Anda di halaman 1dari 38

[0]

O prazer de tomar uma boa taça de vinho! Só quem sabe como desfrutar
deste momento pode verdadeiramente entender o quanto é importante, e
também decisivo, saber como escolher uma boa garrafa nesse instante!

Afinal, um bom vinho é bem-vindo tanto para esquentar um momento a dois


quanto para alegrar um jantar em família. É uma ótima opção tanto para quem
busca intensificar uma conversa quanto descontrair um passeio. O vinho é
ainda, um poderoso remédio para mandar o estresse embora no fim do dia.

Sendo uma das bebidas mais consumidas ao redor do mundo e ícone que
desperta muitos apaixonados pelo assunto, entender ao menos um pouco
sobre vinho significa não passar por verdadeiras “saias justas” em meio à
rotina. Afinal, quem nunca se viu em maus lençóis ao ter que escolher uma
garrafa para abrir em um jantar ou um bom rótulo para presentear?

Se você gosta, porém não sabe bem como explorar as possibilidades do


vinho, suas incríveis variedades e ampla gama de opções de combinação, com
certeza você está no lugar certo, pois aqui você aprenderá muito sobre o tema!

[1]
Confira ao longo deste Guia Definitivo para Iniciantes do Mundo dos
Vinhos como acertar na hora de escolher uma boa bebida e não passe mais
medo ou vergonha por não conhecer a tipologia dos vinhos!

Saiba ainda mais sobre a história desta que é uma das melhores bebidas
que existem no mundo, conheça quais são os tipos de uvas utilizados na
fabricação dos mais conhecidos e consumidos vinhos e descubra ainda
importantes curiosidades sobre como aproveitar melhor o momento da
degustação.

Veja como servir, use as taças certas e deixe de lado os erros comuns de
quem não conhece o vinho e acerte em cheio tratando-se do assunto, é claro!

Torne-se um amante dos vinhos e descubra mais sobre essa grande paixão!

[2]
O QUE É VINHO, ONDE SURGIU E COMO ELE É FEITO?

Você pode nunca ter parado para pensar sobre o assunto, mas é possível
que recorde-se agora que durante as aulas de história algo sempre esteve
presente independente da época, da localidade e das circunstâncias: As taças
de vinho!

Seja na Santa Ceia pintada por Da Vinci ou descrita na Bíblia Sagrada, seja
no Egito em que os faraós reinavam ou na Grécia Antiga onde os primeiros
filósofos falaram acerca da existência dos deuses, o vinho sempre esteve ali,
como parte do consumo dos homens.

Há estudiosos que acreditam ter o vinho surgido antes de tudo isso junto à
pré-história, inclusive! Alguns dos embasamentos para tais teorias são a
existência de caroços de uva em esqueletos encontrados e que remontam a
essa época.

Como se vê, o surgimento do vinho perde-se na história da humanidade por


sempre ter estado lado a lado dos homens.

[3]
A comprovação de dados, entretanto, indica que o vinho tenha surgido há 8
mil anos entre as regiões que hoje são terras da Turquia, Armênia e Geórgia
durante a Revolução da Agricultura entre os homens antigos.

Sua expansão, entretanto, por diferentes territórios e hemisférios deve-se ao


fato de que povo europeu, grande amante do vinho, optou por levar consigo a
cultura para não ter que ficar sem a bebida nas novas localidades desbravadas
durante as grandes navegações.

O vinho é um sucesso mundial e não existe país ou nação que não conheça
o resultado da fermentação da uva. Devido à tamanha importância hoje,
inclusive, existe uma área específica para seu estudo – a enologia – que
trabalha na observação da qualidade, composição entre outras características
de cada boa safra.

Vale citar por fim que a prática de pisar as uvas para fazer bons vinhos –
marco principalmente das regiões e vinícolas italianas que vem da Roma
Antiga – possui características próprias que também contribuem com bebidas
diferenciadas com mais sabor, cor e principalmente longanimidade.

[4]
COMO SÃO CLASSIFICADOS OS VINHOS E SUAS CARACTERÍSTICAS

Como você bem sabe, são muitos os tipos de vinho e devido a isso é
realmente comum o sentimento de confusão quando no momento da escolha
por uma garrafa ou outra, afinal, qual ficará melhor para a ocasião ou ainda,
harmonizará melhor com o prato que será servido?

Se responder a tais questões costuma ser um grande problema para você e


você simplesmente não sabe como encontrar bons vinhos para cada situação,
vale destacar que boa parte das pessoas que gostam de vinho e que ainda
não possuem muita experiência e conhecimento no assunto também
apresentam tal dificuldade e insegurança.

