Anda di halaman 1dari 8

PRU 807 ECONOMIA E TERRITÓRIO I 2017 - Sala H-319 Bibliografia

Apresentação do Programa: O Funcionamento do Capitalismo. As


categorias fundantes do capitalismo: Terra, Dinheiro, Trabalho.
1ª Aula - 02/08 Mercado e Coerção Concorrência). Capital em Geral X Pluralidade de
Capitais. Planos Analíticos e Níveis de Abstração. Mediações Teóricas e
Históricas. Teoricismos X Historicismos. Produção Social do Espaço.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio


sobre a sociedade neoliberal. São Paulo, Boitempo, 2016.

BRENNER, N; PECK, J; THEODORE, N. Após a neoliberalização?.


Caderno Metrópoles, v. 14, n. 27. São Paulo: Educ, 2012, p. 15-39.
2ª Aula - 09/08 Rodadas de Neoliberalização: reescalonamentos, experimentações e
paisagens regulatórias THEODORE, Nik; PECK, Jamie; BRENNER, Neil. Urbanismo
neoliberal: laciudad y elimperio de los mercados. Temas Sociales, v.
66. Santiago de Chile: Ediciones SUR, marzo, 2009. Acesse:
https://goo.gl/nWLYTt

BRANDÃO, Carlos; FERNANDÉZ, Victor R.; RIBEIRO, Luís C. Q.


(orgs.). Escalas espaciais, reescalonamentos e estatalidades: lições e
desafios para América Latina. Rio de Janeiro, Letra Capital, 2017.

PECK, Jamie. Neoliberalismo y crisis actual. Documentos y Aportes em


Administración Pública y Gestión Estatal, v. 12, n. 19, pp. 7-27, 2012.
3ª Aula - 16/08 Escalas Espaciais e o funcionamento do capitalismo PECK, Jamie. Neoliberalism. In: RICHARDSON, Douglas et al. The
Wiley-AAG international encyclopedia of geography. Oxford: Wiley-
Blackwell, 2017.

PECK, J.; THEODORE, N. Fast policies: experimental statecraft at the


thresholds of neoliberalism. Minneapolis, University of Minnesota
Press, 2015.
POLANYI, Karl [1944]. A grande transformação: as origens da nossa
época. Rio de Janeiro: Campus, 1980.

POLANYI Karl A subsistência do homem e ensaios correlatos: nossa


4ª Aula - 23/08 As três mercadorias fictícias: Terra, Dinheiro, Trabalho.
obsolete mentalidade de mercado. Rio de Janeiro, Contraponto.
Acesse http://plataformapoliticasocial.com.br/57/

HARVEY, David (2013). A teoria da renda. In: HARVEY, David (2013).


Limites do capital. São Paulo, Boitempo, cap. 11.

RIBEIRO, Luiz Cesar Queiroz (1982). Espaço urbano, mercado de terras


e produção de habitação. In: MACHADO da SILVA, Luis A. (1982).
Solo urbano: tópicos sobre o uso da terra. Rio de Janeiro, Zahar.

ABRAMO, Pedro. A dinâmica imobiliária: elementos para o


entendimento da espacialidade urbana. Cadernos IPPUR/UFRJ , Rio
de Janeiro, 3 (N. Especial), p. 47-70, dezembro, 1989. Acesse aqui.

SMOLKA, Martin O. O capital incorporador e seus momentos de


Terra valorização. Cadernos IPPUR/UFRJ , Rio de Janeiro, 3 (N. Especial),
Uso do Solo, renda da terra e frações fundiárias e imobiliárias. O capital p. 41-78, na./abr., 1987. Acesse aqui.
5ª Aula - 30/08
incorporador. Introdução à financeirização RIBEIRO, Luiz César de Queiroz (1994). Dos cortiços aos condomínios
fechados. As formas de produção da moradia na cidade do Rio de
Janeiro. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira. (Introdução e capítulos
1 e 2).

SCOTT, Allen J. (1980). The urban land nexus and the state: politics of
the city. London, Routledge.

