Anda di halaman 1dari 20

DNA

Facilitadora: Arilene Viana

Aracaju, dez/2015

1
Aspectos científicos
e biológicos

2
Conceitos

 DNA

 Ácido desoxirribonucleico: composto orgânico cujas


moléculas contêm as instruções genéticas que coordenam
o desenvolvimento e funcionamento de todos os seres
vivos. Se encontra no núcleo das células de um organismo,
no interior dos cromossomos, menos nas hemáceas
(glóbulos vermelhos), que não possuem núcleo.

É uma molécula formada por duas cadeias na forma de


uma dupla hélice, que são constituídas por um açúcar, um
grupo fosfato e uma base nitrogenada. A dupla hélice é um
fator essencial na replicação do DNA durante a divisão
celular, onde cada hélice serve de molde para outra nova. A
informação contida no DNA está registrada na sequência de
suas bases na cadeia, que indica outra sequência – a de
aminoácidos, substâncias que constituem as proteínas.

3
O DNA não é o fabricante direto dessas
proteínas, para isso ele forma o RNA. O código genético está no
DNA, no núcleo das células, e as proteínas ficam no citoplasma
celular, para onde se dirige um tipo específico de RNA: o RNA
mensageiro – este é o intermediário na expressão gênica, pois
atua na tradução do DNA em aminoácidos para fabricar as
proteínas de todos os seres vivos, sendo o responsável pela
transferência de informação do DNA até o local de síntese de
proteínas na célula.

DNA e RNA são siglas de substâncias químicas envolvidas na


transmissão de caracteres hereditários e na produção de
proteínas compostas, que são o principal constituinte dos seres
vivos; são ácidos nucleicos encontrados em todas as células
humanas. RNA ou ácido ribonucleico é uma molécula também
formada por um açúcar, um grupo fosfato e uma base
nitrogenada e é o responsável pela síntese de proteínas da
célula. Geralmente formado em cadeia simples, pode às vezes
ser dobrado.

4
O DNA é encontrado no núcleo celular, o RNA é produzido no
núcleo mas migra para o citoplasma; a nível da pentose, no RNA
existe a ribose e no DNA a desoxirribose; normalmente o RNA
apresenta uma hélice simples, enquanto o DNA tem uma dupla-
hélice; tanto no RNA como no DNA a citosina se pareia com
guanina. No RNA a adenina se pareia com a uracila e no DNA a
adenina se pareia com a timina.

 Gene ou Gen

 Unidade funcional da hereditariedade onde estão


presentes os ácidos nucleicos, portadores de informações
genéticas que proporcionam a diversidade entre os
indivíduos. Sequência de nucleotídeos distintos que fazem
parte de um cromossomo. Cada gene codifica uma
determinada sequência de uma cadeia polipeptídica (união
de aminoácidos que formam a proteína). O gene é formado
por uma sequência de DNA (ácido desoxirribonucleico) e
RNA (ácido ribonucleico), sendo este último responsável
pela síntese de proteínas da célula.

5
Tipos: dominante (atribuição das caract.), recessivo (se manifesta
quando o dominante não se manifesta), estrutural (informação
que determina a estrutura), operador (atua no funcionamento
dos outros) e regulador (controla a síntese e transcrição dos
outros)

Genoma humano – 25.000 genes

Genética – ciência que estuda os genes

 Cromossomo

 Elemento característico do núcleo no momento da divisão


celular. Em forma de grânulos de filamentos arqueados ou
de bastões, são em número constante (e par) em todas as
células de um mesmo indivíduo e em todos os indivíduos
da mesma espécie; contêm os gens, suportes materiais da
hereditariedade.

Cromossomos homólogos = par de cromossomos: um provém do


ancestral masculino e outro do feminino.

É constituído por uma longa fita dupla de DNA, contendo


diversos genes; tem a estrutura composta por proteínas que se
agrupam em numero de 8 (nucleossomos) e são envolvidas pela
molécula do DNA – formando a Cromatina.

