Anda di halaman 1dari 71

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO

UNIVASF

Colegiado de Engenharia Elétrica


CENEL

Grandezas em Por Unidade


Sistema pu
Prof. Dr. Adeon Pinto
Sistemas Elétricos I

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por Unidade (pu)

Grandezas em pu
Definição:

O valor por unidade (pu) ou normalizado de qualquer quantidade é definido


como a razão da quantidade pelo valor da sua base, expressa como um decimal.

Na eletricidade, trabalhamos, quase sempre, com quatro grandezas principais:


tensão, corrente, potência e impedância.

V  Z I  Relações independentes, para tanto, necessita-se


*
definir duas grandezas fundamentais, com valores
S  V I  base.

Fixando: Vbase  V1 e Sbase  S1

Temos: v 
V
 pu  ou v% 
V
 100  percentual 
Vbase Vbase
Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017
Grandezas em Por-Unidade (pu)

Ainda: s 
S
 pu  ou s% 
S
 100  percentual 
S base S base

Por consequência, temos:

2
I base  base A
S
Vbase
e Z base 
Vbase Vbase
 
I base S base

Sbase
Implicando em: Vbase

 pu   100  percentual 
Z S base Z
z Z 2
ou z% 
Z base Vbase Z base

i
I
I
Vbase
 pu  ou i %  i  100  percentual 
I base S base
Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017
Grandezas em Por-Unidade (pu)

Considerações:

1. A menos que exista especificação contrária, o valor da tensão base num


sistema trifásico é a tensão de linha.

2. O valor da potência base é a potência total trifásica.

S3 base VL2 base


Ibase  A e Z base  
3 VL base S3 base

Obs.:
Atenção com as grandezas base fornecidas, pois estas podem ser kVA ou MVA
trifásicos e kV entre fases (tensão de linha).

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Exemplo 1:
Se kVA3base=30000 kVA e kVLbase=120 kV em Y. Determine o valor da tensão de
fase em pu, da tensão de linha 108 kV e a potência em pu para a potência trifásica
de 18000 kW.
Solução:
30000
S1φbase   10000 kVA ou S3φbase  30000 kVA
3
120
VFbase   69,2 kV
3
VL 108 18000
VF    62,3 kV e P1φ   6000 kW
3 3 3
108 62,3
v   0,90 pu
120 69,2
18000 6000
p   0,6 pu
30000 10000
Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017
Grandezas em Por-Unidade (pu)

Exercício 1:

Um gerador alimenta uma carga por meio de uma linha. Sabendo-se que:
a) A tensão no gerador é 220 V e 60 Hz;
b) A carga é de impedância constante e absorve 10 kW, fator de potência 0,7
indutivo, quando alimentada por tensão de 200 V.
c) A impedância da linha é (1,28+j0,80) ;

Pede-se:

1) A tensão na carga, em pu;


2) A potência fornecida pelo gerador, em pu;
3) A capacitância ligada em paralelo com a carga, que torne unitário o fator de
potência do conjunto carga mais capacitor;
4) A tensão na carga e a potência fornecida pelo gerador após a correção do
fator de potência;
5) Construa os diagramas fasoriais antes e depois da correção.

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Solução:

Vamos adotar : Vbase  200 V e Sbase  10 kVA

• A potência ativa absorvida pela carga, em pu, é :

P 10
p   1 pu
Sbase 10

• Ainda, a tensão é dada por :

V 200
v   1 pu
Vbase 200

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

1) Tensão na carga

Como P  VI cos( ), temos :

P VIcos(φ) VIcos(φ) p 1
p    v i cos(φ)  i   1,429 pu
Sbase Sbase Vbase I base v cos(φ) 1  0,7

Temos ainda :
V
Z V I v 1
z  I   base    0,7 pu
Z base V base I Vbase i 1,429
I base
Na forma complexa, temos :

z  zcosφ  jsenφ  0,7 0,7  j0,714   0,49  j0,5  0,7 45,6 pu

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

A tensão nos terminais do gerador é :


