Anda di halaman 1dari 21

J..-.

rQ + ~,,'_7
lj,~~ dt'Ç)-I{'J r9l',.
,q respeito, palra 'l'e guardO/rem em ,todos os Teus camínhos.'~
anás omitiu' as importantes palavr'as "para Te guardarem em
todos os Teús caminhos." Isto quer dizer os caminhos de Deus,
Somente quan<io, ~,stamos a?da,ndo, nos caminhos ~eus, podemos
clamar ,por a1!lXdlO'aos' ·anJ.os bo~s., ' t ' ,
, Jesus não Se ',ealocaria numa l?0sição onde seria necessário que
os ánjo& O 'protegessem. Isto seria presunção e a presunção é a
fé falsificada de Satanás. Ler as palavras de resposta de Cristo
para esta' tentação '!'W verso: 7. ',' '
Aprendemos da, exemplo de Cristo quando foi tentado que. não
nos coloquemos propósitadamente no caminho da tentação. . ;' , ,
iL,EI'l,'URA Á~iCIONAL: ldem,pág. 89. ','
PENSAI! Sois cuidadosos em vos desviar de lugares e dr-
~unstâncias ,on~e possais ~er tentadqs a praticar o êrro?
, ORAL, para que" ~stejais se'mpre vigilantes e alerta's. às ardilo-
sas tentações de Satanás.
Quarta·f~ira
Vitór'ijl de Cristã Sôbre' Satanás'
S. Mateus 4.
Pela t~rceira vez S.atanás fêz desesperada esfôrço para dete
o Salvador. Encontrar nos VM'SOS 8 e 9 como o f~.. .- J.
Jesus veio para cqnquistar, 'o plUndo novamente parfl. Deus,
ra, a felicidade, pára.a pureza e, para a paz. Mas I:!io dE/via
ganho "egundo a sugestão Qie Satanás. '
Usal).do tôda espécie de engana; Satanás fêz com 'que o mundo
se ,afigurasse muito diferente ,clô que realmente ,era." "
"Colocando J~sus sôbre uma alta montanha, fêz com que to-
dós os reinos do mundo; em tôda a sua glól'ia, passassem, em vis-
ta panorâmica, -diante d:Ê;le. A, luz do Sol proj.eta-se sôbre cida-·
des cheias de templos, palá'Cios de má~'more, campos férteis e v.i-
nhas 'carregadas de frutos. I' Os: vestígios do mal estavam: ocu'1ta::r.
0s ol,hos de Jesus, cercados ulthnamente de tanfa tristeza, e de-
so~ação, contemplam agara uma~ cena de ine:l(cedível beleza e pros-
peridade." - O Desejado de' Tôdas as Nações,- pág. 90,
Satanás ofer~ceu a Cristo um atalho para seu objetivo - um
ata,lho' que desviaria o sofrimento de. Seu ministério, a humilha-
ção da crúz e o pensamento de estar separado do amor de ,seu
Pai. Mas Jesus sabia que llenhum atalho deveria haver. Deve-
tia' saltvar o mundo somente através de Seu sofrimento. Encon-
trar no verso 10 'as palam:as' com que C1'isto den:otou ,o tentado,r.
Satanás nada teve para dizer. Em, ira e humiJh!'t.fão' foi for-
çado
so, 11
'"
a'e•d,eixar
ver o aque
p'resença
os
·1 iflnj.osdo"vitorioso
'fizetram a Filho
nosso de-Dl:}.u:S?
Olharesta
Senhor após o ver-
e:l;-
pertenc~a.
aRde Adão e Elva falharam, J'esus te~ 'êx1~0,,e porque ,Êle o
fêz, nós também podemos ter a vitória sôllre o tentador.,
t· -9
"- COMPLETAR a sentença: "Vigiai e 'arai para X.~!!..':t·~!
LEITURA ADICIONAL:
PENSAI!
Idem, pág;fl. !) I I' 02.
Engana-vas' ainda Satanás nO' pOI\}ll\nH.lflto de que
I)L,: ..!J.~!:(~~~~';
..~,..t\'f k
Ma:rc';s (r4:'38).
REMEMORAR a versa áurea.
..... C ...
\ 'I

padeis abter r'ecampensa da vida par um caminho 'I'{l(:ij'?


ORAl par juntar Crista à vassa fôrça nas tcrnpa:; dc tentaçãO'.

Quinta-feira LIÇÃO 3' _18 DE JULHO 'DE 1959


o que ~os Diz Cristo Sôbre Enfrentar a Tentação
Vivendo para Servir
,S. MarcO's 14.
As' três. tentações sôbre as quais tem0S estudadO' de ma dO' al,- VERSO ÁUREO': "PortantO', qualquer que Me canfessar diante das
gum sãO' as únicas tentações que vie"ram pará a nassa Senhor. hamens, Eu .0' canfessarei diante de Meu P.ai, que 'está nas'
QuandO' criança, quandO' javem, em Seus <1nas de ministériO', quan- Céus." (S. Mateus 10:32)~
dO' eNcerrO'u as terríveis dias de so;frimenta na fim de Sua, vida,
fai canstantemente tentada, mas jamais cedeu! PaulO" escreveu Sábado à tarde
que Êle "cama nós, em tudO' fai tentada, mas sem pecada." (He- I
breus 4: 15) . E diz-nas ainda 'que par Êle ter .ficadO' sem pecadO' Ler as instruções de Crista para as daze quandO' as ,env{au ca-
pademas ir aO'trana da graça "para que passamas alcançar ,miseri- ma abreira da evangelhO', em S. Mateus 10 :5-20. Ler a versa áu-
córdia e achar graça, a fim de sermas ajudadas em tempO' apar- , l'ea algumas vêzes. Decará-Ia durante a semana.
tuna. (Hebreus 4:16.)
