Anda di halaman 1dari 24

TENHO ESSE TRABALHO PRONTO

CHAMA NO ZAP 38 9 9731 1685

PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO – 1º e 2º Semestres

Cursos ADM, CCO e ECO Semestre: 1º e 2º


Competência Conhecer os aspectos estruturais e conceituais do patrimônio,
a dinâmica patrimonial, os procedimentos de elaboração e
análise das demonstrações financeiras, ressaltando as
dimensões da matemática financeira. Ainda, construir e aplicar
conhecimentos de matemática básica e desenvolver
raciocínio lógico.
Habilidades Os alunos deverão ser capazes de reestruturar um Balanço
Patrimonial e uma Demonstração de Resultado do Exercício,
bem como extrair análises a partir destes demonstrativos.
Também deverão trabalhar com questões matemáticas
envolvendo análise de financiamentos e de juros.
Objetivos de Utilizar os conhecimentos de Administração, Capital de Giro,
aprendizagem Contabilidade e Matemática relacionados ao patrimônio das
organizações para a exploração de conceitos abrangidos
nestas disciplinas, bem como capacitar o aluno para a tomada
de decisão.

Prezados alunos,
Sejam bem-vindos a este semestre!
A proposta de Produção Textual Interdisciplinar em Grupo (PTG) terá como temática
o caso da empresa SHINE joias, que possibilitará a aprendizagem interdisciplinar dos
conteúdos desenvolvidos nas disciplinas desse semestre.
ORIENTAÇÕES DA PRODUÇÃO TEXTUAL

O que devemos fazer?


a) Na Produção Textual em Grupo (PTG) vocês deverão, num primeiro momento,
conhecer a Situação Geradora de Aprendizagem (SGA) “O caso da SHINE joias”.
b) Em um segundo momento, vocês deverão se envolver com a Situação Geradora
de Aprendizagem (SGA), inserindo-se nesse contexto para realizar as tarefas
previstas. Para realizar as tarefas, sigam as orientações fornecidas neste material
e embasem-se em fundamentações teóricas diversas (livros das disciplinas, tele
aulas, web aulas e outros materiais complementares, sejam estes indicados pelos
professores ou pesquisados por vocês).

Situação Geradora de Aprendizagem (SGA)

Situação-problema: A ampliação da SHINE joias

A indústria joalheira no Brasil é relativamente recente, o seu desenvolvimento


se deu a partir da década de 1960, com o surgimento das primeiras empresas que se
somaram aos fabricantes de joias artesanais, os ourives. Mesmo sendo uma produção
recente, o Brasil é um dos maiores produtores e exportadores de joias da América.
Na década de 1990 o principal marco à indústria joalheira nacional foi a
abertura econômica que aventurou a indústria à concorrência externa em um período
em que o mercado interno havia diminuído drasticamente. Tal mudança no cenário
determinou um rápido reposicionamento dos joalheiros com o intuito de aumentar sua
competitividade.
A SHINE joias foi fundada em 1985, e sua principal atividade é a fabricação e
venda de joias, principalmente exportação para Itália, Rússia e Dinamarca. Os sócios
da SHINE joias se animaram com as mudanças no cenário nacional e aumento do
consumo no mercado interno e estão analisando em investir numa nova linha de joias
especiais, com o designer assinado por renomados profissionais internacionais e uso
exclusivamente de pedras valiosas e raras. Esta mudança interfere em todas as fases
de produção, orientando o conceito da coleção, a escolha de materiais, o processo
produtivo, assim como a comercialização da nova linha.
Para esta nova e exclusiva linha, a empresa vai precisar de um montante de
R$ 875.000,00 a serem investidos em novos profissionais, produtos (ouro, prata e
pedras preciosas). Em razão disso, os sócios da empresa estão analisando as
possibilidades para levantarem o referido capital, considerando as possibilidades de
novos sócios entrarem no negócio com aporte de capital e/ou de financiamentos junto
às instituições financeiras.
Diante dessa situação, para iniciar os estudos sobre a viabilidade de
investimento na nova linha de joias exclusivas, os sócios da SHINE contrataram você
e sua equipe para ajudá-los neste desafio. Para atender aos propósitos ensejados,
será necessário organizar corretamente as contas contábeis, analisar as
Demonstrações Financeiras (Balanço Patrimonial e a Demonstração de Resultado do
Exercício) da empresa e analisar as formas para obtenção de capital no valor de R$
875.000,00.
Ao iniciar o trabalho de análise vocês verificaram que o Balanço Patrimonial e
a Demonstração de Resultado do Exercício foram elaborados de maneira incorreta,
em que algumas contas patrimoniais estão classificadas indevidamente em outros
grupos de contas.
A seguir, nos Quadros 1 e 2, são apresentados os saldos finais de todas as
contas patrimoniais e de resultado. As contas precisam ser corretamente classificadas
e organizadas dentro do Balanço Patrimonial e a Demonstração do Resultado do
Exercício da SHINE.