ZL Z S
e   z L  z i Como z L   2L  Z L  base
2
Z base Vbase Vbase
Sbase
e 10  10 3
 i  z L  1,28  j0,8 
z L  z  200 2
z L  0,32  j0,2 pu
1,10
i 
1,07140,8  z L  z  0,32  j 0,2  0,49  j 0,5
z L  z  0,81  j 0,7  1,07140,8 pu
i  1,027  40,8 pu 2200
e   1,10 pu
200
Consequentemente, a tensão na carga é :

v  z  i  1,027  40,8  0,745,6  0,7194,8 pu

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

2) Potência fornecida pelo gerador

sG  e  i*  1,10  1,02740,8  1,13040,8  0,855  j 0,738 pu

Ainda temos a potência na carga (antes da correção) :

sC  v  i*  0,7184,8  1,02740,8  0,73845,6  0,516  j 0,527 pu

3) Correção do fator de potência

q  p  tg  1 tg 45,6  1 1,021  1,021 pu

Para cos   1  qcap  1,021 pu

Qcap qcap  S base 


1,021  10  10 3 
Então : C     677  10 6 F  677 F
V 2 V 2 200 2 2 60

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

A nova potência complexa será :


s  p  jq  jq cap  p  j 0  1,0 pu

p 1
Então : i    1,0 pu
v cos n 11

v 1
Ainda temos : z n    1,0  j 0 pu
i 1
4) Tensão na carga após a correção

z n  z L  1  (0,320  j 0,2)  1,32  j 0,2  1,3358,6 pu

Consequentemente :
i  e 1,10
  0,824  8,6 pu
n
z n  z L  1,3358,6
 

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)
Portanto :
v n  z n  in  10  0,824  8,6  0,824  8,6 pu

Os valores da potência complexa no gerador e na carga são :

sGn  e  i*  1,10  0,8248,6  0,9068,6  0,896  j 0,135 pu

sCn  vn  in*  0,824  8,6  0,8248,6  0,679  j 0  0,6790 pu

5) Diagrama de fasores
Antes da correção
v Depois da correção
vL  z L iL e
e
i rL vL  z L iL
x.i i xL
v  ri i r i xL
r.i L

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Observações importantes:

1. Só é possível fixar valores bases para a potência aparente (S);

2. É comum, empregar o valor 100 MVA como valor base, em sistema de


potência;

3. Geralmente, tensão e potência aparente são as grandezas bases inicialmente


escolhidas.

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Componentes do sistema elétrico

a) Transformador

Pelas normas técnicas os fabricantes devem fornecer:

1) Potência aparente nominal (SN - kVA);


2) Tensão nominal na AT (VAT - kV);
3) Tensão nominal na BT (VBT - kV);
4) Impedância equivalente (ZE - pu).

Por convenção, adota-se como bases VAT e SN no enrolamento de AT e VBT e SN no


enrolamento de BT, ambos para determinar a impedância equivalente.

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Analisaremos um transformador monofásico, dado pela seguinte ilustração e seu


respectivo circuito equivalente.

impedância de
curto circuito
R X

Rp Xm trafo ideal
1:1

impedância a vazio

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Quais os valores corretos (convenientes) das bases para que consigamos


converter um trafo ideal com a relação de espiras de 1:1, em pu?

 AT  V1 (primário)
Vamos adotar a seguinte metodologia:
BT  V2 (secundário )

Vbase  '
Vbase
Sendo os valores bases: primário  e secundário  '
S base 
S base

Sabemos que, ao aplicarmos uma tensão V1 no primário de um trafo ideal,


temos, no secundário a seguinte tensão:

VBT
V2  V1 
V AT

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Expressando as tensões em pu, temos:

V V2 VBT 1
v1  1 e v2  '
 V1   '
Vbase Vbase VAT Vbase

Para que a relação seja de 1:1, teremos que:

v1  v 2

V1 V 1
 V1  BT  '
Vbase V AT Vbase

Vbase V AT
'
 As tensões primária e secundária, em pu, são
Vbase VBT iguais.

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)
primário : S1

Em relação à potência complexa, temos: 
 
secundário : S 2

Como o trafo é ideal, temos:


S1  S 2
Sendo que:
S1 S 2
s1  e s2  '
S base S base

Para que:
S1 S 2
s1  s2   '  S base  S base
'

S base S base

As bases são iguais para o primário e secundário.

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Em relação as correntes primária e secundária, a verificação se estas são


iguais, também, se uma impedância referida ao primário e ao secundário se são
iguais, sendo NAT e NBT o número de espiras dos enrolamentos primário e
secundário, respectivamente.
N V
N AT I1  N BT I2  I2  I1 AT  I1 AT
N BT VBT
Sabemos que:
S base
'
S S base S V V
I base  base e I '
base  '  base  AT  I base  AT
Vbase Vbase Vbase VBT VBT
=

