Anda di halaman 1dari 3

SERVIÇOS PÚBLICOS – CONCESSÃO x PERMISSÃO de serviço público: art.175, CF. PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA – lei 11.

CF. PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA – lei 11.079/04 – ler PERSONALIDADE JURÍDICA ATO ADMINISTRATIVO
Ler: art.175, CF e a lei 8.987/95. -As duas são formas de delegação de competência pública. pelo menos o artigo 2º dessa lei. É espécie de - As pessoas jurídicas são abstrações, assim, não existe a possibilidade de *conceito – é um ato jurídico que decorre do exercício da
ELEMENTOS: material e formal. -A titularidade é sempre do Estado apenas a execução é que ele vai concessão de serviço público. Quando nós você conversar com ela, tomar um cafezinho com ela. Mas assim como nós função administrativa, sob um regime jurídico de direito
(I) Material – serviço público é uma atividade transferir. falamos da lei 8.987/95 nós estamos falando de seres humanos, as pessoas jurídicas também são compostas por público. Ele existe para realizar a função administrativa, seja
positiva. -Para escolher quem será o concessionário ou o permissionário concessões comuns, aquelas normalmente órgãos/repartição interna. Portanto, só as pessoas física/jurídicas tem de poder de polícia, de prestação de serviço público, entre
-O Estado ou quem faz o papel do Estado oferece um sempre tem que ser por MEIO DE LICITAÇÃO - lei 8.987/95 cobram uma tarifa do usuário. As PPP são para as personalidade jurídica (capacidade de exercer direitos, contrair obrigações e outros.
serviço para a população, para garantir a dignidade CONCESSÃO: concessões não comuns, existe dois tipos dela: a assumir responsabilidades), JÁ O ÓRGÃO NÃO TEM PERSONALIDADE * Lei 9784/99 – trata sobre o processo administrativo no
da pessoa humana. Tem que agregar valor à vida do -- modalidade para a concessão é a concorrência, concessão patrocinada e a concessão JURÍDICA. Assim, por exemplo, se a pessoa tiver seu sigilo fiscal quebrado âmbito federal. O art.2º fala dos princípios do processo
cidadão. Ex: art.21, CF – trata de uma competência - Essa lei ainda estabelece que a concorrência para a concessão administrativa. Neste dois casos, o parceiro indevidamente pela receita federal quando ela for propor uma ação de administrativo, fala sobre princípio da segurança – é proibida
material exclusiva da União: serviço postal, serviço pode ter inversão de fases, ou seja, é possível que a fase de privado tem que fazer um investimento mínimo indenização ela não deverá propor contra a secretaria da receita federal mas a aplicação retroativa de nova interpretação da lei.
de telecomunicação, serviço público de transmissão julgamento venha antes da fase da habilitação. Assim, primeiro o de 10 milhões de reais e depois o parceiro pode sim contra a União, porque a secretaria é um órgão da União e, portanto, * Elementos do ato administrativo/Pressupostos de validade
de energia elétrica. Estado vai escolher a proposta mais vantajosa para depois passar explorar a atividade durante um período de 5 até não possui personalidade jurídica. – segundo a doutrina tradicional, são cinco os elementos do
(II)Formal – princípios do serviço público. para a fase de documentação 35 anos. PESSOA JURÍDICA – União, Estados, Municípios, Distrito Federal, ato administrativo:
Segundo o §1º do artigo 6º da Lei 8.987/95 SERVIÇO - o Estado tem que prestar um serviço público para a população só Concessão Patrocinada – geralmente serve para Autarquias, Fundação Pública, Empresa Pública, Sociedade de economia CO(competência)FI(finalidade)FO(forma)M(motivo)O(objeto)
ADEQUADO é aquele que satisfaz oito princípios: que no caso esse serviço EXIGE UM CUSTO MUITO ALTO, o Estado rodovias em que passam poucos veículos, os mista. .
MACETE: CESAR MOTA anda de CG C de não tem dinheiro para tanto e aí ele faz concessão. Na concessão de parceiros vão poder cobrar uma tarifa razoável PESSOA JURÍDICA DA ADMINISTRAÇÃO INDIRETA COFIFOMO
continuidade; E de eficiência; S de segurança; A de serviço público é um contrato administrativo por prazo determinado, desses poucos veículos que passam por ali, só que AUTARQUIAS – pessoa jurídica de direito público.
atualidade; R de regularidade; MOTA de modicidade normalmente por longo prazo para que a tarifa seja pequena . O o estado de tempos e tempos vai poder dar uma - Ela desempenha uma atividade típica, uma atividade exclusiva do estado VV V DD
das tarifas; C de cortesia na sua prestação e G de Estado pode antes do final do prazo acertado romper esse contrato? olhada para saber se o parceiro está lucrando e que não pode ser delegada aos particulares. PODER EXTROVERSO = ideia de 1) Sujeito competente –
generalidade. R: pode, mas se não teve culpa do concessionário, ele terá direito a quanto ele está lucrando, porque o Estado pode imperatividade (atributo do estado, o estado pode impor obrigações sem -> A competência é um conjunto de atribuições que a lei
i. CONTINUIDADE: o serviço público não pode ser uma indenização. nesses casos garantir uma contraprestação. precisar da concordância da outra parte). Autarquia pode exercer poder de deferi a um cargo ou a um emprego público..