Quadro 1 – Contas Patrimoniais da SHINE para classificar corretamente no Balanço


Patrimonial
Lista de contas Saldos em 2016 Saldos em 2017
Financiamentos a
30.400,00 28.200,00
pagar
Capital 102.000,00 103.000,00
Aplicações financeiras 2.300,00 6.600,00
Duplicatas a receber 92.000,00 85.600,00
Empréstimos
12.000,00 18.200,00
bancários
Caixa e bancos 21.000,00 24.200,00
Duplicatas
8.600,00 9.680,00
descontadas
Fornecedores 103.000,00 132.000,00
Outras obrigações 52.300,00 75.900,00
Investimentos 88.000,00 89.000,00
Reservas de lucro 51.900,00 28.620,00
Imobilizado 42.200,00 62.700,00
Intangível 8.800,00 9.100,00
Estoques 105.900,00 118.400,00
Fonte: elaborado pelos professores.

Quadro 2 – Contas de Resultado da SHINE, para classificar corretamente na DRE.


Lista de contas Saldos em 2016 Saldos em 2017
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 620.000,00 720.000,00
Despesas de venda (30.700,00) (31.570,00)
(-) Despesas financeiras líquidas (9.680,00) (9.900,00)
(-) PROVISÕES PARA A CONTRIBUIÇÃO (33.423,00) (42.841,50)
SOCIAL E O IMPOSTO DE RENDA
Custo dos produtos vendidos – CPV (325.200,00) (358.400,00)
Despesas administrativas (31.600,00) (34.520,00)
(=) LUCRO OU PREJUÍZO LÍQUIDO DO 189.397,00 242.768,50
EXERCÍCIO
Fonte: elaborado pelos professores.
A partir de agora começam os desafios da equipe. Vocês possuem algumas
tarefas pela frente! Bons estudos e bom trabalho!

TAREFA 1: O trabalho deverá ser elaborado de acordo com as orientações


metodológicas contidas no Anexo I deste trabalho.

TAREFA 2: A empresa SHINE vai precisar de um montante de R$ 875.000,00 para


que possa ser investido em novos profissionais e produtos. Você e sua equipe foram
contratados para ajudá-los a conseguir esse capital. Para isso, foi realizada uma
pesquisa em algumas instituições financeiras para saber a taxa de juros cobrada na
realização de um financiamento, conforme a tabela:

Banco A Banco B Banco C

Taxa de juros 1,9% ao ano 2,5 % ao ano 3,2% ao ano

Período do
192 meses 144 meses 204 meses
financiamento

As instituições financeiras oferecem modalidades de crédito que podem


atender a financiamentos, sendo que as taxas de juros podem variar de acordo com o
prazo que for efetuada a contratação da operação. Assim, de acordo com as taxas da
tabela acima, você deve analisar cada uma das opções apresentadas, Banco A, B e
C, com o intuito de apresentar aos gestores a que considera mais vantajosa para a
empresa.
Vocês devem determinar:
a) O valor da prestação de cada uma das opções.
b) O valor futuro (montante) de cada uma das opções.
c) Quais bancos possuem os maiores valores futuros? Considerando esses
bancos, em quantos por cento os seus valores futuros são maiores que o dos
outros?
d) Apresentar aos gestores o banco que considera mais vantajoso a empresa
realizar o financiamento, justificando essa escolha.

TAREFA 3: Com base nas contas patrimoniais e de resultado apresentados nos


Quadros 1 e 2, vocês devem classificar adequadamente as contas, organizando-as,
de modo a estruturar o Balanço Patrimonial (Quadro 3) e a Demonstração do
Resultado do Exercício (Quadro 4).