TOPALOV, Christian (1979). La urbanizacion capitalista: algunos


elementos para suanálisis. México, Editorial Edicol.

RIBEIRO, Luiz César de Queiroz (1996) Incorporação imobiliária:


características, dinâmica e impasses. In: RIBEIRO, Luiz César de
Queiroz; AZEVEDO, Sérgio (orgs.). A crise da moradia nas grandes
cidades. Rio de Janeiro: UFRJ.

ABRAMO, Pedro. A dinâmica imobiliária: elementos para o


entendimento da espacialidade urbana. Cadernos IPPUR/UFRJ , Rio
de Janeiro, 3 (N. Especial), p. 47-70, dezembro, 1989. Acesse aqui.

FERGUNSON, Niail. Filme “A ascensão do dinheiro” Acesse


https://goo.gl/hDTbZj

BRANDÃO, Carlos; BORGHI, Roberto A. Z. (2017). A dinâmica das


órbitas mobiliária/imobiliária de valorização dos capitais: insights de
Ignácio Rangel para pensar as frações rentistas-patrimonialistas-
financeirizadas no Brasil contemporâneo. In: BRANDÃO, Carlos
(2017). Ignácio Rangel: intérprete do Brasil. Rio de Janeiro, E-papers.

CHESNAIS, F. Finance capital today: corporations and banks in the


lasting global slump. Boston: Leiden, 2016.

HARVEY, David (2013). Capital financeiro e suas contradições. In:


Dinheiro HARVEY, David (2013). Limites do capital. São Paulo, Boitempo,
Economia Monetária da Produção, Capital Portador de Juros e Capital cap. 10.
6ª Aula - 30/08 Financeiro. Crédito. Capital Fictício. Crises Financeiras. Dinheiro
Mundial BELLUZZO, Luiz G. (2013). Concorrência, crédito e crise: considerações
a partir de Marx. In: O capital e suas metamorfoses. São Paulo,
Editora da Unesp.

AMADO, Adriana (2000). Limites monetários ao crescimento. Ensaios


FEE, 21 (1): 44-81.

MARQUES, Rosa M. e NAKATANI, Paulo (2009). O que é capital


fictício e sua crise. São Paulo, Brasiliense.

Vídeo Belluzzo. Teorias de Keynes. Acesse aqui.

Trabalho CASTEL, Robert. (2012). ¿Que centralidade Del trabajo?. In: El ascenso
7ª Aula - 06/09 de La sincertidumbres: trabajo, protecciones, estatuto del individuo.
Mexico, FCE, cap. 2.

OFFE, Claus (1985). O capitalismo desorganizado: transformações


contemporâneas do trabalho e da política. São Paulo, Brasiliense.

HARVEY, David (1977). O trabalho, o capital e o conflito de classes em


torno do ambiente construído na ssociedades capitalistas avançadas.
Espaço e Debate nº 6, p. 6-35, set. 1982.

SIQUEIRA, Hipólita (2010). Economia metropolitana e mercado de


trabalho. Rio de Janeiro, E-papers, cap. 1.

POSTONE, Moishe (2014). Tempo, trabalho e dominação social: uma


reinterpretação da teoria crítica de Marx. São Paulo, Boitempo.

GONÇALVES DA SILVA, Ana Lucia (2004). A lógica geral do processo


de concorrência intercapitalista: a busca da valorização do capital.
In Concorrência sob condições oligopolísticas. Campinas,
IE/Unicamp. pp. 209/215.

BRAGA, José Carlos S. e MAZZUCCHELLI, Frederico. Notas


introdutórias ao capitalismo monopolista. Revista de Economia
Mercado e Coerção Concorrencial. Oligopólios. Rivalidades Política, vol. 1, n.2, p. 57-65, abr.-jun., 1981. Acesse aqui.
intercapitalistas e os momentos “ativos” (destruição criadora) e
8ª Aula - 13/09 POSSAS, Mario L. Marx e os fundamentos da dinâmica econômica
“passivos” (“práticas ‘restritivas’ monopolistas”) do processo de coerção
concorrencial. Padrões Oligopólicos setorializados de concorrência. capitalista. Revista de Economia Política, vol. 4, n.3, p. 57-65, jul.-
set., 1984. Acesse aqui.

