Anda di halaman 1dari 7

O SISTEMA INTERNACIONAL DE UNIDADES

1. Unidades Básicas

Com o objetivo de facilitar o intercâmbio científico, em 1960, foi adotado o Sistema Internacional de
Unidades (SI), que tem a finalidade de padronizar as unidades utilizadas nas medidas das diversas grandezas.
O SI foi construído a partir de nove unidades básicas, das quais derivam várias outras.

Grandeza Unidade Símbolo


Comprimento Metro m
Massa quilograma Kg
Tempo Segundo s
Corrente Ampère A
Temperatura Kelvin K
Quantidade de substância Mol mol
Intensidade luminosa Candela cd
Ângulo plano Radiano rad
Ângulo sólido steradiano Sr

2. Múltiplos e Submúltiplos
Múltiplos e submúltiplos decimais das unidades do SI devem ser usados, sempre que possível.

Prefixo Símbolo Fator de multiplicação


Tera T 1012
Giga G 109
Mega M 106
Quilo K 103
Mili M 10-3
Micro µ 10-6
Nano η 10-9
Pico P 10-12
Femto F 10-15
Atto A 10-18

Obs.: Para a grandeza “corrente”


- Para valores inferiores utilizamos o miliampère (mA).
- Para valores superiores utilizamos o kiloampère (kA).
GRANDEZAS ELÉTRICAS
1. Carga Elétrica
No estado natural da matéria, o número de elétrons é igual ao número de prótons, dizendo-se, então,
que o átomo é eletricamente neutro.

A CARGA ELÉTRICA é uma propriedade associada às partículas elementares prótons e elétrons, a


qual exprime a capacidade de uma delas interagir com outras cargas elétricas.
Arbitrariamente, chamou-se a carga do elétron de negativa e, consequentemente, a do próton de
positiva.
• Uma propriedade fundamental da carga elétrica diz que “cargas de mesmos sinais repelem-se e de sinais
contrários atraem-se”.
• Outra propriedade, chamada Princípio da Conservação das Cargas Elétricas assegura que “num sistema
eletricamente isolado, a soma algébrica das cargas elétricas positivas e negativas é constante”.
Carga Elementar (e) corresponde à carga do elétron que, em valor absoluto, é igual à carga do próton.

e = 1,6 x10 −19 colombs(C )

• Eletrização
Como certos átomos são capazes de ceder elétrons e outros de receber elétrons, é possível produzir
uma transferência de elétrons de um corpo para outro. Quando isto ocorre, o corpo com falta de elétrons terá
uma polaridade elétrica positiva enquanto o outro, com excesso de elétrons, terá polaridade elétrica negativa.
• Carga total de um corpo (Q)
Q = n*e, onde “n” é a diferença entre o nº de elétrons e o nº de prótons (ou corresponde à quantidade
de elétrons em excesso ou em falta no corpo).
Exemplo: Qual a quantidade de elétrons cedidos por um corpo que apresenta carga de 1C?
Resposta: n = 6,25 x 1018 elétrons.
*Condutores e Isolantes
Condutores – Têm baixa resistência, portanto, conduzem facilmente a eletricidade. Estes materiais possuem
cerca de 1023 elétrons livres por cm3, à temperatura ambiente. Os melhores condutores são os metais.
Isolantes – Têm alta resistência, portanto, conduzem a eletricidade com muita dificuldade. Como exemplos
podemos citar a borracha, a madeira, o papel, o ar seco, o PVC e a porcelana. Os três últimos possuem cerca
de 106 elétrons livres por cm cúbico, à temperatura ambiente.
Semicondutores – Carbono, Silício e Germânio possuem cerca de 1012 elétrons livres por cm3.

Obs: Rigidez dielétrica - Tensão por unidade de espessura na qual um fluxo substancial de corrente começa
a circular em um isolante, ocorrendo a ruptura do mesmo (ponto de ruptura).