Quadro 3 – Balanço Patrimonial


BALANÇO PATRIMONIAL DA SHINE
ATIVO 31/12/2016 31/12/2017 PASSIVO 31/12/2016 31/12/2017
CIRCULANTE CIRCULANTE
Caixa e bancos Empréstimos
bancários
Aplicações Duplicatas
financeiras descontadas
Duplicatas a Fornecedores
receber
Estoques Outras
obrigações

ATIVO NÃO PASSIVO NÃO


CIRCULANTE CIRCULANTE
Investimentos Financiamentos a
pagar
Imobilizado PATRIMONIO
LÍQUIDO
Intangível Capital
Reservas de lucro

TOTAL DO TOTAL DO
ATIVO PASSIVO
Fonte: elaborado pelos professores.

Quadro 4 – Demonstração do Resultado do Exercício


DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO
2016 2017
EXERCÍCIO - SHINE

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA


(-) CUSTO OPERACIONAL
Custo dos produtos vendidos – CPV
(=) LUCRO BRUTO
(-) DESPESAS OPERACIONAIS
Despesas administrativas
Despesas de venda
(=) LUCRO OPERACIONAL OU LAJIR
(-) Despesas financeiras líquidas
(=) LUCRO ANTES DA CONTRIBUIÇÃO SOCIAL E
DO IMPOSTO DE RENDA
(-) Provisões para a Contribuição Social e o Imposto
de Renda
(=) LUCRO OU PREJUÍZO LÍQUIDO DO
EXERCÍCIO
Fonte: elaborado pelos professores.
TAREFA 4: Após realizar a Tarefa 3, tendo como base as demonstrações financeiras,
efetue as análises verticais e horizontais do Balanço Patrimonial e da Demonstração
de Resultado do Exercício. Essas análises são primordiais para o processo de análise
de viabilidade pelos sócios da SHINE. A análise vertical somente do ano 2017. A
análise horizontal envolve 2016 e 2017.

Lembre-se: arredondar as porcentagens, não utilizar nenhuma casa decimal após a


virgula.

Quadro 5 – Análise Vertical do Balanço Patrimonial

ANÁLISE VERTICAL BALANÇO PATRIMONIAL DA SHINE


ATIVO 31/12/2016 31/12/2017 AV PASSIVO 31/12/2016 31/12/2017 AV
CIRCULANTE CIRCULANTE
Caixa e Empréstimos
bancos bancários
Aplicações Duplicatas
financeiras descontadas
Duplicatas a Fornecedores
receber
Estoques Outras
obrigações

ATIVO NÃO PASSIVO NÃO


CIRCULANTE CIRCULANTE
Investimentos Financiamentos
a pagar
Imobilizado PATRIMONIO
LÍQUIDO
Intangível Capital
Reservas de
lucro
TOTAL DO TOTAL DO
ATIVO PASSIVO
Fonte: elaborado pelos professores.

Quadro 6 – Análises Verticais da Demonstração do Resultado do Exercício


ANÁLISE VERTICAL DEMONSTRAÇÃO DO
2016 2017
RESULTADO DO EXERCÍCIO DA SHINE AV

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA


(-) CUSTO OPERACIONAL
Custo dos produtos vendidos – CPV
(=) LUCRO BRUTO
(-) DESPESAS OPERACIONAIS
Despesas administrativas
Despesas de venda
(=) LUCRO OPERACIONAL OU LAJIR
(-) Despesas financeiras líquidas
(=) LUCRO ANTES DA CONTRIBUIÇÃO
SOCIAL E DO IMPOSTO DE RENDA
(-) PROVISÕES PARA A CONTRIBUIÇÃO
SOCIAL E O IMPOSTO DE RENDA
(=) LUCRO OU PREJUÍZO LÍQUIDO DO
EXERCÍCIO
Fonte: elaborado pelos professores.

Quadro 7 – Análises Horizontais do Balanço Patrimonial

ANÁLISE HORIZONTAL BALANÇO PATRIMONIAL DA SHINE


ATIVO 31/12/2016 31/12/2017 AH PASSIVO 31/12/2016 31/12/2017 AH
CIRCULANTE CIRCULANTE
Caixa e Empréstimos
bancos bancários
Aplicações Duplicatas
financeiras descontadas
Duplicatas a Fornecedores
receber
Estoques Outras
obrigações

ATIVO NÃO PASSIVO NÃO


CIRCULANTE CIRCULANTE
Investimentos Financiamentos
a pagar
Imobilizado PATRIMONIO
LÍQUIDO
Intangível Capital
Reservas de
lucro
TOTAL DO TOTAL DO
ATIVO PASSIVO
Fonte: elaborado pelos professores.