Cromátide – cada filamento do cromossomo

6
Os Centrômeros caracterizam a região que une os bastões dos
cromossomos, quando as células estão em divisão - essa divisão
cromossômica gera duas regiões denominadas cromátides-irmãs,
idênticas; é a região mais condensada do cromossomo e
corresponde a uma região de DNA inativa , ou seja, os genes não
têm atividade e não se expressam (não são replicados,
traduzidos, etc.). Está envolvido na divisão celular mediante o
fuso mitótico (orienta os cromossomos para que fiquem
centralizados no equador da célula durante
a metafase da mitose) e determina o tamanho entre os braços
cromossômicos e permite classificar os cromossomos em quatro
tipos

Diferentes níveis de condensação do DNA:

 (1) Cadeia simples de DNA

 (2) Filamento de cromatina (DNA com histonas)

 (3) Cromatina condensada em interfase com centrómeros

 (4) Cromatina condensada em profase (existem agora duas cópias da molécula de DNA)

 (5) Cromossoma em metáfase

7
Características e propriedades
Com exceção de gêmeos univitelinos, o DNA de cada indivíduo é
exclusivo, cada ser humano possui duas formas de cada gene,
uma que recebe da mãe outra que recebe do pai. Mesmo sendo
a maioria dos genes iguais entre as pessoas, algumas sequências
do DNA variam de pessoa para pessoa. Existe também o DNA
mitocondrial, que não se encontra no núcleo das células, e sim
na mitocôndria. O material genético mitocondrial é herdado
exclusivamente da parte materna.

O maior cromossomo humano (cromossomo 1), possui 220


milhões de pares de bases de comprimento. Uma molécula de
DNA humano possui aproximadamente dois metros de
comprimento encapsulada em um núcleo celular de 6 µm, o
equivalente a acomodar uma linha de 40 km de comprimento
em uma bola de tênis. O genoma humano tem
aproximadamente 3 mil milhões de pares de base dispostos em
46 cromossomos

Além dos genes, outros segmentos têm propósitos estruturais do


DNA ou estão envolvidos na regulamentação do uso da
informação genética.

8
A dupla hélice é estabilizada por pontes de hidrogênio e
interações hidrofóbicas entre as bases empilhadas que não é
influenciada pela sequência do DNA. Cada tipo de base numa
cadeia forma uma ligação com apenas um tipo de base na outra
cadeia. As duas fitas da dupla hélice de DNA podem ser
separadas por força mecânica ou altas temperaturas. Toda
informação contida numa cadeia de DNA está também contida
na outra, o que permite sua replicação.

Benzopireno, o maior mutagenico no fumo do tabaco, ligando-se ao DNA

Para que um mutagênico se encaixe entre pares de bases, as


bases têm de se separar, abrindo a cadeia dupla, isto inibe a
transcrição e a replicação do DNA, causando toxicidade e
mutações. Então são muitas vezes carcinogênicos: benzopireno,
acridinas, aflotoxinas, brometo de etídio. Devido à sua
capacidade de inibir a transcrição e replicação, estas toxinas
também são usadas em quimioterapia para inibir o crescimento
rápido de células tumorais.

A informação transportada pelo DNA está contida


nas sequencias de DNA chamadas genes. A transmissão da
informação dos genes é conseguida pela complementaridade do
emparelhamento das bases. O gene é a unidade básica
da hereditariedade e é uma região do DNA que influencia uma

9
característica particular num organismo. Dentro do gene, a
sequência de bases ao longo de uma cadeia de DNA define uma
cadeia de RNA mensageiro, que por sua vez define uma ou mais
sequências proteicas. A relação entre a sequência de
nucleotídeos de um gene e a sequência de aminoácidos de uma
proteína é determinada pelas regras de tradução, conhecidas
coletivamente como código genético, que consiste em uma
sequência de três nucleotídeos. Quando uma célula se divide
tem de replicar seu DNA para que as duas células-filha tenham a
mesma informação genética . A estrutura em dupla-hélice do
DNA fornece um mecanismo simples para a sua replicação: as
duas cadeias são separadas e sequências de DNA
complementares a cada uma das cadeias são recriadas pela
enzima DNA-polimerase. A base presente na cadeia antiga
determina que base vai aparecer na nova cadeia e a célula acaba
com uma cópia perfeita do seu DNA.