Material Rigidez (V/mm)


Ar 3000
Baquelite 21000
Vidro 35000
Mica 60000
Óleo 10000
Papel 20000
Borracha 25000
Teflon 60000

2. Corrente Elétrica
Corrente elétrica é um movimento ordenado de cargas elétricas no interior de um condutor.
Corresponde ao fluxo dos elétrons livres no sentido contrário ao do campo elétrico, ou seja, do potencial
menor para o maior.
Em um centímetro cúbico de cobre, existem aproximadamente 1024 átomos. Se apenas um de cada cem
átomos liberar um elétron, neste centímetro cúbico existirão 1022 elétrons livres movimentando-se pelo
cobre.
O efeito de uma corrente é quase instantâneo. Num fio a corrente se movimenta à velocidade da luz
(3x108m/s). Individualmente, o elétron se desloca muito mais lentamente que o efeito da corrente (poucos
metros por minuto no condutor).

Intensidade de corrente elétrica (i)


A intensidade da corrente elétrica i é a quantidade de cargas elétricas (∆Q) que atravessa a seção
transversal de um condutor num intervalo de tempo ∆t.
∆Q
i=
∆t
Unidade de corrente elétrica no SI: i→C/s = ampère (A)

Obs: Os submúltiplos mA e µA são bastante usuais.

Nos primórdios, achava-se que a corrente elétrica era devido a um “fluido positivo”. Como herança
deste equívoco histórico, temos:
*Sentido convencional da corrente elétrica:
A corrente elétrica convencional tem o sentido oposto ao do deslocamento dos elétrons livres, ou seja, vai do
potencial maior para o menor.

Corrente Contínua e Corrente Alternada


• A Corrente Contínua caracteriza-se pelo fato de ter valor constante e fluir sempre num único sentido.
• A Corrente Alternada caracteriza-se por ter valores não constantes e cuja polaridade inverte-se
periodicamente, dessa forma flui ora num sentido, ora no sentido inverso.
Exercícios.
1. A seção transversal de um condutor é atravessada por uma carga de 0,5C em 2s. Qual a intensidade da
corrente elétrica neste condutor?
2. quantos elétrons percorreram um condutor quando uma corrente de 0,01 ampères circulou por ele
durante 2 segundos?
3. Num condutor, tem-se uma corrente elétrica de 50mA. Qual a carga elétrica e quantos elétrons passam
por sua seção transversal a cada 3ms?
4. Sabendo-se que num condutor passam 22 x 1017 elétrons por minuto, qual o valor da corrente
correspondente?
3. Diferença de potencial (ddp)
A diferença de potencial é a pressão elétrica que causa a circulação da corrente. Corresponde à forca
que coloca as cargas em movimento.
São sinônimos de diferença de potencial: tensão, força eletromotriz (fem) e voltagem.
Unidade de tensão no SI: volt (V).
Fontes de tensão: são dispositivos que convertem alguma outra forma de energia em energia
elétrica.
Exemplos:
Fonte Química: pilhas e baterias
Fonte Mecânica: gerador, alternador
Fonte Térmica: termo acoplador
Fonte Fotoelétrica: célula solar, fotocélula
Fonte Piezoelétrica: cristal
5. Resistência Elétrica
A resistência elétrica é a medida da oposição que os átomos de um material oferecem à passagem da
corrente elétrica. Ela depende da natureza do material, de suas dimensões e da sua temperatura.
Unidade de resistência no SI: ohm (Ω)
Todos os materiais oferecem alguma resistência à corrente. Deste modo, existe extrema variação no
valor das resistências oferecidas pelos vários materiais (variação na disponibilidade de elétrons livres –
portadores de corrente).
Desconsiderando a temperatura, a resistência de um material pode ser obtida pela equação (2ª Lei de
Ohm)
pl
R=
A
Onde:
ρ = resistividade (ou resistência específica) do material
l = comprimento do condutor
A = área da seção transversal do condutor.
Obs: Valores de resistividade de alguns materiais condutores, a 20°C, em Ω.m:
Material Resistividade
Prata 1,64 * 10-8
Cobre 1,72 * 10-8
Ouro 2,45 * 10-8
Alumínio 2,83 * 10-8
Tungstênio 5,52 * 10-8
Zinco 6,23 * 10-8
Latão 7,00 * 10-8
Platina 10,00 * 10-8
Estanho 11,50 * 10-8
Ferro 12,00 * 10-8
Chumbo 22,10 * 10-8
Obs:
• Resistência linear: Aquela cuja relação tensãoXcorrente é uma linha reta.
• Resistência não-linear: Seu valor ôhmico não permanece constante, dependendo de fatores como a
temperatura, por exemplo.