Quadro 8 – Análises Horizontais da Demonstração do Resultado do Exercício


ANÁLISE HORIZONTAL DEMONSTRAÇÃO DO
2016 2017
RESULTADO DO EXERCÍCIO DA SHINE AH

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA


(-) CUSTO OPERACIONAL
Custo dos produtos vendidos – CPV
(=) LUCRO BRUTO
(-) DESPESAS OPERACIONAIS
Despesas administrativas
Despesas de venda
(=) LUCRO OPERACIONAL OU LAJIR
(-) Despesas financeiras líquidas
(=) LUCRO ANTES DA CONTRIBUIÇÃO
SOCIAL E DO IMPOSTO DE RENDA
(-) PROVISÕES PARA A CONTRIBUIÇÃO
SOCIAL E O IMPOSTO DE RENDA
(=) LUCRO OU PREJUÍZO LÍQUIDO DO
EXERCÍCIO
Fonte: elaborado pelos professores.

TAREFA 5: Após realizar a Tarefa 4, tendo como base o Balanço Patrimonial e a


Demonstração de Resultado do Exercício, calculem e façam a análise de índices:
- Liquidez Corrente de 2016 e 2017
- Liquidez Seca de 2016 e 2017
- Giro do Ativo de 2016 e 2017

Após os cálculos, preencham a planilha:


Ano Índice Valor Análise
2016 LC
2017 LC
2016 LS
2017 LS
2016 GA
2017 GA

REFERÊNCIAS:
GRIFFIN, Michael P. Contabilidade e finanças. São Paulo: Saraiva, 2012.
Disponível em: https://integrada.minhabiblioteca.com.br

MARION, José Carlos. Análise das demonstrações contábeis: contabilidade


empresarial. 7. ed. – São Paulo: Atlas, 2012. Disponível em:
https://integrada.minhabiblioteca.com.br

PADOVEZE, Clóvis Luís. Contabilidade gerencial: um enfoque em sistema de


informação contábil. 7. ed. – São Paulo: Atlas, 2010. Disponível em:
https://integrada.minhabiblioteca.com.br
ORIENTAÇÕES PARA FORMATAÇÃO DO TRABALHO

CONFIGURAÇÕES DO TRABALHO: mínimo 8 e no máximo 15 páginas; A estrutura


do trabalho deverá ser a seguinte: Capa, Folha de rosto, Resolução das Questões
Propostas, Referências (caso necessário); - O trabalho deve ser realizado de acordo
com as normas da ABNT; acesse a Biblioteca Digital, clique em “Padronização” e
escolha as opções “Trabalhos acadêmicos – Apresentação” e “Modelo para
elaboração de Trabalho Acadêmico”. Acompanha a Produção Textual Interdisciplinar
em grupo o material da disciplina de Metodologia Científica que aborda os itens no
trabalho: capa, folha de rosto, sumário, citação e referências nas normas técnicas da
ABNT com objetivo de auxiliá-los na elaboração e formatação do PTG.
Haverá apresentação da produção textual em grupo, vocês devem seguir as
instruções para apresentação do trabalho.

Um ótimo trabalho!
Equipe de professores.
ANEXO I -NORMAS DE METODOLOGIA

Caros Alunos

O material abaixo é referente às normas da ABNT - Associação Brasileira de


Normas Técnicas, disponibilizado na disciplina de Metodologia Científica.

Com objetivo de facilitar a consulta para a elaboração da produção textual em


grupo, segue abaixo os seguintes itens: apresentação formal do trabalho, citação
e referências, os quais deverão ser utilizados rigorosamente em sua produção
textual em grupo.

Bom Trabalho!!!
Profª Drª Regina Celia Adamuz

1 APRESENTAÇÃO FORMAL DE UM TRABALHO CIENTÍFICO

1.1 Estrutura do Trabalho

1.1.1 Apresentação gráfica

A configuração das margens do trabalho deve obedecer ao seguinte padrão:


Superior - 3,0cm
Inferior - 2,0 cm
Esquerda - 3,0cm
Direita - 2,0cm

1.1.2 Espacejamentos entre linhas

O espacejamento entre linhas é de 1,5 cm para o texto, e espaço simples para o


resumo e para as citações longas.

