Anda di halaman 1dari 9

Classes e principais Mecanismo de ação/ Bactérias alvo Indicações clínicas Reações adversas/ Concentração

fármacos Resistência
Penicilina: Ligam-se às PBPs (Ptns Ambas: →Penicilina G: →Penicilina G, V e semi-sintéticas:
→Naturais de ligação da Penicilina) → Streptococcus sp. -Endocardite; -Hipersensibilidade;
- G: IV e IM e inibem a enzima de → Pneumococcus sp; - Erisipela; -Choque anafilático com edema de
- Cristalina; transpeptidação, →Treponema sp; - Faringite bacteriana; morte e glote;
- Procaína; bloqueando a formação →Leptospira sp; - Amigdalite; -Erupções cutâneas eritematosas.
- Benzatina de parede celular →Meningococcus sp; - Impetigo - Dor ao local da injeção
bacteriana →Neisseria sp; - Gonorréia;
V: oral (peptídeoglicano), como →Clostridium tetane; - Pneumonia; →Penicilina Cristalina: é a única
conseqüência ocorre à →Listeria sp; - Sífilis; que ultrapassa barreira
lise osmótica da bactéria → Anaeróbicas (-- B. fragillis) - Leptospirose. hematoencefálica
→ Gram + são mais
sensíveis. * Mycoplasma não possui → Penicilina V:
Efeito bactericida. parede celular, logo não é - Infecções leve de boca e pele.
atingido por beta lactâmicos
* Resistência: Beta → Profilaxia para febre reumática
lactamases, alt. porina de
entrada, bomba de
efluxo, mutação da PBP
Penicilinas: O mesmo das penicilinas Ativas p/ gram + e gram -. Ambas: As mesmas das penicilinas naturais
→ Semissintéticas: naturais → S. pneumoniae; → Otite média;
- Amoxicilina → S. pyogenes; → Exacerbações da bronquite
- Ampicilina → H. influenzae crônica;
→ Epiglotite
* Ass. com inibidores
da beta-lactamase Apenas Ampicilina:
(clavulanato e → ITUs;
sulbactam) expande → Meningites;
seu expectro → Infecções por Salmonella
Penicilinas: O mesmo das outras Ativas p/ gram + e gram -. Mas → Infecções estafilocócicas graves:
→ Oxacilina penicilinas. c/ potencia menor que a - Impetigo bolhoso;
(resistente à penicilina G. - Celulite flegmonosa;
penicilinase) → S. aureus (principal atb) - Osteomielite;
- Sepse;
- PNM;
- Encocardite

Ureido-penicilinas/ O mesmo das outras Espectro de ação amplo, gram +, → Tto infecções hospitalares por
Penicilinas de espectro penicilinas gram – e anaeróbios. Pseudomonas, Acinetobacter,
ampliado: → P. aeruginosa; Klebisiella e Proteus
→ Serratia sp;
→ Piperacilina + → Acinetobacter sp; → Tto infecções intra abdominais
Tazobactam (inibidor → Klebisiella sp; cirúrgicas
da beta lactamase) → Enterobacter sp;
→ Proteus sp.

→Cefalosporina: Inibição da ligação final As primeiras gerações de →Pneumonia; →Hipersensibilidade;