Exercícios:
1. Um barramento de cobre possui dimensões 1cm x 2cm e 2m de comprimento. Qual a resistência entre as
extremidades do barramento? (Resp: R= 2,58 x 10-4Ω).
2. Calcular o comprimento de um fio de níquel-cromo de 2mm de diâmetro, cuja resistência elétrica é
100Ω. Dado: resistividade do níquel-cromo = 11 x 10-7Ω.m. (Resp: l= 90,9m).
3. Qual a resistência de uma barra de alumínio de 10m, com seção retangular transversal de 2cm x 4mm?

Influência da temperatura na Resistência Elétrica:


Como um material dilata-se ou contrai-se com a temperatura, consequentemente ele muda a energia
cinética dos elétrons livres do material, alterando sua resistividade, conforme a expressão:

ρ = ρo ( 1 + α∆T )

ρ (Ω.m) – resistividade do material à temperatura T


ρo (Ω.m) – resistividade do material à temperatura To
∆T (°C) – variação de temperatura
α (°C-1) – coeficiente de temperatura do material.

Coeficiente de temperatura de alguns materiais:

Material α (°C-1)
Prata 0,0038
Alumínio 0,0039
Platina 0,0039
Cobre 0,0040
Tungstênio 0,0048
Níquel-Cromo 0,00017
Latão 0,0015
Grafite -0,0005
Manganina 5 x 10-6

Obs:
• Nos metais puros, a resistência aumenta com o aumento da temperatura;
• A grafite e algumas ligas metálicas (constantan, niquel-cromo,e manganina) apresentam uma
variação muito pequena de resistência numa determinada faixa de temperatura (coeficientes de
temperatura muito próximos de zero), sendo, por isso, muito utilizadas na fabricação de resistores;
• Nos gases ionizados e na grafite (Carbono), a resistência diminui com o aumento da temperatura.

Informando:
Nicrome – 65%Ni + 12%Cr + 23%Fe
Constantan – 55%Cu + 45%Ni
Latão – 66%Cu + 34%Zn
Manganina – Cu + Mn + Ni

Exemplo 1: Um fio de cobre tem as seguintes dimensões: comprimento = 2m e diâmetro = 0,5mm.


Determinar sua resistência a 20° e a 250°C, considerando-se que, nestas condições, suas dimensões
praticamente não se alteram. (Respostas: 0,173Ω e 0,332Ω).
Exemplo 2: O filamento de tungstênio de um aquecedor tem as dimensões 8m de comprimento e 1mm de
diâmetro. Determine a temperatura do filamento quando o aquecedor estiver ligado, sabendo-se que, nestas
condições, suas dimensões sofrem variações desprezíveis e sua resistência vale 3Ω. (Resp: 1040°C)

• A Primeira Lei de Ohm


“A corrente elétrica ‘i’ que passa por um material é diretamente proporcional à tensão ‘V’ aplicada e
inversamente proporcional à resistência desse material. Esta constante de proporcionalidade chama-se
Resistência elétrica R.”
V
R= V = R *i
i

• Efeito Joule
Efeito Joule é o nome dado ao fenômeno do aquecimento de um material devido à passagem de uma
corrente elétrica, produzindo energia térmica (calor).
No choque com os átomos, os elétrons transferem parte de sua energia cinética para eles que, por sua
vez, passam a vibrar com maior intensidade, fazendo com que haja um aumento na temperatura do material.

6. Potência Elétrica

A potência elétrica corresponde à rapidez com que a tensão realiza trabalho ao deslocar elétrons de
um ponto para outro. Corresponde à rapidez com que a energia é usada ou convertida noutra forma de
energia.
P = R * I2

Unidade de potência no SI: watt (W).

RESISTORES

1. Definição
Resistores são componentes físicos fabricados para apresentar um valor de resistência fixo e bem
determinado. São utilizados para limitar a intensidade de corrente num sistema elétrico.
Alguns tipos de resistores podem operar em temperaturas elevadas como 300°C, sendo fabricados em
amplos valores de resistência.