10
Aspectos suprafísicos

11
Os 12 filamentos
 2 filamentos físicos ativos de DNA + 10 filamentos
energéticos adormecidos. A principal função do DNA é o
armazenamento de informação em longo prazo, é o nosso
“Projeto Pessoal” – contém toda nossa informação mental,
física, emocional e espiritual. O ser humano original
mantinha a função total como ser espiritual, que se perdeu
com o mergulho na matéria, a supervalorização do
pensamento racional e o fechamento dos centros do
coração.

Recebemos das duas linhagens sanguíneas certas combinações e


pares de genes recessivos, estes contêm os códigos de luz que
nos dão oportunidade de acessar e desenvolver nossas
capacidades espirituais e curar os aspectos danificados e feridos
da nossa Alma. Contêm também registros de lembranças que
criaram bloqueios no nosso caminho para a unidade, gerando
sentimentos arraigados de separação, inclusive de nossa
verdadeira essência e de nosso Criador.

12
Como Almas, escolhemos nossa linhagem, nossa própria
estrutura de DNA e as possíveis oportunidades para nos curar,
ativando e despertando os outros filamentos do DNA. Nesse
momento de Ascensão Planetária, raios codificados com Luz
Cósmica têm chegado à Terra para reorganizar nossa estrutura ,
reformando e reativando novas hélices ou filamentos,
reordenando-os em feixes.

Com isso, criamos um sistema nervoso mais evoluído e apto a


receber novas informações na consciência; nossas memórias
também se abrem, então questões pessoais não resolvidas
emergirão criando caos.

13
Os 12 filamentos se conectam com os 12 chakras, permitindo-
nos acessar nosso patrimônio espiritual, a rede de energia
externa aos nossos corpos, as forças vitais da existência,
trazendo novos entendimentos aos acontecimentos de nossa
vida e de nosso mundo. É preciso que nos retiremos de nosso
atual sistema de crenças para nos disponibilizarmos ao novo. A
mente não é o nosso senhor, nós somos os senhores de nossas
próprias mentes; a mente é uma ferramenta a ser usada para
criar a realidade.

Nos alinhando com as ondas de luz que penetram em nossa


amada Terra, compreenderemos que a transformação desse
planeta baseia-se na cura e no poder de nossas próprias mentes.

14
Os filamentos ou camadas
Em hebraico, língua sagrada:

 1: Keter Etz Chayim – “A Árvore da Vida”

 2: Torah Eser Sphirot – “Programação da Lei Divina”

 3: Netzach Merkava Eliyahu – “Ascensão e Ativação”

 4: Urim Vê Tumin

 5: Aleph Etz Adonai

As camadas 4 e 5 juntas são a essência da expressão desta


vida específica na Terra e representam o nome no Cristal do
Registro Akáshico. Podem ser compreendidas como “Atributo
primário e mais importante de tudo que é a Árvore da Vida,
que é Família”.

 6: Ehyer Asher Ehyer – “Eu Sou o que Eu Sou”

 7: Kadumah Elohim – “Divindade Revelada”; em


lemuriano “A Linguagem do Lar do DNA”
15
 8: Rochëv Baäravot – “Cavaleiros da Luz”; em lemuriano “O
Registro Professor” ou “dos Professores”

 9: Shechinah Esh – “A Chama da Expansão”. Está associada


com a energia da Chama Violeta de St. Germain.

 10: Vayikra – “O Chamado à Divindade”

As camadas 10, 11 e 12 juntas formam um grupo com


atributos diferentes das anteriores e chamam-se “camadas de
ação” ou “Camadas de Deus”

 11: Chochmah Micha Halelu (jojmá mija) – “Sabedoria do


Divino Feminino”. Essa camada traz a energia da compaixão
pura, que é o que está faltando no equilíbrio da dualidade
na Terra: por toda a Terra vemos a luta entre os que
desejam conquistar (energia fortemente inclinada ao
masculino) e os que desejam equilibrar. É uma das camadas
que mais está mudando no momento e será a mais
perceptível nas personalidades dos novos líderes deste
planeta; é a verdade secreta da paz e os seres humanos
que têm essa camada desperta estão equilibrados com a
energia da dualidade masculina e feminina.