interrompido. §3º do artigo 6º da lei 8.987/95 EXTINÇÃO DA CONCESSÃO DO SERVIÇO PÚBLICO: art.35 da lei Concessão Administrativa – NÃO TEM COBRANÇA polícia porque ela é pessoa jurídica de direito público, somente pessoa - Competência SEMPRE decorre de lei, por isso, a competência
estabelece três hipóteses em que o serviço público 8.987/95 – formas de extinção da concessão de serviço público. DE TARIFA, isso porque o usuário direito e jurídica de direito público pode exercer poder de polícia. Assim, empresa é sempre um elemento vinculado (a lei não dá opção para o
pode ser interrompido sem afetar/violar Analisando o artigo nós temos basicamente seis hipóteses de indireto é o próprio estado. Ex: para construção pública e sociedade de economia mista não podem exercer tal poder. Ex: servidor público) o ao ato administrativo.
necessariamente este princípio. 1º) Numa situação extinção: de presídios. IMPORTANTE: dentro do presídio os DNIT, INSS, BACEN, INCRA. Art.37, XIX, CF – somente por LEI ESPECIFICA (lei -A competência é irrenunciável ou inderrogável.
de emergência, o serviço público pode ou até MACETE: ARFACE servidores e os agentes que trabalharão lá dentro ordinária que trata de um único assunto) poderá ser criada uma autarquia - Todavia, a competência pode ser delegada ou avocada
mesmo deve ser interrompido para não criar um mal i.- A de ADVENTO DO TERMO CONTRATUAL/chegada do termo final serão servidores do Estado, porque o poder de ou extinta. Servidores estatutários, bens públicos, prazo dilatados contra a (chamar a competência do subordinado para si), esse fato
maior a coletividade, mas não depende de aviso do contrato; polícia e o poder disciplinar são indelegáveis a Fazenda Pública. decorre da hierarquia. Porém, existe exceções, que constam
prévio. Ex: fios arrebentados de energia elétrica. 2º) ii.R de RESCISÃO JUDICIAL – o Estado não está cumprindo com particulares. Todavia, quem vai fornecer, por **As empresas públicas e as sociedades de economia mista são autorizadas no art.13 da lei 9784/99, são três as hipóteses que não se
Ser interrompido por questões de ordem técnica. 3º) aquilo que prometeu no contrato de concessão, o concessionário só exemplo, a lavagem das roupas, as marmitas, por lei, vão nascer depois e seus estatutos deverão ser registrado no registro podem delegar competência aos subordinados: i) não pode
Por inadimplemento do usuário, só que neste caso está tendo prejuízo como ele não pode parar de fornecer o serviço serviços médicos será o próprio parceiro privado, de pessoa jurídicas. delegar a decisão de recursos administrativos; ii) atos de
deve ser previamente avisado o usuário. ele vai até o juiz e pede a rescisão (rescisão judicial), nesta situação o só que o valor disso tudo será mais caro porque FUNDAÇÕES PÚBLICAS – pessoa jurídica que pode ser de DIREITO PÚBLICO caráter normativo; e iii) atos da competência exclusiva de um
ii. EFICIÊNCIA: ideia de melhor resultado que o concessionário tem direito a uma indenização, só que como essa está embutido o preço do presídio + o preço do OU DE DIREITO PRIVADO. Se for de direito público ela é uma espécie de determinado agente. Para gravar DENOREX.
cidadão pode usufruir, não é de lucro para quem rescisão ocorre por processo judicial essa indenização será por serviço e quem paga é o estado. autarquia e, portanto, deve ser criada por lei especifica e se for de direito - O vício mais comum que atingi o elemento competência é o
presta o serviço. Sempre que possível o serviço precatório. Nem todos os problemas entre poder público e privado privado ela será autorizada por lei especifica. A fundação pública excesso de poder (espécie do gênero abuso de poder), que é
público deve ser prestada num regime de vão se resolver no judiciário. **PQ A LEI 8.987/95 EM SEU ART.23-A ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA – órgãos desempenha uma ATIVIDADE SOCIAL, uma atividade não exclusiva do quando um agente pratica um ato sendo que ele não detêm
competição. A regra é ter competição, as vezes não PREVE A POSSIBILIDADE DE MECANISMOS PRIVADOS DE SOLUÇÃO públicos, estrutura do Estado. Administração estado, que pode ser exercida por particulares. Ex: as universidades públicas competência para tanto. Desvio de finalidade/desvio de poder
dá aí tem que ser monopólio. DE LITIGIOS, INCLUSIVE A ARBITRAGEM. Isso para que a empresa não direta e administração indireta. são fundações públicas porque exercem atividade de ensino que não é que quando o agente busca interesses privados ao invés de
iii. SEGURANÇA: não pode ter a minha vida colocada tenha que se sujeitar a receber por precatório; ADMINISTRAÇÃO DIRETA - decreto lei 200 - exclusiva do estado. buscar interesses públicos no desempenho das funções
em risco em razão de uma prestação de serviço iii.F DE FALÊNCIA OU DE FALECIMENTO DO EMPRESÁRIO EM FIRMA Dentro da União, por exemplo, nós temos os EMPRESAS PÚBLICAS E SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA – pessoas públicas. Cada ato administrativo tem uma finalidade
público.. INDIVIDUAL; poderes judiciário, legislativo e executivo, jurídicas de direito privado. Os seus bens, em primeiro momento, são bens especifica prevista em lei, sendo assim a finalidade
iv. ATUALIDADE: é a mesma coisa que princípio da iv. A DE ANULAÇÃO – extinção por ilegalidade/vício insanável; - dentro do poder executivo o chefe é o privados. Apesar de serem privados, se determinado bem dessas empresas administrativa também é sempre um elemento vinculado.
