Anda di halaman 1dari 71

V OLIMPÍADA IBEROAMERICANA DE MATEMÁTICA UNIVERSITÁRIA

9 DE NOVEMBRO DE 2002

PROBLEMA 1. [4 pontos]
Encontre todos os inteiros positivos n para os quais existe um inteiro m tal que
1 (1  3 ) n 4
m  m
5 3 5

PROBLEMA 2. [5 pontos]
Calcule o volume do sólido em R3 descrito por
x 2  3 y 2  z 2  1 , 3x 2  y 2  z 2  1.

PROBLEMA 3. [5 pontos]
A velocidade em terra de uma avião é a velocidade escalar de sua projeção radial na terra (i.e., a
interseção da superfície da terra com o segmento que liga o centro da terra ao avião).
a) [2 pontos] Supondo que a terra seja uma esfera perfeita, prove que a velocidade em terra é
sempre menor ou igual à velocidade do avião.
b) [3 pontos] Supondo que a terra seja um elipsóide de revolução, determine se a velocidade em
terra ainda é sempre menor ou igual à velocidade do avião.

PROBLEMA 4. [6 pontos]
Diga se existe uma enumeração q1 , q2 ,..., qn ,... de todos os racionais positivos para a qual exista o
limite
lim n q n .
n 

PROBLEMA 5. [6 pontos]
Prove que, para n  2 , não existem polinômios não constantes com coeficientes reais p(x), q(x) e
r (x) primos entre si tais que
( p( x)) n  (q( x)) n  (r ( x)) n .
PROBLEMA 6. [8 pontos]
Dado um inteiro positivo n e um número real positivo  , seja f (n,  ) o número máximo de
elementos de um conjunto X  R n tal que v  1 para todo v  X e
v, v' X , v  v'  v, v'   .
Dado   0 , diga se existe algum inteiro positivo k para o qual
f (n,  )
lim  0.
n  nk
Obs. : v, v' denota o produto interno entre v e v'.

PROBLEMA 7. [9 pontos]
Prove que existem funções contínuas a1 , a2 , a3 ,..: [0,1]  (0,) tais que

i) a
n 1
n (t )  , t [0,1].


ii) Para toda seqüência (bn) de termos positivos com b
n 1
n   existe t [0,1] tal que

bn
lim  0.
n  a n (t )
IX OLIMPÍADA IBEROAMERICANA DE MATEMÁTICA UNIVERSITÁRIA
18 DE NOVEMBRO DE 2006

PROBLEMA 1. [4 pontos] Sejam m e n números inteiros maiores que 1. Definem-se os conjuntos


1 2 m  1 1 2 n  1
Pm   , ,...,  e Pn   , ,..., .
m m m  n n n 
Encontrar a distância entre Pm e Pn , que é definida como
min  a  b : a  Pm , b  Pn .

PROBLEMA 2. [5 pontos] Demonstrar que para qualquer inteiro positivo n e quaisquer números
reais a1 , a2 ,..., an , b1 , b2 ,..., bn a equação
a1 sen( x)  a2 sen(2 x)  ...  an sen(nx)  b1 cos( x)  b2 cos(2 x)  ...  bn cos(nx)
tem ao menos uma raiz real.

PROBLEMA 3. [5 pontos] Sejam p1 ( x)  p( x)  4 x3  3x e pn1  p( pn ( x)) para cada n inteiro


positivo.
Denotamos por A(n) o conjunto de todas as raízes reais da equação pn ( x)  x.
Demonstrar que A(n)  A(2n) e que cada produto de dois elementos de A(n) é a média
aritmética de dois elementos de A(2n).

PROBLEMA 4. [6 pontos] Demonstrar que para qualquer intervalo de números reais [a, b] e
qualquer número inteiro positivo n existem um número inteiro positivo k e uma partição do
intervalo dado
a  x(0)  x(1)  x(2)  ...  x(k  1)  x(k )  b
tais que
x (1) x (3) x (2) x (4)


x (0)
f ( x)dx  
x (2)
f ( x)dx ...  
x (1)
f ( x) dx  
x (3)
f ( x) dx ...

para todo polinômio f com coeficientes reais de grau menor que n.

PROBLEMA 5. [7 pontos] Um n-ágono regular está inscrito num círculo de raio 1. Sejam
a1 , a2 ,..., an1 as distâncias de um dos vértices do polígono a todos os outros vértices. Demonstrar
que
5  a 5  a ...5  a   F
2
1
2
2
2
n 1 n
2
,
onde Fn é n-ésimo termo da seqüência de Fibonacci: 1, 1, 2, 3, 5, 8…
PROBLEMA 6. [7 pontos]
Sejam x0 (t )  1, xk 1 (t )  (1  t k 1 ) xk (t ), para todo
t n k 1  1
k  0; yn,0 (t )  1, yn,k (t )   yn,k 1 (t ), para n  0,1  k  n.
tk 1
n 1
1  (1)n
Demonstrar que   1 xn j 1 (t ) yn, j (t )  , para todo n  1.
j

j 0 2

PROBLEMA 7. [7 pontos]
Consideramos o grupo multiplicativo A  {z  z 2006  1 e 0  k  } de todas as raízes
k

complexas da unidade de ordem 2006k para todos os números inteiros positivos k. Encontrar o
número de homomorfismos f : A  A que satisfazem a condição:
f  f  x    f  x  para todos os elementos x  A.
X OLIMPÍADA IBEROAMERICANA DE MATEMÁTICA UNIVERSITÁRIA
5 de Novembro de 2007

PROBLEMA 1. [4 pontos]
Para cada par de inteiros positivos (i, k) com 1  i  k define-se a transformação linear
Pi , k : k
 k
como
Pi , k   a1 ,..., ai 1 , ai , ai 1 ,..., ak      a1 ,..., ai 1 ,0, ai 1 ,..., ak  .
Demonstre que para todo n  2 e para qualquer conjunto de n – 1 vetores linearmente
independentes vi , v2 ,..., vn 1 em
n
, existe um inteiro k ,1  k  n, de forma que os vetores
Pk , n  v1  , Pk , n  v2  ,..., Pk , n  vn 1  são linearmente independentes.

PROBLEMA 2. [5 pontos]
Demonstre que para todo n inteiro positivo e para todo número real 0  x  1 se verifica a
desigualdade
n
 x2  x
1  x    1  x   .
n

 2  2

PROBLEMA 3. [6 pontos]
uma função contínua e periódica. Demonstre que para qualquer  

Seja f :  vale a
desigualdade
T
f ( x)
 f ( x   ) dx  T ,
0
onde T é o período de f (x).

PROBLEMA 4. [6 pontos]
Temos a seqüência infinita a1 , a2 ,..., onde os termos an pertencem todos ao conjunto {1, 2}.
Dizemos que um número natural de n dígitos é bom se a sua representação decimal é da forma
ar ar 1...ar  ( n 1) para algum inteiro positivo r. Suponha que há pelo menos 2008 números bons de
um milhão de dígitos. Demonstrar que há pelo menos 2008 números bons de 2007 dígitos.
PROBLEMA 5. [6 pontos]
Encontre todos os pares de polinômios f , g  [ x] com coeficientes complexos tais que valem as
igualdades
f  f  x    g  g  x    1  i,
f  g  x   g  f  x   1  i
para todo x  .

PROBLEMA 6. [7 pontos]

Sejam F um corpo de característica diferente de 2, F  F \{0} seu grupo multiplicativo e T o
subgrupo de F* que consiste de todos seus elementos de ordem finita.
Demonstre que se T é finito então T é cíclico de ordem par.

PROBLEMA 7. [7 pontos]
s(a)
Definimos a altura de um número natural a como a fração , onde s(a) é a soma de todos os
a
divisores positivos de a. Demonstre que para qualquer par de números naturais N, k existe um b
natural tal que a altura de cada um dos números b, b + 1, ..., b + k é maior que N.
XI OLIMPÍADA IBEROAMERICANA DE MATEMÁTICA UNIVERSITÁRIA
8 de Novembro de 2008

PROBLEMA 1. [5 pontos]
Seja n um número inteiro positivo não divisível por 2 nem por 5. Na representação decimal infinita
1
do número  0, a1a2 a3 ... escolhe-se arbitrariamente um número finito de dígitos depois da
n
vírgula, os quais são apagados. Claramente o número decimal obtido é racional também e portanto
a
pode ser escrito na forma com a e b inteiros. Demonstrar que b é divisível por n.
b

PROBLEMA 2. [5 pontos]
Demonstre que para cada número natural n existe um polinômio f(x) com coeficientes reais, de grau
n, tal que o polinômio p( x)  f ( x  1) é divisível por f ( x) no anel [ x].
2

PROBLEMA 3. [5 pontos]
1
Demonstre a desigualdade x   2 para 0  x  1.
xx

PROBLEMA 4. [6 pontos]
Dois vértices A e B de um triângulo ABC estão localizados em uma parábola de equação
y  ax 2  bx  c com a > 0 de tal forma que os lados AC e BC são tangentes à parábola. Sejam
mc o comprimento da mediana CC1 do triângulo ABC e S a área do triângulo ABC. Encontrar
S2
.
mc3

PROBLEMA 5. [6 pontos]
Encontre todos os números inteiros positivos n para os quais existem números inteiros positivos
a1 ,..., an , b1 ,..., bn tais que
a 2
1  ...  an2  b12  ...  bn2    a1b1  a2b2  ...  anbn   n.
2
PROBLEMA 6. [6 pontos]
a) (2 pontos) Determinar se existem ou não matrizes A, B, C  SL2 ( ) que satisfazem a condição
A2  B2  C 2 .
b) (4 pontos) Determinar se existem ou não matrizes A, B, C  SL2 ( ) que satisfazem a condição
A4  B4  C 4 .

A notação A  SL2 ( ) significa que A é uma matriz 2  2 com entradas inteiras e det A  1.

PROBLEMA 7. [7 pontos]
Seja A um grupo aditivo abeliano sem elementos periódicos não nulos e tal que para cada número
primo p vale a desigualdade A pA  p, onde pA  { pa | a  A}, pa  a  a  ...  a e
p vezes

A pA é a cardinalidade do grupo quociente A / pA (o índice do subgrupo pA).


Demonstre que cada subgrupo do grupo A de índice finito é isomorfo ao próprio grupo A.
XII OLIMPÍADA IBEROAMERICANA DE MATEMÁTICA UNIVERSITÁRIA
7 de Novembro de 2009

PROBLEMA 1. [4 pontos]
Uma linha reta passa por um vértice de um triângulo não degenerado e corta este triângulo em dois
triângulos semelhantes com uma razão entre os lados igual a 3. Encontrar os ângulos do triângulo
dado.

PROBLEMA 2. [5 pontos]
Sejam x1 ,..., xn vetores não nulos de um espaço vetorial V e  :V  V um operador linear deste
espaço tais que  x1  x1 ,  xk  xk  xk 1 para k  2,3,..., n.
Demonstrar que o conjunto de vetores x1 ,..., xn é linearmente independente.

PROBLEMA 3. [5 pontos]
Sejam a, b, c, d , e  
e f definida como:  x, y    
 2

c  dx  ey  0  
dada por
f  x, y    ax  by  c  dx  ey  . Encontrar seu valor máximo.

PROBLEMA 4. [6 pontos]
Dados inteiros positivos m e n, dizemos que a função f : 0, m  é  m, n   escorregadia se
possui as seguintes propriedades:

i) f é contínua;
ii) f  0  0, f  m   n;
iii) Se t1 , t2  0, m com t1  t2 são tais que t2  t1  e f  t2   f t1   , então t2  t1  0, m.
Determinar os valores de m, n para os quais existe uma função f que seja (m, n) –
escorregadia.

PROBLEMA 5. [7 pontos]
*
Sejam e os conjuntos dos naturais e dos inteiros positivos respectivamente.
Definimos uma relação  em por a  b se, e só se, o a-ésimo bit na representação binária de
b é 1.
Definimos uma relação  em por a  b se, e somente se, b é múltiplo do a-ésimo número
*

primo pa .
 tal que a  b  f (a)  f (b).
*
i) (2 pontos) Demonstrar que não existe uma bijeção f :
ii) (5 pontos) Demonstrar que não existe uma bijeção g:  *
tal que
 a  b ou b  a    f  a   f b  ou f b   f  a   .

PROBLEMA 6. [7 pontos]
Sejam 1 ,...,  d , 1 ,..., e  tais que os polinômios
d e
f1 ( x)    x   i  e f 2 ( x)    x  i 
i 1 i 1

têm coeficientes inteiros. Suponhamos que existem polinômios g1 , g 2   x tal que


f1 g1  f 2 g2  1. Demonstrar que

    j   1.
d e

i
i 1 j 1

PROBLEMA 7. [8 pontos]
Seja G um grupo tal que todo subgrupo de G é subnormal. Suponhamos que existe N subgrupo
normal de G, tal que Z(N) é diferente de {e} e G/N é cíclico. Demonstrar que Z(G) é diferente
de{e}. (Z(G) denota o centro de G).
Nota: Um subgrupo H de G é subnormal se existem subgrupos H1 , H 2 ,..., H m  G de G com
H H1 H2 ... H m  G( denota subgrupo normal, assim, dizemos que H G se,
1
para quaisquer h  H , g  G, temos g hg  H ).
XIII OLIMPÍADA IBEROAMERICANA DE MATEMÁTICA UNIVERSITÁRIA
NOVEMBRO DE 2010

PROBLEMA 1. [4 pontos]
Seja f : S  a função do conjunto de todos os triângulos retângulos no conjunto dos
h
números reais, definida como f  ABC   , onde h é a altura relativa à hipotenusa e r é o
r
raio do círculo inscrito. Encontrar a imagem, Im  f  , desta função.

PROBLEMA 2. [5 pontos]
Calcule a série

sen3 3k
 3k
k 

PROBLEMA 3. [6 pontos]
Um estudante soma as frações racionais de forma incorreta da seguinte maneira:

a x ax
  , * 
b y b y

a
porém às vezes obtém resultados corretos. Para uma fração dada ,a,b  ,b  0, encontrar
b
x
todas as frações ,x, y  , y  0, tais que o resultado obtido por (*) seja correto.
y

PROBLEMA 4. [6 pontos]
Seja p  x   xn  an1 xn1  ...  a1 x  a0 um polinômio mônico de grau n  2 com coeficientes
reais e todas suas raízes reais e diferentes de zero. Demonstrar que para todo
k  0,1,2,...,n  2, ao menos um dos coeficientes ak ,ak 1 é diferente de zero.
PROBLEMA 5. [6 pontos]
Sejam A,B matrizes 2010  2010 comutantes (i.e., tais que AB = BA) e com entradas reais,
tais que A2010  B2010  I , onde I é a matriz identidade. Demonstrar que se traço  AB   2010,
então traço  A  traço  B  .

