Anda di halaman 1dari 44

APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA

•Objetivos do Módulo I:
–Compreender as possibilidades de atuação do profissional
no ambiente construído considerando as necessidades de
adequação ao condicionamento e isolamento acústico
necessários;
–Revisar os conceitos básicos da acústica arquitetônica;
–Entender o que é e como é desenvolvido o projeto de
condicionamento acústico;
–verificar aspectos gerais da NBR 12179 – Tratamento
acústico em recintos fechados.
INTRODUÇÃO – MÓDULO I
•SUMÁRIO
–1. Introdução
–2. Conceitos Físicos do Som
•2.1 Som, ruído e ondas
•2.2 Intensidade Sonora
•2.3 Características do Som
–3. Acústica Arquitetônica
•3.1 Estudo da Morfologia do Local e Estudo
Geométrico Acústico
•3.2 Cálculo do Tempo de Reverberação – NBR
12179
•3.3 Materiais, usos, aplicações e estratégias
1. Introdução
•1.1 Som e Ruído

•Som – sensação produzida no sistema auditivo a


partir da vibração de um meio elástico (ar, água,
corpos, entre outros).

–Variação da pressão do ambiente detectável pelo


sistema auditivo.
1. Introdução
•1.1 Som e Ruído
–Ruído – é um som indesejável (ruído do trânsito, ruído das
turbinas de um avião, ruído de uma casa noturna no entorno
edificado – ações judiciais);
–O ruído repercute:
a) No aparelho auditivo – trauma acústico (temporário ou
permanente );
b) Nas atividades do cérebro – indivíduo necessita de 20% a
mais de energia para efetuar tarefas com intenso barulho;
c) Em vários órgãos – ação reflexa (influenciando pressão
arterial, composição hemática, perda de equilíbrio e vômitos);
d) Atividade física e mental;
São necessárias as seguintes preocupações:

Tratamento acústico

Condicionamento acústico;

Isolamento acústico.
2. Conceitos Físicos do Som
•2.1 – Ondas
–Movimentos oscilatórios que se propagam num meio devido a
uma perturbação. Nesses movimentos somente energia é
transferida, não havendo transporte de matéria. Ex: pedra em
um lago
–Classificação: Mecânicas e Eletromagnéticas.
–Ondas Sonoras: São aquelas que necessitam de um meio
elástico para se propagar.
2.1 Ondas:
•Elementos constituintes de uma onda:(Estas características
definem as estratégias no projeto arquitetônico no que diz
respeitos a revestimentos e fechamentos horizontais e verticais.)
•Comprimento de Onda ( λ):é a distância entre duas cristas ou dois
vales ou dois vales consecutivos;
•Amplitude: é o nome dado à altura de uma crista ou de um vale;
•Período (T): tempo necessário para um a onda deslocar- se de
uma crista a outra;
•Freqüência (f ): é o número de oscilações (ciclos)
realizadas pela onda na unidade de tempo; 1 Hertz =
1 ciclo por segundo. f = 1/T – T = 1/f.

•O ouvido humano identifica sons entre 20 e 20000 Hz ;

•Intensidade: A amplitude do raio sonoro indica a


intensidade do mesmo.
Frequência ( f ):

• O conceito de bandas de oitava, corresponde a excitação de uma


mesma zona da membrana basiliar. O domínio do audível encontra-se
coberto por cerca de 24 bandas críticas, cada uma das quais parece
corresponder a um comprimento de cerca de 1,3 mm ao longo da
membrana basilar.

•A voz humana varia 500 Hz a 1000 Hz;

• Os estudos devem considerar 125 Hz, 1024 Hz e 2048 Hz;


NOTAS FREQUÊNCIAS

Ré 73 Hz

Mi 82 Hz Freqüências (Hz) Fontes de Ruído


Fá 87 Hz
125 a 250 máquinas, instrumentos de percussão;
Sol 98 Hz 250 a 500 ruído de escritório em geral ;
500 a 1000 conversa ;
Lá 109 Hz 2000 a 4000 máquina de escrever, apitos e aviões.

Si 121 Hz
Frequências audíveis
Infra som Graves Médios Agudos Ultrasom
0 20 400 1600 20.000

Voz humana 500 a 1000 hz

Qualidades do Som:
•Altura: é a qualidade que permite diferenciar um som grave
(freqüência baixa) de um agudo (frequência alta).

•Intensidade:é a qualidade que permite identificar um som alto ou


forte (na física, um som alto ou baixo está relacionado com a
quantidade de energia transferida.

–Vozes femininas
–Vozes masculinas:
O tom é a interpretação subjetiva da frequência de um som.
Isso fica claramente estabelecido para sons com tonalidade
pura.

