Anda di halaman 1dari 8

Caracterização e Comparação de alguns Agregados através do

Ensaio AIMS e seu Desempenho em Pavimentos.

RESUMO: O O trabalho refere-se a um estudo de agregados oriundos de várias localidades brasileiras, analisados
por uma caracterização de sua forma, angularidade e textura através de ensaio com o equipamento AIMS (Aggregate
Imaging System). O equipamento, através de recursos de microscopia e da análise das fotos capturadas, é capaz de gerar
dados representativos quanto sua característica física aparente, o que viabiliza e orienta o uso de determinados
agregados nas obras engenharia de pavimentos, tento em vista, que alguns destes possuem forma e textura que
prejudicam a trabalhabilidade e diminuem a vida útil do pavimento. Os agregados utilizados foram: ardósia, cascalho de
seixo rolado de calcáreo (Remblais), brita de granito, laterita, lastro degradado de uma ferrovia brasileira e 02 (duas)
escórias provenientes do beneficiamento do ferro. Foram necessários separar as amostras em faixas através do ensaio de
granulometria. Através do peneiramento, separou-se pelo menos 100 unidades de agregado retidos na peneira #4
(dimensão de 4,75 mm) para o ensaio no AIMS. Os resultados encontrados seguiram a metodologia desenvolvida por
Al -Rousan (2004) utilizando o método de Clusters para estabelecimento de grupos e limites por distribuição
cumulativa de propriedades.

PALAVRAS-CHAVE: Agregados, AIMS, Caracterização.