PROBLEMA 6. [7 pontos]
Demonstrar que, para cada número inteiro a  1 , os divisores primos do número 5a4  5a2  1
são da forma 20k  1,k  .

PROBLEMA 7. [7 pontos]

a) (3 pontos) Demonstrar que para quaisquer números inteiros positivos m  l dados, existem
um número inteiro positivo n e números inteiros x1 ,...,xn , y1 ,..., yn tais que a igualdade
n n

 xki   yki
k 1 k 1

se verifica para cada i  1,2,...,m  1,m  1,...,l, porém não vale para i = m.

b) (4 pontos) Demonstrar que existe uma solução do item a) com todos os números
x1 ,...,xn , y1 ,..., yn distintos.
OLIMPÍADA IBEROAMERICANA DE MATEMÁTICA UNIVERSITÁRIA 2011
26 de Novembro de 2011

PROBLEMA 1 (4 pontos)
Sejam r e s inteiros positivos. Cada um dos números a1 ,a2 ,...,ar ,b1 ,...,bs é 1 ou 2.
Considere os números que têm as seguintes representações decimais:

a  0, a1a2 ...ar a1a2 ...ar ...


b  0, b1b2 ...bsb1b2 ...bs ...
x  0, a1a2 ...ar b1b2 ...bs
y  0, b1b2 ...bs a1a2 ...ar

Demonstre que a  b se e somente se x  y.

Nota: Os números a e b têm representação decimal periódica. Os números x e y têm


representação decimal finita.

PROBLEMA 2 (4 pontos)
O cubo n-dimensional C se decompõe em 2n caixas retangulares menores por n planos
P1 ,P2 ,...,Pn de tal forma que cada eixo de C é perpendicular a exatamente um desses planos.
As 2n caixas estão pintadas nas cores branco e preto de tal forma que cada par de caixas
vizinhas têm uma cor diferente.
Suponhamos que a soma dos volumes das caixas pintadas de preto é igual à soma dos
volumes das caixas pintadas de branco. Demonstre que pelo menos um dos planos
P1 ,P2 ,...,Pn bissecta C (i.e., divide C em duas caixas congruentes).

PROBLEMA 3 (5 pontos)
Seja n  2 um inteiro. Seja f  x   xn  an1 xn1  ...  a1 x  a0 um polinômio com n raízes
inteiras distintas entre si e distintas de 1. Demonstre que:

n   j 0 ja j
n 1

 1  ln n.
1   j 0 a j
n 1
PROBLEMA 4 (5 pontos)
Os números complexos a, b e c são tais que a bc  b ca  c ab  0. Demonstre que
 a  b b  c  c  a   3 3 abc .

PROBLEMA 5 (6 pontos)
Existem três círculos 1 ,2 ,3 na esfera unitária S de 3 . Suponhamos que para cada par
de índices (i, j) com 1  i  j  3 existem dois círculos máximos Cij e C ji de S tais que ambos
são tangentes a i e  j e nenhum dos dois separa i e  j . Os círculos máximos Cij e C ji se
intersectam nos pontos Pij e Pji .

Demonstre que os pontos P12 ,P23 ,P31 ,P13 ,P32 e P21 estão num mesmo círculo máximo de S.

PROBLEMA 6 (7 pontos)
Os inteiros não negativos a, b, c e d satisfazem 2ab  2bc  2ca  a2  b2  c2  d 2 .
Considere o conjunto X dos inteiros que podem ser escritos como a soma dos quadrados de
dois inteiros.
Demonstre que a, b e c estão todos em X se, e somente se, o máximo divisor comum
mdc  a,b,c  de a, b e c está em X.

PROBLEMA 7 (8 pontos)
Considere


 f  t  dt

F   f :0,1  contínua: x  0,1 , 
x
 1 .


0
xt 

Determine

1
sup
f F
 0
f .
16ª OLIMPÍADA IBERO-AMERICANA DE MATEMÁTICA UNIVERSITÁRIA
23 de novembro de 2013

PROBLEMA 1: (3 pontos)
Uma cidade X tem 2013 pessoas. Quando as pessoas são ordenadas de forma crescente pela
quantidade de dinheiro que possuem, a n-ésima pessoa tem n vezes a quantidade de dinheiro que
tem a mais pobre. Em certo momento específico, todos os cidadãos de X decidem fazer o
seguinte: cada um reparte equitativamente a maior parte possível da sua riqueza entre todos os
cidadãos de X (de modo que cada cidadão de X, inclusive ele mesmo, receba a mesma
quantidade inteira de dinheiro) e dá o que sobra à cidade vizinha Y.

Sabemos que a quantidade de dinheiro da pessoa mais pobre de X não é um múltiplo de 3, nem
de 11, nem de 61. Determina a quantidade de dinheiro total que foi dada à cidade Y.

PROBLEMA 2: (4 pontos)
Seja V um espaço vetorial de dimensão infinita com produto interno e S  V um subespaço não
trivial de dimensão infinita. Seja x V \ S e W o espaço gerado por x.
Determine a dimensão de  S  W   S  .

PROBLEMA 3: (4 pontos)
Consideremos o número

  0,123456789101112...

obtido escrevendo todos os inteiros positivos, um após o outro, depois da vírgula decimal.
Mostre que para todo inteiro positivo k temos que o conjunto


Ak : 10nk   10nk   : n  
é denso em  0,1.
Nota:  x  denota o maior inteiro menor ou igual a x.

PROBLEMA 4: (5 pontos)
Seja ABCD um quadrilátero inscrito em uma circunferência de centro O1 e raio R, e circunscrito
a outra circunferência de centro O2 e raio r. Mostre que

 O1O2   R2  2rR  r  2r  r1  r2 
2

onde r1 e r2 são os raios das circunferências inscritas nos triângulos ABC e ADC,
respectivamente.

16ª OLIMPÍADA IBERO-AMERICANA DE MATEMÁTICA UNIVERSITÁRIA (2013)


BRASIL
PROBLEMA 5: (5 pontos)
Os elementos de um grupo finito comutativo G com G  N são pintados com três cores:
amarelo, azul e vermelho, de tal modo que cada cor é utilizada no máximo N 2 vezes.
Seja A o conjunto de todas as quádruplas (ordenadas)  x, y, z, w  G 4 , tais que xyzw  e e
x, y, z, w têm a mesma cor. Analogamente, seja B o conjunto de todas as quádruplas
(ordenadas)  x, y, z, w  G 4 tais que xyzw  e, os elementos x, y têm a mesma cor, e z e w
também têm a mesma cor, porém as duas cores são distintas. Demonstre que A  B .
Obs. e denota o elemento neutro de G.

PROBLEMA 6: (6 pontos)
Uma função real f : 0,    é limitada e diferenciável. Além disso, satisfaz a relação

f  x  f ´ x   sen  x  .

Existe lim x f  x  ?

PROBLEMA 7: (8 pontos)
Antônio e Bela jogam o seguinte jogo: Antônio escolhe um inteiro positivo k e depois Bela um
segundo inteiro positivo n. Começando por Antônio, eles colocam alternadamente pontos num
plano (cada um diferente de todos os anteriores) até que cada um tenha colocado n pontos. Bela
ganha se o número de retas que passam por pelo menos dois dos pontos colocados, é divisível
por k. Caso contrário, ganha Antônio. Qual jogador possui uma estratégia vencedora?

16ª OLIMPÍADA IBERO-AMERICANA DE MATEMÁTICA UNIVERSITÁRIA (2013)


BRASIL
XVII Olimpı́ada Iberoamericana de Matemática Universitária 2014

1. (3 pontos) Sejam n e k inteiros positivos tais que k ≤ n. De quantas formas podem ser
escolhidos k intervalos de inteiros no conjunto {1, 2, . . . , n} de modo que a interseção de
quaisquer dois deles seja vazia?
Nota: Um intervalo de inteiros é um conjunto de um ou mais inteiros consecutivos.
2. (4 pontos) Seja n um inteiro positivo e seja C um disco fechado em R2 de área maior que
n. Prove que existe uma traslação de C que contém pelo menos n + 1 pontos (a, b) con
coordenadas a, b ∈ Z.
p
3. (4 pontos) São escritas todas as frações q com 0 ≤ p ≤ q e q > 0 em uma sequência da
seguinte forma:

0 1 0 1 2 0 1 2
, , , , , , , ,...
1 1 2 2 2 3 3 3
Em torno de cada fração pq construı́mos um intervalo aberto de comprimento 2−(k(p,q)+1)
centrado em pq , onde k(p, q) é a posição que corresponde à fração pq na sequência. Prove que
√1 não pertence à união dos intervalos.
2

4. (5 pontos)
√ Seja n um inteiro maior ou igual a 3. Tomemos os números complexos ak =
k + i k 2 − 1 para k = 1, 2, . . . , n. Seja p(x) o polinômio (x − a1 )(x − a2 ) . . . (x − an ). Prove
que
Z R
1
lim dx = 0.
R→∞ −R p0 (x)
.
5. (5 pontos) Prove que existe uma função f : [0, 1] → R infinitamente diferenciável com
derivadas contı́nuas no domı́nio [0, 1] tal que para qualquer função g : [0, 1] → R contı́nua e
qualquer  > 0 existem um número N e números reais a0 , a1 , . . . , aN tais que

N
!2
Z 1 X
(i)
g(x) − ai f (x) dx < .
0 i=0

Nota: Aqui f (i) denota a i−ésima derivada de f se i > 0 e f (0) = f .

1
6. (6 pontos) Sejam a, b, c números reais positivos distintos. Definimos L(a, b, c) como

2a 2b 2c
+ + .
(log a − log b)(log a − log c) (log b − log c)(log b − log a) (log c − log a)(log c − log b)

Prove que


3 a+b+c
abc ≤ L(a, b, c) ≤ .
3
Nota: L(a, b, c) é conhecida como a média logarı́tmica dos números a, b, c.

7. (7 pontos) Seja q uma potência de um primo ı́mpar p. Seja Fq o corpo finito com q elementos
e GL2 (q) o conjunto das matrizes 2 × 2 invertı́veis com entradas em Fq . Se M ∈ GL2 (q),
definimos a ordem de M como o menor inteiro positivo k tal que M k = I, a matriz identidade.
Prove que

(a) Se det(M ) = 1, então a ordem de M divide q − 1, q + 1 ou 2p.


(b) Se t é um inteiro positivo que divide q − 1, q + 1 ou 2p, então existe M ∈ GL2 (q) tal que
det(M ) = 1 e a ordem de M é t.

2
XVIII Olimpı́ada Ibero-americana de Matemática Universitária 2015

1. (3 pontos) Sejam a e b números reais tais que a < b e ab > 0. Seja f : [a, b] → [a, b] uma
função contı́nua. Mostre que existe um número real x em [a, b] tal que xf (x) = ab.

2. (4 pontos) Demonstre que 65 é o número mı́nimo de retas com as quais se pode construir um
polı́gono (não convexo) de 2015 lados tal que estas retas contêm todos os lados do polı́gono.

3. (4 pontos) Seja n ∈ N. Definimos M : Rn → Rn como

M (v1 , v2 , . . . , vn−1 , vn ) = (vn , vn−1 , . . . , v2 , v1 ).

Determine todos os números n ∈ N para os quais existe L : Rn → Rn linear tal que L2 = M .

4. (5 pontos) Seja (an ) uma sequência crescente de inteiros positivos.


P 1
a) Demonstre que se ∞ n=1 an é finita então existe um conjunto infinito de inteiros positivos,
digamos S, de modo que a soma de qualquer quantidade finita de elementos distintos de
S não é um termo da sequência (an ).
P 1
b) Será possı́vel que ∞n=1 an divirja mas que ainda assim exista um conjunto S com as
propriedades do item anterior?

5. (5 pontos) Demonstre que


2π 4π 4π 8π 8π 2π 1
cos cos + cos cos + cos cos =− .
7 7 7 7 7 7 2

6. (7 pontos) Encontre um inteiro positivo m tal que os números da forma a2015 + b2015 ,
m
divididos por m, tenham menos de restos diferentes.
5
P
7. (8 pontos) Sejam a1 , a2 , .., ak números inteiros distintos com ki=1 ai = n, seja g a permu-
tação dada por:

g = (1, 2, ..., a1 )(a1 + 1, a1 + 2, ..., a1 + a2 )(a1 + a2 + 1, ...a1 + a2 + a3 )...(a1 + · · · + ak−1 + 1, ..., n)

Mostre que o centralizador de g em Sn , o grupo simétrico em n letras, é um grupo abeliano.


Observação: O centralizador de g em Sn é o subgrupo das permutações em Sn que comutam
com g e um grupo é abeliano se xy = yx para todo x, y no grupo.

1
XIX Olimpı́ada Iberoamericana de Matemática Universitária 2016

Problema 1. (3 pontos). Seja f : R+ → R uma função contı́nua e estritamente crescente.


Prove que as duas condições seguintes são equivalentes:
(i) Se f (x) ∈ Z, então x ∈ Z.
(ii) bf (x)c = f (bxc), ∀x ∈ R+ .

Problema 2. (4 pontos). Sejam a1 < a2 < ... < an inteiros positivos ı́mpares.
Prove que

1 1 1 1 3
+ + + ··· + < .
a1 [a1 , a2 ] [a1 , a2 , a3 ] [a1 , a2 , ..., an ] 2

Aqui [a1 , a2 , ..., ai ] é o mı́nimo múltiplo comum dos números a1 , a2 , ..., ai .

Problema 3. (4 pontos). Os números reais positivos a, b e c satisfazem a condição de que


ab + ac + bc ≤ 3abc. Prove que

a3 + b3 + c3 ≥ a + b + c.

Problema 4. (5 pontos). Seja G um grupo onde todo elemento x ∈ G, com x 6= 1, tem ordem
p. Mostre que se em qualquer subconjunto A de G com p2 − 1 elementos, há p deles que comutam
dois a dois, então G é um grupo Abeliano.