atualização do sistema, da atualidade. Em virtude do v.C de CADUCIDADE – também é extinção antecipada realizada pelo Presidente da República, que juntamente do estiverem sendo usados para prestar um serviço público, esse bem se torna 2) Finalidade
avanço social/avanço tecnológico temos que buscar Poder Público do contrato de concessão, mas pelo motivo de falta Ministério da Fazenda, do Ministério da Saúde e o impenhorável. Mas as regras gerais de licitação devem ser respeitadas. -> é o resultado que se espera alcançar com a prática de um
a modernização do serviço. grave do concessionário. Neste caso, o concessionário por ter dado Ministério do Trabalho. No âmbito federal a Dentro de uma empresa pública e de sociedade de economia mista ato. Assim, ela surge depois que o ato é praticado.
v. REGULARIDADE: além do princípio da continuidade causa a extinção não precisa ser indenizado, todavia pelo administração pública direta ou centralizada é a empregados público celetista, regidos pelo direito do trabalho, entretanto, ->O entendimento que predomina é que o princípio da
tem que existir a regularidade na prestação do investimento que ele teve ele deverá ser indenizado, para declarar a Presidência da República e os ministérios. dependem de concurso público. Inicialmente elas foram criadas para finalidade pública é a mesma coisa que o princípio da
serviço para que eu, cidadão, possa organizar a caducidade não precisa de lei autorizando, mas o concessionário terá **ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA INDIRETA – art.37, explorar atividade econômica, hoje em dia elas ou prestam serviço público impessoalidade.
minha vida. Ex: ônibus que cada dia passa num direito a um processo administrativo que tem que assegurar ampla XIX, CF. Esse artigo diz que somente por ou exploram atividade econômica. -> Desvio de finalidade/desvio de poder que quando o agente
horário, ele não está me ajudando a organizar a defesa e contraditório; - LEI ESPECIFICA poderá ser criada AUTARQUIA Ex: Empresa pública que presta serviço público – correios; empresa pública busca interesses privados ao invés de buscar interesses
minha vida vi. E de ENCAMPAÇÃO também chamada de resgate, é a extinção [Agências reguladoras são autarquias especiais.] que explora atividade econômica – caixa econômica federal. públicos no desempenho das funções públicas. Cada ato
vi. MODICIDADE DAS TARIFAS: preços razoáveis de antecipada pelo poder público (cláusula exorbitante), antes do prazo -AUTORIZADA a criação de FUNDAÇÃO PÚBLICA, Ex: sociedade de economia mista que presta serviço público – sanepar, administrativo tem uma finalidade especifica prevista em lei,
acordo com a prestação do serviço pelo estado. É final de concessão, motivo disso é o interesse público. Nesse caso, o EMPRESA PÚBLICA e SOCIEDADE DE ECONOMIA copel; sociedade de economia mista que explora atividade econômica – sendo assim a finalidade administrativa também é sempre um
admitida receitas alternativas em termos de política concessionário tem direito a uma indenização prévia, porque ele não MISTA. banco do brasil, Petrobrás. elemento vinculado.
tarifária. Ex: publicidade no ônibus para baixar a teve culpa pela extinção. O art. 37 diz que neste caso tem que ter - as agencias executivas são como um “prêmio” Art.173, CF – exploração direta de atividade econômica pelo estado somente ->Não pode ser usada como forma de punição do servidor a
tarifa. uma lei autorizando a encampação e isso porque o dinheiro da que se dá as autarquias e as fundações públicas em casos de imperativos de segurança nacional ou relevante interesse mudança de localidade, isso é desvio de poder/desvio de
vii. CORTESIA: a figura principal aqui é o cidadão, o indenização, que será de milhões, sairá do bolso do povo e portanto CONSÓRCIOS PÚBLICO –LEI 1107/05 (ler coletivo. finalidade.(remoção – deslocamento do servidor, com a
serviço é público porque é prestado ao cidadão. a decisão não pode ficar nas mãos de apenas uma pessoa. primeiros 5 artigos) – acordo entre entidades EMPRESA PÚBLICA  qualquer forma jurídica (sociedade civil, empresarial, finalidade de organização)
Então, quem tem que ser bem tratado é o cidadão. PERMISSÃO: federativas distintas para alcançar interesses limitada, S/A, unipessoal) CAPITAL SEMPRE PÚBLICO, se for federal será 3) Forma –
É desse princípio que advêm a importância das - já quanto a permissão a lei não estabelece a modalidade de comuns. União e estados, estados e municípios, julgada no juízo deferal. -> é a exteriorização do ato administrativo. Todo ato
agências reguladoras, para ajudar que o serviço licitação. municípios entre si. SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA  tem que ser SOCIEDADE ANONIMA, administrativo tem forma, mas no direito brasileiro o silêncio
público seja prestado de forma satisfativa ao - também se trata de delegação a uma empresa privada, mas aqui a - desse consórcio público vai nascer uma PJ de  CAPITAL MISTO (público deve prevalecer) (Causa sempre julgada no não é considerado um ato. Forma é sempre um elemento
cidadão. empresa não tem que fazer um grande investimento e ainda que direito público chamada associação pública ou juízo estadual) vinculado, se a lei diz que tem que ser utilizada essa forma é
vi. GENERALIDADE: mesma ideia de igualdade. tenha que injetar uma certa quantia de dinheiro o lucro aqui é alto. A um PJ de direito privado que não tem nome. CAUSA QUE FOR PARTE UNIAO FEDERAL, ENTIDADES AUTARQUICAS essa forma que tem que ser utilizada.
