Anda di halaman 1dari 17

Sumário

1 INTRODUÇÃO.................................................................................................................................4
2 FISIOPATOLOGIA...........................................................................................................................5
3 ÓRGÃOS ATINGIDOS PELA DOENÇA.......................................................................................6
4 FISIOPATOLOGIA DO SISTEMA CARDIOVASCULAR............................................................7
4.1 O SANGUE................................................................................................................................7
4.1.2 TRANSPORTE DE NUTRIENTES..................................................................................8
4.1.3 TRANSPORTE DE RESÍDUOS METABÓLICOS...................................................8
4.1.4 INTERCÂMBIO DE SUBSTÂNCIAS E MATÉRIAS.....................................................8
4.1.5 TRANSPORTE DE CALOR.........................................................................................8
5 OS VASOS SANGUÍNEOS............................................................................................................9
5.1.AS TRÊS CAMADAS QUE COMPÕEM OS VASOS SANGUÍNEOS..............................9
6 SISTEMA RESPIRATÓRIO..........................................................................................................10
7 SISTEMA DIGESTÓRIO...............................................................................................................12
8 TRANSMISSÃO.............................................................................................................................13
9 TRATAMENTO...............................................................................................................................14
10 PREVENÇÃO...............................................................................................................................15
11 EVOLUÇÃO DA DOENÇA (PROGNÓSTICO)........................................................................16
11.1 COMPLICAÇÕES.................................................................................................................16
12 CICLO DE VIDA DO PARASITA...............................................................................................17
13 CONCLUSÃO...............................................................................................................................18
REFERÊNCIAS.................................................................................................................................19
2

1 INTRODUÇÃO

A ancilostomíase ou ancilostomose, também conhecida como amarelão, é


uma doença parasitária causada por helmintos nematoides. Constituída por duas
espécies que parasitam o homem e resultam na doença: o Necator americanus e o
Ancylostoma duodenale. Nas espécies a única procedência de infecção é o homem,
portanto os outros mamíferos possuem ancilostomídeos de outros gêneros que não
completam o seu progresso no organismo do homem.
A patologia muitas vezes é incomum, todavia a anemia que se agrava em
paciente com infecções intensas especialmente quando há alto grau de déficit
alimentar, torna a doença um distúrbio muito sério em questões médicas e sanitárias
nas regiões endêmicas.
O Necator americanus é encontrado principalmente nas Américas, ilhas do
Pacífico e África tropical, já o Ancylostoma duodenale prevalece nos países do
hemisfério norte. Ancylostoma braziliense e a caninum, conquanto causam uma
doença específica. Os ancilostomídeos apresentam dois sistemas caracterizados da
família, a cápsula bucal e bolsa copuladora onde estão identificadas apenas nas
extremidades posteriores dos machos. O nome Ancylostoma vem do latim que
significa boca com ganchos e o Necator significa matador, assassino.
3

2 FISIOPATOLOGIA

A anemia nutricional apresenta mecanismo fisiopatológico diverso da anemia


ancilostomótica. Na ancilostomose, a anemia decorre essencialmente da espoliação
de ferro, e confunde-se com qualquer outra anemia ferropênica. Esta anemia
depende quase que exclusivamente da carência de ferro ocasionada pelas perdas
sanguíneas, o que não ocorre na anemia nutricional. (MASPE, 1981)

Nesta última, a deficiência proteica pode constituir um dos aspectos


fisiopatológicos dá anemia. Por outro lado, a análise dos dados de eritrocinese
mostra uma grande deficiência no transporte de oxigênio na anemia ancilostomótica,
o que não é observado na anemia do desnutrido proteico-energético. (MASPE,
1981)
Isto ocorre porque, em virtude das más condições socioeconômicas e de
higiene, os desnutridos podem ser também parasitados. Os testes a serem
realizados são:
 Dosagem de proteínas séricas;
 Dosagem do ferro sérico;
 Dosagem da transferrina e da hemoglobina no sangue;
 Determinação do hematócrito;
 Contagem das hemácias no sangue;
 Cálculo do volume corpuscular médio (VCM) e da hemoglobina
corpuscular média (HCM);
 Determinação do volume de sangue perdido nas fezes;
 Determinação da quantidade de hemoglobina perdida nas fezes
e do ferro reabsorvido dessa hemoglobina;
 Determinação da velocidade de decaimento do ferro plasmático
(T 1/2 de 59Fe) e da incorporação do ferro à hemoglobina.