Problema 5. (5 pontos). Encontre todas as funções f : R → R que satisfazem:

f (x + yf (x)) + f (y − f (x)) = 2xf (y), para todos os números reais x, y.

Problema 6. (7 pontos). Para um inteiro positivo n, uma arrumação n-bicolorida consiste de 3


triângulos vermelhos e n triângulos azuis que satisfazem as seguintes condições:
• Não existe uma reta que passe pelos três triângulos vermelhos.
• Cada triângulo vermelho e cada triângulo azul se intersectam.
Determine o menor valor de k para o qual para qualquer arrumação n-bicolorida se possam encontrar
k pontos do plano que toquem todos os triângulos azuis da arrumação.

1
Problema 7. (7 pontos). (a) Seja K um inteiro positivo e seja f (x) um polinômio real não nulo
π
que não tem raı́zes complexas no domı́nio definido pela condição angular |arg z| < 2K . Prove que
existe um polinômio real diferente de zero g(x) tal que os coeficientes de g(x) sejam todos não
negativos, f (x) divide g(x) e grau g ≤ K · grau f.
(b) Construa para todo inteiro positivo K um polinômio real não nulo f (x) que não tenha raı́zes
π
complexas no domı́nio definido pela condição angular |arg z| < 2K e que satisfaça a propriedade de
que todo polinômio não nulo g(x) divisı́vel por f (x), que tenha somente coeficientes não negativos,
também satisfaça grau g ≥ K · grau f.

2
XX Olimpı́ada Iberoamericana de Matemática Universitária 2017

1. (3 pontos). Seja n ≥ 1 e sejam k0 , . . . , kn+1 inteiros positivos. Prove que existem inteiros
m1 , . . . , mn tais que

mdc(k0 , . . . , kn+1 ) = mdc(k0 + m1 k1 + . . . + mn kn , kn+1 ).

Nota: mdc denota o máximo divisor comum.

2. (3 pontos). Seja S = {1, 2, 3, . . . , 2017}. Um jardineiro planta grama em S da seguinte forma:


em cada dia o jardineiro pode plantar grama em apenas um elemento de S, a sua escolha;
além disso, se o número i está coberto de grama, no dia seguinte esta grama terá se estendido
e cobrirá os números i − 1, i, e i + 1 (desde que os ı́ndices correspondentes estejam em S).
Determine a menor quantidade de dias que o jardinero precisa para conseguir cobrir todo o
S de grama.

3. (4 pontos). Sejam P, Q, R pontos colineares no plano, com Q estritamente entre P e R,


distinto do ponto médio de P R. Seja H o ramo da hipérbole, com focos P e R, que passa
por Q. Determine o lugar geométrico dos incentros dos triângulos HP R ao variar o ponto H
sobre H \ {Q}.
Nota: O incentro de um triângulo é o centro de seu cı́rculo inscrito.

4. (5 pontos). Determine todas as funções f : R → R que satisfazem f (x)f (y) = f (x + y) e


f (x) ≥ 1 + x, para quaisquer x, y ∈ R.

5. (6 puntos). Seja {xn } uma sequência de números reais limitada. Para {xnk } e {xmk } duas
subsequências, definimos a relação de equivalência {xnk } ∼ {xmk }, se limk→∞ (xnk −xmk ) = 0.
Seja C o conjunto das classes de equivalência. Prove que |C| = 1 ou C é não enumerável.

6. (7 puntos). Seja K um corpo finito, K 6= Z/5Z, e considere os conjuntos A = {a2 : a ∈ K},


B = {b4 : b ∈ K}. Prove que todo elemento de K pode ser escrito como soma de um elemento
de A com outro de B.

1
7. (7 pontos). Sejam a < b < c < d números reais tais que
1
f (x) = p .
|x − a| · |x − b| · |x − c| · |x − d|

Prove que
Z b Z d
f= f.
a c

2
XV Olimpı́ada Iberoamericana de Matemática Universitaria 2012

1o de dezembro de 2012 - Duração: 5 horas

1. (3 pontos) Seja Z o anel dos inteiros. Os conjuntos Z, 2Z e 3Z são semigrupos com relação
à multiplicação. Quais deles são isomorfos?
Nota: Um semigrupo é um conjunto não vazio com operação binária associativa. Dois se-
migrupos G e H são isomorfos se existe una bijeção f entre eles tal que ela e sua inversa
preservem a operação de semigrupo.

2. (4 pontos) Seja n um inteiro positivo e f : [0, 1] → R uma função contı́nua, diferenciável em


(0, 1), com f (0) = 0 e f (1) = 1. Demonstre que existem n reais distintos α1 , . . . , αn tais que

n
X 1
= n.
f 0 (α k)
k=1

3. (4 pontos) Encontre todas as ternas (x, y, z) de inteiros que satisfazem

x2 + 7y 2 = 2012z 2 .

4. (4 pontos) Determine se a seguinte série converge ou não e, caso convirja, calcule seu valor:

∞  
X 1
arctan .
1 + n + n2
n=0

5. (6 puntos) A matriz M é 3 × 3 e tem entradas inteiras. Seu determinante é 1. Mostre que


existe um vetor v ∈ Z3 tal que v T M v = 1.

6. (6 puntos) Um conjunto de pontos é rifado se não há 3 puntos colineares, não há 4 pontos em
uma mesma circunferência e para quaisquer 5 pontos distintos A, B, C, D e E os triângulos
ABC, ACD e ADE têm circunraios distintos.
Mostre que se temos um conjunto rifado de 2012 pontos no plano, então é possı́vel escolher 8
deles tais que todos os triângulos que se podem formar com cada três deles têm circunraios
distintos.
Nota: O circunraio de um triângulo ABC é o raio da circunferência que passa por A, B e C.

1
7. (7 pontos) Seja D = {z ∈ C : |z| < 1} o disco unitário no plano complexo e 0 < a < 1
um número real. Suponhamos que f : D → C é uma função holomorfa tal que f (a) = 1 e
f (−a) = −1.

(a) Mostre que:


1
sup f (z) ≥ .
z∈D a
(b) Mostre que se f não tem raı́zes então:

1 − a2
 

sup f (z) ≥ exp π .
z∈D 4a

2
a
XXIII OLIMPÍADA de MAIO
Primeiro Nível
Maio de 2017
Duração da prova: 3 horas.
Cada problema vale 10 pontos.
Não se pode usar calculadora; não se pode consultar livros nem anotações.
Justifique cada uma das suas respostas.
Ao participar você se compromete a não divulgar os problemas até 27 de maio.

PROBLEMA 1
A cada número de tres dígitos Matías somou o número que se obtém invertendo seus dígitos.
Por exemplo, ao número 927 somou o 729. Calcule em quantos casos o resultado da soma de
Matías é um número con todos os dígitos ímpares.

PROBLEMA 2
É possível pintar 33 casas de um tabuleiro 9  9 de forma que cada linha e cada coluna do
tabuleiro tenha no máximo 4 casas pintadas, mas se além delas pintamos qualquer outra casa
aparece alguma linha ou coluna com 5 casas pintadas?

PROBLEMA 3
Seja ABCD um losango de lados AB  BC  CD  DA  13 . Sobre o lado AB se constrói o
losango BAFE, exterior a ABCD e tal que o lado AF é paralelo à diagonal BD de ABCD. Se a
área de BAFE é igual a 65, calcular a área de ABCD.

PROBLEMA 4
Seja n um inteiro par maior que 2. Sobre os vértices de um polígono regular de n lados podem
ser colocadas fichas vermelhas ou azuis. Dois jogadores, A e B, jogam alternadamente do
seguinte modo: cada jogador, na sua vez, escolhe dois vértices que não tenham fichas e coloca
em um deles uma ficha vermelha e no outro uma ficha azul. O objetivo de A é conseguir que
haja três vértices consecutivos com fichas da mesma cor. O objetivo de B é impedir que isto
aconteça. No começo do jogo não há fichas em nenhum dos vértices.
Prove que independentemente de quem começe a jogar, o jogador B sempre poderá conseguir
seu objetivo.

PROBLEMA 5
Dizemos que dois números inteiros positivos a e b formam um par adequado se ab divide ab
(sua soma divide seu produto). Encontre 24 números inteiros positivos que possam ser
distribuídos em 12 pares adequados, de modo que cada um desses números apareça em um só
par e o maior dos 24 números seja o menor possível.
a
XXIII OLIMPÍADA de MAIO
Segundo Nível
Maio de 2017
Duração da prova: 3 horas.
Cada problema vale 10 puntos.
Não se pode usar calculadora; não se pode consultar livros nem anotações.
Justifique cada uma das suas respostas.
Ao participar você se compromete a não divulgar os problemas até 27 de mayo.

PROBLEMA 1
Dizemos que um número inteiro positivo é ascendente se seus dígitos lidos da esquerda para a direita
estão em ordem estritamente crescente. Por exemplo, 458 é ascendente e 2339 não é.
Determine o maior número ascendente que é múltiplo de 56.

PROBLEMA 2
Varios números reais diferentes estão escritos no quadro. Se a, b, c são três destes números, dois a dois
distintos, ao menos uma das somas a  b, b  c, c  a também é um dos números do quadro. Qual é a
maior quantidade de números que podem estar escritos no quadro?

PROBLEMA 3
Em um quadrilátero ABCD se verifica que ABC   ADC  90o e BCD é obtuso. No interior do
quadrilátero se localiza o ponto P tal que BCDP é un paralelogramo. A reta AP corta o lado BC em M.
Além disso, BM  2 , MC  5 e CD  3 .
Determine o comprimento de AM.

PROBLEMA 4
Consideramos todos os números de 7 dígitos que se obtém permutando de todas as maneiras possíveis
os dígitos de 1234567. Quantos deles são divisíveis por 7?

PROBLEMA 5
Ababa brinca com uma palabra formada pelas letras de seu nome e se colocou certas regras:
Se encontra um A seguido imediatamente por um B pode substituí-los por BAA.
Se encontra dois B’s consecutivos pode apagá-los.
Se encontra três A’s consecutivos pode apagá-los.
Ababa começa com a palavra ABABABAABAAB. Com as regras anteriores, quantas letras tem a
palavra mais curta a que pode chegar? Por que não pode chegar a uma palavra mais curta?
2a Olimpı́ada de Matemática da Comunidade
dos Paı́ses de Lı́ngua Portuguesa

Salvador, 24 de julho de 2012


Primeiro Dia
Tempo 4h30min

Cada problema vale 7 pontos

Problema 1
Arnaldo e Bernaldo treinam para uma maratona ao longo de uma pista circular, a qual possui em seu centro
um mastro com uma bandeira hasteada. Arnaldo corre mais rápido que Bernaldo, de modo que a cada 30
minutos de corrida, enquanto Arnaldo dá 15 voltas na pista, Bernaldo só consegue dar 10 voltas completas.
Arnaldo e Bernaldo partiram no mesmo instante da linha inicial e correram com velocidades constantes,
ambos no mesmo sentido. Entre o minuto 1 e o minuto 61 da corrida, quantas vezes Arnaldo, Bernaldo e o
mastro ficaram colineares?

Problema 2
Maria dispõe de um tabuleiro de tamanho n × n, inicialmente com todas as casas pintadas de cor branca.
Maria decide pintar algumas casas do tabuleiro de preto, formando um mosaico, como mostra a figura
abaixo, da seguinte maneira: ela pinta todas as casas do bordo do tabuleiro de preto, e em seguida deixa
pintadas de branco as casas do bordo do tabuleiro que ainda não foi pintado. Então, pinta novamente de
preto as casas do bordo do próximo tabuleiro restante, e assim sucessivamente.

a) Determine um valor de n para que o número de casas pretas seja igual a 200.
b) Determine o menor valor de n para que o número de casas pretas seja maior que 2012.

Problema 3
Seja n um inteiro positivo. Abigail e Berenice disputam o seguinte jogo, que utiliza n bolas numeradas de
1 até n. Elas dispõem de duas caixas, rotuladas com os sı́mbolos Π e Σ, respectivamente.
Na sua vez, cada jogador escolhe uma bola e a coloca em uma das caixas. Ao final, os números das bolas
que estão na caixa Π são multiplicados, obtendo-se um valor P e os números das bolas que estão na caixa
Σ são somados, obtendo-se um valor S (se a caixa Π estiver vazia, então adotamos P = 1; se a caixa Σ
estiver vazia, adotamos S = 0). Elas jogam alternadamente, iniciando por Abigail, até que não haja mais
bolas fora das caixas.
Se o valor de P + S for par, Abigail ganha. Caso contrário, Berenice ganha.
a) Qual jogador possui estratégia vencedora para n = 6?
b) Qual jogador possui estratégia vencedora para n = 2012?
2a Olimpı́ada de Matemática da Comunidade
dos Paı́ses de Lı́ngua Portuguesa

Salvador, 25 de julho de 2012


Segundo Dia
Tempo 4h30min

Cada problema vale 7 pontos

Problema 4
Uma formiga decide passear sobre o perı́metro de um triângulo ABC. A formiga pode começar em qualquer
vértice. Sempre que a formiga está num vértice, ela escolhe um dos vértices adjacentes e caminha diretamente
(em linha reta) até o vértice escolhido.
a) De quantos modos a formiga pode passear visitando cada vértice exatamente duas vezes?
b) De quantos modos a formiga pode passear visitando cada vértice exatamente três vezes?
Observação: Em cada item, considere que o vértice inicial é visitado.

Problema 5
Arnaldo e Bernaldo estão brincando no quadro da sala de aula da seguinte maneira: eles escrevem inicial-
mente no quadro um número inteiro positivo n. Então, alternadamente, começando com Arnaldo, apagam
o número que está no quadro e escrevem um novo número que pode ser:
• o que acabou de ser apagado menos a maior potência de 2 (com expoente inteiro não-negativo) menor do
que ou igual ao número apagado;
• o que acabou de ser apagado dividido por 2, caso o número apagado seja par.
Vence a brincadeira quem obtiver primeiro o número zero.
a) Determine qual dos jogadores possui uma estratégia vencedora para n = 40 e descreva-a.
b) Determine qual dos jogadores possui uma estratégia vencedora para n = 2012 e descreva-a.