1 INTRODUÇÃO entre os grãos compactados em misturas


asfálticas (Bernucci et al., 2007).
Os agregados possuem diversas aplicações Apesar do grande avanço realizado com a
na construção civil, sendo usado como lastro implementação do estudo Superpave em análise
em vias férreas, bases para calçamentos, de pavimentos, existem desvantagens no uso
composição de revestimentos betuminosos, dos métodos tradicionais especificados: (i) falta
confecção de argamassas e concretos e etc. de conexão entre as propriedades de agregados
Com o avanço da informática, a utilização de graúdos e miúdos, (ii) resultados influenciados
análise de imagens digitais para caracterização por mais de uma propriedade de forma do
de agregados tem se expandindo no mundo, agregado, (iii) alguns ensaios além de
com vários estudos conduzidos na área. qualitativos são dispendiosos, (iv) medidas
Evangelista Jr. et al. (2005) comparou os indiretas de propriedades de forma ( Castelo
resultados obtidos através de técnicas de Branco et al., 2006 ). Demanda-se muito tempo
Processamento Digital de Imagens (PDI) a fim para analisar as características relacionadas à
de obter propriedades de lamelaridade, forma do agregado, apesar de se utilizar
angularidade e índice de forma e as comparou equipamentos simples, devido a medição
com os resultados obtidos através dos ensaios manual de cada unidade de agregado em uma
descritos pelo método Superpave para obtenção amostra representativa, além dos ensaios de
das mesmas propriedades e obteve resultados laboratórios determinarem um índice de forma a
satisfatórios. Souza el at. (2006) utilizou PDI partir de médias ao invés de uma distribuição
para simular ensaios de creep estático, cumulativa das propriedades ( Masad, 2002 ).
encontrando resultados concordantes com os
laboratoriais (Castelo Branco et al, 2006 ).
As características de forma e textura 2 MATERIAIS E MÉTODOS
influenciam na escolha adequada para o uso de
um agregado para um determinado fim. 2.1 Agregados utilizados
Agregados mais angulosos ou alongados, por
exemplo, necessitam de uma maior quantidade Foram escolhidos 04(quatro) agregados de
de pasta de cimento a fim de obter-se uma diferentes origens mineralógica e física, para
trabalhibilidade adequada do concreto de em seguida, serem analisados requisitos de
cimento (Mehta e Monteiro, 2008), entretanto, desempenho e pontencialidade do seu uso em
tais agregados apresentam melhor intravamento pavimentos. Dois agregados tratam-se de
escórias provenientes do beneficiamento de
minério (escória de aciaria da empresa cimento a fim de obter-se uma trabalhibilidade
Companhia Siderúrgica do Atlântico e outra adequada do concreto de cimento (Mehta e
escória de aciaria - denominada como Monteiro, 2008), entretanto, tais agregados
NEOBRITA®- provenientes da unidade da apresentam melhor intertravamento entre os
HasrcoMetal), uma brita convencional grãos compactados em misturas asfálticas
granilítica produzida em um britador no Rio de (Bernucci et al., 2007)
Janeiro e o ultimo agregado um resíduo de A NBR-7809:2006 (ABTN, 2006) define o
ardósia produzida no interior de Minas Gerais. método de verificação da forma do agregado
Uma imagem dos materiais estudados encontra- através do uso de paquímetros, onde é feita uma
se no esquema da Figura 1. média da relação entre a espessura do agregado
(menor distância entre planos paralelos entre si
e à direção do comprimento do grão, que o
tangenciam) e do comprimento do agregado
(maior dimensão). A norma NBR-6954:1989
caracteriza, também, a forma dos agregados a
partir de medições das três dimensões das
(a) partículas por uso de paquímetos: comprimento
(a), largura (b) e espessura (c), o resultado das
medições podem ser vistas na Tabela 2. Através
da relação entre as razões b/a e c/b classificam-
se os agregados como cúbicos, alongados,
lamelares e alongado-lamelares (Bernucci et al.,
(c)
2007).
(b)
Figura 1. Agregados utilizados (a) Escória CSA, (b)
Resíduo de Ardósia, (c) Brita de granito e (d) Escória Tabela 2. Classificação da forma das partículas NBR-
Hasco. 6954:1989.
Média das Relações b/a e c/b Forma
Com a definição de quais agregados analisar, b/a>0,5 e c/b>0,5 Cúbica
inicialmente estes passaram por uma b/a<0,5 e c/b>0,5 Alongada
caracterização física a fim de verificar sua b/a>0,5 e c/b<0,5 Lamelar
potencialidade na utilização como componente b/a<0,5 e c/b<0,5 Alongada-lamelar
em revestimentos asfálticos. Os ensaios
realizados estão descritos segundo a Tabela 1. Para agregados em misturas asfálticas, a
DNER-ME 086 (DNER, 94) descreve um
Tabela 1. Ensaios de caracterização física realizados nos ensaio de verificação do índice de forma,
agregados estudados na pesquisa. variando de 0,0, forma lamelar, a 1,0, de ótima
Granulometria DNER-ME 083/98 cubicidade, sendo adotado o limitie mínimo de
Densidade Real DNER-ME 084/95 0,5 de índice de forma dos agregados para uso.
Densidade DNER-ME 117/94
A análise da textura do agregado é feita de
Aparente
Físicos forma visual, distinguindo-se os materiais entre
Absorção DNER-ME 195/97
Abrasão Los DNER-ME 399/99 lisos e rugosos. Há evidências de que a
Angeles resistência do concreto durante as primeiras