Jesus nãO' nas ensinau a nas calacarmas deliberadamente na ter- Doming,o
renO' da tentaçãO'. 'Ensinau-nos a sermas cantinuamente vigilantes,
pais Satanás está sempre prantO' a tentar-nas quandO' estamas des- N'osso Senhor, um Servo,
preveni,das. Ler no ~erso 38 cqmo Éle nos preveniu, disto. S.. Mateus 9.
. Uma vez Jesus qisse a Pedra, que Satanás a queria muita cama Jesus é nassa ,Senhar., Êle nas, iEêz,de 'mada que é nassa Criad'or .
aliada - que o desejava. Satanás "deseja" tadas nós. Quereis ser Sarnas Seus súditas, pais Êle é ,a Rei das reis. É nassa iMestre e
agentes de Satanás, au seguireis a exemplO' de Jesus, escandenda a O servimas. InstruÍ1:1-nas, de ,mada 'q:ue é 'nassaPrafessar. Á]Hila
Palavra em vas,sa cO'raçãa, para que nãO' peqqeis? par nós, partanta é nassa Advagada. ' Em tudO' Jesus, é superiO'r a
LEITURA ADICIONAL: ldem,pág. 89. nós. NãO' abstante disse aas Seus discípulas quandO' estavam dis-
cutindO' sôbre altas pasições: "O Filha da hamem nãO' veia para-
PENSAI! Estais vas fartificanda' cantra as ataques de Satanás ser servida, mas para servir." (S. Mateus 20:28.)
pela história da Palavra de Deus em vassa caraçãa?
A vida de Jesus fai um círculO' de atividades para servir as
ORAl para enfrentardes carajasamente a Satanás quandO' vas autras. Ensinava a ignarante, curava a aleijada e a enfêrma, pre-
ten,tar. .parou alimenta para a faminto, acanselhau a desarientada e trau-
Sexta-feira xe perfeiçãO' às mentes desequilibra~as. Ler no verso 35 sôbre o
ministério de '.Jesus ao necessitado.
MENCIONAR cada uma das três grandes tentações que sa,br"-
vieliam a Jesüs. .' "Crista trabalhau para aquêles que desejavam Seu auxíliO' e,
par tôda parte a pava reu.nia-se aO' Seu redar. EnquantO' Êle as
DIZER cama respandeu Jesus a cada um das convites do 81.lttl- curava e ensinava, havia,: grande alegria. O Céu parecia ter des-
Nás para a pecadO'. ' '. , C'id(')à Terra e deleitavam-se na graçá de um misericardiO'saSal-
INDICAR alguns das ardis que Satanás usau para fllí\\II' .1'1\1'\11:; vadar." - The Story of Jesus,pág. 57.' .
pecar. • ,'. ,' '. LE,ITURA ADICIONAL: O Desejado de Tôqd,S, as Nações,
QUEMve~O'.~m".auxília de Crista após a ten'tação? pág. 485.
~ COMO fai Davi tentada?' OROU Davi?'cJ)ERltO'I'OIl tllllll~ 1,011- PENSAI! Crist0 sempre esperau ser· servida?
,;-.
tações?
QUAIS sãO' algumas de nassas tentaçõe!l '( (J() M ( 1111111111, 110'-
»
, ORAl para estatdes sempre mais dispastas pàra servir da que
dem ser rencidas?
10 -
para serdes servidai' -11-
)
Segunda-feira
tido pai'a rSu~ obra' li êles mesmos eram missionários. Os versos
Jesus Viu as Necessidades dos Outros 7 e 8 dirão o que J esu.s falou aos doze que fizessem.
S, João 21. Mas antes de saírem para as cidades e vilas, Jesus lhes deu
Nosso Senhor' deu um exemplo de serviço nas grandes coisas. uma instrução., Preveniú-lhes. de que .não seriam sempr'e ardoro-
Efetuou nossa salvação, Curou doenças supostamente incuráveis. samente recebidos. De fato seriam com freqüência apri:sionados e
Ensinou ,grandes verdades, Restaurou até a vida, Mas embora perseguidos. Contudo, não precisavam temer, pois estariam fa-,
zendo a obra de Deus e Sua presença estaria com êles embora seus
ga~tasse muito tempo fazendo grandes coisas, não negligenciou o companheiros pudessem ajudá-los.
menor ato de serviço'- nada era por demais comum quando via
'a necessidade. "Jesus chamara os discípulos para que os pudesse enviar co-
Contamos de quando nosso Senhor era criança que "era ,cor- mo testemunhas Suas, a fim de contarem ao mundo o que dÊle
tês e bondoso para o velho e para o pobre, mostrou bondade mes- tinham visto e ouvido. Seu encargo era o mais importante a que
mo para os animais, ,oferecia cuidado a uma pequena ave ferida já haviam sido chamados sêres humanos, sendo-lhes superior ape-
e todo ser vivente se tornava mais feliz quando Êle estava perto." nas o do próprio Cristo. Deviam ser cop.breiros de Deus na sar-
- The Story of Jesus, pág. 30. vação do mundo. ,Como no Velho Testamento· os doze. patriarcas
ocupam o lugar de representantes de Israel, assim os doze apósta-
Quando as mães ficaram desapontad'as porque os discípulos re- los deviam servir de representantes da igreja evangélica." - O
cusaram o privilégio de levarem seus filhos para Jesus abençoá- Desejado de Tôdas as Nações, pág. 213.
los, Êle tomou tempo p'ara receber e abençoar os preciosos cor-
deirinhos de Seu rebanho - um pequeno ato com 'grandes resul- PENSAI que privilégio toi pari!, os dozel discípulos partilha-
tados. Seus olhos sempre estavam abertos para as necessidades rem da obra de Cristo. I
do povo ao redor de Si. Seus ouvidos estavam sempre atentos ORAl para que um dia possais entrar para a obra evangélica.
para ouvir o clamor por auxílio.
