Anda di halaman 1dari 15

Disciplina: Documentação para a Engenharia de Segurança do Trabalho

Aluno: Ricardo Dias


Programa de Prevenção de Riscos
Ambientais
P.P.R.A.
2018/2019

Support Contabilidade Ltda – ME

Data de vigência deste programa


de 28/05/2018 a 28/05/2019

Santa Barbara d´ Oeste 28 de maio de 2018


Sumário
INTRODUÇÃO.................................................................................................................................. 03

OBJETIVO........................................................................................................................................ 03
IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA...................................................................................................... 03
ATIVIDADES DA EMPRESA............................................................................................................ 04

CARACTERÍSTICAS DOS AMBIENTES DE TRABALHO.......................................................... 04

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES REALIZADAS NOS SETORES DE TRABALHO.................... 04

QUALIFICAÇÃO DOS RESPONSÁVEIS......................................................................................... 05

DEFINIÇÃO DAS RESPONSABILIDADES...................................................................................... 05

INTEGRAÇÃO COM A CIPA............................................................................................................ 06

DEFINIÇÕES................................................................................................................................... 06

HIGIENE OCUPACIONAL.......................................................................................................... 06

RISCOS AMBIENTAIS............................................................................................................... 07

AGENTES FÍSICOS........................................................................................................................ 07

AGENTES QUÍMICOS.................................................................................................................... 07

AGENTES BIOLÓGICOS................................................................................................................ 08

ASSOCIAÇÃO DE AGENTES......................................................................................................... 08

CLASSIFICAÇÃO DO GRAU DE RISCO........................................................................................ 08

ESTRATÉGIAS E METODOLOGIAS DE AVALIAÇÃO.................................................................. 09

PRIORIZAÇÃO DE AVALIAÇÕES QUANTITATIVAS PARA O PPRA........................................... 10

ESTRUTURA DO PPRA................................................................................................................. 09

DESENVOLVIMENTO DO PPRA................................................................................................... 10

ANTECIPAÇÃO, RECONHECIMENTO E AVALIAÇÃO DOS RISCOS AMBIENTAIS .................. 10


AGENTE FÍSICO – RUIDO........................................................................................................ 11
AGENTE FISICO – CALOR....................................................................................................... 11
AGENTE ERGONÔMICO.......................................................................................................... 12

PLANO DE AÇÃO COM METAS, PRIORIDADES E CRONOGRAMA.......................................... 12

REGISTRO, MANUTENÇÃO E DIVULGAÇÃO DOS DADOSREGISTRO..................................... 13

DIVULGAÇÃO..................................................................................................................................13

EXAME, DISCUSSÃO DO PLANO E CONCLUSÕES FINAIS....................................................... 13

BIBLIOGRAFIA.................................................................................................................................14

DATA DO DOCUMENTO E ASSINATURA DO PROFISSIONAL....................................................14


INTRODUÇÃO

O Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (P.P.R.A.) e uns dos documentos


mais importante no que diz respeito por parte da empresa a zelar pela saúde e
integridade física do trabalhador. Deve ser elaborado e implementado em
atendimento a Lei 6.514 de 22 dezembro de 1977, a Portaria 3.314 de 08 de junho
de 1978 e a Portaria 25 de Dezembro de 1994 do Ministério do Trabalho. Tal
documento visa a preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, através
da antecipação reconhecimento e avaliação e consequente o controle da ocorrência
de riscos ambientais existente ou que venham a existir no ambiente de trabalho,
considerando a proteção do meio ambiente e dos recursos naturais.

OBJETIVO

O Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) tem por objetivos


principais:
• Garantir a salubridade dos locais de trabalho;
• Preservar a saúde e integridade física dos trabalhadores;
• Controlar os riscos ambientais capazes de causar danos à saúde do trabalhador;
• Assegurar aos trabalhadores padrões adequados de saúde e bem-estar
no ambiente de trabalho;
• Proteger o meio ambiente e os recursos naturais.

IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA

Razão Social: Support Contabilitade Ltda - ME .