Sons complexos são fisicamente determinados por seus


espectros, cuja interpretação subjetiva é o timbre.
Níveis sonoros não podem ser somados
aritmeticamente – são grandezas logarítmicas;
•Somatório de Ruídos de diferentes intensidades.
Caminhão 85 dB;
-Carros 70 d B; 85 dB – 70 dB = 15 dB -

Exemplo 1:
NR1 = 85 dB;
NR2 = 70 dB;
NR = 85 dB + 0,3 dB
= 85,3 dB
Exemplo 2:
NR1 = 75 dB;
NR2 = 70 dB;
NR = 75 dB + 1,2 dB
= 76,2 dB
Sensibilidade Auditiva: O aparelho auditivo humano não percebe sons de
frequências diferentes com a mesma sensibilidade.
A figura 3 apresenta as curvas de igual sensação sonora do aparelho
auditivo humano, na qual a parte colorida corresponde a voz humana ; Nos
graves o ouvido humano é menos seletivo, o que explica a diferença de
sensação auditiva entre dois ruídos de um mesmo nível sonoro.
2. Conceitos Físicos do Som
λ= C . T
λ = Comprimento de onda
C = Velocidade do som no ar = 340 m/s
F = Frequência.
λ=C/F

Onde:
λ= comprimento de onda
C = velocida de do som no ar (340 m/s)
F = frequência
4000 HZ
λ= C / F = 340/4000 = 0,085m = 8,5 cm

p / F = 125 Hz λ= C / F = 125/4000 = 2,7m


Pressão Sonora: N / m2 – força /área = pressão
•Unidades:
•Pressão mínima (limiar da audição) = 2.10-6 N/m2
•Pressão máxima (limiar da dor) = 20 N/m2
•Diferença mínima identificada pelo ouvido humano = 1 dB;

Um som de 60 dB até 11 m ouvimos sem reflexão;


•Cada vez que um ponto afastar o dobro da distância da
fonte, seu nível de som cairá 8 dB ou, inversamente se
aproximar-se da fonte para a metade da distância, o seu
níve l sonoro dobrará;
2 4 8 16
FONTE 70 dB_______4M______62dB_________4m________54dB_______8m_______46db
2. Conceitos Físicos do Som

2.3. Características do Som


•Velocidade do Som – 340 m/s (depende meio e temp.)

•Reflexão do Som –Importante conceito que vai caracterizar as estratégias


quanto as dimensões, a forma das paredes e forro e tratamento dos
revestimentos internos dos auditórios.

–A reflexão gera REVERBERAÇÃO e ECO.


–Eco : distância de 17 m entre a fonte e um anteparo (parede). Som percorre
34 m de distância(ida e volta) em 1/10 s. ( som emitido e refletido são
percebidos simultaneamente) .

A reflexão gera REVERBERAÇÃO e ECO.


Reverberação: “É a persistência do som em um recinto limitado, depois de
cessada sua emissão por uma fonte”.
Materiais
Velocidade de Propagação
Ar 343 m/ sg

Água 1.450 m/ sg
Velocidade de Propagação:
Aço 5.000 m/ sg
V = 331,4 + 0,607 . t
Alvenaria 3.000 m/ sg

Madeira 1.000 a 4.000

Cortiça 500

Borracha 50
Reflexão do Som –Quando uma onda sonora pura ou livre atinge uma
superfície uniforme a reflexão do som assemelha-se muito à da luz.

Difração do som – É a mudança sofri da na direção de onda sonora, devido ao seu


encontro com um obstáculo, contornando-o

Frequência de Ressonância dos materiais:


-Os materiais apresentam frequências nas quais os mesmo vibram e
diminuem a sua capacidade de isolamento;
-Estas frequência s são classificada s como críticas;
-Uma das formas de se evitar a ressonância dos fechamentos duplos é a
utilização de painéis com diferentes espessuras;
Acústica Arquitetônica
•Aspectos Gerais:
–Na abordagem da acústica de edificações é importante ter domínio sobre três
fenômenos importantes da propagação sonora, a saber, o isolamento sonoro, a
reflexão sonora e a absorção sonora, que serão introduzidos a seguir.
Cálculo do tempo de reverberação
–NBR 12179/1992 – Tratamento Acústico em Recintos Fechados
–Roteiro para o desenvolvimento do tratamento acústico
•A) isolamento acústico
–Necessária impermeabilidade acústica;
•B) condicionamento acústico
–Estudo geométrico acústico do recinto e cálculo do tempo de
reverberação;
3.1 Estudo da Morfologia do Local e Estudo Geométrico
Acústico
(Projeto de auditórios, salas de conferência,...)
•JOGO RÁPIDO - ALGUMAS REGRAS QUE A JUDAM
BASTANTE!
•Relação entre dimensões;
•h - altura, c - comprimento, l - largura;
•0.40 C < h < 0.55 C
•1.4 L < C < 1.6 L
•Comprimento < 17.0 metros (quando possível);
C = distância do palco até a última fileira de cadeiras;
• Segundo NEUFERT: A relação correta entre altura, largura e
comprimento é:
2 (H), 3 (L) e 5 (C).
H = 0,4 C;
C = 1,66 L;
Até 300 m3 de volume – simples voz sem dificuldades (7,0m x 9,8m x 4,4m =
301 m3);