É por isso que a seguir você encontra de modo bastante detalhado quais
são as principais formas de classificação dos vinhos. Tire suas dúvidas sobre
os tipos de vinho existentes no mercado e tome nota de como combiná-los em
cada ocasião para não errar mais!

Vale ressaltar ainda, antes de enfim partir para as dicas de classificação,


que os vinhos podem ser agrupados em diferentes grupos conforme suas
características específicas. Algumas das mais utilizadas são: O teor alcoólico, a
cor, o aroma e o tipo da uva, além de outras também.

[5]
• CORES DO VINHO:

Uma das classificações mais simples de se fazer, visto que é fácil reparar na
cor e no tom do vinho, está relacionada diretamente ao tipo de uva utilizado na
fabricação da bebida e também ao seu processo de fermentação.

São três as cores encontradas para consumo no mercado, sendo elas o


vinho branco, rose e tinto. Veja alguns detalhes de cada um desses tons:

o Branco: O processo de fermentação do vinho branco se utiliza


das uvas brancas ou escuras – porém, sem as cascas – tornando a bebida
o mais claro possível como em tons amarelos-claros.
o Rosé: O tom rosado pode estar ligado tanto a um processo de
fermentação de uvas do tipo escura, mas que liberam pouca coloração,
quanto pode também estar relacionado a um blend, uma mistura preparada
a partir da junção da bebida tinta com a branca.
o Tinto: O tipo mais consumido ao redor de todo o mundo, o vinho
tinto é resultado da utilização de uvas vermelhas e roxas que liberam um
grande teor de coloração entregando bebidas com cores tão vivas e fortes.

[6]
• CLASSE DO VINHO:

Outra forma de classificação dos vinhos é partir de sua classe que, entre
outras características, observa o teor alcoólico da garrafa. Essa determinação
ainda colabora com a escolha do melhor vinho conforme a circunstância.

A classe dos vinhos é feita em quatro grupos sendo eles os vinhos leves, os
vinhos de mesa, os espumantes, os vinhos licorosos e compostos. Veja mais
sobre cada um deles a seguir:

o Vinhos leves: A menor graduação alcoólica, os vinhos leves


costumam ter entre 7 a 9,99º e são ideais para as mais distintas ocasiões.
o Vinhos de mesa: O maior grupo quando o assunto é vinho,
possuem uma variação de teor alcoólico que vai de 10 a 13º. Fazem parte
dessa classe de vinhos os frisantes, os tipos nobres, especiais e finos, além
dos vinhos comuns.
o Espumante: Uma das bebidas mais refinadas – e que poucos
sabem ser um tipo de vinho – o espumante tem teor alcoólico que varia de
14º a 18º e é altamente apreciado para os mais diferentes momentos
também.
o Vinhos licorosos: Parecidos com licor, essa classe de vinhos
tem graduação alcoólica que varia de 15 a 18º.
o Vinhos compostos: Por fim, esta classe que abrange os vinhos
fabricados a partir de origem vegetal, animal ou até mesmo de óleos, possui
a mesma graduação anterior, ou seja, de 15 a 18º.

[7]
• TEOR DE AÇÚCAR:

“Doce ou seco?”, se você já teve que fazer ou responder a essa pergunta


provavelmente já sabe que existe uma grande diferença no que se refere ao
teor do açúcar nesse tipo de bebida. Aliás, há quem diga, inclusive, que o vinho
do tipo doce é mais como um suco de uva do que uma bebida alcoólica
requintada e elegante!

Para sanar as dúvidas sobre mais essa forma de classificação, vale


destacar que basicamente são três os grupos que consideram os níveis de
açúcar sendo eles o vinho seco, vinho demi-sec e vinho suave. Confira quais
os teores de cada uma dessas bebidas:

o Vinho seco: Com pouquíssimo açúcar, o vinho seco tem no


máximo 4g por litro da bebida e um gosto mais amargo e marcante. É o tipo
de vinho que melhor se sente o gosto da bebida em si, uma vez que não há
nada para mascarar seu verdadeiro sabor.
o Vinho demi-sec: Variando de 4,1 a 25 gramas de açúcar por litro
do vinho, este é um tipo transitório entre as classes de vinho podendo tanto
oscilar para mais doce ou mais seco conforme cada garrafa e marca.
o Vinho suave: Chamados também de vinho doce, possuem a
partir de 25,1 g de açúcar por litro, lembrando que, para índices superiores
a 40 g/litro, a classificação da bebida passa a ser como licor.

Basicamente, são estas as formas mais comuns para se classificar as


garrafas de vinhos. E vale citar que a maior parte dessas informações são
parte dos rótulos – que serão mencionados ainda neste conteúdo – garantindo
assim que você não erre no momento da sua escolha!