Mesmo apó,s Súa ressurr~ição nosso Senhor continuou Se~s Quarta-feira
atos de serviço pelos outros. Uma manhã Jesus apareceu no lago
enquanto' os discípulos voltavam 'de uma mal sucedida pescaria, Organizando Obreiros Leigos
noturna, Ler nos vers·os 9-13 como Éle proveu para suas necessi- S. Lucas 10.,
dades naquela hora. Quando os doze apóstolos partiram segunda a ordem de Cris-
LEITURA ADICIONAL: O Dese,iado de Tôdas as Nações, pág. to para as cidades e vilJas, outros discípulos acompanharam Jesus
613,' !' . . em Suas viagens de misericórdia na Galiléia. Semelhante aos
PENSAI! Estãó vossos olhos abertos a muitas necessidades pa- apóstolos, êles obserVavam Jesus atendendo e escutando cuidado-
ra vosso sei'viço? Estão vossas mãos sempre prontas para !fazer samente Seus ensinos. Quando nosso Senhor achou que êles tam-
o máximo a outro mais cansado? . bém estavam preparados para fazerem a obra dO' evangelho, Êle
os enviou. Olhar Q 'l.!et'SO 1 e ver a que lugares em particular Éle
ORAl para serdes "servo de Deus e um amigo do homem" em enviou os doze. .
todo tempo. J,esus lhes deu algumas instruções e admoestações que tinha
Têrça-feira
I dado aos doze apóstolos e !leu-lhes o mesmo poder çelestiar para
fazerem a, obra.
Jesus Treina Líderes para a Igreja
S, kateus 10. ' 'bravamAe
Logo ~ôsentusiasmoenquanta
su'a missão os discípulos
davam voltaram
o relatórioparado Jesus.
que .tinha
Vi-
Jesus sabia que seu tempo na Terra seria cu~to, que devia ,,,'c-
c;l sido feito pelo, poder ,de Deus, nas vilas e cidades. Ler no verso
parar outros para levarem adiante Sua obra de levar a V\I'I'(i"d(\ c 17 o' que disseram.
esperança da vida eterna a todo o mundo. ·Assi,Ilj.cetnoçnll 11111 C'III'- Jesus l'espondeu: "Eu via Satanás como raio cair do céu."
so de instrução aos futuros lídere~ espirituais. Olha?' fi /11"'1111 I "Ao espírito de Jesus apresentaram-se as cenas do passado e
achat' quem estava matricúlado nesta p'rimeiJrlitfiBcr,lfl,'IIli!l,III/1/1ll'ia. do futuro. Contemplou Lúcifer, ao ser no princípio expulso-dos
lugares celestiais, Viu antecipaqamente as cenas de Sua própria
mo dizia. Viram-nO clamar por auxílio divino JlIll'll 1,,"11 I " dOl\l1- agonia, quando, perante todos os mundos, havia de revelar-Se o
ça; Êstes
agora doze
teriam
tinham
de u~ar
estado
aquêle
cem mesmo
Jes~s, anotaidO
,poder 1111'n t)11110'11,111/1
dl~,ill II "0-
l'IIf1I\t'i- caráter do enganador. Ouviu o' brado : '~stá consumado', anun-
-12 - ciando estar' para sempre" assegurada a redenção da raça perdida
-13 -
3
e achar-se eternamente a salvo das actlsaçõol:l, onganos e preten- O QUE fêz Jesus para que I Sua obra fôsse levada avante após
sões de Satanás." - O DesejarIa de Tôdas aR Na(JücIJ, pág. 368. Sua ressurreição. ..• I
LEITURA ADICIONAL: Idem, págs. 366 e 867. QUAIS foram algumas das coisas que ~le disse àqueles' que
instruiu para o trabalho.
" PENSAI quão impressionados ficaram os setenta quando fo-
ram capazes de operar milagres e ajudar os outros exatamente MENCIONAR alguns dos métodos em que a obra de Cristo
como Jesus. está sendo efetuada hoje.
ORAi para que possais experimentar a emoção de ver o que· EXPLICAR ,a lei de receber para dar.
o poder de Jesus pode fazer por aquêles que têm' estado presos RECAPITULAR o verso áureo.
em cativeiro por Satanás.
Quinta-feira \
. Recebendo para Dar Outra Vez
LIÇÃO 4 -.: 25 DE JULHO DE 1959
S. João 8.
"De graça recebestes, de graça: dai," disse Jesus a Seus dis- A Verdadeira Guarda do Sábado
cípulos em S. ,Ma teus 10: 8. Como êles mesmos tivessem recebido
esperança e felicidade, deviam transmiti-Ias aos outros.
Jesus recebeu do Pai no Céu e estava transmitindo aquilo que VERSO ÁUREO: "É, por conseqüência, lícito fazer bem nos sá-
tinham recebido. Ler no verso 28 (última pa?"te) ,. e 29 o que disse bados." (S. Mateus 12: 12).
Jesus. .
