Anda di halaman 1dari 12

LAUDO DE INSALUBRIDADE

Empresa:
GLACIAL INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE SORVETES LTDA.

Elaborado por;

Reginaldo Beserra Alves


Eng. de Segurança no Trabalho
CREA: 5.907-D/PB

MAIO/ 2015
Laudo Técnico de Insalubridade 2015

IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA

Razão Social: Glacial Indústria e Comércio de Sorvete Ltda

CNPJ: 63.700.256/0001-21

Endereço: Rua Major Gabriel nº. 2000, Bairro: Praça 14 de Janeiro

CEP: 69.020-060– Manaus/AM

CNAE: 10.53-8-00

Atividade Principal: Fabricação de sorvetes e outros gelados

comestíveis.

Grau de Risco: 03

Horário de Trabalho: 08:00h às 18:00h com 02h de intervalo de segunda


a sexta e no sábado de 08:00h às 12:00h.

Realização da Perícia: Maio de 2015.

1
Laudo Técnico de Insalubridade 2015

APRESENTAÇÃO

A elaboração do Laudo Técnico de Insalubridade cumpre


determinação das Normas Regulamentadoras NR-15 e Decreto 93.412
de 14/10/86, respectivamente, os quais devem ser elaborados por
profissional devidamente habilitado e registrado no respectivo conselho
de classe.
O exercício de trabalho em condições de insalubridade, de acordo
com a Norma Regulamentadora NR-15 do Ministério do Trabalho,
assegura ao trabalhador a percepção de adicional, incidente sobre o
salário mínimo nacional, equivalente a: 40% para insalubridade de grau
máximo; 20% para insalubridade de grau médio e 10% para
insalubridade de grau mínimo.
O pagamento do adicional de insalubridade não exime o
empregador de implantar medidas que possam neutralizar e até eliminar
os agentes insalubres.
A eliminação, através de medida de proteção coletiva, do agente
ambiental comprovada através de avaliação pericial permitirá a
cessação do pagamento do adicional de insalubridade.
Para que haja monitoramento do grau de insalubridade dos
ambientes, faz-se necessária uma revisão anual dos respectivos laudos.

2
Laudo Técnico de Insalubridade 2015

OBJETIVO

Cumprir determinações legais, através de parecer técnico das


avaliações qualitativas e quantitativas dos riscos ambientais, verificando a
existência de insalubridade.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

a) Identificar os riscos ambientais, quais sejam: físicos, químicos e


biológicos presentes nos ambientes de trabalho;
b) Indicar as atividades insalubres, definindo o grau de insalubridade.

METODOLOGIA

A metodologia utilizada para a realização deste laudo baseou-se em: visita


in loco na sede da fábrica da Glacial Indústria e Comércio Ltda, na qual
realizou-se avaliações quantitativas dos riscos físicos, qualitativa para
químicos e biológicos e dados do Programa de Prevenção dos Riscos
Ambientais – PPRA 2015/2016; NR-15 da – Atividade e Operações
Insalubres da Portaria 3.214/78 - Anexos I e III (Limites de Tolerância para
Ruídos Contínuo ou Intermitente e Limite de Tolerância para Exposição ao
Calor), Anexo 14 da NR 15; ACGIH (American Conference of
Governmental Institute of Higiene).

3
Laudo Técnico de Insalubridade 2015

EQUIPAMENTOS

INSTRUMENTO MODELO/MARCA

DECIBELÍMETRO DIGITAL * DEC - 460 / INSTRUTHERM

INSTRUMENTO MODELO/MARCA

TERMÔMETRO DE GLOBO * TGD 200 DIGITAL PORTÁTIL

( * ) - Instrumento calibrado com Padrão – Termômetro de Globo de Digital Portátil TGD


200 Instrutherm, conforme Certificado de Calibração em anexo.

PROCEDIMENTOS

As medições para quantificar os riscos Físicos (ruído e temperatura) foram realizadas no


horário comercial. As cópias dos certificados das aferições dos instrumentos encontram-
se em anexo a este laudo.

4
Laudo Técnico de Insalubridade 2015

SETOR: ADMINISTRAÇÃO

Descrição do ambiente: Ambiente fechado, climatizado, paredes em alvenaria, piso


cerâmico, iluminação natural e artificial.

Avaliação qualitativa:
Atividades executadas no local inspecionado:
Serviços burocráticos de finanças e de Departamento Pessoal.

Trabalhadores expostos:
Aprendiz, Assistente Administrativo I, Auxiliar Contábil, Auxiliar de Departamento
Pessoal, Diretor(a) de Marketing, Encarregado(a) de Departamento Pessoal.

