Anda di halaman 1dari 128

Diagramas de fases

Diagramas de fases

DEFINIÇÕES
• COMPONENTE: são metais puros e/ou compostos que compõem
uma liga. Por exemplo, em um latão cobre-zinco, os componentes
são Cu e Zn.
• FASE: parte de um material que é distinta das demais em
estrutura e/ou composição.
• MISTURA: é um material com mais de uma fase.
• SOLUÇÃO: é uma fase com mais de um componente.
• SOLUÇÃO SÓLIDA: consiste de átomos de pelo menos dois
tipos diferentes: os átomos de soluto ocupam posições
substitucionais ou intersticiais na rede do solvente, sem alterar
a estrutura cristalina do hospedeiro.
• SISTEMA: série possível de ligas compostas pelos mesmos
componentes, porém de maneira independente à composição da
liga (por exemplo, o sistema ferro-carbono).
Diagramas de fases

LIMITE DE SOLUBILIDADE
Para muitos sistemas de ligas e em alguma temperatura
específica, existe uma concentração máxima de átomos de soluto
que pode se dissolver no solvente para formar uma solução sólida;
isto é chamado de limite de solubilidade.
A adição de soluto em excesso, além desse limite de
solubilidade, resulta na formação de outra solução sólida ou outro
composto com uma estrutura bastante diferente.
Limite de solubilidade
Solução líquida (xarope)

Solução líquida
+ açúcar sólido

1
Diagramas de fases

EQUILIBRIO
O diagrama de fases de um sistema binário em equilíbrio
fornece:

1) As fases presentes.

2) A composição dessas fases.

3) As proporções de cada fase.

Para ligas monofásicas, a composição de uma dada fase é


a própria composição da liga naquele ponto do diagrama.

Para ligas bifásicas deve-se traçar uma linha horizontal,


a linha de amarração, na temperatura desejada e determinar a
interseção desta reta com as fronteiras entre as fases.
Diagramas de fases

DIAGRAMA DE FASES DE UM ÚNICO COMPONENTE (UNÁRIO)


O tipo mais simples de diagrama de fases (ou de equilíbrio) é aquele
para um sistema com um único componente, no qual a composição é
mantida constante (isto é, diagrama de fases para uma substância
pura); isso significa que a pressão e a temperatura são variáveis.

a
Diagramas de fases

• Cada uma das fases da água existirá sob condições de equilíbrio


ao longo das faixas de temperatura-pressão da sua área
correspondente.
• As três curvas (aO, bO e cO) são as fronteiras entre as fases;
em qualquer ponto sobre uma dessas curvas, as duas fases em
ambos os lados da curva estão em equilíbrio entre si (ou
coexistem).
• Ao se cruzar uma fronteira (conforme a temperatura ou pressão
é alterada), um fase se transforma na outra.
• Todas as três curvas de fronteira se interceptam em um ponto
comum, identificado como O. Isso significa que apenas nesse
ponto todas as fases – sólido, líquido e gás – estão
simultaneamente em equilíbrio entre si.
Diagramas de fases

• O ponto em um diagrama de fases P-T no qual três fases estão


em equilíbrio é chamado de ponto triplo; algumas vezes também
denominado ponto invariante, uma vez que sua posição é definida,
ou fixada, por valores definidos de temperatura e pressão.
• Qualquer desvio desse ponto devido à variação de temperatura
e/ou pressão causará o desaparecimento de pelo menos uma das
fases.
Diagramas de fases BINÁRIOS

• É um tipo de diagrama muito comum. É aquele onde a


temperatura e composição são os parâmetros variáveis, enquanto
a pressão é mantida constante (normalmente em 1 atm).
• Os diagramas de fase binários são mapas que representam as
relações entre a temperatura e as composições e quantidades de
fases em equilíbrio, as quais influenciam a microestrutura de uma
liga.
• Muitas microestruturas se desenvolvem a partir das
transformações de fases, que são alterações que ocorrem
quando a temperatura é modificada (normalmente durante o
resfriamento).
• Os diagramas de fases são úteis para prever as transformações
de fases e as microestruturas resultantes, que podem ser de
equilíbrio ou fora de equilíbrio.
Diagramas de fases em sistemas binários