Jamais pode admitir na prestação de serviço público permissão também é formalizada por contrato (art.40 da lei - cuida dos interesses comuns dos envolvidos. FEDERAIS, E EMPRESAS PUBLICAS FEDERAIS -> CAUSAS SERAO JULGADAS -> Forma em sentido amplo - é o procedimento. Forma
qualquer tipo de discriminação, valorização da ideia 8.987/95). Ex: Serviço de limpeza de pública, POR JUIZES FEDERAIS especifica do ato pode ser uma portaria, um decreto.
de impessoalidade. Qual é a grande diferença entre a permissão e a concessão? R: a JURISPRUDENCIA STF -> uma sociedade de economia mista poderia ter
permissão é um contrato, mas é um CONTRATO PRECÁRIO, o que participação no capital social de empresa pública.
significa dizer que o Estado pode a qualquer momento acabar com OSCIP, OS -> não fazem parte da administração pública
esse contrato e não tem que pagar indenização ao permissionário .
Exemplo clássico de permissão são os de transportes coletivos.

:
4) Motivos – LEGALIDADE– ato válido é a mesma coisa que RESPONSABILIDADE EXTRACONTRATUAL D E LICITAÇÃO – LEI 8666/93. MODALIDADES DE LICITAÇÃO – BENS PÚBLICOS
-> são as razões de fato e de direito que norma legal. É possível analisar a legalidade de - Estado é um sujeito de direito, então se ele causa Lei 8429/92 (ler) lei de improbidade num primeiro momento as CONCEITO BEM PÚBLICO -> não DESAPROPRIAÇÃO
levaram a prática do ato. O motivo do ato cada elemento do ato vinculado, bem como do um dano a alguém tem o dever de reparar esse administrativa. modalidades de licitação estão são apenas os bens que se - CF Art. 22.,inciso II; art.5, XXIV
vem antes, porque se ele não tiver um ato discricionário, com relação ao motivo e ao prejuízo Artigo 3º -. Três OBJETIVOS: previstas no art.22 da lei 8666/93, encontram vinculados a admiração - art., 5 -> desapropriação precisa ser
motivo ele nem será praticado. TODO ATO objeto do ato discricionário por ser discricionários - Pode se responsabilizar por atos executivos, i) para escolha da proposta mais que são: pública, o bem pode estar JUSTA(o valor costuma ser super
TEM MOTIVO, mas NEM TODO ATO TEM a análise tem que se dar para saber se a legislativos e judiciários. vantajosa; a) concorrência; - alto valor -> vinculado a pessoa jurídica de discrepante em relação ao valor real) ,
MOTIVAÇÃO. MOTIVAÇÃO É A EXPOSIÇÃO discricionariedade se deu dentro dos limites da lei. -. É o dever do poder público ou de quem faz o ii) garantir o mesmo tratamento aos serviços e obra de engenharia direito privado e pode estar PREVIA (tem que indenizar antes de
DOS MOTIVOS, é você contar para todo - O controle da legalidade é realizado em primeiro papel do poder público de indenizar prejuízos licitantes (ideia de igualdade, isonomia e acime de 1.000.000 + venda de bem desempenhando atividade de ser desapropriado – 24/48 horas de
mundo os motivos que levaram a prática do lugar pela própria administração pública, pelo seu causados a terceiros em virtude de impessoalidade); imóvel, por maior lance ou oferta. direito privado. antecedência) E EM DINHEIRO
ato. Assim, nem sempre a autoridade é poder de autotutela. Em segundo lugar, o poder comportamentos de seus agentes. iii) promover o desenvolvimento b) tomada de preços; - médio valor -> A partir do CC art.98. (moeda corrente- pode ser conta B.B.
