMICOS


PROJETO RESFRIADOR 02

FERNANDO MACHADO ROCHA | 020131202


ELEN CAROLINA BARBOSA MENDESCAROLINA | 031131092

SALVADOR / 2018
Rua Dr. José Peroba, no 251,
STIEP, CEP 41770-235, Salvador - BA
www.unifacs.br

UNIVERSIDADE SALVADOR – UNIFACS


DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA
CURSO DE ENGENHARIA QUÍMICA

PROJETO OPERAÇÕES UNITÁRIAS – SISTEMAS TÉRMICOS


PROJETO RESFRIADOR 02

O projeto apresentado à disciplina de Operações Unitárias -


Sistemas Térmicos do curso de Engenharia Química sob
orientação do professore José Antônio de Carvalho Cunha.

SALVADOR / 2018
Rua Dr. José Peroba, no 251,
STIEP, CEP 41770-235, Salvador - BA
www.unifacs.br

1) Escolha do modelo de propriedades termodinâmicas


justificando:
Modelo termodinâmico do Projeto no Aspen plus V8.8: Peng-Robinson
Rua Dr. José Peroba, no 251,
STIEP, CEP 41770-235, Salvador - BA
www.unifacs.br

O modelo térmico escolhido foi o Peng-Robinson. Tendo em vista que que o fluido de processo a
ser resfriado é um GLP composto por hidrocarbonetos de cadeia curta e baixa polaridade
operando a uma baixa pressão (10 Kgf ⁄cm² aproximadamente 10,197 Bar), tem-se assim
preferência pelos modelos de equação do estado.

Segundo Elliot et al. (1998), a equação de Peng-Robinson é bem-sucedida para correlação de


dados de equilíbrio líquido-vapor em determinadas condições (altas pressões, baixas interações
intermoleculares e moléculas com baixa polaridade). Tendo como grande importância a
introdução do fator acêntrico para a obtenção valores de pressão de vapor mais apurados.

Segundo Chvidchenko (2008) a equação de Peng-Robinson apresenta bom resultado na


descrição de sistemas apolares, porém é limitada para misturas que apresentam maior
polaridade. De acordo com Han et al. (1988) a equação PengRobinson tem uma capacidade
preditiva maior, em relação a outras equações de estado, para misturas contendo hidrogênio e
nitrogênio.

Imagem 01
Rua Dr. José Peroba, no 251,
STIEP, CEP 41770-235, Salvador - BA
www.unifacs.br

2) Balanço de massa e energia:


2.1) Dados de entrada fornecidos por email:

Projeto Resfriador 02
Dados de entrada Unidade IN-GLP IN-AGR
Temperature °C Pt . Orvalho 25
Pressure 10 5
Mass Flow 1400 10000
Composição mássica das correntes de entrada
Componente Fórmula molecular IN-GLP IN-AGR
METANO CH4 0,001 0
ETANO C2H6 0,01 0
PROPENO C3H6-2 0,12 0
PROPANO C3H8 0,15 0
N-BUTANO C4H10-1 0,35 0
1-BUTENO C4H8-1 0,369 0
ÁGUA H2O 0 1,00
Total 1,00 1,00

2.2) Fluxograma do Projeto no Aspen plus V8.8


Consideramos a corrente IN-GLP como a corrente quente do trocador
Rua Dr. José Peroba, no 251,
STIEP, CEP 41770-235, Salvador - BA
www.unifacs.br

2.3 Correntes de entrada no Aspen plus V8.8:

Consideramos a corrente de entrada do GLP 100% vapor pois está vai atingir o ponto de orvalho
no trocador

2.3.1) Dados da corrente quente de entrada do trocador de calor

2.3.2) Dados da corrente fria de entrada do trocador de calor


Rua Dr. José Peroba, no 251,
STIEP, CEP 41770-235, Salvador - BA
www.unifacs.br

2.4) Dados de especificações do trocador de calor no Aspen plus V8.8

Conforme ilustrado na figura abaixo; especificamos o modelo do trocador como shorcut e as


correntes do fluido quente e frio em conta corrente.

O shortcut, fornece informações suficientes para o simulador calcular o balanço global de calor e
material. No entanto, ele não fornece informações suficientes para prever como um trocador
responderá às mudanças nas condições do fluxo de processo ou nas composições do fluxo. ele
não pode indicar o tamanho do trocador, quanto vai custar, quanto espaço de plotagem será
necessário ou qual será o impacto na tubulação ou nas fundações.

Adotamos o cálculo no modo Desing de modo que a corrente quente de saída fosse composta
apenas de fase líquida (Hot stream outlet vapor fraction = 0) com uma temperatura mínima de
aprroach de 1 ºC.
Rua Dr. José Peroba, no 251,
STIEP, CEP 41770-235, Salvador - BA
www.unifacs.br

2.5) Tabela de avalição do balanço de massa e energia

Finamente com os resultados simulamos no Aspen plus V8.8 one do processo térmico.
Preenchemos a tabela do balanço de massa e energia do item 2 em avaliação do resultado.
Vale ressaltar que adicionamos mais informações por meio do properity sets para assim finalizar
a tabela como dados que normalmente não são fornecidos em um relatório padrão no Aspen plus
V8.8 one.