[8]
QUAIS AS UVAS MAIS FAMOSAS E QUE TODO AMANTE DE VINHOS PRECISA
CONHECER?

É claro que as uvas são as peças chaves, as grandes protagonistas quando


o assunto é vinho. Mas, será que todas essas pequenas e saborosas frutinhas
servem para o processo de fermentação que cria o vinho que é engarrafado e
servido em todos os principais cantos do mundo?

Evidentemente que não! Aliás, para cada tipo de vinho existe, sim, uma uva
mais específica e mais indicada como você poderá ver logo a seguir. Confira:

• VINHOS BRANCOS

o Chardonnay: Importante ingrediente também nas misturas que


levam à fabricação do espumante;
o Chenin blanc: Uva que é utilizada na fabricação tanto de vinhos
do tipo seco quanto do tipo doce;
o Pinot blanc: Para as bebidas que são apreciadas por serem mais
frutadas e com toque de leveza; e
o Sauvignon blanc: Uva que torna o vinho mais ácido e mais
fresco também.

[9]
• VINHOS TINTOS

o Cabernet sauvignon: Base do mais famoso vinho seco que é


consumido em todo o mundo;
o Lambrusco: Um dos mais típicos da Itália, origina vinhos
marcantes por suas notas de sabor indescritível;
o Malbec: Marca registrada de qualidade, cria vinhos que são,
sobretudo, repletos de aromas com tons florais;
o Merlot: Uma versão mais leve do que a uva do tipo cabernet
sauvignon, também é um dos mais consumidos no globo terrestre;
o Periquita: Base do famosíssimo vinho português;
o Pinot noir: É a uva comumente utilizada nos vinhos mais caros e
mais apreciados de todo o mercado mundial; e
o Syrah: Diferenciada por ter um gosto mais forte e apurado de
especiarias.

Muitos nomes e muitas variedades, não é mesmo? Mas, pode ficar bem
despreocupado, afinal você não precisa decorar tudo isso para fazer uma boa
escolha de vinho.

O interessante mesmo é que você procure apenas reparar quais deles mais
lhe agradam para que o processo de compra comece a ser mais simples e
rápido!

[ 10 ]
ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS NO ARMAZENAMENTO

Ter boas garrafas de vinho para servir seus convidados é realmente algo
elegante e admirável. Porém, atenção, pois tudo pode ser posto por água
abaixo se você fizer um armazenamento equivocado dessas bebidas,
prejudicando seu gosto no momento em que a garrafa for aberta.

Armazenar em adegas climatizadas, com certeza, é o mais indicado quando


o assunto é guardar as garrafas de vinho, entretanto, dentro de casa, não são
todos que possuem essa estrutura, não é mesmo? E como proceder então?

O primeiro passo para armazenar as garrafas sem prejudicá-las é encontrar


um local seguro em que os vinhos possam ficar dispostos de modo horizontal
para que a rolha mantenha-se constantemente em contato com o líquido
interior.

Sabe por que isso é importante? Uma vez que a garrafa seja guardada na
vertical e a rolha fique seca, é comum que o ar consiga transpor essa barreira –
que estará ressecada – comprometendo todo o vinho! E você, com certeza,
não quer ter uma surpresa desagradável como essa não é mesmo?

Outra dica importante é que as garrafas sejam mantidas em locais que não
sofram tantas variações de temperatura. O ideal mesmo é que elas sejam
mantidas a 15ºC e longe da claridade. Você pode encontrar um espaço em
casa que atenda a tais necessidades, criar uma mini-adega em cima da
geladeira, por exemplo, ou ter um armário planejado para atender a este fim.

[ 11 ]
A DEGUSTAÇÃO E SUAS REGRAS

Partindo para o momento da degustação, você sabia que os diferentes tipos


de vinho exigem diferentes temperaturas na hora em que são servidos?
Enquanto que os vinhos tintos são indicados de serem consumidos a
temperaturas que variam de 15º a 17º C, os brancos são melhor degustados a
temperaturas mais baixas, ente 10º e 12º C.

Repare que algumas garrafas trazem esta sugestão em seu rótulo e segui-
las significa ter acesso ao melhor da bebida!

Para quem tem garrafas realmente antigas na adega, na hora de consumir e


degustar o conteúdo, é importante atentar-se a mais uma dica:

Por ficar muito tempo fechada – anos, na maioria das vezes – é comum que
a garrafa de vinho, principalmente do tipo tinto, tenha seu aroma apagado,
precisando de um tempo aberta – ou de um decanter – para que todo o seu
potencial venha a tona.

