Anda di halaman 1dari 141

Henry Alfred Bugalho

A
GUI
Nova York
para Mãos-de-VAca
Esta obra está protegida pela Licença Creative Commons de Atribui-
ção-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5.
Para ver uma cópia desta licença, visite http://creativecommons.org/
licenses/by-nc-nd/2.5/br/

Capa e Diagramação:

Henry Alfred Bugalho

Obra de:

Henry Alfred Bugalho

Colaboração:

Denise Nappi

Fotos:

Henry Alfred Bugalho e Denise Nappi

www.maosdevaca.com

2008
Libra Editorial
Nova York
Para Denise,

Meu grande amor e

minha companheirinha de aventuras


ÍNDICE

Apresentação i

PRIMEIRA PARTE
O Fundamental da Cidade
O Fundamental da Cidade 1
Deslocando-se por Nova York 3
Metrô 5
Ônibus 7
Táxi 9
Banheiros 12
Telefones 14
Épocas do Ano 16
Internet 25
Gorjetas 27

SEGUNDA PARTE
Atrações Turísticas
Guggenheim Museum 31
MOMA - Museu de Arte Moderna 32
The Metropolitan Museum of Art 34
Biblioteca Pública de Nova York 36
Grand Central 39
Estátua da Liberdade 41
Museu de História Natural 43
Times Square 45
Ponte do Brooklin 48
Central Park 50
South Seaport - Píer 17 52
Ground Zero/WTC 54
Quinta Avenida 56
O Bondinho para Roosevelt Island 59
TKTS 61

TERCEIRA PARTE
Alimentação
Fast Food 65
Café-da-Manhã (Delis) 67
Dunkin Donuts 69
Dallas BBQ 71
O Quente dos Cachorros-Quentes 73
Pizzarias 74
Restaurantes Tamanho Família 76

QUARTA PARTE
Compras
Jack’s World 81
Foot Locker 83
Century 21 85
Chinatown 87
Lojas de Eletroeletrônicos 89
B&H Photo 93
Comprando Livros 94
Manhattan Mall 96
Woodbury Commons 98
IKEA 103
Jersey Gardens 105
Thrift Shops 107

QUINTA PARTE
Hospedagem
Apartamentos, Hotéis e Albergues 111

Agradecimentos Especiais 127


Sobre o autor 129
APRESENTAÇÃO

Chamar este livro de guia é quase um exagero.

Quando falamos em guias de viagem, já nos vem à mente


um catatau, cheio de informações — referências, atrações turís-
ticas, nomes de ruas, casas de personalidades...

A proposta do Guia Nova York para Mãos-de-Vaca é


de ser um diálogo, assim como quando, ao visitar a cidade dum
amigo seu, este o leva para conhecê-la e lhe diz o que vale ou
não a pena: “este restaurante é muito bom”, “nesta loja eles vão
te meter a faca”, “este é o melhor sanduíche da cidade” e assim
por diante.

Este seu amigo não fala com ares de autoridade, como


­ lguém dotado dum conhecimento objetivo superior ao dos
a
­demais seres humanos, ele fala daquilo que o agrada e toda
­recomendação que dá é fruto da opinião pessoal dele. Talvez
muitas das recomendações deste amigo valham para você, talvez
não, mas a constatação disto depende de você ir lá e descobrir.

Quando o blog “Nova York para Mãos-de-Vaca”


(­www.­­maosdevaca.com) surgiu, um ano atrás, a idéia era de
cumprir este papel: um amigo lhe dizendo o que há de legal para
se fazer em Nova York, sem a necessidade de gastar muito.

Por isto, esta obra não é um guia tradicional, e nem


­pretende ser.

As dicas que se seguem são uma seleção do que há de mais


interessante em Nova York. É impossível falar sobre tudo que
há na cidade, pois, semelhante a um organismo vivo, ela se

i
­ odifica, se renova, se expande, envelhece, é diferente a cada
m
dia que passa.

Entenda “mão-de-vaca” como a organização inteligente do


seu dinheiro, com a intenção de ajudá-lo a aproveitar ainda mais
sua experiência nesta cidade encantadora.

Tenha uma boa viagem,

Henry Alfred Bugalho

fevereiro de 2008

ii
Primeira Parte
O Fundamental da Cidade
O FUNDAMENTAL DA CIDADE

Os cinco boroughs são:


Manhattan, The Bronx,
­Queens, Brooklin e Staten
­Island.

Se seu avião pousar em al-


guns dos dois principais aero-
portos da cidade - o JFK ou o
LaGuardia -, você terá de ir do
Brooklin ou do Queens para o
hotel em que você se hospeda-
rá. Se seu orçamento permitir,
o ideal é ficar em Manhattan,
de onde é mais fácil se deslo-
car para curtir as atrações tu-
Antes de cair de pára- rísticas de Nova York.
quedas no meio de Nova
York, é fundamental conhecer Com exceção de
­algumas coisas básicas sobre a ­ anhattan e Brooklin (que
M
cidade. possui um pequeno centro his-
tórico), você dificilmente irá
Quando falamos na para os outros três ­boroughs, a
c­ idade Nova York, ­geralmente não ser que more lá. Em alguns
estamos nos referindo à ilha casos, nem é ­recomendado,
de Manhattan. É nela que pois certas ­áreas do Brooklin
­estão quase todas as princi- e do Bronx não são muito
pais atrações turísticas. ­seguras e ­também não há mui-
to o que se ver.
A grande Nova York é
composta por cinco ­boroughs, Entre as décadas de 70 e
que não são bairros, mas 90, Nova York foi uma cida-
também não são cidades; os de com altos índices de cri-
boroughs são divisões admi- minalidade. Porém, após os
nistrativas de Nova York e, no atentados de 11 de setembro,
interior de cada um deles, há o prefeito Rudolf Giuliani se
vários bairros. mobilizou para tornar Nova
York uma das metrópoles
1
mais seguras do mundo. Você Mas se você for o 1% aza-
não precisa se preocupar com rado e for furtado, a polícia
assaltos, furtos ou roubo. será muito prestativa e lhe
Aqui, quando alguém assal- dará assistência.
ta outro com faca é notícia
no jornal. Até os pobres aqui
usam Nike, então, não há por
que se preocupar em ter o seu
E, o mais importante,
Rainha System roubado por
saiba utilizar o metrô. Nova
pivetes.
York tem um dos maiores
e mais eficientes sistemas
Não há razão também de metrô do mundo. Você
para esconder máquinas foto- ­poderá chegar a qualquer
gráficas, IPod ou notebooks. ­lugar com ele, e este é o meio
Quase todo mundo tem isto de ­transporte mais rápido
por aqui e, com certeza, não da cidade. Você pode cruzar
vão invejar o seu. As pessoas Manhattan de cima a baixo,
brincam que em Nova York do Harlem a Downtown, em
pode-se contar dinheiro, à pouco mais de meia hora.
noite, nas ruas do Harlem,
sem ter medo. E isto não está
muito longe de ser verdade.

2
DESLOCANDO-SE POR NOVA YORK

A tarifa do metrô e do pena comprar o passe diário,


ônibus é, atualmente, de dois que, no prazo de 24 horas após
dólares (U$ 2,00). a compra, lhe dá o direito de
ir e vir irrestritamente. Custa
Imagine agora se você apenas 7,50 dólares e, se você
resolve ir para Downtown, for usar o metrô mais do que
­visitar a bolsa de valores de quatro vezes (o que não é difí-
manhã, passar pelo Empire cil), já valeu a pena.
States na hora do almoço, e, à
tarde, conhecer o ­Metropolitan Se você for ficar três dias
­Museum. Quando você ­voltar ou mais, compre o passe se-
para o hotel, terá gasto 8 manal. Custa 25 dólares.
­dólares. Se você repetir esta
maratona por cinco dias, terão Mas, se você for ficar mais
sido 40 dólares. de 25 dias, vale a pena comprar
o mensal. Custa 81 dólares.
Pode parecer pou-
co, mas não é, ainda mais ­ omo
C comprar o
quando o sistema de metrô ­METROCARD?
de Nova York oferece um
­serviço ­extraordinário como o
Em todas as estações
­METROCARD.
de metrô, há máquinas que
­vendem os passes.
O METROCARD é um
passe que permite você utilizar
Basta clicar em Start
o trem, o ônibus e o bondinho
(na tela mesmo) e escolher o
para Roosevelt Island quan-
­idioma.
tas vezes quiser, sem que você
precise pagar por cada trajeto.
Faremos a simulação em
inglês (English):
Existem três opções de
METROCARD: o diário, o se-
manal e o mensal. - Selecione Buy Metrocard
(comprar M
­ etrocard),
Se você for ficar somente
um dia em Nova York, vale a - New (novo),

3
- Unlimited Ride (corridas c­ artão, pois, se você perdê-
­ilimitadas) lo, é a maior burocracia para
­reaver seu dinheiro, isto se
- e, por fim, escolha qual tipo você chegar a reavê-lo.
de passe você deseja, de um,
sete ou trinta dias. É importante ressaltar
que este cartão oferece via-
gens ilimitadas, porém, você
não pode utilizá-lo duas vezes
seguidas antes de transcorri-
dos 18 minutos, ou seja, você
não pode comprar um e passar
para si, para seu pai, sua mãe,
sua irmãzinha e para o men-
digo na estação. A não ser que
você espere 18 minutos para
cada cabeça...
Leve dinheiro trocado,
pois a máquina não costu- Depois de estar com seu
ma devolver troco de altos METROCARD em mãos, é só
­valores. passá-lo na catraca e ­desfrutar
do mundo subterrâneo de
­Manhattan.
E cuide bem do seu

MTA - Responsável pelo transporte em NY


www.mta.info

Passagem individual
A passagem individual custa U$2.00, porém, se você ­comprar
um metrocard de U$7.00 ou mais, você recebe 15% de bonus
sobre o valor adquirido.

METROCARD
1 dia - U$ 7,50
7 dias - U$ 25,00
14 dias - U$ 47,00
30 dias - U$ 81.00

4
METRÔ

São poucas as linhas que


cruzam a cidade sentido leste-
oeste, as principais são N, R e
W, que vêm do Queens para
Manhattan, o Shuttle (tras-
lado em português), que faz
somente o trajeto entre ­Times
Square a Grand Central, o
trem 7 e a linha L. Nenhum
metrô atravessa o Central
Park, se você estiver uptown
e quiser passar para o outro
O metrô de Nova York lado, obrigatoriamente terá de
pode levá-lo a qualquer lugar recorrer ao ônibus.
dos cinco boroughs.
Todos estes números e
Antes de tudo, porém, letras assustam um pouco, no
você tem que pensar a cidade começo, mas, assim que você
como se ela fosse dividida em chegar a Nova York, eles farão
quatro seções: norte, sul, leste parte do seu dia-a-dia e logo
e oeste. você se acostumará.

A maioria das linhas o


levará de norte a sul sem pro-
blemas, elas vêm do Bronx, O importante é saber que
cruzam toda Manhattan e quando você está indo para
continuam para o Brooklin. o norte, você tem de ­pegar
o trem para UPTOWN, para
o sul, ­DOWNTOWN. Não
se ­preocupe se você entrar
no lado errado da estação,
As linhas 4, 5 e 6 correm
no sentido de Downtown
pelo lado leste da cidade, já as
quanto você queria ir para
linhas 1, 2, 3, A e C pelo lado
­Uptown. Isto ocorrerá ­muitas
oeste.
vezes até você se habituar
com as ­direções, alguns dos
­funcionários do metrô ­serão

5
simpáticos e deixarão que você Outra informação impor-
entre sem ­precisar ­comprar tante: existem dois ­tipos de
outra ­passagem, ­outros serviço de trens, o ­primeiro
­manterão a típica ­postura de ­deles é o LOCAL, que pára a
quem ­trabalha com o ­público cada dez ou nove ­quadras e,
em NY, serão antipáticos e por isto, costuma ser mais de-
­arrogantes, e se divertirão com vagar; o segundo é o ­EXPRESS,
seu equívoco. Paciência... e, como o nome sugere, ele é
expresso, ou seja, só pára nas
estações mais ­importantes.
­Esteja atento para se o trem
que você está pegando é
Então, lembre-se:
­LOCAL ou EXPRESS, para
que você não corra o risco
de pegar o segundo e pular a
­estação na qual você queria
- para o Norte, UPTOWN; desembarcar.

- para o Sul, DOWNTOWN.

Às vezes, acontece de
um trem Local mudar para
As maiores estações de ­Express no meio do caminho.
trem, como Times Square, No entanto, o maquinista
Grand Central, Union ­Square, sempre avisa, por autofalan-
Penn Station, permitem que tes, da mudança. Sempre há
você faça conexões com ­vários aqueles distraídos, ou que não
trens diferentes, ­portanto, falam inglês, que vão embora
você não precisa pagar sem prestar atenção... Coisas
­outra ­passagem caso ­esteja de Nova York!
­chegando de outra linha, ou
se entrou no lado errado da
estação, mas basta seguir as
indições para chegar ao lugar
certo. Em ­todas as estações,
há mapas com as linhas e
­estações do metrô, então, fica
fácil saber onde você está e
para onde deve ir.

6
ÔNIBUS

ruas. O metrô o leva a quase


todos os lugares, mas o ônibus
o levará, realmente, a todos
os ­lugares da cidade. E, como
já foi dito, você pode usar o
­mesmo ­METROCARD que
serve para o metrô.

Quando falamos sobre


a rede de trens, apontamos
um dos defeitos das linhas
de metrô. Elas cruzam a ci-
dade no sentido Norte-Sul,
­porém, quando se trata de
­viajar ­Leste-Oeste, o metrô
é um pouco deficiente. Os
O ônibus é o melhor modo ônibus suprem, por sua vez,
para se ver a cidade, isto se esta ­carência. Estas linhas
você não estiver com pressa. ­chamam-se CROSSTOWN
e são particularmente úteis
Apesar do metrô ser quando se trata de cruzar do
r­ ápido e eficiente, não é nada Upper East Side para o Upper
estimulante visualmente. West Side, quando o ônibus
As estações são quase todas atravessa o Central Park.
iguais, você desaparece em
meio a um ponto turístico e
reaparece em meio a outro. Já
com o ônibus, você estará ao ar O embarque é feito
livre, vendo a cidade ­passando pela porta dianteira, mas o
por você, conhecendo áreas ­desembarque pode ser feito
notórias e aquelas que não por ambas as portas (­dianteira
são assim tão badaladas, mas ou traseira). Para solicitar o
igualmente curiosas. desembarque, basta apertar
as tiras amarelas que correm
A malha de ônibus é horizontalmente por toda a
imensa: há linhas em todas extensão do ônibus, perto do
as avenidas e nas principais teto, ou as verticais, parale-

7
las a algumas janelas. Se você você precisa chegar da rua
for desembarcar pela porta 68 até a rua 14 em menos de
­traseira, não se assuste, ela 35 ­minutos, então, esqueça!
não se abrirá quando o ônibus O ônibus levará quase uma
parar. Ela só se abre quan- hora para realizar este trajeto,
do a luz verde, sobre a porta, ­enquanto que, com o metrô,
se acender e quando as tiras você chegará em 20 minutos.
amarelas, também na por-
ta, forem pressionadas. Só é
complicado na primeira vez,
depois, fica fácil. Logo, você
também aprenderá a gritar
“Back door!” (Porta traseira!),
quando o motorista esquecer
de liberar a luzinha verde. É
muito divertido, já que o povo
de Nova York é muito prestati-
vo e, quando percebem que al- Nova York surpreende
guém quer descer e a porta não pela inclusão social. Há ­muitos
se abre, todo mundo ­começa a cadeirantes, ­deficientes ­físicos
gritar, em coro: “Back door! e idosos circulando pela
Back door!” ­cidade. No entanto, apenas
­algumas estações de metrô
são adaptadas para receber
­cadeiras de rodas, e esta é
O principal problema do uma das causas da lentidão
ônibus é a lentidão. dos ônibus. A cada estação é
sempre o mesmo processo,
desce cadeira de rodas, sobe
Assim como com o metrô,
velhinha com andador, desce
existem dois tipos de serviço, o
velhinha com andador, sobe
LOCAL, que pára a cada duas
cadeira de rodas.
ou três quadras, e o ­LIMITED,
que pára somente em pontos
mais importantes (que ge-
ralmente coincidem com as
­paradas LOCAL do metrô). A escolha entre trem e
ônibus dependerá de onde
Se você precisa percor- você quer ir e quanto tempo
rer distâncias curtas, vale a quer levar para chegar lá, só
pena pegar o ônibus. Mas se isto.

8
TÁXI

Nova York é a cidade dos t­ odas as ruas (senão todas)


táxis. Deve haver um para possuem sinais para pedes-
cada habitante, senão mais. tres.

No entanto, não há Isto é ótimo, quando se


j­ ustificativa para você, que é pedestre; ­principalmente
veio com muito ou pouco ­porque aqui os ­motoristas
­dinheiro, pegue um. ­param quando um está
­cruzando a rua.
- Mas eu estou atrasado
para um compromisso! - você Mas qual é a relação entre
pode alegar. sinais de pedestres e lentidão
dos táxis?
Está atrasado, meu
­amigo? Vá de metrô!

O trânsito em ­Manhattan
não chega a ser o extremo de
caótico, porém, em alguns
horários do dia, certas ruas
se tornam intransitáveis. Ou
é um caminhão de mudanças
descarregando, ou é o ­Corpo
de Bombeiros dando um show
com suas buzinas, ou é uma
ambulância, ou a rua está
­fechada para reformas, ­enfim,
um dos milhares de ­eventos
corriqueiros desta cidade
­maluca. Quando o sinal se fecha
para os carros numa Avenida,
ele se abre para os carros das
Outro fator que atrasa os
ruas que cruzam, para isto não
automóveis: sinais de pedes-
há segredo. Porém, o sinal de
tres.
pedestre se abre, ao mesmo
tempo, para quem pretende
Em Nova York, quase atravessar a Avenida e, como

9
todo mundo aqui é muito a 86, o táxi custará, em média,
­educado, os carros que estão uns 16 dólares com a gorjeta
vindo das ruas são obrigados (nunca se esqueça dela!). Por
a esperar. Ou seja, o semáforo isto, os taxistas são bastante
se abre tanto para os pedestres seletivos.
quanto para os carros.
Aqui não existe pontos
Em cruzamentos mais de táxis ou rádio-taxi como
­movimentados, às ve- no Brasil, o único jeito para se
zes, ­apenas um ou dois conseguir um é estendendo o
­automóveis conseguem virar. braço para os que passam ou
Se o seu táxi for um dos que assoviando, a la ­Superman.
não ­conseguiram, lá está o No entanto, nada mais ­comum
­taxímetro rodando! do que um táxi parar e, mesmo
após você houver sentado e se
Além disto, como a acomodado no banco traseiro,
­ aioria dos motoristas não
m ele lhe perguntar para onde
é de americanos e mal fala você está indo. Se for um ­lugar
­inglês, eles podem entender muito longe, o taxista lhe pe-
as indicações erradas e você dirá para descer, dizendo-lhe
só saberá se ele está seguin- que ele não está indo para
do ­outro caminho quando for aquela direção.
­tarde demais.
Por quê?
Recentemente, quase
­todos os táxis foram ­adaptados Como a tarifa é baixa por
com um sistema de GPS, milhagem rodada, para eles é
­assim, você pode acompanhar muito mais vantajoso pegar
numa tela o roteiro que seu cinco passageiros d­iferentes
táxi está fazendo. Fica mais que estejam indo a uma
difícil ser enganado. ­distância de 7 ou 8 quadras e,
para tanto, receber 5 dólares
As tarifas do táxi não de cada (que dá um total de 25
são caras. O taxímetro come- dólares), do que pegar um pas-
ça em U$ 2,50, e adiciona 40 sageiro somente que ­rodará a
­centavos por cada quinto de cidade inteira e não lhe pagará
milha ou por minuto, caso o nem 20 dólares.
carro não esteja em movimen-
to. Se você fizer uma corrida Os motoristas paquista-
longa, partindo da rua 14 até neses podem ser antipáticos,
10
mas não são nada burros. estiver chamando um táxi, da-
queles amarelinhos famosos,
Outro grande dilema ao e um carrão preto parar para
se pegar um táxi são os fura- você. Não é o FBI querendo
filas. lhe dar uma prensa. Além dos
táxis amarelos, há também os
Lincolns pretos, que são ­táxis
Você está na esquina, com
de luxo e com tarifas bem
o braço estendido há ­quase
mais salgadas. Evite-os a todo
meia hora, de repente, vem
­custo!
um espertalhão atrás de você,
estende o braço, um táxi pára
e o bonitão vai embora, todo Por fim, o que vale é o
faceiro. Você descobrirá rapi- bom senso. Você trouxe ­vinte
damente que não há respeito malas e o cachorro? Nem
a filas em NY, nem no ônibus, ­tente vir do JFK com toda esta
nem para entrar em metrô. Só bagagem no trem. Mas se você
se respeita fila se for para ir ao estiver com uma mochilinha e
banheiro. a câmera fotográfica, ­arranje
logo seu ­METROCARD e
­esqueça que existem táxis em
Não se surpreenda se você
­Manhattan.
Como chegar dos aeroportos para Manhattan

Do JFK para Manhattan

Táxi – Do JFK até Manhattan a tarifa de taxi é fixa de U$45.00 +


­ orjeta a seu critério (entre 10% e 20% do valor da corrida).
g

Traslado – Os traslados custam em média U$17.00 por pessoa, e


valem a pena dependendo do número de pessoas e malas que você
estiver trazendo. Eles tem paradas nos pontos mais importantes da
cidade e em alguns hotéis.
http://www.nyairportservice.com/
http://www.airlinknyc.com/
http://www.supershuttle.com/
http://www.gotobus.com

Metrô – O metrô é sem dúvida a forma mais econômica, mas nem


sempre a mais cômoda.
Saindo do aeroporto, procure pelo Airtrain (U$7.00), que o ­deixará
perto do metrô. Com a linha A, você poderá escolher o ­ponto mais
perto do seu hotel ou poderá fazer conexão nas principais estações.

11
BANHEIROS

Você deu azar e foi a natureza chamar?


­ cometido por aquele ­piriri
a
legendário, como daquela vez
que você comeu ­maionese
­estragada na festa de
­aniversário da sua tia-avó?