3 ÓRGÃOS ATINGIDOS PELA DOENÇA

As larvas entram no indivíduo perfurando a pele e atingindo a circulação.


4

Pelo sangue, são levadas ao coração e pulmões, até chegar no intestino


delgado, onde se fixam, se alimentam, crescem e se reproduzem.

É neste órgão que os vermes se fixam por meio de estruturas semelhantes a


dentes, que “raspam” o interior do intestino.

O sangue é o alimento dos vermes. Cada Necator americanus suga de 0,03 a


0,06 mL de sangue por dia. Eles podem viver de 4 a 5 anos dentro do hospedeiro e,
nesse período, as fêmeas chegam a colocar 9 mil ovos por dia.

O Ancylostoma duodenale é ainda mais impressionante. O verme adulto suga


de 0,15 a 030 mL de sangue por dia, pode viver de 6 a 8 anos e as fêmeas colocam
entre 20 e 30 mil ovos por dia (CAVALIERE,2008).
5

4 FISIOPATOLOGIA DO SISTEMA CARDIOVASCULAR

O sistema circulatório tem a função de distribuir o sangue para todos os


órgãos e tecidos do corpo humano. Para realizar essa função ele necessita de
uma bomba muscular (o coração) e de vasos sanguíneos (artérias, veias e
capilares).

A circulação sanguínea corresponde a todo o percurso do sistema


circulatório que o sangue realiza no corpo humano, de modo que no percurso
completo, o sangue passa duas vezes pelo coração.

O sistema circulatório ou cardiovascular é composto sangue , coração ,


vasos sanguíneos, artérias , veias e capilares. (SÃO FRANCISCO, 2018)

4.1 O SANGUE

O sangue é um tecido do corpo humano, e como tal possui funções:

 Transporte de Gases

 Transporte de Nutrientes

 Transporte de Resíduos Metabólicos

 Intercâmbio de Substâncias E Matérias

 Transporte de Calor

4.1.1TRANSPORTE DE GASES

O sangue transporta todos os gases do corpo humano, seja ligado à


hemoglobina ou diluído no plasma. Retira gás carbônico dos tecidos, o leva
aos pulmões para serem eliminados e carreia oxigênio dos pulmões para os
tecidos.
6

4.1.2 TRANSPORTE DE NUTRIENTES


No tubo digestivo, após a digestão, os micronutrientes alcançam o
sangue e são levados ao fígado por uma veia muito importante, a veia porta.
No fígado eles são metabolizados e, dali, levado aos tecidos do corpo.

4.1.3 TRANSPORTE DE RESÍDUOS METABÓLICOS


A atividade metabólica das células do corpo origina resíduos que
geralmente são tóxicos, mas apenas alguns órgãos podem eliminá-los para o
meio externo. O transporte dessas substâncias, de onde são formadas até os
órgãos de excreção, é feito pelo sangue.

4.1.4 INTERCÂMBIO DE SUBSTÂNCIAS E MATÉRIAS


Algumas substâncias são produzidas ou armazenadas em uma parte do
corpo e utilizadas em outra parte. Como por exemplo: hormônios, enzimas e
células, as vezes até mesmo microorganismos invasores (vírus e bactérias).