Tôda a Natureza ensina a lei divina que recebemos para dar. Sábado à tarde
A terra recebe a· chuva que umedece as plantas. As plantas re-
cebem a luz solar, água e minerais para dar ao homem grãos, Ler as 'história~ de duas ocasiões em que Jesus deu um exem-
frutas e verduras! plo de fazer o· "bem" no ,sábado'. Podeis encontrar estas histórias
em S. Lucas6: 1-12. Aprender o verso áureo.
Crianças e jovens recebem' cuidado e instrução no início dos
anos para que possam crescer ~ efetuar sua contribuição aos ne- Domingo
cessitados no mundo.
Qu'an,do recebemo\> a luz da verdade celestial, por nós mesmos Jesus, o Senhor. d.o Sábado
devemos deixar que a luz brilhe nos outros. . S. João 1.
Não devemos buscar a nossa própria glória, mas voltar a aten-
ção para o P·ai. Ler no verso 50 o que Jesus disse. Quando Deus o Pai criou nosso maravilhoso mundo e tudo o
Os apóstolos recusaram receber glorificação ou agradecimen- que nêle existe, Jesus trabalhou com 1!:le. Achar o verso 3 e vá
o que o esc?'itor evangélico, João, diz sôbre a parte. do Salvada?'
tos pelos milagres que efetuaram. Voltaram a atenção daqueles na criação.
que ajudaram para o Pai no Céu, que através de Jesus pode exe-
cutar os milagres que os tinha ajudado. Com Seu Pai, Cristo separou o sábado como dia de descanso
LEITURA ADICIONAL: Idem, págs. 13 e 14. do trabalho de modo que o homem pudesse. tomar tempo para pen-
sar nas coisas celestiajs.
PENSAI quanto Deus vo.s tem dado e o que vos tem trazido O sábado foi feito para o' bem' do homem. Não foi para ser ig-
o ministério e a morte de Cristo.
norado, nem para se tornar um fardo. Foi para ser uma grande
OR.AI para dar aos outros: como Cristo, VOSI:lOS )Juis e profes- bênção para todos que o' guardam. Repetir o mandamento que nos
sôres vos têm dado. diz como guarda?' o ~ábado~ (Êxodo 20':8-11.)
Sexta-feira Ninguém sabia melhor "do que Jesus como devia ser guardado
o sábado, emb9ra Seus .inimigos sempre ..O· estivessem acusando
MENCIONAR algumas das maneh'ufI .1'1\1/11\ qllllil:l Jesus ser- de quebrá-Io. Jesus' não quebrou o sábado como' Deus tinha orde-
viu àqueles entre quem 1!:le viveu. . nado para ser guardado, mas desprezou as regras que os fariseus
DAR. alguns. exemplos dos métodOH OUI '111(\ I1lII) ujudou àqueles tinham feito, pois estas regras faziam do sábado um fardo em
eRtre quem 1!:le viveu na Terra. vez de u~ deleite, e era ~rnpossível guardá-Ias tôdas. Um homem
- 14 - -15 -
..:....,
podia ser acusado de transgredir o sábado 1:10 tlcidentalmente car- Têrça-feira
regasse uma agulha em sua roupa!
"O Salvador guardou o sábado e ensinou Seus discípulos li Como Cristo Trouxe uma Grande Bênção nq Sábado
guardarem-no. Sabia como deveria ser guardado', pois tle mes- S. Lucas 6.
mo o tOl-nara santo." - T·he Story of Jesus, pág. 67. I
Num outro dia de sábado quando Jesus estava numa sinagoga
LEITURA ADICIONAL: O Desejado ele Tôelas as Nações, notou um homem cuja mão estava mirrada. Jesus se desagrada-
pág. 205. va de ver o sofrimento, deformação e desvantagem. Esta era a
PENSAI! 'Se Cristo achou necessário guardar o sábado, não de- obra de Satanás e tle viera para desfazê-Ia.
veriamos nós achar mais necessário ainda? ./ Os fariseus estavam observando. S\ilbii;lm.que Jesus nunca per-
dia uma oportunidade de ajudar o necessitado. Curaria êste ho-
ORAl para terdes um,a melhor compreensão do propósito do sá- .mem? De modo que esperaram - mas não por que tivessem cui-
bado.
dado do pobre homem, mas porque queriam ter uma oportunidade
Seg,unda-feira para acusar Jesus de transgressão do sábado. Todavia, Jesus lia
seus pensamentos e, desejava ensina-Ios que as obras· de miseri-
J':'sus e Seus D~scípulos Acusados de Quebrar o Sábado córdia estão em harmonia com' a guarda do sábado. Pediu ao afli-
S. Marcos 2. tQ homem que se pusesse em pé. Então voltando-Se para Seus
Um sábado os discípulos esta~am com Jesus voltarido da sinago- ptetensos acusadores fêz-Ihes uma pergunta que despertou oposi-
ga onde tinham estado adorando. Seu caminho passava por entre. ção. Encontrar no verso 9 o que foi.
uma seara de trigo. O trigo estava maduro e os discípulos estavam Naturalmente, foram incapazes de responder.
com fome, pois era tarde. Ler no ve1'so 23 o que os eliscípuJos fize- Então' Jesus Se voltou para o homem necessitado. Ler no ver-
ram enquanto passavam pelo campo. . so 10 sôb1'e o 'ato de misericórdia efetuado em favor dêle.