São nestes momentos,


quando se é pego com as ­calças
na mão, que descobrimos
como Nova York pode ser uma
cidade cruel. A tarefa de pro- Não, não precisa chegar
curar um banheiro, seja para a tais extremos. Nem todas
a dor-de-barriga desmaiante, as portas estão fechadas para
seja para um xixizinho básico, nós. A salvação do turista,
é ingrata. Muitas portas lhes ou do pedestre necessitado,
serão fechadas na cara. ­chama-se Starbucks (os céus
se abrem e desce o coro de
A política da maioria dos ­anjos cantando “Aleluia”).
restaurantes e ­lanchonetes
é: “Banheiro apenas para Dizem que o café lá é
­fregueses” (Restrooms for bom, mas como não bebo
­customers only). Em alguns café, não posso opinar. Toda-
lugares, chega-se ao ­absurdo via, posso falar do banheiro
de “Banheiro apenas para ­deles, que são, provavelmen-
quem consumir mais de 5 te, um dos mais limpos dos
­dólares”. ­banheiros abertos ao público
de ­Manhattan. Geralmente,
Quer dizer: eu preciso pe- eles ficam no fundo das cafe-
dir uma lasanha, esperar ela terias, onde quase sempre há
ser feita, comê-la, para apenas uma discreta fila, todos com
depois ir ao banheiro? Será caras preocupadas. A grande
que sou obrigado a fazer nas vantagem do “Starbucks” é que
calças, enquanto como e ­sorrio existem inúmeros pela cidade.
e imagino se alguém percebeu O nova-iorquino é viciado em
minha triste situação? Ou café e as dimensões desta rede
­corro para o hotel toda vez que são uma prova deste vício.

12
Apesar de serem os soas é tão grande que eles não
­ anheiros mais acessíveis, es-
b possuem controle), ­porém,
tes não os únicos aos quais você quando muita gente vem
pode recorrer. No ­Manhattan ­apenas para usar o banheiro,
Mall (Sexta ­Avenida com a o gerente o tranca e só fornece
rua 32), há ­também banhei- a chave sob solicitação. Nada
ros ­disponíveis, no subsolo. mais constrangedor do que
­Contudo, muitos mendigos isto...
costumam usar o ­banheiro
deste shopping, por isto, Mas vai por mim, se as
pelo menos os sanitários coisas apertarem, corra para o
­masculinos, são repugnantes. Starbucks!

Em algumas ­lanchonetes Você não é obrigado a


do McDonald’s, Burguer King comprar nada lá, mas, se
e do Wendy’s, o banheiro tam- ­quiser, prove o café e confirme
bém é aberto ao público (quer se é realmente bom.
dizer, eles são “apenas para
clientes”, mas o fluxo de pes-

Starbucks (banheiro e café)


http://www.starbucks.com/

Outros banheiros pela cidade


No subsolo do Manhattan Mall;

No interior da Biblioteca Pública;

Nas grandes estações de metrô, como Grand Central, Port


­Authority e Penn Station;

Em algumas livrarias da Barnes & Noble e Borders;

Nas lojas da rede Bed, Bath & Beyond;

Nas lanchonetes do McDonald’s, Burguer King e Wendy’s, às


vezes, tem de se pedir a chave do banheiro para o caixa, e em
alguns Dunkin Donuts.

13
TELEFONES

- Como faço para ligar para o que ninguém usa orelhão na


Brasil, estando em Nova York? ­cidade. Se todo mundo tem
– você se pergunta. ­celular, pra quê telefonia
­pública?
Existem algumas possibi-
lidades, mas falarei de apenas
duas:

1 - Cartão Telefônico;

2 - VOIP.

Apesar de ser país de pri-


meiro mundo, o sistema de
telecomunicações dos EUA é
bastante bagunçado. Há várias
operadoras e cada uma ofere-
ce um tipo de serviço, com
preços diferenciados. Isto vale
desde telefones celulares até
para orelhões. Às vezes, numa Os telefones públicos
mesma quadra, há orelhões funcionam com moedas de
de três operadoras diferentes, 25 centavos. Alguns orelhões
com três tarifas diferentes. solicitam 25 centavos iniciais
para a operação, e outros 25
Usar telefone público em para cada 5 minutos adicio-
Nova York é uma tarefa com- nais, isto para telefonemas
plicadíssima, ­recomendado locais. Para ligações interna-
apenas para quem possui cionais, certamente, será u­m
QI 200+. Em todas as vezes valor absurdo. Por isto, a me-
que precisei usar um telefone lhor alternativa são os cartões
­público, passei um suadouro telefônicos.
sem precedentes.
Você pode comprá-los
E há uma razão para que em farmácias, supermercados
o serviço seja tão confuso: é e Delis, com valores iniciais

14
de 2 dólares. Com um cartão viço é que, se você estiver
­telefônico, você pode falar ­ligando de computador para
por um bom tempo com o ­computador, a ligação é de
­Brasil; dependendo do cartão, graça e praticamente sem
­conversa-se por horas. ­delay na voz (atraso). É quase
uma ligação telefônica normal.
Para utilizá-los, você Mas, se você quiser ligar do
tem de ligar para o número computador para uma linha
­gratuito indicado no verso fixa ou para celular no Brasil,
do cartão (geralmente o toll você precisa comprar os crédi-
­number), digitar o código do tos do Skype, com valores ini-
cartão (você precisa raspar ciais pequenos (nos EUA, 10
também no verso) e o núme- dólares). Este serviço se cha-
ro de telefone no Brasil, com ma SkypeOut e as tarifas por
código do país e código do minuto para ligações dos EUA
estado. Você pode utilizar o aos Brasil são:
cartão em telefones públicos
ou em ­celulares, e toda vez - 8 centavos para ­­Rio de
que você iniciar uma ligação, ­Janeiro;
ouvirá uma mensagem eletrô-
nica ­indicando o valor dispo- - 6 centavos para São Paulo;
nível. Se você não souber falar
inglês, sempre há opção para
- 13 centavos para demais
espanhol.
­localidades;

A outra alternativa, e a
- 51 centavos para celular.
melhor, na minha opinião, é
utilizar um serviço de VOIP.
Porém, é preciso ter um com- Ou seja, é quase de graça!
putador conectado à internet e Se você falar 10 minutos com
microfone. alguém de São Paulo, você não
pagará nem 1 real.
Eu utilizo o Skype, que é
barato e confiável. O esquema de VOIP é algo
que chegou para ficar.
O bom deste tipo de ser-
Para conhecer e entender o Skype:
http://www.skype.com/intl/pt/

15
ÉPOCAS DO ANO

Escolhendo a melhor época quer se sentar na grama do


do ano para você Central Park tomando um
­sorvete?
Ao contrário do Brasil,
onde só existem praticamen- Quer beliscar um lanche
te duas estações do ano, um numa praça, ou prefere jantar
verão que dura 9 meses e um num restaurante, com flocos
inverninho que dura 3, em brancos tocando a vidraça?
Nova York as estações são
­claramente definidas. Quer que nas suas fotos
apareçam os gramados cober-
Logo passamos a ­entender tos por avermelhadas folhas
aqueles filmes americanos, secas, ou que estejam cheias
tais quais “Eu sei o que vocês de flores?
fizeram no verão passado”,
ou “Outono em Nova York”. É Prefere torrar o cocuruto,
muito mais fácil você se referir ou congelar os ossos?
à estação correspondente, já
que as características de cada
A este tipo de perguntas
uma delas são muito mar-
você deve responder, pois,
cantes, do que dizer que algo
no verão, a temperatura da
ocorreu em setembro ou abril
­cidade chega a 40 graus,
do ano passado.
­enquanto que no inverno, a
20 graus ­negativo. Por isto, o
Justamente por causa bom é estar preparado para
destas estações bem definidas não se arrepender depois e
é que, quando for planejar sua sair espalhando que a cidade
viagem, você precisa ter em é um saco.
mente o que quer ver e como
quer aproveitar sua estadia
É óbvio que, nesta altura,
em Nova York. Além disto,
você já sabe que as estações do
também é preciso saber que
ano no hemisfério norte (onde
tipo de roupa trazer e como
fica os EUA) são diferentes
se ­proteger das mudanças
das no Brasil; enquanto é ou-
­climáticas extremas.
tono no Brasil, em Nova York
é ­primavera; quando é inverno
Você quer ver neve, ou
16
no Brasil, é verão nos EUA. Como se proteger do frio,
então?
E se você não quiser ser
pego de surpresa por uma O segredo são as ­camadas.
­chuva ou por uma nevasca as- No Brasil, por mais que em
sassina, dê sempre uma checa- certas regiões haja um friozi-
da no Weather Channel antes nho no inverno, não sentimos
de sair do hotel ou de casa. nada que se assemelhe aos
menos 15 graus, com ­sensação
http://www.weather.com/ térmica de menos 23 graus,
que há em Nova York. Se
você não estiver com as rou-
Inverno em Nova York
pas apropriadas, isto pode
­significar hipotermia.
O ano começa no auge
do inverno americano, sendo
A dica que os especialistas
janeiro um dos meses mais
dão é de vestir várias camadas
frios.
de roupa.

O inverno se inicia 21 de
- na parte de baixo, meias
dezembro e se estende até 21
­grossas, uma ceroula (até
de março.
duas, se você for muito frio-
rento) e a calça, que pode ser
Muita gente sonha em jeans mesmo ou uma imper-
passar o inverno em Nova meável, como as de esqui;
York, ver a neve, curtir a
­virada do Ano na Times
- na parte de cima, uma ­blusa
­Square e a Quinta Avenida
térmica, um moletom ou
toda ­decorada. Realmente, a
­blusa de lã, e um casaco bem
cidade fica ­muito bonita ­nesta
­reforçado, de preferência com
época do ano, porém, falta
capuz, e cachecol;
­coragem para sair de casa (ou
do hotel). É frio, muito frio!
- na cabeça, gorro e ­proteção
para orelhas, vaselina ou
Mas já diria o esquimó:
­manteiga de cacau nos lábios
(que podem ser adquiridas
— Não está frio, você é nas ­lojas do Jack’s ou na Bed,
que está mal agasalhado. Bath & Beyond);

17
- luvas impermeáveis se você cas (que são uma espécie de
for brincar na neve, e ­vaselina ­pijamas para se usar por baixo
nas mãos, se você precisar das roupas), lá é o lugar mais
­tirar as luvas enquanto estiver barato que encontrei, com o
fora; par por não mais de 6 dólares.

- nos pés, bota de neve, ou


qualquer calçado com lã por
dentro, com sola grossa;
­geralmente tênis não protege O que há para se fazer no
completamente do frio. inverno

Pode parecer exagero, Por um lado, a cidade


mas eu sou da seguinte idéia: fica linda, ainda mais quando
“É melhor passar calor do que neva (porém, depois da neve,
frio”. a ­cidade fica nojenta), toda
iluminada para o Natal. No
— Como é que faço, vou entanto, parece que os nova-
ter que abarrotar minha mala iorquinos hibernam nesta
com roupas de inverno? — época do ano.
você se pergunta.

Não exatamente. Este


tipo de vestuário costuma ser
caríssimo no Brasil, lembro-
me que paguei uma nota num
casaquinho no último inverno
que passei em Curitiba. Por
isto, traga roupa suficiente
para que você não congele na
rua, corra para a Century 21
e compre roupas de inverno Anoitece cedo, lá pelas
aqui, elas são bem mais bara- 4 horas da tarde (no ­solstício
tas e melhores do que as que de inverno, por volta das 3
você compraria no Brasil. e meia), é frio o dia inteiro,
mesmo quando tem sol. Não
Na Conway (rua 35 com a se engane, pode estar um céu
Broadway), é possível ­comprar azul, mas o vento e o frio são
as ceroulas e camisas térmi- de lascar.

18
Paradas obrigatórias no Por fim, sobre a virada
inverno: de ano na Times Square: todo
mundo que já foi diz ser um
— Quinta Avenida: a rua fica programa de índio, que tem
toda decorada, as vitrines com de se chegar cedo, esperar um
enfeites natalinos. Na rua 50, tempão e, pouco tempo após
há o complexo do Rockfeller a contagem da virada, nin-
Center, onde fica a árvore de guém mais sobra pra contar
Natal mais famosa da cidade ­história.
e uma bela pista de gelo. À
noite, multidões lotam a área Para nós brasileiros,
para tirarem foto. ­ costumados com um ­carnaval
a
que começa uma semana ­antes
— Passear pela Macy’s. Esta do tempo previsto, e acaba
loja de departamentos tem a três dias depois, deve ser mes-
decoração natalina mais bada- mo frustrante uma festa que
lada, com vitrines animadas e acabe no horário. Ainda mais
no interior é tudo ­maravilhoso, quando não se pode encher a
menos o preço dos produtos. cara na rua (isto mesmo, em
Nova York, é proibido ingerir
bebidas alcoólicas na rua!).
— Na Grand Central, tem um
show de luzes e música, com
apresentação a cada meia Primavera em Nova York
hora;
Se você tiver a oportu-
— Visitar o Central Park após nidade de passar a transição
um dia de neve. Prepare-se duma estação para a outra,
para tirar belas fotos, dos perceberá como o próprio
­lagos congelados, nas ­clareiras humor das pessoas também
branquinhas, das árvores muda.
­salpicadas de neve.
O inverno vai ­embora,
Como você já deve ter as primeiras folhinhas ­verdes
­notado, boa parte dos passeios brotam nos galhos das
são em locais fechados, ­nesta ­árvores, e os nova-iorquinos
época, só quem é ­obrigado acordam da hibernação. E
a trabalhar fora se arrisca logo, em ­poucas semanas, to-
a agüentar o frio por muito dos os ­parques estão floridos,
­tempo. os casacos são guardados nos
armários, os restaurantes
19
v­ oltam a pôr mesas e cadeiras meio aleatória, às ­vezes, você
nas calçadas para que os clien- está andando pela ­Quinta
tes desfrutem do calorzinho ­Avenida, vira numa rua, e
gostoso. encontra uma feira ­imensa,
tomando conta de toda uma
No começo da ­estação (em avenida principal; ­nelas,
21 março), ainda é ­preciso ves- vende-se de tudo, desde
tir roupas ­quentes e ­sempre há ­camisetas I Love NY até CDs
o risco duma ­frente fria ­baixar ­especializados em dança do
a ­temperatura; ­porém, em ventre, a fumaça dos petiscos
abril, o clima já está bem agra- paquistaneses ­empesteando o
dável (numa média de 20 ou 25 ar e o cachorro-quente ­rolando
graus), as flores já ­dominam a solto.
cidade e, para onde se olhar,
há beleza. Na minha opinião, O calor leva os ­americanos
a melhor é­ poca do ano. às praças e parques e o legal é
comprar seu almoço em ­algum
lugar, num McDonald’s ou,
sendo politicamente correto,
uma saladinha, e imitá-los,
sentar num banco de praça ou
escadaria e almoçar ali mes-
mo, vendo o movimento, os
passeadores de cachorro, o
pessoal jogando capoeira (isto
mesmo!). A Union Square é
um ótimo lugar para se fazer
isto.

Para os passeios ao ar
Em maio, ouve-se os livre não há melhor estação,
americanos murmurando, não é cansativo, o sol não é tão
deslumbrados: inclemente e sempre há uma
brisa refrescante.
— Mayflowers, man,
mayflowers! (Flores de maio, Ao nos aproximarmos
cara, flores de maio!) do final da primavera, em 20
de junho, as temperaturas
As feiras nas ruas ­sobem bastante e já sentimos
­reaparecem, a ordem delas é as ­primeiras conseqüências do

20
escaldante verão. amigo!

Verão em Nova York Nunca saia do hotel sem


uma garrafinha, se estiver
No inverno, todo ­mundo com sede, passe numa Deli,
corre para lugares ­fechados numa farmácia, num mer-
— lojas, supermercados, cado e compre uma água,
­lanchonetes — para fugir do porém, ­evite comprá-las dos
frio; no verão, todo mundo carrinhos de cachorro-quente,
corre para lugares fechados principalmente se estiver pró-
para fugir do calor. ximo a uma atração turística.
Já ­cheguei a pagar 2 dólares
numa garrafinha de 300ml
O verão é escaldante em
perto do World Trade Center,
Nova York, e não estamos
sendo que no Jack’s World
­falando de 30 ou 32 graus, mas
uma garrafa d’água de 1 litro
de 40, com sensação térmica
sai por 99 centavos.
de 45 graus. Se você estiver
no metrô, a temperatura deve
chegar à casa dos 50 graus, ou Além da água, não se esqueça
seja, o inferno na terra. de:

E não pense que estou - usar roupas leves;


e­ xagerando, uma terrível
­prova do que estou falando é - trazer um protetor solar com
que, todo ano, várias ­pessoas um fator apropriado para sua
morrem por causa do ­calor pele;
extremo, aliás, a ­palavra
“­extremo” tem tudo a ver - usar boné;
com as mudanças climáticas
em NY, o extremo do frio e
- e evitar alimentos pesados.
o ­extremo do calor, e a gente
que se vire!
Além do calor, outro
­ specto que acaba atrapalhan-
a
Novamente, vir prepara-
do a vida do turista são as chu-
do ajuda. Dizem que, numa
vas de verão. Geralmente, elas
temperatura de 40 graus, o
­começam no fim da tarde, pode
corpo pode perder até um litro
ser uma mera chuvinha, ou
de água em 15 minutos, por
aquele temporal de ­arrebentar
isto, água goela abaixo, meu
guarda-chuvas, agosto é um

21
mês particularmente impre- Há show gratuitos no
visível, ­chegando, às vezes, a Central Park, filmes de graça
chover vários dias seguidos. no Bryant Park, concertos
de música erudita, passeios
­gratuitos até Governor’s Is-
O que há para fazer? land (em Downtown), encena-
ção de peças de ­Shakespeare
Esta é a época favorita no ­parque, e várias outras
dos nova-iorquinos. São férias atrações para mãos-de-vaca.
escolares, então, a cidade dá Porém, a maioria destas atra-
uma esvaziada. ções é para quem não tem
pressa para ver tudo e ir em-
bora, principalmente porque,
para conseguir acompanhar
estes eventos, é necessário
esperar horas em longas filas,
gastando, às vezes, um dia in-
teiro para curtir uma atração.

Para um turista, que quer


aproveitar o máximo a cidade
em menor tempo, este tipo de
eventos acaba atraplhando.

Apesar do calor, vale a


pena aproveitar para passear
pelos pontos turísticos ao ar
­livre, conhecer o Central Park,
Quem tem grana, vai para o Píer 17, explorar o ­Greenwich
a casa de veraneio em Long Village, e, à noite, caminhar
Island, as crianças vão para pela St. Mark’s Place, ou ver o
acampamentos de verão, e só movimento na Segunda Ave-
fica mesmo na cidade quem nida, no Upper East Side.
não tem para onde ir. Por outro
lado, há uma série de eventos
ao ar livre e, mais ­importante, E se começar a ­chover
gratuitos, que são a alegria (e, e você estiver com as
ao mesmo tempo, a agonia) mãos abanando, não se
dos moradores da cidade. ­preocupe, os vendedores de
­guarda-chuvas se multiplicam
­instantaneamente.

22
Outono em Nova York ­ aradas de Nova York. No dia
p
31 de ­outubro, há a ­Parada de
Esta época do ano é Halloween, a ­festa pagã mais
­ otória, já teve até filme com
n conhecida dos EUA. Antes
este nome. ­Realmente, o ­outono uma celebração da ­fertilidade,
na cidade é ­inesquecível. De ­entre os povos da Irlanda e Grã-
22 de ­setembro até 21 de Bretanha, o ­Halloween agora é
­dezembro, as ruas da cidade uma ­grande ­celebração maca-
ficam forradas pelas folhas bra. Crianças fantasiadas saem
­secas, os moletons saem do às ruas de Nova York, cestas e
armário, e o cafezinho do ­sacolas nas mãos, ­entrando em
­Starbucks reaparece nas mãos casas ou comércios indiscri-
dos nova-iorquinos. minadamente, ­pedindo doces,
ou prometendo travessuras. E
realmente é ­impressionante
a adesão ­popular na festa de
­Halloween, quase todas as
­casas ficam decoradas, há
­festas por toda a cidade, e, nos
arredores da Sexta Avenida,
por onde a Parada passa, há
muita gente fantasiada, diver-
Há uma melancolia nas
tindo-se bastante. Mesmo que
árvores secas, ou, bem no
você não consiga chegar até o
começo das estações, da fo-
local da Parada, as ruas ficam
lhas vermelhas como fogo. A
tão cheias, todo mundo fanta-
temperatura desce um pouco,
siado, que só o passeio já vale
lembrando as primeiras sema-
a pena.
nas da primavera. Às vezes,
uma chuva gelada obriga-nos
até a sair com um casaco mais Já na quarta quinta-feira
reforçado, mas, no geral, é de novembro, há a celebra-
uma época muito agradável. ção da mais importante festa
dos EUA, o Dia de Ação de
­Graças. Nesta data, famílias
Na minha opinião,
se reencontram, comem um
o ­outono só perde para o
peruzinho e se alegram, com
­colorido da primavera.
um espírito bem próximo do
que temos durante o Natal.
Em outubro e ­novembro, Em Nova York, porém, o cli-
ocorrem duas das mais ma ­familiar é substituído por
­conhecidas e concorridas
23
­ agníficos balões, com formas
m rantir um bom lugar.
de personagens de desenho,
bichos, entre outras coisas, Em dezembro, a tempe-
que desfilam pela Sétima Ave- ratura despenca. Não chega
nida, em frente à gigantesca a nevar, mas o vento gelado
loja de departamento Macy’s. já incomoda e, aos poucos, a
Mas, como ocorre com tudo ­cidade começa a ficar ­decorada
que é de graça em Nova York, para o Natal e a se preparar
é preciso chegar cedo para ga- para o inverno.