obrigada a contar qual a motivação de seu judiciário que age somente quando provocado. - O comportamento do agente público que pode nacional sustentável (direito -> serviços e obra de engenharia até -> Aqueles que pertencem as PJ de Ou caixa- – n cabe permuta)
ato. Ex: o ato de exoneração de um MÉRITO DO ATO ADMINISTRATIVO O mérito do gerar uma indenização por parte do estado pode fundamental ao futuro). 1.000.000 direito público + bens de - se considera a desapropriação injusta
ocupante de cargo em comissão. Todavia, a ato administrativo é o juízo de conveniência e ser tanto uma AÇÃO COMO UMA OMISSÃO. PRINCÍPIOS c) convite; - pequeno valor -> particulares envolvidos em serviços vai ao judiciário
partir do momento que a autoridade coloca oportunidade – DECISÃO - que o administrador - O dever poder surgir tanto de um ATO JURÍDICO - legalidade, da moralidade, da probidade serviços de obra de engenharia até públicos - se não for feita a ou uma finalidade
um motivo e expõe esse motivo para aquele público faz quando tem discricionariedade em (produz efeitos jurídicos) como de um ATO administrativa, da publicidade. 150 mil reais CLASSIFICAÇÃO pública  pode fazer a tredestinação
ato, esse motivo fica preso, ainda que para suas mãos. Só existe mérito onde existe MATERIAL (não produz efeitos jurídicos, mas pode -> Importantes: Principio da vinculação ao d) concurso – escolha de trabalho A.USO DE BEM COMUM DO POVO – – tem direito de retrocessão (pessoa
esse ato ele não precisasse dar motivação. discricionariedade, ou seja, só existe mérito provocar reflexos econômicos). instrumento convocatório - é o edital, técnico, artístico ou cientifico bens que não precisa pagar, pede a propriedade de volta ou
- Os motivos podem ser discricionários ou dentro da discricionariedade. -O dever de indenizar pode surgir tanto de um ato todos os agentes tem que se ater ao (“show de novos talentos) simplesmente utiliza. Ex: sentar no indenização)
vinculados. Quando a lei diz os motivos A diferença entre discricionariedade e mérito – LÍCITO quanto de um ATO ILÍCITO. instrumento convocatório, não podem e) leilão – administração vende banco da praça – bem de uso DESAPROPRIAÇÃO ORDINÁRIA:
para que o ato seja praticado ele é discricionariedade é a liberdade para Art.37, §6º, CF - As pessoas jurídicas de direito mudar a regra da brincadeira no meio do bens móvel que para ela não tem comum do povo. CATEGORIAS
vinculado, agora quando a lei não decidir/escolher, mérito é a decisão, é a escolha. público e as de direito privado prestadoras de jogo (não pode mudar o edital no meio mais utilidade maior lance ou (Praia – estresse – dependendo da A.INTERESSE PÚBLICO
estabelece os motivos é porque o ato é Quem faz o controle de mérito do ato serviços públicos responderão pelos danos que do concurso, da concorrência). oferta. Excepcionalmente pode ser Praia é fácil chegar, locais onde B.NECESSIDADE PÚBLICA – é aquela
discricionário. administrativo? R: somente a administração seus agentes, nessa qualidade, causarem a ->Princípio do julgamento objetivo – vendido bem imóvel conseguido construiu empreendimento que acontece para o Estado atender às
-Teoria dos motivos determinantes – que pública, por meio de seu poder de autotutela, terceiros, assegurado o direito de regresso contra devem ser levados em, consideração por dação em pagamento ou ação imobiliário onde tem acesso a Praia situações de anormalidade ou
diz que os motivos são elementos muito nem mesmo o juiz no exercício da função judicial o responsável nos casos de dolo ou culpa. critérios técnicos, impessoais. judicial. – caso do costão do santinho.) emergência. Ex: guerra. Estado não
importantes para a prática do ato e uma vez pode fazer o controle do mérito do ato - Responsabilidade objetiva do Estado (independe TIPOS DE LICITAÇÃO: art.45 §1º da lei . Os cinco primeiros parágrafos - ruas, praças, água do mar, tem opção. Ele tem que desapropriar.
apresentados esses motivos eles ficam administrativo. da demonstração de dolo ou culpa para restar 8666/93 - são quatro tipos – do art.22, de maneira sucinta, B. BENS DE USO ESPECIAL – bens C.UTILIDADE PÚBLICA – ex: aeroporto,
presos a este ato. Mas se o cidadão EXTINÇÃO DOS ATOS ADMINISTRATIVOS – o ato caracterizada o dever de indenizar do Estado). i) menor preço; trazem o conteúdo de cada uma que tem uma destinação específica. precisa construir empreendimento
conseguir provar que o motivo é falso, que administrativo pode ser extinto de diversas -A regra no Brasil é a teoria do risco administrativo ii) menor técnica; dessas modalidades. A administração na posse daquele para gerar energia
o motivo não ocorreu ou que ele é maneiras. – o cidadão precisa apenas demonstrar que a ação iii) técnica/preço e bem dá um destino específico para DESAPROPRIAÇÃO EXTRAORDINÁRIA
juridicamente inadequado para a prática do 1) Cassação do ato administrativo – é uma por parte do Estado foi determinante para causar iv) maior lance ou oferta. + PREGÃO (serve para bens e aquele bem e veículos especiais. INTERESSE SOCIAL -é a desapropriação
ato é possível anular todo o ato punição; um prejuízo em seu patrimônio, precisa - Esses tipos se referem as formas de serviços comuns – n importa Ex: carro da presidência da do estado para impor maior
administrativo. 2) Caducidade do ato administrativo – é a extinção demonstrar o nexo de causalidade. A teoria do julgamento objetivo que podem ser valor), que não está previsto na lei república, repartições públicas, aproveitamento da propriedade em
5) Objeto do ato em virtude de uma lei superveniente, essa risco administrativo diz que o Estado tomou para utilizadas, a mais comum é o preço. 8666/93 e sim na lei 10.520/02 museus (até quando você abre sua virtude do interesse da sociedade, ele
- é o efeito jurídico imediato. Objeto é a lei modificou as condições para o exercício do ato, si a incumbência de tomar conta da população. REGRA -A regra é que a administração (ler). casa – bem tombado - para mesmo adquire a propriedade é o
ordem, é o comando, é a determinação e o ato caducou/morreu. Ex: o sujeito que tinha -Quem responsabilidade objetivamente pelos pública sempre tem que fazer - São aqueles bens ou serviços que visitação pública) repassa para um terceiro. Trata-se de
assim como o motivo o objeto pode ser um uma autorização para portar arma e depois em danos? R: pessoas jurídicas de direito pública que licitação/está obrigada para contratar tem padronização no mercado ex: C. BENS DO DOMINICAIS OU BENS um fundamento para as
elemento vinculado ou discricionário. O virtude de uma lei que, por exemplo, proíbe o são: União, Estados, Municípios, DF, autarquias, obras, compras, serviços e alienações. gasolina, material de escritório, DOMINIAIS – bens que são desapropriações extraordinárias.