VBT
Vbase 
VAT

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Portanto: V 
I1   AT 
 I2  VBT  I
i1  I 1 e i2    1  i1  i2
I base I '
 VAT  Ibase
base
I base   
 VBT 
Em se tratando das impedâncias, sendo Z1 em série no primário equivale a Z2
em série no secundário, desde que:
2 2
V  V 
I 12 Z1  I 22 Z 2  I 12  AT  Z 2  Z 2  Z1  BT 
 VBT   V AT 
Em pu, temos: V 
Vbase BT 
 V AT  2
2  V BT 
Vbase   2
  Z  VBT 
2
'

2
V V V AT
Z base  base
e
'
Z base  base
'
 base 

S base S base S base  V AT 

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Então:
Z1 S
z1   Z1 base
2
e
Z base Vbase

2
V 
Z1  BT 
Z 2  V AT  Z1  S base
z 2  '  2
  Z 1 2
 z1  z 2
Z base  VBT  Z base Vbase
Z base 
 V AT 
Por consequência, o circuito equivalente simplificado para um transformador,
em pu, torna-se somente:

. rpu x pu
.
Obs.: Como a escolha das base é livre, obviamente deve-se optar pela a escolha
das bases, os valores nominais do equipamento (SN, VAT e VBT).
Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017
Grandezas em Por-Unidade (pu)

Exemplo 1:

Um transformador monofásico de 138 kV : 13,8 kV, 500 kVA e 60 Hz foi submetido


aos ensaios a vazio e de curto-circuito, obtendo-se:
1) Ensaio a vazio:
Alimentação com tensão nominal pela baixa tensão;
Corrente absorvida: 2 A;
Potência absorvida: 12 kW.
2) Ensaio de curto-circuito:
Alimentação pela alta tensão com corrente nominal;
Tensão de alimentação: 10,6 kV;
Potência absorvida: 15 kW.

Pede-se:
a) Os valores das impedância a vazio e de curto-circuito;
b) O circuito equivalente do trafo, em pu.

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Solução:
a) Cálculos das impedâncias
No lado de AT, temos :
Vbase  138 kV e Sbase  500 kVA

No lado de BT, adotamos :


V 13,8
'
Vbase  Vbase BT  138  13,8 kV e Sbase  Sbase
'
 500 kVA
VAT 138
No ensaio a vazio, temos :
V 13,8
v0  BT '
  1 pu i0 r x
Vbase 13,8
1:1
I0 2 13,8 103 i p0 i m0
i0  '  '  2  0, 0552 pu v0 rp xm
I base Sbase 500 10 3

'
Vbase Circuito equivalent e a vazio

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

P0 12k
p0    0,024 pu
S base 500k
p0 0, 024
cos 0    0, 435  sen0  0,900
v0i0 1 0, 0552
Portanto : v0

im 0  i0  sen0  0, 0552  0,900  0, 0497 pu


i p 0  i0  cos0  0, 0552  0, 435  0, 0240 pu i p0 i0

Finalmente :
v0 1
xm    20,121 pu i m0 0
im 0 0, 0497
v0 1
rp    41, 667 pu
i p 0 0, 0240

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)
Ou ainda na forma de admitância :
i0
i0  v0 g p  jbm   g p  jbm 
v0
0,0240  j 0,0497  g p  0,0240 pu
g p  jbm   0,0240  j 0,0497 
1 bm  0,0497 pu
Os valores das impedâncias referidos à AT e BT são :
2
Vbase (138  103 ) 2
X mAT  xm  Z base  xm   20,121  766, 4 k 
Sbase 500  103
'2
V (13,8  103 ) 2
X mBT  xm  Z '
 xm  base
 20,121  7,664 k 
500  103
base '
S base
2
Vbase (138  103 ) 2
R pAT  rp  Z base  rp   41,667   1587,0 k 
Sbase 500  103
2
'
Vbase (13,8  103 ) 2
R pBT  rp  Z bas
'
 rp  '  41,667   15,870 k 
500  103
e
Sbase
Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017
Grandezas em Por-Unidade (pu)
No ensaio em curto-circuito, temos:

V 10,6k i cc rcc x cc
vcc  cc   0,0768 pu
Vbase 138k 1:1
v cc rp xm
I V I
icc  N  base I N  N  1,0 pu
I base S base IN
Circuito equivalent e em curto circuito
P 15k
pcc  cc    0,030 pu
S base 500k
Portanto :
vcc 0,0768
z cc    0,0768 pu  7,68%
icc 1
pcc 0,030
rcc   2  0,030 pu  3%
icc2 1

xcc  z cc2  rcc2  0,0768 2  0,032  0,0707 pu  7,07%

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Podemos também calcular estes valores em , referidos a alta e a baixa tensão :