Durabilidade DNER-ME 035/98 idades pode ser afetada pela textura do
agregado, no caso, uma textura mais áspera
2.2 Características de Forma, Textura, propicia uma aderência mais forte entre a pasta
Angularidade e Esfericidade de cimento e o agregado (Mehta e Monteiro,
2008).
As características de forma e textura A metodologia Superpave possui, também,
influenciam na escolha adequada para o uso de ensaios de determinação dos índices de forma e
um agregado em engenharia. Agregados mais da textura do material. Ao desenvolver as
angulosos ou alongados, por exemplo, técnicas utilizadas na metodologia, constatou-se
necessitam de um maior quantidade de pasta de que as propriedades de angularidade e
lamelaridade dos agregados influem para tráfego com numéro de repetições de eixo
diretamente na deformação de um pavimento padrão de N>106 (Evangelista et al, 2005).
(Bessa et al, 2009). Segundo esta metodologia, A angularidade dos agregados graúdos é outra
as propriedades dos agregados foram propriedade relacionada com a forma e textura e
classificadas em duas categorias: propriedades possui efeitos no grau de atrito interno entre os
de consenso e propriedades de origem. Houve agregados e na resistência à deformação de
consenso dos especialistas, integrantes do misturas asfálticas nas quais estes estejam
SHRP ( Strategic Highway Research Program), compondo. A avaliação só é realizada em
quanto a importância da avaliação das agregados com dimensões superiores a 4,75 mm
propriedades das angularidade do agregado que possuem uma ou mais faces fraturadas (
graúdo grosso, da angularidade do agregado Evangelista et al, 2005).
miúdo , agregados planos e alongados e finos A determinação da angularidade de agregados
plásticos. As propriedades de origem foram graúdos é segue a norma ASTM D 5821 01 –
estabelecidas a partir da falta de consenso dos Standart Tes Method for Determining the
especialistas, pois, apesar de serem críticas para percentage of Fractured Particles in Coarse
a qualidade da mistura asfáltica para Aggregate ( ASTM, 2001 ), que determina que
pavimentação, não era possível estabelecer seja feita a contagem, um a um, das partículas
valores limites de tais propriedades, já que são com objetivo de determinar as faces fraturadas
muito dependentes dos materiais de origem. São em um tamanho de amostra recomendada.
consideradas, portanto, propriedades de origem Quanto maior o número de partículas com faces
a resistência a abrasão, a sanidade e materiais fraturadas na amostra, menor a esfericidade e,
deletérios, tendo seus limites determinados consequentemente, menor a resistência ao
pelos departamentos rodoviários de cada estado cisalhamento e fricção entre a partícula e suas
(Motta et al., 1996). combinações na mistura (Evangelista et al,
A lameralidade está relacionada com o grau de 2005). Para vias de alto tráfego, é especificado
alongamento do agregado. Esse parâmetro pela metodologia Superpave um valor
relaciona a maior razão existente entre o percentual de 45% de partículas fraturadas. A
comprimento (maior dimensão) e a largura determinação da angularidade de agregados
(maior dimensão perpendicular ao miúdos é normatizado pela AASHTO TP 33 -
comprimento), ou entre a largura e a espessura Test Method for Uncompacted Void Content of
(menor diâmetro perpendicular ao Fine Aggregate (as Influenced by Particle
comprimento). Os ensaios são normatizados Shape, Surface Texture, & Grading), sendo
pela ASTM D 4791 99 – Standard Test Method determinada através de forma indireta,
for Flat Particles, Elongated Particles or Flat influenciada pela forma, textura e granulometria
and Elongated Particles in Coarse Aggregate dos agregado.
(ASTM, 1999), onde se determina a medição
das dimensões dos agregados, um a um, a partir 2.3 Ensaios AIMS
de uma amostragem recomendada. Classificam-
se quanto a lamelaridade os agregados como Para a caracterização de forma, textura,
planos, alongados ou plano/alongados, angularidade e esferecidad utilizou-se o
conforme as razões entre suas dimensões. procedimento de análise da microtextura de
A identificação da lamelaridade dos agregados cada agregado por meio do equipamento Pine
é crítica, pois, em misturas asfálticas, o uso de AFA2 Aggregate Imaging System (AIMS),
agregados planos ou alongados podem causar cedido para execução do ensaio pelo
problemas de quebra durante compactação ou CENPES/RJ (Figura 2).
pouca trabalhabilidade da mistura. Determina- O AIMS foi desenvolvido inicialmente pelo Dr.
se, pela metodologia Superpave, a avaliação dos Eyad Masad e utiliza o processamento de
agregados quanto a lamelaridade respeitando a imagens e técnicas de análises para a
proporção de 5:1, com limite máximo de 10% determinação de caractéristicas de forma e
de agregados ultrapassando a razão estabelecida textura de agregados (Bathina, 2005). E um
sistema totalmente digital integrado de
hardware de aquisição de imagens e um de imagens de partículas de agregados
computador dedicado que recebe os dados do capturadas. Os princípios envolvidos na análise
sistema de aquisição para em seguida analisá-lo. dos parâmetros são detalhadamente discutidos
em (Alrousan, 2004).