Desta forma, para realmente fazer bonito na hora de abrir um clássico,


lembre-se de deixar a garrafa aberta por uns 20 ou 30 minutos antes de servir
seu conteúdo e, assim, sentir verdadeiramente o sabor do vinho. Este tempo
servirá para a oxigenação da bebida eliminando todas as borras que foram
acumuladas ao longo do tempo em que a garrafa esteve devidamente
guardada.

[ 12 ]
A ordem em uma degustação de vinhos também precisa ser respeitada! O
início deve ser sempre pelas bebidas mais leves e que posteriormente não se
sobressairão das demais para que a sequência faça sentido.

As regras básicas são: Vinhos jovens devem anteceder os vinhos mais


antigos; os vinhos leves devem vir primeiro que aqueles mais encorporados; os
vinhos secos antes dos doces; e os vinhos brancos antes que os tintos.

Por fim, uma regra básica é deixar os melhores – aqueles que são
considerados como especiais, por exemplo – para o final, é claro!

Outro ponto que merece ser esclarecido sobre a degustação é o


aparecimento das lágrimas – gotas – do vinho no recipiente em que ele está
sendo servido.

Muitas pessoas acreditam que essas gotas diminuem a qualidade do vinho,


entretanto, isso não é verdade. Uma vez que elas estão mais relacionadas ao
teor alcoólico do que ao sabor. Desta forma, repare que quanto maior este teor,
mais devagar essas gotas formadas escorrem pela taça.

[ 13 ]
DE ONDE VEM A COR, O SABOR E O CHEIRO DOS VINHOS

Quem não conhece o universo do vinho, provavelmente, também não


entende a rica variedade nas cores, sabores e principalmente aromas desta
incrível bebida. Aliás, não são poucas as brincadeiras e achismos que insistem
em dizer que “todo vinho tem cheiro de uva”.

Porém, evidentemente isso não é uma verdade, afinal, se o fosse,


rapidamente as pessoas se entediariam de tomar e procurar por novos vinhos,
algo que não acontece, não é mesmo?

A região de onde vêm as uvas, o processo de fermentação, entre outras


particularidades, com certeza modifica a experiência para quem está provando
o vinho, algo que torna o assunto importante e imponente em todas as partes
do mundo. Todos que se permitem, acabam por amar essa degustação!

[ 14 ]
Hoje sabe-se não ser possível fazer misturas de frutas para compor a
bebida, ainda assim, a rica variedade de sabores e aromas deve-se a um fator
principal: A polpa da fruta!

A diferenciação ocorre justamente devido as uvas terem essas variáveis. O


processo químico da fermentação, diferente também conforme cada vinícola, é
outra das sugestões para tamanha diversidade de vinhos no fim das contas.

Seja qual for a justificativa para tamanha diversidade, uma coisa é certa:
Encontrar todos esses e outros muitos traços corresponde a uma das
atividades mais prazerosas para aqueles que são os chamados amantes de um
bom vinho! E sempre há espaço para provar e testar mais uma boa garrafa!

Vale destacar que a memória é uma das principais responsáveis por


diferenciar a qualidade e o aroma dos vinhos. Você pode até não perceber,
mas ao tomar uma boa taça, automaticamente seu cérebro registra quais são
os toques do vinho que está sendo consumido, comparando-o depois com uma
próxima garrafa que você for abrir. Esses traços perduram muito tempo!

Os aromas também sofrem modificações conforme cada processo de


fermentação, segundo a própria ciência explica. E há quem diga que todos os
vinhos são iguais mesmo mediante a tudo isso!

[ 15 ]
DECIFRANDO O RÓTULO

Seja para quem sabe pouco ou sabe muito sobre vinhos, o rótulo é sempre
um excepcional companheiro no momento da escolha por qual garrafa levar
para casa ou pegar na adega para abrir durante o jantar.

Marcas mais famosas e bem qualificadas pelo mercado consumidor de


vinhos costumam ser também aquelas que mais investem no detalhamento de
informações sobre a bebida no rótulo.

Geralmente estas indicam, entre outras coisas, de qual região vem o vinho,
quais são as variedades de uva utilizadas no seu processo de fermentação,
seu teor alcoólico e até mesmo quem foi o responsável pelo engarrafamento da
bebida que está na prateleira.

[ 16 ]
Outras informações importantes para os amantes do vinho é o ano da
produção – Sim! Vinhos mais velhos tendem a ser mais saborosos e intensos
apesar desta não ser exatamente uma regra para todas as garrafas! – e é
claro, o nome do fabricante que vale a pena você registrar bem para que em
uma próxima compra encontre suas preferências sem gastar tanto tempo.