Sistemas Isomorfos Binários – são aqueles onde há uma completa


solubilidade dos dois componentes nos estados líquido e sólido (por
exemplo, cobre e níquel).
Diagramas de fases em sistemas binários

EQUILIBRIO
Composição (%at Ni)

Líquido
Temperatura (°C)

Temperatura (°F)
60%Cu-40%Ni, 1400°C: fase L

+L
Solidus
Liquidus 1270°C: fases  e L

60%Cu-40%Ni, 1100°C: fase 

(Cu) Composição (%p Ni) (Ni)


Diagramas de fases em sistemas binários

• Linha Liquidus: a fase líquida está presente em todas as


temperaturas e composições acima dessa curva.
• Linha Solidus: abaixo dela somente existe fase sólida.

As linhas solidus e liquidus se interceptam nas duas extremidades


de composição, que correspondem às temperaturas de fusão dos
componentes puros (ex. Cu – 1085 oC e Ni – 1453 oC).
Diagramas de fases em sistemas binários

Composição (%at Ni)

Temperatura
Temperatura (°C) Líquido (L) de fusão Ni

Temperatura (°F)
Linha Liquidus
+L Linha Solidus

 (solução sólida
substitucional CFC)

Temperatura
de fusão Cu
(Cu) Composição (%p Ni) (Ni)
Diagramas de fases em sistemas binários

A REGRA DA ALAVANCA
Composição de cada fase

• Cada fase tem uma composição, expressa como porcentagem de


cada um dos elementos da fase. Em geral, a composição é
expressa em porcentagem em peso (% peso).
• Quando está presente na liga uma única fase, sua composição
é igual a da liga. Se a composição original da liga se modifica,
então também deverá modificar-se a da fase.
• Entretanto, quando coexistem duas fases como líquido e
sólido, suas composições diferirão entre si como da
composição geral original. Se esta se altera ligeiramente, a
composição das duas fases não se afetará, sempre que a
temperatura se conserve constante.
SISTEMA Cu-Ni
DETERMINAÇÃO DAS FASES PRESENTES E
DA COMPOSIÇÃO QUÍMICA DAS FASES

17
B

Comp. Liq= 32% de Ni e 68% de Cu


Comp. Sol. = 45% de Ni e 55% de Cu
Diagramas de fases em sistemas binários

• Duas curvas cruzam o diagrama, indo do ponto de fusão do níquel, a


1452ºC, até o ponto de fusão do cobre, a 1083ºC.
•A curva superior, chamada Liquidus, denota, para cada possível
composição de liga Ni-Cu, a temperatura de início de solidificação no
resfriamento ou, equivalentemente, a temperatura em que se completa
a fusão durante o aquecimento (sempre em condições de equilíbrio
termodinâmico).
•A curva inferior, denominada Solidus, indica as temperaturas nas
quais a fusão começa sob aquecimento, ou as temperaturas nas quais a
solidificação se completa sob resfriamento (em equilíbrio).
•Acima da linha Liquidus todas as ligas estão fundidas e esta região do
diagrama é marcada com a letra “L”, indicando a fase líquida (ou
solução líquida). Abaixo da Solidus todas as ligas são sólidas e esta
região é marcada com a letra “”, pois costuma-se utilizar uma letra
grega para a designação de uma fase sólida (ou solução sólida).
REGRA DA ALAVANCA

• Finalmente, há interesse nas quantidades relativas de cada


fase. Estas quantidades normalmente são expressas como
porcentagem de peso (% peso).
• Em regiões de uma única fase, a quantidade da fase simples é
100%.
• Em regiões bifásicas, porém, se deverá calcular a quantidade
de cada fase. Uma técnica é fazer um balanço de materiais.
Para calcular as quantidades de líquido e de sólido, se constrói
uma alavanca sobre a isoterma com seu ponto de apoio na
composição original da liga (ponto dado). O braço da alavanca,
oposto a composição da fase cuja quantidade se calcula se
divide pelo comprimento total da alavanca, para obter a
quantidade desta fase. Em geral a regra da alavanca pode ser
escrita desta forma:
• Pode-se utilizar a regra da alavanca em qualquer região bifásica de
um diagrama de fases binário.
• Em regiões de uma fase não se usa o cálculo da regra da alavanca
posto que a resposta é óbvia (existe 100% da fase presente).
Passos para calcular as composições:
Diagramas de fases em sistemas binários

