Anda di halaman 1dari 6

Áreas Verdes Urbanas

Por Marina Martinez


As áreas verdes urbanas são espaços físicos urbanos com prevalência de vegetação
arbórea de grande importância no aumento da qualidade de vida da população. Fazem
parte destas áreas os jardins públicos, as praças, os parques, complexos recreativos e
esportivos, cemitérios, entre outros.

Área verde em grande centro urbano. Foto: Efired / Shutterstock.com

Quanto a sua classificação, as área verdes urbanas podem ser:

Urbanas privadas e semi-públicas: Fazem parte desta categoria os jardins residenciais,


hortos urbanos, verde semi-público.

Urbanas públicas: Estão inclusas nesta categoria os parques urbanos, as praças,


complexos recreativos e esportivos, jardim botânico e zoológico, cemitérios, entre
outros.

Sub-Urbanas: Pode-se citar como exemplo nesta categoria o cinturão verde

A arborização urbana, além da função paisagística, proporciona inúmeros benefícios à


população, tais como:

 Redução da poluição devido aos processos de oxigenação, neutralizando seus


efeitos na população;
 Diminuição da poluição sonora, reduzindo ruídos das grandes cidades;
 Diminui as temperaturas externas, absorvendo parte dos raios solares;
 Redução na velocidade dos ventos;
 Sombreamento;
 Abrigo à fauna existente;
 Influencia no balanço hídrico;
 Valorização visual e ornamental do espaço urbano;
Para preservar as áreas verdes urbanas e manter um conjunto de árvores vitais e com
aspecto visual conservado é necessário manter alguns procedimentos como:

 Realizar podas em árvores que possuem galhos, secos, lascados ou podres;


 Fazer a extração de árvores que oferecem risco de queda ou problemas
fitosanitários que não podem ser reparados;
 Substituição das árvores extraídas por novas árvores;
 Poda de levantamento de copa;
 Evitar e cuidar das possíveis pragas e doenças;
 Manter o gramado capinado e fazer a poda das arbustivas;
 Diversificar as espécies para plantio e priorizar as espécies nativas;

O uso público das áreas verdes urbanas está relacionado com sua conservação,
manutenção e segurança que estes espaços recebem. É papel dos órgãos públicos
gerenciarem estas áreas e dever da população mantê-las conservadas.

Ao planejar uma área verde urbana, é de extrema importância analisar as espécies de


árvores a serem utilizadas, analisando fatores como adaptabilidade, sobrevivência e o
desenvolvimento no local de plantio.

As áreas verdes urbanas surgiram na forma de jardins, cuja função era


dar prazer ao olfato e à visão; eram relacionadas ao paisagismo em si.
Os pioneiros dessa prática foram os egípcios e os chineses, há milhares
de anos.

As áreas verdes passaram a cumprir uma função social somente no século XIX, época quando
começou a haver o crescimento demográfico das cidades, em decorrência da I Revolução
Industrial. Isso ocorreu primeiramente na Inglaterra. Os ingleses entendiam a natureza como
um espaço aberto, ilimitado, ao qual o homem deveria se submeter. Isso fez com que eles
fossem pioneiros na idealização e na criação dos primeiros parques verdes públicos como hoje
os conhecemos. Dentre as modalidades existentes de áreas verdes urbanas, têm-se
principalmente os parques urbanos e os jardins botânicos.
No Brasil, o surgimento de áreas verdes urbanas remonta à metade do
século XVII, em Pernambuco, por obra do Príncipe Maurício de Nassau,
com a criação do Jardim Botânico de Recife. A função do Jardim
Botânico foi somente fazer parte de uma obra de paisagismo.

Nas últimas décadas, com um processo intenso de urbanização e com os


problemas ambientais criados por ela, a concepção a respeito de áreas
verdes também veio se alterando. Houve uma eclosão de políticas
públicas em direção à construção de áreas verdes nos centros urbanos
de todo o país, irradiadas por um discurso ambiental.

O meio ambiente urbano paulatinamente se tornou um ambiente artificial.


Em alguns casos, houve a criação de simulacros da natureza, pois no
surgimento da maioria das cidades brasileiras não houve uma relação
harmônica entre o ambiente urbano e o meio natural.

As áreas verdes nos centros urbanos cumprem três funções básicas: a


ecológica, a econômica e a social. Ecológica no sentido de proporcionar
conforto térmico em meio ao deserto urbano da cidade e abrigar
espécies da fauna e da flora. A social refere-se ao fato de esses espaços
tornarem-se locais para o ócio e o tempo livre. Permeando esses dois
aspectos, tem-se a função econômica, representada principalmente
pelas atividades turísticas e por ser um fator de valorização imobiliária de
áreas adjacentes.

Inicialmente precisamos classificar o que são áreas verdes urbanas

Existem diversas formas de classificar as grandes zonas naturais mantidas em programas


de preservação pelas autoridades públicas. Podem ser unidades privadas, fazendo parte
desta categoria os hortos urbanos e jardins residenciais. Porém, o maior número de áreas
verdes urbanas deve ser implantado pelo poder público, caso dos parques urbanos,
complexos recreativos, zonas esportivas, zoológicos, jardim botânico, cemitérios e das
praças.

Conheça os 10 melhores parques de São Paulo


Conheça nosso Instagram - Fotos dos parques do Brasil e do Mundo todos os dias!

Segurança, manutenção e conservação possuem relação direta com o usufruto das áreas
verdes urbanas, cuja depredação pode ser punida de acordo com o Código Penal.
Representa papel dos órgãos públicos a implantação e gestão ao passo que as
populações precisam manter o ambiente conservado.

Quando se planejam áreas urbanas se faz indispensável o pensamento sobre quais


espécies devem ser utilizadas, sendo que devem ser analisados três fatores elementares:
Desenvolvimento do local de plantio, sobrevivência e adaptabilidade.

Benefícios das Áreas Verdes Urbanas

 Função paisagística;
 Neutralização dos efeitos da população em consequência do processo de oxigenação;
 Redução da poluição sonora;
 Diminuição das temperaturas externas por causa da absorção dos raios solares entre
as espécies;
 Sombreamento;
 Redução da velocidade dos ventos;
 Abrigos para as faunas;
 Balanço hídrico influenciado;
 Valorização ornamental e visual;
 Melhoras significativas na qualidade do ar e ecossistema.
 Melhora a saúde física e mental de quem as utilizam, segundo estudos científicos
recentes e
 Propicia uma oportunidade para o exercício de convivência solidária entre pessoas e
natureza, para o estreitamento dos vínculos familiares e estabelecimento de novas
relações de amizades.

Dicas para Conservar Áreas Verdes Urbanas

 Podar árvores com galhos secos;


 Extrair árvores que oferecem riscos de queda e fazer a substituição;
 Poda especializada em levantar copas;
 Manutenção do gramado capinado;
 Cuidar e evitar com que surjam doenças e pragas;
 Priorizar espécies nativas e
 Diversificação de espécies no plantio