2
Vbase (138  10 3 ) 2
Z ccAT  z cc  Z base  z cc   0,0768   2925,2 
S base 500  10 3
2
'
Vbase (13,8  10 3 ) 2
Z ccBT  z cc  Z base
'
 z cc  '  0,0768   29,252 
S base 500  10 3
2
Vbase (138  10 3 ) 2
RccAT  rcc  Z base  rcc   0,030   1142,6 
S base 500  10 3
2
'
Vbase (13,8  10 3 ) 2
RccBT  rcc  Z base
'
 rcc  '  0,030   11,426 
S base 500  10 3
2
Vbase (138  10 3 ) 2
X ccAT  xcc  Z base  xcc   0,0707   2692,8 
S base 500  10 3
2
'
Vbase (13,8  10 3 ) 2
X ccBT  xcc  Z base
'
 xcc  '  0,0707   26,928 
S base 500  10 3
Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017
Grandezas em Por-Unidade (pu)

b) Circuito equivalente do trafo

Em pu: Em , referidos à alta tensão:


0,030 pu j0,0707 pu 1142,6  j2692,8 

41,667 pu j20,121 pu V1 1587 k j766,4 k V2

Em , referidos à baixa tensão:


11,426  j26,928 

V1 15,87 k j7,664 k V2

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Exercício 1:

A tensão terminal de uma carga conectada em , consistindo em três


impedâncias iguais de 2030  e 4,4 kV . A impedância em cada um das três
linhas que conectam a carga ao barramento numa subestação e Z L  2030  .
Ache a tensão, em pu, na barra da subestação, sabendo-se que a sequência de
fase é positiva.

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

a) Máquinas Elétricas Rotativas

O fabricante fornece:

1) A potência aparente nominal (kVA);

2) A frequência (Hz);

3) As impedâncias ( ou pu)
• Subtransitória – X’’
• Transitória – X’
• Regime permanente – X

Estas grandezas são os valores bases.

Em motores, são especificados a potência disponível no eixo, a tensão


nominal e as reatâncias, os quais são usados como os valores bases.

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Exemplo 1:

Um motor síncrono de 1500 cv, 600 V, x’’=10% funciona a plena carga com fator
de potência unitário e tem rendimento de 89,5%. Calcule o valor da reatância, em
Ohms.
Solução:

Pmec 1500  736


SN    1234  10 3 VA  1234 kVA
 cos  0,895  1

2
Vbase 600 2
X x
''
 0,10
''
 0,0292 
S base 1234  10 3

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Mudança de Base

Algumas ocasiões a impedância, em pu, de um componente do sistema está


expressa numa base diferente daquela desejada. Neste caso é necessário efetuar
a mudança para uma nova base.

A impedância Z, em pu, nas bases antigas Sbase-a e Vbase-a é dada por:

2
Z S basea Vbase
za  Z 2  Z  za a

Z basea Vbasea S basea

A impedância, Z, expressa em pu, nas bases novas bases Sbase-n e Vbase-n é


dada por:
2
V  S basen
2
Z S basen Vbase  a S base n
zn  Z 2  za 2
 z n  z a  basea 
Z basen Vbasen S basea Vbase n  Vbasen  S basea

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Exemplo 1

A reatância de um gerador, designada por x”, é dada como sendo 0,25 pu


baseado nos dados de placa do gerador de 18 kV e 500 MVA. A base de cálculos é
20 kV e 100 MVA. Encontre x’’ na nova base.
X ''
X ''   x ''  pu  Z base 
''
x base n V
2
 S basen
Z base n z n  z a  basea 
X ''   0,25 
18k  2
0,162 ou  Vbasen  S basea
n 
''
xbase 2
500M 20k 2  18  100
x  0,25 
''
 0,0405 pu
X ''   0,162 
'n
100 M  20  500
''
xbasen  0,0405 pu

Obs.: Normalmente a resistência e a reatância de um dispositivo são fornecidos


pelo fabricante em pu, nas condições nominais do equipamento.
Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017
Grandezas em Por-Unidade (pu)
Choque de Bases

Acontece que, nem sempre é possível fixar arbitrariamente os valores de base


para todos os trafos. Pode ser que numa rede contendo vários trafos e o último já
tenha suas bases fixadas pelos precedentes.

Veja a figura abaixo, onde temos 3 regiões (áreas).


