Anda di halaman 1dari 42

Universidade de Brasília

Disciplina: Tubulações Industriais

Área de conhecimento: Projeto de Máquinas

Aula 5: Válvulas

Professor: Thiago Doca Agosto 2017


Aula passada

2.1 Ligações: tipos e características;


• Ligações rosqueadas;
• Ligações soldadas;
• Ligações flangeadas;
• Ligações por encaixe.

2.2 Conexões: tipos e características;


2.3 Juntas de expansão.

Capa Aula de hoje 2/42


Aula de hoje

3.1 Válvulas: definição, componentes e tipos;


3.2 Válvulas de bloqueio;
3.3 Válvulas de controle.

Aula passada Válvulas 3/42


Definições
Válvulas são dispositivos destinados a estabelecer,
controlar e interromper o fluxo em uma tubulação.
Suas características são:

• Acessórios mais importantes da tubulação;


• Devem ser utilizadas em menor número
possível;
• São caras e sujeitas a vazamento;
• Representam de 8-10% do custo de uma
tubulação;
• Existem em grande variedade de tipos e funções.

Aula de hoje Tipos 4/42


Definições

Válvulas podem ser operadas de forma manual,


motorizada e automática. Cada tipo de modo de
operação requer diferentes componentes:

• Manual: volante, alavanca, engrenagem, sem-fim;


• Motorizada: sistema pneumático, hidráulico ou
elétrico;
• Automática: pressão do próprio fluído ou
sistema de molas e contrapesos.

Aula de hoje Tipos 5/42


Componentes
Volante ou alavanca
Haste
Castelo

Sobreposta
Gaxeta

Junta: roscada ou parafusada

Obturador
Corpo

Anel de vedação
Sede
Extremidade flangeada
Definições Tipos 6/42
Componentes
O invólucro externo (ou
carcaça) de uma válvula,
Castelo

constitui-se basicamente de
duas parte denominadas de
corpo e de castelo (ou
tampa).
Corpo

Definições Tipos 7/42


Componentes
O corpo é a parte principal da
carcaça e é onde se localizam
Castelo

as sedes e onde se assentam as


peças de fechamento.
O castelo é a parte superior da
carcaça, sendo desmontável
para o acesso ao interior da
válvula (substituição do anel
Corpo

de vedação e obturador).

Definições Tipos 8/42


Componentes
Os mecanismos móveis de uma
válvula são basicamente a
haste e a peça de fechamento
Castelo

(que vai ter um nome


específico dependendo do tipo
de válvula).
A região da carcaça onde a peça
de fechamento se assenta é
chamada de sede.
Corpo

O conjunto composto pelos


mecanismos móveis, haste e
sede é chamado de “trim” da
válvula.
Definições Tipos 9/42
Componentes
Castelo

Solenóide
Acionador
elétrico

Junta
Corpo

Extremidade roscada
Definições Tipos 10/42
Tipos

• Válvulas de Bloqueio;

• Válvulas Regulagem ou Controle;

• Válvulas de Retenção;

• Válvulas de Segurança.

Componentes Válvulas 11/42


Bloqueio

As principais válvulas de bloqueio são a válvula de


Gaveta, Macho, de Esfera e de Comporta.

Destinam-se apenas a estabelecer ou interromper o


fluxo, ou seja só devem trabalhar completamente
abertas ou completamente fechadas. Costumam ter
o mesmo diâmetro dos tubos onde são utilizadas.

Definições Válvulas 12/42


Bloqueio
Gaveta

Uma das válvulas mais


utilizadas para fins de
bloqueio, possui a forma
construtiva ilustrada ao
lado.

Utilizada em qualquer diâmetro, em tubulações de água, óleo e


líquidos em geral, desde que não sejam muito corrosivos nem
deixem muitos sedimentos. Dificilmente dão fechamento
estanque e como tem o fechamento de metal contra metal, são
consideradas de segurança contra incêndio.

Definições Válvulas 13/42


Bloqueio

Definições Válvulas 14/42


Bloqueio
O fluído ao passar em linha reta através do corpo com o
obturador na posição totalmente aberta, sofrerá uma
resistência mínima e consequentemente terá uma baixa perda
de carga.

O obturador, que pode terá forma de disco ou de cunha, atua


através de uma haste que fica montada na tampa da válvula,
promovendo por meio de uma rosca própria, movimentos de
translação do disco (ou cunha), em sentidos ascendente e
descendente, perpendiculares à trajetória do fluído, abrindo
ou fechando, respectivamente, a válvula.

Definições Válvulas 15/42


Bloqueio
Gaveta com haste não
ascendente
Tipo de válvula em que quando
se gira a haste, esta não se
desloca longitudinalmente e sua
altura, do centro ao topo,
permanece sempre constante,
esteja o obturador na posição
aberta ou fechada.
Possibilita sua instalação em espaços limitados porém, com a
inconveniência de não se poder observar à distância a posição
em que estará o obturador no interior da válvula.