objeto e o verbo, é o demitir, o alterar. cidadão comum de portar arma o ato de fundação pública. As pessoas jurídicas de direito Agora, existem hipóteses que a fotocopia, uniforme,... considerados desafetados, que não (Estatuto da cidade, reforma agrária, e
Pode delegar a competência para expedir o autorização de porte caduca. privado desde que sejam prestadoras de serviços administração não está obrigada a fazer 1. EDITAL tem destino específica, que não confiscos)
ato de demissão? Pode, art.13 da lei 3) Art.53 da lei 9784/99 – anulação e revogação públicos, que são as empresa públicas e as licitação, são as hipóteses de dispensa e 2. JULGAMENTO estão sendo utilizados. Ex: terras, Na desapropriação extraordinária não
9784/99. do ato administrativo. sociedades de economia mista (não podem ser as de exigibilidade. a) Apresentam proposta por escrito matas, matas, -terras que faz sentido ter indenização.
EXEMPLO – Demissão auditor receita - Anulação do ato administrativo – é a extinção, a exploradas de atividade economia como a Caixa), DISPENSA E INEXIGIBILIDADE DE b) Fazem os lances pertencem ao estado, mas sem uso. É uma oportunidade de arrecadar
federal -> órgão executivo da união  morte do ato administrativo tendo como motivo concessionária ou permissionária de serviço LICITAÇÃO -. 3. HABILITACAO (MAIS RAPIDO - -- detalhe A e B – AS bens afetados- dinheiro para a administração pública.
autoridade mais elevada? COMPETENCIA: ilegalidade, um vício insanável, uma nulidade público (por exemplo, a rede globo que é -DISPENSAS- só do primeiro colocado avalia a que tem determinado uso! Confisco -> possibilidade de perder
Presidente da República – pode delegar. absoluta, que pode ser realizada pela concessionária de rádio e tv). - rol taxativo ->o administrador público habilitação AFETACÃO -> dar um destinação propriedade pela propriedade
FINALIDADE: punição. FORMA: processo administração pública ou pelo poder judiciário, -O agente público para provocar uma tem discricionariedade para decidir no 4. HOMOLOGACAO pública a um determinado bem extraordinária  Ex: pessoa que tem
administrativo disciplinar – decreto de este quando provocado. Normalmente, se diz que responsabilidade da pessoa jurídica tem que estar caso concreto se realiza ou não licitação. 5. ADJUDICACAO DESAFETACÃO maconha na propriedade. Estado
demissão. MOTIVO: aquilo que aconteceu + a anulação tem uma eficácia retroativa (ex tunc), a nessa qualidade, ou seja, no desempenho da O administrador até pode fazer licitação CONCORRENCIA Desapegar um bem  tira a confisca sua propriedade e depois
previsão legal. OBJETO: demitir partir do momento que é declarado ilegal todos os função pública. ele só não faz porque não é do interesse 1.EDITAL] destinação do uso! Pode tirar um revende em leilão. Uma das formas
VINCULAÇÃO– quando o legislador elabora efeitos produzidos no passado devem - A responsabilidade do estado é objetiva, todavia público 2.HABILITACAO – Vai olhar bem especial para bem dominiacal, que o estado tem para fazer caixa pela
a lei ele já diz em quais situações o agente desaparecer. Cuidado com o art.54, que diz que a a do agente público é subjetiva, ou seja, ele só Ex: - calamidade público, valor muito regularidade fiscal e trabalhista, (...) ex: sai de um prédio e vai para propriedade extraordinária.
tem liberdade de escolha ou não. Assim, na administração pública tem o direito de anular os será responsabilizado se ficar caracterizado dolo baixo, 3.HOMOLOGAÇÃO = APROVAÇÃO outro e deixa o outro desocupado. Reforma agrária ->
vinculação o agente não tem liberdade de seus atos administrativos num período de 5 anos, ou culpa. Quem terá que provar que - art.17, I e II (parte final) e art.24 da lei fase de controle. Se chegar aqui e (MESMA FORMA QUE AFETA DEVE Dívida ativa -> imposto que a pessoa
escolha, ele tem que cumprir exatamente salvo comprovada a má-fé, esse prazo é houve dolo ou culpa do agente é a União. 8666/93 tratam sobre as hipóteses de encontrar vício insanável ANULA a DESAFETAR ex: lei, decreto..) paga -> se a pessoa na paga ela ode ser
aquilo que diz a lei. Normalmente a licença decadencial. -HIPÓTESES QUE EXCLUEM OU ATENUAM A dispensa da licitação licitação. Se não for mais Administrador alienar bem imóvel desapropriedada-> teoricamente sim,
é um ato vinculado. Sempre que for um - Revogação do ato administrativo – também é RESPONSABILIDADE DO ESTADO: i) força maior – INEXIGIBILIDADE conveniente REVOGA.  faz leilão mas na prática ninguém, é
direito do cidadão perante a administração extinção do ato administrativo, só que neste caso forças da natureza ou atos praticados por -> é inviável a competição, impossível 4.ADJUDICAÇÃO – ATRIBUIR O BEM PÚBLICO É ÀS VEZES desapropriado.