Vbase2
T1 Área II S base2
Área I
Vbase 1
Sbase 1 VN1 VN2

T2 T3

' ' '' ''


VN1 VN2 Vbase3 VN1 VN2
Área III S base3

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)
Vbase2
T1 Área II S base2
Área I
 Para a área I, podemos adotar: Vbase 1
Sbase 1 VN1 VN2

Vbase-1 e Sbase-1
T2 T3

 Para a área II, a tensão base está fixada em '


VN1 '
VN2
Área III
Vbase3
''
VN1 ''
VN2
S base3
relação ao número de espiras (VN1 e VN2) e a
potência base da área I, ou seja:

VN 2
Vbase-2  Vbase1  e Sbase-1  S base-2
VN 1
 Para a área III, a tensão base está fixada em relação de espiras V’N1 e V’N2 de
T2, ou seja:

VN' 2
Vbase-3  Vbase1  ' e S base-3  S base-1
VN 1

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Consequentemente, os valores bases para T3, cuja relação de espiras V’’N1 e


V’’N2 estão fixados, ou seja:

a) Primário de T3:
VN' 2
Vbase-3  Vbase1  ' e S base-3  S base-1
VN 1

a) Secundário de T3:

VN 2
Vbase-2  Vbase1  e Sbase-2  S base-1
VN 1

S base-2  S base-1
Como :   S base-2  S base-3
S base-3  S base-1

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Mas, as tensões somente estarão na relação de espires de T3 quando:

Vbase-3 V N'' 1
 ''
Vbase-2 V N 2
Ou seja:

V N' 2 V N 1 V N'' 1
'
  ''
VN1 VN 2 VN 2

Consequentemente, se a condição acima não for verdadeira, o trafo não


poderá ser representado por sua impedância de curto circuito em série com um
trafo ideal de 1:1.

Na sequência, analisaremos o caso onde esta relação de espiras 1:1 não é


válida.

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Utilizaremos o circuito abaixo:


Z z
A A' N1 : N2 B A A' 1: B

V1 V2 v1 v2

N N N N
Circuito Circuito em pu

z
A A' 1: B

v1 v2

N N

Circuito em pu utilizando autotransformador


Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017
Grandezas em Por-Unidade (pu)

Sendo os valores bases no primário e secundário dado por:

Vbase-1
Vbase-1 , Sbase-1 e Vbase-2  VN2
VN1

Suponhamos que uma tensão V1 é aplicada, então temos:

VN2
V2  V1
VN1
Vbase-1

Em pu, temos: Vbase-1
V1 V2 V 1
v1  e v2   V1  N2   v1
Vbase-1 Vbase-2 VN1 Vbase-2

V1 Vbase-1 VN2 V V
v2     v1  base-1  N2
Vbase-1 Vbase-2 VN1 VN1 Vbase-2

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Denominando por vN1 e vN2, as tensões nominais, em pu, ou seja:

VN1 VN2
v N1  e v N2 
Vbase-1 Vbase-2

Temos:
v N2
v 2  v1 
v N1

Sendo:

v N2
α  v 2  v1  α
v N1

Concluímos que o trafo, em pu, pode ser substituído por sua impedância de
curto circuito em série com trafo ideal que tenha kvN1 espiras no primário e kvN2
no secundário.

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Exemplo 1
No diagrama da figura abaixo está representada uma rede monofásica da qual
sabe-se:
 A impedância da linha 2-3: ( 7,5+j10) ;
 A impedância da linha 1-4: ( 3,5+j5) ;
 As características do trafo T1: 1MVA; 13,2 kV-34,5 kV; x=6%;
 As características do trafo T2: 1MVA; 34,5 kV-13,8 kV; x=7%;
Pede-se determinar:
1. O diagrama de impedâncias ;
2. A corrente de circulação, quando a carga está desligada e a tensão na barra 1
é 13,2 kV;
3. As correntes e as tensões quando liga-se ao barramento 4 uma carga que
absorve 1 MVA, com fator de potência 0,8 indutivo e tensão de 13 kV.

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

1 4

Área I
Vbase 1  13,2 kV
Sbase 1  1 MVA

2 3
T1 T2 Carga

Área II
Vbase2  34,5 kV
S base2  1 MVA

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)
1 4
Solução: Área I
Vbase 1  13,2 kV
Sbase 1  1 MVA

a) T1
2 3
T2 Carga

Área II
Vbase2  34,5 kV

1 z 14 4 S base2  1 MVA

i
1

2 1: 
3
z T 1 z 23 z T 2

e i
 2

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

No gerador adotamos as seguintes bases :


Vbase  13,2 kV e Sbase  1 MVA

No transformador T1 adotamos as seguintes bases:


34,5
'
Vbase  13,2  34,5 kV e Sbase
'
 1 MVA
13,2
Como a realação de tensões de T2 é 34,5 kV : 13,8 kV, logo os valores de base fixados não estão na
relação de espiras de 1 : 1, em pu. Portanto, este deve ser substituído por sua impedância de curto
circuito referida ao valores de base que são: 34,5 kV e 1 MVA, em série com um trafo ideal
cuja relação de espiras é 1:α.
vN 2 VN2 13,8 VN1 34,5
 , mas vN2    1,045 e vN1    1,0
vN 1 Vbase2 13,2 Vbase1 34,5

1,045
α  1,045
1,0
Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017
Grandezas em Por-Unidade (pu)
Os valores, em pu, são :

zT1  j0,06 pu

Z 23 '
Vbase
z23  ' , mas Z base  ' 
' 34,5  10 3
2
 
2

 34,5 2 Ω
Z base Sbase 1  106

7,5  j10
z23  2
 0,006  j0,0084 pu
34,5
zT2  j0,07 pu

z14 
Z14
, mas Z base 
2
Vbase


13,2  10 3 
2

 13,2 2 Ω
Z base Sbase 1  106

z14 
3,5  j5   0,0201  j0,0287 pu
2
13,2

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)
1 z 14 4

b) Adotando os sentidos ilustrados na figura, temos : i


1

1: 
e  i1 z14  v4 
z T 1
2
z 23
3
z T 2
e i

e - i 2  zT1  z 23  zT2   v'4
2

mas v4  v'4  α e i2  i1  α

Então :

e  i1 z14    v4'

e  i1 z14   .e-i2 zT 1  z23  zT 2 

e  i1 z14   .e- .i1 zT 1  z23  zT 2 

Isolando i1 , tem  se :

i1 z14   2 .i1 zT 1  z23  zT 2    .e  e  e(  1)

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

(  1)
i1  e
z14   2 zT 1  z23  zT 2 

Substituin do os valores, tem  se :

Adotando e  10 pu
(1,045  1)
i1   0,247   81,5 pu
0,0201  j0,0287   1,0452 0,0063  j0,1384 

i2  i1  α  0,247   81,5  1,045  0,258  81,5 pu

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

c) Na carga, tem - se :
SC 1
sC    1 pu
Sbase 1
VC 13,0
vC    0,985 pu
Vbase 13,2
s 1
iC  C   1,015 pu
vC 0,985

Adotando : vC  0,9850 pu e θ  arc cos0,8  36,9

Tem - se :

iC  1,015  36,9 pu

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)
Agora temos o seguinte circuito (diagrama) :
1 z 14 4

i
2

1:
i
z T 1  z 23  z T 2 C

e i
 1 vC
vC

Então, tem - se :

    i1 
e  vC  i2 z14  e  i2 z14  vC   iC  .z14  vC
 
v
e  C  i1 zT 1  z23  zT 2  Substituindo i2

 
iC  i2  i1  i2  iC  i1
 

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)
Substituindo e na duas primeiras equações, tem  se :
  i1  vC  organizando e multipli cando
 C
i   14 C
. 
z  
v   i  
z  
z  
z 
  ambos os lados por α:
1 T1 23 T2
 
 z   v 
  i1 zT 1  z23  zT 2   i1 14   iC z14.  vC  C   
   
i1 zT 1  z23  zT 2   z14    iC z14  vC   1
α iC z14  vC α  1
i1 
α zT1  z23  zT2   z14
1,045.1,015  36,9.0,0201  j0,0287   0,985.1,045  1
i1 
1,405.0,0063  j0,1384   0,0201  j0,0287 
i1  0,459  73 pu

i2  iC  i1  0,70915,5 pu e  i2 z14  vC  1,0040,9 pu
α

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Valores em PU para Circuitos Trifásicos Equilibrados

Este ponto do estudo, será analisado a escolha dos valores bases para as
grandezas de linha e de fase, objetivando facilitar a análise.
Considere um circuito trifásico qualquer, para o adotaremos que os
dispositivos estejam ligados em estrela, sendo:

 VL = tensão de linha;
 VF = tensão de fase;
 I = corrente de linha ou fase (IL=IF em Y);
 S = potência aparente trifásica;
 SF = potência aparente por fase;
 ZF = impedância de fase.

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Estas grandezas se relacionam por:

VF  Z F .I
S F  VF .I
VL  3.VF

S  3.S F

Adotemos VbaseF e SbaseF os valores base por fase.