Sistemas Isomorfos e Anisomorfos

 

Mais que uma fase sólida (alfa + beta)


Somente uma fase sólida (alfa)
Diagramas de fases em sistemas binários

A REGRA DA ALAVANCA
Diagramas de fases em sistemas binários

A REGRA DA ALAVANCA
Diagramas de fases em sistemas binários
Diagramas de fases em sistemas binários
Para a liga 80Pb-20Sn, calcular a porcentagem das
fases α e β nas temperaturas de 150oC e 250oC.
Diagramas de Equilíbrio de Fases Binários

Sistemas Eutéticos
São os caracterizados pela reação eutética, isto é,
decomposição isotérmica de uma fase líquida em duas
sólidas durante a solidificação e reação inversa na fusão.
Sistemas Eutéticos

O ponto eutético é exatamente o ponto de intersecção


entre as linhas líquidus. A liga correspondente à
composição na qual as duas linhas se interceptam é a
liga eutética, e a temperatura é a temperatura eutética.
A liga eutética é a de menor ponto de fusão de todas
as composições possíveis. Esta é formada pelas fases
α e β solidificadas simultaneamente na forma de uma
mistura eutética. Nas fases α e β os dois metais estão
completamente solúveis um no outro nas proporções
indicadas para as diversas temperaturas.
As ligas à esquerda da eutética são chamadas
hipoeutéticas e as da direita são chamadas
hipereutéticas.
Reação do estado sólido

A reação é a seguinte: L   + 
Resf. Aquec.
Fase  da Linha da pontos A e B  fusão dos
reação eutet. Ponto eutet. Fase  da
reação eutet. reação eut. componentes da liga.
adição Pb no Sn ( vice-versa) 
ponto de fusão do último diminui.
O ponto eutético  ponto de
intersecção entre as linhas
líquidus.
A liga correspondente à
composição na qual as duas
linhas se interceptam  liga
eutética.
A liga eutética  menor ponto
de fusão de todas as
composições possíveis.
 fases  e  solidificadas
simultaneamente na forma de
uma mistura eutética.
SISTEMAS EUTÉTICOS BINÁRIOS

Reação eutética:
Líquido +

• Neste caso a solidificação processa-se como num


metal puro, no entanto o produto é 2 fases sólidas
distintas.
Microestrutura do eutético:
LAMELAR camadas alternadas de fase  e .
Ocorre desta forma porque é a de menor percurso para
a difusão
As ligas à esquerda da eutética são chamadas hipoeutéticas e as da
direita são chamadas hipereutéticas.
Hipoeutéticas => metal com teor de liga menos elevado que a
correspondente à eutética.
Hipereutéticas => metal com teor de liga mais elevado que a
correspondente à eutética.
Reação do estado sólido
Mudança na composição das fases durante o
processo de solidificação – desenvolvimento de
microestrutura
Ex: o centro do grão mais rico do elemento com maior ponto de fusão)

centro do grão

A distribuição dos 2 elementos no grão não é uniforme.