Festividades Em comemoração à
começo de fevereiro ­Independência dos EUA.
- ano-novo chinês:
Queima de fogos, dança do leão agosto
e uma parada pelas ruas de - Harlem Week:
Chinatown Música, filmes, gastronomia,
atraindo multidões ao Harlem.
17 de março
- Saint-Patrick Day Parade: começa na 2ª quinta-feira de
Parada em comemoração ao setembro
patrono da Irlanda, com desfiles - Festa de San Gennaro:
na rua, pubs lotados e muita Festa italiana em Little Italy
gente vestida de verde.
última semana de setembro
março (domingo de Páscoa) - Medieval Festival:
- Easter Parade: Luta de justa, fantasias
Chapéus curiosos num desfile ­medievais, em The Cloisters.
ao redor da Macy’s
31 de outubro
meados de maio - Greenwich Village Halloween
- Ninth Avenue ­Internacional Parade:
Food Festival: A mais tradicional parada de
Feira de rua que reúne dia das bruxas de NY.
­representantes da culinária de
todo o mundo. 4ª quinta-feira de novembro
- Macy’s Thanksgiving Day
2ª terça-feira de junho Parade:
- Museum Mile Festival: Em comemoração ao dia de
Entrada franca em vários Ação-de-Graças
­museus do Upper East Side.
31 de dezembro
4 de julho - Virada do ano na Times
- Queima de Fogos de 4 de Square.
julho:

24
INTERNET

Está bem, você chegou a vezes, o uso do computador.


Nova York.
“Mas eu não tenho
Já sabe como andar de ­ otebook nem celular da
n
metrô e onde ir ao banheiro, hora!”, você pode me dizer,
mas, e se você decidir che- “Como faço, então? “
car sua caixa de e-mail ou
tentar acessar o blog “Nova Se você veio comprar um
York para mãos-de-vaca” notebook (e, com certeza, en-
(­www.­maosdevaca.com) para contrará ótimos modelos por
saber se há alguma nova dica? preço acessível), boa parte
do seu problema estará re-
A experiência de ­procurar solvido. Nova York é repleta
um cybercafé, tal qual no de hotspots (conexões banda
­Brasil, que você paga e acessa larga sem fio), em cafés (como
a internet, pode ser frustrante. o Starbucks), em lanchonetes
São raríssimos em Nova York. (McDonald’s), em restauran-
tes e, até mesmo, em algumas
Por quê? praças, como Bowling Green.
A maioria deles é gratuito.
Simplesmente por-
que todo mundo possui Se não houver nenhum
­computador por aqui. Não hotspot perto de você, há
existem ­cybercafés porque ­também a possibilidade de
as pessoas não possuem “emprestar” a conexão de
­necessidade de irem a al- ­algum desavisado que não
gum lugar para acessar a net. ­tenha protegido sua rede
Uma visita ao ­Starbucks será ­wireless. Não é o mais ético
uma constatação deste fato; a ser feito, mas, na hora do
lá, boa parte dos consumido- aperto, tudo vale.
res, enquanto bebericam um
cafezinho, estão usando seus Porém, se você não veio
­notebooks para navegar na para comprar um computador
net. Já, para acessar e-mail, e, ainda assim, quer acessar a
os nova-iorquinos usam os internet, não se desespere. Há
celulares mesmo, que são tão algumas lojas que ­permitem
sofisticados que dispensam, às que você use os ­computadores

25
de graça - este é o caso do um computador vago, a loja é
­showroom da ­Samsung no sempre cheia e há turistas do
­Columbus Circle. Esta, aliás, mundo inteiro querendo ler
é uma loja futurística, com seus e-mails. Quando for usar
os lançamentos tecnológicos o micro, assegure-se que esteja
mais inacreditáveis, vale a no modo que não salva senha
pena a visita. Fica no shopping e login, pois imagino que você
da Time Warner. não queira que alguém acesse
suas informações depois que
você for embora.

A primeira impressão
quando se entra na loja da
­Apple e se utiliza os Macs é:

“Eu quero um!”

Mas a loja que realmente


E aqui, este sonho não
sabe cativar o cliente e criar
é tão impossível assim.
aquele gostinho de “quero-
­Enquanto no Brasil, um Mac
mais” é a da Apple. Esta loja
não sai por menos de 4 mil
é maravilhosa, na Quinta
reais (chutando baixo), aqui
­Avenida com a rua 59.
pode-se comprar um laptop
da ­Apple por mil e poucos
A entrada é toda de vidro ­dólares. E só mexendo para
e uma escada conduz ao sub- notar a diferença.
solo, onde vários produtos da
Apple - IPods, Macs, DVDs
Enfim, em Nova York,
portáteis, IPhones - estão dis-
quase não há cybercafés, mas
poníveis para serem testados,
também não é necessário
usados e abusados. É preci-
­pagar para navegar na net.
so ser ligeiro para conseguir

Para saber mais sobre a loja da Apple da Quinta


Avenida:
http://www.apple.com/retail/fifthavenue/
week/20070325.html

26
Gorjetas
Nunca se esqueça da Mas fique atento para as
­gorjeta! contas de restaurantes: em
­alguns casos, quando se ­trata
Está certo que, no ­Brasil,
de grupos grandes, ou em
não temos esta cultura de
­restaurantes ­brasileiros, que já
­liberar uns trocos para os
estão habituados com ­clientes
prestadores de serviço, como
que não deixam ­gorjeta,
­garçons, mensageiros de
pode ser que seja ­adicionado
­hotel, taxistas, camareiras,
10% como taxa de serviço.
­bartenders, mas, nos EUA,
­Neste caso, no final da conta,
não dar gorjeta é a mesma
­constará a informação “Tip
­coisa que dizer:
­included”, ou seja, “­gorjeta
- Não gostei do seu ­incluída”.
­serviço.
Para facilitar sua vida,
Em restaurantes, a ­prática preparamos uma tabela
é adicionar entre 15% e 20%, com os valores de gorjeta
para o taxista, o mensageiro e ­correspondentes a 15% e 20%.
a camareira, entre 10% e 15%.
Conta U$ 15% 20% Conta U$ 15% 20%
1 0.15 0.2 55 8.25 11
2 0.3 0.4 60 9 12
3 0.45 0.6 65 9.75 13
4 0.6 0.8 70 10.5 14
5 0.75 1 75 11.25 15
6 0.9 1.2 80 108 16
7 1.05 1.4 85 12.75 17
8 1.2 1.6 90 13.5 18
9 1.35 1.8 95 14.25 19
10 1.5 2 100 15 20
11 1.65 2.2 105 15.75 21
12 1.8 2.4 110 16.5 22
13 1.95 2.6 115 17.25 23
14 2.1 2.8 120 18 24
15 2.25 3 125 18.75 25
16 2.4 3.2 130 19.5 26
17 2.55 3.4 135 20.25 27
18 2.7 3.6 140 21 28
19 2.85 3.8 145 21.75 29
20 3 4 150 22.5 30
21 3.15 4.2 155 23.25 31
22 3.3 4.4 160 24 32
23 3.45 4.6 165 24.75 33
24 3.6 4.8 170 25.5 34
25 3.75 5 175 26.25 35
30 4.5 6 180 27 36
35 5.25 7 185 27.75 37
40 6 8 190 28.5 38
45 6.75 9 195 29.25 39
50 7.5 10 200 30 40

27
Segunda Parte
Atrações Turísticas
Guggenheim Museum

alas do Metropolitan, dá para


deixar a visita ao Guggenheim
para outro dia.

O preço da entrada não é


barato, 18 dólares para ­adultos
e 15 para idosos ou estudantes,
crianças menores de 12 anos
não pagam.

Mas nem tudo está


­ erdido, às sextas, entre 5:45
p
da tarde e 7:15, a entrada para
o museu é sugerida, ou seja, é
você quem decide quanto quer
O Guggenheim Museum é
pagar. Já vi gente dando 25
conhecido por sua fachada em
centavos!
espiral e pelo acervo de Arte
Moderna, com a maior ­coleção
de pinturas de Kandinsky do Não precisa ser tão
mundo. c­ omedido, 1 dólar não vai
­matar ninguém...
Na verdade, este é um
museu pequeno, que pode ser Como sexta-feira é um
percorrido em menos de uma dia concorrido, com ­entrada
hora e que pode ser encarado ­gratuita no MOMA, e em
mais como um ­complemento ­alguns outros museus da
ao passeio ao Metropolitan ­cidade, se tiver de optar por
Museum, poucas quadras um museu de Arte Moderna —
abaixo. se você for ficar menos de uma
semana na cidade —, opte
pelo MOMA, que é bem mais
Porém, se você não tiver
­completo.
conseguido visitar todas as
Guggenheim Museum
http://www.guggenheim.org/new_york_index.shtml
Quinta Avenida com a rua 89.
de sáb a qua – das 10:00 às 17:45; sex – das 10:00 às 19:45; qui –
­fechado ao público

31
MOMA - Museu de Arte Moderna

O MOMA- ­Museum for ouvir todas as explicações,


of Modern Art – é um dos prepare-se para passar a se-
­grandes museus de Nova York, mana inteira no museu, pois
que, como o nome diz, é um elas são longas, apesar de es-
Museu de Arte Moderna. clarecedoras. Meu conselho é:
não pegue o áudio-guia; eles
O edifício do museu é são interessantes, mas logo
enorme: há um jardim com você se enche deles, aqueles
­esculturas no fundo, uma troços são pesados e ficam
­delícia para se ­sentar ­quando atrapalhando durante todo
está calor, e ­vários andares, resto da visita.
­repletos de ­pinturas, ­esculturas
e outras “­coisas”, pois você Ocasionalmente, há ex-
sabe como é arte ­moderna, posições temporárias no
nunca se tem ­certeza do que ­último andar. Não precisa pa-
se trata ­aquilo. As ­exposições gar a mais para visitá-las e são
não estão em ­nenhuma ­ordem ­muito concorridas.
identificável, há uma ­galeria
com os ­cubistas, ­outra do ­Jason Toda sexta-feira, das 4
Pollock, outra com ­quadros da tarde às 8 horas da noite,
do Kandinsky, mas, em geral, há o “Target Free Friday Ni-
está tudo meio ­misturado, sem ght”. O supermercado Target
muita ­cronologia ­definida. Por ­patrocina a entrada de graça
isso, é muito comum você ­ficar no MOMA. Então, é aquela
vagando pelos ­corredores, loucura! Muita gente, filas
­perder-se, e passar várias quilométricas (na verdade,
­vezes pela mesma galeria não são tão grandes, pois a fila
sem perceber, especialmente anda rápido) e museu movi-
­quando museu estiver lotado. mentado. Costuma ter tanta
gente neste dia que o museu
No saguão, é possível chega a dar dor-de-cabeça.
conseguir um áudio-guia, no Não sei qual é a relação, mas
qual basta digitar o número três em quatro pessoas têm
da obra de arte (que fica nas enxaquecas na sexta-feira à
placas explicativas ao lado das noite.
mesmas) e ouvir a explicação
sobre aquele objeto. Se você Nestas noites, é só ir

32
­ ireto para o guichê e ­pegar
d
sua ­entrada. Os bilhetes ­ficam
todos espalhados ­sobre um
balcão, é só pegar e ­entrar.
Se você estiver ­carregando
­alguma bolsa ou ­mochila,
­precisará deixá-las no
­guarda-volumes. Máquinas
­fotográficas são ­permitidas, jogada aleatoriamente sobre
mas sem o uso de flash. a tela, que qualquer criança
de pré-escola faz igual, então,
“Mas eu não estarei em é melhor você não pagar para
Nova York numa sexta-feira? ir ao MOMA. Se for só por
Posso pagar quanto eu quiser curiosidade, a seção de Arte
noutros dias, como em alguns ­Moderna do Metropolitan
outros museus” será suficiente.

E aí que vem a má notícia: Porém, se seu sonho sem-


não, você não pode. Se o visi- pre foi ver telas de ­Kandinsky,
tante não for no dia de graça, de Paul Klee, Klimt, Pollock,
então, terá de pagar a entrada Picasso, Van Gogh, Léger,
cheia, que é 20 dólares para Dalí, Gauguin, Miró, ­Matisse,
adulto, 16 dólares para ­idosos, Renoir ou Mondrian, nes-
12 para estudantes e de ­graça te caso, seu passeio valerá a
para quem tem menos de pena, mesmo que custe 20
­dezesseis anos. dólares.

Se você não for alguém Se não for de graça, o


que realmente gosta de arte MOMA é apenas para quem
moderna, se você é daqueles realmente gosta de Arte
que pensa que aquilo é tinta ­Moderna.

Museum of Modern Art


http://www.moma.org/
11 West da rua 53, entre a Quinta e a Sexta Avenida.
de sáb a seg – das 10:30 às 17:30
ter – fechado ao público
qua e qui – das 10:30 às 17:30
sex – das 10:3 às 20:00

33
The Metropolitan Museum of Art

História.

Suggested Admission

Ao entrar no ­saguão do
Museu, sobre as ­bilheterias —
existem três ­delas, uma ­dando
acesso à ala egípcia, outra
para a ­grega e a terceira para
os ­andares ­superiores — há
­placas ­indicando quanto custa
Os museus de Nova York a ­entrada no Museu; o visitan-
são fenomenais. Alguns deles te se assustará com o preço,
exigem que o visitante passe 20 dólares o ingresso.
o dia inteiro, somente assim
é possível ver tudo e conhecer
- 20 dólares?! No Brasil, não
todas as galerias.
vou ao museu nem de ­graça!

Eu sei, eu sei. Mas ­agora


vem a boa notícia. O que
O Metropolitan ­Museum está escrito nestas placas é
of Art é um destes. O Met “­Suggested Admission”, ou
(­carinhosamente ­chamado seja “Ingresso Sugerido”.
assim pelos nova-iorqui- Não sei por que, mas todo
nhos) está, certamente, mundo entende o “­Ingresso”
­entre os maiores museus (­Admission), mas ­ninguém
do mundo. Nele, há de entende o “Sugerido”
tudo: Arte ­mesopotâmica, (­Suggested).
­egípcia, grega, romana,
­medieval, ­renascentista,
O que eles querem dizer
­japonesa, ­tibetana, moder-
com isto?
na, ­africana, sul-americana,
­armas ­medievais, enfim, uma
­infinidade de objetos interes- O Museu tem, obviamen-
santes, um passeio através te, seus gastos. Para reformar a
do desenvolvimento cultural ala romana, por exemplo, eles
da Humanidade, ao longo da gastaram mais de 50 milhões

34
de dólares. Todavia, ­grande to com o mapa do museu. É
parte destes fundos vem de ­importante ter um à mão,
milionários que ­realizam pois o museu é gigantesco. Há
­doações ao museu. O dinheiro deste panfleto em vários idio-
dos visitantes, ­especulo, deve mas, não me lembro se há em
ser a menor parcela da re- português, mas tem em espa-
ceita do museu, por isto, eles nhol. Se você for de manhã, o
­sugerem um preço, o ideal a horário mais apropriado para
ser pago para visitá-lo. se ver o museu inteiro, eu re-
comendo começar pela ala
Se você quiser pagar mais ­egípcia, ao lado direito, e ver
de 20 dólares para entrar, eles o primeiro andar inteiro an-
vão aceitar, mas se você quiser tes de subir para o segundo.
pagar menos, também entrará É muito fácil de se perder no
sem problemas. Met, tudo é tão lindo e des-
lumbrante, que você acaba se
esquecendo do caminho que
E não precisa ter vergonha
fez e vai se embrenhando nas
de dar 1 dólar (é o que sempre
galerias, depois, para voltar, é
dou), pensando que a mulher
o bicho!
do guichê vai olhá-lo com cara
feia, ou rir da sua mão-de-va-
quice, pelo contrário, ela agi- Em algumas alas, na
rá com a maior naturalidade, ­ mericana e renascentista,
a
pois está acostumada com isto por exemplo, é possível tomar
e, para ela, não faz diferença o um café com bolinho, mas
quanto você está pagando. ­cautela! Os quitutes no ­Museu
são caríssimos. Vá com o es-
tômago forrado e deixe para
Andando pelo Museu
­comer quando sair do Met.

Ainda no saguão, você


Mas, vai por mim, é uma
pode conseguir um panfle-
visita que vale a pena.
Metropolitan Museum of Art
http://www.metmuseum.org/
1000, da Quinta Av., com a rua 82.
seg - fechado ao público
ter a qui – das 9:30 às 17:30
sex e sáb – 9:30 às 21:00
dom – 9:30 às 17:30

35
Biblioteca Pública de Nova York

Você não é muito fã de ras e mesas para quem quer


leitura? descansar, ler um livro, belis-
car um lanchinho. Se o clima
Há quanto tempo não estiver ameno, não há melhor
e­ ntra numa Biblioteca para paisagem.
emprestar um livro?
Dentro da Biblioteca,
Tudo bem! Mas, em Nova ­ ovas surpresas. Ela é gran-
n
York, você entrará! de, mas os visitantes só têm
­acesso livre a algumas salas.

O esquema das bibliote-


cas em Nova York é engenho-
so. Existem dois tipos:

1 – uma rede de bibliotecas


para pesquisa, entre elas, es-
tão a New York Public ­Library
(de Ciências Humanas), a
A Biblioteca Pública de ­Biblioteca de Artes Cênicas e
Nova York é monumental. Música (no Lincoln Center), a
Se você chegar de metrô na de Ciência, Indústria e Comér-
Grand Central, você poderá cio, e a de Cultura Negra;
descer, pela Park Avenue, até
a rua 41, e de lá seguir até a 2 – uma rede de bibliotecas
Quinta Avenida. Este ­pequeno para empréstimo, com deze-
trajeto, entre as duas ­avenidas, nas de filiais em Manhattan e
é chamado de Library Way nos outros quatro boroughs.
(Caminho da Biblioteca) e, nas Nestas filiais, o usuário pode
calçadas, há placas de bron- emprestar até trinta livros
ze com citações de grandes (isto mesmo, 30!), 10 DVDs,
­autores da literatura mundial. VHS ou CDs, acessar Internet
e pesquisar o banco de dados
A fachada da Biblioteca de empregos.
Pública é magnífica, dois leões
protegem a escadaria ­principal Portanto, na Biblioteca
e, no pátio dianteiro, há cadei- Pública da Quinta Avenida,
36
não se emprestam livros. Mas, computadores, algo em torno
mesmo assim, para se con- de 40 minutos.
sultar o acervo da Biblioteca,
com um acervo em torno de
15 milhões de documentos
(livros, manuscritos, periódi-
cos), também é preciso estar
cadastrado. E, para se acessar
o setor de obras raras, é preci-
so ter indicação de alguém.

Recursos da Biblioteca

O salão de leitura princi-


pal é no terceiro andar. Além Neste tempo, você pode
de se poder consultar as obras dar uma volta pelas galerias
neste salão, também há como e salões da Biblioteca, brincar
acessar a Internet. No entan- um pouco no catálogo digital,
to, é preciso estar cadastrado, consultar obras raras digitali-
apresentando um documen- zadas, etc.
to com foto (pode ser o pas-
saporte, ou fotocópia) e um Nas dependências da
comprovante de residência de ­ iblioteca há também banhei-
B
Nova York. ros, para que não estiver se
agüentando.
Mas você pode passar a
conversa nos atendentes, di-
zer que se esqueceu do com-
provante de residência, fazer
uma carteirinha provisória, Bryant Park
com duração de três dias, e
utilizar a Internet de graça na Por fim, depois de ter co-
Biblioteca. nhecido a Biblioteca, você tem
de dar uma passada no Bryant
O único problema é que, Park, imediatamente atrás do
geralmente, há um tempo de prédio da Public Library.
espera grande para se usar os
37
acomode bem, protegendo seu
território com unhas e dentes,
pois o pessoal é espaçoso.

As projeções são concor-


ridíssimas e sempre tem gente
que acaba de pé, ou vai para
casa chupando dedo.

No inverno, uma pista


de gelo é montada no Bryant
Park e, se você tiver os patins,
pode patinar de graça; se você
não os tiver, também é possí-
vel alugá-los no local.
Este é um parque agradá-
vel, no verão é aberto ao públi-
A Biblioteca Pública é
co para se esticar na grama e,
mais uma das construções lu-
nas segundas-feiras de julho,
xuosas e requintadas da épo-
para projeção de filmes ao ar
ca áurea dos Estados Unidos,
livre (e de graça).
um elogio à cultura, um mo-
numento em homenagem ao
Se você estiver aqui nes- saber.
ta época e quiser participar
destes eventos, um conselho:
Nos meses de verão,
chegue cedo, umas duas ho-
a ­Biblioteca não abre aos
ras antes de o filme começar
­domingos.
(sempre ao pôr do sol), e se

New York Public Library


http://www.nypl.org/

Quinta Avenida com a Rua 42

seg – das 11:00 às 18:00


ter e qua – das 11:00 às 19:30
qui, sex e sab – das 11:00 às 18:00
dom – 13:00 as 17:00

38
Grand Central

Você deve estar pensan- o Chrysler, ­outras para ­prédios


do: ­ djacentes), você sairá num
a
corredor que se parece muito
- É loucura para falar duma com um dum shopping center
estação de trem como atração ou duma galeria.
turística!

Você até teria razão,


se esta estação não fosse a
Grand Central. Existem ­vários
­pontos de Nova York que
­impressionam na primeira vez
que os vemos - a Times ­Square,
a ponte do Brooklin, o Empire
States - , e a Grand Central
com certeza é um deles.
A Grand Central é,
como o nome indica, grande.
Se você estiver chegan-
No saguão principal (Main
do na Grand Central à pé, a
­Concourse), onde são indi-
primeira coisa que verá, caso
cados os embarques para os
venha pela rua 42 no sentido
trens da linha Metro-North
leste, será a magnífica ­fachada
- que realiza viagens para os
da estação, com o Chrysler
subúrbios do Estado de Nova
Building erguendo-se atrás.
York e Connecticut - é duma
Em qualquer hora do dia, mas
suntuosidade inacreditável.
principalmente à noite, esta é
Pode-se até imaginar os mem-
uma vista maravilhosa. Eu lhe
bros da alta classe norte-ame-
asseguro que você vai querer
ricana, das décadas de 50 e
tirar muitas fotos.
60, encasacados e de chapéus,
circulando por aqueles corre-
Porém, se você descer dores. Uma viagem no tempo.
do metrô na Grand Central,
ao ­subir as escadas (caso
Subindo as escadas,
você tenha sorte de conse-
à ­direita e à esquerda, há
guir sair dentro da estação,
­restaurantes chiquetérrimos
pois ­existem várias saídas,
que, você, como mão-de-vaca
­algumas para a rua, outra para
39
que se preza, só vai olhar lá de No subterrâneo, há a
baixo. praça de alimentação (Dining
Concourse), também com op-
ções caríssimas. Evite comer
lá! Principalmente quando ao
atravessar uma ou duas ruas
você encontra lugares bem,
mas bem mais baratos mes-
mo.