Se mesmo diante de tantas informações no rótulo você não se sentir seguro


para escolher uma boa garrafa para impressionar em um jantar – como para
presentear o sogro no dia do noivado, por exemplo – a dica é apostar nas
marcas mais famosas e conhecidas já que as chances de agradar são maiores!

Mesmo que o vinho acabe por não fazer o seu estilo ou do presenteado ou
convidado devido a gostos pessoais – como ser branco e o outro preferir tinto –
a qualidade do produto por si só servirá para impressionar e demonstrar o seu
empenho em fazer uma ótima escolha!

[ 17 ]
SERVINDO VINHO E ESCOLHENDO TAÇAS

Basicamente existem quatro tipos de taça para se fazer uso no momento de


servir um bom vinho para seus amigos e familiares. Elas variam em tamanho e
principalmente em diâmetro do bojo.

Apesar da maioria das pessoas não saberem, esse diâmetro é exatamente o


tamanho de que a bebida precisa para se oxigenar e soltar os tão admiráveis
aromas de que o vinho faz uso para encantar. Alternar as taças e servir vinho
distinto do indicado prejudica, sim, a experiência, por isso atenção!

o As taças com maior bojo são destinadas ao consumo de vinho


tinto, pois estes são os que requerem mais espaço para a oxigenação que
cria o aroma.
o As taças médias, com um bom tamanho de bojo, porém não tão
grandes quanto outras opções, são indicadas para se servir vinhos tanto do
tipo rosé quanto o branco.
o Os espumantes e champagnes precisam de menos espaço no
bojo e por isso são servidos nas taças mais compridas e finas.
o Os vinhos fortificados usam-se de taças menores e com bojo
também pequeno para propiciarem uma ótima experiência durante o
consumo.

Outra dica é escolher sempre as taças de cristal ao invés daquelas de vidro,


afinal o cristal contribui – devido aos seus pequenos poros – com a quebra das
moléculas do vinho propiciando um aroma ainda mais gostoso!

[ 18 ]
HARMONIZANDO O VINHO COM DIFERENTES PRATOS E ALIMENTOS

Se existe uma grande variedade de vinhos isso, com certeza, se deve a


grande quantidade de opções de pratos que podem ser postos a mesa
também. E sim, por mais que você tenha o seu tipo preferido, conforme o
menu, entenda que ele nem sempre será o mais indicado para uma boa
harmonização!

Veja a seguir uma lista com 10 exemplos dos mais diferentes pratos e como
combiná-los com o vinho mais indicado. Aposte nessas junções e não erre
mais na hora de pôr a mesa uma boa garrafa!

1. Carnes vermelhas

Todos os tipos de carnes vermelhas pedem, exigem, por vinhos tintos sendo
essa a regra mais clara e clássica que existe quando o assunto é
harmonização dos pratos com boas garrafas.

Para detalhar melhor esta escolha, procure ajustar carnes preparados com
temperos mais forte junto a opções fortificadas deste vinho.

E as garrafas envelhecidas de vinho tinto também são opções para essa


mesa!

[ 19 ]
2. Chocolate

Será que dá pra combinar um bom vinho com um chocolate? Será que esta
é uma mistura que dá certo e, principalmente, um bom sabor? É claro que sim!
Entretanto, essa não está entre as combinações mais simples a se fazer.

Uma das formas de harmonizar estes itens é escolhendo chocolates que


tenha entre 50 e 70% de cacau, pois com menos açúcar as possibilidades dos
ajustes do sabor são muito maiores.

Quanto ao vinho, os tintos fortificados, com certeza, são os que apresentam


melhores resultados. Abuse de opções como do Porto e envelhecidos.

3. Comida japonesa

Comida que é considerada como leve e bastante delicada, a culinária


japonese – sobretudo com seus peixes frescos – deve estar sempre
acompanhada de bebidas harmoniosas, ou seja, mais leves também.

Para o sushi e o sashimi, por exemplo, as comidas japonesas mais


consumidas no Brasil, a pedida certa é pelos espumantes e vinhos leves como
os do tipo rosé ou brut.

Outras combinações que podem dar certo é com vinhos suavignon blanc ou
com o pinot grigio. Prefira fugir das opções de vinho tinto, pois não se
encaixam.

[ 20 ]
4. Feijoada

A feijoada é um prato mais do que gordo e pesado e para acertar na hora de


combinar com um vinho é preciso considerar justamente tais traços, é claro.

As melhores opções tratando-se dessa combinação são vinhos brancos


leves e bem ácidos como garrafas jovens de safras de chardannay ou pinot
noir.

Aliás, um bom pinot noir se encaixa mais do que muito bem com este tipo de
comida, sendo uma excelente alternativa para quem oferecer o melhor para
seus convidados, por exemplo.