2
S VbaseF VbaseF
I baseF  baseF e Z baseF  
VbaseF I baseF SbaseF

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Em pu, temos (em módulo):


VF SF I VbaseF ZF S
vF  , sF  , iF  I e z  Z F baseF
2
VbaseF SbaseF I baseF SbaseF Z baseF VbaseF

Fixando as grandezas de linha base, temos:

VbaseL  3.VbaseF e Sbase  3.SbaseF

Consequentemente, temos:
Sbase 3.SbaseF S
I base    baseF  I baseF
3.VbaseL 3. 3.VbaseF VbaseF

VbaseL VbaseL
2 2
3 3 VbaseL VbaseF
Z base     Z baseF
I base Sbase Sbase SbaseF
em estrela 3.VbaseL
Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017
Grandezas em Por-Unidade (pu)

Consequentemente, temos:

VL 3.VF V
v   F  vF
VbaseL 3.VbaseF VbaseF

S 3.S F S
s   F  sF
Sbase 3.SbaseF SbaseF
Os valores de linha e de fase,
I I em pu, têm o mesmo valor.
i   iF
I base I baseF

Z Z
z   zF
Z base Z baseF

Obs.: Vale ressaltar que, circuito em Y, a tensão de linha esta 30° em relação à de
fase para sequência + e atrasada de 30° para sequência -.

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Exemplo 1
Três impedâncias de 3060  são ligadas em triângulo e alimentadas por
tensão de linha de 220 V. Pede-se determinar as correntes de fase e de linha e a
potência complexa absorvida pela carga.

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Valores em pu para Transformadores Y-Y


Sendo o trafo trifásico composto por um banco de três monofásicos, cujos os
valores nominais são: V1N, V2n, SN e z%, conforme representação esquemática
abaixo.

A1 3V1 B1 C1 A1
N1 Bases
S base  3S N
Vbase  3V1

Bases
S base  3S N
N2 Vbase  3V2
A2 3V2 B2 C2
A2
Diagrama trifilar Diagrama unifilar

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)
A1 z A2

A1 z A2

Neutro

Circuito em pu

N1 N2
Circuito monofásico equivalente

 3V1N
Sendo as tensões nominais: 

 3V2N

A potência nominal: 3S N

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

A impedância de cada fase, referida ao primário é dada por:


Z base

V12N SN
Z  ztrafo .  ztrafo  Z .
SN V12N

Então, a impedância do banco, em pu, será:

3S N SN
zbanco  Z .  Z. 2  zbanco  ztrafo
 3V1N 2
V1N

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Valores em pu para Transformadores -


V1N
As tensões nominais são: 
V2N

A potência nominal: 3S N

A impedância por fase, referida ao primário é dada por:

V12N
Z  z.
SN
Convertendo o  para Y, temos uma impedância Z/3, consequentemente, a
impedância equivalente, em pu, é dada por:

Z 1 1 V12N 3S N
z   z 2
 ztrafo
3 Z base 3 S N V1N

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Valores em pu para Transformadores Y-



 3V1N
As tensões nominais são: 

V2N

A potência nominal: 3S N

Substituindo o  para Y equivalente e, admitindo a sequência +, obtém-se,


após uma sequência de deduções matemáticas, os devidos valores para este tipo
de trafo os quais são apresentados logo abaixo.

zbanco  ztrafo
Se adotar como valores de base no primário: Vbase e Sbase
No secundário, tem-se:
V2 N
'
Vbase  Vbase '
e Sbase  Sbase
3V1N

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Isto em módulo, pois o trafo, em pu, é caracterizado pelo seguinte circuito:

A1 z A2
 30

Neutro

Circuito em pu

Isto é, um trafo ideal de relação de espira de 1:1 com um defasador puro que
defasa tensões e correntes em -30° entre o primário e o secundário, para
sequência + e, em +30° para sequência -.

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Valores em pu para Transformadores  -Y



V1N
As tensões nominais são: 

 3V2N

A potência nominal: 3S N

Além disso, os mesmo comentários anteriores são validos para esta situação
conforme está ilustrado na figura a seguir, para a sequência +.