Enfim, a Grand Central


está entre um dos pontos tu-
rísticos de graça mais belos,
na minha opinião (inclusive,
dentre as fotos que tirei da ci-
dade, a Grand Central ganha
em disparada), além de ser
famosa — no primeiro filme
Nos corredores que saem do “Superman”, a base de Lex
do Main Concourse, há uma Luthor é nos subterrâneos da
série de lojas, algumas conhe- estação, e é sobre ela que cai
cidas, como Godiva, ­Swatch, parte do meteorito do filme
Banana Republic, e tudo “Armagedom”. Algumas vol-
­muito caro e bonito, apenas tas pelos arredores da estação
para olhar. No corredor no proporcionam também be-
sentido leste, indo para a Le- las vistas, como do Chrysler
xington Ave, há também o ­Building e do Hotel Hyatt; e a
Grand Central Market, onde Biblioteca Pública está a pou-
tudo é o olho da cara, mas cos metros dali.
de primeira qualidade: pães,
queijos, vinhos, massas, fru- A Grand Central dá aces-
tas, peixes, etc. É o que há de so aos metrôs das linhas: 4, 5,
melhor no mundo, por isto, 6, 7 e o Shuttle (traslado) para
tem de ser pagar o preço. Mas a Times Square.
é uma ­visita imperdível.

Grand Central Terminal


http://www.grandcentralterminal.com/
Rua 42 com a Park Avenue

40
Estátua da Liberdade

Você é uma daquelas 1­ 1,50 dólares por cabeça para


­ essoas que dizem para si
p ir até a ilha onde ela fica?
­mesmas:
Até que o preço não é
- Eu só terei certeza de que dos mais caros e, se você
estou em Nova York ­quando ­realmente fizer questão, não
vir a Estátua da Liberdade de vai ­matar ninguém. Porém,
perto? se você ­estiver indo com a
­família ­inteira: mulher, filhos
e ­sobrinhos, a conta fica um
pouco amarga no final.

Mas para tudo há uma


solução. Por que pagar ­quase
doze dólares para it até a
­Estátua da Liberdade se você
pode vê-la de graça?

Você não vai descer em


Liberty Island, nem ver a
­Estátua de sob os pés dela,
mas passará por perto e dará
para ter uma boa vista dela e,
ainda mais belo, dos arranha-
céus nova-iorquinos.

Entendo a sensação.
Este jeitinho é pegando
Também me senti assim nos
o barco para Staten Island,
primeiros dias. Leva algum
um dos cinco boroughs de
tempo para cair a ficha e você
Nova York. O ferry sai a cada
constatar que, de fato, está em
meia hora e passa raspando
Nova York.
em ­Liberty Island. Dentro
dos barcos há binóculos, que
Então, você quer ver a ­custam apenas 25 centavos, se
­Estátua? você quiser ter uma vista ain-
da mais de perto da Estátua.
Está disposto a pagar
41
O porto para embarcar no lá, ou desembarcar e correr
barco (Ferry) fica no Battery para pegar o mesmo barco de
Park, lá embaixo, no finalzi- volta a Manhattan.
nho da ilha. Não precisa pa-
gar nada para viajar no barco,
e a viagem, de Manhattan a
­Staten Island, leva aproxima-
Não, você não pode ficar
damente meia hora. A Estátua
dentro do barco, esperando
pode ser vista do lado direito,
ele voltar!
mas, se você ficar na dúvida, é
só seguir a multidão de mãos-
de-vaca, que se aglomera nas É preciso desembarcar e
janelas para ver o mesmo que embarcar novamente.
você quer ver. Se estiver difícil
de enxergar na ida, não se pre-
ocupe, pois na volta fica tudo
mais tranqüilo e você poderá Este é um passeio diverti-
vê-la sem problema. do e você pode aproveitar para
conhecer os pontos turísticos
de Downtown.

Quando você chegar a


Staten Island, você terá duas
opções: dar um rolé pela ilha,
no entanto, não sei se há algu-
ma atração interessante por

Para saber mais sobre o barco para Staten Island:

http://www.nyc.gov/html/dot/html/ferrybus/statfery.shtml

E sobre o barco pago para Liberty Island

http://www.nps.gov/stli/planyourvisit/­feesandreservations.htm

42
Museu de História Natural

­ atureza, fauna, flora e mine-


N
rais. O Museu é bastante di-
dático e, justamente por isto,
há uma concentração gigan-
tesca de crianças, estudantes
e pimpolhos em geral. Se você
é uma pessoa que se irrita
com gritaria e correria, talvez
o Museu de História Natural
seja um ambiente um pouco
Nova York tem alguns dos opressivo.
melhores museus do mundo,
já falamos do Metropolitan, Além do didatismo, o
do MOMA, veremos agora Museu também preza pela
sobre o Museu de História interatividade. Várias exposi-
Natural (Museum of Natural ções podem ser tocadas pelos
History). visitantes. Na seção de objetos
espaciais, há até um ­siderito
Há uma briga entre os (também conhecido como me-
que preferem o MET e os que teorito) que pode ser ­tocado.
preferem o Museu de ­História Não é todo dia que a gente
Natural. O público-alvo de pode pôr a mão em algo que
cada um é bem diferente, e veio do vácuo do espaço!
as exposições mais diferentes
ainda. Além das exposições
permanentes, que incluem
O primeiro é voltado para artefatos de povos ­primitivos
a História da Arte, daquelas - ­astecas, incas, povos africa-
maravilhas artísticas criadas nos, asiáticos -, animais em-
por nós, humanos, capazes de palhados - extintos ou não -,
guerrear, mas também capa- reproduções de árvores, há
zes de criar o Belo. também as exposições tempo-
rárias, que devem ser tão inte-
ressantes quanto as outras, só
Já o Museu de História que com o pequeno detalhe de
Natural, como o próprio nome que cada uma exige uma en-
indica, aborda a história e trada individual.
o presente das criaturas da
43
Mas a seção mais badala- é sugerida (leia mais sobre isto
da, sem sombra de dúvida, é a em Suggested Admission, no
dos dinossauros. É tanta gen- tópico sobre o Met Museum).
te por metro quadrado que,
se aqueles bichos estivessem O preço que eles gosta-
vivos, seria uma carnificina riam que você pagasse é 18
inesquecível. Chegar perto dólares, mas você dá quanto
do Tiranossauro é quase uma quiser, bem menos que isto
missão impossível. (como eu), ou bem mais do
que isto (como possivelmen-
te alguém...). Se você quiser
visitar alguma das exposições
temporárias, precisa pagar a
entrada cheia do Museu, que,
incluindo a entrada da tempo-
rária, fica, no total, em torno
de 25 dólares; neste caso não
tem como barganhar, é este o
preço e ponto-final.

Destas visitas opcionais,


apenas o IMAX, o cinema
em três dimensões dentro do
­Museu, é realmente legal.

Mais uma vez, entrada su- O Museu de História


gerida ­ atural é imenso. Um passeio
N
para o dia inteiro.
E o melhor é que, para
entrar no Museu, você paga
quanto quiser, pois a entrada

American Museum of Natural History


http://www.amnh.org/home/

Central Park West e rua 79


Aberto diariamente, das 10 da manhã até as 5:45 da tarde.

44
Times Square

­ onstruosos. A Times ­Square é


m
tudo isto e muito mais, ­porém,
é um dos poucos pontos da
cidade onde o caos ­realmente
impera. Noutras áreas, a paz é
tão grande que nem se parece
estar numa ­cidade com quase
10 milhões de habitantes, mas
Nova York é isto, uma surpre-
sa a cada esquina.

A Times Square é
­ aravilhosa em qualquer
m
­momento do dia, e se você pas-
Existe passeio mais em sear por ela às 4 horas da ma-
conta do caminhar pelas nhã, mesmo assim estará lota-
ruas? da. E o grande encanto ocorre à
noite, quando a ­luminosidade
Nova York é uma cidade dos ­restaurantes, das
feita para ser conhecida à pé. ­propagandas, das lojas é tão
O metrô o levará para as ­áreas forte que dá a impressão de
mais distantes, mas, uma vez ser dia.
que você tenha chegado a
seu destino, o negócio é estar Caminhar à noite pelo
equipado com um bom tênis e coração de Nova York é uma
se preparar para andar muito. experiência indescritível e a
única expressão que há para
Quando as pessoas descrever a primeira vez que
­ ensam em Nova York, e eu
p se vê a Times Square é:
também tinha esta concepção
antes de vir para cá, a pri- “Caramba, meu!”
meira imagem que surge é da
Times Square - muitas luzes,
A maioria das lojas desta
grandes edifícios, multidão
área fica aberta 24 horas, ou
nas ruas, engarrafamentos
pelo menos até altas horas da
45
madrugada. Na Times Square, imensas são as da Foot Locker
não existe feriados, as luzes (tênis e artigos esportivos);
nunca se apagam. Toys’R’Us (de brinquedos),
na qual há até um parque de
diversões, com roda-gigante;
O que você precisa ver da Hershey’s, com chocolates
e demais guloseimas; Bubba
São tantas coisas Gump Shrimp Co, a empresa
i­ nteressantes que é fácil ­acabar de camarões do filme Forrest
se esquecendo de algo. Gump, pode-se comprar sou-
venirs no térreo, onde o terno
A Times Square fica no que Tom Hanks vestiu na pri-
cruzamento da Broadway com meira cena do filme é exibido,
a Sétima Avenida, entre as e um restaurante no primeiro
ruas 42 e 43. andar; entre inúmeras outras
lojas, com bugigangas, chavei-
ros, camisetas, bonés, e todos
aqueles badulaques que tu-
ristas adoram comprar, para
Este trecho da Broadway provarem que estiveram em
é particularmente famoso por Nova York.
causa de seus teatros, que
exibem musicais consagrados
como “O Fantasma da Ópera”,
“Os Miseráveis”, “Rei Leão”,
“A Cor Púrpura”. Um ingresso
para um dos musicais custa,
em média, 130 dólares, mas há
como conseguir entrada mais
barata, através dos guichês da
TKTS (há um deles na rua 47,
entre a Broadway e a ­Oitava
Avenida, na área do Hotel Do que você precisa fugir
Marriot), que vendem ingres-
so com até 50% de desconto. A Times Square é uma
região turística por excelên-
Na Times Square há cia, por isto, espere que tudo
também uma loja imensa da seja muito mais caro do que
­Virgin, onde se vende CDs, em outros pontos da cida-
DVDs, livros, camisetas de de - McDonald’s, Pizza Hut,
bandas, etc. Outras lojas ­Burguer King, tudo custa mais
46
nesta região. Ou seja, se você quiser
economizar, vá para lá apenas
Além disto, há várias lojas para passear. Comer, comprar,
de produtos eletrônicos, com visitar museus, deixe isto para
computadores, câmeras foto- fazer longe da Times Square.
gráficas, IPods, que também
são bem mais caros do que em
lojas especializadas fora da
­Times Square. No entanto, ainda ­existem
alguns redutos baratos na
O museu de cera ­Madame vizinhança, como o Dallas
Tussauds também fica por per- BBQ, o Tony’s de Napoli e o
to. Adultos pagam 29 ­dólares, Carmine’s.
o que é um assalto à mão arma-
da. Se você quiser uma amos-
tra da exposição, você pode
entrar no saguão do ­museu Times Square
e tirar foto com ­algumas das Entre as ruas 42 e 43,
estátuas abertas ao público. O ­Broadway e Sétima
Morgan ­Freeman sempre dá ­Avenida.
as caras.

47
Ponte do Brooklin

Brooklin Bridge.

- Tudo bem, são pontes, e daí?

E daí que da Ponte de


Brooklin é possível ter uma
das mais belas vistas de
­Manhattan e, se o dia estiver
agradável, é um ótimo passeio
para ser feito à pé.

Manhattan é uma ilha.


A Brooklin Bridge ­começa
pertinho da prefeitura, ­quase
- Ah, bobão, isto eu sabia!!! na saída do ponto final do
trem 6, a estação “Brooklin
Mas não é à toa que Bridge/City Hall”. Os carros
­ enciono este fato. Por
m passam por baixo da ponte,
ser uma ilha, o acesso de os ­pedestres e ciclistas, por
­Manhattan para os outros uma passarela elevada. Aqui
boroughs, como para The vem a primeira ­advertência:
Bronx, para o Queens ou para ­pedestres devem andar à
o Brooklin, ou para se chegar direita de quem vai para o
a New Jersey, é realizado atra- Brooklin, ­ciclistas à esquerda.
vés de túneis, ou através das Se na hora que você estiver
famosas pontes pênseis. subindo a ponte, você ficar
na dúvida, é só olhar para o
Estas grandes pontes chão; há um desenhinho dum
são 5: a George Washington ­pedestre dum lado, e dum
Bridge, a Queensboro ­Bridge, ­ciclista no outro. É para não
a Williamsburg Bridge, a errar mesmo.
­Manhattan Bridge, e, por fim,
a mais famosa de todas, a

48
- Por que esta advertência? ro, seguindo pela Old Fulton
­Street, com uma linda vista
É tão natural ficarmos de Manhattan; ou você pode
embasbacados com a paisa- pegar o trem de volta para
gem, dominados pela vontade ­Manhattan, os trens A ou C,
de tirar fotos, que nos esque- na Cadman Plaza East;
cemos deste pequeno detalhe.
Se você não quiser que seu 2 - ir até metade da ponte, ti-
passeio acabe num hospital, rar fotos, admirar a paisagem,
por causa de escoriações ao e voltar pelo mesmo caminho
ser atropelado por uma bici- que veio. É mais rápido e ain-
cleta, preste atenção. da sobra um tempo para ir até
o Píer 17, no South Seaport,
Você tem duas opções: um dos lugarezinhos mais
surpreendentes e agradáveis
de Manhattan.
1 - cruzar a ponte inteira,
que leva algo em torno de
40 ­minutos, até chegar no
Brooklin. Lá, você pode dar
uma volta no setor histórico Se o dia estiver bom, nem
do bairro (que não tem muita muito quente, nem frio, nem
coisa interessante para se ver), chovendo, passear pela Ponte
e descer até um atracadou- do Brooklin é inesquecível.

49
Central Park

Pode-se passar a vida pode ser feito após um passeio


i­ nteira em Nova York que pela Quinta Avenida, ao atin-
não se conhecerá todos os gir a rua 59, onde está situa-
­cantinhos do Central Park. do um dos cantos inferiores
do parque, ou no West Side,
O enorme retângulo ver- após visitar o edifício Dakota
de incrustado no meio da ilha ou o Columbus Circle, ou no
de Manhattan é um mundo à Upper East side, após haver
parte, tão diverso e fantástico contemplado as obras de arte
quanto a própria cidade que o do ­Metropolitan Museum.
abriga.
Oportunidades não fal-
Cada trecho reserva suas tam, pois o parque se estende
surpresas e possui caracterís- da rua 59 até a 110, e se o dia
ticas próprias. Uma boa ma- estiver bonito, você pode até
neira de conhecer o parque é decidir cruzar o parque dum
destinar uma parte de seu pas- lado ao outro. Não sugiro per-
seio nos bairros ou em áreas corrê-lo de cima a baixo, pois
próximas para dar uma fugida é um longo caminho, mas se
e passear no Central Park, isto você estiver com disposição,

50
também não se arrependerá. do. O zoológico do Central
Park foi cenário da animação
­“Madagascar”.

- Caminhe pelo “The Mall”,


um grande corredor arbori-
zado, onde você poderá tirar
belas fotos;

- No meio do parque, na al-


tura da rua 82, há o Castelo
­Belvedere (Belvedere Castle).
Dali, você tem uma maravilho-
sa vista do Central Park. Não
precisa pagar nada para su-
bir na torre. Não muito longe
Alguns pontos que devem dali, fica o Delacorte ­Theater,
ser visitados são: onde são encenadas, no verão,
peças de Shakespeare com en-
- Strawberry Fields, um trada franca.
­jardim em homenagem a John
Lennon, que morou no outro - No lado leste, por volta
lado da rua no edifício Dakota, da rua 105, está situado o
o mesmo onde foi gravado o ­“Conservatory Garden”, um
filme “O Bebê de Rosemary”; dos setores mais encantado-
res do Central Park, na minha
- The Great Lawn, ou o ­grande opinião. Uma espécie de labi-
gramado, onde os nova- rinto com pequenos jardins,
­iorquinos se refestelam no ve- um mais lindo do que o outro,
rão, jogam futebol ­americano, repleto de fontes e esculturas.
beisebol, ou simplesmente
brincam com os filhos; E o bom é que, por ser
um parque, você não precisará
- Dê uma passada pelo desembolsar nenhum tostão;
­Zoológico que há na altura da mas um conselho, traga a gar-
rua 62, do lado leste (East) do rafinha de água consigo, pois
Park, mas não compre a entra- as barraquinhas de cachorro-
da, se for para ir ao zoológico, quente irão extorquí-lo se você
prefira o Bronx Zoo, um dos estiver sedento.
maiores zoológicos do mun-
51
South Seaport - Píer 17

O Píer 17 é um local
e­ ncantador. Faz parte do setor
histórico de Downtown e visa
reconstruir a arquitetura por-
tuária do século XIX. No cais,
estão atracadas várias embar-
cações antigas.

O ideal é que você vá du-


rante o dia, especialmente se
Existem três níveis de en- estiver ensolarado (e quente,
tretenimento em Nova York: o que não o impede de ir du-
rante os meses frios, porém,
- o primeiro é destinado, ma- isto dificulta muito o passeio
joritariamente, a turistas, nes- ao ar livre), para desfrutar do
ta categoria estão a Estátua da clima agradável do Píer. De
Liberdade, subir no Empire lá, é possível ter uma maravi-
States, ir até a Times Squa- lhosa vista dos arranha-céus
re; muitos nova-iorquinos, de ­Downtown e também da
por exemplo, nunca viram a ­Ponte do Brooklin.
­Estátua de perto;

- o segundo é aquele destina-


do aos moradores da cidade. Além dos restaurantes e
Existem áreas de NY, como museus em South Seaport, há
certas regiões do SoHo, Upper um pequeno shopping center.
East e West Side onde só se vê Não há lojas muito interessan-
moradores, jantando, indo ao tes, mas a praça de alimenta-
cinema, ao teatro, a um con- ção é bem diversificada, mes-
certo, ou simplesmente pas- mo que os preços das refeições
seando; sejam ligeiramente mais altos
do que em outras regiões da ci-
- por fim, há aquelas atrações dade. No entanto, o mais inte-
que dividem a atenção de tu- ressante mesmo, é a vista que
ristas e moradores, e o Píer 17 se tem de Manhattan, a partir
é uma delas. dos terraços do shopping.

52
Certamente, uma das Como chegar?
mais belas paisagens urbanas
do mundo! Independente de qual me-
trô você pegar, mesmo assim
Em South Seaport há você terá de andar ­algumas
também o segredo mais bem quadras para chegar em South
guardado de Manhattan, um Seaport.
outro guichê da TKTS, onde
é possível comprar ingressos As linhas que param mais per-
com metade do preço para a to são:
Broadway, sem filas e sem a
demora dos guichês na Times
- 2, 3, descendo na Estação
Square.
Fulton Street, Broadway/Nas-
sau

- Já as linhas 4, 5, A, C, R, W,
Se você tiver tempo, volte 1, J, M e Z descem um pouco
uma noite ao South Seaport mais longe, mas basta seguir
para ver a cidade iluminada, pela Fulton Street em sentido
mas, repito, de dia é muito Leste para chegar ao Píer 17.
mais agradável.