CNPJ Nº: 10.341.087/0001-14
CNAE:. 69.20-6-01
Atividade Principal: Atividades de Contabilidade.
Grupo: 692
Subclasse:69.20-6-1
Grau de Risco: 01
Endereço Completo: Rua do Chumbo, 773 – Vl Mollon, Santa Barbara d´ Oeste - SP
Telefone: (19) 3407-2495 / 34076688
Horário de Funcionamento da Empresa: De Segunda a Sexta das 7:00 as 17:00
com uma hora e doze minuto para refeição e descanso
Jornada Diária: 8:48 horas

Data do levantamento de campo: 25/05/2018


Responsável pela Inspeção: Ricardo Dias
Nome do Informante da empresa: Jose Francisco Dias
Número de empregados: 13
Empregados Afastados: 0
Empregados Readaptados: 0
ATIVIDADES DA EMPRESA

A empresa, objeto deste P.P.R.A., atua no ramo da prestação de serviços contábeis, onde
desenvolve trabalhos destinados a prover seus clientes demonstrações e análises de
natureza econômica, financeira, física e de produtividade com relação à entidade objeto de
contabilização.

CARACTERÍSTICAS DOS AMBIENTES DE TRABALHO

As características básicas do ambiente de trabalho dos funcionários estão descritas na tabela


abaixo e por evidencias por fotos

CARACTERISTICAS DO AMBIENTE DE TRABALHO


PE TIPO DE TIPO DE
SETOR LOCAL PAREDES PISOS DIVISORIAS
DIREITO ILUMINAÇÃO VENTILAÇÃO
Lâmpadas Janelas e Ar
Recepção Recepção Alvenaria Porcelanato -
fluorescentes condicionado
Lâmpadas Janelas e Ar
Societário Piso 2 Alvenaria Porcelanato
fluorescentes condicionado
Lâmpadas Janelas e Ar
Contábil Piso 2 Alvenaria Porcelanato
fluorescentes condicionado
Lâmpadas Janelas e Ar
DP Térreo Alvenaria Porcelanato
fluorescentes condicionado
Lâmpadas Janelas e Ar
Fiscal Térreo Alvenaria Porcelanato
fluorescentes condicionado
Lâmpadas Janelas e Ar
Juridico Térreo Alvenaria Porcelanato
fluorescentes condicionado
Área de Lâmpadas Janelas e Ar
Térreo Alvenaria Porcelanato
atendimento fluorescentes condicionado
CARACTERÍSTICAS DO AMBIENTE DE TRABALHO

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES REALIZADAS NOS SETORES DE TRABALHO

Conforme Norma Regulamentadora (NR-09), abaixo foi feito o levantamento de cada setor de
trabalho, juntamente atividade exercida no mesmo para que se possa elaborar,
posteriormente, de forma mais efetiva os estudos para reconhecimento, avaliação eliminação
ou controle de riscos ambientais.

Setor
DESC. DO POSTO DE
FUNÇÕES Nº DE
SETOR TRAB. / DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADE
EXISTENTES EMPREGADOS
LOCALIZAÇÃO
Recepção de clientes / pessoas; Atendimento
telefônico; Emissão / Recebimento de
Recepção Térreo - 01 documentos, informar clientes a serem visitados
para retirada de documento, digitalização de
documentos.
Abertura, alteração e encerramento de empresas
/ notificação a clientes de licenças vencidas,
Atendimento Telefônicos; Emissão de certidões
Societário Piso 2 - 01
negativas, elaboração de contrato sociais,
Parcelamento de dívidas ativas, agendamento
para emissão de certificados digitas
Lançamentos fiscais, Conciliação contábil,
Apuração Contábil, Emissão de balancetes,
Entrega de Obrigações Federais, lançamento de
Contábil Piso 2 - 03
pagtos, emissão de protocolos de entrega,
arquivamento de documentos físicos quando
necessários
Elaboração de foma de pagto, Comunicado de
férias, Calculos de recisões trabalhistas,
conferencia de cartão ponto, documentos
DP Térreo - 03
referente a admissão e demissão de funcionários,
entrega de obrigações federeais no que dis
respeito ao setor de departamento pessoal
Lançamento de notas fiscais, apuração de
Fiscal Térreo 04 impostos, conferencia de documentos, entrega de
obrigações fiscais, importação de notas

