Anda di halaman 1dari 3

c  

      
  
    

c      !    "

Falar de metodologia da pesquisa empírica é falar dos processos e instrumentos


de trabalho, que vão desde os procedimentos teóricos à sua implementação na prática, a
que recorrem os sociólogos para conhecer e dar a conhecer a realidade social.

A sociologia tem como principal preocupação produzir conhecimento e, com o


desenvolvimento da sociologia enquanto ciência, tornou-se cada vez mais notória a
importância que a pesquisa sociológica poderia desempenhar nas sociedades.

Muitas das questões que são objecto de pesquisa na sociologia também


preocupam as pessoas ou as instituições em geral e, como tal, foram surgindo, a par
com a pesquisa científica desenvolvida pelos sociólogos de forma autónoma, pedidos de
estudos sociais feitos por parte das instituições aos sociólogos.

Convém desde já distinguir entre  !  #$ (ou  


$!
 ) e pesquisa realizada como resposta a pedidos mais centrados (ou
   
).

³A  !  #$ tem como objectivo a produção de conhecimento


aprofundado e sistemático sobre uma dada realidade do mundo físico, psíquico e
social.´

É pela pesquisa científica que se renovam conhecimentos e se enriquecem os


quadors conceptuais das disciplinas científicas. ³Muitas vezes a realidade estudada não
muda, mas ao mudar o nosso olhar sobre ela descobrem-se outras relações e, por vezes,
outras realidades.´

Como se processa? O processo da pesquisa científica dá-se em 3 momentos


essenciais: !  % &'    $ ($ 

Uma vez que não se pode colocar questões acerca daquilo que nada se sabe, a
!  não surge completamente desligada de uma realidade conceptual
precedente. Esta pergunta só tem sentido se for formulada no seguimento de ³um
conjunto anterior de teorias e concepções sobre o mundo´.

À volta da pergunta que foi formulada vão-se desencadeando um conjunto de


mecanismos teóricos, conceptuais, metodológicos e técnicos que visam procurar uma
resposta para a mesma. Por meio ³da metodologia da pesquisa empírica´ a pergunta
inicial desemboca num conjunto de &'  de trabalho mais precisas (adiantamento
de respostas)

Estas &'  são depois confirmadas ou infirmadas pela recolha de material


empírico
 
 
          %    

)
  !    !  ! * ! 
 

  !  + ,



  +
     &


Para que o sociólogo seja capaz de seleccionar uma estratégia de investigação


adequada ao estudo e respostas pretendidas ele deverá conhecer de uma forma
aprofundada os diferentes processos e agentes envolvidos na realidade em estudo. ³Para
intervir sobre a realidade social é necessário conhecê-la.´

Deste modo, as questões que a sociologia coloca (e que lhe são colocadas)
tornaram-se cada vez mais diversificadas e abrangentes o que permite que a sociologia
alargue o seu campo de conhecimento científico.

c  -'
   . /0 %         1
 

Como já referimos, o sociólogo terá que seleccionar uma estratégia ou lógica de


acção adequada ao estudo que pretende realizar. Como tal, torna-se preponderante
proceder a uma distinção entre as diferentes lógicas de investigação.

A distinção entre diferentes lógicas de investigação ³fundamenta-se no !


$ !

  + %  !*
23

 !    
 '   4

É possível identificar 3:

-' 50 4% ' 5 4  '


    

-' 0 .

- 6+ - uso dominante de técnicas quantitativas (muito comum o uso do


inquérito por questionário e estatísticas, a par com técnicas auxiliares de outro tipo)

Permite o conhecimento em extensão (horizontes empíricos mais alargados) de


fenómenos, problemáticas ou características de uma população. A padronização das
perguntas permite que se aplique a um conjunto de indivíduos que são representativos
do universo em estudo e generalizam-se estas opiniões ou respostas.

Estes estudos permitem, maioritariamente, estabelecer comparações entre


diferentes populações ou elementos de uma população

EX: ³Os Herdeiros´ de Bourdieu e Passeron

Ganha-se em extensividade mas perde-se em profundidade analítica.

-'  .

 6+  Privilegiam-se as técnicas qualitativas ± entrevistas de diferentes


tipos, observação participante, análise de conteúdo (em que se pode analisa material que
não foi criado para ser tratado cientificamente e dele se retiram conclusões científicas),
estudos de caso, método biográfico (entrevistas de história de vida que revelam de que
forma uma experiência singular está associada ao contexto social envolvente), etc.

Analisa em profundidade as características, as opiniões ou problemáticas


relativas a uma população determinada, segundo vários ângulos e pontos de vista.

EX: ³O Processo Civilizacional´ de Norbert Elias (baseia-se em documentos das


épocas em estudo para deles retirar conclusões acerca dos rituais sociais de então)

O que se perde em extensão (ou numa lógica de representatividade) ganha-se na


intensidade da análise.

-'
    

 6+  São muito variadas e vão desde as normalmente utilizadas quer


numa lógica intensiva quer extensiva.

Enquanto que as estratégias de investigação acima apresentadas tem o objectivo


de produzir conhecimento científico, esta lógica de investigação tem o objectivo de
produzir investigação acerca de determinados paradigmas de análise científica e aplicá-
los a um contexto de forma a agir sobre a realidade e provocar mudança social.

Assim, a lógica de investigação-acção ocorre num contexto de intervenção


directa e, normalmente, no decurso de projectos compostos por equipas
multidisciplinares.

Na questão da POBREZA E EXCLUSÃO é interessante falar em William


Thomas que diz: ³ Se as Pessoas pensam as suas situações como reais, elas tornam-se
reais nas suas consequências´, ou seja, as pessoas tendem a adequar a sua conduta à
situação em que acreditam estar e, como tal, aquilo que previram acaba por acontecer
efectivamente.