Volumes maiores 300 – 30.000 m3– necessidade de reforçar o som para parte
mais distante;

Ambientes maiores que 8000 - 8500 m3 necessidade de sistema de


amplificação (18m x 28,80m x 15,80m);
TR(Tempo de Reverberação) = 0,161 x V / ∑ α1xA1

V= Volume do ambiente
Α= Área de aplicação do material
α=Coeficiente de absorção do material

Exercício 1:
Seja uma sala de aula de comprimento = 7m, largura =6m e pé
direito=2,5m. Faixa de 500 Hz. As paredes são de alvenaria, pisos em madeira e teto em concreto a
parente.
Area piso = área teto =42m²
Area paredes = 65m²
Volume
Sala = 42 x 2,5 = 105 m3
Volume sala = 42 x 2,5 = 105m3

Soma alfa = (65x0,03)+(42x0,10)+(42x0,02) = 6,99

TR= (0,16xV)/Soma alfa logo TR= 0,16x105/6,99 ; TR= 2,4s

Comparando o valor encontrado(TR=2,4s) com o do gráfico no


volume de 105 m3 (TR=0,2 s), tem-se que absorver o som utilizando
materiais absorvente se refazendo os cálculos para chegarmos a TR=0,2 s e resolver o problema
CÁLCULOS EM ACÚSTICA

7M 5M

11M

(7 + 5) – 11 = 1M 1M =
Redução de
15 a 16 db
TABELA DE PERDA DE TRANSMISSÃO

Material Atenuação
(PT)
Parede de tijolo maciço com 45 cm de espessura 55 dB
Parede de 1 tijolo de espessura de 23 cm 50 dB
Parede de meio tijolo de espessura com 12 cm e rebocado 45 dB
Parede de concreto de 8 cm de espessura 40 dB
Parede de tijolo vazado de 6 cm de espessura e rebocado 35 dB
Porta de madeira maciça dupla com 5 cm cada folha 45 dB
Janela de vidro duplos de 3 mm cada separados 20 cm 45 dB
Janela com placas de vidro de 6 mm de espessura 30 dB
Porta de madeira maciça de 5 cm de espessura 30 dB
Janela simples com placas de vidro de 3 mm de espessura 20 dB
Porta comum sem vedação no batente 15 dB
Laje de concreto rebocada com 18 cm de espessura 50 dB
PT = PERDA DE TRANSMISSÃO;
M = DENSIDADE DE ÁREA
PT = 20 log [M.f] – 47,4 F = FREQUÊNCIA

Densidade de área
[Kg/m2 por cm de
Material
espessura]

Alumínio 26,6
Concreto 22,8
Vidro 24,7
Chumbo 112
Aço 76
Tijolo 21
Madeira 5,7

1. Cálculo da Perda na Transmissão para 500 Hz (M = 24,7


kg/m2 e f = 500 Hz):

PT = 20 log [24,7 . 500] – 47,4  PT = 34,4 dB


COEFICIENTES DE ABSORÇÃO DOS MATERIAIS

Espessura Freqüência (Hz)


Material
(cm) 125 250 500 1k 2k 4k
Lã de rocha 10 0,42 0,66 0,73 0,74 0,76 0,79
Lã de vidro 10 0,29 0,55 0,64 0,75 0,80 0,85
Feltro 1,2 0.02 0,55 0,64 0,75 0,80 0,85
Placas de cortiça sobre concreto 0,5 0,02 0,02 0,03 0,03 0,04 0,04
Tapete de lã 1,5 0,20 0,25 0,35 0,40 0,50 0,75
Reboco áspero, cal 0,03 0,03 0,03 0,03 0,04 0,07
Concreto aparente 0,01 0,01 0,02 0,02 0,02 0,03
Parede de alvenaria 0,02 0,02 0,03 0,04 0,05 0,07
Vidro 0,18 0,06 0,04 0,03 0,03 0,02
Tapete 5 mm sobre feltro (5 mm) 1,0 0,07 0,21 0,57 0,66 0,81 0,72
Madeira compensada de 3 mm, a 50
0,3 0,25 0,34 0,18 0,10 0,10 0,05
mm da parede, espaço vazio
Chapa de papelão-gesso, de 9,5
mm, sem
furos, na frente de espaço de 14,5 0,33 0,12 0,08 007 0,06 0,10
50 mm preenchido de lã
mineral
Forro de gesso perfurado c/ manta
2,0 0,68 0,90 0,78 0,65 0,50 0,45
de lã de vidro
Cortina de veludo 0,14 0,35 0,55 0,72 0,70 0,65
NÍVEIS DE RUIDOS CONTÍNUOS OU INTERMITENTES
NÍVEIS DE RUIDOS PARA CONFORTO ACÚSTICO
Diferença Soma