Definições Válvulas 16/42


Bloqueio

Gaveta com haste


ascendente interna
Neste tipo de válvula a rosca da
haste permanece sempre no
interior da mesma, e quando
acionada por meio do volante
preso na sua extremidade,
desloca-se longitudinalmente.

Este manuseio poderá ficar prejudicado se o espaço (altura


disponível) não for considerado, isto em razão da grande
extensão de deslocamento do conjunto haste e volante.

Definições Válvulas 17/42


Bloqueio
Gaveta com haste
ascendente externa
Nesta montagem a haste
permanece sempre fora da
válvula, não ficando assim em
contato com o fluído que passa
pela mesma .
O deslocamento da haste neste
tipo de válvula também é apenas
longitudinal.
Indicada para operar com qualquer tipo de fluido, mesmo
agressivo, pois permitem lubrificação da rosca da haste.

Definições Válvulas 18/42


Bloqueio
Gaveta de fecho rápido
Válvula com sistema de vedação
composto de dois discos
independentes montados à uma
alavanca que se desloca
radialmente em torno de um eixo
comanda do externamente por
outra alavanca. Ações de abertura e
fechamento são extremamente
rápidas e portanto são somente
indicadas para usos em linhas de
baixa pressão, tais como: água, óleo
e derivados de petróleo.

Definições Válvulas 19/42


Bloqueio
Macho
É uma das mais antigas válvula de
bloqueio conhecida. Seu
mecanismo consiste de um
obturador (macho cônico) que
funciona rotativamente dentro do
corpo, necessitando de apenas 1/4
de volta para abrir ou fechar.

Ambos, macho e corpo têm orifícios de passagens ajustados


de forma a coincidir um com o outro, para permitir a
passagem do fluído.

Definições Válvulas 20/42


Bloqueio
Macho
Não recomendadas para serviços
de operações frequentes de
abertura e fechamento da válvula,
pois o filme de graxa aplicado entre
o corpo e o macho, que tem as
funções de diminuir o atrito entre
as partes e vedação, poderá se
escoar, ocasionando vazamentos.

Os dois tipos mais usuais são as válvula macho passante e


válvula macho engaxetada.

Definições Válvulas 21/42


Bloqueio
Macho passante
Recomendada para uso no bloqueio de
líquidos, não sendo, entretanto,
recomendada para uso em vapor ou outras
condições com variações acentuadas de
temperatura, que possam ocasionar o
emperramento da mesma, na dilatação
térmica dos materiais.
Sua forma construtiva consiste de um macho cônico
(obturador) que se auto ajusta ao corpo, transpassando-o, de
forma a admitir, em sua extremidade inferior, uma arruela de
arrasto e uma porca, para ajustes e regulagens necessárias
para o bom funcionamento do sistema de giro da válvula.

Definições Válvulas 22/42


Bloqueio
Macho engaxetado
Fixação do macho cônico se dá na parte
superior do mesmo, por meio de uma gaxeta,
alojada em uma câmara e comprimida pelo
preme-gaxeta, que os mantêm perfeitamente
ajustados ao corpo, propiciando uma vedação
estanque e movimentos de abrir e fechar
suaves (com auxílio de chave apropriada), pois
não se permitem deslocamentos lineares do
macho.
São menos suscetíveis a travamento por efeitos de dilatação
térmica, podendo operar com fluídos sujeitos a variações
mais acentuadas de temperatura.
Definições Válvulas 23/42
Bloqueio
Esfera
Variação da válvula macho que,
ao invés de um obturador
cônico, tem um obturador
esférico vazado, que atua entre
dois anéis (sedes) resilientes.
Requer igualmente apenas ¼ de
volta para abertura ou
fechamento da passagem do
fluído, porém com um baixo
torque de acionamento.

Definições Válvulas 24/42


Bloqueio
Esfera
Podem ser de passagem plena ou reduzida:

Plena Reduzida
Oferecem ótima estanqueidade tanto em baixas como em
altas pressões e quando totalmente abertas ocasionam baixa
perda de carga (principalmente a plena). São recomendadas
para uso como com líquidos, ar comprimido ou vapor, a
temperaturas até ≈200ºC, compatíveis como bronze, gaxetas
e sedes de PTFE.

Definições Válvulas 25/42


Bloqueio
Comporta ou Guilhotina
Variante da válvula de gaveta, sendo utilizadas em
instalações onde as pressões de trabalho não superem os
100 kPa.
Devido a facilidade de abertura e
fechamento, a necessidade de
espaço reduzido para instalação e
leveza, são usadas em tubulações
de ar, água (grandes diâmetros) e
de produtos viscosos e abrasivos
(em qualquer diâmetro). Possível
golpe de ariete com fecho rápido e
brusco.

Definições Válvulas 26/42


Controle

As principais válvulas de bloqueio são a válvula de


Globo, Agulha, Controle, Borborleta e Diafragma.