2. Classificação e símbolos
Os resistores podem ser:
a) Fixos: apresentam um valor definido de resistência elétrica.
Símbolo:

b) Variáveis: apresentam um valor ajustável de resistência elétrica.


Símbolo:

3. Tipos
Resistor de fio – trata-se de um fio condutor de alta resistividade enrolado numa base cilíndrica de
porcelana; eles normalmente são feitos de níquel-cromo ou niquel-cobre, sendo protegidos por uma camada
de silicone ou esmalte, a fim de evitar problemas mecânicos.
Resistor de filme de carbono – Trata-se de uma base de porcelana sobre a qual é depositada uma
camada de carbono (filme). Nesta película são feitos os sulcos, que alteram as suas dimensões, alterando a
sua resistência. Nas extremidades são soldados os dois terminais. Em seguida é depositada uma camada de
material isolante, onde são impressos os anéis coloridos que indicam o valor nominal da resistência.
Resistor de filme metálico – Tem a mesma estrutura do resistor de carbono só que a película é uma liga
metálica de níquel-cromo. Através desta obtêm-se valores mais precisos de resistência, com tolerâncias
menores, da ordem de 1% e 2%.
Potenciômetro – É um resistor variável de três terminais, sendo dois ligados às extremidades da
resistência e um ligado a um cursor móvel, que pode deslocar-se sobre o material resistivo. Uma haste
giratória ou deslizante é acoplada ao cursor, permitindo a variação da resistência manualmente. Os
potenciômetros são geralmente utilizados em circuitos nos quais se deseja variar determinadas grandezas
controladas por corrente ou tensão, como por exemplo, o volume de um rádio, o contraste de uma televisão
ou a temperatura de um forno elétrico.
Trimpot – O trimpot é também um resistor variável, porém difere do potenciômetro no aspecto
construtivo e nas aplicações. Nele, o cursor é acoplado a uma base plana giratória vertical ou horizontal,
dificultando o acesso manual. As aplicações mais comuns dos trimpots são os circuitos em que não se deseja
mudar constantemente suas resistências, como por exemplo, instrumentos que precisam ser calibrados para
funcionarem adequadamente. Uma vez calibrados, não se mexe mais nos trimpots.

4. Código de cores para resistores:


Alguns tipos de resistores de dimensões grandes têm o valor de suas resistências e tolerâncias escritas
diretamente no corpo. Porém, como muitos resistores têm dimensões muito pequenas, seus valores foram
codificados através de anéis coloridos.

Cor 1ºalg. Sign. 2ºalg. Sign. 3ºalg. Sign. Múltiplo Tolerância


Preto - 0 0 x1 -
Marrom 1 1 1 x10 + 1%
Vermelho 2 2 2 x102 + 2%
Laranja 3 3 3 x103 -
Amarelo 4 4 4 x104 -
Verde 5 5 5 x105 -
Azul 6 6 6 x106 -
Violeta 7 7 7 x107 -
Cinza 8 8 8 x108 -
Branco 9 9 9 x109 -
Ouro - - - x10-1 + 5%
Prata - - - x10-2 + 10%
Ausência - - - - + 20%

Na maioria dos resistores, o primeiro anel é o que se encontra mais próximo a uma das extremidades
do componente. Quando isto não estiver visível, o primeiro anel é aquele que não possuir uma das seguintes
cores: preto, ouro e prata.
Outro dado importante a respeito do resistor é a potência que ele pode dissipar sem se danificar,
estando diretamente ligada ao tamanho do resistor, ou seja, quanto menor o tamanho do dispositivo, menor a
sua potência máxima de dissipação. Em muitos resistores de tamanho grande, a potência pode estar escrita
no próprio dispositivo. Comercialmente existem resistores desde 1/8 de watt até centenas de watt.

Exercícios:
Qual o valor dos seguintes resistores abaixo:
a) Vermelho – violeta – amarelo – ouro
b) Marrom – preto – vermelho – laranja – marrom
c) Violeta – marrom – verde – prata – marrom