Anda di halaman 1dari 2

Ritmos astronômicos

na agricultura biodinâmica
Por Pedro Jovchelevich

Hoje em dia, a maior parte das pessoas vive nas cida- díaco é o conjunto de constelações diante das quais a Lua
des, e poucas ainda conhecem alguma constelação no céu. e todos os planetas desenvolvem suas órbitas. Em cada um
A história das grandes civilizações do passado (egípcios, ba- desses dias, as plantas recebem estímulos que atuam sobre
bilônios, gregos, incas, astecas, etc.) mostra a importância o desenvolvimento de seus diferentes órgãos constituintes
dos ritmos astronômicos, não apenas na agricultura, mas em (raiz, caule, folhas, flores e frutos). Os nodos lunares, perigeu,
todas as atividades cotidianas. eclipses, fases da lua e determinadas posições planetárias
A agricultura biodinâmica valoriza esse conhecimento como conjunções e oposições também interferem no desen-
popular e o amplia, incorporando os outros ritmos da lua e volvimento vegetal.
o movimento dos planetas, relacionados Se você sabe reconhecer constelações no céu, pode
com as atividades agrícolas em geral. pela observação saber, por exemplo, em qual
Segundo Steiner: “não há compre- constelação a Lua está em determinado
ensão alguma da vida vegetal, a dia. Se a Lua está em Leão, então, ela
menos que se considere de al- transmite certa informação às plan-
guma forma que tudo que es- tas, no estímulo à produção de
tá sobre a terra é em realida- sementes e frutos. Já para sa-
de apenas um reflexo do ber quando ocorre nodos, pe-
que ocorre no cosmos”. rigeu, eclipse, oposições pla-
No movimento bio- netárias, deve-se consultar
dinâmico internacional, o um calendário astronômi-
calendário astronômico/ co. Perigeu, por exemplo, é
agrícola mais conhecido o momento em que a Lua
foi desenvolvido por Maria está mais perto da Terra. Is-
Thun, o qual é traduzido pa- to ocorre uma vez por mês,
ra várias línguas. Ela teve a e este dia não é aconselhá-
ideia de semear rabanetes to- vel para atividades agrícolas,
dos os dias e observou que, então podemos nos dedicar a
quando os colhia, eles não es- atividades de administração, cons-
tavam iguais, apesar de se origi- trução ou para o descanso.
narem das mesmas sementes e se- Quem tem contato com agricultores que
rem submetidos ao mesmo manejo do realmente vivem da terra, sempre ouve relatos
solo. Alguns tinham folhas mais desenvolvidas, que atravessam gerações sobre as relações da Lua
outros floresciam mais rápido e alguns tinham belas raízes. com a época de plantio, poda, mas, principalmente, sobre as
A partir daí, durante alguns anos, repetiu esses plantios se- suas fases que permeiam o ritmo mais visível desse satélite.
quenciais com outras plantas, até descobrir a influência do Em culturas ancestrais indígenas, ainda encontramos obser-
ciclo sideral da Lua. vações mais apuradas do céu.
Um dos princípios básicos desse calendário está rela- Vale lembrar que não adianta aplicar esse calendário em
cionado à movimentação da Lua ao redor da Terra e por sua terras maltratadas, sem matéria orgânica, que utilizam adu-
passagem através das diversas regiões do Zodíaco. O Zo- bos solúveis e agrotóxicos. Somente um solo vivo pode reagir

6 Naturale
agosto/setembro - 2012
tureza, o que, na prática agrícola,
ocorre pelo uso dos preparados
biodinâmicos e pela observância
dos ritmos astronômicos.
O calendário M. Thun é o
calendário agrícola mais popular
no movimento biodinâmico. Mas
existem outras formas de uso dos
ritmos astronômicos. Na litera-
tura mundial, ainda há poucas
pesquisas científicas nessa área,
concentradas, principalmente, na
Alemanha. Devemos sempre fri-
sar que o calendário M. Thun se
baseia na astronomia, não tendo
relação alguma com indicações
astrológicas.
Esse calendário não encerra
o assunto da influência dos ritmos
cósmicos na vida, mas mostra um
fascinante caminho para novas
descobertas no mundo dinâmico
e vivo da agricultura em harmonia
aos impulsos do cosmos e transmiti-los às plantas. Essa vivificação do solo é o objetivo com a natureza, seja ela biodinâ-
da agricultura biodinâmica. Biodinâmica é uma agricultura inerente à natureza, que im- mica, orgânica ou natural.
pulsiona os ciclos vitais por meio de adubação verde, compostos e rotações de culturas,
agrossilvicultura e estruturação da paisagem agrícola como um organismo. Baseia-se no Pedro Jovchelevich, Associação
conhecimento e na aplicação dos ritmos formativos pelo agricultor e de crescimento da na- Biodinâmica