 12: El Shadai – “Deus”. Essa é muito simples, é divina, é “O


Deus Interior”, a que tem a vibração mais elevada.

Os filamentos ou camadas são o nosso Lar, brindam-nos com a


paz e o êxtase da pura alegria, oferecem-nos refúgio, a sensação
de estar em casa. Deixemos que a Camada de Deus seja O Lar
para todos nós.

16
O enigma dos filamentos
São dois filamentos biológicos: os dez que não são mencionados,
não descritos e impossibilitados de ver na 4D estão em camadas
dentro dos dois que são possíveis de ver. Não são filamentos
adicionais, ficam nos filamentos biológicos conectando-se com
eles; assim há realmente dois filamentos com outros dez
aspectos interdimensionais neles – dez não podemos ver e dois
nós podemos.

Registros de memórias
Em uma das camada do DNA interdimensional vem a “lição de
vida”, relacionada aos problemas surgidos a partir dos
acontecimentos nas vidas passadas; em nossa estrutura
atômica/molecular, até o nível celular do DNA/RNA, está tudo
armazenado: padrões, escolhas, traumas, as memórias atuais e
antigas. Muitas nos causam distorções nas replicações e
consequentemente no funcionamento de nossos padrões
mentais e no plasmar de nossa forma física. Mudar a realidade
exige apenas a reivindicação da “intenção”, ela é perfeitamente
mutável, o DNA é uma estrutura de abertura. O “carma” pode

17
acabar a qualquer momento que desejarmos, através de
inúmeros métodos; Reprogramar e limpar essas memórias está
acessível a TODOS, através das revelações e da compreensão.
Devido às necessidades de ajustes na frequência de cada um,
pode requerer um processo complexo e intrincado, exigindo
habilidade prática e codificação específica dos
transmissores/facilitadores.

O DNA é magnético e reage com a grade magnética do planeta. A


grade é um produto da física da Terra, mas tem também o
propósito de ser um mecanismo de comunicação com o DNA
humano e deste com todo o sistema solar. Somos capazes de
mudar as gravações magnéticas de todos aqueles atributos;
mudar ao nível do DNA espiritual, mudar da velha para a nova
energia através da intenção – intenção não é pedir, é reivindicar
a nossa Divindade. É preciso implantar a intenção magnética
para mudar a realidade atual, essa energia tem o poder de
anular o velho carma, eliminar a doença, reverter a idade,
destruir os velhos votos. Recebemos essa promessa há muito
tempo, mas só recentemente começamos a compreendê-la
realmente. Estamos sendo permanentemente assistidos e
ajudados. Temos responsabilidade, maior nesse momento de
transição e transformação. Somos fragmentos de Deus. Somos
todos UM, inclusive ligados pelo DNA. O retorno final de toda
essa energia é sempre para o Universo Eterno.

18
Sinais do despertar
 Dores no corpo e sofrimento, principalmente no pescoço,
ombros e costas

 Sentimento de profunda tristeza interna sem aparente


razão

 Choro sem motivo aparente

 Repentina mudança no trabalho ou profissão

 Afastar-se das conexões familiares

 Padrões de sono pouco comuns

 Sonhos intensos

 Desorientação física

 Aumento da conversa consigo mesmo

 Sentimento de solidão, mesmo em companhia de outros

 Perda de paixões

 Profundo desejo de ir pra casa

19
“Se queres acordar toda humanidade,
então acorda a ti mesmo; se queres
eliminar o sofrimento do mundo, então
elimina a escuridão e o negativismo em ti
próprio. Na verdade, a maior dádiva que
podes dar ao mundo é a tua própria auto-
transformação.”
- LAO TSÉ –

20