4.1.5 TRANSPORTE DE CALOR


O sangue também participa na homeostase da temperatura. É
responsável pela manutenção da temperatura adequada em todos os órgãos.
Permitindo a dissipação do calor para o meio ou levando calor produzido em
uma determinada região para outra.
Como vimos o sangue possui muitas funções. Mas para que elas
possam ser exercidas o sangue precisa circular. Quem tem a função de fazer o
sangue circular é o coração através de suas contrações, rítmicas e fortes, são
capazes de impulsionar o sangue como uma verdadeira bomba.
As artérias são responsáveis por conduzir sangue do coração para todos
os órgãos, e as veias são as responsáveis por conduzir sangue dos órgãos
para o coração.
Ou seja, todos os vasos que saem com sangue do coração são artérias,
e todos os vasos que levam sangue até o coração são veias. Isso independe
do tipo de sangue que carreguem, seja ele sangue venoso (rico em gás
carbônico) ou arterial (rico em oxigênio).
7

5 OS VASOS SANGUÍNEOS

Todos os vasos sanguíneos a partir de certo calibre, geralmente 5 mm,


apresentam um plano geral comum de construção, apresentado as seguintes
camadas em sua constituição:

Túnica íntima: camada composta por células endoteliais que revestem a


camada interna dos vasos.

Túnica média: camada formada principalmente por fibras musculares


lisas, dispostas circularmente envolvendo todo o vaso. Nas artérias essa
camada é mais desenvolvida e quanto mais calibrosa é a artéria mais
desenvolvida é a túnica média.

Túnica adventícia: formada basicamente por tecido conjuntivo de


revestimento. É responsável pela vascularização da parede dos vasos através
de minúsculos capilares, a vasa vasorum e da inervação através da vasa
nervorum.

5.1.AS TRÊS CAMADAS QUE COMPÕEM OS VASOS SANGUÍNEOS

Para uma melhor compreensão do sistema cardiovascular o dividiremos


didaticamente em estudo do coração e angiologia, (do grego: angio = vaso
sanguíneo; logia = estudo). A angiologia compreende o estudo das artérias,
veias, capilares e vasos linfáticos.

Os capilares são estruturas microscópicas e seu estudo é melhor


realizado pela histologia.

Os vasos linfáticos têm peculiaridades importantes e os estudaremos no


capitulo Sistema Linfático . Neste capitulo estudaremos o coração as
artérias as veias do corpo humano. (SÃO FRANCISCO,2018)
8

6 SISTEMA RESPIRATÓRIO

O sistema respiratório é composto por um par de pulmões e por vários


ductos por onde o ar circula, como as cavidades nasais, boca, faringe, laringe,
traqueia, brônquios e bronquíolos.

Ao inspirarmos o ar, ele entra pelas nossas narinas chegando até


às cavidades nasais. Essas cavidades são revestidas por uma camada de células
que protegem e produzem um muco que escorre continuamente para a garganta,
onde é engolido juntamente com a saliva. Esse muco produzido por essas células
umedece as vias respiratórias, além de funcionar como um filtro, que retém
partículas sólidas e bactérias que se encontram suspensas no ar. Ainda
nas cavidades nasais há células especializadas na percepção de odores.
(MORAES LOUREDO,2018)

Após passar pelas cavidades nasais, o ar chega até à faringe, um canal


comum ao tubo digestório e ao sistema respiratório; e logo depois à laringe, um
ducto protegido por peças cartilaginosas onde encontramos as cordas vocais. Logo
na entrada da laringe encontramos uma estrutura conhecida como epiglote, que
funciona como uma válvula, impedindo que as substâncias que engolimos penetrem
nas vias respiratórias, causando engasgamento.

Logo abaixo da laringe encontramos a traqueia, um tubo com 10 cm de


comprimento com paredes reforçadas por anéis cartilaginosos, cuja função é manter
a traqueia sempre aberta. A traqueia se divide em dois tubos chamados
de brônquios, também protegidos por anéis cartilaginosos. Os brônquios se
ramificam para o interior dos pulmões, tornando-se cada vez mais finos, sendo
chamados então de bronquíolos; e na extremidade de cada bronquíolo
encontramos pequenas bolsas chamadas de alvéolos pulmonares. Traqueia,
brônquios e bronquíolos são revestidos por um epitélio ciliado que é rico em
células produtoras de muco que aderem partículas de poeira e bactérias que se
encontram presentes no ar que respiramos. Todas essas impurezas são varridas
através da movimentação dos cílios para a faringe, onde são engolidas e enviadas
ao tubo digestório, para serem digeridas e eliminadas. (MORAES LOUREDO,2018)
9

Os pulmões são estruturas esponjosas que medem 25 cm de altura e pesam


aproximadamente 700g. Localizados na caixa torácica, os pulmões são revestidos
por uma membrana dupla chamada de pleura.