Mudança na composição das fases
durante o processo de solidificação

41
Diagramas de fases em sistemas binários

A REGRA DA ALAVANCA
Reação do estado sólido
2. Reação do estado sólido
Reação do estado sólido
Diagramas de fases em sistemas binários
Reação do estado sólido

Ponto Eutetóide e Reações Eutetóide


• Em um diagrama de equilíbrio binário, é o ponto representativo
de reação eutetóide, segundo a qual, no resfriamento, uma
fase sólida se transforma em duas outras fases sólidas de
composições diferentes da composição original.
• A liga e a temperatura que definem o ponto eutetóide
denominam-se, respectivamente: liga eutetóide e temperatura
eutetóide.
• A liga eutetóide possui, dentro do sistema a que pertence o
mais baixo ponto de transformação da fase sólida original. A
reação eutetóide é reversível.
A reação é a seguinte:    + 
(resfriamento)  (aquecimento)
Reação do estado sólido

Linha da reação ponto eutético


eutética

Linha da reação
ponto eutetóide eutetóide
Reação do estado sólido
Diagrama Fe-Fe3C

Diagrama de fases Fe- Fe3C


, Ferrita (CCC)

eutético
, Austenita (CFC)

100X
Transformações polimórficas
eutetóide

Dura e quebradiça
, Ferrita (CCC) (metaestável)
Cementita (Fe3C)
Macia e magnética
Microestrura das fase sólidas do Fe-C

MICROESTRUTURAS / EUTETÓIDE
Supondo resfriamento lento para manter o equilíbrio
Diagrama Ferro-Carbono

• Ferro é o metal mais utilizado pelo homem.


•A abundância dos minerais, o custo relativamente baixo
de produção e as múltiplas propriedades físico-químicas
que podem ser obtidas com adição de outros elementos
de liga são fatores que dão ao metal uma extensa
variedade de aplicações.
• Aço é a denominação genérica para ligas de ferro-
carbono com teores de carbono de 0,008 a 2,11%,
contendo outros elementos residuais do processo de
produção e podendo conter outros elementos de liga
propositalmente adicionados.
•Ferro fundido é a designação genérica para ligas de
ferro-carbono com teores de carbono acima de 2,11%.
Diagrama de Fases ou Equilíbrio

Ferro com 6,67% de Carbono - Cementita: Fe3C


O teor de C vai até
6,67% porque é a
solubilidade máxima
do carbono no ferro.
Ferro puro – 0,0% de carbono

Pouco se conhece
acima desse teor de
carbono; na realidade
acima de 4,5% de
carbono essas ligas
não tem aplicação
tecnológica.
Ponto Eutético: 1 líquido se transforma em
2 sólidos.
Ex.: L Austenita + Cementita

Ponto Eutetóide: 1 sólido se transforma em


2 sólidos.
Ex.: Austenita Ferrita + Cementita

Ponto Peritético: 1 sólido +1 líquido se


transformam em 1 sólido.
Ex.: Líquido + ferrita delta Austenita
Austenita

É definida como uma


solução sólida de carbono
em ferro gama (Feγ).
A solubilidade máxima do
carbono na austenita é de
2,1% e ocorre a 1147oC.
Austenita

Propriedades da austenita

• Estrutura CFC (Não é magnética)


• Dureza de aproximadamente 300 HB
• L.R. = 1000 N/mm2
• Alongamento de 30%
Ferrita
Pode ser definida como uma
solução sólida de carbono em
ferro alfa (Feα).
A solubilidade máxima do C na
ferrita ocorre em 727 °C e é de
0,022%.
A solubilidade do C na
temperatura ambiente na ferrita
é de 0,008%.
A ferrita é um dos constituintes
mais dúcteis dos aços.
Ferrita

Propriedades da ferrita

• Estrutura CCC
• Dureza de aproximadamente 90 HB
• L.R.= 280 N/mm2
• Alongamento de 35 a 40%
• Magnética a temperatura ambiente.
Cementita
É o carboneto de ferro, de
fórmula Fe3C, e contém
aproximadamente 6,7% de
carbono e 93,3% de ferro.