Etapas do processo operacional:


APRENDIZ - Preparam materiais para alimentação de linhas de produção; organizam a
área de serviço; abastecem linhas de produção; alimentam máquinas e separam
materiais para reaproveitamento.
ASSISTENTE ADMINISTRATIVO I - Executam serviços de apoio nas áreas de
recursos humanos, administração, finanças e logística; atendem fornecedores e
clientes, fornecendo e recebendo informações sobre produtos e serviços; tratam de
documentos variados, cumprindo todo o procedimento necessário referente aos
mesmos; preparam relatórios e planilhas; executam serviços gerais de escritórios.
AUXILIAR CONTÁBIL - Organizam documentos e efetuam sua classificação contábil;
geram lançamentos contábeis, auxiliam na apuração dos impostos, conciliam contas e
preenchimento de guias de recolhimento e de solicitações, junto a órgãos do governo.
Emitem notas de venda e de transferência entre outras; realizam o arquivo de
documentos.
AUXILIAR DE DEPARTAMENTO PESSOAL - Executam serviços de apoio nas áreas
de recursos humanos, administração, finanças e logística; atendem fornecedores e
clientes, fornecendo e recebendo informações sobre produtos e serviços; tratam de
documentos variados, cumprindo todo o procedimento necessário referente aos
mesmos.

5
Laudo Técnico de Insalubridade 2015

DIRETOR (A) DE MARKETING - Atuam na definição do planejamento estratégico da


empresa; definem e executam plano de marketing e vendas; gerem a qualidade da
venda. Participam da definição de políticas de recursos humanos. Comunicam-se
primordialmente para disseminar informações ao público de interesse da empresa.
ENCARREGADO DE DEPARTAMENTO PESSOAL - Gerenciam atividades de
departamentos ou serviços de pessoal, recrutamento e seleção, cargos e salários,
benefícios, treinamento e desenvolvimento, liderando e facilitando o desenvolvimento
do trabalho das equipes. Assessoram diretoria e setores da empresa em atividades
como planejamento, contratações, negociações de relações humanas e do trabalho.
Atuam em eventos corporativos e da comunidade, representando a empresa.

Avaliação quantitativa:
Método utilizado
Inspeção visual no local de trabalho, avaliação do nível de ruído (Decibelimetria) e
dados do PPRA do ano 2015/ 2016. O ambiente é climatizado.

Fundamentação técnica e científica


O nível de pressão sonora medido no setor foi 58,10d(B)A, 56,4d(B)A, 56,8d(B)A, 55,7
d(B)A. O ambiente é climatizado.

Fundamentação legal
O anexo 1 da NR-15, portaria 3.214 de 08 de junho de 1978 do Ministério do Trabalho
estabelece limites de tolerância para ruído contínuo ou intermitente, regulamentando o
nível de 85dB para 08 horas de trabalho.

Medidas de proteção adotadas:


Medidas de proteção individual
Não aplicável.
Medidas de proteção coletiva
Ambiente climatizado.

6
Laudo Técnico de Insalubridade 2015

Conclusão:
De acordo com a análise e interpretação dos resultados, levando em consideração a
fundamentação técnica e legal, conclui-se que os colaboradores do setor
ADMINISTRATIVO – Aprendiz, Assistente Administrativo I, Auxiliar Contábil, Diretor(a)
de Marketing, Encarregado(a) de Departamento Pessoal, não estão expostos a
agentes agressivos à saúde (Ruído e Calor). Portanto, NÃO FAZ JUZ A PERCEPÇÃO
DO ADICIONAL DE INSALUBRIDADE.

SETOR: PRODUÇÃO

Descrição do ambiente: Ambiente fechado, não refrigerado, paredes em alvenaria,


piso cerâmico, cobertura em laje (concreto armado), ventilação mecânica, iluminação
natural e artificial.

Atividades executadas no local inspecionado:


Serviço de produção de sorvetes.
Trabalhadores expostos:
Ajudante de Produção, Auxiliar de Produção e Supervisor de Produção.

Etapas do processo operacional:


Ajudante de Produção e Auxiliar de Produção – Elaboram caldas de sorvete e
produzem compotas.
Supervisor de Produção - Planejam, coordenam e controlam processos de produção
de sorvetes.

Avaliação quantitativa:
Método utilizado
Inspeção visual no local de trabalho, avaliação do nível de ruído (Decibelimetria), calor
(Termômetro de Globo) e dados do PPRA do ano 2015/ 2016.

Fundamentação técnica e científica


O nível de pressão sonora medido no setor foi 76,7 d(B)A.- Ajudante de Produção e
79,2 dB(A) – Auxiliar de Produção O ambiente não é climatizado.
Nível de estresse Térmico: 26,9 IBUTG (Ajudante de Produção e Auxiliar de Produção.

7
Laudo Técnico de Insalubridade 2015

Fundamentação legal
O anexo 1 da NR-15, portaria 3.214 de 08 de junho de 1978 do Ministério do Trabalho
estabelece limites de tolerância para ruído contínuo ou intermitente, regulamentando o
nível de 85dB, calor de 30 IBUTG para atividade leve para 08 horas de trabalho.

Medidas de proteção adotadas:


Medidas de proteção individual - EPI
Não aplicável.
Medidas de proteção coletiva - EPC

Extintores de combate a princípio de incendio, sinalização de segurança.

Conclusão:
De acordo com a análise e interpretação dos resultados, levando em consideração a
fundamentação técnica e legal, conclui-se que os colaboradores do setor PRODUÇÃO
– Ajudante de Produçãi, Auxiliar de Produção, não estão expostos agentes agressivos
à saúde (Ruído e Calor).Portanto, NÃO FAZ JUZ A PERCEPÇÃO DO ADICIONAL DE
INSALUBRIDADE.