pública gera um ato vinculado. na revogação o ato é válido, legal, ele foi praticado terceiros, nos casos da força da natureza tem fazer licitação.. OBJETO LICITADO AO VENCEDOR INALENÁVEL – DEPENDE – são *PODE DESAPROPRIAR BENS DO
DISCRICIONARIEDADE Já discricionariedade de acordo com a lei e só deve desaparecer por ser sempre que analisar o caso concreto porque as Art.25 da lei 8666/93 – rol TOMADA DE PRECOS inalienáveis quando tiverem PRÓPRIO ESTADO  UNIÃO PODE
significa que o legislador sabe que ele não incompatível com o interesse público, é extinto vezes o estado não agiu da forma que deveria agir. exemplificativo. 1.EDITAL destinação pública e são DESAPROPRIAR BENS ESTADOS, E
tem como prever tudo aquilo que vai porque o mérito não é mais conveniente com o Por exemplo, cai uma chuva torrencial e alaga I – bem único ou fornecedor exclusivo. Ex: (OS LICITANTES JÁ ESTÃO inalienáveis pelos procedimentos ESTADOS DOS MUNÍPIOS (o contrário
ocorrer no futuro, então ele deixa certa interesse público. NÃO É POSSÍVEL REVOGAR ATO várias casas, todavia o Estado não cumpriu com o a compra de lotes de tamiflu na época do PREVIAMENTE CADASTRADOS) de direito privado não pode)
liberdade de escolha dentro da lei nas VINCULADO, ISSO PORQUE NO ATO VINCULADO seu dever de manter os bueiros limpos surto da gripe suína. 2.HOMOLOGACAO BEM PÚBLICO É IMPENHORÁVEL -
mãos do agente público. Normalmente NÃO EXISTE MÉRITO. Assim, a revogação é a contribuindo para o alagamento, neste caso ele II – serviços técnicos de notória 3.ADJUDICACAO bem público é impenhorável –(se vc
autorização é exemplo de ato discricionário, extinção do ato discricionário. Somente a será responsabilizado; especialização, não cabe para prestação CONVITE ganha um processo contra
que irá decidir conforme o caso concreto. administração pública pode fazer a revogação de ii) culpa da vítima. de serviços de publicidade. 1.CARTA CONVITE (convida pela prefeitura não pode pegar um bem
No ato vinculado todos os elementos do ato um ato administrativo discricionário. Não existe III – contratação de profissional do setor menos 3 interessados cadastrados Dela)
administrativo estão vinculados. Já no ato eficácia retroativa na revogação (ex nunc), os artístico, desde que seja consagrado pela ou não) BEM PÚBLICO É IMPRESCRITÍVEL –
discricionário, nem todos os elementos são efeitos do ato devem perdurar mesmo que ele opinião pública OU consagrado pela pode passar o tempo que quiser, o
discricionários, porque a competência, a seja revogado. crítica especializada. bem sempre vai ser do estado.
finalidade e a forma são SEMPRE NÃO PODE Usucapião.
VINCULADOS mesmo no ato discricionário.
SERVIDOR PÚBLICO CONCURSO IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA (LEI Nº 8.429/92)
 aquele que tem vínculo profissional com o estado e recebe a sua remuneração diretamente dos cofres -Até 2 anos + prorrogável por igual período - forma mais contundente de atingir a moralidade administrativa
públicos. -aprovado tem prioridade de contratação sibre outros *consequências (- art. 47): a) suspensão dos direitos políticos e proibição de contratar com o poder público b) perda da função pública, c)
Lei 8112/90 – é o estatuto do servidor público em âmbito federal. Tentar ler até o art.33 desta lei. concursador indisponibilidade dos bens, d) ressarcimento ao erário... sem prejuízo da ação penal.
Geralmente cai sobre provimento e vacância. A CF também traz várias informações sobre servidor, do art.37 - n pode mudar de carreira sem carreira  apenas subir - ISOLADAMENTE NÃO É ATO PENAL -> não é crime! É PROCESSO CIVIL.  Pode acontecer de tipificar um ilícito penal.
ao art.41. ESTABLIDADE *sujeito- AGENTE PÚBLICO ->> cargo, emprego ou função pública +++ PESSOAS QUE BENEFICAM, INDUZEM OU CONCORREM
O servidor tem um vínculo com o estado, mas esse vínculo pode advir de um cargo, de um emprego ou de *Atos de improbidade:
- ocupante de cargo efetivo + 3 anos de efetivo exercício
uma função pública. (i) locupletar (enriquecer) indevidamente (art.9)-
(estágio probatório) + aprovação em avaliação de
Em regra, para cargo e emprego público é preciso concurso. Cargo público nós vamos encontrar na pessoa (ii) causa prejuízo ao patrimônio público (art.10) – (doloso ou culposo)
desempenho
jurídica de direito público, emprego público nós vamos encontrar na pessoa jurídica de direito privado que (iii) atenta contra princípios da administração (art.11) -
fazem parte da administração pública (empresa pública e sociedade de economia mista). PERDA DO CARGO IMPROBIDADE ADMINITRATIVA
Função pública em sentido estrito – exemplo: art.37, VIII, CF – fala sobre contratação temporária por (I) Processo administrativo com ampla defesa - amparo na CF + lei improbidade
excepcional interesse público. Ex: pesquisador do IBGE. Pode ser feito um processo seletivo para a (II) Sentença transitada em julgado - preciso analisar elementos que configuram ato de improbidade
contratação, mas não é obrigatório. (III) avaliação periódica – não tem avaliação satisfatória SUJEITO ATIVO
Cargo vitalício nem sempre é por meio de concurso público. Ex: Ministro. (iv) redução de despesas  (detalhe: 1ª medida deve ser - quem prática o ato
redução de 20% em cargo em comissão e função de - agente público ou particular em parceria com agente público (Induz, concorre ou se beneficia)
confiança – 2ª medida quem não tem estabilidade -3ª SUJEITO PASSIVO (contra quem)
AGENTE PÚBLICO = toda e qualquer pessoa que exerce funções em nome do estado manda estável)]] - Administração pública direta e indireta!
