Anda di halaman 1dari 15

COMUNICAÇÃO, HISTÓRIA E LINGUAGEM

CONTEÚDOS
 Elementos da comunicação
 Tipos de linguagem
 História da Língua Portuguesa

AMPLIANDO SEUS CONHECIMENTOS

Elementos da comunicação

Segundo o dicionário Houaiss1 a “comunicação” é definida como

Processo que envolve a transmissão e a recepção de mensagens entre uma fonte


emissora e um destinatário receptor, no qual as informações, transmitidas por
intermédio de recursos físicos (fala, audição, visão etc.) ou de aparelhos e dispositivos
técnicos, são codificadas na fonte e decodificadas no destino com o uso de sistemas
convencionados de signos ou símbolos sonoros, escritos, iconográficos, gestuais etc.

Observe os exemplos:

Figura 1 – Conversa
Fonte: Pixabay

1
Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa.
Figura 2 - Cartaz Sejam todos bem-vindos. Fonte: Fundação Bradesco, 2016.

Figura 3 – Siga em frente ou à


esquerda Figura 4 – Campanha pelo silêncio nos
Fonte: Detran Sergipe hospitais
Fonte: FEMERJ

O que é comunicação
Comunicar é transmitir uma mensagem, partilhar ideias ou sentimentos, estabelecer
uma relação. Na comunicação, são utilizados diversos códigos: danças, odores, cores,
contatos físicos. Os seres humanos usam outros elementos além das palavras, como
sinais de trânsito, gestos, expressões físicas, símbolos representativos, etc.
Para que a comunicação ocorra, no entanto, é necessário que a mensagem faça sentido
para quem a recebe. Deve estar inserida em um contexto histórico, social e cultural.

Observe:
Algumas embalagens trazem, em seu rótulo, símbolos que buscam facilitar a separação
e descarte de diferentes materiais para, assim, contribuir com a coleta seletiva.
Conheça alguns desses símbolos:
Figura 5 – Símbolos da reciclagem
Fonte: Blog Bioany

Com essa forma de comunicação, é possível destinar o lixo de maneira adequada.


Outros símbolos também podem aparecer em algumas embalagens e podem ter várias
outras situações comunicativas. Uma delas é a que informa que o conteúdo de um
produto é tóxico:

Figura 6 – Tóxico
Fonte: Wikimidia

Os símbolos substituem as palavras e permitem convencionar uma informação para


facilitar o reconhecimento em várias situações de uso.
Para melhor manusear um produto ou dar o destino certo para seu material, é
significativo conhecer os símbolos impressos nas embalagens. Isso permite estabelecer
a comunicação entre os produtos e seus usuários.

Um processo de comunicação deve conter os seguintes elementos:


EMISSOR / RECEPTOR /
MENSAGEM
REMETENTE DESTINATÁRIO
o que se deseja
transmite a recebe a
comunicar
mensagem mensagem

CÓDIGO

Figura 7 – Elementos da comunicação


Fonte: Fundação Bradesco

Código
Para que a comunicação ocorra, é necessária a utilização de um código, que é o tipo de
linguagem utilizada para transmitir a mensagem. Não é possível que a interação seja
eficaz sem uma codificação que pertença ao mesmo repertório do emissor e do receptor.
Quanto melhor a elaboração do código (codificação) pelo emissor, melhor sua
interpretação (decodificação) pelo receptor.

Linguagem
É a capacidade de expressar pensamentos, ideias, vontades, opiniões e sentimentos.
A Linguagem está relacionada à comunicação; onde há comunicação, há linguagem. É
possível usar inúmeros tipos de linguagens para estabelecer atos de comunicação, tais
como: palavras de uma determinada língua, sinais, símbolos, sons, gestos, etc.

Língua
É um sistema gramatical pertencente a um grupo de indivíduos, que possibilita que seus
falantes consigam produzir enunciados para comunicar-se e compreender-se.

Para que a comunicação ocorra a linguagem pode ser:


Língua oral e
VERBAL
língua escrita

LINGUAGEM desenho,
pintura,
escultura, artes
gráficas,
NÃO VERBAL
aquitetura,
gesto,
vestuário,
emoticons, etc.