No interior dos pulmões encontramos cerca de 600 milhões de alvéolos


pulmonares (que são pequenas bolsas com paredes muito finas), envolvidos por
uma rede de capilares. É através dessa rede de capilares que ocorre a
hematose, processo em que o gás oxigênio presente nos alvéolos difunde-se para
os capilares sanguíneos, penetrando nas hemácias.

O ar dos nossos pulmões é renovado continuamente; assim sempre há gás


oxigênio nos capilares sanguíneos que revestem os alvéolos pulmonares. Essa
constante renovação de ar é chamada de ventilação pulmonar e ela depende da
ação dos músculos intercostais, que ligam as costelas entre si; e do diafragma,
uma membrana muito resistente que separa a cavidade torácica da cavidade
abdominal.

Quando inspiramos o ar no processo de inspiração, ocorre a contração da


musculatura do diafragma e dos músculos intercostais, sendo que o diafragma
abaixa e as costelas sobem, aumentando, dessa forma, o volume da caixa torácica e
forçando o ar a entrar nos pulmões. Quando expiramos o ar, no processo de
expiração, a musculatura do diafragma e os músculos intercostais se relaxam,
diminuindo o volume da caixa torácica e forçando o ar a sair dos pulmões.
(MORAES LOUREDO,2018)

7 SISTEMA DIGESTÓRIO
O sistema digestório é constituído pelo tubo digestivo e suas glândulas
anexas, sua função é retirar os nutrientes indispensáveis dos alimentos ingeridos;
para o desenvolvimento e manutenção do organismo. Apresenta as seguintes
10

regiões: boca, faringe, esôfago, estômago, intestino delgado, intestino grosso e


ânus.
 A boca é a abertura pela qual o alimento entra no tubo digestivo, onde
o alimento é preparado para a digestão, por meio da mastigação
proporcionada pelos dentes e a língua.
 A faringe é o canal por onde passa o alimento que se dirige ao
esôfago.
 O esôfago situa-se entre os pulmões, atrás do coração, é o canal que
une a faringe ao estômago, onde o bolo alimentar é empurrado até o
estômago, através de contrações musculares.
 O estômago é um órgão, em formato de bolsa e dividido em três
partes: a cárdia, o corpo (fundo) e o antro. No estômago o alimento é
misturado com o suco gástrico (solução rica em ácido clorídrico e
enzimas (pepsina e renina).
 No intestino delgado a quebra das moléculas alimentares se torna
completa, são absorvidas no sistema digestivo para o circulatório e
enviadas às células.
 As fezes são formadas no intestino grosso, sua mais importante
função é reabsorver água, o que determina a consistência do bolo
fecal. É dividido em quatro partes: ceco, cólon e o reto e mede cerca
de 1,5 m de comprimento.
 O ânus controla a saída das fezes.
 O pâncreas que faz parte das glândulas anexas, possui 15 cm de
comprimento, fabrica enzimas digestivas e secreta os hormônios
insulina e glucagon.
 O fígado é também outra glândula anexa. Armazena glicogênio, ferro,
cobre e vitaminas, produz carboidratos a partir de lipídeos ou
proteínas e sintetiza o colesterol. (DANTAS L. PATRÍCIA,2018)
11

8 TRANSMISSÃO
Os ovos do parasita não são infecciosos, eles liberam larvas no solo que têm a
capacidade de penetrar na pele. As infecções de amarelão são transmitidas
principalmente pela pele em contato com o solo, mas também podem ocorrer pela
ingestão de larva. As pessoas podem ser contaminadas pelo contato direto com solo
contaminado, geralmente ao caminhar descalço, ou ao acidentalmente engolir solo
contaminado. (REDAÇÃO CR,2017)
Os vermes causadores do amarelão têm um ciclo de vida complexo, que
começa e termina no intestino delgado. Fêmeas adultas do verme produzem milhares
de ovos, os quais são excretados nas fezes. As larvas provenientes dos ovos são
pouco visíveis e podem penetrar na pele, geralmente através dos pés descalços.
Uma vez dentro do corpo, as larvas vão até os pulmões e de lá até a boca pelo trato
respiratório. Uma vez na boca, elas são engolidas e eventualmente alcançam o
intestino delgado. Essa jornada leva em trono de uma semana. No intestino delgado
a larva se desenvolve em verme adulto, que gruda na parede do intestino e suga
sangue. (REDAÇÃO CR,2017)
12