Problema 6
Um quadrilátero ABCD está inscrito numa circunferência de centro O. Sabe-se que as diagonais AC e
BD são perpendiculares. Sobre cada um dos lados construı́mos semicı́rculos, externamente, como mostra a
figura.
a) Mostre que os triângulos AOB e COD têm a mesma área.
b) Se AC = 8 cm e BD = 6 cm, determine a área da região sombreada.

B O

C
Atlántida, segunda-feira 18 de agosto de 2014.-

Duração da prova: 3 horas e meia.


Versão em Português.
Cada problema vale 10 pontos.
Primeiro Dia

Problema 1

Em uma lousa, estão escritos os números inteiros de 1 a 2014, inclusive. A operação válida é escolher dois
números a e b, apagar eles e no seu lugar escrever o mínimo múltiplo comum do par (a,b) e o máximo
divisor comum do par (a,b).

Mostre que, sem importar a quantidade de operações que sejam realizadas, a soma dos números que ficam
escritos na lousa sempre é maior que 2014  2014 2014! .

Problema 2

Um par de inteiros positivos  a, b  é chamado charrúa se existe um inteiro positivo c tal que a  b  c
e a  b  c sejam ambos quadrados perfeitos; caso não exista tal número c, o par é chamado não-charrúa.

a) Mostre que existem infinitos pares não-charrúas.


b) Mostre que existem infinitos inteiros positivos n para os quais o par  2, n  é charrúa.

Problema 3

Seja ABCD um retângulo, P um ponto exterior tal que o ângulo BPC  90º e a área do pentágono ABPCD é
igual a AB 2 .

Prove que é possível dividir o pentágono ABPCD em três pedaços através de cortes retos de tal modo que
com esses pedaços se pode construir um quadrado sem buracos e sem superposição.

Observação: Os pedaços podem girar e podem ser virados.


Atlántida, terça-feira 19 de agosto de 2014.-

Duração da prova: 3 horas e meia.


Versão em Português.
Cada problema vale 10 pontos.
Segundo Dia

Problema 4

Mostre que o número n2  22014  2014n  42013  20142  1 , com n natural, não pode ser primo.

Problema 5
Seja ABCD um quadrilátero inscrito em uma circunferência de centro O. Este ponto O está no interior do
 
quadrilátero de modo que os ângulos BAC  ODA são iguais. As diagonais desse quadrilátero se cortam no
ponto E. Por E são traçadas a reta r perpendicular a BC e a reta s perpendicular a AD. A reta r intersecta AD
em P e a reta s intersecta BC em M. Seja N o ponto médio de EO.

Mostre que M, N e P são colineares.

Problema 6

Dada uma família F de subconjuntos de S  1, 2,..., n ( n  2 ), a jogada permitida é escolher dois conjuntos
disjuntos A e B de F e adicionar A  B a F (sem excluir nem A nem B).

Inicialmente, F possui exatamente todos os subconjuntos que contém apenas um elemento de S. O objetivo é
que, através de jogadas permitidas, F possua todos os subconjuntos de n  1 elementos de S.

Determine o menor número de jogadas necessárias para alcançar o objetivo.

Observação: A  B é o conjunto formado por todos os elementos que pertencem a A, a B ou a ambos.


XX Olimpíada Matemática del Cono Sur

R
SU
Argentina 2009
O
ON
C
L
DE
A
IC
AT
EM
AT
M
DA
PIA
M
LI
°O
20

Primeiro dia
Mar del Plata, 16 de abril

Problema 1
Os quatro círculos da figura determinam 10 regiões limitadas.
Nessas regiões são escritos 10 números inteiros positivos distintos
cuja soma é 100, um número em cada região. A soma dos
números contidos em cada círculo é igual a S (a mesma para os
quatro círculos). Determine o maior e o menor valor possível de S.

Problema 2
Um corchete é composto por três segmentos de comprimento 1, que formam dois
ângulos retos como mostra a figura.

É dado um quadrado de lado n dividido em n2 quadradinhos de lado 1 por meio de retas


paralelas aos seus lados. Corchetes são colocados sobre esse quadrado de modo que
cada segmento de um corchete cubra um lado de algum quadradinho. Dois segmentos
de corchete não podem ficar sobrepostos.
Determine todos os valores de n para os quais é possível cobrir os lados dos n2
quadradinhos.

Problema 3
Sejam A, B e C três pontos tais que B é ponto médio do segmento AC e seja P um ponto
tal que ∠PBC = 60º. São construídos o triângulo equilátero PCQ tal que B e Q estão em
semiplanos diferentes em relação a PC, e o triângulo equilátero APR tal que B e R estão
no mesmo semiplano em relação a AP. Seja X o ponto de interseção das retas BQ e PC;
seja Y o ponto de interseção das retas BR e AP. Demonstre que XY e AC são paralelos.

Duração da Prova: 4 horas


XX Olimpíada Matemática del Cono Sur

R
SU
Argentina 2009
O
ON
C
L
DE
A
IC
AT
EM
AT
M
DA
PIA
M
LI
°O
20

Segundo dia
Mar del Plata, 17 de abril

Problema 4
Ana e Beto jogam em um tabuleiro de 11 linhas e 9 colunas. Primeiro Ana divide o
tabuleiro em 33 zonas. Cada zona é formada por 3 casas adjacentes alinhadas vertical ou
horizontalmente, como mostra a figura.

Depois, Beto escreve em cada casa um dos números 0, 1, 2, 3, 4, 5, de modo que a soma
dos números de cada zona seja igual a 5. Beto ganha se a soma dos números escritos em
cada uma das 9 colunas do tabuleiro é um número primo; caso contrário, Ana ganha.
Demonstre que Beto tem uma estratégia vencedora.

Problema 5
Dada uma sequência S de 1001 números reais positivos não necessariamente distintos, e
dado um conjunto A de números inteiros positivos distintos, a operação permitida é:
eleger um k ∈ A (k = 1001), selecionar k números de S, calcular a média dos k números
(média aritmética) e substituir cada um dos k números selecionados por essa média.
Se A é um conjunto tal que para cada S pode-se conseguir, mediante uma sucessão de
operações permitidas, que os números sejam todos iguais, determine o menor valor
possível do maior elemento de A.

Problema 6
Pablo tem uma certa quantidade de retângulos cujas áreas somam 3 e cujos lados são
todos menores ou iguais a 1. Demonstre que com esses retângulos é possível cobrir um
quadrado de lado 1 de modo que os lados dos retângulos sejam paralelos aos lados do
quadrado.
Nota: Os retângulos podem estar sobrepostos e podem sair parcialmente do quadrado.

Duração da Prova: 4 horas


XXII OLIMPÍADA MATEMÁTICA DO CONE SUL – BOLÍVIA

DIA 1. Coroico, 16 de Agosto de 2011

Duração: 4 horas

1. Encontrar todas as ternas de inteiros positivos (x, y, z) tais que

x 2 + y 2 + z 2 = 2011

2. Em uma lousa estão escritos os números inteiros positivos de 1 até 4n inclusive. Em cada
ab
momento, Pedro apaga dois números da lousa, a e b, e escreve o número .
2a 2 + 2b 2
Pedro repete o procedimento até que sobre apenas um número. Demostrar que este
1
número será menor que , sem importar quais números Pedro escolha em cada
n
momento.

3. Seja ABC um triângulo equilátero. P é um ponto interior tal que a raíz quadrada da
distancia de P até um dos lados seja igual à soma das raízes quadradas das distancias de P
até os outros dois lados. Encontre o lugar geométrico do ponto P.
XXII OLIMPÍADA MATEMÁTICA DO CONE SUL – BOLÍVIA

DIA 2. Coroico, 17 de Agosto de 2011

Duração: 4 horas

4. Dizemos que um número de 4 dígitos abcd é equilibrado se a + b = c + d. Encontre


todos os números equilibrados de quatro dígitos que puedem ser expresos como a soma
de dois números palíndromos.

5. Seja ABC um triângulo e D um ponto sobre o lado AC. Se ∠CBD − ∠ABD = 60° ,
∠BDC = 30° e, além disso AB· BC = BD 2 , encontre as medidas dos ângulos do triângulo
ABC.

6. Algumas casas de um tabuleiro Q (2n + 1) × (2n + 1) são pintadas de preto, de modo que
qualquer quadrado 2 × 2 de Q contenha, no máximo, 2 casas pretas. Achar o número
máximo de casas pretas que o tabuleiro pode ter.
Primer día
4 de mayo de 2016
Vicente López, Argentina

Problema 1. Seja abcd um dos 9999 números 0001, 0002, 0003, …, 9998, 9999.
Dizemos que abcd é especial se ab−cd e ab+cd são quadrados perfeitos, ab−cd divide
ab+cd, e além disso ab+cd divide abcd. Por exemplo, 2016 é especial.
Encontrar todos os números abcd especiais.
Nota. Se abcd  0206 então ab  02 e cd  06 .

Problema 2. Para cada k  1, 2,... seja sk a quantidade de soluções (x, y) da equação


kx  (k  1) y  1001  k com x, y inteiros não negativos.
Encontrar s1  s2  ...  s200 .

Problema 3. Ao redor de uma circunferência estão marcadas 2016 posições, com uma
ficha em uma delas. Um movimento legítimo é mover a ficha 1 posição ou 4 posições,
do lugar que está, no sentido horário. A restrição é que a ficha não pode ocupar a
mesma posição mais de uma vez. Os jogadores A e B se revezam em turnos nos
movimentos. A é o que move primeiro. O jogador que não pode fazer seu movimento,
perde.
Determinar qual dos jogadores tem uma estratégia vencedora.

Duração: 4 horas
Cada problema vale 10 pontos Versão em português
Segundo día
5 de mayo de 2016
Vicente López, Argentina

Problema 4. Seja S (n) a soma dos dígitos do número inteiro positivo n.


Encontrar todos os n tais que S (n)(S (n) 1)  n 1 .

Problema 5. Seja ABC um triângulo inscrito em uma circunferência de centro O. Sejam


D e E pontos dos lados AB e BC respectivamente tais que AD  DE  EC . Seja X o
ponto de intersecção das bissetrizes dos ângulos ADˆ E e DEˆ C .
Se X  O , demonstrar que as retas OX e DE são perpendiculares.

Problema 6. Diremos que três inteiros distintos são amigáveis se um deles divide o
produto dos outros dois. Seja n um número inteiro positivo.
a) Demonstrar que não existem três inteiros amigáveis no intervalo (n2 , n2  n) .
b) Determinar se para cada n existem três inteiros amigáveis no intervalo
(n 2 , n 2  n  3 n ) .

Duração: 4 horas
Cada problema vale 10 pontos Versão em português
IMC 2011 - 1o DIA

Problema 1. Seja f : R → R uma função contı́nua. Dizemos que um ponto x é sombra


se existe y ∈ R com y > x tal que f (y) > f (x). Sejam a < b números reais
tais que

• todos os pontos no intervalo I = (a, b) são sombras;


• a e b não são sombras.

Prove que
(a) f (x) < f (b) para todo a < x < b;
(b) f (a) = f (b).

Problema 2. Existe matrix real A3×3 tal que tr(A) = 0 e A2 + At = I?


Problema 3. Seja p um número primo. Dizemos que um inteiro positivo n é interessante
se
xn − 1 = (xp − x + 1)f (x) + pg(x)
onde f e g são polinômios com coeficientes inteiros.

(a) Prove que o número pp − 1 é interessante.


(b) Para qual p o número pp − 1 é o número interessante minimal?

Problema 4. Sejam A1 , A2 , . . . , An conjuntos finitos e não vazios. Defina a função

n
X X
f (t) = (−1)(k−1) t|Ai1 ∪Ai2 ...∪Aik |
k=1 1≤i1 <i2 <...<ik ≤n

Prove que f é não decrescente em [0, 1].

Problema 5. Sejam n um inteiro inteiro positivo e V um espaço vetorial de dimensão


2n − 1 sobre o corpo de dois elementos. Prove que para quaisquer vetores
arbitrarios v1 , v2 , . . . , v4n−1 , existe uma sequência 1 ≤ i1 ≤ i2 ≤ . . . ≤
i2n ≤ 4n − 1 de ı́ndices tais que vi1 + vi2 + . . . + vi2n = 0.

1
IMC 2011 - 2o DIA

Problema 1. Seja (an )∞


n−0 uma sequência com
1
2 < an < 1 para todo n ≥ 0. Defina a
sequência (xn )∞
n−0 como

an+1 + xn
x0 = a0 , xn+1 = (n ≥ 0).
1 + an+1 xn

Quais são os possı́veis valores para limn→∞ xn ? É possı́vel que essa


sequência seja divergente?
Problema 2. Uma raça alienı́gena tem três gêneros: homem, mulher e neutro. Uma
tripla casada consiste de três pessoas, um de cada gênero, os quais todos
se gostam. Cada pessoa só pode pertencer a no máximo uma tripla casada.
Sentimentos são sempre multuos - se x gosta de y, então y gosta de x.
A raça está mandando uma expedição para colonizar um planeta. A ex-
pedição tem n homens, n mulheres e n neutros. Sabe-se que cada membro
da expedição gosta de k pessoas de cada um dos dois gêneros. O problema
é criar tantas triplas casadas quanto possı́vel.
n
(a) Mostre que se n é par e k = 2, então pode ser impossı́vel criar até
mesmo uma tripla casada.
(b) Mostre que se k ≥ 3n 4 , então é sempre possı́vel criar n casamentos
disjuntos, casando assim toda os membros da expedição.

Problema 3. Determine o valor de



X 1 1 1
ln(1 + ) · ln(1 + ) · ln(1 + )
n=1
n 2n 2n + 1

Problema 4. Seja f (x) um polinômio com coeficientes reais de grau n. Suponha que
f (k)−f (m)
k−m seja inteiro para todos os inteiros 0 ≤ k < m < n. Prove que
a − b divide f (a) − f (b) para todo par de inteiros distintos a e b.
Problema 5. Seja F = A0 A1 . . . An um polı́gono convexo no plano. Para todo 1 ≤ k ≤
n − 1, defina o operador fk , que troca F por um novo polı́gono

fk (F ) = A0 . . . Ak−1 A0k Ak−1 . . . An ,

onde A0k é o ponto simétrico a Ak com respeito à mediatriz de Ak Ak−1 .


Prove que (f1 ◦ f2 ◦ . . . ◦ fn−1 )n (F ) = F . Assuma que todas as operações
sejam bem definidas nos polı́gonos considerados, isto é, que os resultados
sejam novamento polı́gonos convexos (A0 , A1 , . . . , An são os vertices de F
em ordem consecutiva).

