Anda di halaman 1dari 5

CRIMES OMISSIVOS

PRÓPRIOS IMPRÓPRIOS
Dever de agir Dever de agir + dever de evitar o resultado
Norma específica descrevendo a conduta (art. 135) Não há norma
específica
NÃO RESPONDE PELO RESULTADO RESPONDE PELO RESULTADO (art.
13, §2º CP)

DOLO EVENTUAL é diferente da CULPA CONSCIENTE

Assume o risco de produzir o resultado Acredita que o resultado não acontecerá

NEXO CAUSAL

CONDUTA -> RESULTADO -> CONCAUSA

INDEPENDENTE:

ABSOLUTAMENTE -> não teve origem na conduta do agente: preexistente,


concomitante, superveniente

Responde somente pelo que deu


causa RELATIVAMENTE-> soma de causas: preexistente, concomitante,
superveniente

Se houver DOLO ou CULPA agente responde pelo


resultado (ver art. 13, §1º do CP – responde pelos atos
até então praticados)
Art. 14 do CP: Consumação é diferente de tentativa: nesta última, o agente inicia a
execução mas não consuma por circunstâncias alheias a sua vontade = CRIME
TENTADO = causa de diminuição de pena

ATENÇÃO: Crimes que não admitem tentativa: crimes culposos, crimes


preterdolosos, contravenções, crimes omissivos próprios, crimes unissubsistentes,
crimes habituais.

DESISTÊNCIA VOLUNTÁRIA é diferente de ARREPENDIMENTO EFICAZ

Pode seguir adiante, mas desiste. Já fez tudo que podia para atingir o
resultado,

Não esgota a potencialidade lesiva. mas resolve evitar consumação.

INICIA A EXECUÇÃO, PORÉM NÃO CONSUMA POR VONTADE


PRÓPRIA

RESPONDE PELOS ATOS ATÉ ENTÃO PRATICADOS (desde que típico; jamais
será tentativa)

Arrependimento posterior (art. 16 do CP – causa de diminuição)

Requisitos: a) crime sem violência ou grave ameaça, b) crime consumado, c)


reparação ou restituição (até o recebimento da denúncia ou queixa).

Crime impossível: ineficácia absoluta do meio ou impropriedade absoluta do objeto

FATO ATÍPICO

ERRO DE PROIBIÇÃO (art. 21 do CP): trata-se de erro sobre a ilicitude da conduta;


agente sabe o que faz (falta potencial consciência de ilicitude). Efeitos: se inevitável,
é isento de pena e exclui a culpabilidade; se evitável, responde pelo delito, mas se
trata de uma causa de redução de pena (um sexto a um terço).

CAUSAS EXCLUDENTES DE ILICITUDE (art. 23 do CP): Estado de necessidade,


legítima defesa, estrito cumprimento do dever legal e exercício regular do direito.

CAUSAS EXCLUDENTES DE CULPABILIDADE: Inimputabilidade, falta de potencial


consciência de ilicitude e inexigibilidade de conduta diversa.

DOLO

Exclusão FATO
CULPA
ATÍPICO
Invencível

Essencial

EXCLUSÃO DO DOLO

Vencível

RESPONDE POR
CULPA, SE TIVER

ERRO DE TIPO

Erro do Objeto

Erro Sobre Pessoa

art.20, § 3°, CP
Acidental
Aberratio Ictus

art. 73 CP

Aberratio Criminis

art. 74, CP