Figura 3. Imagem em escala de cinza para análise da


textura através do AIMS.
Figura 2. Aparelho compleo AIMS para análise de
textura, angularidade dos agregados.

O hardware de aquisição de imagens utiliza


uma camera e um microscópio, que realiza
tomada de imagens dos agregados dispostos na
bandeja e sistemas de iluminação superior e
inferior. O software computacional inclue uma
Figura 4. Imagem em preto e branco para análise da
interface para controle do hardware, análise de angularidade através do AIMS.
dados e ainda possui capacidade de exportação
de dados através de planilhas eletrônicas. A análise da angularidade é feita através dos
A partir das imagens capturadas, o software métodos radius method, desenvolvido por
analisa as propriedades em termos de cinco Masad et al. (2001) e Gradient Method.
parâmetros (raio angular, índice de forma, (Bathina, 2005) usando imagens em preto em
gradiente de angularidade, esfericidade e branco (Bathina, 2005). No método citado, o
textura) para agregados graúdos e os armazena índice de angularidade, IA, é definido como a
em um arquivo no formato excel. diferença entre o raio da partícula numa certa
Os resultados são dispostos individualmente direção com o raio de uma elipse equivalente.
para cada amostra de agregado e um sumário
constituído de parametros estatísticos da IA = (1)
amostra de agregados analisada, Alrousan
(2004) apresenta detalhadamente os parâmetros onde é o raio da partícula em um ângulo ; e
utilizados no software de captação dos dados. é o raio da elipse equivalente em um
Bathina (2005), em seu estudo sobre o AIMS ângulo (Masad et al., 2001)
determina as características de forma e de A análise de forma se faz através da análise das
textura de agregados graúdos e miúdos atavés imagens em preto e branco dos agregados,
da análise de imagens capturadas das partículas obtendo a maior dimensão (dl), a dimensão
de agregado (em escalas de cinza, Figura 3 e em intermediária (di) e a menor dimensão (ds). A
formato preto e branco, Figura 4). As imagens espessura do agregado é determinada através do
em preto e branco são analisadas para a auto-foco da lente da câmera. As outras
determinação das características de forma e dimensões, maiores e menores, são
angularidade, as em escalas de cinza, para determinados através de análise de autovetores.
textura. Dentre os possíveis índices que se pode obter
Conforme (Bathina, 2005), AIMS determina as através da forma, são calculados no AIMS os
características de forma e de textura de índices de esfericidade e fator de forma
agregados graúdos e miúdos atavés da análise (Fletcher et al., 2002) :
Tabela 6. Resultados dos ensaios de caracterização física.
Ensaio Resultado Limites
Densidade Real 2,70
Densidade 2,68
(2) Brita Aparente
Granítica Absorção 1,40% ≤2
Abrasão Los 24% ≤65
Angeles
(3) Durabilidade 2,10% ≤12

A análise de textura se dá através da Teoria de De acordo com os resultados obtidos