SCHUMPETER, A. Capitalismo, socialismo e democracia. Rio de


Janeiro, Zahar, caps. 7 (destruição criadora) e 8 (Práticas
monopolistas). Acesse aqui.

AUGUSTO, André Guimarães (2012). A imposição do caráter social da


produção por meio da concorrência. Nova Economia, Belo
Horizonte, 22 (1), pp. 11-27, jan./abr. Acesse aqui.

ARAÚJO, Ângela Maria Carneiro e TAPIA, Jorge R. Bitón (2011).


Estado, Classes e Estratégias: notas sobre um debate. Acesse aqui.
9ª Aula - 20/09 Estado
JESSOP, Bob. Estratégias de acumulação, formas estatais e projetos
hegemônicos. Ideias, Campinas, v. 14, n. 1-2, IFCH, 2007.

BRANDÃO, Carlos. As principais determinações da dimensão espacial


Primeiro Balanço: Determinações Teóricas, o Funcionamento do do desenvolvimento capitalista. Capítulo 2 de Território e
Capitalismo e a Produção Social do Espaço. Desenvolvimento, Editora Unicamp, 2012.
10ª Aula - 27/09 As principais determinações da dimensão espacial do desenvolvimento
capitalista: Homogeneização, Integração, Polarização e Hegemonia. As BRANDÃO, Carlos. Estratégias hegemônicas e estruturas territoriais: o
prisma analítico das escalas espaciais. Bahia Análise & Dados,
dimensões da Divisão Social do Trabalho
Salvador, v. 21, n. 2, p. 303-313, abr./jun. 2011. Acesse aqui.

PRU 851 ECONOMIA E TERRITÓRIO II 2017 – Sala H-319 Bibliografia

FIORI, José Luís (2014). História, estratégia e desenvolvimento: para


uma geopolítica do capitalismo. São Paulo, Boitempo.

ARRIGHI, G. (1994). O longo século XX: dinheiro, poder e as origens do


nosso tempo. Rio de Janeiro, Contraponto; São Paulo, Editora da
Apresentação do Programa: Mediações Teóricas e Históricas do Unesp, 1996.
11ª Aula-04/10
Capitalismo Atual. O Capitalismo no Brasil
CECILIO, Marco Bulhões (2012). Fernand Braudel no mundo
contemporâneo e acumulação acelerada de riquezas: economia de
mercado e capitalismo como opostos?. Rio de Janeiro, IE/UFRJ.
(dissertação de mestrado). Acesse em: https://goo.gl/3xygC3

BRAUDEL, Fernand [1985]. A dinâmica do capitalismo. Rio de Janeiro,


Rocco, 1987.

FIORI, José Luís. Prefácio ao Poder Global páginas 133 – 153

Competição entre Sistemas Inter-Estatais e Competição entre Sistemas https://goo.gl/nEBxw1


12ª Aula - 11/10
Inter-Capitalistas
Outros textos podem ser baixados no site deste Projeto Teórico

http://www.poderglobal.net/
CHESNAIS, François. A mundialização do capital. São Paulo: Xamã,
Mundialização do Capital e Globalização Financeira. Relações
13ª Aula - 18/10 1996.
industriais, comerciais e financeiras

SASSEN, Saskia (2016). Expulsões: brutalidade e complexidade na


economia global. Rio de Janeiro/São Paulo, Paz e Terra.

Acumulação por despossessão/espoliação ou Acumulação Primitiva BRANDÃO, Carlos A. Acumulação primitiva permanente e
14ª Aula - 25/10 desenvolvimento capitalista no Brasil contemporâneo. In:
Permanente
ALMEIRA, Alfredo W. et al. Capitalismo globalizado e recursos
territoriais: fronteiras da acumulação no Brasil contemporâneo. Rio
de Janeiro: Lamparina, 2010.