Descrição das Atividades


QUALIFICAÇÃO DOS RESPONSÁVEIS

No dia 28 de Maio de 2018 em que foi realizado o levantamento das informações em todos os
setores da empresa, nos acompanhou os seguintes colaboradores:

Nome: Jose Francisco Dias


Cargo: Contador

Por parte de nossa equipe, as pessoas responsáveis pela a coleta de dados foram os
seguintes profissionais

Nome: Ricardo Dias


Formação: Eng. Segurança do Trabalho

DEFINIÇÃO DAS RESPONSABILIDADES

DO EMPREGADOR:
“O empregador é o responsável por estabelecer, implementar e assegurar o cumprimento do
P.P.R.A., como atividade permanente da empresa”.

Informar aos trabalhadores sobre os riscos ambientais e meios disponíveis de proteção.

DOS TRABALHADORES:

Os trabalhadores têm como responsabilidade colaborar e participar na implantação e


execução do P.P.R.A.

Seguir as orientações recebidas nos treinamentos oferecidos dentro do P.P.R.A.; e informar


ao seu superior hierárquico direto as ocorrências que, a seu julgamento, possam implicar em
riscos à saúde dos trabalhadores.

DO SERVIÇO ESPECIALIZADO EM SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO – SESMT:

Assessorar as unidades do estabelecimento na efetiva implantação do P.P.R.A. e em todos


os demais assuntos relacionados com a Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do
Trabalho, com a finalidade de promover a saúde e proteger a integridade física dos
funcionários.

Realizar anualmente junto com a administração do estabelecimento e com a CIPA a


reavaliação do P.P.R.A.

INTEGRAÇÃO COM A CIPA

Os empregados terão participação efetiva no programa, através dos seus representantes da


CIPA que estiverem em gestão, dando sugestões e informando a administração sobre
condições que julgarem de risco.

O documento base, suas alterações e complementações deverão ser apresentados e


discutidos na CIPA, quando existente na empresa, de acordo com a NR-5, sendo uma cópia
anexada ao livro de ata dessa comissão.

Para a empresa aqui em estudo não se a necessidade da Comissão Interna de Prevenção


de Acidente, CIPA, conforme anexo II da Norma regulamentadora número 05

DEFINIÇÕES
HIGIENE OCUPACIONAL

É a ciência e arte dedicada à prevenção, reconhecimento, avaliação e controle dos riscos


existentes ou originados nos locais de trabalho, os quais podem prejudicar a saúde e o bem-
estar das pessoas no trabalho, enquanto considera os possíveis impactos sobre o meio
ambiente em geral.

RISCOS AMBIENTAIS

Para efeito da NR – 9, item 9.1.5, que trata do P.P.R.A., são considerados riscos ambientais
os agentes físicos, químicos e biológicos que, em função de sua natureza, concentração ou
intensidade e tempo de exposição, forem capazes de causar dano a saúde do trabalhador.
De acordo com a IN-99/2003, artigo n. 150, são consideradas condições especiais que
prejudicam a saúde ou a integridade física, conforme aprovado pelo Decreto nº 3048, de 06
de maio de 1999, a exposição a agentes nocivos químicos, físicos ou biológicos ou a
exposição à associação desses agentes, em concentração ou intensidade e tempo de
exposição que ultrapasse os limites de tolerância ou que, dependendo do agente, torne a
simples exposição em condição especial prejudicial à saúde.

O núcleo da hipótese de incidência tributária, objeto do direito à aposentadoria especial, é


composto de:

I - nocividade, que no ambiente de trabalho é entendida como situação combinada ou não de


substâncias, energias e demais fatores de riscos reconhecidos, capazes de trazer ou
ocasionar danos à saúde ou à integridade física do trabalhador;

II - permanência, assim entendida como o trabalho não ocasional nem intermitente, durante
quinze, vinte ou vinte cinco anos, no qual a exposição do empregado, do trabalhador avulso
ou do cooperado ao agente nocivo seja indissociável da produção do bem ou da prestação do
serviço, em decorrência da subordinação jurídica a qual se submete.

