Anda di halaman 1dari 2

RESENHA SOBRE A CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO PARA OS SOCIÓLOGOS

KARL MARX E ÉMILE DURKHEIM

por Mariane Chagas Suzarte

Karl Marx e Émile Durkheim são autores clássicos da Sociologia considerados de


extrema importância, pois suas ideias são atemporais. Embora seus objetos de estudo
sejam distintos, ainda assim, são referências para a análise da sociedade ao longo da
história e da atualidade.
Marx voltou suas preocupações ao estudo das relações sócio-econômicas e políticas
e seu desenvolvimento no processo histórico, ainda assim deixou grandes contribuições
teóricas no campo de educação. Como objeto de estudo, deu enfoque às “relações sociais”
e à “luta de classes”.
Embora a educação não tenha sido a temática central da obra de Marx, ele a
referenciou nos documentos “Manifesto do Partido Comunista” (1848), “Instruções aos
Delegados do Congresso da Associação Internacional dos Trabalhadores” (1866) e em “O
Capital” (1867-1894).
A concepção Marxista de educação tem por base o materialismo histórico, com forte
crítica ao capitalismo. Para este autor, é necessário entender a sociedade para
compreender o fenômeno da educação, para assim conduzir a humanidade para uma
sociedade justa, livre da exploração do homem pelo próprio homem.
Fleuri (1999) refere que o sistema educacional montado em nossa sociedade,
objetiva a formação de alguns para mandar e outros para obedecer. O que contradiz a ideia
do modelo marxista dialético e de relação recíproca, porque, ainda hoje, a escola é usada
como um elemento de manutenção da hierarquia social, de controle das classes
dominantes sobre as classes dominadas, portanto o trabalho assalariado é uma
manifestação histórica de como o capitalismo organizou-se como sociedade.
Para Durkheim foi o criador da Sociologia da Educação, teoria educativa em que foi
proposta uma socialização metódica das novas gerações, pois a educação é fundamental
para manter a coesão social. De forma que, a educação e a pedagogia, são anexos
apêndices da sociedade, que não necessitam de autonomia para seu desenvolvimento.
Como referido na obra “As Regras do Método Sociológico” publicada em 1895 por
Émile Durkheim, a educação é considerada reguladora dos tipos de conduta ou de
pensamentos que são, tanto externos ao indivíduo, como, também, dotados de poder
coercitivo em virtude do qual se lhe impõe.
O caráter determinista da teoria educacional de Durkheim enfatiza que, a escola
deveria reforçar os padrões de comportamento sociais, satisfazendo as necessidades
sociais por meio da imposição de suas regras. Considerando que o ser humano é o centro
do processo educativo e que a sociedade é dinâmica.
Lucena (2010) refere que Durkheim compreende a educação como uma poderosa
ferramenta para a construção gradativa de uma moral coletiva, fundamental para a
continuidade da sociedade capitalista. O olhar sociológico determinante para o método
investigativo de Durkheim sobre a sociedade de sua época predominou na forma como
defronta a educação do ponto de vista sociológico e considerou-a como reguladora da vida
social (GALTER E MANCHOPE, 2003).
Sob o olhar de Marx, a educação não deve ser baseada na reprodução ou repetição
de ideias, portanto a escola deve ser um espaço epistemológico de formação para a ação
de um mundo que requer intervenções conscientizadas em processo dialético sobre as
solicitações sociais (LIMA, 2009). Enquanto Durkheim, considera que a educação e a
escola têm o papel de socializar o indivíduo para que ele se desenvolva dentro dos padrões
preestabelecidos o seu grupo social, enfatizando que é a sociedade é quem produz o
indivíduo e prepondera sobre ele.
Considerando o posicionamento dos autores, é possível ter um vislumbre realístico
da sociedade atual. E baseado no contexto social, é importante que os educadores sejam
protagonistas no cenário educacional, com objetivo de mudanças e transformações que
contemplem a redução das desigualdades no campo da qualidade da educação entre as
classes sociais, permitindo assim a possibilidade de redução nas desigualdades sociais e
autonomia aos educandos.

REFERÊNCIAS

CORRÊA, R. A.; KRATANOV, S. V. ​Fundamentos históricos e filosóficos da educação.


SP : Claretiano, 2013. 198p

FLEURI, R. M. ​Educar para quê? ​São Paulo: Cortez 1997.

GALTER, M. I.; MANCHOPE, E. C. P. ​A educação em Émile Durkheim​. Revista


HISTEDBR On-line, 2003. Disponivel em: http://www.histedbr.fae.unicamp.br/art12_12.htm

LIMA, P. G. ​O papel da escola em Durkheim e Marx na formação dos valores do


indivíduo. ​2009 (Instrucional). Disponivel em:
http://www.do.ufgd.edu.br/paulolima/arquivo/durkheim.pdf

LUCENA, C. ​O pensamento educacional de Émile Durkheim​. Revista HISTEDBR


On-line, Campinas, n.40, p. 295-305, dez.2010