- 1° geração: Cefalo- do peptideoglicano, cefalosporinas são mais →Sinusite; →Nefrotoxicidade e
tina, cefazolina, impedindo a formação indicadas para bactérias gram +, →Infecção do trato biliar; →Diarréia.
cefalexina, cefadroril. da parede bacteriana  as últimas gerações são mais →Meningite;
Beta-lactâmicos indicadas para bactérias gram –. →Septicemia. → 3° geração:
- 2° geração: Cefaclor, Efeito bactericida. - Atravessa barreira
cefoxitina, cefuroxima → 1ª Geração: hematocencefáclica
e cefprozila. - Gram + (baixa ação contra → 2ª Geração:
gram –) - Faringoamigdalite;
- 3° geração: Cefotaxi- - Não pega E. coli - Otite média aguda;
ma, ceftriaxona, - Sinusite aguda;
ceftazidima, cefixima, → 2ª Geração: - PNM comunitária;
cefpodoxima. - Cocos gram +; - Infecções de pele e subcutâneo;
- H. influenzae; - ITUs por gram -.
- 4° geração: Cefepima - M. catarralis;
- Enterobacterias (E. coli, → 4° geração:
IV e VO (depende da Klebisiella, Proteus, Salmonella, - Infecções hospitalares com suspeita
droga) Shigella) de enterobactérias como:
x. Klebisiella sp;
* Cefoxitina: B. fragillis x. Proteus sp;
x. Morganella sp;
→ 3° geração: x. Pseudomonas aeruginosa.
- Boa ação contra gram
negativos, anaeróbios e algumas - Meningite;
enterobactérias (limitaado) - Sepse;
- N. meningitidis; - Infecções respiratórias;
- N. gonorrheae; - ITU;
- S. pneumoniae; - Infecções de pele e tecido
- Não atua contra enterococo, subcutâneo;
ORSA, S. epidermidis sp. - Infecções intra-abdominais
- Monoterapia para neutropenia
*Ceftazidima: atua contra febril.
Pseudomonas (mal) - Não atua contra MRSA,
pneumococos resistentes a penicilina,
→ 4° geração: enterococos, B. fragillis e Lissteria.
- Semelhante a 3ªG, mas com
melhor cobertura para
enterobactérias e Pseudomonas.

→Aminoglicosídeos: Inibem a síntese protéica Ação sobre gram –, →Infecção no trato urinário - nefrite → Ototoxicidade (irreversível):
bacteriana. Os principalmente entéricas: e cistite (concentração dependente); - Surdez;
-Estreptomicina; aminoglicosídeos são → Listeria sp; →Infecção respiratória; - Vertigem;
-Gentamicina; transportados ativamente → Escherichia coli. →Septicemias; - Ataxia;
-Amicacina; através da membrana → Endocardite; - Perda de equilíbrio.
-Tobramicina; celular bacteriana, unem- *Quando associado a → Infecções intra abdominais;
-Neomicina. se irreversivelmente a antimicrobiano p/ gram + (ex. → Meningites em RNs; → Nefrotoxicidade (depende do
uma ou mais proteínas penicilinas), atua → Infecções oculares; tempo de uso – necessita de maior
VO, IM e IV receptoras específicas sinergicamente. → Infecções articulares; espassamento).
dos ribossomos do → Osteomielite.
microrganismo (unidade * Estreptomicina: esquema → Paralisia neuromuscular (raro,
30S), o que provoca alternativo para TB mas muito grave)
leitura errada do DNA, (resistências)
resultando na inibição da * Baixa penetração pulmonar e no
biossíntese ou na síntese * Gentamicina: Pseudomonas líquor
de proteínas não- aeruginosa. Deve ser ass. a
funcionais. Efeito beta-lactâmico p/ enterococos;
bactericida * Amicacina: Gram – resistentes
a gentamicina. Tto empírico de
→ Inibem complexo de infecções ass. aos cuidados em
iniciação; saúde.
→ Codificação errada do
RNAm, com peptídeos
não funcionais ou
tóxicos.
→ Quebra do complexo
de tradução.