"Num putro dia qualquer, passando alguém através de um O relato de S. Mateus sôbre o milagre diz-nos que Jesus lhes
campo ou um pomar era permitido apanhar o que quisesse para fêz a seguinte pergunta: "Qual clentre vós será o homem que ten-
comer. Mas' não' era assim no sábado. Os inimigos de Cristo vi- do uma ovelha, se num sábado ela cair numa cova, não lançará
ram o ·que os discípulos estavam fazendo." - The Story of Jes,us, mão dela, e a levantará? Pois quanto mais vale um homem do
pág. 69. que uma ovelha? É, por conseqüência, lícito fazer bem nos sába-
Ler no verso 24 o que os fariseus perguntaram a Jesus ..
dos." (S. Mateus 12:11 e 12).
Jesus respondeu suas acusações como tinha respondido as ten- Os dois versos seguintes mostram-nos um interessante cQnc
tações de Satanás. Voltou para as Escrituras. Lembrou-Ihes do traste. Dizem-nos o que os irados fariseus e Jesus fizeram após
tempo quando Dav.i foi forçado a fugir da presença de Saul e co- êste incidente. Le1' os versos 11 e 12 de S. Lucas 6.
mo foi ao santuário, tomou o pão santo· e o comeu. N aquelÇl.scir-
cunstâncias estava perfeitamente certo fazer assim, pois tinha fei- págs.LEITURA ADICIONAL:
208 e 209. O Desejado de Tôdas as Nações,
to' uma longa viagem sem alimento. Não estava certo então que. PENSAI!. Quem guardou melhor o sábado - os fariseus ou
os discípulos para saciarem sua fome tomassem alguns grãos de Jesus?
trigo?
03 fariseus olharam não as necessidades dos -discí,pulos, mas as ORAl para permitirdes que o amor a Deus
guie na gua'rda' do sábado.
e pelos outros vos
fatigantes leis. que tinham feito. Argumentaram que colhendo
grão's estavam "ceifando", e que descascando ° h'j~o em suas
mãos os liliscÍpulos estavam "trilhando". Dêsse modo, di~sol'am êles, Qu.arta-feira
os discípulos estão trabalhando 110 sábado e violnrlllo-o! Que Disse Cristo Ac~rca da Lei
Esqueceram que o sábado fôra feito pal·tl, No!' lIlYl.Hbênção e
não um fardo para o homem. Encont1'a1' () qWI lli,fllll .!I'H1l-Sacêrca S. Mateus 5.
elo propósito elo sábaelo nos versos 27 e 28.
Jesus reprovou os fariseus por tornarem tão dura a guarda
LEITURA ADICIONAL: O Dcscja,rlo dll '1'/'dfl.H (til Nações, do sábado na maneira em que êles diziam que deveria ser guar-
pág. 210. dado, mas jamais reprovou alguém por guardar o sábado, nem
~ENSAI ! Olhais para o sábado onlo lI'lllIl "~Ií~f1ode' Deus? por guardar
acusado algum dos
de quebrar Dez ,Mandamentos. Não obstante tle fosse
a lei.
ORAl para guardar semp~'o na nHlnl:11\1 vlll'l/lIdllir'o pl'opqsito
do sábado. . . IsaÍas profetizara muitos anos antes: "Engrandeceu-O pela
-10 - --, 17
:..~.
lei, e O fêz' glorioso." (Isaías 42:21.) LC'I'?w '/)C'I'1$O 17 o que Je- Deus permite que tôdas as obras criadas prossigam, sua ati-
sus mesmo disse sôbre Sua atitude e'l'l1,face da lci.
vidade no sábado. Deu poder ao Sol 'para brilhar e ao grão para
continuar a crescer. Morreríamos se a Natureza cessasse sua
Aumentamos alguma coisa quando queremos vê-Ia mais clara- obra.' Do mesmo mOçlo devemos cuidar dós doentes e dos necessi-
mente. Pomos um inseto, ou uma flor, ou um pequeno manus- tados no sábado.
crito sob uma lente de aumento e então somos capazes de melhor
ver suas partes e compreendê-Ias. Assim Jesus dirigiu Seus en- "O trabalho do Céu nunca cessa, e nós jamais deveríamos des-
sinos. Seu modo de viver, Seus atos, tornaram os mandamentos cansar de fazer o' bem. A lei p,roíbe que façamos nossa própria
mais claros para nós. obra no dia de descanso do Senhor. A luta pelo sustentb da vida
"Cristo eng:t;andeceu a le'i mostrando em cada parte seu ma- deve cessar;' nenhum trabalho' para proveito ou prazer mundano
ravilhoso significado. Mostrou que é, para ser obedecida, não so- é lícito naquele dia. Mas o sábado não é para ser gasto em ati-
mente ,por atos que são vistos pelos homens, mas nos pensamentos, vidades inúteis. Como Deus cessou de Seu trabalho da criação,
e, descansou no sábado, assim temos de descansar. Ordenou-os a
que são conh~cidos somente por Deus." - The Story of Jesus, deixar de lado nossas ocupações diárias e devotar aquelas sagra-
pág. 70. '
A lei de Deus é a mesma para todos os tempos e todos os po- das horas para saudável descanso, para adoração e para trabalhos
vos, É imutável.' Encontrar no verso 18 o que Jesus disse sôbre sagrados." - The StO?'y of Jesu,s, pág. 74. I

a lei. LEITURA ADICIONAL: O Desejado de Tôdas as Nações,


págs. 147 e 148.
LEITURA. ADICIONAL: O Desejado de Tôdas as Nações,
págs. 225 e 226. PENSAI! Usais o sábado para trabalho missionário em fa-
vor de outros?'
PENSAI! Como a lei de. Deus nos protege e nos guia.
ORAL para serde's uma bênção para os outros no,sábado.