Wavelet, utilizando vários parâmetros paraas excetuando-se o valor de absorção para a
inferências, ao contrário das análises Escória Hasco, todos os demais ensaios
convencionais de textura que utilizam atingiram valores dentro das especificações
geralmente apenas um parâmetro. O método é mínimas exigidas. O que torna estes agregados
mais detalhado em Fletcher et al., 2002. viáveis para utilização em pavimentação.
As curvas granulométricas (Figura 5 a 7) estão
3 RESULTADOS E DISCUSSÕES dispostas em seguida e mostram que todos os
agregados são graúdos predominando a peneira
3.1 Ensaios de Caracterização Física nº 4.
Os ensaios de caracterização foram executados
no Laboratório de Ligantes e Misturas
Betuminosas do Intituto Militar de Engenharia
seguindo a norma DNER-ME tal e tal para
coleta de amostras representativas.
Os resultados de cada ensaio apresentam-se
dispostos nas Tabelas 3 a 6 para cada tipo de
agregado analisado.

Tabela 3. Resultados dos ensaios de caracterização física.


Ensaio Resultado Limites
Densidade Real 2,94
Densidade Aparente 2,89 Figura 5. Distribuição granulométrica por peneiramento
Ardósia da Ardósia.
Absorção 1,41% ≤2
Abrasão Los Angeles 22% ≤65
Durabilidade - ≤12

Tabela 4. Resultados dos ensaios de caracterização física.


Ensaio Resultado Limites
Densidade Real 3,38
Densidade Aparente 3,0
Escória
Hasco Absorção 3,5% ≤2
Abrasão Los Angeles 24,9% ≤65
Durabilidade 4,4% ≤12

Tabela 5. Resultados dos ensaios de caracterização física.


Ensaio Resultado Limites
Densidade Real 3,27 Figura 6. Distribuição granulométrica por peneiramento
Densidade Aparente 3,13 da Escória de aciaria CSA.
Escória
CSA Absorção 1,38 ≤2
Abrasão Los Angeles 21,45% ≤65
Durabilidade 2,13% ≤12
275) e (v) polido (< 165). Os parâmetros para
esfericidade são classificados em: (i) alta
esfericidade (> 0,8), (ii) moderada esfericidade
(entre 0,7 e 0,8), (iii) baixa esfericidade (entre 0,6
e 0,7) e (iv) lamelar/alongado (< 0,6). Com
relação ao índice de forma são classificados em:
(i) circular (< 6,5), (ii) semi-circular (entre 6,5 e
8,0), (iii) semi-alongado (entre 8,0 e 10,5) e (iv)
alongado (> 10,5). Relacionado à forma, o AIMS
ainda apresenta o resultados das relações entre os
rL e rC e a razão de lamelaridade (razão rI e rL).
Figura 7. Distribuição granulométrica por peneiramento Esta última análise foi incluída visto que um dos
da Escória de aciaria Hasco. critérios estabelecidos pelo Superpave é o que o
máximo percentual de partículas com razão 1:5
A Tabela 7 apresenta os percentuais passantes (razão entre rC e rL ) seja de 10% (Roberts et al,
da Brita Granítica evidenciando a que a maior 1996).
quantidade da amostra encontra-se acima da Os resultados do ensaio seguiram conforme os
peneira referida anteriormente. gráficos dispostos abaixo (Figura 8 a 12)

Tabela 7. Tabela de Distribuição granulométrica por


peneiramento da Brita Granítica.
Brita 1
PENEIRAS %
PASSANTE
1 1/2" 100,00%
1" 100,00%
3/4" 97,05%
1/2" 49,68%
3/8" 13,39%
4 0,10%
10 0,10%
40 0,09%
80 0,05%
200 0,02%
Figura 8. Gráfico de distribuição acumulada de partículas
Fundo 0,00%
com relação à Angularidade pelo AIMS.