* Resistência: alt. sítio


de ligação ribossomal,
diminuição da
permeabilidade celular,
modificação enzimática
da droga
→Carbapenêmicos: Ligam-se às PBPs, Atuam contra ESBL (Beta -Infecções ósseas; →Náuseas;
-Imipenem + bloqueando a formação lactamases de espectro - Endocardite; →Vômitos;
cilastatina; da parede bacteriana e estendido) -Infecções urinárias →Diarréia;
-Meropenem; provocando a lise →Neisseria gonorrho-eae e -Infecções genitais; →Erupção cutânea;
- Ertapenem. osmótica da bactéria  meningitidis; -Infecções de tecidos moles; → Prurido;
Beta lactâmicos. →Haemophilus influ-enzae. -Infecções de pele.
* Cilastatina: impede a Efeito bactericida. →Pseudomonas aeru-ginosa * Imipenem:
degradação renal do (menos ertapenem); → Convulsões (em idosos e pcts
imipenem, diminuindo →Staphilococcus ssp. susceptíveis).
sua toxicidade e → Nefrotoxicidade
aumentando seu tempo * Imipenem: ótimo para gram +,
de ação. bom para gram --, pseudomonas Concentram em todos os tecidos,
e enterococos. incluindo placenta e barreira
hematoencefálica.
* Meropenem: menor potência
em gram +, maior espectro de
ação para gram --.