É um dos constituintes mais


duros e frágeis dos aços.
Cementita

Propriedades da cementita

• Estrutura ortorrômbica
• Dureza de aproximadamente 700 HB
• Alongamento: 0%
• Magnética a temperatura ambiente.
Perlita

É uma microestrutura bifásica formada por


Ferrita + Cementita.
Normalmente, em condições de equilíbrio
a perlita apresenta estrutura lamelar, com
lamelas alternadas de ferrita e cementita.
Perlita
Perlita

Propriedades da perlita

• A perlita é composta por 88,5% de


ferrita e 11,5% de cementita.
• Dureza varia de ~165 - 370 HB
• L.R. = 735 N/mm2
• Alongamento de 15%.
Microestrura das fase sólidas do Fe-C

MICROESTRUTURAS / EUTETÓIDE
Supondo resfriamento lento para manter o equilíbrio
Microestrura das fase sólidas do Fe-C

MICROESTRUTURAS /HIPOEUTETÓIDE
Supondo resfriamento lento para manter o equilíbrio
Microestrura das fase sólidas do Fe-C

MICROESTRUTURAS /HIPEREUTETÓIDE
Supondo resfriamento lento para manter o equilíbrio
Microestrura das fase sólidas do Fe-C

ALTO

0,85%C

Cementita
O diagrama de fase Fe-C permite a verificação
das transformações que a austenita apresenta
durante o resfriamento muito lento, resultando
nos constituintes ferrita, cementita e perlita.

A formação da austenita para ferrita e cementita


necessitam de tempo para ocorrer.

Se a velocidade de resfriamento da austenita for


elevada, não haverá tempo para que ela se
transforme em ferrita e cementita; e a austenita
se formará outro constituinte: a martensita.
Mas o que é Martensita?

Martensita é uma fase do sistema Fe-C.


A martensita é obtida pelo resfriamento
rápido dos aços.
Martensita

Apresenta-se sob a forma de


agulhas e cristaliza-se na forma
tetragonal.

A martensita apresenta alta dureza.

A alta dureza conseguida pela


martensita, pode ser atribuída ao
fato da distorção do reticulado
cristalino gerando tensões internas.
Martensita
Propriedades da Martensita

• Dureza de até 68 HRC (~780 HB)


• Alongamento máx. 2,5%.
• L.R. de até 2500 N/mm².
• É magnética
• Estrutura tetragonal
Ligas Metálicas

Ferrosas Não ferrosas


Alumínio
Cobre
Aço Ferro Fundido Estanho
Ao carbono
Cinzento Titânio
Nodular Níquel etc...
Baixa liga
Liga
Alta liga Branco
Maleável
Classificação dos aços

A classificação mais comum é de acordo com a


composição química, da seguinte forma:

•Aços ao carbono

•Aços Liga
 Aços baixa liga (a soma de todos os elementos de liga é < 5%)
 Aços alta liga (a soma de todos os elementos de liga é > 5%)
Mas o que é “elemento de liga”?
•Quando um elemento químico é adicionado
intencionalmente numa liga metálica com a
finalidade de alterar as propriedades do
material, ele é chamado de elemento de liga.

•Já quando ele não é adicionado


intencionalmente, ou seja, quando ele vem na
forma de impureza devido a matéria-prima ou
ao processo de fabricação, ele é chamado de
elemento residual (ou impureza).
Ligas Metálicas

Ferrosas Não ferrosas


Alumínio
Cobre
Aço Ferro Fundido Estanho
Ao carbono
Cinzento Titânio
Nodular Níquel etc...
Baixa liga
Liga
Alta liga Branco
Maleável
Classificação dos aços - Norma

•Segundo a norma SAE os aços ao carbono e


aços baixa liga são classificado conforme
abaixo:
•SAE YYXX
•Onde:
•YY indica a série do aço
•XX é o percentual de carbono multiplicado
por 100.
•Aplicações

•1015 ao 1035: Aços estruturais (pontes, torres de


transmissão)

•1070 ao 1090: Aços para molas

•1010, 3120, 5120, 4320, 8620: Aços para


nitretação e cementação (elementos de máquinas
que devem ter dureza e resistência ao desgaste,
Ex.: biela de compressor)
Efeitos dos elementos de liga nos aços
em geral

• Carbono
• Quanto MAIS C: MAIOR dureza, tensão de
escoamento, tensão de ruptura, MENOR
ductilidade, tenacidade, soldabilidade.
Efeitos dos elementos de liga nos aços em geral

