Anda di halaman 1dari 7

Legislação Têxtil

Os artigos têxteis possuem legislação própria que obriga fabricantes, importadores e


lojistas tomarem providências buscando uniformizar a disponibilização de informações
aos consumidores. As novas exigências passaram a vigorar com a entrada em vigor da
Resolução do CONMETTRO assinada em 13 de maio de 2001, em vigor desde 13 de
dezembro de 2001. Pelas novas normas, entre outras, estão a exigência de constar: nome
ou razão social do fabricante; CNPJ; país de origem; identificação do nome da fibra,
expressa em porcentagem; identificação do tamanho; tratamento de cuidados para
conservação do produto; forma de lavagem; alvejamento a base de cloro; secagem e
limpeza a seco. A não obediência aos novos ditames legais poderá resultar na aplicação
pelo IPEM de multas que variam de R$ 100,00 a R$ 50 mil.

A nova regulamentação foi aprovada pelos países membros do Mercosul e favorece a


integração do Brasil e de seus parceiros ao mercado externo. Segundo a Abit
(Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção), a cadeia têxtil mundial
deverá dobrar sua produção em 50 anos, passando a produzir 100 milhões de toneladas
de artigos têxteis. A preocupação é que a legislação brasileira atenda as exigências do
mercado externo e, por outro lado, também tenha a função de cobrar dos países que
exportam para o Brasil o mesmo nível de exigências. Um grupo de trabalho que
elaborou o novo regulamento técnico levou dois anos para concluí-lo. Várias entidades
participaram do processo, como o Inmetro, o Ipem e Procons.

A simbologia exigida na nova etiqueta busca facilitar a leitura dos procedimentos


adequados a cada tipo de tecido. A enorme variedade de fibras, materiais e acabamentos
utilizados na produção de materiais têxteis, e o desenvolvimento dos processos de
limpeza, tem tornado difícil determinar o processo de limpeza mais apropriado para
cada artigo por meio de uma inspeção rápida. O código de símbolos gráficos que será
utilizado na etiqueta vai informar os interessados sobre os cuidados que se devem tomar
para a manutenção dos artigos têxteis.

Obrigatoriedade das novas etiquetas

1 - Os produtos têxteis de procedência nacional ou estrangeira devem apresentar,


obrigatoriamente, na etiqueta as seguintes informações: nome ou razão social e
identificação fiscal (CNPJ) do fabricante nacional ou do importador, conforme o caso.
O nome ou a razão social do fabricante ou importador poderá ser substituído pela marca
registrada no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial). A empresa que não
possui o registro poderá utilizar sua marca, mas também terá que indicar a sua razão
social.

2 - País de origem. Obs: Indústria Brasileira e/ou Brasil, não podendo abreviar.

3 - Indicação do nome das fibras ou filamentos e sua composição expressa em


percentual.

4- Tratamento de cuidado para conservação, conforme NBR-8719 (ABNT). Neste item,


deverá ser indicado apenas um símbolo para cada processo, como a lavagem;
alvejamento a base de cloro; secagem; passadoria a ferro; e Lavagem a seco. Sempre
nessa ordem.
5- A indicação de tamanho continua da mesma forma que vem sendo feita.

6- Não existe a obrigatoriedade de utilizar etiquetas de papel pendente (Tags), e também


de constar nessas etiquetas as informações acima. As etiquetas deverão possuir caráter
permanente, que não solte, não dissolva, nem desbote e que acompanhe o produto
durante a sua vida útil, conforme os procedimentos de limpeza e conservação
recomendados pelo fabricante.

SIMBOLOGIA UTILIZADA EM TECIDOS

Abaixo disponibilizamos símbolos mais utilizados no setor têxtil. Ícones importáveis.

1 - Lavar

Permitido lavar a úmido.

Temperatura Máxima 60º C.

Temperatura Máxima 60º C. com lavagem manual.

Não lavar com água.