ORAL para compr'eende:t;des e guardardes a lei de, Deus.
Sexta-feira
Quinta-feira
Outra Vez Acusado Responder estas perguntas come recapitulação da lição:
S. João 5. 1. Por que chamamos Jesus de Senhor do sábado? (Indicação
Havia um tanque em Jerusalém chamado o tanque de Betes- de' domingo:) ',", ' ,
da. Tinha um esquisito modo de borbulhar de vez em quando. As 2. Que incidente fêz com que os fariseus cr~iticassem os discÍ-
pessoas criam que, o primeiro que descesse ao tanque depois do p'ulos pela maneira como agiram no sábado? (S. Marcos 2: 23 e
borbulhar das águas seria curado de qualquer doença q1,le tivesse. 24.)
Um homem que fôra paralítico por 38 anos, estava tão debilita- 3. A benefício de quem foi o sábado tornado santo? (S. Mar-
do que nunca tivera' uma oportunidade de entrar na água em pri- cos 2:27 e 28.)' -
meiro lugar.
Num sábado Jesus foi ao tanque e viu ó infeliz homem dei-
4. De quem' e em que ocasião' Jesus perguntou: "É licito nos
tado ali. Le?' o que Jesus lhe perguntou. nos ve?'sos 6 e 7. e a sábados fazer bem, ou fazer mal? Salvar a vida, ou matar?" (S.
Lucas 6:9.) "
histó?'ia que o paralítico contou.
Dirigindo os olhos ao homem, disse J eS1!ls:,"Levanta-te, toma tua 5. Para quem Jesus disse: "Estende a tua mão." (S. Lucas
cama, e anda." , 6:8 e 10.)
O homem mostrou sua fé em Jesus fazendo o que ~le ordl:)nou. 6. O que Jesus teve de dizer sôbre a lei de Deus? (S. Mateus
Saltou sôbre seus pés, enrólou a cama 'e andou! 5 :17.) .
Mas no caminho para casa encontrou algtmA fal'iseus. Não 7. Por quanto tempo existirá a lei de Deus? (.8. Mateus 5:18.)
pôde esperar para contar-Ihes d,e Um que lhe cOI1('odcl'ao uso das 8. Em que outra ocasião Jesus foi gcusado de b'ansgredir o
pernas, mas em vez de se regozijarem com ôlc Oi'l Pa"i::;cus o .re-' sábado? (S. João 5:8, 9 e 16.)
provaram por estar carregando a cama 110 fI{d-)/ldo. Quando disse Recapitular o versq áureo.
que seu Benfeitor lhe dissera para toma),' I:MIIII 'dos mudaram
11.

a acusação para Jesus. Trouxeram JOH'lIHdlIlIlL" do :'iinédrio para


O culparem como transgressor do sflbll(lo. Ntlilflil Sonhor ficou }COe(
contente por ter uma oportunidade de '1'111111' 11111\ 1'III'ii'lOLlS de como
o sábado devia ser guardado. L(!'I' no 1)11'/'1111 17 1/ (/1(,(1 /tle disse. I
-18 - 19
LIÇÃO 5-1°, DE AGôSTO DE 1959 '''Passemos par~ a eutra banda do l'ago," sugeriu Jesus, 'en-
quanto o dia chegav.a ao seu término. De modo que os discípulos
arremeçaram n!1 água um barco. Cansada depois de um longo dia,
Coragem e Confiança • nosso, SalVador adormeceu. Era uma tarde calma e 'serena. "Mas
de um momento para outro uma mudança teve lugar. Ler sôbre
VERSO ÁUREO: "Tende bom ânimo; Sou Eu, não temaii!l." isso no Vej'S9 23,
Marcos 6:50.). " A'lguns dos doze eram. homens habituados ao mar, mas esta
-' ' Sábado à tarde tempestade era tão severa que mesmo êles, que tinham enfrentado
muitas tempestades, ficaram temerosos. Ficaram tão absorvidos
Ler a h~stória da tempestade na Galiléia e como Jesus ·a acal- em seus esforços para salva'r o barco e sua própria vida, que por
mou em S. Mateus 8 :23"27., Aprender o verso áureo. algum' temp'o se esqueceram de seu Mestre. Então, com um <[lhar
de morte na face, se lembraram dftle, e exclamando disseram:
Oomingo "Mestre, Mestre" perecemos." Ler no verso 24 o que fêz' Jesus ,quan-
do Se inteirou da situação.
'Uma' Y,ida Cristã Inclui Provação Com duas simples palavras: "Cala-te, aquieta-te" (S. Marcos
S. Mateus 10, 4 :,39), J eS1!lSacalmou a tempestade e ensinou aos discípulos uma
lição de confiança em, oc'asiões de perigos. Encontrar a pergunta
, ,Jesus nunca prometeu uma cama de rosas para Seãs discílilu- que 'Êle lhes fêz no verso 25, e o que disseram d'Êle.
\ios. Oferecia as alegrias. de uma vida futura, <para êles e promee Os discípulos teriam de enfrentar piores riscos do, que aquela
tia-lhes paz e felicidade enquanto estivessem em contato com 'ftle; 'tempestade quando levassem o evangelho ao mundo, mas jamais
mas disse-lhesl que teriam de enfrentar provações e podiam espe- se esqueceriam das duas palavras de cemando de Cristo: "Cala~te,
,rar oposição. Podem le1' nos versos 16 e 17 o que Jesus 'disse que aquieta-te,'" que trouxeram a calma 'àquelas tempestuosas águas.
