Anda di halaman 1dari 2

A MAÇONARIA E A INCONFIDÊNCIA MINEIRA

Acadêmico José Alberto Pinto de Sá


Cadeira nº 36
Patrono: Antônio Ribeiro de Avelar

Não houvesse uma torpe traição, que fez desvanecer o


sonho de liberdade do Alferes Joaquim José da Silva Xavier, um misto de
tropeiro, minerador, protético e soldado, mas, principalmente, patriota, estaria
instituída no Brasil a primeira República, independente do Reino de Portugal.

Tiradentes, o herói sem medo, que o ideal de liberdade fez


nascer por entre as montanhas das Minas Gerais o sentimento inquebrantável
de brasilidade e de cidadania, foi o precursor da independência e,
inegavelmente, representa a maior expressão do patriotismo e da vontade
libertaria do povo brasileiro.

Eram 11 horas e 20 minutos do dia 21 de Abril de 1792 e


se cumpria a sentença da Rainha de Portugal – Tiradentes está morto – mas
deixou plantada a semente que anos mais tarde daria o fruto da independência
do Brasil.

A Maçonaria sempre cultuou a liberdade, sempre respeitou


os direitos do homem, sempre se fez presente em defesa da Pátria, jamais se
mostrou omissa e, pela prudência e discrição de suas ações, fez por merecer o
respeito da sociedade brasileira e de todas as nações livre e soberanas do
mundo, sendo notória a presença da Instituição Maçônica na chamada
“Inconfidência Mineira”, inspirada, certamente, pelos maçons que lideraram e
participaram desse movimento.

. Um dos exemplos marcantes dessa participação está no


símbolo escolhido pelos inconfidentes para representar a bandeira da nova
repúglica e que hoje vemos estampado na bandeira do Estado de Minas
Gerais, o triângulo riscado em vermelho, em fundo branco, com a inscrição
latina “Libertas Quae Sera tamen”, ou ‘Liberdade Ainda Que Tardia”.

Todos sabem que o triângulo é um dos símbolos da Ordem


Maçônica, mas, poucos tem conhecimento de que o triângulo de lados iguais
representa a forma perfeita de instruir o maçom e de incentivá-lo a desenvolver
o seu trabalho voltado para o bem comum, a verdade e o ponto de perfeição
que possa tonar feliz a a humanidade.

Hoje, o tríplice triângulo da bandeira do nosso Estado não


deixa esquecer o sonho de liberdade plantado nos quintais dessas Minas
Gerais e florido no coração de todos os mineiros.
Tiradentes, o jardineiro dessa esperança, o precursor
dessa tão sonhada liberdade, que idealizou com os seus companheiros
conjurados o emblema da nossa bandeira, o triângulo da santíssima trindade,
por um desígnio do destino e da vontade do Grande Arquiteto do Universo,
ironicamente foi enforcado ao centro de uma praça guarnecida por três
regimentos militares, formando, também, um triângulo equilátero, há de
merecer, sempre, todo o respeito e admiração do provo brasileiro.

Peça de arquitetura apresentada na


Loja Maçônica ‘Inconfidência e Liberdade I # 106
Oriente de Ouro Branco, Abril de 1983.

Minat Terkait