1.1.3 Escrita

Utilizar margem justificada para o corpo do trabalho e alinhamento esquerdo


para as referências.
A NBR 14724 (2005, p.7) recomenda: “[...] a utilização de fonte tamanho 12 para
todo o texto, excetuando- se as citações de mais de três linhas, notas de rodapé,
paginação e legendas das ilustrações e das tabelas que devem ser digitadas em
tamanho menor e uniforme.”

1.1.4 Numeração das páginas

A NBR 14724 (2005, p.8) indica que:

Todas as folhas do trabalho, a partir da folha de rosto, devem ser contadas


sequencialmente, mas não numeradas. A numeração é colocada, a partir da
primeira folha da parte textual, em algarismos arábicos, no canto superior direito
da página, a 2 cm da borda direita da folha.

1.2 Elementos do Trabalho Acadêmico

O TCC, ou qualquer tipo de trabalho acadêmico e/ou científico, é composto de


elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais, e esses elementos se classificam
em obrigatórios e opcionais.

1.2.1 Elementos pré-textuais

São considerados elementos pré-textuais todas as partes do trabalho que


antecedem à introdução. São elas: Capa, Folha de rosto, Sumário.

1.2.1.1 Capa

A capa serve para a proteção externa do trabalho e identificação da obra. As


informações devem ser descritas na seguinte ordem: nome da instituição, nome
do autor, título, subtítulo, quando houver, o local da instituição onde deve ser
apresentado e o ano.
Nome da Instituição

Cidade
Ano

1.2.1.2 Folha de rosto

É a que contém os elementos essenciais à identificação da obra. A folha de rosto


deve conter os dados da capa, mais uma nota explicativa a respeito da natureza
do trabalho, seu objetivo acadêmico e a orientação do mesmo.

Produção Textual em
Grupo apresentada
à ... (nome da
instituição) no
curso ...

Cidade
Ano
Exemplo: Portfólio apresentado no curso de .............., da UNOPAR-
Universidade Norte do Paraná, como requisito parcial para conclusão da
disciplina...................

1.2.1.3 Sumário

É a numeração das principais divisões, seções e outras partes de um trabalho,


na mesma ordem e grafia em que está no referido trabalho.

1.3 Elementos Textuais -

Constituem-se elementos textuais de um trabalho acadêmico a introdução, o


desenvolvimento e a conclusão, variando as partes, dentro de cada um desses
itens, de acordo com o tema, com a orientação dada, e mesmo com a literatura
da área, visto não haver uma determinação rigorosa quanto às partes que
deverão ser tratadas em cada item. A título de sugestão, baseando-se em
sua
experiência cotidiana em sala de aula, sugiro a vocês as partes descritas a
seguir. Os títulos dessas partes devem ser grafados em letra TNR, tamanho 12.
Os títulos dos itens principais, em primeiro nível, devem ser numerados
consecutivamente e grafados em caixa alta e em negrito. Ex. 1 INTRODUÇÃO;
2 JUSTIFICATIVA; 3 REVISÃO DE LITERATURA; 4 OBJETIVOS; 5
METODOLOGIA; 6 RESULTADOS; 7 DISCUSSÃO e 8 CONCLUSÕES. Os
títulos dos itens secundários ou subitens, em segundo nível, devem ser grafados
com as iniciais em letras maiúsculas e em negrito. Ex.: 1.1 Objetivos
específicos; 1.2 Coleta de dados. Se houver um subitem em terceiro nível, este
será grafado em negrito e com letras minúsculas, com exceção da primeira letra
do título e dos nomes próprios.

O texto de quaisquer dos níveis (primeiro, segundo, terceiro etc.) deverá ser
grafado em igual padrão de tipo e tamanho de letra, porém, sem negritar.

Quanto ao espaçamento, recomenda-se que, entre o item e o texto referente a


ele, haja um espaço de parágrafo em branco. Esta mesma recomendação aplica-
se também ao espaçamento entre o último parágrafo de um item e o(s) seu(s)
subitem(ns) subsequente(s), quando houver um espaço de parágrafo em branco.
Terminado o item (e seus subitens, se houver), recomendam-se dois parágrafos
em branco para separá-lo do item principal seguinte.