Para apuração do disposto no inciso I, há que se considerar se o agente nocivo é:

a) apenas qualitativo, sendo a nocividade presumida e independente de mensuração,


constatada pela simples presença do agente no ambiente de trabalho, conforme constante
nos Anexos 06, 13, 13-A e 14 da Norma Regulamentadora nº 15 (NR-15) do Ministério do
Trabalho e Emprego - MTE e no Anexo IV do RPS, para os agentes iodo e níquel;

b) quantitativo, sendo a nocividade considerada pela ultrapassagem dos limites de tolerância


ou doses, dispostos nos Anexos 01, 02, 03, 05, 08, 11 e 12 da NR-15 do MTE, por meio da
mensuração da intensidade ou da concentração, consideradas no tempo efetivo da exposição
no ambiente de trabalho.

O agente constante no Anexo 09 da NR-15 do MTE, poderá ser considerado nocivo, mediante
laudo de inspeção do ambiente de trabalho, baseado em investigação acurada sobre o caso
concreto.

Quanto ao disposto no inciso II, não quebra a permanência o exercício de função de


supervisão, controle ou comando em geral ou outra atividade equivalente, desde que seja
exclusivamente em ambientes de trabalho cuja nocividade tenha sido constatada.

AGENTES FÍSICOS

São as diversas formas de energia a que possam estar expostos os trabalhadores.


Devem ser considerados durante as avaliações, os agentes físicos que se apresentam nas
seguintes formas de energia: Ruído; Vibração; Pressões Anormais; Temperaturas Extremas;
Radiações Ionizantes; Radiação Não Ionizantes; Infra-som e Ultra-som.

AGENTES QUÍMICOS

São substâncias, compostas ou produtos que possam penetrar no organismo pela via
respiratória, ou pela natureza da atividade de exposição possam ter contato através da pele
ou serem absorvidos pelo organismo por ingestão, conforme abaixo: Poeiras; Fumos;
Névoas; Neblina; Gases e Vapores.

Para fins de reconhecimento como atividade especial, em razão da exposição a agentes


químicos, considerado o RPS vigente à época dos períodos laborados, a avaliação deverá
contemplar todas aquelas substâncias existentes no processo produtivo.

AGENTES BIOLÓGICOS

São os seguintes os agentes biológicos, que se apresentam nas formas de micro-organismos


e parasitas infecciosos vivos e suas toxinas, tais como: Bactérias; Fungos; Bacilos; Parasitas;
Protozoários e Vírus, entre outros.

ASSOCIAÇÃO DE AGENTES

O reconhecimento de atividade como especial, em razão de associação de agentes, será


determinado pela exposição aos agentes combinados exclusivamente nas tarefas
especificadas, devendo ser analisado considerando os itens dos Anexos dos Regulamentos
da Previdência Social, vigentes à época dos períodos laborados.

CLASSIFICAÇÃO DO GRAU DE RISCO


Para efeito deste trabalho, adotamos as seguintes definições para os graus de riscos, que
podem ser classificados em cinco níveis conforme a sua categoria:

GRAU
DE CATEGORIA SIGNIFICADO
RISCO
Fatores do ambiente ou elementos materiais que não
0 Insignificante constituem nenhum incômodo e nem risco para a saúde ou
integridade física
Fatores do ambiente ou elementos materiais que constituem
1 Baixo um incômodo sem ser uma fonte de risco para a saúde ou
integridade física.
Fatores do ambiente ou elementos materiais que constituem
2 Moderado um incômodo podendo ser de baixo risco para a saúde ou
integridade física.
Fatores do ambiente ou elementos materiais que constituem
um risco para a saúde e integridade física do trabalhador,
3 Alto ou Sério
cujos valores ou importâncias estão dos limites
regulamentares. notavelmente próximos
Fatores do ambiente ou elementos materiais que constituem
Muito Alto ou
4 um risco para a saúde e integridade física do trabalhador,
Crítico
com uma probabilidade de acidente ou doença, elevada.
ESTRATÉGIAS E METODOLOGIAS DE AVALIAÇÃO
A estratégia e respectiva forma de atuação deverão ser desenvolvidas por meio de
reuniões de planejamento junto com a empresa para confrontação de relatos e dos
dados de avaliações ambientais.