2
39a OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA
1a Fase – Nı́vel Universitário

Problema 1. Determine o menor número positivo A tal que, dados dois quadrados cuja soma das áreas é
igual a 2017, é sempre possı́vel encaixar esses dois quadrados, sem sobreposição, num retângulo de área A,
sendo os lados dos quadrados paralelos aos lados do retângulo.

n
k
Problema 2. Considere a sequência an = ∑ k , para n ≥ 1.
k =1 2

a) Determine lim an .
n→∞
 n +1
2n (2 − a n )

b) Determine lim .
n→∞ n+1

x2 y2
Problema 3. Considere a elipse de equação + = 1. Um semi-diâmetro da elipse é um segmento OM,
a2 b2
onde O = (0, 0) é o centro da elipse e M é um ponto da elipse. Um ângulo reto formado por dois semi-diâmetros
da elipse OM e ON gira ao redor do ponto O.

1 1
a) Demonstre que + é constante.
OM2 ON 2
b) Ache a envoltória da famı́lia formada pelas cordas MN.

Obs.: A envoltória de uma famı́lia de cordas é uma curva fechada que é tangente a todas as cordas da famı́lia.

Problema 4.
Defina f : (0, +∞) → R por

1 1 1 1 1
f (x) = ∑ ( x + k ) 2
= 2+
x ( x + 1 ) 2
+
( x + 2 ) 2
+···+
( x + k )2
+··· .
k ≥0

Obtenha constantes a 6= 0 e b e c tais que valha

f ( x ) = x −c ( a + bx −1 + r ( x )),

com
lim x · r ( x ) = 0.
x →+∞

Problema 5. Determine o menor inteiro positivo m tal que para qualquer escolha de m inteiros em
[−2017, 2017] existem três deles cuja soma é zero.

Problema 6. Sejam k1 , k2 , · · · , k n inteiros não-negativos. Seja M a matriz n × n com entradas


d
Mi,1 = tki , Mi,j+1 = M .
dt i,j
Prove que exitem constantes C e r para as quais

det( M) = Ctr .

Encontre fórmulas simples para C e r.

39a Olimpı́ada Brasileira de Matemática – 1a Fase – Nı́vel Universitário – www.obm.org.br 1


XL Olimpı́ada Brasileira de Matemática - Nı́vel Universitário
VIII Concurso Universitário de Matemática Galois-Noether 2018
Primeira Fase

Sexta-feira, 4 de maio de 2018

Bem-vindo à Primeira Fase da XL Olimpı́ada Brasileira de Matemática - Nı́vel Universitário


e do VIII Concurso Universitário de Matemática Galois-Noether

• Marque seus resultados na folha de respostas anexa. Cada resposta correta vale um ponto.
• Duração: 3 horas.
• Lembre-se de que você não pode usar calculadoras, telefones celulares, tabelas, livros, anotações,
etc.
• Não comente nem divulgue esta prova até o dia 6 de maio.

1. Um triângulo equilátero é cortado da maneira indicada na figura 1 e as partes são usadas


para formar a figura 2.

b b b

1
3 1
b b

b b

2 3
4 4
b
2
b b b b b b b

Qual é a forma da figura 2?

(a) Um quadrado (b) Um retângulo (c) Um losango (d) Nenhuma das anteriores

2. Sejam f, g : R → R funções tais que f (x + g(y)) = −x + y + 1 para cada par de números reais
x e y. Qual é o valor de g(x + f (y))?
(a) x + y − 1 (b) x − y + 1 (c) −x + y + 1 (d) −x + y − 1

1
3. Quantas permutações a1 , a2 , a3 , a4 de 1, 2, 3, 4 satisfazem a condição de que, para k = 1, 2, 3,
a lista a1 , . . . , ak contém um número maior do que k?
(a) 10 (b) 11 (c) 13 (d) 15

4. Considere a propriedade de que cada elemento a de um grupo G satisfaça a2 = e, sendo e


o elemento identidade do grupo. Qual das seguintes afirmações nem sempre vale para um
grupo G com essa propiedade?
(a) G é comutativo (b) G tem ordem infinita ou par (c) G é Noetheriano (d) G é espaço
vetorial sobre Z2

5. Considere o conjunto  
j 100
A= + j = 1, 2, 3, . . . .
4 j
Qual é o menor número que pertence ao conjunto A?
(a) 2 (b) 5 (c) 10 (d) 20

6. Dado um triângulo equilátero ABC no plano, quantos pontos P no plano são tais que os três
triângulos AP B, BP C e CP A são isósceles e não degenerados?
(a) 1 (b) 4 (c) 7 (d) 10

7. A menos de isomorfismos, quantos grafos simples de quatro vértices existem?


(a) 4 (b) 5 (c) 9 (d) 11

8. Um estudante vai prestar um exame no qual tem que resolver três problemas escolhidos ao
acaso de uma lista de 10 problemas possı́veis. Ele será aprovado se resolver corretamente dois
problemas. Considerando que o estudante sabe resolver cinco dos problemas da lista e não
sabe resolver os outros, qual é a probabilidade de que ele passe no exame?
1
(a) 10 (b) 51 (c) 21 (d) 41

9. Quantas funções f : {1, 2, 3} → {1, 2, 3} satisfazem f (f (x)) = f (f (f (x))) para todo x?


(a) 12 (b) 10 (c) 9 (d) 16

10. Quantos pares ordenados de números reais (a, b) satisfazem a igualdade

sin2 x 1
lim ax
= ?
x→0 e − 2bx − 1 2

(a) 0 (b) 1 (c) 2 (d) infinitos

11. Considere a famı́lia F de todas as funções deriváveis f : R → R que satisfazem, para qualquer
par de números reais x e y, à seguinte condição:
 
f (x) − f (y) ′ x+y
=f .
x−y 2

2
Qual dos enunciados a seguir é verdadeiro?

(a) F é a famı́lia de todas as funções constantes (b) F é a famı́lia de todos os polinômios


(c) Todas as funções de F são de classe C ∞ (d) Todas as funções de F são da forma
f (x) = ax + b

12. Seja ABC um triângulo equilátero. Escolhe-se ao acaso um ponto P no interior desse
triângulo. Qual é a probabilidade de que a soma das distâncias do ponto P aos lados do
triângulo ABC sejam as medidas dos lados de um triângulo?

1 1 1 1
(a) 2 (b) 3 (c) 6 (d) 4

13. Uma função contı́nua f : R → R satisfaz f (x)f (f (x)) = 1 para todo x real e f (2020) = 2019.
Qual é valor de f (2018)?
1 1
(a) 2018 (b) 2020 (c) 2019 (d) 2018

14. Qual é a média aritmética de todos os valores da expressão

|a1 − a2 | + |a3 − a4 |

na qual a1 , a2 , a3 , a4 é uma permutação dos elementos do conjunto {1, 2, 3, 4}?


(a) 13 10
(b) 24 (c) 10
3 (d) 3

15. Um número real a é escolhido de forma aleatória e uniforme no intervalo [−3, 4]. Qual é a
probabilidade de que todas as raı́zes do polinômio x3 + ax2 + ax + 1 sejam reais?
(a) 21 (b) 37 (c) 74 (d) 31

16. Um número inteiro positivo de pelo menos dois algarismos escrito na base 10 é chamado
ascendente se os algarismos aumentam de valor da esquerda para a direita. Por exemplo, 123
é ascendente, mas 132 y 122 não o são. Quantos números ascendentes existem?
(a) 502 (b) 503 (c) 511 (d) 513

17. Na figura, um semicı́rculo é dobrado ao longo da corda AN e intersecta o diâmetro M N em


B. Sabe-se que M B : BN = 2 : 3 y M N = 10. Se AN = x, qual é o valor de x2 ?

A
b

b b b
M B N

3
(a) 72 (b) 80 (c) 100 (d) 144

18. Considere a matriz  


0 1 2
A = 0 0 1 .
0 0 0
Para quantos números naturais n existe uma matriz real X tal que X n = A?
(a) 1 (b) 2 (c) 3 (d) infinitos

19. Qual é a maior quantidade de soluções complexas z que pode ter um sistema da forma

|z − 1||z + 1| = 1
Im(z) = b ?

(onde b é uma constante real). (a) 0 (b) 2 (c) 3 (d) 4

20. Qual é a maior quantidade de pontos que podem existir num plano de modo que cada distância
entre quaisquer dois deles seja um número inteiro ı́mpar?

(a) 3 (b) 4 (c) 5 (d) 6

21. Considere p(x) = xn + an−1 xn−1 + · · · + a1 x + 1 um polinômio de coeficientes reais positivos,


grau n ≥ 2 e com n raı́zes reais. Qual das afirmações a seguir é sempre verdadeira?

(a) p(2) < 2(2n−1 + 1) (b) p(1) < 3 (c) p(1) ≥ 2n (d) p(3) < 3(2n−1 − 2)


22. Qual é o valor da integral imprópria 0 log(sin(x))dx?
(a) π log 2 (b) log 2 (c) − log 2 (d) −π log 2

23. Para quantos números primos p o número p3 − 4p + 9 é um quadrado perfeito?


(a) 2 (b) 3 (c) 5 (d) 7
24. Qual é o valor da série
X 1
?
5l 3m 2n
1≤l<m<n

1 1 84 29
(a) 30 (b) 145 (c) 29 (d) 30

25. Considere o grupo de automorfismos do grupo aditivo Z/(10) dos inteiros módulo 10, ou seja,

A = {ϕ : Z/(10) → Z/(10) | ϕ é automorfismo}.

Qual das seguintes afirmações é falsa?


(a) A ordem de A é par (b) A é abeliano (c) Existe ϕ 6= Id em A com ordem ı́mpar (d)
A × A não é cı́clico

4
39a OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA
2a Fase – Nı́vel Universitário
PRIMEIRO DIA

Problema 1.
Dizemos que um polinômio é positivista se ele pode ser escrito como o produto de dois polinômios não constan-
tes com coeficientes reais maiores ou iguais a 0. Seja f ( x ) um polinômio não nulo tal que f ( x n ) é positivista
para algum inteiro positivo n. Prove que f ( x ) é positivista.

Observação: O enunciado do problema 1, tal como proposto, está incorreto. Faltou adicionar a hipótese de
que f tem grau maior que 1 (ou, alternativamente, que o coeficiente constante de f é não-nulo). A conclusão
do problema, tal como proposto, é falsa para f ( x ) = cx, com c inteiro positivo. Os alunos que derem um
contra-exemplo correto ganharão pontuação total, bem como os alunos que corrigirem o enunciado agregando
uma hipótese como as mencionadas acima e a partir daı́ resolverem o problema. A banca da prova pede
desculpas a todos pelo ocorrido.

Problema 2.
Fixados os inteiros positivos a e b, mostre que o conjunto dos divisores primos dos termos da sequência
an = a · 2017n + b · 2016n é infinito.

Problema 3.
Sejam X = {( x, y) ∈ R2 |y ≥ 0, x2 + y2 = 1} ∪ {( x, 0), −1 ≤ x ≤ 1} o bordo de um semi-disco fechado de raio 1.

a) Seja n > 1 um inteiro e P1 , P2 , . . . , Pn ∈ X. Prove que existe uma permutação σ : {1, 2, . . . , n} → {1, 2, . . . , n}
tal que
n
∑ | Pσ( j+1) − Pσ( j) |2 ≤ 8,
j =1

onde definimos σ (n + 1) = σ(1).


b) Determine os conjuntos { P1 , P2 , . . . , Pn } ⊂ X tais que, para qualquer permutação σ : {1, 2, . . . , n} →
{1, 2, . . . , n},
n
∑ | Pσ( j+1) − Pσ( j) |2 ≥ 8.
j =1

(onde σ(n + 1) = σ (1)).

39a Olimpı́ada Brasileira de Matemática – 2a Fase – Nı́vel Universitário – www.obm.org.br 1


39a OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA
2a Fase – Nı́vel Universitário
SEGUNDO DIA

Problema 4.
Seja ( an )n≥1 uma sequência de termos (estritamente) positivos com lim an = 0 tal que, para um certo c > 0 e
para todo n ≥ 1, | an+1 − an | ≤ c · a2n . Prove que existe d > 0 com n · an ≥ d, ∀n ≥ 1.

Problema 5.
Sejam d ≤ n inteiros positivos e A uma matriz real d × n, a qual induz uma transformação linear de Rn em Rd
por v → A.v (vemos os elementos de Rn como vetores coluna). Seja σ( A) o supremo sobre todos os subespaços
W de dimensão d de Rn de infv∈W,|v|=1 | A · v|.
Para cada j ≤ d, seja r ( j) ∈ Rn o j-ésimo vector-linha de A, ou seja, r ( j) = At · e j , onde e j é o j-ésimo elemento
da base canônica de Rd . Prove que

σ ( A) ≤ min d(r (i ), hr ( j), j 6= i i) ≤ n · σ ( A).
i ≤d

Obs.: | · | denota a norma euclidiana; At é a matriz transposta de A; d(r (i ), hr ( j), j 6= i i) denota a distância de
r (i ) ao subespaço de Rn gerado pelos vetores r ( j), 1 ≤ j ≤ d, j 6= i.

Problema 6.
Vamos considerar aqui palavras sobre o alfabeto { a, b}: sequências de a’s e b’s de comprimento finito. Escrevemos
u ≤ v se u é uma subpalavra de v, isto é, podemos obter u a partir de v apagando algumas letras de v (exemplo:
aba ≤ abbab). Dizemos que uma palavra u distingue as palavras x e y se u ≤ x mas não vale que u ≤ y ou
vice-versa (não vale que u ≤ x mas u ≤ y).
Sejam m e l inteiros positivos. Dizemos que duas palavras x e y são m-equivalentes se não existe u de comprimento
≤ m que distingue x e y.
a) Prove que se 2m ≤ l, então existem duas palavras distintas x e y de comprimento l que são m-equivalentes.
b) Prove que se 2m > l, então duas palavras distintas x e y de comprimento l não podem ser m-equivalentes.

39a Olimpı́ada Brasileira de Matemática – 2a Fase – Nı́vel Universitário – www.obm.org.br 2


XXXI OLIMPÍADA IBEROAMERICANA DE MATEMÁTICA
Dia 1
27 de Setembro de 2016

Problema 1
Determine todos os números primos positivos p, q, r, k tais que pq + qr + rp = 12k + 1.