1.4 Elementos Pós-textuais

Nesta parte, são colocados os seguintes elementos:

Referência (obrigatório)

São elementos que, como o nome informa, aparecem após o texto propriamente
dito, ou seja, após as conclusões ou considerações ou recomendações finais.
São eles: referências; glossário; apêndice (s) e anexo(s).
1.4.1 Referências

É a listagem dos documentos efetivamente citados no texto, ou seja, consiste


em um “conjunto de elementos padronizados de elementos descritivos retirados
de um documento, que permite sua identificação individual” (NBR 14724, 2005,
p.2).

Por referência, entende-se um conjunto de informações completas, precisas e


suficientes que, dispostas em uma ordem determinada, permitem a identificação
da publicação no todo ou em parte. A referência correta deve levar em conta a
ordem convencional dos elementos, de acordo com a norma adotada.

O conjunto de referências citadas no decorrer do texto constitui a parte intitulada


referências. Portanto, as referências são todas as representações de todas as
publicações citadas durante o trabalho, em qualquer uma das partes do texto
propriamente dito, e que devem, por isso, estar citadas na revisão da literatura.

Normalização

2 NORMAS DA ABNT

2.1 Citações

Segundo a ABNT (NBR10520, 2002), citação é a menção, no texto, de uma


informação colhida em outra fonte.

Citações são informações extraídas das fontes consultadas para a realização de


trabalhos científicos e acadêmicos. Tem por objetivo:

Dar sustentação ao texto;


Apoiar a análise dos dados;
Situar o trabalho na respectiva temática;
Situar o problema na perspectiva histórica;
Obter credibilidade na defesa de ideias, demonstração de fatos, etc.;
Conferir informações, dados, fatos etc.;
Dar sustentação à análise e discussão dos achados.
O uso correto das citações, por parte de pesquisador, garante o respeito aos
direitos autorais e de propriedade intelectual dos autores citados. Esse cuidado
é muito importante, pois preserva o pesquisador de ser acusado de plágio.

A citação pode ser:

a) Direta (literal ou textual) - É a transcrição de palavras ou trechos de outro


autor e podem ser apresentadas de duas formas;

Até três linhas - Inseridas entre aspas duplas, no meio do texto normal.

Ex: Segundo Freire (2004, p. 15), "a educação é indispensável".

ou

Ex: "A educação é indispensável" (FREIRE, 2004, p. 15).

Quando for uma citação longa (acima de três linhas), deve estar em um parágrafo
independente, recuado a 4 cm da margem esquerda, grafada com letra menor
que a do texto (tamanho 10) e com espacejamento simples entre as linhas e sem
aspas (Fierli et al., 2005).

Em uma sociedade de organizações, na qual a complexidade e a


interdependência das organizações constituem o aspecto crucial, a
Administração é fator-chave pra a melhoria da qualidade de vida e solução
dos problemas mais complexos que afligem a humanidade hoje
(CHIAVENATO, 2004, p.15).

b) Indireta - Consiste na reprodução das ideias de outro autor, sem


transcrição literal.

c) Citação de citação

Quando se transcreve palavras textuais ou conceitos de um autor ditos por um


segundo autor, utiliza-se a expressão latina apud, que significa citado por.

Ex: Segundo Nascimento (apud COSTA, 2005, p. 30) "a mente tem poder total
sobre o comportamento do indivíduo".
Ou

Ex: De acordo com Nascimento "a mente tem poder total sobre o
comportamento do indivíduo" (apud COSTA, 2005, p.30).

Ou

Ex: "A mente tem poder total sobre o comportamento do indivíduo."


(NASCIMENTO apud COSTA, 2005, p.30).

2.1.1 Citações com dois autores

Nas citações onde são mencionados dois autores, separar por ponto e vírgula
quando estiverem citados dentro dos parênteses.

Ex: (SAVIANI; SILVA, 2000, p.102).

Quando os autores estiverem incluídos na sentença, utilizar o (e)

Ex: Saviane e Silva (2000 p.102).

2.1.2 Citações com três autores

Dentro dos parênteses, separar por ponto e vírgula.

Ex: (MENDES; SILVA; CRUZ, 2000, p.2).