Destinam-se somente ao controle de fluxo,


trabalhando preferencialmente em posição de
fechamento parcial.

Definições Válvulas 27/42


Controle
Globo

Nome universalizado devido


a forma globular concebida
inicialmente no projeto de
seu corpo.

Estas válvulas têm como função principal efetuar operações


de bloquear, de regular ou estrangular a passagem de fluídos
em uma tubulação.

Definições Válvulas 28/42


Controle
Globo

• Abertura e fechamento mais rápido do que as válvulas


gaveta;
• As características construtivas permitem estanqueidade
total;
• Manutenção favorecida pelo fácil acesso aos
componentes internos da válvula sem a necessidade da
sua remoção da linha;
• Admitem fluxo em um só sentido;
• Perda de carga mais elevada que outros tipos de
válvulas;
• Indicadas para acionamentos frequentes;
• Formas construtivas: Reta, Angular, Obliqua e de Agulha.

Definições Válvulas 29/42


Controle
Globo reta

Conhecida simplesmente pelo nome de válvula globo, tem


as extremidades de entrada e saída coaxiais admitindo fluxo
pela extremidade de entrada (sempre determinada por uma
seta indicativa de fluxo), que ao adentrar na câmara inferior
fará uma curva de 90° em relação ao seu eixo, ultrapassando
a região de passagem onde está localizada a sede,
envolvendo a câmara superior onde se localiza o obturador,
(que neste caso está na posição aberta) saindo pela
extremidade oposta, sendo novamente desviada a 90°.

Definições Válvulas 30/42


Controle

Definições Válvulas 31/42


Controle
Globo angular

Mais conhecida como válvula angular


diferencia-se da válvula globo reta,
apenas na configuração do corpo onde
as extremidades de entrada e saída
estão dispostas a 90 graus entre si.
Este arranjo possibilita duas vantagens
interessantes:
• Perda de carga é menos acentuada
em relação às válvulas globo reta,
• Propícia diminuição do número de
conexões na instalação.

Definições Válvulas 32/42


Controle

Globo obliqua

Conhecida também como válvula tipo


“Y”, possui as mesmas características
de funcionamento das válvulas globo
reta, inclusive com as extremidades
de entrada e saída coaxiais. Menor
perda de carga e necessidade de
espaço, porém não asseguram o único
sentido de fluxo.

Definições Válvulas 33/42


Controle
Agulha

Uma variação das válvulas globo e


portanto de funcionamento
semelhante. Ela difere basicamente
no seu elemento de vedação
(obturador) que se caracteriza pelo
seu formato cônico extremamente
agudo, normalmente construído na
própria extremidade da haste que
promove os movimentos de abertura,
fechamento e principalmente
regulagens.

Definições Válvulas 34/42


Controle
Globo agulha

Este tipo de válvula tem o orifício de


passage bastante reduzido em
relação à Bitola da válvula para
obter-se assim uma maior
sensibilidade nas regulagens de
vazão.
As válvulas de agulha são indicadas
para serem utilizadas em aparelhos
de instrumentação para ar
comprimido, gases e líquidos em
geral com baixa viscosidade.

Definições Válvulas 35/42


Controle
Borboleta

Essa válvula tem por função a


regulagem e o bloqueio do fluxo em
uma canalização. É utilizada
principalmente em sistemas de
adução e de distribuição de água
doce bruta ou tratada, e em estações
de tratamento de água e de esgotos.
A água não deve exceeder a
temperature de 60°C e a pressão
interna de 1,6MPa, sob o risco de
emperramento da válvula.

Definições Válvulas 36/42


Controle
Diafragma

A válvula concebida neste sistema não


tem componentes mecânicos expostos
à ação do fluído controlado, pois sendo
o diafragma tubular o único
componente em contato com o fluído,
todas as outras partes passam a ter
vida extremamente prolongada.
O fechamento é total, mesmo quando pedaços de materiais
sólidos são apanhados na válvula, pois o diafragma tubular,
sendo flexível, simplesmente fecha-se em torno deles.

Definições Válvulas 37/42


Controle

Definições Válvulas 38/42


Controle
Diafragma

Foram Desenvolvidas especialmente para bloqueio e


regulagem de fluidos corrosivos, tóxicos, bem como para
fluídos muito voláteis ou que exijam total segurança contra
vazamentos.
Na maioria das válvulas a sede é em forma de barragem.
Existem válvulas sem a barragem, denominadas de diafragma
de passagem reta.

Definições Válvulas 39/42


Sumário da aula

Válvulas: definição, componentes e tipos; ✓


Válvulas de bloqueio; ✓
Válvulas de controle. ✓

Válvulas Tarefas 40/42


Tarefas

• Ler capítulos 4 do Telles: válvulas de


retorno e de segurança.

Sumário Agradecimentos 41/42


Agradecimentos

Obrigado pela atenção e até a


próxima aula!

Tarefas Fim 42/42