Na metodologia de avaliação dos agentes ambientais, quando necessárias, deverão


ser utilizadas as normas da Fundacentro e da ABNT usadas em Higiene do Trabalho,
relacionadas no final deste documento.

A priorização de avaliações quantitativas para os contaminantes atmosféricos e


agentes físicos do ponto de vista do Programa de Prevenção de Risco Ambientais
podem ser definidas conforme a tabela abaixo, partindo-se sempre do nível do Grau
de Risco identificado para a definição da prioridade das avaliações quantitativas a
serem realizadas.

PRIORIZAÇÃO DE AVALIAÇÕES QUANTITATIVAS PARA O PPRA


GRAU DE
RISCO PRIORIDADE DESCRIÇÃO
GRAU DE
CATEGORIA SIGNIFICADO
RISCO

Não é necessária a realização de avaliações quantitativas das


0a1 Baixa
exposições

A avaliação quantitativa pode ser necessária, porém não é


prioritária. Será prioritária somente se for necessário para verificar
2 Média
a eficácia das medidas de controle e demonstrar que os riscos
estão controlados
Avaliação quantitativa prioritária para estimar as exposições e
3 Alta verificar a necessidade ou não de melhorar ou implantar medidas
de controle

Avaliação quantitativa não é prioritária, não é necessária a


realização de avaliações quantitativas para se demonstrar a
Baixa
exposição excessiva e a necessidade de implantar ou melhorar as
medidas de controle
4

A avaliação quantitativa somente será prioritária para o grau de


Alta risco 4 quando for relevante para planejamento das medidas de
controle a serem adotadas ou para registro da exposição

ESTRUTURA DO PPRA

O P.P.R.A. descrito nesse Documento Base contém os aspectos estruturais do


programa, tais como: O planejamento anual com o estabelecimento das metas a
serem cumpridas e com os prazos para a sua implantação; a estratégia e a
metodologia de ação; a forma de registro; manutenção e divulgação dos dados bem
como a periodicidade e forma de avaliação do seu desenvolvimento.
DESENVOLVIMENTO DO PPRA
O PPRA foi elaborado com base no desenvolvimento das etapas que seguem um
programa de Higiene Ocupacional, que consiste em antecipação, reconhecimento,
avaliação, monitoramento e controle dos riscos ambientais existentes no ambiente de
trabalho.

A amplitude e a complexidade do P.P.R.A., dependerá da identificação dos riscos


ambientais encontrados na fase da antecipação ou do reconhecimento. Caso não
sejam identificados riscos ambientais, o P.P.R.A. se resumirá a fase de antecipação
dos riscos, registro e divulgação dos dados encontrados.

ANTECIPAÇÃO, RECONHECIMENTO E AVALIAÇÃO DOS RISCOS AMBIENTAIS

Esta etapa envolve a análise de novos projetos, instalações, produtos, métodos ou


processos de trabalho ou de modificação das já existentes.

Até o momento da elaboração deste documento, não há novos projetos a serem


implementados no escritório no que diz respeito a necessidade de se alterar tal
documento, e sim projetos para melhorar seus sistemas operacionais de trabalhos
(Software)

RECONHECIMENTO

Esta etapa envolve a identificação qualitativa e a explicitação, dos riscos existentes


nos ambientes de trabalho. As informações necessárias nesta etapa são:

A determinação e localização das possíveis fontes geradoras, trajetórias e meios de


propagação, caracterização das atividades e do tipo de exposição, identificação das
funções e determinação do número de trabalhadores expostos ao risco.

A obtenção de dados existentes na empresa, indicativos de possível


comprometimento da saúde decorrentes do trabalho, possíveis danos à saúde
relacionados aos riscos identificados disponíveis na literatura técnica.