Figura 8 – Tipos de linguagem


Fonte: Fundação Bradesco

A linguagem verbal e não verbal é frequente nas histórias em quadrinhos, tirinhas,


charges e cartuns, por exemplo. Quando isso ocorre, dá-se o nome de linguagem mista.

Observe:

Figura 9 – Tirinha Armandinho


Fonte: Tirasbeck

Discurso
É o ato de utilizar a língua em uma situação que envolve a comunicação dentro de um
determinado contexto e diz respeito a quem fala, para quem se fala e sobre o que se
fala. O discurso também é conhecido como “fala”.
Linguística
É o estudo das estruturas da linguagem humana e suas divisões em grupos ou famílias.
Tem por objeto a origem, o desenvolvimento, a evolução e a comparação dos signos
linguísticos.

HISTÓRIA DA LÍNGUA PORTUGUESA

Você sabe de onde veio a língua portuguesa?

No século III, a Península Ibérica foi invadida e conquistada pelo Império Romano. Os
romanos, como povo conquistador, impuseram o uso de sua língua – o latim – aos povos
dominados.

Quando os árabes invadiram a Península, a partir do século VIII, e lá permaneceram


por quatro séculos impondo o uso da língua falada por eles, o latim praticamente deixou
de ser usado.

Com a expulsão dos árabes e a criação do reino de Portugal no século XII, o latim voltou
a ser a língua oficial; porém, já estava bastante modificado devido às influências que
recebeu dos povos bárbaros e dos árabes. O idioma, então, foi reformulado, originando
o galego-português.

Ao longo do tempo, o galego-português foi sofrendo transformações e influências,


adquirindo as características do português moderno. Com a expansão marítima
portuguesa, essa língua se espalhou pela Ásia, África e América.

Aqui no Brasil, o português sofreu influências das línguas indígenas, africanas e


europeias, até se tornar a língua falada hoje.

Mas essas transformações não param por aí. Com o tempo, a língua sofre mudanças;
o que não é aceito pode passar a ser; as influências de outros idiomas continuarão
sempre existindo. A língua é um organismo vivo e está em constante transformação.

A Gramática da Língua Portuguesa

A língua portuguesa é convencionada pela gramática normativa, é ela quem traz as


regras para o uso do que é chamado de língua padrão ou variedade de prestígio. É a
linguagem encontrada nos livros, nos jornais, nos textos científicos, etc. e mostra como
a língua deve ser. Por outro lado, existe também a gramática descritiva, que mostra
como a língua é, a linguagem do dia a dia, quando são utilizados diferentes tipos de
fala, quando o uso da língua depende da situação em que se encontra o falante, da
mensagem que se quer transmitir. Vale lembrar, que não existe erro na língua o que
existe é variação linguística, linguagem formal e informal.

Figura 10 – Gramática da Língua Portuguesa

Fonte: Wikimedia

A Grammatica da Língua Portuguesa com os Mandamentos da Santa Madre Igreja, de


João de Barros, impressa em 1540, foi uma das primeiras obras a normatizar a língua
portuguesa.

Níveis de Linguagem

No dia a dia, pode-se perceber que existem diferentes tipos de fala, cujo uso depende
da situação em que se encontra o falante, da mensagem que se quer transmitir e das
intenções que cada um possui. São os níveis de linguagem, que podem ser:

Linguagem formal, culta ou dialeto padrão: é a variedade que representa o uso ideal,
correto, da língua portuguesa. É o português ensinado na escola, a linguagem da
cultura, das artes e das ciências.

Linguagem regional: é a utilização específica da língua em determinadas regiões. É o


falar típico dos gaúchos, paulistas, cearenses, cariocas etc.
Linguagem coloquial: é a língua comum, usada no cotidiano, nas situações informais.

Linguagem grupal: é a linguagem característica de vários grupos, como a gíria, ou, no


caso de um grupo de profissionais, a linguagem técnica (ou jargão profissional).

Figura 11 – Jargão profissional


Fonte: Variação Sociocultural

Curiosidade
O que faz a sociolinguística?
A sociolinguística é o ramo da linguística que estuda as relações entre a língua e a
sociedade, coletando, analisando e interpretando o comportamento linguístico dos
integrantes de uma comunidade.