* Ertapenem: não atua contra


Pseudomonas e nem contra
acinetobacter
→Monobactâmicos: Inibem a síntese da - Atua contra ESBL; -Infecções complicadas e não →Flebite; IV
-Aztreonam parede bacteriana  - Combate a bactérias gram -- de complicadas do trato urinárias – →Trompoflebite.
Beta lactâmico de apenas origem comunitária; exemplos: pielonefrite e cistite; →Desconforto;
um anel. Efeito →Escherichia coli; -Infecções pulmonares; →Inflamação no local.
bactericida. →Klebsiella; -Infecções ginecológicas e urinárias;
→Proteus; - Infecções osteoarticulares;
→Morganella; -Sepses;
→Salmonella; -Infecções de pele e fâneros;
→Haemophilus influ- emzae; -Infecções intra-abdominais e
→Pseudomonas aeru-ginosa cirúrgicas – peritonite, abcesso
(em elevadas comcentrações). hepático;
- Alternativa para
meningoencefalites.
→ Tetraciclinas: Inibe a síntese protéica →Rickettsia; →Acne; →Distúrbios gastrointestinais;
-Tetraciclina; por ligarem a fração 30S →Chlamydia spp; →Cólera; →Deficiência vitaminas do
-Oxitetraciclina; do riboossomo →Vibrio cholerae; →Infecção por Rickettsia; complexo B;
-Doxiciclina; bacteriano, impedindo a →Brucella sp; →Infecção por Chlanmydia; →Manchas no dente;
-Minociclina. fixação do RNA →Actinomyces sp; →Brucelose; →Hipoplasia dentária;
trasportador. É →Treponema palli-dum; →Antraz; →Deformidades ósseas;
bacteriostático. → Leptospira sp; →Doença de Lyme; →Hepatotoxicidade;
→Corynebacterium ac-nes. →Infecções mistas do trato respi- →Fototoxicidade.
* Resistência: ratório.
diminuição da * Todas as cepas de * Doxaciclina (não usa em
acumulação da droga na Pseudomonas são resistentes. → Usada para pacientes alérgicos gestantes!)
cél, diminuição da às penicilinas
permeabilidade, bombas * Ingesta conjunta com antiácidos,
de efluxo, mutações no leite e ferro diminuem sua absorção
sítio de ligação, oral.
inativação enximática
* Atravessam barreira placentária.
→ Glicilciclinas Semelhante às → MSSA; → PNMs complicadas; → Nauseas, vômitos e outros
(Análogos sintéticos tetraciclinas. → MRSA; → Infecções de pele e tecidos moles sintomas do TGI;
das tetraciclinas): → VRE, complicadas; → Cefaléias
- Tigeciclina * Melhor resposta a → Estreptococos resistentes à → Infecções intra-abdominais
organismos resistentes penicilinases e cefalosporinases; complicadas. * Não concentra na urina
→ Anaeróbios
→ Alguns gram -- * Não usar em ITU!
* Não pega P. aeruginosa, Proteus e
Providencia spp.
→ Macrolídeos Inibe a síntese protéica →Sthaphylococcus a-ureus; →Infecções no trato respiratório → Hipersensiblidade, como
- Eritromicina; por um efeito de →Bordetella pertus-sis; inferior e superior; erupções cutâneas e febre;
- Azitromicina; translocação na subuni- → Coryneobacterium →Otite média; → Distúrbios transitórios da
- Claritromicina. dade 50S do ribossomo. diphtheriaes →Infecções genitais; audição;
Efeito bactericida ou →Streptococcus do grupo A; → Primeira escolha no tto de PNMs → Propiciam infecções oportunistas
bacteriostático →Campylobacter je-juni; atípicas (azitromicina e do trato gastrointestinal ou da
dependendo da →Helicobacter pilori; claritromicina); vagina.
concentração e do tipo →Haemophilus du-crey; → Profilaxia de endocardite após
de microrganismo. →Moraxella catar-rhalis. prodecimento odontológico; * Eritromicina: conjuntivites
→ Plasmodium sp → Profilaxia de febre reumática
* Resistência: alteração (faringite estreptocócica) * Azitromicina e claritromicina:
da permeabilidade, → Primeira escolha no tto de → Alternativa para o tratamento de menor intolerância gástrica, dose
alteração do sítio PNMs atípicas: sífilis, clamídia, e cancroide; única
receptor da porção 50s, - Mycoplasma pneumoniae; → Profilaxias diversas em
inativação enzimática, - Legionella pneumophila; soropositivos;
bombas de efluxo - Chlamidia sp. → Profilaxia do P. falciparum
resistente à cloroquina
* Inativas contra pseudômonas
* Não é usado em enterococos → Encefalopatia hepática, efeito pró-
cinético (pós-op de gastroparesias),
para náuseas e vômitos de difícil
controle.
→ Quinolonas: Inibem a DNA girase → 1° geração: → 1° geração: →Náuseas;
- 1° geração: Ác. (gram --) topoisomerase - Enterobacterias; - Ác. Nalidíxico: ITUs →Vômitos;
Nalidíxico, ác. II (gram +), enzimas que - Pseudomonas (limitada); - Rosoxacino: infecção gonocócica →Sonolência;
pepemídico e abrem o DNA (girase) e * Atuam no intestino e vias uretral →Tonturas;
rosoxacino produz um supernovelo urinárias apenas - Ác. pipemídico: ITUs baixas →Anemia hemolítica.
negativo no DNA * Não agem contra gram +. (alguma atividade anti-pseudomonas) → Prolongamento intervalo QT
- 2° geração: (topoisomerase II), → Não deve ser adm em grávidas
Norfloxacino, permitindo sua → 2° geração: → 2° geração:
ciprofloxacino, transcrição ou - Elevada potencia contra cocos - Norfloxacino: ITU inferior,
perfloxacino, replicação. Com essas e bacilos gram – gonorreia. Alternativa ao uso de
ofloxacino, enzimas inibidas, o DNA - Ação moderada/ potente contra Sulfa/trimetropim em neutropênicos.
lomefloxacino não consegue se Pseudomonas.
organizar para → 3° geração
- 3° geração: replicação. Assim, essas *Norfloxacino: - Indicados nas infecções
Levofloxacino, drogas atuam inibindo a E. coli, Shigella, Salmonella, respiratórias (PNMs, sinusites,
gatifloxacino, síntese protéica. Proteus, Enterobacter, Yersínia, bronquite crônica) comunitárias por
gemifloxacino Morganella, N. meningitidis, N. gram + e gram -;
gonorrhoeae, M. influenzae, M. - Otites;
- 4° geração: catharrhalis. - ITUs (altas e baixas);
Moxifloxacin, ~ Pouco potente para - Peritonites;
trovafloxacino, Pseudomonas - Apendicites.
clinafloxacino
* Ciprofloxacino: o mais potente
contra gram – (Incluindo →Infecções das vias urinárias que
Pseudomonas) não respondem aos aminoglicosi-
deos;
→ 3° geração: agem contra →Infecções respiratórias por →Otite
gram + e gram --, incluindo externa;
atípicos. →Gonorréia;
~ Quinolonas respiratórias: →Prostatite bacterina;
pneumococos, hemófilos, →Cervicite.
clamídias, legionela e
mycoplasma.