A descrição das medidas de controle já existentes na empresa e das possíveis


alterações para aumentar a sua eficiência na redução ou eliminação dos riscos
ambientais e informações obtidas nos seguintes documentos:

- Mapas de Riscos Ambientais.


- Levantamentos de Riscos nos Postos de Trabalho.
- Análise Preliminar de Riscos – APR.

Para o caso de nossa empresa em estudo podemos reconhecer os problemas


ergonômicos que podem vir a surgir caso a empresa não deixe o ambiente de
trabalho de acordo com as exigências da norma regulamentadora 17.

Como todos os riscos riscos não são existentes iremos seguir o item 9.3.2 e 9.3.3, o
PPRA poderá resumir-se às etapas previstas nas alíneas “a” (antecipação e
reconhecimento dos riscos) e “f” (registro e divulgação dos dados) do sub-item 9.3.1.
Informar a concentração, intensidade e tempo de exposição conforme o caso aos
agentes nocivos.

Antecipação dos Riscos ambientais

Agente Físico Ruído

Para fim deste trabalho colocamos uma planilha para demostrar a analise do agente
físico ruído, porem o mesmo não se faz necessário, segundo sua classificação e suas
atividades, como nos mostra seus dados:

Causa / Fonte Tipo de Nº Trab. Avaliação Medidas de Controle


Setor
Geradora Exposição Exposto Quantitativa Existente
Telefone e
Recepção equipamentos X 01 X X
de escritório
Telefone e
Societário equipamentos X 01 X X
de escritório
Telefone e
Contábil equipamentos X 03 X X
de escritório
Telefone e
DP equipamentos X 03 X X
de escritório
Telefone e
Fiscal equipamentos X 04 X X
de escritório
Telefone e
Juridico equipamentos X 01 X X
de escritório

Nível de Ruído Tipo de Ruído Medidas


Tempo Limite de de
Setor Local Continuo /
dB(A) de Impacto tolerância Controle
Intermitente
Exposição Existente
Recepção Térreo Não se aplica - - - - -
Societário Piso 2 Não se aplica - - - - -
Contábil Piso 2 Não se aplica - - - - -
DP Térreo Não se aplica - - - - -
Fiscal Térreo Não se aplica - - - - -
Juridico Térreo Não se aplica - - - - -

Agente Físico Calor

As avaliações de calor devem ser realizadas seguindo os procedimentos descritos na


Norma de Higiene Ocupacional - NHO 06 para avaliação da exposição ocupacional ao
calor da Fundacentro e os parâmetros estabelecidos pelo Anexo 3, limites de
tolerância para exposição ao calor, da Norma Regulamentadora 15 do MTE.

Na empresa em estudo não a fontes geradoras de calor, e as mesma procuram ficar


dentro da norma regulamentadora 17, item 17.5.2. item b.

Causa / Fonte Tipo de Nº Trab. Avaliação Medidas de Controle


Geradora Exposição Exposto Quantitativa Existente
Recepção X X X X
Societário X X X X
Contábil X X X X
DP X X X X
Fiscal X X X X
Juridico X X X X
Recepção x X X X

Em se tratando de agentes químicos, deverá ser informado o nome da substância


ativa, não sendo aceitas citações de nomes comerciais, devendo ser anexada a
respectiva ficha toxicológica.

Agente Ergonômicos

No eu diz respeito aos aspectos ergonômicos, verificamos que o mesmo se enquadra


dentro da norma regulamentadora 17. Seus colaboradores não manipulam cargas
pesadas, carregando, quando necessários resma de papel e materiais administrativos
em pequenas quantidades.

Conforto
Setor Mobiliário Cadeiras Iluminação Atende NR 17
Térmico
Recepção No que diz Todo o prédio
Todo o prédio e
Societário respeito a altura e Possuem encosto recebe Todos os
refrigerado por
Contábil dimensionamento para região lombar, iluminação ambientes
meio de
dos seu nivelamento de natural e estão de
DP ventilação
mobiliário, os altura, estofados, iluminação acordo com a
Fiscal natural ou por ar
mesmos estão encosto para elétrica em NR 17
Juridico condicionado
respeitando NR descanso de braços lâmpadas frias
Recepção 17

ESTABELECIMENTO DE PLANO DE AÇÃO COM METAS, PRIORIDADES E


CRONOGRAMA.