ATIVIDADES

1. Ao viajar é comum deparar-se com placas que identificam atrativos turísticos.

Diante disso, analise as placas a seguir e relacione as descrições verbais às imagens


correspondentes, de acordo com a mensagem que o texto não verbal deseja transmitir.
(___)

a) Ciclismo

(___)

b) Sítio arqueológico

(___)

c) Biblioteca

(___)

d) Praia

(___)

e) Ilha

(___)

f) Restaurante

(___)

g) Patrimônio Cultural

(___)

h) Mergulho
2. Leia o texto:

Principais diferenças entre o Português Brasileiro e o Português Europeu

O tipo de Língua Portuguesa trazida para o Brasil, os contatos linguísticos com índios,
africanos e as línguas de migração, a intensa urbanização do país e o avanço da
fronteira agrícola, misturando os falares sulistas aos nordestinos, tiveram como grande
resultado provavelmente a manutenção do Português Arcaico do séc. XV, com
pequenas contribuições dos não-falantes do Português. Era esse o momento histórico
da língua praticada pelos portugueses que embarcaram para cá, ao longo do séc. XVI.
CASTILHO, Ataliba T. de. A hora e a vez do português brasileiro. Disponível em:
<http://www.museudalinguaportuguesa.org.br/files/mlp/texto_34.pdf>. Acesso em: 29 jan. 2016. 8h32min.

De acordo com o texto e com seus conhecimentos, pode-se afirmar que o que o autor
chama de “manutenção do Português” está relacionado com o(a)

a) facilidade com que os portugueses tinham em convencer os nativos do Brasil a


mudar sua maneira de falar, impondo novas palavras como: abacaxi, caboclo,
gambá, igarapé e muitas outras.
b) influência recebida pelos diversos falares que foram surgindo ao longo do tempo:
dos próprios portugueses, dos índios, dos africanos e dos falantes de diferentes
regiões do Brasil.
c) domínio que os portugueses tiveram sobre o povo africano ao trazê-los como
escravos para o Brasil, o que acarretou grande mudança no falar do povos que
no Brasil habitavam.
d) quanto às línguas portuguesa, indígena e africana eram parecidas e sofreram
mudanças apenas quando foram misturadas com os falares do sul e do nordeste
do país.
e) maneira como os portugueses se preocupavam com a fala correta da língua
portuguesa, procurando sempre organizar os falares dos povos indígenas,
africanos e dos próprios brasileiros.
3. Leia a tirinha:

NESTI, Fido. Os Lusíadas em quadrinhos. São Paulo: Peirópolis, 2006. p. 5.

Luís Vaz de Camões foi um grande poeta português do século XVI. Sua obra épica Os
Lusíadas é considerada o maior poema épico da língua portuguesa, que valoriza os
acontecimentos, enaltece seus personagens e pretende relatar feitos heroicos e
grandiosos. Esse espírito épico pode ser notado já nas primeiras estrofes do poema,
quando o poeta enaltece a façanha daqueles ilustres lusitanos que tiveram a coragem
de desafiar perigos desconhecidos.

Vocabulário
Épico: que relata, em versos, uma ação heroica.
Taprobana: Ilha de Ceilão, hoje Sri-Lanka.

A história em quadrinhos faz uma breve apresentação do autor e utiliza em seus três
primeiros quadrinhos o início (Canto I) da ilustre obra do autor. Releia:

Canto I

As armas e os Barões assinalados


Que da Ocidental praia Lusitana

Por mares nunca de antes navegados


Passaram ainda além da Taprobana,
Em perigos e guerras esforçados
Mais do que prometia a força humana,
E entre gente remota edificaram
Novo Reino, que tanto sublimaram;

E também as memórias gloriosas


Daqueles Reis que foram dilatando
A Fé, o Império, e as terras viciosas
De África e de Ásia andaram devastando,
E aqueles que por obras valorosos
Se vão da lei da Morte libertando,
Cantando espalharei por toda parte,
Se a tanto me ajudar o engenho e arte.

A leitura, deste trecho da obra Os Lusíadas, permite concluir que a linguagem utilizada
no discurso do autor é mais ou menos formal? O que permite a você tirar uma
conclusão?