53
Ground Zero/WTC

Lembro-me como se fos- estações de metrô, haja polícia


sem ontem, eu acordando revistando mochilas e sacolas,
para almoçar (eu acordava à procura por algum artefato
tarde) e, quando cheguei no terrorista, e, de quando em
restaurante, a mulher do caixa quando, ouve-se uma men-
me perguntou: sagem automática nos trens,
pedindo aos passageiros que
— Você viu que estão atacando prestem atenção a qualquer
os EUA? pacote suspeito. É este o ob-
jetivo do terrorismo, semear a
dúvida no cotidiano, fazendo
Eu não havia visto, al-
de qualquer pessoa um sus-
mocei às pressas e voltei para
peito em potencial.
casa, apenas para assistir a
reprise dos atentados às Tor-
res Gêmeas em Nova York. Mais de seis anos se pas-
Talvez, pela primeira vez, saram desde o atentado terro-
tenha passado pela minha rista ao WTC e, mesmo assim,
cabeça de que éramos espec- quando se vai até o local onde
tadores da História, de que estavam as Torres Gêmeas,
também ­fazíamos parte dos há um clima pesadíssimo,
­acontecimentos globais. uma mistura de reverência e
incompreensão. Reverência
pela memória daqueles que
O ataque terrorista ao
morreram, por aqueles que
World Trade Center mudou
trabalhavam nos edifícios e
o mundo: mudou a maneira
por bombeiros e policiais que
como as nações encaram as
entraram neles para salvar vi-
ameaças terroristas, mudou os
das.
procedimentos de segurança
das companhias aéreas, mu-
dou o rigor para se entrar nos O tamanho da devastação
EUA, e, em Nova York, par- impressiona, tanto no bura-
ticularmente, o medo de que co onde as Torres desabaram
algo como o 11 de setembro de quanto nos arredores, com
2001 se repetisse, tornou a ci- edifícios e ruas danificadas
dade muito mais segura. até hoje. Dizem que até 2012,
erguerão um prédio, chamado
Freedom Tower, e construirão
Não é incomum que, em
54
um memorial em homenagem esquecem das suas feridas.
às vítimas. É trabalho pra ca-
ramba, pois, quem vai para Como chegar?
aquela área, tem a imagem de
que aquilo é um grande can-
Com o trem 1, descer na
teiro de obras.
estação Chamber Street

Depois de rodar por aque-


Com os trens A, C, 2, 3,
le lúgubre cenário, você pode
4, 5, descer na estação Fulton
aproveitar para espairecer na
Street
Century 21, que é em frente ao
Ground Zero, ou ir em direção
a Downtown e passear pela Com o trem 6, descer na
Wall Street e se perder nas estação Brooklin Bridge – City
ruelas da região. Hall

Quem sabe, um dia, a Com o trem E, descer na


imagem que tenhamos não estação World Trade Center
será mais esta, da destruição,
mas da reconstrução, porém, Com os trem R e W, des-
os nova-iorquinos nunca se cer na estação City Hall

55
Quinta Avenida

Eu lhe sugiro duas op-


ções, dependendo de quanto
você esteja disposto a andar:

1 – Começar na rua 34 e subir


até a rua 59; ou

2 – Começar na rua 42 e subir


A Quinta Avenida é uma até a rua 59.
rua com uma baita reputação.
Todo mundo que vem a Nova Na primeira das sugestões,
York (ou melhor, quase todo você iniciará seu passeio pelo
mundo) sabe que nela há as Empire States Building, que é
lojas mais chiques e caras da atualmente o prédio mais alto
cidade e, possivelmente, do de Nova York (isto enquanto
mundo. não concluem a construção do
­Freedom ­Tower, onde havia o
Comprar em tais lojas World Trade Center).
não faz parte dum roteiro para
mãos-de-vaca. Se você veio Visto debaixo, o ­Empire
com dinheiro trocado para States nem parece ser tão alto,
comprar apenas uma camise- aliás, pouco se consegue ver
ta “I Love NY”, evite sequer dele. É preciso andar umas
olhar os preços das roupas nas três ou quatro quadras para
luxuosíssimas lojas de grife da poder enxergar a antena de TV
Quinta Avenida. Na verdade, no topo dele, mas eu lhe asse-
em algumas, as roupas nem guro que é um edifício alto
tem etiqueta, sabe como é, pra caramba. Quanto mais
rico não quer nem saber quan- nos afastamos de ­Manhattan,
to custa, passa tudo no cartão mais percebemos como o
de crédito. Empire States se destaca na
paisagem da cidade. Visto de
Contudo, mesmo que New Jersey, por exemplo, ele
você não pretenda comprar se ergue sozinho e imponente,
nada, um passeio pela Quinta bem mais alto que os prédios
Avenida é um programa obri- ao redor.
gatório.
56
Nesta região do Empire s­ egue da 42 em diante: há
States, há vários restaurantes lojas mais baratas, com bugi-
e lanchonetes boas e baratas. gangas, com souvenirs para
Na base do Empire States, na turistas.
rua 34 com a Quinta Avenida,
está localizado um restaurante Na rua 42, está situa-
mexicano, chamado Chipotle, da a maravilhosa Biblioteca
que serve um prato de arroz, ­Pública da Nova York. É per-
carne e salada. Com refrige- mitido tirar foto no interior
rante livre, sai por mais ou dela, desde que não atrapalhe
menos 8 dólares. os usuários; atrás dela fica o
Bryant Park, onde, no verão,
Já falando de fast-food, ocorrem vários eventos e, no
há lanchonetes do McDonald’s inverno, é montado um rinque
e do Wendy’s de frente para de patinação no gelo.
o Empire States, na Quinta
­Avenida. Assim que passamos a
Biblioteca Pública, as lojas co-
A rua 34, em sentido meçam a ficar mais refinadas
­ este, é conhecida com ­Little
O e, conseqüentemente, mais
Korea (Pequena Coréia), por caras.
causa de seus vários restau-
rantes e lojas coreanos, po- Na rua 50, está situa-
rém, não é se de coreanos da a famosa Saint Patrick
que se faz esta região, existem ­Cathedral, com sua magnífica
também inúmeros restauran- fachada. Por dentro, até que
tes japoneses, chineses, mer- não há nada muito extraordi-
cadinhos com produtos asiáti- nário, mas por fora é estonte-
cos, casas de karaokê, livrarias ante.
com livros orientais, lojas de
antiguidades asiáticas. Um
Em frente à Catedral, está
belo passeio para quem curte
parte do complexo Rockfeller
o mundo oriental.
Center, onde é montada, no
Natal, a maior árvore natalina
Porém, nosso passeio é de Nova York. O observatório
subindo a Quinta Avenida. do Top of the Rock, no prédio
mais alto do complexo, não é
Este trecho entre as ruas barato, 17 dólares por pessoa,
34 e 42 não é tão glamoro- mas tem uma vista muito me-
so quanto o outro trecho que lhor do que de sobre o Empire
57
States. “­Piratas do Caribe”. Aproveite
para vestir umas orelhas de
É mais ou menos nesta Mickey e tirar algumas fotos.
região que as lojas de grife co-
meçam a pipocar. Mas não se Ali perto fica a Trump
engane, aqui não há desconto Tower, onde foram gravados
nos preços (para tanto, tem os programas “O Aprendiz”,
de ser na Century 21 ou em com Donald Trump. O saguão
­Woodbury mesmo), com ex- é aberto ao público e há alguns
ceção de certas épocas do ano, itens pessoais do Trump em
mas nada que seja acessível exposição.
para quem está com a grana
curta. Na Quinta Avenida, há Por fim, chegando na rua
lojas da Prada, Gucci, D&G, 59, temos a surpresa de en-
Diesel, Abercrombie, Saks, contrar a loja do filme “Quero
Cartier, Versace, Fendi e por Ser Grande”, com o gigan-
aí vai. São lojas bonitas, mas tesco piano no chão, a FAO
caríssimas! Schwartz. Esta loja de brin-
quedo é deslumbrante e nos
faz querer voltar a ser criança
novamente.

E, já no cantinho sudeste
do Central Park, em frente a
FAO Schwartz, encontramos
a loja da Apple, onde você en-
contra alguns brinquedinhos
de adultos (IPods, Macs e
IPhones).

Se depois de andar quase


30 quadras você ainda tiver
pique, o Central Park está logo
Algumas quadras ao nor-
ali do outro lado da rua!
te, entre as ruas 55 e 56, há a
badalada loja da Disney, talvez
uma das lojas mais cativantes
da cidade, toda decorada com
temas de desenhos anima-
dos e filmes da Disney, como

58
O Bondinho para Roosevelt Island

até o transporte público se


­torna atração. O bondinho é
­semelhante àquele do Rio de
Janeiro: ele só faz um único
trecho, sai da rua 59 com a
Primeira Avenida, acompanha
a Queensboro Bridge (a ­ponte
que leva para o Queens),
­deixando os passageiros em
­Roosevelt Island.

Você assistiu a “O Adianto-lhes que não


­ omem-Aranha” ou a “Água
H há nada para se ver nem se
Negra”? fazer na ilha, é apenas um
­grande aglomerado de prédios
Não?! Bem, corra para ­residenciais; parece que só tem
­ ssistir a pelo menos o
a um mercado e um ­hospital,
­primeiro destes filmes, pois, mas nenhum ponto turístico
além de ser muito bom, dará interessante. O legal mesmo é
uma ótima idéia do que se o passeio, vendo a orla ­leste de
­trata este passeio. Manhattan, o Chrysler Buil-
ding, os bairros ao norte, o
Queens e o East River.

Numa das cenas do ­filme,


lá pelo final, o inimigo do
­Homem-Aranha ataca um
bondinho, deixando o herói
com um sério dilema, salvar
a namorada ou um bando de
cidadãos inocentes. Acontece
que este bondinho do filme é
o mesmo que liga Manhattan
a Roosevelt Island.
É uma viagem rápida,
Turista é um bicho em torno duns dez minutos.
­engraçado mesmo, porque Você pode descer na ilha e

59
t­ irar umas fotos dos arranhas- bondinho na rua 59, pois, ali
céus de Nova York, e voltar no perto, fica a Bloomingdale’s,
­bondinho seguinte. um mercado lindo de rede
Food Emporium sob a ponte,
O mais importante é uma loja enorme da Bed, Bath
que, se você estiver com o & Beyond, e, se você seguir
­METROCARD em mãos, o pela rua 59 em sentido Oeste,
passeio será de graça; passe chegará na loja da Apple e no
o cartão na ida e na volta, e Central Park.
pronto!

Por fim, você também


pode aproveitar para passear
pelos arredores da estação do

Onde pegar o Bondinho para Roosevelt Island


(­Roosevelt ­Island Tramway)?

59th st. com 1st Ave.

60
TKTS
Ingresso Barato para a ­Broadway
Nova York é sinônimo dólares por duas horas de es-
de Times Square, Estátua petáculo...
da ­Liberdade, King Kong no
­Empire States Building (o Mas nem tudo está per-
­macaco não está lá, mas o dido.
prédio sim), Central Park e os
musicais da Broadway.
Existe uma possibilidade
de se adquirir ingressos para
Aliás, muita gente nem a Broadway por até metade do
sabe que Broadway é o nome preço.
da avenida mais longa de
Nova York — começa lá em-
— Como assim? — você
baixo, em Downtown, e segue,
me pergunta.
cortando a ilha em diagonal,
até o rabinho do Harlem. Mas
quando as pessoas se referem
a “Broadway”, elas pensam
num trecho entre as ruas 40 e
48, no qual estão situados vá-
rios teatros.

Assistir a uma peça da


Broadway não é barato, afi-
nal de contas, os musicais são
superproduções, com equipes
técnicas e elencos gigantescos,
cenografia elaborada e toda
É simples. Nem todas as
aquela mística quanto aos
peças, e nem todas as sessões
grandes espetáculos, como
dum espetáculo lotam. Assim,
“O Fantasma da Ópera”, “Les
os teatros possuem a liber-
Misérables”, “Cats” e assim
dade de venderem os lugares
por diante. Um ingresso num
que sobraram por um preço
bom lugar, como a orquestra,
mais barato, às vezes, 25% de
por exemplo (isto é, na turma
desconto, noutras, 50%. Por
do gargarejo), pode sair por
isto, certos musicais muito
140 dólares. É grana! Duas
badalados não costumam ter
pessoas gastariam quase 300
­ingressos sobrando. Isto não
61
quer dizer que você tenha de os nova-iorquinos compram
assistir a qualquer porcaria, os ingressos para peças da
aquele musical ridículo que ­Broadway. Raramente há fila
ficou às moscas, porém, você e, se houver, é de no máximo
nem sempre terá como esco- 10 pessoas. Em 15 minutos,
lher o lugar no qual quer sen- você já estará com os ­bilhetes
tar. na mão, poderá passear por
South Seaport e, à noite, ir
Se sobrar um lugar na or- para a Broadway.
questra, você pagará 75 dóla-
res, se sobrou mais ao fundo,
custará mais barato. O preço a
ser pago sempre dependerá da
quão perto você quer ficar do
palco e, mais importante, se
sobraram lugares.

E onde você compra tais


ingressos?

O que direi agora não é


novidade para muita gente.
Na própria Times Square, per-
to dos teatros da Broadway, há
um guichê da TKTS que vende TKTS
oficialmente os ingressos ex- A localização ­temporária
cedentes (não é cambista, nem do guichê da Times
ilegal). Há um painel eletrôni- ­Square é:
co onde constam os nomes das
West 46th st, entre a
peças com ingresso com des-
­Broadway e a Oitava
conto, e com a percentagem
­Avenida, embaixo do
deste. Porém, a fila costuma
­Hotel Marriot
ser quilométrica, talvez uma
hora de espera.

Agora vem a verdadeira E, em South Seaport:


barbada: este guichê da TKTS
não é o único na cidade. Há ou- Na esquina da Front St.
tro TKTS no Píer 17, em South com a John.
Seaport. É neste guichê que
62
Terceira Parte
Alimentação
Fast Food

Você é uma daque- r­ ápidos, atenderem a um pú-


las ­pessoas que cresceu blico com menor poder aqui-
­acostumada com o pensamen- sitivo.
to de que ir ao McDonald’s é
um passeio? O cardápio do ­McDonalds,
por exemplo, é praticamente
idêntico ao do Brasil, no en-
tanto, o lanche mais caro não
passa de 8 dólares.

“Putz, é caro! 16 reais!”

Mas não se desespere se


você estiver com o orçamento
apertado e mesmo 8 dólares
por refeições for mais do que
você pretende pagar.
Os amigos se falam pelo
telefone e combinam: As três principais ­redes
de lanchonetes ­americanas
possuem um cardápio
- Vamos ao cinema e depois
­diferenciado e no qual todos
comer um BigMac.
os itens custam apenas 1 (um)
dólar (Value Menu ou One
Este é um fato. No ­Brasil, Dollar Menu).
o lanche do McDonald’s é um
lanche caro. Pagar 12 reais
Isto mesmo, não é
para comer sanduíche, batata-
­propaganda enganosa!
frita e refri é bastante, prin-
cipalmente quando se pode
­comer tudo isto em outros Você já conhece o
­lugares por 3 ou 4 reais. McDonald’s, já deve ter ­ouvido
falar do Burguer King e
­conhecerá, agora, o Wendy’s.
No entanto, nos EUA,
as grandes redes de fast food
possuem a proposta de, além As três oferecem serviços
de serem lanches prontos e bastante similares: lanches,

65
sobremesas, refrigerantes e refill, no qual as máquinas
muita gordura. de ­refrigerante ficam fora do
balcão e você pode se servir
Neste menu de 1 dólar, a vontade, repetindo quantas
você sempre encontrará uma vezes quiser. Se o lanche não
opção de hambúrguer (geral- houver sido suficiente, você
mente, é menos de um dólar, pode encher o bucho de refri
talvez 60 ou 70 centavos), uma até dizer chega.
de cheeseburguer, um lanche
de frango sem queijo, batata- Mas a minha rede ­favorita
frita pequena, refrigerante pe- é o Wendy’s. Há bem menos
queno, uma sobremesa, 4 ou 5 desta lanchonete em Nova
nuggets. York, mas as porções são mais
caprichadas, os lanches mais
Ou seja, se você quiser saborosos, as opções mais
comer cheeseburguer, batata- ­diversificadas e um ambiente
­frita e refri, tudo isto sairá mais agradável.
por 3 dólares, mais o impos-
to. Você comerá bem, ou pelo É possível passar uma
­menos não passará fome, e s­ emana, quem sabe quinze
terá gastado pouco. dias, em Nova York à base de
fast food?
As redes com o maior
número de filiais são o É claro que sim. Tem
McDonald’s e o Burguer King. ­ ente que come isto todo ­santo
g
É possível encontrá-las em dia... E talvez valha o sacrifício
quase todos os lugares. Os economizar na comida por
lanches do Burguer King são ­alguns dias para sobrar um
melhores do que os do Mac, ­dinheiro para as compras.
na minha opinião e, ocasio-
nalmente, há o esquema de

McDonald’s - http://www.mcdonalds.com/

Burguer King - http://www.bk.com

Wendy’s - http://www.wendys.com/

66
Café-da-Manhã (Delis)

Sua mãe (ou talvez sua ­ ntepassados) e lanchonete.


a
vó) já devia lhe dizer: Nelas há doces, revistas, re-
frigerantes, papel higiênico,
ratoeiras (é óbvio, já que NY
é a cidade dos ratos) e, em
algumas, uma pequena seção
“Coma seu café-da-
de frios e pães e também uma
­ anhã, pois é a refeição mais
m
área para lanches.
importante do dia”.

As que servem cafés-da-


manhã e almoço podem ou
não ter mesas para comer no
A maratona de passeios local.
que Nova York lhe ­proporciona
exige que você se alimente
bem, pelo menos no café-da-
manhã.
O lanche é reforçado —
pão com ovo, queijo e uma
Você constatará que em
­opção de carne (bacon, pre-
Manhattan há um tipo de
sunto ou sausage - que não é
­estabelecimento bastante es-
salsicha, mas sim lingüiça),
pecífico, conhecido como Deli
torradas com omelete ou ovo
(abreviação de Delicatessen).
frito com bacon e batatas.
Existem milhares, talvez mi-
Isto mesmo, tudo muito leve
lhões, de Delis em Nova York.
e diet!
Duas, três, às vezes quatro,
por quadra. Para onde você
olhar, haverá uma Deli. Este desjejum lhe custará
entre 2 e 4 dólares por pessoa,
sem a bebida (em algumas
Mas que diabos é uma
­Delis, o café é incluso).
Deli?

Se você não souber fa-


Nas Delis vende-se quase
lar inglês, pode arranhar um
tudo. Elas são uma mistura
­espanhol mesmo, já que 90%
de banca de revistas, mini-
dos funcionários das Delis
­mercados (também chama-
são mexicanos (ou provenien-
do de bazares por nossos
tes de algum país hispânico).
67
Só não garanto que você vá Mas as Delis são uma
­entender a resposta... questão de gosto. O que vale
para um não vale para outro.
Quando você estiver aqui,
­talvez prefira uma perto de seu
hotel, já que é bom começar o
A indicação de uma exce-
dia com o estômago forrado.
lente Deli é o “Gigi Café”.

Algumas Delis também


Existem três “Gigi Café”
servem almoço por quilo. Você
pela cidade. Um na rua 34, en-
se serve num bufê e o preço da
tre a Park Avenue e a Madison
refeição ficará por volta duns 5
(bem perto do Empire States),
dólares. É uma boa ­alternativa
outro na Terceira Avenida,
para você não ter de comer
número 985, e o último na
fast-food todos os dias da sua
Broadway, número 2067.
viagem.

Gigi Café
http://www.cafegigi.com/

Outras boas recomendações de Delis:

Pax Wholesome Food


http://www.paxfood.com/

Lenny’s
http://www.lennysnyc.com/

68
Dunkin Donuts

com cobertura de ­chocolate,


de ­baunilha, de maçã, com
recheio de chocolate, de cre-
me, blá, blá, blá. O negócio é
experimentar, uma hora, você
vai encontrar um para o seu
paladar.

O melhor é que os donuts


não são caros. Variam entre
Não existe heresia maior 79 centavos e 1 dólar (recuse-
do que ir para os EUA e não se a pagar mais do que um
experimentar o doce oficial dólar, às vezes, se você cruzar
dos Homers e dos policiais! a rua e for noutro Dunkin’, o
preço já é mais baixo). Você
pode comprar apenas donuts
Se há uma empresa que
­individuais, a dúzia ou meia
possui um slogan apropriado,
dúzia. Dependendo da sua
esta é o “Dunkin’ Donuts”:
gula, dois são suficientes.

America Runs on Dunkin’

Algo que pode ser


t­ raduzido como: “A América é
movida a Dunkin’”.

O Dunkin’ Donuts vende,


como parece ser óbvio pelo
nome, donuts, aquelas rosqui-
nhas apetitosas que vemos em
filmes, nos colos de policiais de
tocaia e descendo goela abai-
xo de Homer Simpson, sem- Mas o Dunkin’ Donuts
pre a babar quando vê uma. não vende apenas ­rosquinhas.
A ­verdade é que os donuts Eles preparam café (que con-
são mesmo ­deliciosos! E há corre, inclusive, com o do
donuts para todos os gostos, Starbucks), preparam cafés-

69
da-manhã e, além disto, o são requentados. Então, eles
Dunkin’ é uma rede interliga- têm o aspecto de uma gelati-
da com o “Baskin’ Robbins”, na, quente e amarela. O gos-
que vende sorvetes e bolos. to até que não é ruim, mas as
conseqüências no dia seguinte
podem ser catastróficas, e seu
passeio em Nova York, ao in-
vés de ser o Empire States e
Mas vai uma advertência,
a Estátua da ­Liberdade, pode
os sanduíches de café-da-ma-
ser pelos banheiros da cidade.
nhã vêm com três opções de
Peça sem ovo, apenas para ga-
carne -- bacon, sausage (que é
rantir...
lingüiça, mas, no Dunkin’, é um
hamburguerzinho ligeiramen-
te apimentado) ou presunto
--, queijo e ovo. ­Porém, o ovo
do Dunkin’ é algo ­medonho. Existem vários Dunkins’
Parece que eles já vêm pronto, por Nova York e, por isto, não
congelados, de alguma cen- será difícil encontrar um.
tral da empresa e, nas lojas,

Dunkin’ Donuts
https://www.dunkindonuts.com/

70
Dallas BBQ

Você já enjoou do che- soas, as ­refeições ­servem duas,


eseburguer de 1 dólar do até três, ­pessoas; ou seja,
McDonald’s? ­mesquinharia é algo que não
se encontra neste ­restaurante.
Você não consegue nem O que quer que você peça,
pensar mais em fast food? pode ter certeza de que será
bem caprichado.
Você quer uma ­comidinha
mais reforçada e, mesmo E o melhor, ao ­contrário
­assim, ainda dentro do seu das outras redes alimentícias,
­orçamento? o Dallas BBQ possui preço
único. Se você for na ­Times
­Square, no Village ou no
Bem, então sua escolha
Upper East Side, o preço será o
mais óbvia é o restaurante
mesmo, a única diferença será
Dallas BBQ.
apenas o estilo do ambiente.

O restaurante desta rede


mais bonito é o da Times
Square, quase em frente ao
Museu Madame Tussauds. O
salão é no primeiro andar e
enorme; mas preste atenção,
o Dallas BBQ tende a ser mais
concorrido durante o jantar,
Há uma pesquisa que
por isso, pode ser que, à noite,
i­ ndica que o estado ­americano
você tenha de esperar alguns
com o maior número de
minutos até conseguir uma
pessoas gordas é o Texas,
­
mesa.
e a cidade “mais gorda” é
Dallas (se você já assistiu ao
­documentário Super Size O prato mais tradicional
Me, então sabe do que ­estou é a costelinha de porco (­BBQ
­falando). Um almoço, ou Baby Back Ribs). Se você
­jantar, no Dallas BBQ é uma não gostar muito do molho
amostra do que porquê destas ­barbecue, pode pedir para vir
­estatísticas: tudo lá é gigante, à parte, já que eles tendem a
o refrigerante serve duas pes- ensopar as costelinhas neste

71
molho. carne (costelinha, frango e
bife, por exemplo), por um
Outro prato muito bom preço bem mais em conta.
e incrivelmente barato é
a ­metade de frango (Half Uma refeição ­completa,
­Chicken), custa apenas U$ com prato principal,
6,99. ­refrigerante e gorjeta (não
se esqueça dela!) para uma
A maioria dos pratos ­pessoa dificilmente sairá
principais é acompanhada por por mais de 15 dólares, o
que, em se ­tratando de Nova
York, é ­quase de graça. Se
­compararmos com outras
redes que servem refeições
semelhantes ao Dallas BBQ,
como o Friday’s e o ­Outback,
veremos que a diferença é
­gritante; enquanto no Dallas
a Baby Ribs sai por U$ 10,99,
no Outback custa 22 dólares,
apenas o dobro.