• Silício
Elemento acrescentado ao metal líquido, para
desoxidar material e assim evitar a formação de
bolhas nos lingotes.
• Manganês
Adicionado para auxiliar na desoxidação do
metal líquido.
• Alumínio
Elemento usado para diminuir ou eliminar o
desprendimento de gases que agitam o aço,
quando ele está se solidificando.
• Efeitos das impurezas nos aços em geral

• Enxofre
• No aço, ele pode se combinar com o ferro e formar o sulfeto
ferroso (FeS), que faz o aço se romper com facilidade ao ser
laminado ou forjado, em temperaturas acima de 1000°C.
• Fósforo
• Elemento cuja quantidade deve ser controlada,
principalmente nos aços duros, com alto teor de carbono, pois
reduz à resistência ao choque e a tenacidade.
Ligas Metálicas

Ferrosas Não ferrosas


Alumínio
Cobre
Aço Ferro Fundido Estanho
Ao carbono
Cinzento Titânio
Nodular Níquel etc...
Baixa liga
Liga
Alta liga Branco
Maleável
O que é um aço alta liga?

É um aço cuja a soma de todos os elementos de liga é


> 5%.

• A adição de elementos de liga tem o objetivo de


promover mudanças microestruturais que, por sua vez,
promovem mudanças nas propriedades físicas e
mecânicas, tais como: resistência à tração e à corrosão,
elasticidade e dureza, entre outras, permitindo que ao
material desempenhar funções específicas.
•Tipos de aços alta liga

•Há vários aços alta liga, sendo os 3 tipos


mais comuns:
1. Aços Inoxidáveis
2. Aços ferramenta
3. Aços Manganês (Hadfield)
1. Aços Inoxidáveis

•O aço inoxidável é uma liga de Fe e Cr,


podendo conter também Ni, Mo e outros
elementos.
•Os aços inoxidáveis apresentam resistência a
corrosão superior aos aços comuns.
•Os aços inoxidáveis geralmente são
classificados de acordo com a composição
química mas também pela microestrutura
apresentada.
1. Aços Inoxidáveis

A classificação de acordo com a microestrutura:

• Aços Inoxidáveis ferríticos (fase presente: ferrita)


• Aços Inoxidáveis austeníticos (fase presente:
austenita)
• Aços Inoxidáveis martensíticos (fase presente:
martensita)
1. Aços Inoxidáveis

•Aços Inoxidáveis ferríticos – Características


• Os aços ferríticos são de baixo custo.
• Possuem resistência à corrosão superior a do inox
martensítico, mas inferior aos austeníticos mais
comuns.
• Material não-temperável, magnético.
• Limitada resistência mecânica devido ao teor % de C.
• Usinabilidade um pouco inferior dos aços inoxidáveis
martensíticos.
1. Aços Inoxidáveis

•Aços Inoxidáveis ferríticos – Aplicações gerais


• Eletrodomésticos (fogões, geladeiras, etc)
• Utensílios domésticos (panelas, talheres, etc)
• Construção civil, chapas refletoras, etc.
1. Aços Inoxidáveis

•Aços Inoxidáveis ferríticos – Aplicações gerais


• Parafusos e porcas para meios agressivos.
• Tanques para estocagem na indústria química e
de alimentos.
• Moedas
1. Aços Inoxidáveis
Aços Inoxidáveis Austeníticos – Microestrutura
típica

Austenita

Reagente para ataque: Kalling


1. Aços Inoxidáveis
Aços Inoxidáveis Martensíticos - Características
• Devido à adição de carbono, podem ser endurecidos e
a resistência aumentada pelo tratamento térmico de
têmpera e revenido, da mesma forma que os aços
carbono. Aumentando o teor de carbono, aumenta o
potencial da resistência e dureza mas diminui a
ductilidade e tenacidade.
• A dureza pode chegar a 60 HRC (654 HB).
• São magnéticos e possuem boa usinabilidade.
• Grande resistência ao desgaste.
1. Aços Inoxidáveis
Aços Inoxidáveis Martensíticos – Aplicações
• Aplicações nas quais, além da elevada resistência à
corrosão, seja necessária elevada resistência
mecânica/dureza
• Instrumentos cirúrgicos como bisturi e pinças
• Facas de corte, tesoura, lâminas de barbear
2. Aços ferramenta