Seus discípulos esperassem, LEITURA 'ADICIONAL: O Desejado de Tôdas' as Nações,
Todavia, Jesus lhes disse que não deviam temer àqueles que 01:\ págs. 247 e ,248.
maltratassem' com dano -físico. Ler SUIJS palavras no vergo 28. ;
Os discípulos deviam estar precavidos contra Satanás e' seus PENSA'I-! Quando estais temerosos, entregai-vos a ,vossos te-
agentes, pois pode:dam destruir suas almas e arruinar suas ,opor- mores ou fazeis oração.
tunidades do Céu. • , . , RESOLVEl confiar em Jes~s quando estiverdes temerosos.
Embora Cristo prevenisse Seus discípulos de perigos que esta-
vam determinados a sebrevir, assegurou-lhes que Deus estaria·,cem Têrça.feira
êles em suas privações. Ler nos ve?'sos 29-31 o qu'e Jesus lhes
prometeu. Uma Noite Sozinho no Lago
LEITURA ADICIONAL: O Desejado de Tôdas as Nações, S. Mateus 14.
pág. 262. Jesus estivera com os discípulos na angustiante experiência
PENSAI! É sempre fácil fazerdes o que vessa consciência diz da tempestade, mas numa outra ocasião êl'es estiveram a sós. Co-
mo antes, Jesus e as discípulos tinham passad'o um dia atarefado.
que é o certo? Milagres e ensinamentos tinham enchido o dia, e como clímax
ORAl para terdes coragem de fazer as coisas certas mesma de um memorável dia, Jesus alimentou centenas de lilessoas so-
quando autros possam irar,-se convosco por isso. mente cQm cinco pães de cevada e dois pequenos peixes. 'Ü povo,
queria coroá-Lo rei, pois pensavam que ftle seria capaz de supri-
Segunda-feir.a los, de tudo ,0, q1!ledesejassem. Jesus' sentiu necessidade de passar
a ~oi,te em ,oração, não por Si, mas pelo povo, para que entendes-
Aprendendo a Confiar em Tempos de Perigos sem o plano da saivação e o. prolilósito de Sua vinda .
S. Lucas 8. .Porque desejeu estar a S0S em oração ordenou que os discí-
Numa noite os discípulos deram, uma l:içtío )ldlt:ica pulos ,atravessassem o lago de barco, planejando ir a pé e encon-
ça em tempos 'de perigos. trá-les no outro lado. Olhar o verso 24 e ve1' o que aconteceu en-
• Fôra um longo dia. Ao lado do ma~' dn (hdi!6ia Jesus ensina quanto os discípulos navegavam para atravessar o lago,'
ra por muitas horas. Curara as peSSOI\H Os discípulo!;; não se sentiam felizes naquela noite. Tinham
e a: oposição dos fariseus. visto a multjdão lilronta para tornar Jesus o seu. rei' e ficaram
20 - 21-

- :-ll
\,

e cO'rajO'sO's, mas d.Ilu-Ihes O' exemplO', , pela Sua vida. CO'nstantemen-


desapO'ntadO's de que 1!:lehO'uvesse recusadO'. Imaginaram que' 1!:le te estava, em perigO' físicO'. Os fari'seus e O'S escribas ficavam tãO'
havia perdidO' uma maravilhO'sa opO'l'tunidade. AgO'ra a fúria da . iradO's cO'm 1!:le às vêzes que estavam próntO's a despedaçá-LO' mem-
tempestade fazia-Ihes esquecer O' desapO'ntanientO' e linsatisfaçãO'. brO' a membrO'.
Subitamente fO'ram surpreendidO's pelO' que pensavam ser maiO'r.
QuandO' Jesus vO'ltO'u ,à sinagO'ga de Nazaré, Sua terra, O'S ha-
mO'tivO' de temO'r. Viram O' que pensaram ser um espíritO', cami- bitantes da cidade ficaram tãO' iradO's cO'm 1!:le que O levaram a
nhandO' na água em direçãO' a êles. Mas IO'gO' recO'nheceram seu
um rO'chedO' e O' teriam lançadO' dali para mO'rrer se O'S anjO's de
SenhO'r. VO'ltO'u a fé em Seu pO'der e clamaram a 1!:le pO'r auxíliO'. Deus nãO' O tivessem prO'tegidO'.
Ler no ver'so 27 o. que Êle lhes disse.
Durante tôda Sua existência Jesus mO'strO'u cO'ragem em face
LEITURA ADICIONAL: O Desejado de Tôdas as Nações, 'dO' perigO' e da O'pO'siçãO',mas nunca tantO' cO'mO'nas últimas pO'u-
págs. 281 e 282.,
cas hO'ras, quando sO'freu tantO' cO'mO' nenhum mais tem sO'fridO".
PENSAI! Imaginais perigO's que nãO' existem? "CristO' nãO' sO'freu pelO's Seus própriO's pecadO's, mas pelO's pe-
ORAl para terdes fé 'na presença de Jesus cO'nvO'scO'. , cad~s 'dO' mundO'. Sentiu O' abandO'nO' ct'e Deus cO'n,tra O' pecadO' CO'-
mO' O' pecadO'r sentirá' nO' grande dia dO' juízO'." - The Story o/
Quarta-feira Jesus, pág. 102.
. QuandO' CristO', sentiu O' fardO' dO's pecadO's dO', mundO', parecia
Pedro Aprende a Fixar os Olhos em J~sus mais dO' que pO'deria supO'rtar. Ler no verso 39 a .oração que fêz.