A1 z A2
 30

Neutro

Circuito em pu
Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017
Grandezas em Por-Unidade (pu)

Máquinas Trifásicas (geradores e motores)

Para estes equipamentos, as grandezas de interesse são:


• Potência trifásica total (aparente);
• Tensão nominal de linha;
• Impedância subtransitória, transitória e de regime permanente nas bases
nominais.
Sendo que para motores a potência fornecida deve ser a potência mecânica
nominal.
Quando não há o fornecimento do rendimento para motores de indução, deve-
se utilizar:
• 1 cv = 1 kVA
Enquanto que, para os motores síncronos têm-se:
• 1 kVA = 0,85 cv para FP=1,0
• 1 kVA = 1,10 cv para FP=0,85

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Exemplo 1

Na figura abaixo tem-se o diagrama unifilar de um sistema de distribuição


trifásico no qual tem: uma subestação de distribuição que alimenta, por meio de
um trafo (T1) uma linha de distribuição primária, por meio de um trafo de
distribuição (T2) uma carga indutiva. Sabendo-se que:

• A impedância de cada fase da linha é: 7,2+j13 ;


• O trafo T1 é constituído por um banco de três monofásicos cujos dados de
Placa (chapa) são: 50,6 kV / 13,8 kV; 500 kVA; r=3% e x=8%;
• O trafo T2 é trifásico de 150 kVA; 13,8 kV  / 230 V Y; r=4% e x=7%;
• A carga absorve 80 kW; FP 0,9 indutivo; sob tensão de 230 V.

Determine a regulação de tensão na carga.


1 2 3 T2 4
T1
linha

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Solução:
Vamos inicialmen te dividir o sistema em três áreas distintas, conforme ilutrado na figura :

1 2 3 T2 4
T1
linha

Área III Área II Área I

Adotando como valores base na carga, área I, tem - se :


P 80
VbaseI  230 V e SbaseI  Scarga    89 kVA
cosφ 0,9
Na área II, temos :
13800
VbaseII  VbaseI   13,8 kV e SbaseII  SbaseI  89 kVA
230

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

As tensões do banco de trafos T1 são dadas por :


Y
Vpri  50,6  3  88 kV Vpri 88
VbaseIII  VbaseII   13,8   88 kV
Vsec  13,8 kV Vsec 13,8
Então :
S N  3  500  1,5 MVA
SbaseIII  SbaseII  89 kVA

Defasament o da tensão devido a mudança de área, uma vez que possui trafo com
conexões diferentes (Y - ) :
Área I  Área II   30 Y   e seq. 
Área II  Área III   30   Y e seq. 

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Cálculo das impedâncias :


88 2 89
zT1  0,03  j0,08   2   0,00178  j0,00475 pu
88 1500

89.10 3
z23  7,2  j13   0,00336  j0,00608 pu
13,8.10 
3 2

13,8 2 89
zT2  0,04  j0,07    0,0237  j0,0415 pu
13,8 2 150

Na carga tem - se :
PC 80
pC S
vC  1,0 pu iC   base  89  1 pu
vC .cosφ vC .cosφ 1.0,9

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Adotando i C na referência , ou seja, i C  10 :


1 2 3 T2 4
T1

vC  1arc cos(0,9)  125,8 pu


linha

i

v3  vC  zT2.i.1  30


v3  125,8  0,0234  j0,0415  .10  .1  30  1,0398  2,7 pu

v2  v3  z23.i.1  30


v2  1,0398  2,7  0,00336  j0,00608  .1  30  1,0456   2,5 pu

v1  v2 .1  30  zT1.i.1  30.1  30


v1  1,0456   2,5.130  0,00178  j0,00475   1,049427,7 pu

1,0494  1
reg%   100  4,94%
1
Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017
Grandezas em Por-Unidade (pu)

1 2 3 T2 4
T1
linha

Área III Área II Área I


SbaseIII  89 kVA S baseII  89 kVA SbaseI  89 kVA
VbaseIII  88 kV VbaseII  13,8 kV VbaseI  230 V

Diagrama unifilar

1 2 3 4 1 2 3 4
   
zT 1 z23 zT 2

zC

Circuito monofásico equivalent e Diagrama de impedância

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


Grandezas em Por-Unidade (pu)

Exercício 1

As três partes de um sistema monofásico são designadas por A, B e C e estão


interligadas por meio de transformadores, como mostra a figura a seguir. As
características dos transformadores são:
1:10 2:1

A B C 300 

A-B B-C

Se as bases no circuito B forem 10 MVA, 138 kV, determine a impedância, por


unidade, da carga resistiva de 300 , localizada no circuito C, referida a C, B e A.
Faça o diagrama de impedâncias desprezando a corrente de magnetização,
resistência dos transformadores e impedâncias da linha. Determine a regulação
de tensão, se a tensão na carga for 66 kV, supondo que a tensão de entrada do
circuito A, permaneça constante.

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017


UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO
Colegiado de Engenharia Elétrica

FIM
da Apresentação

Sistemas Elétricos I – Prof. Adeon Pinto Junho / 2017