3.1 Ensaio AIMS

Os resultados obtidos através do equipamento


AIMS seguem a metodologia desenvolvida por
Al-Rousan (2004) utilizando o metodo de
Clusters para estabelecimento de grupos e limites.
Relativo à angularidade os agregados são
classificados com relação ao índice de
angularidade em: (i) angular (> 5.400), (ii) sub-
angular (entre 4.000 e 5.400), (iii) sub-
arredondado (entre 2.100 e 4.000) e (iv)
arredondado (< 2.100). Em relação à textura são
classificados com relação ao índice de textura em:
(i) alta rugosidade (> 460), (ii) moderada
rugosidade (entre 350 e 460), (iii) baixa Figura 9. Gráfico de distribuição acumulada de partículas
rugosidade (entre 275 e 350), (iv) liso (entre 165 e com relação à Esfericidade pelo AIMS.
escória Hasco e a brita granítica da Sigeo foram
classificadas como “circular”, a escória CSA
como “semi-circular” e a ardósia “semi-
alongada”. Sobre textura todas obtiveram
resultado classificado como “liso”. O resultado
relaivo a esfericidade classificou a escória CSA
e Hasco como “moderada esfericidade”, brita
granítica como “baixa esfericidade” e a ardósia
como “lamelar-alongada”. Para classificação
Superpave a proporção de 1:3 foi encontrada
nas duas escórias, a proporção 1:5 foi obtida
para Ardósia e a brita da Sigeo atingiu o
resultado entre 1:3 e 1:5.
Figura 10. Gráfico de distribuição acumulada de
partículas com relação à Rugosidade pelo AIMS.
Os dados estatísticos são mostrados na Tabela 8
a 12

Tabela 8. Tabela de dados estatísticos referente ao índice


de forma.
Quant. Desvio
Amostra Tam Média
Padrão
19.0 (0.75)_CSA 19 37 6,84 1,26
9.5 (0.375)_Sigeo 9,5 71 6,85 1,37
9.5
(0.375)_Ardosia
9.5 9,5 46 8,48 2,01
4.75 (#4)_Hasco 4,75 83 6,06 1,83

Tabela 9. Tabela de dados estatísticos referente a


Figura 11. Gráfico de distribuição acumulada de angularidade.
partículas com relação ao Índice de Forma pelo AIMS.
Quant. Desvio
Amostra Tam. Média
Padrão
19.0 (0.75)_CSA 19 37 3312,4 1143,0
9.5 (0.375)_Sigeo 9,5 71 2784,9 645,9
9.5
(0.375)_Ardosia
9.5 9,5 46 3183,6 611,8
4.75 (#4)_Hasco 4,75 83 2502,4 990,5