Problema 2
Encontre todas as soluções reais positivas do sistema de equações:
1
x=
y2
+y−1
1
y= 2
z +z−1
1
z= 2
x +x−1

Problema 3
Seja ABC um triângulo acutângulo cuja circunferência circunscrita é Γ. As tangentes
a Γ por B e C se intersectam em P . Sobre o arco AC que não contém B considera-se
um ponto M, diferente de A e de C, tal que a reta AM intersecta a reta BC em K.
Sejam R o ponto simétrico de P em relação à reta AM e Q o ponto de interseção das
retas RA e P M. Sejam J o ponto médio de BC e L o ponto onde a paralela a P R por
A intersecta a reta P J. Mostre que os pontos L, J, A, Q e K pertencem a uma mesma
circunferência.

Duração da prova: 4 horas e 30 minutos.


Pontuação de cada problema: 7 pontos
XXXI OLIMPÍADA IBEROAMERICANA DE MATEMÁTICA
Dia 2
28 de Setembro de 2016

Problema 4
Determine a maior quantidade de bispos que podem ser colocados num tabuleiro de
xadrez 8 ×8 tal que não existam dois bispos na mesma casa e cada bispo seja ameaçado
por no máximo um dos outros bispos.
Nota: Um bispo ameaça outro se eles se encontram em duas casas distintas de uma
mesma diagonal. As diagonais do tabuleiro são as 2 diagonais principais e as suas
paralelas.

Problema 5
As circunferências C1 e C2 se intersectam em dois pontos distintos A e K. A tangente
comum a C1 e C2 mais próxima de K é tangente a C1 em B e a C2 em C. Sejam P o
pé da perpendicular por B a AC e Q o pé da perpendicular por C a AB. Se E e F são
os pontos simétricos de K em relação às retas P Q e BC, respectivamente, prove que
os pontos A, E e F são colineares.

Problema 6
Sejam k um inteiro positivo e a1 , a2 , . . . , ak digitos. Prove que existe um inteiro positivo
n tal que os últimos 2k digitos de 2n são, nessa ordem, a1 , a2 , . . . , ak , b1 , b2 , . . . , bk , para
certos digitos b1 , b2 , . . . , bk .

Duração da prova: 4 horas e 30 minutos.


Pontuação de cada problema: 7 pontos
The 6th Romanian Master of Mathematics Competition
Dia 1: Sexta-feira, 1 de março de 2013, Bucareste

Language: Portuguese

Problema 1. Dado um inteiro positivo a, definimos a sequência de inteiros


x1 , x2 , . . . por x1 = a e xn+1 = 2xn + 1, n ≥ 1. Seja yn = 2xn − 1. Determine
o maior valor de k para o qual existe um inteiro positivo a tal que todos os
números y1 , . . . , yk são primos.
(Russia) Valery Senderov

Problema 2. Existe um par (g, h) de funções g, h : R → R tal que a única


função f : R → R que satisfaz f (g(x)) = g(f (x)) e f (h(x)) = h(f (x)) para
todo x ∈ R é a função identidade f (x) ≡ x?
(United Kingdom) Alexander Betts

Problema 3. Seja ABCD um quadrilátero inscrito em um circulo ω. As


retas AB e CD cortam-se em P , as retas AD e BC cortam-se em Q e
as diagonais AC e BD cortam-se em R. Seja M o ponto médio de P Q
e K o ponto de interseção do segmento M R e do cı́rculo ω. Prove que o
circuncı́rculo do triângulo KP Q e ω são tangentes.
(Russia) Medeubek Kungozhin

Cada problema vale 7 pontos.


Duração da prova: 4 12 horas.
The 6th Romanian Master of Mathematics Competition
Dia 2: Sábado, 2 de Março de 2013, Bucareste

Language: Portuguese

Problema 4. Sejam P e P ′ duas regiões quadrilaterais convexas no plano


(regiões incluem suas bordas) cuja interseção não é vazia. Seja O um dos
pontos de interseção de P e P ′ . Suponha que, para toda reta ℓ passando por
O, o segmento de reta determinado pela interseção de ℓ e P tem comprimento
maior do que o segmento de reta determinado pela interseção de ℓ e P ′ .
É possı́vel que a razão entre as áreas de P ′ e P seja maior do que 1,9?
(Bulgaria)

Problema 5. Dado um inteiro k ≥ 2, seja a1 = 1 e, para cada inteiro n ≥ 2,


seja an o menor x > an−1 tal que
n−1
X r 
x
x=1+ k
.
ai
i=1

Prove que todo primo aparece na sequência a1 , a2 , . . ..


(Bulgaria)

Problema 6. 2n peças diferentes são colocadas nos vértices de um polı́gono


regular com 2n vértices, uma peça em cada vértice. Um movimento con-
siste em escolher um lado do polı́gono e trocar de posição as duas peças
nas extremidades desse lado. Suponha que, após uma quantidade finita de
movimentos, todo par de peças foi trocado de posição exatamente uma vez.
Prove que algum lado nunca foi escolhido.
(Russia) Alexander Gribalko

Cada problema vale 7 pontos.


Duração da prova: 4 12 horas.
The 8th Romanian Master of Mathematics Competition
Dia 1: Sexta-Feira, 26 de fevereiro de 2016, Bucareste

Language: Portuguese

Problema 1. Considere um triângulo ABC e seja D um ponto do segmento


BC, D 6= B e D 6= C. A circunferência circunscrita ao triângulo ABD
intersecta novamente o segmento AC no ponto interior E. A circunferência
circunscrita ao triângulo ACD intersecta novamente o segmento AB no
ponto interior F . Seja A0 o simétrico de A em relação à reta BC. As retas
A0 C e DE se intersectam em P e as retas A0 B e DF se intersectam em Q.
Prove que as retas AD, BP e CQ são concorrentes (ou são paralelas).

Problema 2. Sejam m e n inteiros positivos, com n ≥ m. Determine


a maior quantidade possı́vel de dominós (retângulos 1 × 2 ou 2 × 1) que
podem ser colocados em um tabuleiro retangular com m linhas e 2n colunas,
composto por casas (quadrados 1 × 1), de maneira que:
(i) cada dominó cubra exatamente duas casas adjacentes do tabuleiro;
(ii) não haja sobreposição de dominós;
(iii) nenhum quadrado 2 × 2 seja coberto por dois dominós; e
(iv) a última linha do tabuleiro seja coberta por exatamente n dominós.

Problema 3. Uma sequência cúbica é uma sequência de inteiros definida


por an = n3 + bn2 + cn + d, onde b, c e d são constantes inteiras e n varia
no conjunto dos números inteiros, incluindo os inteiros negativos.
(a) Mostre que existe uma sequência cúbica tal que os únicos termos
desta sequência que são quadrados de inteiros sejam a2015 e a2016 .
(b) Determine os possı́veis valores de a2015 · a2016 para uma sequência
cúbica que satisfaça as condições do item (a).

Cada problema vale 7 pontos.


Duração: 4 horas e 30 minutos.
The 8th Romanian Master of Mathematics Competition
Dia 2: Sábado, 27 de fevereiro de 2016, Bucareste

Language: Portuguese

Problema 4. Sejam x e y números reais positivos tais que x + y 2016 ≥ 1.


Prove que x2016 + y > 1 − 1/100.

Problema 5. Seja A1 B1 A2 B2 A3 B3 um hexágono convexo inscrito em uma


circunferência Ω de raio R. As diagonais A1 B2 , A2 B3 e A3 B1 são concor-
rentes em um ponto X. Para i = 1, 2, 3, seja ωi a circunferência tangente
aos segmentos XAi , XBi e ao arco Ai Bi de Ω que não contém os outros
vértices do hexágono. Seja ri o raio de ωi .
(a) Prove que R ≥ r1 + r2 + r3 .
(b) Se R = r1 +r2 +r3 , prove que os seis pontos onde as circunferências
ωi tangenciam as diagonais A1 B2 , A2 B3 , A3 B1 são concı́clicos.

Problema 6. Um conjunto de n pontos pertencentes ao espaço euclidiano


tridimensional, sem quatro pontos coplanares, é particionado em dois sub-
conjuntos A e B. Uma AB-árvore é uma configuração de n − 1 segmentos,
cada um dos quais possui uma extremidade em A e a outra em B, sem que
haja um conjunto de segmentos formando uma linha poligonal fechada.
Uma AB-árvore é transformada em outra da seguinte maneira: escolhem-
se três segmentos distintos A1 B1 , B1 A2 e A2 B2 pertencentes à AB-árvore
de modo que A1 pertença a A e A1 B1 + A2 B2 > A1 B2 + A2 B1 ; remove-se
então o segmento A1 B1 , substituindo-o pelo segmento A1 B2 .
Dada uma AB-árvore qualquer, prove que toda sequência de trans-
formações sucessivas chega ao fim (isto é, não é possı́vel fazer nenhuma
outra transformação) após um número finito de passos.

Cada problema vale 7 pontos.


Duração: 4 horas e 30 minutos.
The 10th Romanian Master of Mathematics Competition
Dia 1: Sexta-Feira, 23 de Fevereiro de 2018, Bucareste

Language: Portuguese

Problema 1. Seja ABCD um quadrilátero cı́clico e seja P um ponto sobre


o lado AB. A diagonal AC encontra o segmento DP em Q. A reta que
passa por P paralela à CD encontra o prolongamento do lado CB por B
em K. A reta que passa por Q paralela à BD encontra o prolongamento do
lado CB por B em L. Prove que os circuncı́rculos dos triângulos BKP e
CLQ são tangentes.

Problema 2. Determine se existem polinômios não constantes P (x) e Q(x)


com coeficientes reais satisfazendo

P (x)10 + P (x)9 = Q(x)21 + Q(x)20 .

Problema 3. Ana e Beto jogam sobre as arestas unitárias do reticulado


quadriculado infinito, realizando jogadas alternadamente. Ana realiza a
primeira jogada. Uma jogada consiste em orientar uma aresta unitária
qualquer do reticulado que ainda não tenha sido orientada. Se em algum
momento do jogo, algumas arestas orientadas formarem um ciclo orientado,
Beto vence. Existe uma estratégia que garanta a vitória para Beto?

Cada um dos três problemas vale 7 pontos.


Duração: 4 21 horas.
The 10th Romanian Master of Mathematics Competition
Dia 2: Sábado, 24 de Fevereiro de 2018, Bucareste

Language: Portuguese

Problema 4. Sejam a, b, c, d inteiros positivos tais que ad 6= bc e


mdc(a, b, c, d) = 1. Seja S o conjunto de todos os possı́veis valores de
mdc(an + b, cn + d), quando n varia sobre os inteiros positivos. Mostre
que S é o conjunto de todos os divisores positivos de algum inteiro positivo.

Problema 5. Seja n um inteiro positivo e fixe 2n pontos distintos em uma


circunferência. Determine o número de maneiras de conectar os pontos com
n flechas (isto é, segmentos de reta orientados) tais que todas as seguintes
condições sejam satisfeitas:

• cada um dos 2n pontos é uma das extremidades de alguma flecha;

• quaisquer duas flechas não se intersectam; e


−−→ −−→
• não existem duas flechas AB e CD tais que A, B, C e D apareçam
nesta ordem no sentido horário ao redor da cincunferência (não neces-
sariamente consecutivamente).

Problema 6. São dadas uma circunferência Γ, uma reta ` tangente à Γ,


e uma outra circunferência Ω disjunta de `, tais que Γ e Ω estão em lados
opostos de `. As retas tangentes à Γ a partir de um ponto variável X sobre Ω
encontram ` em Y e Z. Prove que, quando X varia sobre Ω, o circuncı́rculo
de XY Z tangencia duas circunferências fixas.

Cada um dos três problemas vale 7 pontos.


Duração: 4 21 horas.
PRIMEIRO DIA
19 de setembro de 2017

1. Para cada inteiro positivo 𝑛, seja 𝑆(𝑛) a soma dos seus algarismos. Dizemos que 𝑛 tem a
propriedade 𝑃 se os termos da sequência infinita 𝑛, 𝑆(𝑛), 𝑆(𝑆(𝑛)), 𝑆 (𝑆(𝑆(𝑛))) , … são todos
pares, e dizemos que 𝑛 tem a propriedade 𝐼 se os termos desta sequência são todos ímpares.
Mostre que, entre todos os inteiros positivos 𝑛 tais que 1 ≤ 𝑛 ≤ 2017, são mais os que têm a
propriedade 𝐼 do que os que têm a propriedade 𝑃.

2. Sejam 𝐴𝐵𝐶 um triângulo acutângulo e Γ a sua circunferência circunscrita. Seja D um ponto


no segmento BC, distinto de B e de C, e seja M o ponto médio de AD. A reta perpendicular a
AB que passa por D intersecta AB em E e  em F, com o ponto D entre E e F. As retas FC e
EM intersectam-se no ponto X. Se DAE  AFE , mostre que a reta AX é tangente a  .

3. Consideremos as configurações de números inteiros


a1,1

a2,1 a2,2

a3,1 a3,2 a3,3


... ... ...
a2017,1 a2017,2 a2017,3 ... a2017,2017

com ai , j  ai 1, j  ai 1, j 1 para todos os i, j tais que 1  j  i  2016 .


Determine o número máximo de inteiros ímpares que uma tal configuração pode conter.

Duração: 4 horas e meia Versão: PORTUGUÊS


Cada problema vale 7 pontos
SEGUNDO DIA
20 de setembro de 2017

4. Sejam ABC um triângulo acutângulo com AC  AB e O seu circuncentro. Seja D um ponto


no segmento BC tal que O está no interior do triângulo ADC e DAO  ADB  ADC .
Chamamos P e Q aos circuncentros dos triângulos ABD e ACD respectivamente e M ao ponto
de interseção das retas BP e CQ. Mostre que as retas AM, PQ e BC são concorrentes.
Nota. O circuncentro de um triângulo é o centro da circunferência que passa pelos três vértices
do triângulo.

5. Dado um inteiro positivo n, todos seus divisores inteiros positivos estão escritos num
quadro. Ana e Beto jogam o seguinte jogo:
Alternadamente, cada um vai pintar um desses divisores de vermelho ou de azul. Podem
escolher a cor que desejam na sua vez, mas só podem pintar números que não tenham sido
pintados anteriormente. O jogo termina quando todos os números tenham sido pintados. Se o
produto dos números pintados de vermelho é um quadrado perfeito, ou se não há nenhum
número pintado de vermelho, Ana ganha; caso contrário, Beto ganha. Se Ana é a primeira a
jogar, determine quem tem estratégia vencedora, para cada 𝑛.