Incluídos na sentença, utilizar vírgula para os dois primeiros autores e para


separar o segundo do terceiro.

Ex: Mendes, Silva e Cruz (2000, p.2).

2.1.3 Citações com mais de três autores

Indicar o primeiro autor, seguido da expressão et al.

Ex: (LIBANEO et al., 2006)

Libaneo et al. (2006)


2.2 Referências

Referências, segundo a ABNT (2002, p.2) são: "conjunto padronizado de


elementos descritivos, retirados de um documento, que permite a sua
identificação individual" (NBR 6023).

As referências devem aparecer, sempre, alinhadas somente à margem esquerda


e de forma a se identificar individualmente cada documento, em espaço simples
e separadas entre si por espaço duplo.

A entrada padrão de uma referência, independentemente do tipo de documento,


é o AUTOR da publicação, seja ele pessoa física ou uma entidade coletiva. Na
ausência de autor, a entrada deverá ser o título. Exemplo: podem ser citados os
editoriais de revistas científicas; e os autores devem ser listados na ordem em
que aparecem na publicação.

Existem ainda outras publicações, cuja responsabilidade editorial pode estar a


cargo de um organizador, de um compilador, de um coordenador ou de um editor.
Neste caso, entra-se com os nomes destes (igualmente até seis; quando mais
de seis, citam-se os seis primeiros e o termo latino et al.), seguidos das
expressões: organizadores, compiladores, coordenadores, editores, conforme o
caso, na língua da publicação.

Outra possibilidade de autoria são as coletivas, ou seja, entidades, instituições,


organismos nacionais e internacionais, empresas etc., como responsáveis pelo
documento, os quais são referidos neste livro, como: organização como autor.

Quando não há nem autor físico nem autoria coletiva deve-se entrar pelo título
da publicação.

2.2.1 Localização das referências


As referências podem estar localizadas em nota de rodapé; em lista de
referências, no final do texto ou do capítulo; antecedendo resumos, resenhas e
recensões.

2.2.2 Elementos da referência

2.2.2.1 Autoria

a) Um Autor

BEE, Helen. A criança em desenvolvimento. 9. ed. Porto Alegre: Artmed,


2003.

b) Dois Autores

CARLSSON, Ulla; FEILITZEN, Cecilia Von. A criança e a


mídia: imagem, educação, participação. São Paulo: Cortez, 2002.

c) Três Autores

ENGEL, J. F.; BLACKWELL, R. D.; MINIARD, P. W. Comportamento


do consumidor. 8. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2000.

d) Mais de três Autores

Quando houver mais de três autores, indicar apenas o primeiro,


acrescentando-se a expressão et al.

BORDENAVE, Juan Díaz et al. Estratégias de ensino-


aprendizagem. 25. ed. Petrópolis: Vozes, 2004. 312p.

e) Obras com organizador, coordenador, etc... (Org., Coord., Ed., Comp.)

Quando houver indicação de responsabilidade por uma coletânea de vários


autores, a entrada deve ser feita pelo nome do responsável, (seguida da
abreviatura entre parênteses).

Ex.:
MOREIRA, Antonio Flávio Barbosa (Org.). Currículo: questões atuais.
9. ed. Campinas: Papirus, 2003.
h) Sobrenomes acompanhados de palavras que indicam
parentesco

Ex:
CARVALHO FILHO, Antonio.

AMATO NETO, Vicente.


CARVALHO FILHO, Antônio; Administração de recursos humanos. São
Paulo: Pioneira Thomson, 2004.

i) Publicações anônimas ou não assinadas

Entrar diretamente pelo título, sendo a primeira palavra impressa em maiúsculo.

Ex.:

A VIDA como ela é.

2.2.2.2 Título e subtítulo

O título deve ser reproduzido tal como aparece na obra, devendo ser destacado
dos demais elementos da referência (negrito, itálico ou sublinhado).

Indica-se o subtítulo após o título, precedido por dois pontos (:). O subtítulo não
deve ser destacado.

Ex.:

Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações

2.2.2.3 Edição

É indicada a partir da segunda edição e deve ser transcrita utilizando- se


abreviaturas dos numerais ordinais, na língua do documento.

Ex: 3. ed.

2.2.2.4 Local
O local deve figurar na referência, tal como aparece na publicação. Quando
houver mais de um local, indica-se o que estiver em destaque ou que aparecer
em primeiro lugar. Quando não for mencionado, utilizar-se a expressão [S.l.].