E não pense que, por ser


barata, a comida é insossa,
pelo contrário, a comida do
Dallas BBQ está entre as mais
uma opção de batata (assada saborosas que já comi em NY.
ou frita) ou arroz, e pão de
­milho. Para saber as localização
dos restaurantes da rede e dar
No horário do ­almoço, uma xeretada no suculento
i­ nclusive, sempre há cardápio, você pode acessar o
­promoções, como, por site do restaurante.
­exemplo, pedir três tipos de

Dallas BBQ
http://www.dallasbbq.com/
Filial da Times Square
241 W da rua 42, entre a Sétima e Oitava Avenida

72
O Quente dos Cachorros-Quentes

Nova York é a capital É pensando nisto que


mundial do cachorro-quente, ­ lgumas redes, como o
a
porém o dito cujo é ­bastante Nathan’s, o Papaya Dog,
diferente do que temos no o ­Papaya King e o Gray’s
Brasil, a começar pela ­salsicha, ­Papaya investem nos ­combos;
que está mais para uma assim, você pode comprar
­lingüiça calabresa do que para uma combinação de dois
uma salsicha. Em ­segundo ­cachorros-quentes mais ­refri
­lugar, não há o hábito de socar por 4 dólares, ou hot dog,
tudo dentro do pão, nos EUA, ­fritas e refrigerante (ou suco)
cachorro-quente é salsicha por um valor semelhante.
(isto é, a lingüiça), pão e uma
mostardinha, no máximo um
molho de chilli por cima.

O preço médio do hot


dog é de 2 dólares, isto ­desde
as barraquinhas de rua até
as redes de fast food; pode
custar um pouco mais caro
­dependendo da área, mas ge-
ralmente fica por volta deste Particularmente, eu
valor. c­ onsidero o cachorro-quente
do Nathan’s o mais gostoso.
A marca é tão famosa que se
O lanche é saboroso, po-
vende a salsicha deles nos
rém há 90% de chance de você
mercados para que possamos
não ficar satisfeito com apenas
prepará-las em casa.
um cachorro-quente (pratica-
mente do tamanho duma ca- Comer um cachorro-
neta BIC), e 50% de chance quente é obrigatório para
de você ainda não estar satis- quem visita Nova York, mas
feito após o segundo, ou seja, não a considere como uma
apesar de barato, o hot dog refeição caprichada. Se você
pode sair caro se você acabar estiver faminto, pense em ou-
comendo três e ainda mais o tra possibilidade e deixe para
refrigerante. mordiscar um cachorrinho em
outra hora.

73
Pizzarias

Eu não tenho idéia do “pizza de queijo é igual em


porquê de a pizza america- todo o mundo”.
na ser tão diferente da nossa
no ­Brasil. É óbvio que não Em tese, isto é ­verdade,
poderíamos esperar encon- mas na prática não é bem
trar a variedades de sabo- ­assim. Eu não sei se os
res das pizzarias brasileiras, ­ingredientes são diferen-
­aquele espectro interminável tes, se é o molho, ou o tipo
de ­combinações de queijos do ­queijo, ou a ­massa, mas a
e outros recheios, sabores ­pizza ­americana não é boa,
­dedicados a todos os estados e pelo ­menos não para o meu
cidades ­brasileiras — paulista, paladar.
­baiana, mineira, curitibana —
ou ­pizzas doces, como as de
Na verdade, no começo,
­chocolate, suspiro, morango, e
tudo tem gosto esquisito nos
assim por diante.
EUA, desde o McDonald’s até
a Coca-Cola, porém, com o
Os americanos não pos- tempo, nós nos acostumamos
suem isto, inclusive eles ficam com o gosto dos alimentos,
boquiabertos (assustados e mas é bastante difícil se acos-
enojados) quando revelamos tumar com o gosto da pizza
a eles este mistério gastro- americana.
nômico ítalo-brasileiro. Não,
as ­pizzas deles possuem uns
Dizem que São Paulo é
­cinco ou seis sabores, e só.
a segunda cidade que mais
consome pizza no mundo.
“Tudo bem”, você pensa, ­Adivinha qual é a primeira?

74
O preço médio duma fa-
tia de pizza é U$ 2,50, depen-
dendo do sabor escolhido. Na
maioria das pizzarias também
há a opção de pedir massas,
mas elas ficam tanto tempo
expostas no balcão, que não
têm as caras mais tentadoras.

Seguem aqui algumas


indicações das que eu acho
serem razoáveis, ou melhor,
as que lembram um pouco as
pizzas brasileiras: as redes do
Sim, Nova York! Há
Pizza Hut e do Domino’s são
­ izzarias para todos os lados,
p
boas e com preço acessível,
porém quase todas igualmen-
estão espalhadas por vários
te ruins.
pontos da cidade e, por isto,
acabam quebrando o galho.
Mas nem tudo está per-
dido, existem algumas raras e
Não custa tentar e
boas pizzarias em Nova York,
­ rovar, eu não aprecio a pizza
p
mas elas estão sempre abrindo
­americana, mas quem sabe
e fechando, é uma loteria. Se
você não acaba gostando?
você descobrir alguma, avise-
me, por favor!

Pizza Hut
http://www.pizzahut.com

Domino’s
http://www.dominos.com/home/index.jsp

Papa John’s
http://www.papajohns.com/

Ray’s Famous Pizza


http://raysfamouspizza.com/

75
Restaurantes Tamanho Família

A imigração italiana em Upper West Side e outro na


Nova York foi grande entre Times Square.
os séculos XIX e XX, por isto,
não é difícil encontrar canti- A primeira situação
nas, pizzarias e restaurantes i­ nusitada é a ausência de
italianos na cidade. ­cardápios na mesa. Apesar
de ser um restaurante com
Mas existem duas redes ­aparência requintada, os
de restaurante que se desta- ­menus ficam nas paredes,
cam por seus pratos tamanho grandes cardápios com os pre-
família, que servem três ou ços dos pratos. Se o garçom
mais pessoas, por um preço quiser deixar-lhe com torcico-
bastante acessível. São eles: lo, poderá fazer a sacanagem
Carmine’s e Tony’s di Napoli. de botá-lo num canto de onde
não se pode ver o cardápio, e
daí você ficará lutando para
descobrir o que eles servem.

Os preços assustam,
i­ nicialmente. Um prato de
espaguete com almôndegas
(Spaghetti with Meatballs)
por U$ 22,50 é assombroso! É
macarrão, poxa!
O Carmine’s é uma
t­ ípica cantina italiana, com Porém, este prato ­serve
um ­ambiente agradável e tranqüilamente quatro pes-
bem ­iluminado, só falta um soas, então, acaba saindo
tenor gordo cantando uma barato por cabeça. Aliás,
­tarantela. O salão é grande ­espaguete com almôndegas é
e possui ­acomodações para a ­recomendação para quem
grandes grupos, e, o mais im- vai pela primeira vez.
portante, os pratos servidos
são ­gigantescos.

Existem dois restaurantes


Mas também não vá com
da rede em Manhattan, um no
muitas expectativas. A comida
76
é gostosa, mas nem de longe será grande.
é a melhor comida italiana da
cidade. O estilo do Tony’s
de ­Napoli é o mesmo do
Carmine’s, pratos enormes e
um restaurante com ambien-
te agradável. No entanto, ao
se comparar o dois, a comida
do Tony’s é mais saborosa e
o atendimento do Tony’s é
­melhor.

O Tony’s possui um res-


taurante no Upper East Side e
outro na Times Square.
Se você estiver em dupla
ou em grupo, o Carmine’s é
um local obrigatório, porém,
há apenas uma restrição,
­todos terão de comer a ­mesma
coisa, senão, o desperdício

Carmine’s
http://www.carminesnyc.com/

Times Square
200 West da rua 44r

Upper West Side


2450 Broadway

Tony’s di Napoli
http://www.tonysdinapoli.com/

Times Square
147 West da rua 43, entre Sexta e Sétima Avenidas

Upper East Side


1606 da Segunda Avenida com a rua 83

77
Quarta Parte
Compras
Jack’s World
Tudo por 99 centavos

E, no “Jack’s” há a
­ ipérbole deste conceito.
h
­Nesta loja, certos itens que se
encontra por 3 ou 4 dólares
em outras lojas ou mercados,
lá está por 99 centavos.

Existem grandes barbadas


em Manhattan quando se trata É óbvio que, devido ao­
de compras, e uma delas, sem ­ reço baixo, também há aque-
p
dúvida, é o “Jack’s World”. Lá, les produtos toscos e bregas
tudo custa 99 ­centavos. que recheiam as lojas de 1,99
no Brasil, porém, se você
souber separar o joio do tri-
Já sei! Você está torcen- go, “Jack’s World” será uma
do o nariz por a loja ser de 99 ­festa! Você encherá a cestinha
centavos. e, quando chegar ao caixa,
­pagará 20 ou 25 dólares. Às
Compreensível, pois, no vezes, eles nem cobram im-
Brasil, as lojas de 1,99 são posto.
campeãs da breguisse. Tudo
de pior qualidade, do pior (Uma pequena observa-
gosto, tudo naquela lógica de ção sobre o imposto nos EUA:
“usou uma vez, jogue fora”. aqui, o imposto não é embuti-
do no valor do produto, como
Porém, esta mesma ­lógica ocorre no Brasil. Portanto, o
não pode ser aplicada aos preço que está na embalagem
­produtos norte-americanos. nem sempre corresponde ao
preço final. Sempre pense
Algo que se constata logo que, além daquele preço, su-
de cara é que o pior produto ponhamos U$ 10, você deve-
norte-americano é, às vezes, rá acrescentar 8%. Ou seja,
melhor ou igual ao melhor se um item custa 10 dólares,
produto brasileiro. Não sei na hora que você chegar ao
por que, mas é verdade. caixa, ele sairá por U$ 10,80.
Em valores pequenos, não

81
significa nada, mas, se você Se onde você ­estiver
comprar um computador de ­ ospedado
h tiver um
mil ­dólares, o imposto será de ­microondas ou um forni-
quase 100 dólares. Leve isto nho, você estará feito. ­Poderá
em ­consideração, para não passar a semana inteira (ou
­pagar nenhum mico na hora até mesmo o mês), só se
de desembolsar a grana). ­alimentando de produtos do
“Jack’s”. As comidas congela-
Mas, no “Jack’s” eles não das - ­pizzas, refeições ­prontas,
costumam cobrar o imposto. macarrões - enjoam após um
Repare no “costumam”, pois, tempo, mas se você estiver
algumas vezes, eles cobram. disposto a fazer este sacrifício,
Nunca entendi isto... você poderá, tranqüilamente,
gastar 5 ou 6 dólares por dia,
comendo razoavelmente bem
A loja tem três andares.
e com refri.
No primeiro, tudo custa 99¢.
Tudo mesmo!
Ocasionalmente, ocorre
um barraco dentro da loja,
Comida, material esco-
pois os corredores são estrei-
lar, chinelo, meia, chocolates
tos e a galera se esbarra muito.
(alguns custam menos ainda,
Qualquer coisa, saia de mansi-
59¢), produtos de limpeza, re-
nho.
frigerantes, brinquedos, uten-
sílios domésticos, a lista vai
longe. Existem duas lojas do
“Jack’s” em Manhattan: a
melhor delas é na rua 32, en-
Nos segundo e terceiro
tre a Sexta e Sétima avenidas,
andares, os produtos possuem
pertinho do Madison Square
preços variados, mas, geral-
Garden; a outra é na rua 40,
mente, são bem abaixo dos
entre a Quinta e a Park Ave,
demais supermercados.
próxima à Biblioteca Pública e
ao Bryant Park.

Jack’s World 99¢

- 110 W da rua 32, entre a Sexta e Sétima Avenidas

- 16 E da rua 40, entre a Madison e a Quinta Avenidas

82
Foot Locker
Tênis para todos os pés e bolsos
A loja com o maior
­ úmero de filiais e com uma
n
variedade enorme de marcas
e modelos de tênis é a Foot
Locker. Existem inúmeras
­espalhadas por Manhattan e,
dependendo da região, elas
são orientadas para determi-
nados tipos de tênis - passeio,
corrida, descolados, apenas
para mulheres...

O mais interessante da
Foot Locker, além da varieda-
de, são as incríveis promoções.
Se você quiser ­realmente Os preços não são, geralmen-
economizar, uma visita ao te, salgados, Pumas e Nikes
“Jack’s” é fundamental. entre 69 e 99 dólares, porém,
quando os modelos estão sain-
Comprar calçados no do da estação, há promoções
Brasil é um assalto, princi- nas quais se leva dois tênis por
palmente se forem de marcas apenas U$ 69, ou compra um
famosas, como Puma, Nike pelo preço inteiro e o segundo
ou Adidas. Até hoje, ninguém pela metade do preço.
me explicou de maneira con-
vincente porque eles custam Promoção sempre há, só
tão caro, nem porque alguém tem de se saber qual é a da vez.
se sujeita a pagar o preço Isto quando não se tem uma
­cobrado. surpresa na hora de passar no
caixa: na última vez que com-
No entanto, nos EUA, prei na Foot Locker, um tênis
vestir-se bem não é sinônimo Puma de corrida que custava
de susto. Você pode ter acesso 69 dólares, já na promoção,
às grandes marcas e, às vezes, na hora de pagar saiu por 49.
pelo mesmo preço de uma O negócio é ficar quietinho e
marca desconhecida. aproveitar a barbada.

83
Só não se esqueça de que as medidas de tamanho para
c­ alçados são diferentes das do Brasil, segue uma tabela com as
medidas.

Calçados Femininos

Brasil
33 34 35 36 37 38 39 40

Estados Unidos
4,5 5,5 6 7 7,5 8,5 9 10

Calçados Masculinos

Brasil
37 38 39 40 41 42 43 44

Estados Unidos
6 7 7,5 8,5 9,5 10 11 12

Foot Locker
http://www.footlocker.com/

Outra rede com bastante variedade de sapatos e tênis baratos


é a Payless

http://www.payless.com/

Nas lojas destas rede não se encontra calçados de marcas


­famosas, por isto, os preços são bem mais abaixo do que das
demais lojas.

84
Century 21
O paraíso das marcas famosas
É claro que algumas
­ arbadas
b são realmente
­barbadas: uma calça que cus-
ta 200 dólares saindo por 30,
baita desconto! Porém, tam-
bém é possível encontrar sa-
patos que custam mil dólares
que saem por 500, bem, para
quem pode, também deve ser
um desconto... Mas é preciso
procurar. Cedo ou tarde, você
acaba encontrando algo que
Se existe um paraíso para tenha a sua cara, pois Nova
comprar roupas e artigos para York tem roupas para todos os
casa, este lugar se chama gostos, para todas as tendên-
“Century 21”. cias. Enquanto que em outros
lugares do mundo há apenas
uma tendência vigente em
cada estação, em Nova York
nem se pode dizer que haja
A loja é enorme, pertinho um estilo definido, cada um se
de onde era o World Trade veste como quiser, se quiser...
Center, e, em seus três anda-
res, você vai encontrar de tudo
um pouco, pelos preços mais
variados, mas, com certeza,
bem mais em conta do que nas A loja possui três andares,
butiques. Mas não se engane, um subsolo e uma loja anexa.
você não encontrará roupas
do Michael Kors, da Gucci, da No andar térreo, há
Chanel, da Ermenegildo ­Zegna r­ oupas masculinas, chapéus,
ou de qualquer outra marca óculos e bolsas femininas;
famosa que ainda estejam na no primeiro andar, roupa
estação. A “Century 21” é uma infantil e uma parte da se-
ponta-de-estoque (Outlet, em ção feminina; no segundo, a
inglês), você encontrá roupas seção feminina; no subsolo,
maravilhosas, mas da estação artigos para casa - roupas de
passada. cama, travesseiros, louças,

85
­ anelas, etc. - , ­malas, reló-
p constatar que o desconto foi
gios, ­brinquedos...; no prédio muito maior do que o preço
anexo, calçados masculinos, que se pagou. Numa compra
femininos e infantis. Passa-se, de 100 dólares, por exemplo,
tranqüilamente, o dia inteiro o desconto é de 130 ou 140
vasculhando a “­Century 21”. O dólares. Saber que você esta-
único problema é na hora de rá vestindo roupas da melhor
ir embora e carregar aqueles qualidade pelo preço de um
­sacolões arrebentando de tan- trapo qualquer é um estímulo
tas promoções. para voltar sempre.

Algo muito comum, na É realmente imperdível!


hora de receber o recibo, é

Century 21
http://www.c21stores.com/
22, Cortland St., perto do World Trade Center.

86
Chinatown

de ruas e nomes de lojas es-


critos em chinês e muita, mas
muita gente mesmo, então,
você pode ter certeza de que
chegou a Chinatown.

Neste bairro, milhares de


turistas conseguem encontrar
as maiores barbadas, quando
se trata de comprar réplicas
de marcas famosas.

Sem fazer apologia à


­ irataria, mas já fazendo: as
p
bolsas, óculos, carteiras, ­malas
Chinatown é como o
vendidas em ­Chinatown são
­ araguay. Você pode até ir
P
tão perfeitas que, pelo que ima-
fazer turismo no Paraguay,
gino, ou são feitas por pessoas
mas o que as pessoas querem
que já trabalharam nas fábri-
mesmo é comprar, comprar,
cas da marca original, ou são
comprar.
produtos originais ­desviados
e vendidos a um preço extre-
Chinatown é interes- mamente mais ­baixo do que
santíssima, realmente um se você os ­comprasse numa
­pedacinho da China no ­coração Macy’s.
de Nova York. Isto é algo com
o qual você irá se acostumar
Chinatown é um grande
quando estiver por aqui, cada
mercado, uma loja ao lado da
bairro possui ­características
outra, com bolsas, bijuterias,
bastante específicas e é mui-
camarões, chapéus, espadas
to difícil confundir um bairro
de samurai e uma infinida-
com outro. Certamente, você
de de outras coisas. Mas não
não confundirá Chinatown
se ­engane, nestas lojas ficam
com nenhum outro bairro da
expostos apenas os ­produtos
cidade; assim que você come-
genéricos. Se você quiser uma
çar a ver velhinhos de olhos
bolsa da Louis Vuitton, da
puxados, patos caramelizados
­Dolce & Gabana, da Gucci,
expostos em vitrines, placas
87
e­ ntão, você terá de se embre- Não se preocupe, elas
nhar em lugares bem esquisi- também não falam inglês e, no
tos. final das contas, todo mundo
acaba se entendendo.
Nas calçadas, sempre há
mulheres chinesas resmun- Se você ficar com medo
gando: dos becos em que estiver se
metendo, também não se pre-
- Bags, wallets... Bolsa, ocupe, todo mundo que vai
­caltela. (vejam, elas são bilín- costuma retornar. Na pior
gües!) das hipóteses, algum dos seus
parentes vai ligar para a polí-
cia, caso você desapareça em
Se você fizer um “sim” he-
­Chinatown...
sitante com a cabeça, prepare-
se que esta tiazinha o levará
aos recônditos de Chinatown, Depois que tiver torrado
dentro de portas falsas, subin- seus dólares em ­Chinatown,
do seis ou sete andares dum aproveite para dar uma
prédio aparentemente aban- ­passada em Little Italy, o
donado, entrando em furgões cantinho italiano no meio
estacionados em becos. Cenas de ­Chinatown. Dizem que,
de filmes, meu amigo! ­antigamente, a área italiana
era maior, mas com a expan-
são dos chineses, agora, Little
Então, neste esconde-
Italy é praticamente apenas
rijo, com sua vida nas mãos
duas ruas. Só não coma nada
dos chineses, você poderá fa-
em Little Italy, tudo é muito
zer as maiores barganhas da
caro por lá, realmente, um lu-
sua vida. Nunca compre de
gar apenas para turistas com
primeira, eles sempre podem
os bolsos recheados.
abaixar o preço. Se uma bol-
sa estiver por 45 dólares, você
pode levá-la por até 25 dóla- Nunca comi nada em
res, caso compre um monte ­ hinatown, mas tome cuida-
C
de produtos. Mas é preciso pe- do, pois os lugares possuem
chinchar, coisa que brasileiro um aspecto porquíssimo.
já nasce sabendo fazer.
Um passeio por
- Mas eu não sei falar inglês, ­ hinatown é obrigação para os
C
como vou pechinchar? mãos-de-vaca de carteirinha.

88
Lojas de Eletroeletrônicos

Comprar eletrônicos em Qual delas é a melhor?


Nova York é uma experiência
extasiante, principalmente Isto dependerá do dia e do
quando temos em mente os que você estiver procurando.
preços de tais itens fora dos
EUA.