5. Frutos do mar

Lulas, camarão e peixes diversos combinam mais do que bem com os


vinhos brancos e rosés devido a suas notas de leveza que permitem que o
sabor da refeição fique em primeiro plano.

Esse tipo de harmonização é um pouco mais simples e fácil de ser feita,


devendo apenas se ter em mente a oscilação dos teores alcoólicos e da
quantidade de açúcar para um ajuste perfeito.

[ 21 ]
6. Hambúrguer

Quem disse que não dá pra comer um bom hambúrguer desfrutando de um


vinho não faz ideia do quanto esta bebida é bem-aceita com qualquer que seja
a alimentação! Uma combinação que realmente dá certo tratando-se de vinhos
e hambúrgueres é com garrafas do tipo tinto, afinal o hambúrguer é uma carne
velha, não é mesmo?

Vale destacar que o consumo do vinho tinto inibe um pouco as gorduras


comuns aos lanches como parte da carne, do queijo e até mesmo daquele
saboroso bacon que você pode ter pedido para acrescentar!

7. Massas

A harmonização das massas deve levar em conta o tipo de molho que foi
escolhido também para compor a mesa.

Massas servidas com molho branco combinam mais com os vinhos do tipo
branco ou rosé. Já as massas ao molho vermelho com os vinhos tintos.

8. Petiscos

Para um bom happy hour em casa e com os amigos a pedida perfeita é


harmonizar os petiscos e entradas diversas, com os espumantes e frisantes
que são extremamente leves e bem saborosos.

Vale a pena apostar nas opções que sejam menos doces também para que
fique destacado o sabor do petisco escolhido.

[ 22 ]
9. Queijos e sobremesas

Os queijos azuis e também grande parte das sobremesas – mesmo que


pareça estranho o consumo de doces com vinhos – se encaixam perfeitamente
bem com vinhos do tipo mais doce.

As opções fortificadas são excelentes ainda para harmonizar com esses


cardápios que costumam ganhar espaço principalmente no inverno.

10. Salada

Por último, a dica para harmonizar com saladas é que se opte por vinhos do
tipo espumante, devido a leveza dessas garrafas que costumam se encaixar
perfeitamente a um bom prato de salada.

Outra opção que costuma ser bem-aceita também com este prato é o vinho
rosé, devido as suas notas extremamente diferenciadas.

E, é claro, uma taça dessas complementa o sabor da salada de um jeito


único!

[ 23 ]
10 PRINCIPAIS ERROS A SEREM EVITADOS POR UM INICIANTE

Quando o assunto é vinho, o que não faltam são equívocos e erros tanto na
escolha da garrafa quanto na harmonização com pratos e na forma como a
bebida é consumida.

Pensando justamente nisso, a seguir você encontra elencados os principais


erros e descobre como evitar cada um deles. Confira e tire de letra tudo o que
diz respeito ao vinho:

1. Decanter apenas nos vinhos que precisam

Usar o decanter em vinhos que não precisam desse espaço para respirar
pode ser apenas uma perda de tempo. Por mais que tal processo pareça
elegante e chique, ele é desnecessário se o vinho não é, por exemplo, mais
antigo!

Da mesma forma, abrir com antecedência, garrafas que não precisam deste
respiro para sua oxigenação, é outro equívoco, repetidamente cometido por
muitas pessoas que não entendem como funcionam o vinho!

Veja sempre no rótulo da garrafa qual é o ano de fabricação e procure


atentar-se às orientações se estiver na dúvida de passar para um decanter ou
não.

[ 24 ]
2. Empurrar rolhas partidas para dentro da garrafa

Abrir um vinho é sempre um momento marcante e que tende a impressionar


quem está ao redor, principalmente quando o processo é concluído com
sucesso, o que nem sempre acontece.

Qual não é a decepção quando você percebe que após tanto esforço apenas
parte da rolha veio no saca-rolhas, não é mesmo? Quase que
automaticamente, as pessoas empurram o que restou para dentro das garrafas
como resposta ao acontecimento.

Isso é um grave, um fatal, erro! A rolha pode soltar partículas que acabam
por diminuir a qualidade do vinho, algo que você simplesmente não quer, por
isso, procure ter paciência e retirar tudo sem ter que recorrer a esta opção!

[ 25 ]
3. Não segurar a taça pela haste

Acredite, existe um porque das taças de vinho terem hastes tão compridas e,
com certeza, isso não é algo meramente estético, como muitos acreditam.
Anote essa dica: O espaço é justamente reservado para que você segure ali
enquanto consome a bebida!

Portanto, nada de segurar a taça pelo bojo. Além de dificultar a análise


visual da bebida e ser completamente equivocado, agir de tal maneira poderá
inclusive alterar a temperatura – e o gosto – do vinho tornando a experiência
menos prazerosa do que você gostaria.