6. Sejam n  2 um inteiro positivo par e a1  a2  ...  an números reais tais que ak 1  ak  1


para todo k com 1  k  n 1 . Seja A o conjunto dos pares (i, j ) com 1  i  j  n e j  i par, e
seja B o conjunto dos pares (i, j ) com 1  i  j  n e j  i ímpar. Mostre que

 (a
( i , j )A
j  ai )   (a
( i , j )B
j  ai ) .

Duração: 4 horas e meia Versão: PORTUGUÊS


Cada problema vale 7 pontos
VI OLIMPÍADA IBEROAMERICANA DE MATEMÁTICA UNIVERSITÁRIA
8 DE NOVEMBRO DE 2003

PROBLEMA 1. [5 pontos]
Seja f 0 ( x) = log x, o logaritmo natural de x .
x x
Defina, para todo n ≥ 0, f n +1 ( x) = ∫0 f n (t ) dt = lim ∫ε f n (t ) dt.
ε →0
Prove que o limite abaixo existe e está no intervalo [-1,0):
n!
lim f n (n).
n →∞ n n

PROBLEMA 2. [5 pontos]
Prove que se p ( x ) é um polinômio com coeficientes inteiros então existe n inteiro tal que p (n) tem
mais de 2003 fatores primos distintos.

PROBLEMA 3. [5 pontos]
Várias crianças estão brincando de telefone sem fio. A criança C0 susurra três palavras para a
criança C1 , que susurra o que ouviu para a criança C2 e assim por diante até uma mensagem chegar
à criança Cn . Cada uma das três palavras tem exatamente uma "gêmea" errada (por exemplo, as
palavras ração e razão são "gêmeas" pois é muito fácil confundí-las).
Cada criança (i + 1) tem probabilidade 1 2 de ouvir corretamente o que a criança i falou, tem 1 6 de
probabilidade de trocar a primeira palavra dita pela criança i pela sua "gêmea", 1 6 de probabilidade
de trocar a segunda palavra e 1 6 de probabilidade de trocar a terceira palavra (e portanto nunca
troca mais de uma palavra). Note que numa troca a mensagem pode ser acidentalmente corrigida.
Calcule a probabilidade de que a criança Cn ouça exatamente a mensagem original.

PROBLEMA 4. [5 pontos]
Uma família A1 , A2 ,..., An de conjuntos é dita (a, b) uniforme se Ai = a , para todo i ∈{1,..., n} e
Ai ∩ Aj = b para quaisquer i ≠ j , i, j ∈{1,..., n}.
Prove que dados a, b existe N a ,b tal que se n > Na,b e A1 , A2 ,..., An é uma família (a, b) uniforme então

A =b.
n

i
i =1
PROBLEMA 5. [7 pontos]
Seja z uma raiz da equação z n + an −1 z n−1 + ... + a1 z + a0 = 0 , onde 0 ≤ a0 , a1 ,..., an −1 ≤ k . Prove que:
i) Se Re z > 0 então z < 1 + k (onde Re z é a parte real de z).
ii) Re z < 1 + 3 k .

PROBLEMA 6. [7 pontos]
 −1 2 3 2 0  −1 0 0 
 
Sejam A = − 3 2 −1 2 0  , B =  0 
−1  . Prove que B ε A s BA s B ... A s B ε ≠ I , para
1 1 2 n 2
0
   0 −1 0 
 0 0 1 
 
 1 0 0
quaisquer n ≥ 1, onde I =  0 1 0  , ε i ∈ {0,1}, i = 1, 2 e si ∈ { − 1,1},1 ≤ i ≤ n.
0 0 1 

PROBLEMA 7. [8 pontos]
e iz − e − iz e iz + e − iz
Prove que tan( z ) = z ⇒ z ∈ 5 , onde, para z ∈ & , sen ( z ) = , cos( z ) = e
2i 2
sen ( z )
tan( z ) = .
cos( z )
SOLUÇÕES

SOLUÇÃO DO PROBLEMA 1:
Podemos ver que f1 ( x ) = x (log x − 1), f 2 ( x ) = (1 / 2) x 2 (log x − 3 / 2) e
f 3 ( x ) = (1 / 6) x 3 (log x − 11 / 6) [Determinação dos f1 , f 2 , e f 3 vale 1 ponto]
Em geral, podemos provar por indução que:
1 n
fn ( x) = x (log x − H n ) (1)
n!

n
para todo inteiro n ≥ 0, onde H n = 1 + 1 / 2 + ... + 1 / n = k =1
1/ k é o assim chamado n-ésimo
número harmônico. De fato, (1) vale para n = 0 , e se ela é válida para n ≥ 0, então
 1 
f n +1 ( x ) = lim  t n +1 (log t − H n +1 ) x
ε 
ε → 0 ( n + 1)!
 
1
= x n +1 (log x − H n +1 ),
( n + 1)!
pois ( d / dt )(1 /( n + 1)!t n +1 (log t − H n +1 ) = (1 / n !)t n (log t − H n ) = f n (t ).
Alternativamente, inspecionando casos pequenos, vemos que
1 n
fn ( x) = x (log x − C n ) (2)
n!
para alguma constante C n que depende apenas de n . Observando que
1 n 1 
f n' +1 ( x ) =
x  log x − C n +1 + , (3)
n!  n +1
temos que C n +1 = C n + 1 /( n + 1). Como C1 = 1, temos que C n = H n .
[Valor da determinação de (1): 3 pontos; 2 pontos se mostrar que f n se escreve como em (2),
mas não conseguir determinar C n . ]
Temos assim que
n! n! nn
f n ( n ) = × (log n − H n ) = log n − H n , (4)
nn nn n!
e agora basta provar que lim n → ∞ (log n − H n ) existe e que este limite pertence a [-1,0). Temos
n −1 n
1 1 n dt
∑k =1 k
> log n > ∑ , pois log n = ∫
k=2 k
1 t
.
n −1 n −1
1 1
Portanto, para n ≥ 2 − 1 < log n − ∑ < 0. Além disso, log n − ∑ é uma seqüência decrescente.
k =1 k k =1 k

Assim, lim (log n − ∑ ) ∈ [ − 1, 0). Como lim  ∑ − ∑  = lim = 0, segue que


n −1 n n −1
1 1 1 1
n→ ∞
k =1 k
n → ∞
 k =1 k k =1 k  n → ∞ n
 n −1
1
lim ( log n − H n ) = lim  log n − ∑  ∈ [ − 1, 0).
n→ ∞ n→ ∞
 k =1 k 

[Existência e valor do limite: 2 pontos (1 ponto para existência e 1 ponto por provar que o limite
está no intervalo dado no enunciado).]
Obs: Na verdade lim ( log n − H n ) = − γ = − 0, 577... , onde γ é a constante de Euler.
n→ ∞
SOLUÇÃO DO PROBLEMA 2
Primeira Solução
Suponha que para todo n ∈ = , f ( n ) nunca tenha mais de 2003 fatores primos distintos. Tome
n 0 ∈ = tal que f ( n 0 ) tenha a maior quantidade de fatores primos distintos, digamos j .
α
f ( n 0 ) = ± p1α ... p j = k [1 ponto]
1 j

Podemos supor n 0 = 0 (considerando g ( n ) = f ( n − n0 )) .


Assim teremos:
f ( x ) = a n x n + ... + a1 x 1 + k .
Tomando x = wk 2 ⇒ f ( x) ≡ k (mod k 2 )
⇒ f ( x ) = ak 2 + k = ( ak + 1) k , para algum a inteiro.
Como mdc ( a k +1 , k ) = 1 , se ( ak + 1) ≠ ± 1 teremos que f ( x ) terá pelo menos um fator primo a mais.
Absurdo! [+3 pontos]
De fato, isso deve acontecer pois f ( n ) = ± k admite no máximo 2n raízes enquanto x = wk 2 pode
assumir infinitos valores ( w ∈ = ). [+1 ponto]

Segunda Solução
1- Seja S = { p primo | p divide f ( n ) para algum n ∈ =}
Se # S > 2003 , podemos escolher primos distintos p1 , p 2 ,..., p 2004 e inteiros a1 , a 2 ,..., a 2004 tais que
valem as congruências f ( a i ) ≡ 0(mod p i ) (para cada i )
Pelo teorema chinês dos restos podemos encontrar um x inteiro que resolva a todas as congruências
x ≡ a i (mod p i ) .
Para tal x teremos p1 p 2 ,..., p 2004 f ( x ). [2 pontos]
2- Suponha então que # S ≤ 2003. Seja A = {m ∈ = m = 0 ou p primo, p m ⇒ p ∈ S }. Então
m ∈ A ⇒ m = ± p1α ... p rα , S = { p1 ,..., p r }, r ≤ 2003 .
1 r

Se m ∈ A , m ≤ N ⇒ α i ≤ log p N ≤ log 2 N , ∀ i ⇒ A ∩ [ − N , N ] ≤ 2(log 2 N + 1) 2003 + 1, mas existe


i

c>0 tal que f (= ) ∩ [ − N , N ] ≥ C d N , onde d é o grau de f , e como


1 + 2(log 2 N + 1) 2003
< (log N ) 2004
< C N para todo N suficientemente grande, isso é um absurdo.
d

[+3 pontos]
SOLUÇÃO DO PROBLEMA 3
Sejam as 3 palavras: a , b , c e suas gêmeas a ', b ', c '. Identificamos as possíveis combinações de 3
palavras com os vértices de um cubo da seguinte forma:
A = ( a , b , c ) (seqüência correta) B A 1

B1 = ( a ', b , c )
B2 = ( a , b ', c ) C3
B2

B3 = ( a , b , c ')
C1 = ( a , b ', c ')
C 2 = ( a ', b , c ') C2 B3
C 3 = ( a ', b ', c )
D = ( a ', b ', c ') D C1

Podemos repensar o problema dizendo que a cada passo nos movimentamos uma aresta segundo as
probabilidades dadas.
Pela evidente simetria, as probabilidades de após n passos, estarmos em B1 , B2 ou B3 são iguais, o
mesmo valendo para C1 , C 2 ,C 3 .
Por isso, agrupamos os vértices do cubo em 4 grupos.
A ; B = { B1 , B2 , B3 } ; C = {C1 , C 2 , C 3 }; D . [1 ponto]
Nosso diagrama de probabilidades será:
A B C D
1/2 1/2 1/2
1/2
1/6
B A C D
A D
1/6

1/2 1/3 1/3 1/2


C B C
B

Definimos então:
An = probabilidade de estarmos no grupo A após n passos.
Bn , C n , Dn são definidos analogamente.
Temos então as recorrências:
an =
1 1
a n −1 + b n −1  an  1 / 2 1 / 6 0 0   a n −1 
2 6      
 bn  =  1 / 2 1 / 2 1/3 0   bn −1 
1 1 1  cn   0 1 / 3 1/2  cn −1 
bn = a n −1 + bn −1 + c n −1 1/2 
2 2 3 ou      
1 1 1  dn   0 0 1/6 1/2   d n −1 
c n = bn −1 + c n −1 + d n −1
3 2 2
1 1
d n = d n −1 + c n −1
2 6

[1 ponto]
Nosso objetivo é encontrar a n . Temos agora duas maneiras de terminar a solução:
Primeira Solução: Segunda Solução:
 rn = a n + d n Queremos encontrar os autovalores de X . Seja
Defina para isso: 
 l n = bn + c n 1 0 0 1 
 
Daí: 2 0 1 1 0 
Y =
1 1 2  0 1 -1 0 
rn = rn −1 + l n −1 (1)  
2 6  1 0 0 -1 
1 5 Temos Y − 1 = Y T = Y .
ln = rn −1 + ln −1 (2)
2 6 1 / 2 1 / 6 0 0 
Substituindo (1) em (2), obtemos: 1 / 2 5 / 6 0 0 
YXY =   =  X+ 0 
rn +1 =
4 1
rn − rn −1 ( n ≥ 1 )  0  
0 1 / 6 1/ 2   0 X − 
3 3  
o que juntamente com os casos iniciais  0 0 1 / 6 1/ 2 
r0 = 1; r1 = 1 2 ; r2 = 1 3; r3 = 10 36 Os autovalores de X + e X − são claramente 1, 1/3
1 31
n
e 0, 2/3, respectivamente [+2 pontos]
Nos dá: rn = +
4 4  3  Assim
n n
1 2
Por outro lado, definindo: a n = v1 + v 2   + v3 (0 ) + v 4  
n

 xn = a n − d n 3 3
 e alguns casos deixam claro que
 y n = bn − c n
1 3 1 3
Teremos: v1 = , v 2 = , v 3 = , v 4 = . [+1 ponto]
1 1 8 8 8 8
xn = x n −1 + y n −1 (3)
2 6
1 1
y n = x n −1 + y n −1 (4)
2 6
Substituindo (3) em (4) encontramos:
2
x n +1 = x n (para n ≥ 1 , cuidado!!)
3
n −1 n −1
2 1 1
⇒ x n =   x1 =   ⋅
3 6 2
Conclusão:
1
an = ( rn + x n )
2
n n −1
1 31 12
= +   +   ∀ n ≥ 1. [+3 pontos]
8 83 4 3

SOLUÇÃO DO PROBLEMA 4
Sejam a e b inteiros não-negativos. Se b = 0 , então é fácil ver que podemos tomar
a
N a , b = 1. Suponha agora que b ≥ 1 , e tome N a , b = a ⋅   + 2. Vamos provar que esta escolha de
b 
N a , b serve. Para tanto, suponha que temos A1 ,..., An uma família ( a , b ) uniforme com n > N a , b .
−1
a
Existe um conjunto B ⊂ A1 com B = b tal que para pelo menos ( n − 1 )   índices j com
b 
1 < j ≤ n , temos A1 ∩ A j = B . Sem perda de generalidade, podemos supor que isto vale para todo
 a 
−1

j com 1 < j ≤ j 0 = 1 +  ( n − 1)    . Note que


  b  
(*) os conjuntos A j \ A1 com 1 < j ≤ j0 são dois a dois disjuntos.
[3 pontos por fixar um conjunto e conseguir conjuntos satisfazendo (*).]
 A = B , e vale a conclusão do
n
Se todo conjunto Ak com j 0 < k ≤ n é tal que A1 ∩ Ak = B , então i
i =1

problema. Suponha agora que A1 ∩ Ak ≠ B para algum j 0 < k ≤ n .