2 – Lavar a Seco

Todos os solventes

Somente Hidrocarboneto

Somente percloretileno

Não lavar a seco x

3 – Alvejamento

Alvejamento permitido

Não alvejar

4 – Secagem

Permitido secar em máquina

Não secar em máquina


Secar na Vertical

Secar na Horizontal

5 – Passar

Passar em temperatura baixa 110º C

Passar em temperatura média 150ºC

Passar em temperatura alta 200ºC

Não passar a ferro

ORIENTAÇÃO PARA COLOCAÇÃO DE ETIQUETAS

1- Têxteis Lineares

Fios, barbantes, cordas, linhas de costura, linha de pesca.

- composição têxtil do produto.


- nome ou razão social do fabricante ou importador, abreviando apenas SA ou Ltda.
- identificação fiscal do fabricante ou importador, abreviando apenas CGC, CUIT, RUC,
CNPJ, etc.
- país de origem (onde foi produzido), sem abreviatura (exemplo: Brasil, Indústria
Brasileira, Feito no Brasil).

Importante:
1. a colocação de bandeira do país não é considerada.
2. o nome ou razão social do fabricante ou importador poderá ser substituída pela marca
registrada do fabricante ou importador.
3. número da partida ou do lote e uma dimensão ao título.
4. tratamento de cuidado para conservação (ISO 3758 ou NBR 8719).

Local da Etiqueta:
Conicais, tubetes, cops, flanges de carretéis e núcleo. No caso de retrós de linha de
costura pode ser utilizado um invólucro tipo braçadeira para dispor as informações.
2 - Novelos e meadas

devem conter as mesmas informações descritas para fios e barbantes.

Local da Etiqueta:
Na cinta ou braçadeira que envolve cada unidade visível através da embalagem
transparente e lacrada.

Fitas, Soutaches, galões, viés, elásticos, rendas, fitilhos, franjas e sianinhas, devem
conter as mesmas informações descritas para fios e barbantes, exceto o título.

3 - Superfícies Têxteis:

Tecidos planos, tecidos de malha em geral, não-tecidos, revestimentos de piso, etc.

Etiqueta fixada ou pendente do núcleo (cilindro, tala ou tabuleiro, etc.) que deverá
permanecer à vista do consumidor até a venda total da peça ou não existindo núcleo, a
etiqueta será fixada na lateral da peça do tecido.
No caso em que as informações estiverem consignadas nas laterais visíveis do núcleo,
os caracteres tipográficos deverão ter pelo menos 5 mm de altura.
4 - Superfícies Têxteis II :

- composição percentual das fibras.


- nome ou razão social do fabricante ou importador, abreviando apenas SA ou Ltda.
- identificação fiscal do fabricante ou importador, abreviando apenas CGC, CUIT, RUC,
CNPJ, etc.
- país de origem (onde foi produzido), sem abreviatura e nunca blocos econômicos .
- largura do tecido.
- tratamento de cuidado para conservação (ISO 3758 ou NBR 8719).

Indústria de Transformação: as informações acima deverão constar também no


documento de venda.

Nos casos de retalhos (superfícies com menos de 2m2) destinados ao comércio, deverá
ser indicada a composição têxtil da forma que o comerciante julgar conveniente.
Nos casos de partes de produtos destinados à indústria de transformação, deverão ser
indicado no protudo e no documento de venda, como definido para tecido em peça.

5 - Artigos Confeccionados:

Vestuário Toalhas Cama e mesa

- composição têxtil do produto.


- nome ou razão social do fabricante ou importador, abreviando apenas SA ou Ltda.
- identificação fiscal do fabricante ou importador, abreviando apenas CGC, CUIT, RUC,
CNPJ, etc.
- país de origem (onde foi produzido), sem abreviatura (exemplo: Brasil, Indústria
Brasileira, Feito no Brasil) e nunca blocos econômicos.
- indicação de tamanho de acordo com o tipo de confeccionado.
- tratamento de cuidado para conservação (ISO 3758 OU NBR 8719).

Limpeza à seco Lavagem Uso de cloro Secagem Passadoria


Artigos Confeccionados:

Cama, Mesa e Banho