2.2.2.5 Editora

Deve ser citada tal como aparece na obra. Quando possuir mais de uma editora,
indica-se a que aparecer em destaque ou a que estiver em primeiro lugar.
Suprimir as palavras Editora, Ltda, Cia. etc.

Se a Editora não estiver indicada na obra, utilizar a expressão [s.n.].

2.2.2.6 Data

Quando houver dúvidas quanto à data:


[2000?] Data provável.
[200 -] Para década certa.
[19 --] Para século certo.
[18 --?] Para século provável.

2.2.3 Ordem dos elementos na referência

2.2.3.1 Livros considerados no todo

AUTOR DA OBRA. Título da obra: subtítulo. Número da edição. Local de


Publicação: Editor, ano de publicação. Número de páginas ou volume.

Ex:

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. 5.ed. São Paulo:


Perspectiva, 2003.

2.2.3.2 Capítulo de livro

Com autoria especial (autor do capítulo diferente do autor do livro)


SOBRENOME, Nome. Título do capítulo. In: SOBRENOME,
Nome. Título do livro. edição. Local: Editora, ano. p.inicial-final. Ex.:

ARCHER, Earnest R. Mito da motivação. In: BERGAMINI, Cecília; CODA,


Roberto (Org.).Psicodinâmica da vida organizacional: motivação e
liderança. 2.ed. São Paulo: Atlas, 1997. p.23-46.

Sem autoria especial (quando o autor do livro for o mesmo do capítulo).

SOBRENOME, Nome. Título do capítulo. In: .Título do livro.


edição.Local: Editora, ano.p.inicial-final.

Ex:

FOUCAULT, Michel. A prosa do mundo. In: . As palavras e as


coisas.São Paulo: Martins Fontes, 2000. p.23-58.

2.2.3.3 Artigo de periódico

AUTOR DO ARTIGO. Título do artigo. Título da Revista, (abreviado ou não)


Local de Publicação, Número do Volume, Número do Fascículo, Páginas
inicial-final, mês e ano

BASSO, Leonardo Fernando Cruz; SILVA, Roseli da. O valor da educação


fundamental. Revista Brasileira de Educação, ano 3, n.2, p. 99-116,
2005.

2.2.3.4 Artigo de jornal

AUTOR DO ARTIGO. Título do artigo. Título do Jornal, Local de


Publicação, dia, mês e ano. Número ou Título do Caderno, seção ou
suplemento e, páginas inicial e final do artigo.

OLIVEIRA, W. P. de. A ética na educação. Folha de São Paulo, São Paulo,


26 maio 2005. Caderno Cotidiano, p. 4.
MICROCOMPUTADORES populares. Folha de Londrina, Londrina, 17
ago. 2006. 2. Caderno de Informática. p. 9.
2.2.3.5 Documentos extraídos em meio eletrônico

Páginas da Internet

AUTOR. Título. Informações complementares (Coordenação,


desenvolvida por, apresenta..., quando houver etc...). Disponível
em:. . Acesso em: data.

Ex:

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA. Biblioteca Universitária.


Serviço de Referência. Catálogos de Universidades. Apresenta
endereços de Universidades nacionais e estrangeiras. Disponível em:
Acesso em: 19 maio 1998.

Artigos de periódicos (Internet)

SOBRENOME, Nome.Título do artigo. Nome da Revista, Local, v., n.


, mês ano. Disponível em: <http:/www.editora.com.br>. Acesso em: 23
maio 2001.

Ex:

PATRIOTA, Lucia Maria. Assistentes Sociais e Aids: um estudo de


suas representações sociais. Serviço Social em Revista, v.8, n.1,
jul./dez. 2005. Disponível
em: < http://www.ssrevista.uel.br/ >. Acesso em: 10 dez. 2006.

E-mail

SOBRENOME, Nome (autor da mensagem). Título da mensagem.


[mensagem pessoal] Mensagem recebida por data.

Ex:

CRUZ, Ana. Envio de prova [mensagem pessoal].


Mensagem recebida por em 12 maio 1998.
Cd-rom
AUTOR. Título. Local: Editora, data. Tipo de suporte. Notas.

Ex:
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Bases de
dados em estatística populacional. Brasília, n. 6, 2003. CD-ROM.