Anda di halaman 1dari 4

Teórica 28/08/2013

Esporozoários intestinais
 Famílias
 Eimeriidae (monóxenos)
 Sarcocystidae (heteróxenos): ambos vertebrados

 Reconhecimento por observação dos processos reprodutivos


(evolutivos): esquizogonia e gametogonia.
 Os esporozoários podem realizar mais de um processo esquizogônico
de 1ª geração, 2ª geração... Quanto mais gerações, mais patogênicos.
 Pode acontecer em várias células diferentes do intestino (epitélio,
mucosa, endotélio), define os aspectos sintomatológicos.
 Gênero: Crytosporidium: só acontece em hospedeiros
imunocomprometidos

 Sarcocystidae:
 Esquizogonia: ocorre em suínos
 Gametogonia: hospedeiro definitivo (disseminador, assintomático)

Nos suínos o protozoário ultrapassa as células pelo espaço intersticial, chega


ao endotélio e entra na corrente sanguínea, corpo estranho é fagocitado por
macrófagos, multiplica-se e rompe a célula rapidamente, repetindo isso e
aumentando seu número no sangue, até atingir uma célula alvo (muscular,
hepática...), onde ele se dividirá lentamente, por isso a sintomatologia acontece após
anos.
 Endodiogenia: ocorre nas células de defesa, gera 2 trofozoítas (células
de desenvolvimento rápido). Taquizoítas
 Endopoligenia: Ocorre nas células alvo, gera 2 bradizoítas (células de
desenvolvimento lento). Bradizoítas
Por isso animais com toxoplasmose o seu diagnóstico é feito pela observação
dessas duas formas, bradizoítas em cisto e traquizoítas no interior de células de
defesa em fase de infecção aguda.

Através do leite da porca, podem ser passados taquizoítas, mas o leitão não
se infecta, pois estes não se desenvolvem no porco.
Em equinos, causa encéfalo mielite por protozoários que se infectam por
fezes de gambá que é o hospedeiro definitivo.
Outras espécies desse gênero utilizam o homem, o cão e o suíno como
hospedeiro definitivo e que utilizam os bovinos, caprinos como hospedeiro
intermediário desenvolvimento os sintomas.

 Espécie: Toxoplasma gondii


Utilizam felinos como hospedeiro definitivo e qualquer outra espécie como
hospedeiro intermediário. Porém o gato pode desenvolver o ciclo intermediário de
forma facultativa. Desenvolve-se em casos de carnivoria também (bradizoítas no
consumo da carne) e também na ingestão de ovos (taquizoítas). Nas mulheres
gravidas há má formação do feto.
Na ingestão de leite ao pé da vaca (leite cru), na fase aguda da doença, pode
acontecer a infecção por taquizoítas.
Toxoplasma tem afinidade por tecido muscular e nervoso (principalmente o nervo
óptico) causando cegueira
 Formas evolutivas:
 Taquizoítas
 Bradizoítas
 Merozoítas
 Gametócitos
 Oocisto imaturo

 Ciclo biológico: O ciclo inicia-se pela ingestão de cistos presentes em carne


(por exemplo, de porco, rato ou coelho), pelos felídeos. A parede do cisto é
dissolvida por enzimas do estômago e intestino delgado, o parasita é liberado do
cisto, e penetra nas células da mucosa intestinal do animal e replica-se
assexuadamente dando origem a várias gerações de Toxoplasma através da
reprodução assexuada. Após cinco dias dessa infecção, inicia-se o processo de
reprodução sexuada, em que os merozoítas formados na reprodução assexuada
dão origem aos gametas. Os gametas masculino (microgameta) e feminino
(macrogameta), descendentes do mesmo parasita ou de dois diferentes, fundem-se
dando origem ao ovo ou zigoto, que após segregar a parede cística dá origem
ao oocisto. Este é expulso com as fezes dos animais após nove dias (cada gato
expulsa mais de 500 milhões de oocistos em cada defecação). O gato é o
hospedeiro do Toxoplasma gondii.
Já no exterior, sofre divisão meiótica (esporulação) novamente após alguns dias,
formando-se dois esporocistos cada um com quatro esporozoítas. Uma forma
altamente resistente pode durar cinco anos em condições úmidas. Estes são
ativados em taquizoítas. Os taquizoítas podem infectar e replicar em todas as
células dos mamíferos, exceto nas hemácias. Uma vez ligados a uma célula do
hospedeiro, o parasito penetra na célula e forma um vacúolo dentro do qual se
divide. A replicação dos parasitos continua até que seu número no interior da célula
atinja uma massa crítica que provoca a ruptura da célula, liberando parasitos que
irão infectar outras células adjacentes.

Filo: Apicomplexa
Classe: Conoidasida
Ordem: Eucoccidiorida
Família: Sarcocystidae
Gênero: Toxoplasma
Espécie: T. gondii
Prática 29/08/2013
 Família: Sarcocystidae
 Subfamílias:
 Sarcocystinae
Cistos somente na musculatura com septos contendo bradizoítas
 Gêneros:
 Sarcocystis sp.
o HI:
 Bovinos
 Equinos
 Caprinos
 Suínos
 Ovinos
o HD:
 Humanos
 Caninos
 Felinos
 Frenkelia sp.
Atinge musculatura e tecido nervoso do HI (cistos septados)
o HI:
 Aves
 Roedores
o HD:
Felídeos
 Toxopasmatinae

 Gêneros:
 Toxoplasma
o HI:
 Mamíferos (Felídeos)
 Aves
 Repteis
 Anfibios e peixes
o HD:
 Felídeos
 Neospora
Tem afinidade por sistema nervoso causando paralisia rígida
do membro posterior permanente (esse quadro é observado
em cães que fazem o papel de HI), causa movimento de
pedalagem, convulsão podendo se confundir com outras
patologias.
Causa aborto em vacas, éguas e porcas
o HI:
 Mamíferos (Cão)
 Aves
 Repteis
 Anfibios
o HD:
 Canídeos
 Hammondia
Cistos somente na musculatura esquelética
o HI:
 Ruminantes
 Canídeos
o HD:
 Felídeos
 Besnoitia
o HD
 Felídeos:
o HI:
 Bovinos
 Cystoisosporinae
 Gêneros:
 Cystoisospora
Acontece no endotélio do HI
o HI:
 Roedores
 Aves
o HD:
 Canídeos e Felídeos