LESSA, Carlos e DAIN, Sulamis (1980). Capitalismo associado: algumas


referências para o tema Estado e desenvolvimento. In: BELLUZZO,
L.G. e COUTINHO, R. (1982). Desenvolvimento capitalista no Brasil:
ensaios sobre a crise. São Paulo, Brasiliense.

Acumulação de capitais e Alianças Hegemônicas: o caso brasileiro TAVARES, Maria da Conceição (1999). Império, Território e Dinheiro.
15ª Aula - 01/11 In: FIORI, José Luis (1999). Estado e Moedas no desenvolvimento das
Tempo Estrutural e Tempo Conjuntural nações, Petrópolis, Vozes.

CARDOSO DE MELLO, João Manuel e NOVAIS, Fernando (1998).


Capitalismo tardio e sociabilidade moderna. In: SCHWARCS, Lilia
M. (1998). História da vida privada no Brasil: contrastes da
intimidade contemporânea. Volume 4. São Paulo, Companhia das
Letras.

TAVARES, Maria da Conceição (2000). Subdesenvolvimento,


Dominação e Luta de Classes In: TAVARES, Maria da Conceição
(org.) (2000). Celso Furtado e o Brasil. São Paulo, Perseu Abramo.

CARDOSO DE MELLO, João Manuel (1997). A contrarrevolução liberal-


conservadora e a tradição crítica latino-americana. In: TAVARES,
M.C. & FIORI, J.L. (1997). Poder e dinheiro. Petrópolis, Vozes.

FIORI, José Luís. O voo da coruja: para reler o desenvolvimentismo


brasileiro. Rio de Janeiro, Record, 2003.

PINTO, Eduardo Costa (2010). Bloco no Poder e Governo Lula: grupos


econômicos, política econômica e novo eixo sino-americano. Rio de
Janeiro, IE/UFRJ. (tese de doutorado).Acesse aqui.

PAULANI, L. (2013). Acumulação sistêmica, poupança externa e


rentismo: observações sobre o caso brasileiro. Estudos
Avançados, São Paulo, v.27, n.77. Acesse https://goo.gl/yjbhnG

BRANDÃO, Carlos e SIQUEIRA Hipólita (Orgs.). (2013). Pacto


federativo, integração nacional e desenvolvimento regional. São
Paulo. Editora FPA.
16ª Aula - 08/11 Lulismo, Dilma e Temer
MOLLO, Maria de Lourdes R. e FONSECA Pedro C. Dutra (2013).
Desenvolvimentismo e novo-desenvolvimentismo: raízes teóricas e
precisões conceituais. Revista de Economia Política, vol. 33, nº 2
(131), pp. 222-239, abr./jun. https://goo.gl/pgUCUU

OLIVEIRA, Francisco, RIZEK, Cibele, BRAGA, Rui (Orgs.). Hegemonia


às avessas. São Paulo, Boitempo, 2010.

PAULANI, Leda (2008). Brasil delivery: servidão financeira e estado de


emergência econômico. São Paulo, Boitempo.

SICSÚ, João (2013). Dez anos que abalaram o Brasil. E o futuro? São
Paulo, Geração Editorial.

SINGER, André (2012). Os sentidos do Lulismo: reforma gradual e


pacto conservador. São Paulo, Companhia das Letras.

SINGER, André; LOUREIRO, Isabel (orgs.) (2016). As contradições do


lulismo: a que ponto chegamos. São Paulo, Boitempo.

MARINGONI, Gilberto; MEDEIROS, Juliano (orgs.) (2017). Cinco mil


dias: o Brasil na era do lulismo. São Paulo, Boitempo.

17ª Aula - 15/11 Lulismo, Dilma e Temer GUERRA, Alexandre et al. (2017). Brasil 2016: recessão e golpe. São
Paulo, FPA.

JINKINGS, Ivana et al. (2016). Por que gritamos golpe?: para entender o
impeachment e a crise política no Brasil. São Paulo, Boitempo,.

SOUZA, Jessé. (2016). A radiografia do golpe. Rio de Janeiro, Leya.

18ª Aula - 22/11


Balanço Final do Curso
19ª Aula - 29/11