•É qualquer aço usado para fabricar ferramentas de


corte, conformação ou qualquer outro artefato capaz
de dar forma a um material transformando-o em uma
peça.
2. Aços ferramenta

• Propriedades requeridas para os aços ferramentas:

• Resistência ao desgaste
• Tenacidade
• Resistência mecânica
• Temperabilidade
• Dureza a quente
• Resistência ao revenido
2. Aços ferramenta - Aplicações
•3. Aço Manganês – Aplicações
• Martelos para moinhos
• “Unhas” de retroescavadeiras
•3. Aço Manganês – Aplicações
• Mandíbulas para a indústria de
mineração
•3. Aço Manganês – Aplicações
• Britadores para indústria de mineração
Ligas Metálicas

Ferrosas Não ferrosas


Alumínio
Cobre
Aço Ferro Fundido Estanho
Ao carbono
Cinzento Titânio
Nodular Níquel etc...
Baixa liga
Liga
Alta liga Branco
Maleável
A principal diferença entre ferro fundido e aço, no
que se refere a composição química é o teor de
Carbono.
Aço
O percentual de carbono varia > 0,0 até 2,1%

Ferro fundido
O percentual de carbono varia de > 2,1% até 6,7%
Características
• Além do Fe, C e Si, podem conter outros
elementos químicos adicionados
intencionalmente, como Cr, Mo, Cu, Sn...
• Todos o elementos adicionados tendem a
aumentar a resistência à tração e a dureza
Características
• A maioria dos ferros fundidos possuem
ponto de fusão menor do que a maioria dos
aços
• Os ferros fundidos são também conhecidos
como “FoFos”
Classificação

Ferro Fundido Cinzento Relacionado com a


Ferro Fundido Nodular disposição da
grafita

Ferro Fundido Branco


Ferro Fundido Cinzento

•A grafita apresenta-se na forma de veios, esses


veios são chamadas também de lamelas
•Dentre os FoFos, é o mais usado
•É a liga ferrosa mais barata
•Fácil fundição e usinagem
•Excelente absorção de vibrações
Ferro Fundido Cinzento – Prop. Mecânicas

•L.R de até 392 N/mm2


•Dureza ~ 150 HB
•Alongamento ~0%
Ferro Fundido Cinzento – Microestrutura
típica
•Com ataque (Nital) Região escura: perlita

Região clara: ferrita


Ferro Fundido Cinzento – Aplicações
•Bases, mesas de máquinas
•Carcaças metálicas
•Blocos de motor
•Volantes de disco de freio
•Barramentos
•Polias
Ferro Fundido Nodular

•A grafita apresenta-se na forma de nódulos


(esferas) devido a adição de inoculantes (Ce e/ou
Mg).
•Boa ductilidade em comparação a outros FoFos
•Custo maior do que o FoFo cinzento
Ferro Fundido Nodular – Microestrutura típica
•Com ataque Perlita
Ferrita Grafita
Ferro Fundido Nodular – Prop. Mecânicas
• L.R a tração de 370 – 690 N/mm2
• Dureza ~ 140 - 300 HB
• Alongamento 2 - 18%
Ferro Fundido Nodular – Aplicações

•Autopeças
•Engrenagens
•Polias
•Pinhões
Ferro Fundido Branco

•O C apresenta-se na forma de cementita (Fe3C)


devido ao baixo teor de Si
•São adicionados elementos de liga (Ni, Cr e
Mo) para aumentar a resistência ao desgate
•Elevada dureza
•Baixa tenacidade
•Baixa usinabilidade
Ferro Fundido Branco – Prop. mecânicas

•Dureza ~550 – 700HB


•Alongamento ~0%
Ferro Fundido Branco – Aplicações
Aplica-se onde elevada resistência à abrasão é
nescessária.
•Bolas de moinho
•Rodas para trens
•Placas de desgaste