Deverá ser parte integrante do PPRA um plano de ação contemplando atividades,


metas e prioridades a serem implementadas de forma a eliminar, minimizar ou
controlar os riscos ambientais.

O Plano deverá incluir todas as atividades identificadas nas fases de reconhecimento,


avaliação ou definidas como medidas de controle. Os responsáveis e prazos de cada
atividade deverão ser condensados com o responsável da instalação. Devem ser
relacionadas em cronograma conforme modelo abaixo, as metas estabelecidas bem
como o planejamento para o cumprimento destas metas. O objetivo destas
recomendações é a minimização ou a eliminação da exposição dos trabalhadores aos
riscos ambientais.

Atividades /
Programação para os
Item Medidas de Setor Responsável
meses (Prazo)
controle
1 X X X X
2 X X X X
3 X x X X

REGISTRO, MANUTENÇÃO E DIVULGAÇÃO DOS DADOS

REGISTRO

O Documento–Base do PPRA deverá ser mantido arquivado no estabelecimento por


um período mínimo de 20 anos, bem como aqueles inerentes ao tema, tais como os
Laudos Técnicos de Avaliação de Riscos Ambientais, etc.

O Documento-Base deve ser apresentado à CIPA – Comissão Interna de Prevenção


de Acidentes durante uma de suas reuniões, devendo sua cópia ser anexada ao livro
de atas desta comissão.

O registro de dados deverá estar sempre disponível aos trabalhadores interessados


ou seus representantes e para as autoridades competentes.

DIVULGAÇÃO
A divulgação dos dados pode ser feita de diversas maneiras dependendo do porte do
estabelecimento, as mais comuns são:

- Treinamentos específicos;
- Reuniões setoriais;
- Via terminal de vídeo para consulta dos usuários;
- Reuniões de CIPA e SIPAT;
- Boletins e jornais internos;
- Programa de integração de novos empregados;
- Palestras avulsas.

EXAME, DISCUSSÃO DO PLANO E CONCLUSÕES FINAIS


O principal objetivo deste trabalho foi fornecer dados sobre a exposição ocupacional a
que estão sujeitos os trabalhadores, servindo ainda como forma de auditoria anual ao
Programa de Prevenção de Riscos Ambientais.

A responsabilidade técnica do presente documento que foi confeccionado pelos


profissionais abaixo assinados restringe-se exclusivamente as avaliações e
recomendações realizadas pelo mesmo, ficando sob inteira responsabilidade da
Empresa a implantação e acompanhamento das medidas de correção.
CONCLUSÕES:

O local onde foi realizado o levantamento de campo esta em condições de trabalho


para a atividade especificada, e cumpre os requisitos das normas regulamentadora,
04, 07, 09, 15 e 17.

Lembrando que o prédio e uma construção nova e seus proprietários ficam atentos a
posição ergonômica de seus colaboradores

BIBLIOGRAFIA

http://trabalho.gov.br/images/Documentos/SST/NR/NR4.pdf
http://www.trabalho.gov.br/images/Documentos/SST/NR/NR09/NR-09-2016.pdf
http://trabalho.gov.br/images/Documentos/SST/NR/NR5.pdf
http://trabalho.gov.br/images/Documentos/SST/NR/NR17.pdf
Apostila Documentação para Engenharia de Segurança do Trabalho

DATA DO DOCUMENTO E ASSINATURA DO PROFISSIONAL

Ficar a empresa a partir desta data a implementar o P.P.R.A. e a elaboração do


cronograma de execução de serviços das medidas de controle recomendadas,
ficando encarregado de proporcionar todo suporte necessário para o desenvolvimento
e cumprimento do mesmo.

Santa Barbara d´ Oeste, 28 de maio de 2018

____________________
Jose Francisco Dias
Contador

Responsável técnico peça elaboração do PPRA:

______________________
Ricardo Dias
Eng. Mecânico
Eng. Segurança do Trabalho
CREA-SP 5063902413/D