Tabela 10. Tabela de dados estatísticos referente a


textura.
Particulas Desvio
Amostra Tam. Média
Analisadas Padrão
Figura 12. Gráfico de dispersão de partículas na relação 19.0 (0.75)_CSA 19 37 210,6 82,8
9.5
1:5. (0.375)_Sigeo 9,5 71 316,6 130,9
9.5
Com os dados obtidos através de ensaio no (0.375)_Ardosia
9.5 9,5 46 291,5 106,7
equipamento AIMS e o tratamento dos 4.75
resultados realizados por meio de inferência (#4)_Hasco 4,75 83 208,3 71,7
através da estatística descritiva é possível
Tabela 11. Tabela de dados estatísticos referente a
verificar que para dados de angularidade todos
esfericidade.
os agregados atingiram classificação tipo “sub-
arredondado”. Em relação ao índice de forma a
BERNUCCI, L.B., L. M. MOTTA, J. A. P. CERATTI
E J. B. SOARES Pavimentação Asfáltica: Formação
Básica para Engenheiros. 1. ed. Rio de Janeiro, RJ,
Quant. Desvio 2007.
Amostra Tam. Média
Padrão ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas.
19.0 (0.75)_CSA 19 37 0,74 0,08 NBR 7211 Agregados para construção, 1982.
DNIT – Departamento Nacional de Infra-estrutura de
9.5 (0.375)_Sigeo 9,5 71 0,68 0,08
9.5 (0.375)_Ardosia
Transportes. DNIT 031/2004 - ES Pavimentos flexíveis
9.5 9,5 46 0,56 0,09 – Concreto Asfáltico - Especificações de serviço, 2004.
ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas.
4.75 (#4)_Hasco 4,75 83 0,74 0,08
NBR 7809 - Agregado graúdo – Determinação do
índice de forma pelo método do paquímetro – Método
Esses dados estatísticos corroboram com a de ensaio, 2006.
classificação encontrada no resultado do AIMS. ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas.
NBR 6954 – Lastro padrão– Determinação da forma do
material, 1989.
4 CONCLUSÕES
DNER – Departamento Nacional de Estradas e
Rodagem. DNER-ME 086/94 Agregado – Determinação
Dos 04(quatro) agregados utilizados apenas a do índice de forma, 1994.
escória da Hasco não atingiu valor de absorção ASTM D 4791 99 – Standard Test Method for Flat
adequado às normas, as demais atenderam a Particles, Elongated Particles or Flat and Elongated
Particles in Coarse Aggregate, 1999.
todos os requisitos técnicos de caracterização
BESSA, I. S.; CASTELO BRANCO, V. T. F. AND
física para uso em pavimentação. SOARES, J. B. (2009) - Caracterização de Agregados
O ensaio AIMS além de ser um ensaio rápido, Convencionais e Alternativos Utilizando Técnicas de
poupando tempo e muito trabalho relativo aos Processamento Digital de Imagens. XXIII Congresso de
ensaios tradicionais de caracterização de forma, Pesquisa e Ensino em Transportes, ANPET,
Vitória, ES.
textura, angularidade e índice de forma; indicou
MOTTA, L.M.G.; TONIAL, I.; LEITE, L.M.;
resultados precisos e confiáveis, confirmados CONSTANTINO, R.S. Princípios do projeto e análise
pelos dados estatísticos. Superpave de misturas asfálticas. Tradução comentada,
Apesar do resíduo de ardósia ter tido resultado Petrobras, 1996.
de esfericidade lamelar-alongada, enquadrou-se EVANGELISTA JR., F., L. T. SOUZA E J. B.
SOARES (2005) Processamento Digital de Imagens
na caracterização Superpave na proporção 1:5.
Aplicado à Caracterização de Agregados Quanto à
Os agregados de escória de aciaria (CSA e Forma. In: XIX Congresso de Pesquisa e Ensino em
Hasco)e a brita granítica Sigeo atingiram Transportes, ANPET, Recife, PE.
resultados satisfatório quanto sua classificação MASAD, E., T. FLETCHER., C.CHANDAN, K.
para sua utilização na pavimentação, não SIVAKUMAR - Aggregate imaging system (aims) for
characterizing the shape of fine and coarse aggregates. A
apresentando nenhum impedimento físico. O
Paper Submitted to the 82nd Annual Transportation
que permite sua utilização na pavimentação. Research Board for Presentation and Publication, 2002.
BATHINA, M. - Quality analysis of the aggregate
AGRADECIMENTOS imaging system (AIMS) measurements. A Tesis
Submitted to the Office of Graduate Studies of Texas
A&M University in partial fulfillment of the
Os autores agradecem ao CENPES e ao
requirements for the degree of MASTER OF SCIENCE-
Exército Brasileiro. TEXAS A&M UNIVERSITY, 2005
AL-ROUSAN, T.M. - Caracterization of Aggregate
Shape Properties Using a Computer Automated System.
REFERÊNCIAS Tese de Ph.D. TAMU, College Station, Texas, Estados
Unidos.
CASTELO BRANCO, V. T. F.; E. Masad; D. N.
Little; J. B. Soares e L. M. G. Motta Caracterização de
Forma,Angularidade e Textura de Agregado de Brita
Granítica e Escórias de Aciaria Usando o Aggregate
Imaging System (AIMS). XX Congresso de Pesquisa e
Ensino em Transportes - ANPET, Brasília, 2006
ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas.
NBR 9935 Agregados – Terminologia. 2011.