9 TRATAMENTO

O tratamento para está doença deve ser feita de duas formas, procurar
eliminar todos os vermes, e recuperar as proteínas e ferros perdidos no decorrer da
infecção, e o mais importante nessas duas formas é preciso ter acompanhamento
médico. (REDAÇÃO CR,2017)

O tratamento geralmente é feito com medicações orais , derivados de


antiparasitária, anti-helmínticos e antianêmicos, durante três dias seguidos; e em
casos de anemia podem ser indicados suplementos de ferro. Os remédios indicados
pelo médico podem ser:

 Albendazol.
 Befênio.
 Mebendazol.
 Pirantel.
 Tiabendazol.

O médico pode solicitar outro exame de fezes 3 semanas após a cura, para
confirmação. Os pacientes que tiveram a ancilostomíase devem repetir o tratamento
com o intervalo de 6 meses durante 2 anos. (REDAÇÃO CR,2017)
13

10 PREVENÇÃO

A principal prevenção contra a ancilostomíase é o saneamento básico,


construções sanitárias adequadas, bem como o tratamento dos infectados. Além de
campanhas de conscientização em massa, pois se o indivíduo é tratado e continua a
viver em locais de risco ele pode novamente contrair a verminose. As prevenções
mais comuns são: (REDAÇÃO CR,2017)

Evitar andar descalço (evitando o contato com o solo).


 Lavar as mãos antes do preparo de alimentos.
 Lavar bem os alimentos.
 Não usar as fezes humanas como adubo.
 Proteger os pés descalços usando calçados.
 Ter bons hábitos de higiene pessoal.
14

11 EVOLUÇÃO DA DOENÇA (PROGNÓSTICO)

A recuperação será completa se o tratamento for iniciado antes do


desenvolvimento de complicações. A infestação é facilmente erradicada com o
tratamento. (FONTES Hélio Augusto Ferreira,2009)

11.1 COMPLICAÇÕES

Das complicações da Ancilostomíase poderão ocorrer:


 Amenorréia (ausência da menstruação).
 Anemia intensa devido à perda de sangue.
 Caquexia (desnutrição grave).
 Hemorragias intestinais.
 Pele de cor amarelada (devido à presença dos vermes no
intestino delgado).
 Pneumonia.
Ainda poderão aparecer lesões na pele (no local que a larva penetrou
aparecem vermelhidão, coceira e irritação). Podem ocorrer três tipos de lesões:
 Cutânea: ocorre na parte superior dos pés, pernas, nádegas e
regiões interdigitais; causando hipersensibilidade no local e edema.
 Pulmonar: semelhante à pneumonia, ocorre tosse e febre; há
presença de focos hemorrágicos, edema e presença de líquido na luz
alveolar.
 Mucosa intestinal e espoliação sanguínea: aparecem
pequenas hemorragias devido aos vermes comerem dilacerarem a mucosa
intestinal e se alimentarem do sangue.