EXERCÍCIO 1 Somar 92 dB a 90,5 dB 0,0


0,2
3,0
2,9
Subtraia 90,5 dB(A) de 92 dB(A) e obtenha uma 0,4
0,6
2,8
2,7
diferença de 1,5 dB(A). O correspondente à diferença 0,8
1,0
2,6
2,5
de 1,5 dB(A) é o valor 2,3 dB(A), que deve ser somado 1,5
2,0
2,3
2,1
a 92 dB(A), resultando num total de 94,3 dB(A). 2,5
3,0
2,0
1,8
3,5 1,6
4,0 1,5
4,5 1,3
5,0 1,2
5,5 1,1
6,0 1,0
6,5 0,9
7,0 0,8
7,5 0,7
8,0 0,6
9,0 0,5
10,0 0,4
11,0 0,3
13,0 0,2
15,0 0,0
Para calcular a isolação entre dois ambientes,
conhecendo a redução da parede divisória, utilizar a
formula:
NR = R + 10 log (a2 / S) ( onde a2 é a Absorção
do ambiente receptor e S é a área da parede
divisória)
Efeito da Distância: Em um “campo aberto”, o nível do som diminui à medida que a
distância aumenta. Se, por exemplo, uma segunda medição de som for feita duas vezes
em relação à fonte, a segunda leitura será cerca de 6 dB(A) menor que a primeira
(quatro vezes menos). Se a distância for reduzida à metade, a segunda medição será
cerca de 6 dB(A) maior (quatro vezes mais). Para o caso mais geral, se o nível de
intensidade do som (SPL1) de uma fonte na distância d1 for conhecido, o nível de
intensidade do som (SPL2) na distância d2 pode ser determinado como segue:
DIAGNÓSTICO, PROJETO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

1 - Caracterizar as condições de exposição: ruído urbano móvel (tráfego viário,


aéreo, etc) e fixo (casas noturnas, indústrias, etc);

2 - Identificar o nível de ruído externo: para tráfego viário considerar número de


veículos, distância da fonte, velocidade e inclinação da pista, percentagem de
veículos pesados;

3- Determinar o nível de ruído em dB(A) que atinge o objeto de estudo com as


barreiras existentes;
4- Identificar o nível de ruído interno aceitável nos diversos ambientes (NBR -
10152);
5 - Projeto: implantação, distribuição interno, localização dos recintos a serem estudados, etc;
6 - Calcular o tempo de reverberação da sala/ajustar para o tempo ótimo (NB – 101);
7 - Calcular o nível de ruído interno, considerando a absorção da sala/inserir filtro A de
ponderação dB(A) e verificar se é compatível com a norma;
8 - Garantir o desempenho entre ambientes;
9 - Detalhamento.

Dados da via: caracterizar as condições de exposição: ruído urbano móvel


(tráfego viário, aéreo, etc.) e fixo (casas noturnas, indústrias, etc.)

Identificar o nível de ruído externo: para tráfego viário considerar número de veículos,
distância da fonte, velocidade e inclinação da pista, percentagem de veículos pesados.
Resultados estatísticos de medições na cidade de São Paulo

Espectro típico do ruído de tráfego a 7m da fonte / velocidade 60Km/h

Curvas de referência em dB(A)

125 250 500 1K 2K 4K dB(A)

Via expressa 15.000 veículos/h 83 82 80 78 77 72 87

Via expressa 4.000 veículos/h 77 76 74 72 71 66 81

Via expressa 2.000 veículos/h 75 74 72 70 69 64 79

Via coletora 1.000 veículos/h 71 70 68 66 65 60 75

Via coletora 500 veículos/h 68 67 65 63 62 57 72

Via local 250 veículos/h 65 64 62 60 59 54 69

Via local 100 veículos/h 61 60 58 56 55 50 65

Via local 50 veículos/h 58 57 55 53 52 47 62


L = 52 + 10 log (Q/d) + cv + c% + ci

distância fonte/receptor d = ______ m


número de veículos/hora Q =_______ veículos

valores de correção pelas tabelas para:


• % de veículos pesados c = _______
• velocidade cv = _______
• inclinação da via em % ci = _______
norma NBR – 10152