Anda di halaman 1dari 2

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO


– IFMA

PLANO DE AULA
AUTOR: Estudante do curso de Lic. Em Fís.
TEMPO: 20 min
FÍSICA – 1º ANO TEMA: HIDROSTÁTICA

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
 Conceitos básicos: densidade e pressão;
 Equação fundamental da hidrostática;
 Princípio de Stevin.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
 Compreender os conceitos de densidade e pressão e sua importância no cotidiano;
 Entender o paradoxo hidrostático com base na equação fundamental da hidrostática;
 Analisar o Princípio de Stevin e sua consequência;
 Tornar os alunos aptos para relacionar e aplicar os conteúdos apresentados na
resolução de problemas de hidrostática.

PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS
A aula será ministrada de acordo com a sequência de atividades apresentadas a seguir:
1. A aula será iniciada com uma discussão sobre os conceitos de densidade e pressão, em
um nível mais geral, em seguida realizando uma diferenciação progressiva
(AUSUBEL, 1980) para o domínio da hidrostática;
2. Uma experiência simples será realizada para verificar os efeitos da pressão
atmosférica. A experiência consiste em colocar uma película rígida na extremidade de
um copo cheio d’água, que em seguida será virado de cabeça para baixo. Espera-se
que o experimento seja potencialmente significativo para a aprendizagem dos
conceitos básicos de densidade e pressão, conforme a teoria da Aprendizagem
Significativa de Ausubel.
3. Dedução da equação fundamental da Hidrostática e discussão do paradoxo
Hidrostático;
4. Enunciação do Princípio de Stevin realizando, em seguida, sua dedução e discussão de
sua conseqüência;
5. Comparação da pressão exercida por sólidos e fluidos, procurando realizar uma
reconciliação progressiva (AUSUBEL, 1980) para o conceito geral de pressão.
6. Resolução de exercícios.

RECURSOS DIDÁTICOS
Projetor de mídias, computador, quadro branco e pinceis.

PROCEDIMENTOS AVALIATIVOS
Os alunos serão avaliados de forma contínua no decorrer da aula, observando o nível de
participação através de suas respostas, em relação às questões lançadas para a discussão dos
conteúdos; levando em conta a qualidade das discussões desencadeadas, a adequação de suas
considerações e a resolução de exercícios.

REFERÊNCIAS

LUZ, Antônio Máximo Ribeiro da; ÁLVARES, Beatriz Alvarenga. Física contexto &
aplicações. 1º ed. São Paulo: Scipiose, 2013.
AUSUBEL, D. P.; NOVAK, J. D.; HANESIAN, H. Psicologia educacional. Rio de Janeiro:
Interamericana, 1980.
SILVA, Claudio Xavier da; FILHO, Benigno Barreto. Física aula por aula: mecânica. 1º ed.
São Paulo: FTD, 2010.