Anda di halaman 1dari 2

Aula Teoria I

Concepção da história está diretamente ligada a concepção temporal

História Antiga

Gregos: Heródoto e Tucídetes: História de Guerras

Romanos:

·0 Magistra Vitae: Marco Túlio Cícero; topos retórico; a história subordinada


a retórica

·1 Uma relação análoga entre passado e presente

·2 O passado como fonte de exemplos para o presente, o que se deve e o


que não se deve fazer. Ou seja, a história tem como objetivo afetar a
conduta do leitor.

·3 Políbio: o historiador como homem de ação, ou seja, utilizar da história


para se inserir na vida política para um melhor governo.

História Medieval:

·4 Uma moralização da magistra vitae e uma busca de significados cristãos


na história. Exemplos de quando Deus interviu na vida dos homens,
punindo os maus e recompensando os bens.

História Moderna:

·5 Retomada dos clássicos

·6 Um começo de uma independência de exemplos em relação ao passado

·7 Maquiavel segue o modelo de Políbio

·8 Mas há uma tentativa do humanismo de recuperar os clássicos e nao tirar


exemplos, apenas ver como eles foram

HIstória do século XIX (primeiras críticas ao magistra vitae)

·9 Uma época pós-revolução francesa e no berço da Revolução Industrial,


os tempos são tão diferentes que o passado não serve mais como
arcabouço de exemplos.

·10 O novo toma conta do ambiente, as mudanças tecnológicas e sociais


mudam toda a percepção de experiência.
·11 Uma união entre história e política formando servidores públicos

Primeira metade e segunda metade

"Historicismo":

·12 percepção do passado ligada ao iluminismo;

·13 concepções organicistas em relação aos processos históricos.

·14 Peso de indivíduos na construção histórica (forte ligação com o


nacionalismo exacerbado)

·15 O processo de formação de nações era organico como o crescimento de


uma planta

Romantismo e Nacionalismo

·16 Romantismo num sentido de recuperar origens na Idade Média e fazer


história dos Grandes Homens, pegar grandes figuras e correlaciona-los
com a identidade nacional.

·17 Nacionalismo num sentido de exaltação da nação e buscar origens em


períodos anteriores da história em prol do enaltecimento da nação

Leopold Von Ranke e a profissionalização da História

·18 A "profissionalização" da História e uma "cientifização", a história ganha


grande espaço nas universidades.

·19 Embora tenha uma tendência nacionalista, é menos ligada a "nação" e


mais ao "Estado-nação",

Ranke:

·20 A fusão do método filológico (fontes primárias) com a percepção dos


periodos (ver como realmente fora) e a aplicação desses estudos.
Histórias gerais.

·21 "Mostrar o passado como realmente fora" ou seja, para eles o passado
era completamente acessível.

·22 A metafora da torre como construção histórica

Minat Terkait