Para acertar em cheio, basta encarar a haste da taça como a alça de uma
xícara. Segure pelo lugar certo e não se prive de provar o melhor do vinho
escolhido. Também não passe vergonha em público mais!

[ 26 ]
4. Não variar o tipo de vinho conforme a refeição

Você conheceu neste Guia Definitivo importantes dicas sobre como


combinar os diferentes tipos de vinhos com cada prato e refeição e como
constatou, a variedade na hora de fazer as harmonizações é realmente grande.

Agora, é chegada a hora de usar de todo este conhecimento para fazer as


variações. Chega de usar uma mesma garrafa em todos os jantares. Pare de
jogar vinho pelo ralo não se preocupando com tais escolhas.

Por mais que a princípio você não entenda como tais combinações poderão
melhorar o sabor e o desfrute dos pratos e taças, com o tempo seu paladar
indicará o quanto às escolhas estão mais corretas e você passará a ter mais
vontade de acertar a cada novo prato e nova garrafa.

[ 27 ]
5. Pode vinho com gelo?

Poder, poder realmente não pode e dificilmente você encontrará um


verdadeiro amante do vinho que possa concordar com este tipo de escolha.

Entretanto, para o prazer pessoal você evidentemente pode, sim,


acrescentar as pedras de gelo sem problema algum. O que vale a pena frisar
perante o assunto é que tal prática não será bem-vista em restaurantes ou
jantares mais elegantes, por exemplo.

O gelo diminuirá o sabor do vinho – um crime para os especialistas no


assunto – mas não há problema desde que você goste do resultado final.
Lembre-se apenas de não entrar em discussão sobre o assunto com os mais
clássicos, pois, evidentemente, esta é uma batalha em que você será vencido!

[ 28 ]
6. Preconceito com as garrafas de rosca

Pode até ser que as garrafas com rosca sejam menos elegantes e bonitas
quando comparadas as mais tradicionais que tem rolhas. Entretanto, tratando-
se da qualidade e do sabor não existe absolutamente nada que desmereça
este tipo de bebida a não ser o preconceito.

Aliás, vinhos do tipo branco que são lançados no mercado com a intenção
de serem consumidos quando ainda jovens são perfeitos exemplos de garrafas
que devem usar e abusar das roscas.

Muitos mercados mundiais que exportam vinho já aderiram à prática que


possibilita a facilidade na hora de abrir a garrafa, por exemplo. Algo que para
alguns é a saída e melhor opção, para outros simplesmente não se adequa.

[ 29 ]
7. Servir o vinho em um copo

Realmente existe um porque para que existam as taças de vinhos e se você


não sabe dizer qual é o motivo, é preciso voltar um pouco na leitura deste guia
e fazer tal descoberta.

As taças são projetadas para garantir uma melhor experiência durante o


consumo do vinho. Existem vários tamanhos e formas e isso porque existem
também diferentes vinhos como você já sabe e já viu aqui antes.

Servir um vinho em um copo é o mesmo que não fazer o cabelo após


encontrar a mais bela roupa para ir a um baile! Simplesmente tira tudo do eixo
e desmerece o valor final do vinho. Jamais sirva em outros copos, não é
elegante e muito menos prazeroso, por sinal.

[ 30 ]
8. Taça molhada para servir?

Realmente ninguém sabe de onde vem a ideia de servir uma taça molhada
para que o vinho seja despejado, mas, com certeza, tal origem é mais do que
equivocada e completamente inaceitável.

Mesmo que uma pequena gota de água não destrua o sabor do vinho,
inevitavelmente tais resquícios acabam por diluir a bebida e até mesmo
mesclar seu sabor com cloro ou detergente!

Nada pior do que tomar uma bebida sentindo o cheiro ou o gosto de outra
coisa, não é mesmo? Para não correr o risco, prefira sempre servir os vinhos
em taças bem limpas e que já estejam bem secas.

[ 31 ]
9. Taças cheias demais

Taças de vinhos não foram desenvolvidas para ser completamente cheias


de uma só vez. O espaço que está livre no bojo serve apenas para que o
aroma do vinho cresça e chegue até as narinas de quem o está consumindo.

Não queira preencher todo este vazio com a bebida. Além de deselegante,
você acabará com a possibilidade de sentir o tão prazeroso cheiro do vinho
desta forma.

Além disso, ao agir desta maneira você estará mais propício a ver seu vinho
esquentando e não ficando mais tão agradável de ser consumido, tendo que o
desperdiçar, algo realmente chato se você for, por exemplo, o convidado.