Quando em gestantes, pode ocorrer parto de natimorto e, quando em crianças,


transtornos no crescimento, no desenvolvimento mental e, ainda, diminuição ou
perversão do apetite (podem comer terra). (REDACÃO CR,2017)
15

12 CICLO DE VIDA DO PARASITA

Os pacientes infectados chegam a eliminar milhares de ovos através das fezes


(tornando-se embrionados após 24 horas que foram eliminados), se estes ovos forem
depositados em locais úmidos, quentes e sem a exposição direta à luz solar, eles
conseguirão dar origem a larvas (rabditoide) que irão amadurecer, permanecendo
vivas e se alimentando para poderem infectar outros indivíduos, isto depois de 7 dias
no ambiente. Bastam 5 minutos de contato direto com a pele para que a larva
consiga penetrá-la. (REDACÃO CR,2017)

Ao penetrar a pele, as larvas atingem a circulação e migra até o coração e os


alvéolos pulmonares. Ficam adultas quando chegam ao intestino delgado, mas antes
disso precisam passar pelos brônquios, traqueia, laringe, faringe, esôfago e
estômago. (REDACÃO CR,2017)
Contudo, os dois tipos de ancilostomíase não se reproduzem dentro do
organismo, para isso os ovos precisam ser depositados no ambiente. O do
tipo Ancylostoma duodenale pode viver 1 ano e o Necator americanus cerca de 5
anos de vida. (REDACÃO CR,2017)

http://biomedicinaparatodos.blogspot.com.br/2015/07/parasitologia-humana-ancilostomo_9.html
16

13 CONCLUSÃO

Em conformidade com nosso estudo, concluímos que, a ancilostomíase causa


grandes disfunções à sociedade, pois a doença é transmitida do solo quente à pele
exposta, onde os ovos do parasita e são depositados e transportados nas fezes de
cães e gatos. As larvas chegam aos pulmões e migram para a faringe onde são
deglutidas e atingem o duodeno, transformando-se em adultos e reiniciando o ciclo
de contaminação.

Podemos, então, sugerir alguns propósitos:


 Diminuir a mortandade (em áreas específicas), desde que sejam
dispostos tratamentos e serviços de diagnóstico. O objetivo subsequente
é conter os parasitas dos pacientes.
 A médio e longo prazo requisita uma educação sanitária e ascensão do
nível habitacional e econômico da população.
 E por último a eliminação da ancilostomíase que só é possível através
de um crescimento no nível de vida da população por meio de
investimentos na área de saneamento ambiental sendo propriedades de
países ricos. Por fim, a meta principal é interromper o ciclo parasitário
por dentro de todas as mudanças citadas a cima.
17

REFERÊNCIAS

CAVALIERE Irene. Órgãos Atingidos. 2008. Disponível em< http: n // kW. Invivo .fi
ocru z.br/cgi/c gilua.ex e/sys /start. htm?U serActive Templa te=espan ol&infoid=&s i
d=8> acesso em 27 mar 2018

Dantas L. Patrícia Sistema Digestório,2018. Disponível em < http://mundo educaca


o.bol.uol.com.br/biologia/sistema-digestorio.htm>acesso em 30 mar 2018.

FONTES Hélio Augusto Ferreira. Amarelão ou Ancilostomíase. 2009. Disponível


em < https://www.copacabanarunners.net/amarelao.html > acesso em 27 mar 2018.

MASPES Victório., TAMIGAKI Michiru. Anemia Ancilostomótica: estudo da


fisiopatologia. Rev. Saúde públ., S. Paulo, 15:611-22, 1981.Disponível em <
https://www.Scielosp.org/article/ssm/content/raw/?Resourcessm_path=/media / asse
ts/rsp/v15n6/04.pdf >acesso em 27 mar 2018.

MASCARENHAS Anabela. MAIA Flávio. Ciclo de vida dos Ancilostomídeos. 2017.


Disponível em < https://farmaciasaude.pt/ancilostomiase/ > acesso em 27 mar 2018.

Moraes Louredo Paula. Sistema Respiratório. Disponível em < http://mundoeducaç


ao.bol.uol.com.br/biologia/sistema-respiratorio.htm> acesso em 30 mar 2018.

REDACÃO CR. O que é Ancilostomíase, sintomas, tratamento, prevenção e


mais.2017. Disponível em < https://minutosaudavel.com.br/ancilostomiase/> acesso
em 27 mar 2018.

SÃO FRANCISCO Portal – Corpo Humano – Sistema Circulatório, 2018


Disponível em < https://www.portalsaofrancisco.com.br/corpo-humano/sistema-
circulatorio/> acesso em 27 mar 2018.