SETOR: MANUTENÇÃO

Descrição do ambiente: Ambiente não refrigerado, paredes em alvenaria, piso


cerâmico, cobertura em concreto armado, ventilação mecânica, iluminação natural e
artificial.

Atividades executadas no local inspecionado:


Montador de instalação de calefação, ventilação e refrigeração, Mecânico de
refrigeração (instalação).

Trabalhadores expostos:
Ajudante de Produção e Supervisor de Produção.

8
Laudo Técnico de Insalubridade 2015

Etapas do processo operacional:


Mecânico de Produção – Avalia e dimensiona locais para instalação de equipamentos
de refrigeração, calefação e ar - condicionado. Especificam materiais e acessórios e
instalam equipamentos de refrigeração e ventilação. Instalam ramais de dutos, montam
tubulações de refrigeração, aplicam vácuo em sistemas de refrigeração. Carregam
sistemas de refrigeração com fluido refrigerante. Realizam testes nos sistemas de
refrigeração.

Avaliação quantitativa:
Método utilizado
Inspeção visual no local de trabalho, avaliação do nível de ruído (Decibelimetria), calor
(Termômetro de Globo) e dados do PPRA do ano 2015/ 2016.

Fundamentação técnica e científica


O nível de pressão sonora medido no setor foi 65,5 d(B)A. O ambiente não é
climatizado.
Nível de estresse térmico: 26,9 IBUTG.
Obs.: Atividade não é realizada em posto fixo. Realizando atividade laboral em
Ambiente climatizado.

Fundamentação legal
O anexo 1 da NR-15, portaria 3.214 de 08 de junho de 1978 do Ministério do Trabalho
estabelece limites de tolerância para ruído contínuo ou intermitente, regulamentando o
nível de 85dB para 08hs de exposição e o Quadro I do Anexo 3 da NR 15 (Limite de
Tolerancia para Exposição ao calor), estabelece o valor de 26,7 IBUTG para atividade
moderada para 08 horas de trabalho.

Medidas de proteção adotadas:


Medidas de proteção individual - EPI
Luva de algodão.
Medidas de proteção coletiva - EPC
Sinalização de segurança, extintores de combate a princípio de incendio.

9
Laudo Técnico de Insalubridade 2015

Conclusão:
De acordo com a análise e interpretação dos resultados, levando em consideração a
fundamentação técnica e legal, conclui-se que os colaboradores do setor
MANUTENÇÃO não estão expostos a agentes agressivos à saúde (Ruído e Calor).
NÃO FAZ JUZ A PERCEPÇÃO DO ADICIONAL DE INSALUBRIDADE.

SETOR: VENDAS (EXTERNO)

Descrição do ambiente: Ambiente não refrigerado, paredes em alvenaria, piso


cerâmico, cobertura em concreto armado, ventilação mecânica, iluminação natural e
artificial.

Atividades executadas no local inspecionado:


Motorista de carro leve.

Trabalhadores expostos:
Motorista.

Etapas do processo operacional:


MOTORISTA – Transportam, coletam e entregam cargas em geral; guincham
destombam e removem veículos avariados e prestam socorro mecânico. Movimentam
cargas volumosas e pesadas, podem, também, operar equipamentos, realizar
inspeções e reparos em veículos, vistoriar cargas, além de verificar documentação de
veículos e de cargas. Definem rotas e asseguram a regularidade do transporte. As
atividades são desenvolvidas em conformidade com normas e procedimentos técnicos
e de segurança.

Avaliação quantitativa:
Método utilizado
Inspeção visual no local de trabalho, avaliação do nível de ruído (Decibelimetria), calor
(Termômetro de Globo) e dados do PPRA do ano 2015/ 2016.

Fundamentação técnica e científica


O nível de pressão sonora medido no setor foi 65 d(B)A. O ambiente não é climatizado.
Nível de estresse térmico: Condições ambientais de temperatura.
10
Laudo Técnico de Insalubridade 2015

Obs.: Atividade não é realizada em posto fixo. Realizando atividade laboral em


Ambiente climatizado.

Fundamentação legal
O anexo 1 da NR-15, portaria 3.214 de 08 de junho de 1978 do Ministério do Trabalho
estabelece limites de tolerância para ruído contínuo ou intermitente, regulamentando o
nível de 85dB, calor de 30 IBUTG para atividade leve para 08 horas de trabalho.

Medidas de proteção adotadas:


Medidas de proteção individual
Não aplicável.
Medidas de proteção coletiva
Não eficaz.

Conclusão:
De acordo com a análise e interpretação dos resultados, levando em consideração a
fundamentação técnica e legal, conclui-se que os colaboradores do setor VENDAS
(EXTERNO) estão expostos ao agente físico (Calor), porém de maneira intermitente,
portanto, NÃO FAZ JUZ A PERCEPÇÃO DO ADICIONAL DE INSALUBRIDADE.

.................................................
Reginaldo Beserra Alves
Eng. Segurança do Trabalho
CREA: 5.907-D/PB

11