Um computador de ­última
linha no Brasil deve estar cus-
tando, em média, uns três mil
reais, isto com a melhor confi-
guração. No entanto, nos EUA,
um PC equivalente dificilmen-
te custará mais de mil dólares.
Mas o grande sonho de quem
vem comprar ­eletrônicos em A Best Buy costuma ter
NY é um ­notebook (laptop). os melhores preços e um
­ambiente mais organizado
Existem preços para ­todos e agradável. Nas lojas ­desta
os bolsos e é uma ­questão de rede, você pode encontrar
sorte e pesquisa. Com a com- ­computadores, softwares,
binação destes dois elementos, ­videogames, IPods, ­câmeras
é possível encontrar bons lap- fotográficas, CDs, DVDs,
tops a partir de 500 dólares. ­periféricos para ­computadores,
TVs, equipamento de Home
Theater, aparelhos de som,
etc., etc., etc. O difícil é saber
o que eles não vendem.
Quais são as lojas?
Porém, há dois sérios
Existem quatro gran- problemas, e isto não apenas
des redes de lojas de na Best Buy: o atendimento ao
­eletroeletrônicos: Best Buy, público e o estoque.
Circuit City, J&R e P&C
­Richards. Nova York deve ter um
dos piores atendimento ao
público do mundo. A minha
89
suposição é a de que, como J&R também realizam pro-
a ­economia é aquecida e há moções eventuais, mas quase
­muitos postos de trabalho, os
funcionários não ­costumam
valorizar o emprego que
­possuem. Quem vai para a
rua hoje, em Nova York, três
dias depois já está com uma
nova ocupação. Esta situação
faz com que os ­funcionários
desdenhem ­compradores,
recusem-se a ajudar (prin-
cipalmente se você não falar
muito bem inglês), dêem in-
formações incompletas sobre
os produtos, evitem consultar
o estoque. Você pode até dar
sorte de ser atendido por al- sempre o preço da Best Buy é
guém diligente, mas fique ad- mais em conta.
vertido sobre a má qualidade
do atendimento. Na véspera de feriados
importantes - Dia da Indepen-
A Best Buy recebe o esto- dência, Dia do Trabalho, Ação
que no domingo de manhã. Os de Graças -, as lojas também
itens em promoção possuem realizam grandes promoções.
geralmente estoque ­limitado No entanto, não tenho certeza
(uns 10 ou 15 produtos), o se que vale a pena aguardar
que torna a luta por ­encontrar longas horas, passar a noite
um bom preço uma missão sofrendo com o frio (como no
­frenética. Se você chegar num caso da sexta-feira negra, an-
domingo à noite numa loja da tes do Dia de Ação de Graças),
Best Buy, apontar para aquele enfrentando fura-filas, para
laptop a 500 dólares, é qua- obter um desconto.
se certo de que não haverá
mais nenhum em estoque, em
­nenhuma das várias lojas da Cuidado com os rebates
rede.
Muitas das promoções
As outras três redes, vêm em forma de rebate.
­ ircuit City, P.C. Richards e
C

90
E o que é isto?! do desconto é feita online.
Mas a forma de pagamento é
Um rebate é uma espécie semelhante, cartão da loja ou
de desconto (ah, só avisando, cheque.
nestas lojas não adianta muito
pechinchar, o preço da etique- Por isso, se você vir um
ta em 99% das vezes é final) belo dum desconto, certifique-
que pode ser dado de três mo- se que se trata dum instant
dos principais: rebate, senão você nunca re-
ceberá um tostão deste des-
- instant rebate, é um des- conto.
conto instantâneo, ou seja,
se um computador custa 700
dólares, mas tem um rebate
de 50 dólares, na hora que
você for pagar, ele sairá por É assim que é
650+impostos. Se você não
mora nos EUA, este é o úni- Outro modo de ­conseguir
co tipo de desconto que pode um preço bem em conta é
interessá-lo, já entenderemos comprando produtos com a
por quê. etiqueta “As Is”, ou “Como
está”. Estes são produtos de
- mail in rebate, é um des- mostruário, devoluções, fal-
conto que você recebe poste- tando cabos, manuais ou al-
riormente à compra, ou seja, gum acessório. Eles custam
você tira uma cópia do reci- bem mais barato do que qual-
bo, recorta o código de barras quer promoção, têm garantia
da caixa do produto, ou mais reduzida e geralmente estão
uma outra porção de proce- um caco. Cuidado! Se você
dimentos burocráticos, envia estiver disposto a aceitar qual-
pelo correio e, algumas sema- quer coisa por um desconto, vá
nas (às vezes, meses) depois, em frente. Se não... cautela.
você recebe um cheque, ou na
pior das hipóteses, um cartão Por fim, se você não ficou
da loja com o crédito referente satisfeito com o produto, as
ao desconto. coisas não são iguais ao Bra-
sil, que você precisa alegar
- e-mail rebate, é bem pare- ter um defeito, brigar com o
cido com o mail in rebate, só gerente, chutar as prateleiras,
que, desta vez, a solicitação basta retornar à loja e pedir o

91
r­ eembolso ou a troca por outro produto. Você receberá o que
pedir sem enrolação nem choramingos.

Para saber os endereços das lojas destas redes, você pode


­acessar o site delas:

Best Buy
http://www.bestbuy.com/

Circuit City
http://www.circuitcity.com/ccd/home.do

P.C. Richards
http://www.pcrichard.com/home.jsp

J&R
http://www.jr.com/

E no site Salescircular.com

http://www.salescircular.com/

você pode consultar os preços dos encartes de várias lojas de


produtos eletroeletrônicos de vários estados e cidades dos
EUA.

92
B&H Photo

Você pretende comprar de fotografia e, para quem é


uma câmera fotográfica em um aficionado da arte, aquilo
Nova York? é um paraíso e uma perdição.
Tem câmeras para todos os
Então não há melhor níveis — amadores e profissio-
­lugar do que a B&H Photo. nais — e para todos os bolsos.
E você pode vê-la funcionando
ali mesmo, clicando e consta-
A loja é muito
tando a qualidade das imagens
c­ aracterística, praticamen-
da sua futura câmera.
te todos os funcionários são
­judeus ortodoxos, por isto,
ela fecha durante o shabbat, É importante ressaltar
ou seja, entre o pôr-do-sol de que nem sempre os produtos
sexta-feira e o pôr-do-sol do da B&H são os mais baratos,
sábado, nada funciona, nem porém, às vezes, vale a pena
mesmo o site da loja. desembolsar um pouco mais
e ter certeza de que, se algum
problema ocorrer, você terá
E os vendedores são feras,
toda a assistência e respeito
realmente entendem do as-
— desde que não seja aos sá-
sunto e, se você não souber se
bados!
virar no inglês, sempre há um
atendente que fala português,
é só procurar a bandeirinha do E como se tudo isto não
Brasil no crachá deles. bastasse, eles ainda entregam
equipamento profissional no
Brasil; este serviço não deve
A loja é grande. No ­térreo,
ser nada barato, mas prova-
ficam as seções de som e ­vídeo,
velmente deve ser mais em
onde se pode fuçar, testar, brin-
conta do que comprar direto
car com vários ­equipamentos
no país de destino.
­sofisticadíssimos. No primeiro
andar, está ­localizada a seção

B&H Photo
http://www.bhphoto.com/
420, 9th Avenue, entre as ruas 33 e 34.

93
Comprando Livros

Comprar livro nos EUA é a Strand, autodenominado


não é caro para os ­parâmetros o maior sebo do mundo. A
do salário mínimo norte- livraria é realmente grande,
­americano. com subsolo e vários anda-
res. E, apesar de vender livros
Imagino que isto se deva raros e usados, esta não é a
às grandes tiragens, que bara- única especialidade deles; na
teiam o preço unitário do livro, Strand também se vende pon-
e também ao grande público ta de estoque ou lançamentos
leitor, que realmente consome por um precinho camarada, às
Literatura. Não é incomum vezes a 50% do preço em outra
ver americanos lendo no me- livraria.
trô, nas praças, nos ônibus, to-
mando um café no ­Starbucks.
Literatura é coisa séria nos
EUA e destinada a todos, não
um mero artigo de luxo.

Por outro lado, não há


tantas livrarias quanto se
poderia esperar; existem as
­megastores, como a Borders
e Barnes & Noble, com dois,
ou três andares, com livros No lado de fora da livra-
para todos os gostos, com to- ria, há prateleiras com livros
dos os preços, sobre todos os custando 1 dólar ou menos. Há
assuntos. Um livro de bolso, um monte de porcarias nestas
conhecido como paperback, prateleiras, mas sempre (e re-
custa por volta duns 6 ou 7 dó- pito, sempre!) tem algo muito
lares, livros de capa dura saem bom, às vezes, até primeiras
na faixa de 15 ou 20 dólares, edições raras.
isto se você os comprar novos.
E se você já achou os
No entanto, eles podem preços da Strand baratos, eu
sair ainda mais baratos se você acrescento que existe a pos-
souber cavoucar. Uma das sibilidade de encontrar livros
grandes paixões dos ­bibliófilos mais baratos ainda, ou ­melhor,

94
de graça. e, principalmente, livros.

— Você só pode estar lou- É lixo porque foi jogado


co! — você pensa — Vou jogar fora, mas não é exatamente
esta porcaria de guia no lixo! lixo porque ainda possui ser-
ventia e, muitas vezes, há um
bilhetinho sobre uma impres-
sora dizendo “It’s working”
(Está funcionando), ou sobre
Bingo! É no lixo que você
brinquedos “Enjoy it” (apro-
encontrará livros de graça!
veite).

Até posso imaginar o que


Como livro é muito bara-
se passa em sua mente, aquele
to, é mais fácil jogá-los fora do
maníaco por livros, vagando
que carregar aquela pilha até
pelo aterro sanitário, dividin-
um sebo para vendê-los por
do espaço com urubus e ratos,
centavos. E esta é a alegria dos
à procura por Literatura.
leitores.

Bem longe disto, na ver-


dade, quando alguém diz que
encontrou algo no lixo dos
americanos, ele está falando Se der sorte, você encon-
de algo comum, mas que não trará muitas obras durante
tem nada de imundo ou degra- seus passeios, algumas raras
dante. Os americanos têm o e valiosas, outros, clássicos
hábito de pôr nas calçadas, nos da Literatura, ou lançamentos
dias de coleta do lixo reciclá- badalados. Mas, como eu dis-
vel, tudo aquilo que não pos- se, é uma questão de sorte.
sui mais serventia para eles:
eletrodomésticos, ­eletrônicos
Strand
http://www.strandbooks.com/
Rua 12 com a Broadway

Barnes & Noble


http://www.barnesandnoble.com/

Borders
http://www.bordersstores.com/index.jsp

95
Manhattan Mall

A diversão da classe intermináveis, cidades dentro


­ édia brasileira é passear no
m de cidades. Esta até pode ser a
shopping. verdade em outras regiões do
país, mas, especificamente em
Sinal dos tempos: com Manhattan, quase não existem
tamanha violência, as ruas se shopping centers. Até agora,
tornaram sinônimo de perigo, só descobri três: o ­Manhattan
os pais não ficam tranqüilos, a Mall, o shopping da Time
bandidagem rola solta. Warner e o do Píer 16.

Por isto, os ­shoppings Há as grandes lojas de


surgiram com a ilusão de departamento, como Macy’s
­segurança, um espaço deli- e Bloomingdale’s, mas o con-
mitado, com todas as atra- ceito delas é bastante diferen-
ções existentes nas ruas te do que temos de shopping
(­lanchonetes, lojas, cinemas), centers.
assim, tudo fica bem.
O Manhattan Mall é o
A idéia que temos dos EUA que possui lojas e lanchonetes
é a de shoppings ­gigantescos, mais baratas. Fica na Sexta

96
Avenida, entre as ruas 33 e escolher onde comer, é possí-
32. Não é um shopping gran- vel almoçar bem por 15 dóla-
de, mesmo para os parâme- res ou menos.
tros brasileiros; ocupa metade
duma quadra, tem um andar e Sou fã de duas redes: o
dois subsolos. Nathan’s, com supostamente
o cachorro-quente mais fa-
No andar térreo, há a moso da cidade; e o Charlie’s,
loja Strawberry, com roupas e com sanduíches na baguete de
acessórios femininos baratos. encher os olhos (e, principal-
mente, o bucho!), um combo,
No primeiro andar, a loja com refri e fritas, sai por 7 dó-
Steve & Barry’s, com roupas lares e é uma refeição para o
universitárias, esportivas e dia inteiro.
com a nova linha da Sarah
Jessica Parker (BITTEN, que É claro que há bem mais
tem feito o maior sucesso en- lojas neste shopping, mas só
tre as nova-iorquinas) e onde enumerei as que reconhecida-
sempre há uma boa promo- mente são mais em conta.
ção; a Victoria Secret, que,
entre as mulheres, dispensa Não posso deixar de
apresentação, inclusive, há ­ encionar também que, do
m
sempre descontos de cremes Manhattan Mall, é só cruzar
para o corpo. a rua para chegar no Jack’s
World, o paraíso dos 99 centa-
No primeiro subsolo, há vos. Aliás, esta região da cida-
uma filial da Foot Locker e de é particularmente prolífica
uma da Game Stop, que vende em barganhas, a poucas qua-
videogames e jogos eletrôni- dras dali, descendo pela Broa-
cos. dway, encontra-se o IPod (ge-
nérico) mais barato da cidade,
E, no segundo subsolo, e, subindo a Broadway, fica
fica a praça de alimentação também a Conway, com rou-
(Food Court). Se você souber pas breguíssimas, mas quase
de graça.
Manhattan Mall
http://www.manhattanmallny.com/
Rua 32 com a Sexta Avenida

97
Woodbury Commons

A Odisséia Se você estiver indo com vá-


rias pessoas, talvez este seja o
meio mais barato.

A segunda opção é de ôni-


bus, aliás, este é o meio mais
utilizado pelos turistas que
querem comodidade. O preço
é salgado, 40 dólares ida-e-
volta, mas o ônibus o leva da
rodoviária (Port Authority
Bus Terminal) até o complexo
de lojas, e possui vários horá-
rios.

A terceira opção é a mais


barata, porém, tem alguns re-
vezes. Pegar um trem para fora
de Nova York causa sempre
O complexo de ­Woodbury fortes emoções. Como não es-
Common Premium Outlets tamos acostumados com este
é longe, mas muito longe tipo de sistema de transpor-
mesmo! A distância entre te, tudo, desde a compra dos
­Manhattan e Woodbury é de bilhetes até como fazer cone-
praticamente 100 quilôme- xão é um mistério. Há sempre
tros, ou seja, para quem quer aquela insegurança: “Será que
empreender esta viagem, é ne- estou na plataforma certa?”
cessário dedicar um dia ape-
nas para isto.

Existem três principais


Pega-se o trem na Penn
alternativas para se chegar a
Station de Nova York, uma
Woodbury Outlets, a primeira
imensa ferroviária sob o
dela, caso você tenha a cartei-
­Madison Square Garden, de
ra de motorista internacional e
lá, partem trens para todos os
um cartão de crédito, é alugar
EUA.
um carro e pôr o pé na ­estrada.

98
Para ir até Woodbury, fora do horário de pico, para
você utilizará os serviços do um adulto”, isto se você for
NJ Transit, os bilhetes podem um adulto, isto é, para eles,
ser comprados em máquinas maior de 11 anos. Clique em
espalhadas pela ferroviária, o Continue.
trajeto ida-e-volta custa a “ba-
gatela” de U$ 16,25. O trem é 4 – Escolha a forma de paga-
confortável e confiável, mas mento. Se você for pagar em
deixa o passageiro de primei- dinheiro, não se esqueça que o
ra viagem preocupado. Não é troco máximo é de 6 dólares,
como o metrô de Nova York, por isto, não chegue com uma
que avisa qual é a próxima nota de 100 dólares. Digite o
estação, se você não ficar de número de quantos bilhetes
olho, vai embora mesmo, sabe (tickets) você deseja. Por fim,
Deus para onde. Além disto, é pressioner Print (imprimir).
necessário fazer uma conexão.

Pronto, você está com


Segue abaixo o sua passagem para Woodbury
­procedimento para a compra ­Outlets em mãos! O mais fácil
dos bilhetes: foi feito.

1 – Escolha o idioma, entre Agora surgem as dificul-


Inglês (English) e Espanhol dades: primeiro, descobrir
(Spanish); faremos a simula- em qual plataforma chegará
ção em Inglês; o seu trem. Há monitores na
Penn Station para indicar isto,
2 – Digite o número das es- mas fique atento se você está
tações de partida e chegada. olhando para os monitores da
Você estará partindo (from) da NJ Transit, pois há também
Penn Station NY, cujo código é monitores da Amtrak. O pro-
000 (zero-zero-zero), e irá até blema é que o número da pla-
(to) a estação de ­Har­riman, taforma só é indicado minutos
com o código de 792. antes do embarque, então, fica
todo mundo aglomerado, es-
3 – Selecione a opção Off Peak perando e, quando o número
Round-Trip Adult, que quer aparece na tela, a multidão
dizer, “Viagem de Ida-e-Volta, avança para as escadas, para
garantir um bom lugar no
99
trem. da estação (nem sempre há al-
gum por perto), mas você terá
Você reparará que não de subir uma escada, passar
precisa passar o bilhete em por uma catraca com o mesmo
nenhuma catraca, nem nada. bilhete que você comprou na
Basta entrar no trem e se aco- Penn Station e descer nova-
modar. Isto ocorre porque mente para pegar a conexão. E
você pode entrar sem pagar, e, importante, ainda não é hora
quando o bilheteiro passar, ele de jogar fora o bilhete.
cobrará de você, porém, um
preço bem mais alto do que Reafirmo:
aquele pago na máquina.
“O bagulho é nervoso, mano!”
Deixe o seu bilhete à
mão, para ser picotado pelo
bilheteiro. Atenção, o bilhete
lhe será entregue novamente,
guarde-o bem, pois você pre-
cisará dele na conexão.

O tempo de viagem até a


junção de Seacaucus é de me-
nos de 20 minutos, bem rapi-
dinho. É a primeira estação do
trem.

Quando você desembar-


car em Seacaucus, você precisa
ser rápido. O intervalo entre a
Depois de você haver em-
conexão dos trens é pequeno,
barcado com sucesso no trem
de poucos minutos, se você fi-
para Harriman, daí, você qua-
car zanzando muito, perderá
se pode relaxar, pois demora
o trem e terá de esperar mais
mais de uma hora para che-
de uma hora até o próximo
gar ao destino. No entanto, é
trem para Harriman. Se você
­importante ficar atento para
ficar em dúvida para onde ir,
não passar a estação. Desta
pergunte a algum funcionário
vez, o bilheteiro recolherá seu

100
bilhete. E Vale a Pena Ir?

O Woodbury Commom
Premium Outlets é um lu-
Chegando em Harriman, gar pitoresco. Se os shopping
outra viagem, desta vez cur- centers são já uma criação
ta. Há um ônibus que realiza artificial para simular segu-
o trajeto entre a estação de rança, o complexo de lojas de
trem e o complexo de lojas. Woodbury é a hipérbole do
O ônibus custa U$ 1,60 por artificial — uma microcidade,
cada trajeto, mas só tem um milimetricamente planejada,
horário de manhã de ida, e um a quilômetros de distância da
horário à tarde de volta; além civilização.
disto, este ônibus só opera nos
finais-de-semana. São 220 lojas no com-
plexo, distribuídas em ruas e
setores. É preciso andar um
bocado para ver tudo, mas
nada que não possa ser reali-
Você também tem a opção
zado em 4 ou 5 horas. Lá, tem
de pegar um táxi da estação até
lojas da GAP, Giorgio ­Armani,
o Outlet, custará no máximo
­Burberry, Coach, ­Lacoste,
10 dólares, mas daí já começa
­Diesel, Dolce & Gabbana,
a ficar cara a brincadeira.
Gucci, Nike, Adidas, ­Banana
­Republic, Fendi, Guess,
­Chanel, Calvin Klein, blá, blá,
blá.
Pegar o trem é bem mais
barato do que ônibus, porém,
só recomendo para aqueles
que conseguem falar um pou-
Além das lojas, em
co de inglês para pedir indi-
­ oodbury há uma pequena
W
cações, e, mais do que isto,
praça de alimentação, sem
inglês suficiente para enten-
muita variedade, mas que que-
der as respostas. A viagem de
bra o galho, afinal de contas,
trem custa praticamente a me-
“saco vazio não pára em pé”.
tade do preço do ônibus.

Nem sempre é fácil en-


contrar algo que preste por

101
um bom preço. Existem inú- Se você não está indo com
meras promoções, porém, tão o bolso cheio de dinheiro e
surreais que é difícil classificá- pretende comprar apenas um
las como tal, uma bolsa da tênis e uma camiseta, acho
­Burberry de 2 mil dólares por que uma ida até Woodbury
mil dólares é um baita descon- seja prescindível, só o fato de
to (de 50%), no entanto, mes- não ter de gastar o preço da
mo assim é um absurdo de passagem já compensa para
caro. Ainda mais se pensarmos que você mude de idéia.
logicamente que, se alguém
está disposto a pagar mil dó- Não é o tipo de lugar para
lares numa bolsa, esta pessoa se ir querendo economizar,
pode pagar tranqüilamente 2 nem se você for passar poucos
mil sempre precisar enfrentar dias em Nova York; perder um
duas horas de viagem. dia inteiro para ir a Woodbury
é desperdiçar a oportunidade
Duas lojas que realmente de conhecer melhor Manhat-
me chamaram atenção por ter tan, que é bem mais interes-
produtos bons e baratos foram sante e divertida.
a da Timberland, com botas
para caminhada e montanhis-
mo, e a da Fossil, com relógios
e bijuterias.

Woodbury Commom Premium Outlets


http://www.premiumoutlets.com/

Lista extensiva das marcas existentes em


­Woodbury
http://www.premiumoutlets.com/brands/

Horários do trem, da conexão e do ônibus entre a


estação do trem e Woodbury
h t t p : / / w w w . m t a . n y c . n y . u s / m n r / h t m l / g e t a w a y s /­
outbound_woodbury_commons.htm

102
IKEA

A IKEA é a corresponden- Transit, no Port Authority em


te mundial da TOK&STOK. Nova York, que possui paradas
Esta rede sueca pode ser en- na IKEA e em ­Jersey ­Gardens.
contrada em inúmeros países A tarifa custa U$ 5,25 por tra-
do mundo e alguns produtos jeto.
dela também estão disponí-
veis no Brasil, como talheres Contudo, se você estiver
e panelas. na cidade no fim-de-semana e
não quiser pagar nada, a IKEA
A loja é deslumbrante e oferece um traslado gratuito
barata, bem mais em conta do sábado e domingo, também
que qualquer loja com artigos partindo do Port Auhority (no
para casas em Manhattan. portão 5), com ônibus par-
tindo a cada meia hora, entre
as 10 da manhã e as 2:30 da
tarde.

Como chegar na IKEA? Não precisa de mais nada,


não é?
Durante a semana, é pos-
sível pegar o ônibus 111 do NJ E, para voltar, o serviço
103
do ônibus é entre meio-dia e partes: o showroom, onde se
6 horas da tarde. Se você per- pode ver como os produtos fi-
der o último, daí vai ter de se cam dispostos num ambiente,
virar... e o mercado, que é a hora de se
fazer a festa e encher a sacola.

Se você for cedo, uma


boa idéia é almoçar no res-
Por que ir até IKEA? taurante, no final da seção de
showroom. O esquema é de
Esta loja possui os me- buffet, você pode comer um
lhores preços para artigos do- lanche, um doce, ou experi-
mésticos. Obviamente, a não mentar o almoço sueco, com-
ser que você more em Nova posto de almôndegas com mo-
York ou arrabaldes, você não lho, batata-frita e uma gosma
comprará estantes, armá- vermelha. O refrigerante é na-
rios, guarda-roupas ou outros quele esquema que você pode
trambolhos, porém ainda há encher quantas vezes quiser;
uma variedade imensa de pe- tudo isto não sai mais do que
quenos trecos, superpráticos e 6 dólares.
interessantes: despertadores,
jogos de talheres, toalhas, len- Apesar de estranho, vale
çóis, materiais para escritório, a pena experimentar. As ba-
para cozinha, quarto, etc. tatinhas da IKEA estão entre
umas das melhores.
A loja é gigantesca e la-
biríntica e é possível passar Mesmo que você não
horas lá, fuçando em todas as queira passar pelo IKEA, mas
bugigangas coloridas (e mui- pretenda ir até Jersey Gardens
tas inúteis, mas legais). de graça, você terá de pegar o
traslado até esta loja.
O espaço é divido em duas

Site da IKEA
http://www.ikea.com/

104
Jersey Gardens

O Jersey Gardens é um no Jersey Gardens; como já


shopping legal, ainda mais foi dito, este ônibus custa U$
quando este tipo de com- 5,25.
plexo de lojas inexiste em
­Manhattan. Em Nova York, há No entanto, se você não
opções de lojas para todos os quiser gastar um único cen-
gostos, mas se você quiser se tavo, deixando todo seu di-
esbaldar em compras, encon- nheiro para torrar em Jersey
trar várias promoções, talvez Gardens, você pegará o ônibus
você venha a pensar seriamen- gratuito para o IKEA no fim-
te em deixar Manhattan por de-semana e, de lá, irá andan-
algumas horas e se aventurar do até o shopping, que não é
em New Jersey. muito longe, uns 15 minutos
de caminhada.
Se você for mão-de-vaca,
pero no mucho, creio que você Você desembarcará no
preferirá pegar o ônibus 111, IKEA e andará em direção
da NJ Transit, que sai do Port ao caminho que o ônibus fez
Authoriry, em Manhattan, e para chegar, passando ao lado
passa tanto no IKEA quando duma megastore da Toy’R’Us.