LEITURA COMPLEMENTAR

Leia o trecho do poema Evocação do Recife, de Manuel Bandeira em que o poeta expõe
os falares do povo nos tempos de sua infância:

(...)

A vida não me chegava pelos jornais nem pelos livros

Vinha da boca do povo na língua errada do povo

Língua certa do povo

Porque ele é que fala gostoso o português do Brasil

Ao passo que nós

O que fazemos

É macaquear

A sintaxe lusíada

(...)
Sobre o autor

Manuel Carneiro de Sousa Bandeira nasceu no Recife em 19 de abril de 1886, na Rua


da Ventura, atual Joaquim Nabuco.

Em 1917, lança seu primeiro livro, A cinza das horas, seguido dois anos depois, por
Carnaval, que desperta o entusiasmo de alguns paulistas precursores do Modernismo.

Apesar de não ter participado pessoalmente da Semana de Arte Moderna, de 1922, já


que vivia no Rio de Janeiro, Manuel Bandeira foi representado por meio do poema “Os
Sapos”, sendo também, um dos precursores do Modernismo.

Suas obras abordam o cotidiano de forma lírica, com temas variados como a morte, a
angústia existencial, a infância, o amor e o erotismo.

Para saber mais sobre a vida e obra de Manuel Bandeira acesse:


http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa1381/manuel-bandeira
Referências

BANDEIRA, Manuel. Evocação do Recife, 1930. In: Libertinagem. Rio de Janeiro:


Nova Fronteira, 2000. p. 44

BECK, tiras. Armandinho. Disponível em: <http://tirasbeck.blogspot.com.br/>. Acesso


em: 26 jan. 2016. 14h46min.

BIOANY. Símbolos da reciclagem. Disponível em:


<http://bioany.blogspot.com.br/2010/06/conheca-os-simbolos-da-reciclagem.html>.
Acesso em: 26 jan. 2016. 10h.

CASTILHO, Ataliba T. de. A hora e a vez do português brasileiro. Disponível em:


<http://www.museudalinguaportuguesa.org.br/files/mlp/texto_34.pdf>. Acesso em: 29
jan. 2016. 8h32min.

DALEFI, Roberto Gomes. Enciclopédia do estudante: gramática e linguística:


história, regras e usos da língua portuguesa. 1. Ed. – São Paulo: Moderna, 2008.

FEMERJ. Campanha Silêncio. Disponível em:


<http://www.femerj.org.br/Eventos/Campanha%20Silencio/Campanha%20silencio.asp
>. Acesso em: 25 jan. 2016. 16h40min.

FORTAREL, Jô. Enciclopédia do estudante: literatura em língua portuguesa:


escritos e obras do Brasil, África e Portugal. 1. Ed. – São Paulo: Moderna, 2008.

HOUAISS, Antônio. Dicionário eletrônico Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de


Janeiro: Editora Objetiva, 2009.

NESTI, Fido. Os Lusíadas em quadrinhos. São Paulo: Peirópolis, 2006.

PIXABAY. Conversa. Disponível em:


<https://pixabay.com/pt/conversa%C3%A7%C3%A3o-discuss%C3%A3o-falando-
799448/>. Acesso em: 25 jan. 2016. 15h.

SOCIOCULTURA, Variação. Jargão. Disponível em:


<http://variaosociocultural.blogspot.com.br/2011/03/httpwww.html>. Acesso em: 12 fev.
2016. 14h.
WIKIMEDIA. Grammatica da Língua Portuguesa com os Mandamentos da Santa
Madre Igreja. Disponível em:
<https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/7/75/Grammatica_joam_de_barros_
2.jpg>. Acesso em: 21 jan. 2016. 11h.

WIKIMEDIA. Perigo. Disponível em:


<https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/3/39/Hazard_T.svg>. Acesso em: 26
jan. 2016.

GABARITO

1.
a) d
b) e
c) g
d) b
e) c
f) h
g) a
h) f

2. Alternativa b.

3. A linguagem que aparece no poema de Camões é mais formal.


O uso de vocabulário aprimorado, construções gramaticais bem elaboradas como
o correto uso das concordâncias nominais e verbais, permitem perceber o quanto
o poeta era preocupado com sua linguagem.