(i)agentes políticos -> presidente, deputado, ministro VITALICIEDADE -- Empresa incorporada ao patrimônio do Estado
(ii)particulares com função pública  ex: mesário, cartorários, - Juiz - Empresa privada que tenha dinheiro público – estado concede benefício fiscal, dá dinheiro para a empresa se manter. (se a participação do estado
(iii)servidor público -> vínculo profissional - Membro MP for menos que 50% - na hora de aplicar a penalidade – sansão pecuniária fica limitada a participação do Estado)
ESPECIES DE SERVIDOR PÚBLICO - Membro TCU ATOS DE IMPROBIDADE
ATRIBUIÇÕES VÍNCULO INGRESSO OBS **GARANTIA ++ -> só pode ser demitido com sentença (I)enriquecimento ilícito –
CARGO EFETIVO Administração Permanente Concurso Estatutário com transito em julgado (II) dano ao erário –
direita/autarquias/fundações público *único com - precisa ter 2 anos de efetivo exercício (III) concessão de benefício fiscal – que é indevida
estabilidad REMUNERAÇÃO (IV) ofendem ou violam princípios da administração pública – (ex: administração não púbica certos atos ou divulga um segredo)
CARGO EM Direção/chefia e Transitório Livre Concursado -TETO: limite máximo que um servidor pode ganhar ****CUIDADO: não precisa ter dano ao erário, não precisa enriquecimento ilícito para ter ato de improbidade
COMISSÃO assessoramento nomeação e não. Servidor da União -> Ministro do STF] PENALIDADES – podem ser cumuladas ou não
EMPREGO SEM e EP Permanente concurso veletista Servidor Estadual -> Governador (p.executivo). i. suspenção dos direitos políticos - é temporária – n pode se eleger **
FUNÇÃO DE Direção/chefia e transitproio Livre Somente Desembargador (p.legislativo). Deputado (p.legislativo)
CONFIANÇA assessoramento nomeação efetivo ii.perda da função pública – só se efetivam após o transito em julgado ** (não impede o afastamento cautelar)
Servidor Municipal -> Prefeito iii. indisponibilidade bens – é uma medida cautelar -> liminada pelos valores das sanções pecuniárias (ex: roubou 10.000 só pode bloquear 10.000
TEMPORÁRIA Excepcional interesse público Prazo Seleção Previsão = ***gratificação, adicional e etc  tudo deve respeitar o
determinado pública CF + LEI iv. ressarcimento ao erário
teto v. perda dos valores/bens acrescidos
**NÃO RESPEITA O TETO -> verba indenizatória (ex: vi. condenação ao pagamento de multa civil
**exemplo temporária : professor substituto
despesa moradia) ++ SEM e EP que n receba recursos do v. proibição de contratar com a adm pública
Estado para despesa de pessoa e corrente. . (**Penalidade aplicada após transito em julgado – no geral o sujeito ativo da Ação é o MP)
IRREDUTIBIDADE: desde que respeitado ao teto ++ n tem sanção de caráter penal – porém essas sanções podem ser cumuladas com sanções penais se o ato configurar crime!
- SALÁRIO BASE PODE SER INFERIOR AO MINIMO -> desde
que com as gratificações fique acima do salário mínimo!! ENR. DANO AO BENEFICI OFENSA A
PROIBIÇÃO DE ACUMULAÇÃO -> emprego ou cargo ILICITO ERÁRIO O FISCAL PRINCÍPIOS
remunerado (vale para cargo, emprego, função, SUSPENÇÃO 8-10 5-8 5-8 anos 3-5 anos
administração direta e indireta) DTOS Anos anos
Exceções -> pode acumular desde que: POLITICOS
(I) respeitado o teto MULTA 3x 2x valor 3x valor 100x
(II) haja compatibilidade de horários CIVIL valor do dano do remuneção
Hipóteses: (limite) enr. beneficio do servidor
a) Dois cargos de professor PROIBIÇÃO 10 5 anos N tem 3 anos
b) Um cargo de professor e outro técnico ou científico DO DEVER anos previsão
c) dois cargos de profissional da saúde desde que essas DE
profissões sejam regulamentadas CONTRATAR
( n importa se é militar, se um cargo é da adm direta e
outro da indireta, se um é federal e outro municipal)
PRESCRIÇAO
- Eletivo, função de confiança, cargo em comissão  5 anos do termino do mandato
- cargo efetivo, emprego -> mesmo prazo da demissão – federais -> prazo 5 anos do conhecimento do fato
- entidades privadas -> 5 anos da prestação de contas