105
Siga até a rodovia e, para atra- Steve & Barry’s, Aeropostale,
vessá-la, há um semáforo que ­American Eagle Outfitters,
se fecha quando pressionado Banana Republic, Benetton,
um botão. Há sinais pelo ca- Ecko Unlimited, Guess, Lady
minho indicando a direção do Footlocker, Old Navy, Saks
shopping. Prossiga até chegar 5th Ave Off Fifth, Victoria
a Jersey Gardens. Secret Outlet, Bath & Body
Works, “Bed, Bath & Beyond”,
Mas uma ressalva: se for e muitos outros.
inverno ou estiver muito frio,
não precisa chegar a ser eco-
nômico ao extremo, pegue um
ônibus direto. Três indicações pessoais
minhas são: Wilson Leather
Outlet, onde é possível com-
prar belas jaquetas de couro
Em Jersey Gardens, não por preço de banana, Borders
há tanta opção de lojas de Outlet, com livros quase a
grife quanto em Woodbury, preço de custo e, quando der
em compensação, as lojas aquela fome, comer um lanche
são mais baratas, a praça de no Johnny Rockets.
alimentação é mais diversi-
ficada e é bem mais perto de
­Manhattan. Vale lembrar que
o imposto em New Jersey Para voltar, é só fazer o
também é mais barato do que trajeto em direção oposta, isto
em Nova York. se você conseguir carregar as
compras!
Os destaques do ­shopping
são: Abercrombie Outlet,
ALDO Outlet, Children’s
­Place, Filene’s Basement,
Gap Outlet, H&M, Nautica,

Site do Jersey Gardens


http://www.jerseygardens.com/index.cfm

106
Thrift Shops
Desbravando Brechós

Estamos acostumados É óbvio que nem todo bre-


com a idéia de que em brechós chó terá bons produtos, e nem
só se vende roupas de mortos, todos os produtos de bons
ou completamente démodé. brechós serão de qualidade; a
regra é: tem de fuçar!
No entanto, em Nova
York, esta não é uma verdade, Existem algumas opções
ou melhor, quase sempre não mais conhecidas, como os bre-
é uma verdade. chós do “Exército da Salvação”
(Salvation Army), da “Boa
Comprar roupas em bre- Vontade” (Goodwill Thrift
chós, para os nova-iorquinos, Shop) e, o melhor de todos,
não é nenhuma humilhação, “Housing Works Thrift Shop”,
nem sinônimo de pobreza, este último é o que conta
muita gente famosa freqüenta com o apoio da Sarah Jessica
brechó e até faz propagadas de ­Parker.
alguns, como o caso de ­Sarah
Jessica Parker, do seriado Nem sempre o que você
“Sex and the City”. acha legal num brechó é mais

107
barato do que numa loja con- Estas três redes não
vencional. Já encontrei roupa são as únicas existentes em
de cama no Salvation Army ­Manhattan, na rua 23, no tre-
mais cara do que uma de mar- cho entre Lexington e ­Primeira
ca na “Century 21”, e, em al- Avenida, há vários outros,
guns casos, um livro pode sair e descendo pela Segunda
o dobro do preço dum novo, ­Avenida, por volta das ruas 13
por outro lado, é freqüente ad- e 8, também há vários.
quirir calças de marcas famo-
sas, como Diesel, Armani, ou Onde você vir uma
Banana Republic por preço de ­ ortinha onde está escrito
p
banana — o trocadilho é ruim, “Thrift Shop”, você pode en-
mas é verdadeiro —, ou livro a trar e arriscar; talvez encontre
10 ou 50 centavos. Se você for barbadas inacreditáveis, tal-
sortudo e entrar num destes vez só encontre quinquilharia,
brechós em época de queima mas Nova York é assim, uma
de estoque, então os preços surpresa a cada esquina.
vão para o chão, só faltando
darem tudo de graça.

Housing Works
http://www.housingworksauctions.com/

- 143 W da rua 17, entre Sexta e Sétima Avenidas

- 157 E da rua 23, entre Terceira e Lexington Avenidas

- 306 da Columbus Avenue, entre as ruas 74 e 75

- 202 E da rua 77, entre Segunda e Terceira Avenidas

245 W da rua 10, entre a ruas bleecker e hudson

1730 da Segunda Avenida com a rua 90th

108
Quinta Parte
Hospedagem
Apartamentos, Hotéis e Albergues

Visão Geral procurar já em Nova York, pois


assim se pode ver as instala-
Hospedagem será, prova- ções, a proximidade dos trens,
velmente, o seu maior gasto a área, etc. Contudo, é impor-
durante seu tempo em Nova tante ter em mente quais são
York. E é um fator determi- os parâmetros nova-iorquinos
nante pesquisar antes de fazer na hora de alugar um aparta-
a reserva, para não acabar en- mento. Os imóveis são, em sua
trando numa furada. maioria, umas podreiras — ge-
ralmente construídos na déca-
da de 20 — e um apartamento
Aluguel de longa tempo- repugnante custa, em alguns
rada casos, dois ou três mil dólares
por mês.
Se você estiver vindo para
passar um bom tempo aqui, es- Mas você logo aprende a
tudar ou trabalhar, reflita bem baixar seus parâmetros.
sobre suas opções. O aluguel
dum apartamento em Nova O problema de se procu-
York é um dos mais caros do rar um apartamento direto
mundo. Um apartamento de em Nova York é caso você não
um quarto dificilmente sairá consiga encontrar um, então,
por menos de 1500 dólares bate o desespero.
mensais. Por isso, é muito co-
mum as pessoas dividirem o
aluguel em dois, três, às vezes, Além disto, há duas pos-
quatro moradores. Algumas sibilidades:
famílias também alugam quar-
tos em suas casas, por volta de - alugar com uma imobi-
600 ou 700 dólares ao mês. É liária, que vão lhe exigir crédi-
mais em conta, mas também to, depósito de um mês e uma
há o transtorno de perder par- taxa da imobiliária, ou seja,
te de sua privacidade. para entrar no apartamento,
você terá de pagar três meses
O meio mais “seguro” adiantados, sendo que um de-
para encontrar uma hospeda- les será perdido;
gem de longa temporada é ir e
- ou fechar direto com o
111
proprietário. Isto lhe exime ções bem mais em conta, até
de pagar a taxa da imobiliá- 200 dólares por noite.
ria, mas não do depósito. Até
mesmo para alugar quartos o
depósito é exigido, pois esta é
a garantia do locatário de que
Se você não se importar
você não vai ficar morando
em dividir o quarto com ou-
sem pagar.
tras pessoas (às vezes, uma
dúzia delas), uma alternativa
Hotéis e albergues viável é ficar em albergues.
Existem milhares deles, mui-
Os preços dos hotéis va- tos concentrados na área do
riam de maneira inacreditá- Upper West Side. É possível
vel, podendo chegar a valores encontrar hospedagem por 30
absurdos, como 3 ou 4 mil dólares a diária, que já é uma
dólares a diária. Mas também grande bagatela se comparar-
é possível encontrar boas op- mos com o preço dos hotéis.

Aviso:

Toda acomodação é acrescentado o preço da taxa municipal


+ uma taxa de acomodação ao total da conta. O que aumenta
em torno de 15% o preço final da hospedagem.

Sites de pesquisa

Existem alguns sites onde é possivel fazer uma busca avan-


çada de hotéis por regiões e preços, Muitas vezes, eles podem
oferecer promoções, mas vale a pena procurar nesses sites
e paralelamente nos sites dos próprios hotéis, eles podem
­oferecer precos diferentes para os mesmos dias e quartos.

www.expedia.com

www.hotels.com

www.nyc.com

112
Qualidade dos hotéis

Quer saber a opinião das pessoas que se hospedaram nos


hoteis? O tripadvisor é um site fundamental para não entrar
em furadas.
http://www.tripadvisor.com/
Uma das melhores fontes para encontrar apartamentos ou
quartos é:
http://newyork.craigslist.org/

e também não se esqueça de dar uma olhada em

http://www.apartmentsource.com/

Hotéis
Chelsea Star hotel
http://starhotelny.com/
300 West 30th Street at
New York, NY 10001
Tel :(212) 244-7827
Email: reservations@starhotelny.com
A partir de U$79 por noite

Hotel 31
http://www.hotel31.com/
120 East 31st Street
New York, NY 10016
Tel: (212) 685-3060
E-mail: hotel31@verizon.net
A partir de U$85 por noite

America Inn
http://www.newyorkhotel.com/
69 West 38th Street
New York, NY 10018
Tel: (212) 840-6700
E-mail: americana@newyorkhotel.com
A partir de U$90 por noite

113
Imperial Court Hotel
http://www.imperialcourthotel.com/
307 West 79th Street
New York City, NY 10024
Tel: (212) 787-6600
E-mail: frontdesk@imperialcourthotel.com
A partir de U$99 por noite

Hotel 17
http://www.hotel17ny.com/
225 E. 17th Street
New York, NY 10003
Tel: (212) 475-2845
E-mail: info@hotel17ny.com
A partir de U$99 por noite

The Cosmopolitan Hotel – Tribeca


http://www.cosmohotel.com/
95 West Broadway
New York, NY 10007
Tel: (212) 566-1900
Email: reservations@cosmohotel.com
A partir de U$100 por noite

Chelsea Savoy
http://www.chelseasavoynyc.com/
204 West 23rd Street
New York, NY 10011
Tel: (212) 929-9353
E-mail: info@chelseasavoynyc.com
A partir de U$100 por noite

Newton Hotel
2528 Broadway
New York, NY 10025
Tel: (212) 678-6500
E-mail: newton@newyorkhotel.com
A partir de U$105 por noite

114
Portland Square Hotel
http://www.portlandsquarehotel.com/
132 west 47th Street
New York, NY 10036
Tel: (212) 382-0600
A partir de U$109 por noite

Hotel Grand Union


http://www.hotelgrandunion.com/
34 East 32nd Street
New York, NY 10016
Tel: (212) 683-5890
E-mail: contactus@hotelgrandunion.com
A partir de U$110 por noite

Hotel Alexander
www.hotelalexandernyc.com
306 West 94th Street
New York, NY 10025
Tel: (212) 665-0003
E-mail: info@hotelalexandernyc.com
A partir de U$120 por noite

Hotel Saint James


http://www.hotelstjames.net/
109 West 45th Street
New York, NY 10036
Tel: (212) 730-9444
Email: contact@st.james.net
A partir de U$120 por noite

Paramount Hotel New York Times Square


http://www.nycparamount.com/
235 West 46th Street
New York, NY 10036
Tel: (212) 764-5500
Email: reservations@paramount-nyc.com
A partir de U$125 por noite

115
Travel Inn
515 West 42nd Street
New York, NY 10036
Tel: (212) 695-7171
E-mail: travelinn@newyorkhotel.com
A partir de U$125 por noite

Amsterdam Court Hotel


http://www.amsterdamcourthotelnewyork.com/
226 West 50 Street
New York, NY 10019
Tel: (407) 740-6442
A partir de U$127 por noite

Chelsea Lodge
http://www.chelsealodge.com/
318 West 20th Street
New York, NY 10011
Tel: (212) 243-4499
E-mail:chelsealodge@mindspring.com
A partir de U$130 por noite

Ramada inn
http://www.applecorehotels.com/ramada-inn-eastside/
161 Lexington Avenue
New York, NY 10016
Tel: (212) 545-1800
A partir de U$130 por noite

Park 79 hotel
http://www.park79.com/
117 West 79th Street
New York, NY 10024
Tel: (212) 787-3300
E-mail: reservations@park79hotel.com
A partir de U$130 por noite

116
Marrakech Hotel
http://www.marrakechhotelnyc.com/index.asp
2688 Broadway
New York, NY 10025
Tel: (212) 222-2954
A partir de U$140 por noite

Super 8
http://www.applecorehotels.com/super-8-hotel-times-
square/
59 West 46th Street
New York, NY 10036
Tel: (212) 719-2300
A partir de U$140 por noite

Ameritania Hotel New York


http://www.ameritaniahotelnewyork.com/
230 West 54 Street
New York, NY 10019
Tel: (407) 740-6442
A partir de U$150 por noite

Confort inn Central Park West


http://www.comfortinn.com
31 West 71st Street
New York, NY 10023
Tel: (212) 721-4770
A partir de U$150 por noite

Ramada Eastside
http://www.ramada.com/
161 Lexington Ave
New York City, NY 10016
Tel: (212) 545-1800
A partir de U$154 por noite

117
Bentley Hotel New York
http://www.hotelbentleynewyork.com/
500 East 62 Street
New York, NY 10021
Tel: (407) 740-6442
A partir de U$159 por noite

Hotel La Quinta
http://www.applecorehotels.com/la-quinta-manhattan/
17 West 32nd Street
New York, NY 10001
Tel: (212) 736-1600
A partir de U$160 por noite

Confort inn Chelsea


http://www.comfortinn.com
18 West 25th Street
New York, NY 10010
Tel: (212) 645-3990
A partir de U$160 por noite

Belvedere Hotel
http://www.belvederehotelnyc.com/
319 West 48th Street
New York, NY 10036
Tel: (212) 245-7000
A partir de U$170 por noite

Comfort-inn
http://www.applecorehotels.com/comfort-inn-midtown/
129 West 46th Street
New York, NY 10036
Tel: (212) 221-2600
A partir de U$179 por noite

118
Novotel
http://www.novotel.com/novotel/fichehotel/gb/
nov/0753/fiche_hotel.shtml
226 West 52nd Street
New York, NY 10019
Tel: (212) 315-0100
E-mail : h0753@accor.com
A partir de U$179 por noite

Edison Hotel
http://www.edisonhotelnyc.com
228 West 47th Street
New York, NY 10036
Tel: (212) 840-5000
Email: reservations@edisonhotel.com
A partir de U$180 por noite

Wellington Hotel
http://www.wellingtonhotel.com/
871 Seventh Ave
New York, NY 10019
Tel: (212) 247-3900
E-mail: reservations@wellingtonhotel.com
A partir de U$180 por noite

Confort inn Middle Town


http://www.comfortinn.com
442 West 36th Street
New York, NY 10018
Tel: (212) 714-6699
A partir de U$180 por noite

The Roosevelt Hotel


http://www.theroosevelthotel.com
45 East 45th Street
New York, NY 10017
Tel: (212) 661-9600
Email: sales@rooseveltnyc.com
A partir de U$195 por noite

119
Albergues

Jazz on Lenox
http://www.jazzhostels.com/jazzonthelenox.html
104 West 128 Street
New York, NY 10027
Tel: (212) 222-5773
A partir de U$10 por noite

Jazz on the Villa


http://www.jazzhostels.com/jazzonthevilla.html
12 West 129 Street
New York, NY 10027
Tel: (212) 722-6252
A partir de U$15 por noite

Columbus Studios
http://www.columbusstudiosnyc.com/
106 West 83rd Street
New York, NY 10024
Tel: (212) 799-5299
A partir de U$15 por noite

Broadway Hotel n Hostel


http://www.broadwayhotelnyc.com
230 West 101 Street, Broadway
New York, NY 10025
Tel: (212) 865-7710
A partir de U$15 por noite

West End Studios


http://www.westendstudios.com/
850 West End Avenue
New York, NY 10025
Tel: (212) 662-6000
A partir de U$17 por noite

120
Continental Hostel
www.nychostels.com
330 West 95th Street
New York, NY 10025
Tel: (212) 866-1420
A partir de U$17 por noite

West Side Inn Hostel & Hotel


http://www.westsideinn.com/
237 West 107th Street
New York, NY 10025
Tel: (212) 866-0061
A partir de U$17 por noite

Candy Hostel
www.nychostels.com
316 West 95th Street
New York, NY 10025
Tel: (212) 866-1420
A partir de U$17 por noite

The Wanderers Inn West


http://www.wanderersinn.com/west/index.asp
257 West 113th Street
New York, NY 10025
Tel: (212) 222-5602
A partir de U$18 por noite

Jazz on the City


http://www.jazzhostels.com/jazzonthecity.html
201 West 95 Street
New York, NY 10025
Tel: (212) 678-0323
A partir de U$19 por noite

West Side YMCA


http://www.ymcanyc.org/index.php?id=1134
5 West 63rd Street
New York, NY 10023
Tel: (212) 875-4100
A partir de U$19 por noite
121
Jazz on the Park
http://www.jazzhostels.com/jazzonthepark.html
36 West 106 Street
New York, NY 10025
Tel: (212)932-1600
A partir de U$20 por noite

Chelsea Star hotel


http://starhotelny.com/
300 West 30th Street at
New York, NY 10001
Tel :(212) 244-7827
Email: reservations@starhotelny.com
A partir de U$25 por noite

Dexter House Hostel


h t t p : / / w w w . h o s t e l s . c o m / e n / a v a i l a b i l i t y . p h p /­
HostelNumber.7993
345 West 86th Street
New York, NY 10024
Tel: (212) 873-9600
A partir de U$25 por noite

Chelsea International Hostel


http://www.chelseahostel.com/
251 West 20th Street
New York, NY 10011
Tel: (212) 647-0010
A partir de U$26 por noite

The Wanderers Inn east


http://www.wanderersinn.com/east/index.asp
179 east 94th street
New York, NY 10128
Tel: (212) 289-8083
A partir de U$27 por noite
122
Village Inn Hostel
h t t p : / / w w w . h o s t e l s . c o m / e n / a v a i l a b i l i t y . p h p /­
HostelNumber.24433
27 East 7th Street
New York, NY 10003
A partir de U$28 por noite

Central Park Hostel & Inn


http://www.centralparkhostel.com/
19 West 103rd Street
New York, NY 10025
Tel: (212) 678-0491
A partir de U$28 por noite

HI-New York
http://www.hinewyork.org/
891 Amsterdam Avenue
New York, NY 10025
Tel: (212) 932-2300
A partir de U$29 por noite

Manhattan Inn Hostel


http://www.manhattaninnhostel.com/
303 West 30th Street
New York, NY 10011
Tel: (212) 629-4064
A partir de U$30 por noite

The Gershwin Hotel


http://www.gershwinhotel.com/
7 East 27th Street
New York, NY 10016
Tel: (212) 545-8000
A partir de U$34 por noite

123
Jazz on the Town-East Village
http://www.jazzhostels.com/jazzonthetown.html
307 East 14 Street
New York, NY 10003
Tel: (212) 228-2780
A partir de U$34 por noite

Central Park Studios at Lexington Ave


http://www.hostels.com/en/availability.php/HostelNum-
ber.22107
150 East 105th Street
New York, NY 10023
A partir de U$35 por noite

New York City Hostel


http://www.hostels.com/en/availability.php/HostelNum-
ber.18664
35 West 38
New York, NY 10001
A partir de U$35 por noite

Swiss 1291 Hostel


http://www.1291.com/home.html
337 W. 55th Street
New York, NY 10019
Tel: (212) 397-9686
A partir de U$36 por noite

Big Apple Hostel


http://www.bigapplehostel.com
119 West 45th Street
New York, NY 10036
Tel: (212) 302-2603
A partir de U$37 por noite

Vanderbilt YMCA
http://www.ymcanyc.org/index.php?id=1140
224 East 47th Street
New York, NY 10017
Tel: (212) 912-2500
A partir de U$40 por noite
124
Amsterdam Inn
http://www.amsterdaminn.com/index.html
340 Amsterdam Ave
New York, NY 10024
Tel: (212) 579-7500
E-mail: amsterdaminn@nyinns.com
A partir de U$42 por noite

Apartamentos
Ipanema Chalet
http://www.ipanemanyc.com/chalet/
13 West 46th Street
New York, NY 10036
Tel: (212) 730-2954
E-mail: ipanemachaletny@aol.com
A partir de U$120 por noite

Brasil Way
http://www.brasilway.net/
Apartamentos em Midtown
Tel: (212) 869-9402
E-mail: brasilway1@aol.com

125
Agradecimentos Especiais

Antes de tudo, eu gostaria de agradecer à ­minha ­esposa,


Denise, que me auxiliou (e me auxilia) em vários ­aspectos rela-
cionados ao blog www.maosdevaca.com, à revisão e composição
do guia e ao gerenciamento da comunidade “Nova York para
Mãos-de-Vaca” no Orkut. Além disto, o excepcional ­trabalho de
catalogação dos hotéis baratos em NY é esforço individual dela,
pelo qual ela merece todo o crédito.

E também a todos os leitores, que acabaram se tornando


amigos e colaboradores, alguns que acompanham o blog desde
seu começo, outros que o descobriram recentemente, mas quem
sempre ajudaram com suas indagações, sugestões ou, simples-
mente, com suas palavras de apoio, pessoas como a Luciana,
­Rivelino, Tania, Neila, Carla e Juçara.

Meu sincero obrigado a Renan Leahy e Manoela Maia, pelo


grande incentivo e pela amizade.

Por fim, aos membros da Oficina da E-TL que, se não in-


fluenciaram diretamente na qualidade desta obra, fizeram-no
indiretamente, ao lerem, comentarem e analisarem outras obras
literárias minhas, nesta luta pelo auto-aperfeiçoamento.

127
Sobre o autor

Henry Alfred Bugalho é formado em Filosofia e ­especialista


em Literatura e História. Criou o blog “Nova York para Mãos-
de-Vaca” no começo de 2007.

É autor de romances, contos e críticas de cinema.

Mora atualmente em Nova York, com sua esposa e sua ca-


chorrinha.

Para sugestões, comentários ou críticas


maosdevaca@hotmail.com

129