Anda di halaman 1dari 26

FACULDADE UNINASSAU

CURSO DE ODONTOLOGIA
FUNÇÕES BIOLÓGICAS
DRª VALESKA S. DE SENA PEREIRA

valeska_sena@hotmail.com

TECIDO MUSCULAR
Músculo esquelético: Músculo cardíaco: Músculo liso:
Estriado. Estriado. Controlado por
Controlado por Controlado por inervação autonômica e
neurônio motor inervação autonômica e hormônios.
somático; hormônios;

ESTRUTURA DO MÚSCULO ESQUELÉTICO Fibra Miofibrila Filamentos de actina e miosina Sarcômero: porção da miofibrila alternados entre duas membranas Z. .

• Possui duas outras proteínas: a • Formam pontes cruzadas que se troponina e a troomiosina que cobrem conectam com os filamentos de actina. FILAMENTOS DE ACTINA E MIOSINA Filamento de miosina Filamento de actina • Filamentos grossos. os pontos atuvos dos filamentos de actina durante o repouso. • Filamentos finos. • Composta por cerca de 250 cadeias de • Proteína globular que se polimeriza proteínas que se entrelaçam. uma longa cauda e um par de cabeças. formando formando os filamentos. .

CONTRAÇÃO MUSCULAR A contração acontece por ação de um mecanismo de deslizamento dos filamentos .

Papel do ATP na contração muscular .

.

• A actina e a miosina distribuem-se pela periferia da célula. MÚSCULO LISO • Contração mais lenta ( 1 a 3s). . • Não há sarcômero.

posiciomamento corporal. • Medula Espinhal: reflexos. como postura. equilíbrio e movimento das mãos e olhos. ORGANIZAÇÃO DO MOVIMENTO • Córtex: planejamento e coordenação do movimentos precisos concientes. equilíbrio. amortecimento dos movimentos. • Tronco Cerebral: controle da postura. . • Núcleos da Base: planejamento dos movimentos esteriotipados e subconcientes. aprendidos. • Cerebelo: coordenação dos comandos. marcha.

.

• Reflexos somáticos: mms esqueléticos. . • Reflexos autonômicos: mms cardíaco. REFLEXOS NEURAIS • Movimentos reflexos: padrões coordenados involuntários de contração e relaxamento em resposta a um sinal sensorial. liso e glândulas. • Controlados pela medula e tronco cerebral.

. • Reflexo autonômicos  visceras. • Reflxo do empuxo extensor  sustentação do corpo contra a gravidade. REFLEXOS NEURAIS • Reflexo de estiramento  qualquer músculo esticado em demasia se contrai instantaneamente. • Reflexo de flexão resposta do corpo a um estímulo lesivo que cause dor. • Reflexo tendinoso muscular  relaxamento da musculatura quando a tensão está aumentada.

iniciação e execução. . MOVIMENTOS VOLUNTÁRIOS Os movimentos voluntários podem ser dividos em 3 fases: planejamento.

Cerebelo: coordenação dos movimentos. Gânglios da base: planejamento e estratégias motoras. Neurônios motores: efetuadores dos movimentos.CONTROLE DOS MOVIMENTOS VOLUNTÁRIOS Córtex motor: comando motor. .

FISIOLOGIA SENSORIAL • Estímulos sensoriais: Sentidos somáticos – tato. nocicepção (dor e prurido). audição. Sentidos especiais – visão. temperatura. propriocepção. . gustação. olfação e equilíbrio. pressão.

. onde são integrados. RECEPTORES SENSORIAIS • Todas as vias sensoriais começam com um estímulo que atua sobre um receptor sensorial. • Os receptores transmitem os sinais para o SNC.

Ao chegarem à medula se ramificam: As sensações são detectadas As que terminam na medula por terminações nervosas.ORGANIZAÇÃO DO O córtex fornece interpretação detalhada SISTEMA SENSORIAL sobre a sensação e sua localização. *Olfatória não! O cerebelo fornece o controle O tronco cerebral controla atividades do subconciente da função tipo movimento e grau de contração dos motora. mms que sustentam o corpo. SOMESTÉSICO O tálamo dá informações sobre a modalidade sensorial (tipo de sensação). produzem os reflexos medulares. .

As dimensões dessas áreas são proporcionais ao nº de receptores sensoriais em cada área do corpo. CORTEX SOMESTÉSICO .

ondulação. textura e toque leve.SISTEMA SOMESTÉSICO . . pressão. vibração.TATO • Os receptores táteis são os mais comuns e respondem a estímulos e estiramento.

. SENTIDOS ESPECIAIS • Contam com receptores para transformar a informação do ambiente em padrões que podem ser interpretados pelo cérebro.

OLFATO • Discriminação de milhares de odores diferentes. A informação segue pelo trato olfatório diretamente para o córtex. • Conexão com amígdala e hipocampo. Os neurônios olfatórios primários manda estímulos para o bulbo olfatório (neurônios sensoriais secundários) que processa as informações. . áreas envolvidas com emoções e memória.

GUSTAÇÃO • Intimamente relacionado com o olfato. • O gosto é uma combinação de 5 sensações: doce. salgado. amargo e umami. . • Os receptores estão localizados nos botões gustatórios e no palato. • Cada célula gostatória é sensível a apenas um tipo de gosto! • Células gustatórias primárias  neurônios sensoriais primários  bulbo  córtex. azedo.

a bigorna o estribo. . 1. Os neurotransmissores geram um PA que são transmitidos pelo nervo cloclear até o encéfalo. gerando sinais elétricos que liberam neurotransmissores. As ondas sonoras são direcionadas para dentro do canal auditivo até a membrana timpânica. 4. 5. onde provocam vidração da membrana. 2. AUDIÇÃO • Percepção da energia conduzida • TRANSDUÇÃO DO SOM: pelas ondas sonoras. 3. As ondas inclinam as células pilosas (ciliadas) sensoriais. Essa vibração cria ondas nos canais da cóclea ( cheias de líquido). As vibrações são transferidas para o amrtelo. os quais amplificam a vibração.

• A luz entra no olho pela pupila e é focalizada na retina. Cones: visão colorida. As vias neurais processam os sinais elétricos em imagens visuais. VISÃO • Tradução da luz refletida por um objeto em uma imagem mental. em preto e branco. de alta acuidade. . Convertida em sinal elétrico pelos fotorreceptores. Bastonetes: visão noturna. durante o dia.

Há quem escute música e escute uma cor para cada nota. E VOCÊ? • “Algumas pessoas sentem gostos ou cheiros ao ouvirem palavras relacionadas a eles.com. • https://super. 18h54 . 1 EM CADA 3 PESSOAS CONSEGUE OUVIR SONS NESTES VÍDEOS MUDOS.abril.” • A sinestesia visual-auditiva é uma das menos e é muito mais comum do que se imagina: entre 20% e 30% das pessoas ouve sons imaginários quando vê vídeos sem som.br/ciencia/1-em-cada-3-pessoas- consegue-ouvir-sons-nestes-videos-mudos-e-voce/ Por Ana Carolina Leonardi access_time19 abr 2018. A sinestesia é involuntária e consistente.Publicado em 19 abr 2018. 18h49 .

Tratado de Fisiologia Médica. D. Rio de Janeiro: Elsevier. 2011.C. 12ª ed.E. REFERÊNCIAS • BARRET. Porto Alegre: AMGH. HALL. Fisiologia Humana: uma abordagem integrada. 2014. U. 2010. ed. et al. 24. 5ª ed.. Kim E. • SILVERTHORN. J. • GUYTON. . Fisiologia médica de Ganong. A. Porto Alegre: Artmed.