Anda di halaman 1dari 3

CEFET-MG - Campus II

Departamento de Engenharia Elétrica


Curso: Engenharia Elétrica
Disciplina: Laboratório de Sistemas de Medição

Prática 06: Utilização de TCs e instrumentos tipo Alicate –


Medição de corrente e de potência
Previsão
2 (duas) aula.
Objetivos
Avaliar a utilização de TCs e de instrumentos tipo alicate para medição de
corrente e de potência.

Material Necessário
1 multímetro digital.
1 shunt de corrente.
1 transformador de corrente (TC).
1 alicate amperímetro/wattímetro digital.
1 wattímetro convencional.
1 carga monofásica.
Cabos condutores.

Atividades /Experimentos

ATENÇÃO: ESTA PRÁTICA ENVOLVE CORRENTES


PERIGOSAS (lembre-se que 80 mA é suficiente para causar a morte e
correntes de alguns mA podem provocar danos graves).

Parte I – Medição de corrente


Preparação (deve constar no relatório)
Estude as seguintes estratégias para medição de corrente elétrica: 1) amperímetro;
2) shunt (conversor corrente-tensão passivo); 3) transformador de corrente e 4)
alicate amperímetro. Avalie as principais características de cada uma dessas
estratégias analisando: a) faixas de corrente a que se aplica, b) necessidade de
interrupção do circuito, c) necessidade de isolação elétrica entre dois circuitos, d)
incertezas introduzidas, e) características construtivas.
Considere a carga monofásica ilustrada na Fig. 1. Estabeleça um modelo para o
módulo da corrente total do circuito I. Determine uma expressão para cálculo da
incerteza combinada do mensurando (corrente total I). Deixe essa expressão em
função dos coeficientes de sensibilidade e das incertezas padrão das grandezas de
entrada do modelo.
Fig. 1 – Circuito monofásico.

Parte Prática
Meça as resistências de R1, R2 e do indutor (RL) e determine a incerteza padrão
dessas grandezas de entrada do modelo (por meio da incerteza do instrumento
utilizado na medição – lembre-se de que a especificação dos instrumentos digitais
fornece geralmente a incerteza expandida com nível de confiança de 95%, ou seja,
k ≈ 2). Meça a tensão de alimentação (fase-fase) Vff e determine a incerteza
padrão também com base na incerteza do instrumento utilizado na medição. Para
as grandezas de entrada frequência f e indutância L, adote como valor esperado os
valores nominais (f = 60 Hz e L = 185 mH) e uma incerteza padrão de acordo com
uma PDF uniforme. Determine o valor esperado de I e a incerteza combinada.
Alimente a carga monofásica com tensão fase-fase (220 V).
Realize a medição da corrente empregando o amperímetro digital. Não se esqueça
de anotar a incerteza do instrumento.
Realize a medição da corrente empregando o transformador de corrente. Não se
esqueça de anotar a incerteza associada ao TC e ao instrumento utilizado para
medição da corrente no secundário do TC.
Realize a medição da corrente empregando o alicate amperímetro. Não se esqueça
de anotar a incerteza associada ao instrumento.
Monte uma tabela incluindo o valor esperado do mensurando e todos os valores
medidos. Indique a incerteza em todos os casos. Analise os resultados. Em seus
comentários, não deixe de incluir uma discussão consistente sobre as diferentes
estratégias possíveis para medição de corrente elétrica.

Parte II – Medição de potência


Preparação (deve constar no relatório)
Faça uma breve revisão dos métodos de medição de potência (ativa) em circuitos
elétricos monofásicos e trifásicos. Aponte as principais fontes de erro de medição
de cada método e estratégias de correção/redução do erro. (Ver referências [3] e
[4].)
Disserte a respeito das situações em que é necessário utilizar transformadores de
corrente como dispositivo de condicionamento do sinal de corrente e do impacto
que este condicionador tem na medição de corrente e de potência. Descreva as
precauções a serem tomadas para não danificar os TCs.

Pág. 2 de 3
Desenhe o esquema de ligação para medição da potência de uma carga
monofásica utilizando um TC para alimentar a bobina de corrente do wattímetro.
A bobina de tensão será alimentada diretamente com a tensão entre os terminais
da carga.
Considere a carga monofásica ilustrada na Fig. 1. Estabeleça um modelo para a
potência ativa P consumida pelo circuito. Calcule o valor esperado do mensurado
(utilize os valores medidos na Parte I da prática das grandezas de entrada).
Considere ainda a carga monofásica ilustrada na Fig. 1. Estabeleça um modelo
para o fator de potência fp do circuito. Calcule o valor esperado do mensurado
(utilize os valores medidos na Parte I da prática das grandezas de entrada).

Parte Prática
Alimente a carga monofásica com tensão fase-fase (220 V).
Faça a medição da potência empregando o wattímetro convencional. Anote a
incerteza do instrumento.
Desenhe o diagrama de ligação para medição da potência da carga utilizando o TC
(relação 2:1) para alimentar a bobina de corrente do wattímetro. A bobina de
tensão será alimentada diretamente com a tensão entre os terminais da carga. Faça
a medição da potência. Anote a incerteza do TC e do wattímetro. (Observe que,
nesse caso, a incerteza da medição é uma combinação da incerteza do wattímetro
e do TC).
Faça a medição da potência utilizando o instrumento do tipo alicate. Meça
também o fator de potência. Anote a incerteza do instrumento.
Monte duas tabela separadas incluindo o valor esperado dos mensurandos
(potência ativa e fator de potência) e todos os valores medidos. Indique a incerteza
em todos os casos. Analise de forma consistente os resultados.
Baixe o manual do “Alicate Wattímetro Digital, ET-4091, Minipa” (disponível no
Sistema Acadêmico). Leia sobre as seguintes duas funções de medição: “Função
de Potência Trifásica 3-fios (3~3W) Carga Desbalanceada” e “Função de Potência
Trifásica 4-fios (3~4W) Carga Desbalanceada”. Com base nas instruções do
manual, explique de forma consistente como o instrumento realiza essas
medições. (Sugestão: Estude na referência [3] o método dos três wattímetros e o
método dos dois wattímetros.)

Referências Bibliográficas
[1] Schnell, Láslo, Technology of Electrical Measurements. Ed. Prentice Hall, New York,
1994.
[2] S. Tumanski, Principles of electrical measurement, CRC Press, 2006.
[3] S. de Medeiros Filho, Medição de energia elétrica, LTC, 1997.
[4] Notas de Aula.

Pág. 3 de 3