[ 32 ]
10. Tomar rápido demais

Por fim e não menos importante, vale lembrar que o vinho é uma bebida que
não deve ser consumida rápido demais, afinal, desta forma o gosto e o prazer
da degustação ficam extremamente prejudicados.

O vinho é ideal para ser bebericado, aos poucos. Como já foi falado, nada
de taça cheia para acabar depressa! Nunca tome goladas de vinho e muito
menos vire taças, pois não há verdadeiro valor nisso.

Agregue o vinho a uma conversa, a um bom filme, entre outros e desfrute do


momento enquanto sente o sabor de uma excelente bebida também.

[ 33 ]
O ITEM MAIS IMPORTANTE PARA SE DEGUSTAR UM BOM VINHO:
O SEU GOSTO PESSOAL!

Há quem pense que apostar nas garrafas mais caras das adegas é a saída
perfeita para ter em mãos bons e saborosos vinhos, mas isso nem sempre é de
fato verdade.

Evidentemente que o valor está, sim, associado a processos de fermentação


mais intensos e bem trabalhados, questões de reconhecimento e história da
marca no mercado do vinho entre muitos outros fatores.

Porém, ter um bom vinho para consumir não significa simplesmente abrir a
carteira e pagar pela garrafa mais cara, pois esta não é uma garantia de que
você – ou os seus convidados – venham a gostar realmente da bebida!

É aquela velha máxima: Um vinho barato pode, sim, agradar mais ao seu
paladar do que uma taça da mesma bebida mais requintada que existir! O que
muda aqui não é o conteúdo, mas sim a sua percepção e gosto.

[ 34 ]
Uma pessoa que não goste de vinho seco, por exemplo, não gostará de
garrafas caras nem baratas desta bebida. Como se vê, o problema não é a
escolha do vinho, mas sim o paladar que já estabeleceu seus pré-conceitos!

Por isso, antes de prezar pela compra de garrafas caríssimas, preze pelo
seu gosto e lembre-se sempre de pautar suas escolhas neste ponto. Não
adianta ter uma adega linda em casa e de dar inveja a todos se nela não existir
uma só garrafa que você tenha realmente vontade de abrir para consumir!

O mais importante mesmo é que você possa degustar o vinho e possa


também sentir prazer enquanto está fazendo isso. Qualquer coisa que fuja
dessa premissa básica é evidentemente uma grande perda de tempo e de
dinheiro.

[ 35 ]
DIVIRTA-SE! BEBER VINHO DEVE SER UMA EXPERIÊNCIA LEVE E PRAZEROSA

Depois de conferir todo este conteúdo referente a vinhos, ter conhecido sua
história, aprendido sobre as suas principais classificações e processos de
escolha, além de ter visto como se livrar de erros simples na escolha da
bebida, combinando-as da melhor forma com os pratos consumidos, vale citar
apenas mais uma coisa para concluir este Guia:

Divirta-se consumindo as suas taças de vinho! Se a experiência não for


prazerosa, leve e de algum modo instigante, saiba que você está fazendo isso
errado e que, portanto, precisa rever sua forma de provar um bom vinho!

Você não é obrigado a amar a bebida, mas se quer ter boas experiências
consumindo algumas garrafas ao longo da sua vida, com certeza conhecer
mais sobre o vinho – como você fez ao longo deste guia – é o primeiro passo
para ajustar seu foco e se permitir gostar deste consumo. Muitas pessoas não
gostam do vinho apenas porque não tiveram a oportunidade de encontrar a
garrafa que melhor se encaixava ao seu perfil, gosto e preferência.

[ 36 ]
Com todas as dicas e tópicos vistos aqui você pode agora procurar por quais
são realmente as marcas e tipos que mais lhe agradam!

Para aqueles que precisavam entender mais sobre a bebida a fim de


oferecer melhores opções em jantares e encontros com amigos, vale deixar
apenas mais uma dica: Agradar a todos é algo realmente difícil, porém se você
puder, procure ter sempre uma opção de vinho seco e também uma de vinho
tinto para oferecer aos seus convidados e não errar.

Lembre-se ainda de seguir as dicas que foram dadas na hora de combinar


os pratos com suas respectivas bebidas e ganhe pontos por harmonizar os
sabores de uma forma que tanto o vinho quanto a refeição sejam valorizados.

Gostou de tudo o que foi abordado ao longo do Guia Definitivo para


Iniciantes no Mundo dos Vinhos? Aproveite então para compartilhá-lo com
seus amigos que também precisam conhecer mais sobre esta que é uma das
mais elegantes, requintadas e amadas bebidas de todo o mundo e garanta
jantares servidos dos melhores vinhos nas casas deles também!

[ 37 ]