Então Ak ∩ ( A j \ A1 ) ≠ ∅ para todo 1 < j ≤ j0 . Entretanto, como vale (*) e j0 − 1 > Ak = a , isto é
impossível. Isto mostra que todo conjunto Ak com j 0 < k ≤ n é tal que A1 ∩ Ak = B , de forma que

 A = B , e vale a conclusão do problema. [2 pontos se deduzir a conclusão de (*).]


n

i
i =1

SOLUÇÃO DO PROBLEMA 5
i) Seja R = z = α 2 + β 2 .
a n −1 a n − 2 a a a (α − β i ) a  a α
Temos 1 + + 2 + ... + n0 = 0. Como n −1 = n −1 2 , Re  n −1  = 2 n −1 2 ≥ 0.
z z z z α +β 2
 z  α +β

Como temos Re  n −2 2 + n 3− 3 + ... + 0n  = − Re  1 + n −1  ≤ − 1 [1 ponto],


a a a a
 z z z   z 
a a
devemos ter em particular n −2 2 + ... + n0 ≥ 1, mas
z z
an − 2 a0 k k k k ∞ 1 k R k
2 ∑
+ ... + ≤ + + ... + ≤ = 2⋅ = . Assim, devemos ter
z 2
z n
R 2
R 3
R n
R j=0 R j
R R − 1 R ( R − 1)
k
≥ 1, ou seja, R ( R − 1) ≤ k . Se R ≥ 1 + k , R − 1 ≥ k e R ( R − 1) ≥ k (1 + k ) > k ,
R ( R − 1)
absurdo. Assim, z = R < 1 + k . [+2 pontos]

ii) Temos dois casos:


a n − 2 a n − 2 (α − β i ) 2 a n − 2 (α 2 − β 2 − 2αβ i )
a) z = α + β i , α ≥ 0, β ≤ α . Nesse caso, = = , donde
z2 (α 2 + β 2 ) 2 (α 2 + β 2 ) 2

 a  (α − β ) ⋅ a n − 2
2 2
a a   a a 
Re  n −2 2  = ≥ 0. Assim, Re  n −3 3 + ... + 0n  = − Re  1 + n −1 + n −2 2  ≤ − 1,
 z  (α + β )
2 2 2
 z z   z z 
an−3 a k k k R k
donde 1 ≤ + ... + 0n ≤ 3 + ... + n ≤ 3 ⋅ = 2 , donde R 2 ( R − 1) ≤ k . Se
z 3
z R R R R − 1 R ( R − 1)
R ≥1+ 3
k, R −1 ≥ 3
k e R 2 ( R − 1) > k , absurdo. Assim, z = R < 1 + 3
k . [1 ponto]

b) z = α + β i , α ≥ 0, β > α . Como z é raiz de P ⇔ z é raiz de P, podemos supor sem


a  − β a n −1
perda de generalidade que β > α. Temos então Im  n −1 = 2 ≤0 e
 α +β
2
 z
 a  −2αβ an − 2 a  αa
Im  n −2 2  = , enquanto Re  n −1  = 2 n −1 2 ≥ 0 e
 z   z  α +β
4
R
 (α − β ) a n − 2 (α 2 + β 2 ) a n − 2 = − a n − 2 .
2 2
a
R e  n −2 2  = ≥ −
 z  R4 R4 R2

Assim, como
an −3 a k a a  k a a  k
+ ... + 0n ≤ 2 , Re  n 3−3 + ... + n0  ≤ 2 e Im  n 3−3 + ... + 0n  ≤ 2 ,
z 3
z R ( R − 1)  z z  R ( R − 1)  z z  R ( R − 1)
portanto temos
(*) a n −22 + k  a 
≥ R e  1 + n −1  ≥ 1 e
R R 2 ( R − 1)  z 

(**) 2 k a a  2 a n − 2α β
≥ − Im  n −1 + n −2 2  ≥ . Supondo por absurdo que α ≥ 1 + 3
k, temos
R ( R − 1)  z z  R4
R ≥α ≥1+ 3
k e logo R 2 ( R − 1) > k .
kR 2 k k kR 2
De (**), a n − 2 ≤ , e logo, de (*), + 2 ≥ 1, donde + 2 k ≥ 2 R 2 ( R − 1),
2αβ ( R − 1) 2αβ ( R − 1) R ( R − 1) αβ
kR 2 kR 2
e logo αβ ≤ . Como α < β, α 2 ≤ αβ ≤ . Como
2( R ( R − 1) − k )
2
2( R ( R − 1) − k )
2

R 2 = α 2 + β 2 > 2α 2 , e α ≥1+ 3
k, temos R >α 2 > 1+ 2 ⋅ 3 k , R 2 > 2α 2 > 2 3 k 2 , donde
kR 2 k k k
k < α 2 , absurdo.
2
= < = < 3

2( R ( R − 1) − k )
2
 k  
2 R −1− 2  2 2 ⋅ 3 k − k 
 2 2 −1 ( ) 3
k
 R   2 k 
3 2

[+3 pontos]

SOLUÇÃO DO PROBLEMA 6
 1/ 2 0 − 3 /2  1/ 2 0 3 /2
   
Temos AB =  3 / 2 0 1 / 2  e A −1 B =  − 3 / 2 0 1 / 2  . [1 ponto]
   
 0 −1 0   0 −1 0 
   
ε1 ε2 ε 1 + 1− ε 2
Como B A BA B ... A B = I ⇔ A BA B ... A B = B
s1 s2 sk s1 s2 sk
B e B ε 1 + 1− ε 2 ∈ { I , B }, é suficiente
mostrar que para todo k ≥ 1, s1 ,..., s k ∈ {− 1,1}, A s BA s B ... A s B tem entradas irracionais para concluir
1 2 k

que B ε A s B ... A s B ε ≠ I (pois de fato as entradas de I e de B são todas inteiras).


1 1 k 2
[Conjecturar que A s B ... A s B tem sempre entradas irracionais, para todo k ≥ 1, s1 ,..., s k ∈ {− 1,1} :
1 k

2 pontos]

Para isso, vamos mostrar por indução que para todo k ≥ 1, s1 ,..., s k ∈ { − 1,1}, A s1 BA s 2 B ... A s k B é
 an bn 3 cn 3 
1  
sempre da forma  dn 3 en f n  , onde a n , c n , d n e fn são inteiros ímpares e
k
2  
 gn 3 hn i n 

bn , e n , g n , hn e in são inteiros pares. Para isso, seja
 1 2 ε 3 /2
0  1 0 ε 3
  1 
A s k +1 B =  − ε 3 / 2 0 1 / 2  =  −ε 3 0 1  , onde ε ∈{−1,1}. Temos então
  2 
 0 −1 0   0 −2 0 
   
 a n − 3ε bn − 2 c n 3 (ε a n + bn ) 3 
1  
A s1 BA s2 B ... A s k B A s k +1 B = k +1  ( d n − ε e n ) 3 −2 fn 3ε d n + en  , e é fácil ver que
2  
 ( g n − ε hn ) 3
 − 2 in 3ε g n + hn 
an +1 = an − 3ε bn , cn +1 = ε an + bn , dn +1 = dn − ε en e f n +1 = 3ε d n + en são inteiros ímpares enquanto
bn +1 = −2cn , en +1 = −2 f n , g n +1 = g n − ε hn , hn +1 = −2in e in +1 = 3ε g n + hn são inteiros pares. [+4 pontos]

SOLUÇÃO DO PROBLEMA 7
Seja z = a − bi , logo iz = b + ai. Queremos provar que b = 0.
e iz − e − iz e 2iz − 1 1 + iz
Temos z = tan z = , donde = iz, logo e 2iz = , ou seja,
i(eiz + e− iz ) e2 iz + 1 1 − iz
1 + b + ai 1 − b 2 − a 2 + 2ai
e 2b (cos 2a + isen2a ) = = . Assim, devemos ter (calculando normas)
1 − b − ai (1 − b) 2 + a 2
(1 + b)2 + a 2 2a
e 4b = e (calculando argumentos) tan 2a = . [ 1 ponto]
(1 − b) 2 + a 2 1 − b2 − a2
(1 + b)2 + a 2 4b
De e 4b = , temos e 4b − 1 = , donde, supondo por contradição que b ≠ 0 ,
(1 − b) + a
2 2
(1 − b) 2 + a 2
4b
a2 = − (1 − b) 2 . [ 1 ponto]
e −1 4b

(1 + b) 2 + a 2 −4 b (1 − b) 2 + a 2 2a 2a
Como e 4b = ⇔ e = e tan 2a = = , podemos
(1 − b) 2 + a 2 (1 + b )2 + a 2 1 − b − a 1 − (−b) 2 − a 2
2 2

supor sem perda de generalidade que b≥0, e como


2a −2a
tan 2a = ⇔ tan( −2a) = , podemos supor sem perda de generalidade que
1− b − a
2 2
1 − b − (− a ) 2
2

a > 0 . [ +1 ponto].
4b 1 4b 1
Temos então e4b >1+ 4b + (4b)2 , e logo a 2 =− (1 − b) 2 < − (1 − b) 2 = − (1 − b) 2 .
e −1 2 4b + 8b 2 4b
1 + 2b
2 2
1 3 7 1 1 1 1  1 5 1
Se 0 ≤ b ≤ , temos a 2 ≤ 1 −   = < . Se ≤ b ≤ , temos a 2 ≤ − 1 −  = < , e
4  4  16 2 4 2 1+ 2⋅
1  2  12 2
4
1 1 1 1 3 π
se b≥ temos a2 ≤ = . Em qualquer caso, a≤ < < , donde
2 1 2 2 4 4
1+ 2⋅
2
1 − b2 − a2
= cos(2a) > 0, donde a 2 + b2 < 1. [ +1 ponto]
(1 − b) + a
2 2

Notemos agora que


4b
− (1 − b) 2 ≤ b2 ⇔ 4b ≤ ( e4 b − 1)(1 − 2b + 2b 2 ) ⇔ 1 + 2b + 2b2 ≤ e4 b (1 − 2b + 2b2 ).
e4 b − 1
Se f (b) =1+2b+ 2b2 e g (b) = e4b (1 − 2b + 2b2 ), temos f (0) =1 = g(0), f '(b) = 4b + 2, g '(b) = e4b (2 − 4b + 8b2 ),
f ''(b) = 4, g ''(b) = e 4 b (4 + 32b2 ) , e logo f '(0) = 2 = g '(0) e f ''(b) ≤ g ''(b), ∀b ≥ 0 , donde
4b
f (b) ≤ g (b), ∀b ≥ 0, e logo a 2 = 4b − (1 − b) 2 ≤ b2 . [ +1 ponto]
e −1
1+ b
Agora, se a = 0 , teremos e 2b = , donde b < 1, mas (1 − b)e 2b < 1 + b para todo b > 0 , pois se
1− b
f ( x ) = (1 − x )e 2 x e g ( x) = 1 + x , temos f (0) = g (0) = 1, f '( x ) = (1 − 2 x )e 2 x , g '( x ) = 1 e logo
f (0) = g '(0) = 1, e f ''( x ) = 4 xe 2 x ≤ 0 = g ''( x), ∀x ≥ 0 . Podemos portanto supor a > 0 . [ +1 ponto]
2a 2a sen2a 2a 2a
Assim, tan 2a = ≥ , pois a 2 ≤ b2 , mas tan 2a = < = para
1 − b − a 1 − 2a
2 2 2
cos 2a 1 − (2a) 2 1 − 2a 2
1
2
2
x x2
a > 0, pois senx < x para x < 0 e cos x + ≥ 1, ∀x ≥ 0 (de fato, se h( x) = cos x + ,
2 2
h '( x ) = x − senx ≥ 0, ∀x ≥ 0) . Note que, como a 2 ≤ b 2 e a 2 + b2 < 1, temos 2a 2 ≤ a 2 + b 2 < 1. Isto dá
2a 2a
> tan 2a ≥ , o que é uma contradição. [ +2 pontos].
1 − 2a 2
1 − 2a 2

SEGUNDA SOLUÇÃO:
Vamos considerar separadamente as seguintes regiões:
π
A = {z = a + bi 0 ≤ a ≤ , b ≥ 0}
2
 π π
Bk =  z = a + bi k π − ≤ a ≤ kπ +  , k > 0.
 2 2

Note que em cada região Bk há uma solução real.


B1 B2
A

3π/2
0 π/2
π

Basta demonstrar que z = 0 é a única solução em A e que há uma única solução em cada região
Bk . [1 ponto]
Região A: Seja f ( z ) = tan z − z. Queremos provar que f não admite nenhuma raiz em A exceto
z = 0.
Considere um caminho γ como na figura:

F E

A D
B C π/2

A imagem de γ por f é:
D

– π/2 B C

A
E F
onde o comportamento do arco AB é indicado pela série de Taylor de f , o de BC pelo
comportamento da função real tangente, o arco CD pelo comportamento da função perto do polo, o
arco DE pelo comportamento da função coth, o arco EF pelo comportamento quando b >> 0 e o
arco AF pelo comportamento da função tanh.
Em todo caso, é claro que a curva f (γ ) dá 0 voltas ao redor da origem donde f tem 0 raízes dentro
de γ . [ 4 pontos]

Região Bk :
π π
Seja Ck = {z = a + bi | kπ − ≤ a ≤ kπ } e Dk = {z = a + bi | kπ ≤ a ≤ kπ + }.
2 2
A imagem por tan da região Ck está contida no segundo o terceiro quadrantes logo não há pontos
fixos em Ck . Basta verificar que a função tan tem um único ponto fixo em Dk . Seja γ como abaixo; a
imagem por tan da curva γ é como γ na figura (o arco AF dá o comportamento perto do polo, os
arcos AB e EF vem do comportamento da função cotanh, o arco CD do comportamento de tanh e
os arcos BC e DE do comportamento quando b >> 0). Como γ dá uma volta ao redor de γ temos
exatamente um ponto fixo. [+3 pontos]

C B
γ
γ
B
i
C
A

kπ + π/2
F

D
–i D E
E