Anda di halaman 1dari 4

TEM CUIDADO DE TI MESMO E DA DOUTRINA

1 TIMÓTEO 4.16; 2 Timóteo 4.5, 11

INTRODUÇÃO

O que foi dito por Paulo ao pastor Timóteo pode ser dito a todos os
pastores.
O texto mencionado tratar apenas de duas coisas: o cuidado do
ministro com ele mesmo e com a doutrina.

I – A VIDA DE UM PASTOR

1. Paulo esperava de Timóteo recebesse com humildade o seu


ensinamento. Era a palavra de um pastor experimentado para o
jovem pastor; este deveria ouvir a voz e acatar as orientações do seu
discipulador. O que Paulo fez nas duas cartas a Timóteo foi instruí-
lo. Se Timóteo teve juízo, também teve o cuidado de atender todas as
instruções de seu amado e velho pastor.
2. Paulo conhecia bem o seu discípulo, por isso pode dizer: “Tem
cuidado de ti mesmo” (1 Tm 4.16). Hoje, se dissermos isso para
algumas pessoas, elas nos dirão imediatamente: ‘cuide de sua vida!’.
Nem todos querem ouvir o pastor. Mas todo pastor deve estar
tranquilo, porque os tais já não ouvem nem mesmo Deus.
3. Todo pastor precisa ser um bom ouvinte para ter sempre as melhores
respostas. Também precisamos exercitar a capacidade de ouvir
outros, ouvir pessoas experientes que podem nos ajudar a encontrar

1
as melhores respostas. Pode acontecer que em alguns casos a palavra
não seja é a melhor; assim, o pastor vai se valer na igreja pessoas
com sabedoria e discernimento que certamente irão ajudá-lo.
4. Paulo apela à perseverança e à percepção do que seja o ministério;
ele queria continuidade e responsabilidade. Assim, ele diz:
“Continua nestes deveres”. Todo ministério é difícil. A palavra
ministério soa bem. A palavra na sua origem grega soa bem, e muito
mais; a palavra é diakonia (2 Tm 4.5,11).
5. O ministério (diakonia) está ligado a ‘deveres’. Os ministros do
evangelho têm direitos mas também tem muitos deveres. Os deveres
de um pastor são com sua formação cristã e com a dos seus
liderados.
6. Paulo em uma palavra rápida cobra algumas posturas do pastor
Timóteo (2 Tm 4.5). Ele pede a Timóteo sobriedade (não embriagar-
se), resiliência (“suporta as aflições”), efetivo trabalho de
convencimento (evangelismo) e cumprir o ministério até o final.

II – O CUIDADO NA VIDA DE UM PASTOR

1. Duas coisas que o ministro não deve esquecer: o cuidado de si


mesmo e o cuidado da doutrina.
2. Paulo diz a Timóteo que deveria fazer exercícios de piedade (4.7). O
pastor também deve preocupar-se com a sua vida espiritual; o fato de
ser pastor não nos transforma em seres super-espirituais. A palavra
de ordem é: “Exercita-te pessoalmente na piedade”. Possivelmente
refira-se à vida devocional que Timóteo tinha que exercitar.
Diferente da temporalidade do exercício físico, o exercício da

2
piedade traz benefícios ‘porque tem promessa para a vida que agora
é e da que há de ser’ (v. 8).
3. O pastor Timóteo, como todos os pastores, deve preocupar-se com a
doutrina. A doutrina há quer ser bíblica.
4. Em nossas igrejas existem pessoas que já não creem como em
princípio creram. Muitos que já se esqueceram dos atributos de
Deus, tais como Onipotência, Onipresença e Providência.
5. Paulo, preocupado com a situação dos crentes em Creta, disse que
deixara Tito na ilha para que pusesse em boa ordem as coisas
restantes (Tt 1.5). Todo pastor quando chega terá que por em boa
ordem alguma coisa que falte; sejam nas áreas da administração,
doutrina ou disciplina, haverá sempre alguma coisa a ser feita.

III - A IGREJA NA VIDA DE UM PASTOR

1. Se os pastores são pessoas importantes na vida da igreja, a igreja


também é importante na vida do seu pastor. O nível de importância
não está no fato de sermos contratados pela igreja, mas pelo fato de
termos sido escolhido por Deus para sermos seus pastores.
2. O seminário não nos faz pastores; o seminário não chama pastores; a
igreja não faz o pastor, mas lhe dá os subsídios para a maturidade
pastoral. Paulo diz aos efésios que o pastorado é coisa de Deus (Ef.
4.11). E fato: a igreja nos ajuda a sermos pastores melhores ou
piores.
3. Embora a igreja não peça relatórios dos serviços pastorais ela espera
que o seu pastor sempre atenda às suas necessidades imediatas.

3
Mesmo não prestando relatórios à sua igreja os pastores prestarão
contas a Deus pelo seu trabalho (Hb 13.7). Por outro lado, acredito
que as igrejas também responderão pela forma como tratarem os seus
pastores.
4. A Bíblia é clara quanto ao relacionamento pastor (guia) e igreja:
“Obedecei aos vossos guias e sede submissos para com eles” (Hb
13.17). A igreja por ser de Cristo entende isso sem nenhuma
dificuldade.
5. A igreja deve prover meios para que o ministério seja exercido com
alegria e livre de peso desnecessário. Deus não nos chamou para
sermos massacrados, mas entendo que são muitos os pastores que
sofrem no ministério.
6. A igreja é de Cristo e foi Ele mesmo quem instituiu pastores.

CONCLUSÃO

Vale lembrar o que Paulo diz a Timóteo: “Tem cuidado de ti mesmo


e da doutrina”.
Todos nós pastores estamos sob os cuidados do “grande Pastor das
ovelhas”, Jesus, nosso Senhor (Hb 13.20).
Por último, o ânimo que Pedro nós dá, sendo ele um pastor e
presbítero como nós: “Ora, logo que o Supremo Pastor se manifestar,
recebereis a imarcescível coroa de glória” (1 Pd 5.4).

Pr. Eli da Rocha Silva


10/06/2018 Dia do pastor. Igreja Batista em Jardim Helena. Itaquera.