*Levofloxacino: ação contra


Pseudomonas inferior a do
cipro.
Sulfonamidas (análogo Inibição competitiva da →Escherichia coli; →Doença inflamatória intestinal; →Náuseas;
do ácido p-aminoben- diidropteroato sintetase, →Haemophilus sp; →Queimaduras infectadas; →Vômitos; Efeitos leve a
zóico - PABA): comprometendo dessa →Streptococcus pneu-moniae; →Infecções respiratórias; →Cefaléia; moderadas
→Sulfametoxazol; forma a síntese de ácido →Shigella flexner; →Infecção aguda no trato urinário →Depressão mental;
→Sulfadiazina; fólico das bactérias →Pneumocystis cari- nii; (raramente usado). →Hepatite;
(incorporação do PABA →Proteus. →Hipersensibilidade;
ao ácido di- →Toxoplasma. *Sulfadiazina + Pirimetamina: Efeitos
hidropteróico, precursor profilaxia da toxoplasmose →Depressão da medula óssea;
direto do ácido fólico). * Elevada resistência graves
Ácido fólico é essencial *Sulfametoxazol + Trimetropim →Cristalúria.
para síntese dos (Bactrim):
percussores do DNA e - ITUs altas e baixas; *Efeitos Adversos do
do RNA. É um - Uretrites; Sulfametoxazol + Trimetropim
bacteriostático. - Prostatites agudas ou crônicas, (além dos acima):
- Otite media;
- Sinusites; → Eosinofilia;
- Diarreias; → Agranulocitose;
- Paracoccidiodomicoses; → Anemia hemolítica;
- Profilaxia P. carinii; → Teratogênese (gestação)

→Glicopeptídeos: Atuam na estabilidade da →Staphilococcus aureus. →Infecções graves causadas por →Hipersensibilidade;
-Vancomicina parede celular dos gram cepas sensíveis de estafilococos →Erupção cutânea;
- Teicoplatina +: inibição da síntese de * Não atuam contra gram --, resistentes a meticilina/oxacilina →Anafilaxia;
peptideoglicano, fungos e micobactérias. → Pacientes alérgicos à penicilina; →Nefrotoxicidade;
alterando a →Endocardite estafilococica; →Ototoxicidade (diminuição da
permeabilidade da →Septicemia; acuidade auditiva com o uso
membrana celular e →Infecções ósseas; prolongado);
causando lise osmótica. →Infecções das vias respiratórias →Síndrome do pescoço vermelho
Efeito bactericida, inferiores; (infusão intravenosa rápida).
exceto nos enterococos. → Infecções de pele e partes moles;
→ Infecções em próteses; * Teiclopatina é menos tóxica que
→Colite pseudomembranosa (após vancomicina
falha do metronidazol).
→ Polimixinas: Interagem com a → Gram – : → Infecções graves causadas por
- Polimixina B moléculas de - Pseudomonas aeruginosa; gram – multirresistentes, como P.
- Colestina polissacarídeo da - Acynetobacter baumanii. aeruginosa e A. baumanii.
membrana externa dos → Enterobacterias
*Normalmente em gram --, inativando-a. → Bacilos não fermentadores. → PNM associadas a assistência a
associação com Assim, alteram a saúde
amicacina/meropenem permeabilidade celular
permitindo a entrada de → Infecção sanguínea associada ao
outras drogas. cateter venoso