2.5.1) Resultados gerais, vazões e frações mássicas de cada componentes em todas as


correntes:

OUT - IN - OUT -
IN - Fluido
DADOS DE PROCESSO UNIDADE Fluido Fluido Fluido
Quente
Quente Frio Frio
Temperature °C 65,62784 50,30206 25 35,69406
Pressure Kgf⁄(cm2 g) 10 10 5 5
Vapor Frac 1 0 0 0
Mass VFrac 1 0 0 0
Mass Flow TOTAL Kg⁄h 1400 1400 10000 10000
Volume Flow m3 ⁄h 56,76982 2,691515 10,0608 10,16693
Enthalpy Flow Gcal⁄h -0,3519197 -0,4674341 -38,14753 -38,03202
Density Kg⁄m3 24,66099 520,1531 993,957 983,5809
Density TOTAL Kg⁄m3 24,66099 520,1531 993,957 983,5809
Density VAPOR Kg⁄m3 24,66099 0 0 0
Density LIQUID Kg⁄m3 0 520,1531 993,957 983,5809
Mass Flow
Metano Kg⁄h 1,4 1,4 0 0
Etano Kg⁄h 14 14 0 0
Propeno Kg⁄h 168 168 0 0
Propano Kg⁄h 210 210 0 0
Butano Kg⁄h 490 490 0 0
Buteno Kg⁄h 516,6 516,6 0 0
Água Kg⁄h 0 0 1400 1400
Mass Frac
Metano 0,001 0,001 0 0
Etano 0,01 0,01 0 0
Propeno 0,12 0,12 0 0
Propano 0,15 0,15 0 0
Butano 0,35 0,35 0 0
Buteno 0,369 0,369 0 0
Água 0 0 1 1
Rua Dr. José Peroba, no 251,
STIEP, CEP 41770-235, Salvador - BA
www.unifacs.br

2.5.2) Resultados térmicos, peso molecular, vazões e frações moleculares de cada


componente em todas as correntes:

OUT -
IN - Fluido OUT - Fluido IN - Fluido
DADOS DE PROCESSO UNIDADE Fluido
Quente Quente Frio
Frio
Mole Flow
Metano Kmol⁄h 0,0872667 0,0872667 0 0
Etano Kmol⁄h 0,4655859 0,4655859 0 0
Propeno Kmol⁄h 3,992335 3,992335 0 0
Propano Kmol⁄h 4,762281 4,762281 0 0
Butano Kmol⁄h 8,43034 8,43034 0 0
Buteno Kmol⁄h 9,207322 9,207322 0 0
Água Kmol⁄h 0 0 555,0844 555,0844
Mole Frac
Metano 0,00323869 0,00323869 0 0
Etano 0,017279 0,017279 0 0
Propeno 0,1481654 0,1481654 0 0
Propano 0,1767399 0,1767399 0 0
Butano 0,3128706 0,3128706 0 0
Buteno 0,3417064 0,3417064 0 0
Água 0 0 1 1

Entalpia da mistura Kcal⁄Kg -251,3712 -333,8815 -3814,753 -3803,202


Cp da mistura Kcal⁄(Kg K) 0,4712946 0,6484015 1,080412 1,080095
Peso molecular da mistura 51,95744 51,95744 18,01528 18,01528
Rua Dr. José Peroba, no 251,
STIEP, CEP 41770-235, Salvador - BA
www.unifacs.br

2.5.3) Resultados gerais em todas correntes para as fases liquidas e gasosas:

IN - OUT -
IN - Fluido OUT - Fluido
DADOS DE PROCESSO UNIDADE Fluido Fluido
Quente Quente
Frio Frio
*** VAPOR PHASE ***
Mass Flow Kg⁄h 1400 0 0 0
Enthalpy Kcal⁄Kg -251,3712 0 0 0
Cp Kcal⁄(Kg K) 0,4712946 0 0 0
Conductivity W⁄(m K) 0,0208569 0 0 0
Density Kg⁄m3 24,66099 0 0 0
Viscosity cP 0,00958209 0 0 0
Peso molecular da mistura
51,95744 0 0 0
vapor
*** LIQUID PHASE ***
Mass Flow Kg⁄h 0 1400 10000 10000
Enthalpy Kcal⁄Kg 0 -333,8815 -3814,753 -3803,202
Cp Kcal⁄(Kg K) 0 0,6484015 1,080412 1,080095
Conductivity W⁄(m K) 0 0,0958563 0,6062999 0,6205926
Density Kg⁄m3 0 520,1531 993,957 983,5809
Viscosity cP 0 0,0986625 0,9125308 0,7297321
Tensão Superficial N⁄m 0 0,00790117 0,0359456 0,0345933
Peso molecular da mistura
0 51,95744 18,01528 18,01528
líquida
Rua Dr. José Peroba, no 251,
STIEP, CEP 41770-235, Salvador - BA
www.unifacs.br

3) Trocador de calor
Resultados obtidos pelo Aspen plus V8.8 conforme o item 3 em avaliação de resultado:
Rua Dr. José Peroba, no 251,
STIEP, CEP 41770-235, Salvador - BA
www.unifacs.br

3) Bibliografia
[1] ELLIOT J. R.; LIRA C. T. Introductory Chemical Engineering Thermodynamics.
Upper Saddle River: Prentice Hall PTR, New Jersey, 1999.

[2] CHVIDCHENKO, V. Estudo Comparativo do desempenho das Equações de Estado CPA, SRK e PR na
Modelagem de Sistemas de Interesse para a Indústria do Gás Natural. Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.
Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

[3] Ron Beck;Tom Ralston;Shelby Hegy.Incorporate Rigorous Heat Exchanger Models in Simulation.
Pennsylvania, Pittsburgh,2014. American Institute of Chemical Engineers (AIChE)

[4] Aspen Technology, Inc. Aspen Plus User Guide Version 10.2. Massachusetts, Cambridge,2010

4) Imagens
Imagem 01: https://www.slideshare.net/CAChemE/introduction-to-free-and-open-source-
chemical-process-simulators. Acesso em: 25 maio 2018.