S. Mateus 14. Mas CristO' estava prO'ntO' para sO'frer se era da vO'ntade de
QuãO' aliviado's O'S discípulO's ficaram aO' O'uvirem a calma e Deus que assim fôsse, e, era da Sua vO'ntade para que ,istO' acO'n-
tranqüilizadO'ra vO'z de seu amadO' Mestre. PedrO', cuja dispO'siçãO' tecendO' pudéssemO's ser salvO's.
sempre O' acO'mpanhava, sentiu que nãO', deveria' esperar até que QuandO' temO's de ,supO'rtar grandes prO'vas geralmente temO's a
Jesus chegasse aO' barcO'. Ler no verso 28, qual a sugestão que simpatia e O' cO'nfôrtO' dO's parentes e amigO's, mas CristO' ficO'u
~~ . , sozinhO' nO' Getsêmani. Ler no verso 43 o que jaziam os discípulos
Jesus disse-lhe: "Vem", e PedrO' saltO'u fO'ra dO',barcO' e ,cO'me- enquanto Jesus or'ava em ag'9nia. f

çou a andar pO'r sôbre as O'ndas em direçãO' a Jesus. FitandO', O's' \MesmO' Seus amadO's discípulO's O negligenciaram neste mO'men-
O'lhO's em Jesus tudO' fO'i bem pór algum tempO', mas após um i,ns- tO' de angústia. QuandO' nas pdme~ras hÇ>ras da 'manhã 1!:le fO'i
tante êle desviO'u-se ele seu SenhO'r e O'lhO'u para O'S hO'mens que aprisiO'nadO', tO'dO's êles fugiram e O'utra vez O deixaram só.. '
tinham ficadO' atrás nO' barcO'. EntãO' cO'm uma grande O'nda que "Mas Deus sofria cO'm Seu FilhO'. AnjO's acO'mpanharam a ago- \
surgiu em sua' frente perdeu a Jesus de vista. PedrO' temeu! En-
tãO' fêz uma 'O'raçãO'. Ler sua breve oração no fim do verso 30.' nia dO' SalvadO'r. Havia silênciO' nO' Céu. Nenhuma harpa tO'cO'u.
. .. Um pO'derO'sO'anjO' estava aO' ladO' de CristO'. LevantO'u a ca-
Jesus jamais se desviO'u de, uma O'ração por auxíliO'. Ler' o que beça ,dO' divinO' sO'fredO'r de sôbre Se]J. bustO' e apO'ntO'u em direçãO"
fêz p,or Pedro e' o que lhe disse, no verso 31. '
aO' Céu. Disse-Lhe que O'btivera, a vitória sôbre Satanás. CO'mO'
"Quantas vêzes, aO' sO'brevir-nO's afliçãO', fazemO's ,cO'mO' PedrO'! resultadO', milhares estariam' vitO'riO'sO's nO' glO'riO'sO'reinO'." - Idem,
OlhamO's para as O'ndas, em lugar de manter O'SO'lhO'sfixO's nO' Sal-
vadO'r. Os pés vacilam, e as O'rgulhO'sas águas passam pO'r sôbre pág. ,105.,
nO'ssa alma. Jesus nãO' disse a PedrO' que fôsse ter cO'm 1!:le para LEITURA ADICIONAL: O Desejado de Tôdas as Nações,
que perecesse; nãO' nO's chama a segui-LO', pal;a depO'is nO's aban- págs. 516( 517 e 518.
dO'nar." - O Desejado de Tôdas as Nações, pág. 282. PENSAI na cO'ragem de' CristO' em face de, Seus sO'frimentO's.
LEITURA ADICIONAL: Idem, págs. 281 e 282. OR..{\.I para apreciardes O' que O' cO'rajO'sO' sO'frimentO' de CristO'
PENSAI! CO'nservais O'S O'lhO's em Jesus tO'dO' O' tempO' pela tO'rnO'u pO"ssível para vós.
freqüente O'raçãO' a 1!:le? .
Sexta-feira
ORAl para nãO' perderdes de' vista vo'sso' SalvadO'r. QU'ANDO JESUS DISSE?
Quinta-feira 1. "NãO' temas O'S que matam O' cO'rpO', e nãO' pO'dem matar a
alma." ,,(S. Mateus 10: 28) . '
Jesus nos Mostra Como Ac~itar as Provas' Corajosamente 2. "NãO' temais pO'is: mais valeis vós dO' que muitO's passari-
S. Mateus 26. nhO's." (S. Mateus 10:31). • .
3. "Onde está a vO'ssa fé?" (S. Lucas 8:25).
Jesus nãO' somente ensinO'u Seus discípulO'::! H ::lel'em cO'nffantes
- 22 - . ,- 23
4. "Tende,bom ânimo, sou Eu, não témais." (S. Mateus 14:25). ,PENSAI o que devemo!! a Cristo por humilhar-Se e vir à Terra.
5. "Homem de pouca fé, por que duvidaste?" (S. Mateús 14 :31). AGRADECEla Deus cada dia pelo que a humildade de Cristo
6. "Meu Pai, se é possível, passe de Mim êste cálice; todavia, tornou possível.
não seja como Eu quero, mas como Tu queres." (S. Mateus 26 :39). Segunda.feira
, Recapitular o verso áureo. Honrando-nos a nós Mesmol;
S. Lucas 14.
Os fariseus eram muito orgulhosos. Todos os judeus criam se-
LIÇÃO 6 - 8 DE AGõSTO DE 1958 rem superiores aos homens de outras nacionalidades, mas como
membros de uma seita exclusiva, os fariseus criam' que' meredam
honra e respeito acima de todos os outros judeus.
Humildade J eSlilSquis ensiná-Ios que não podemos atribuir-nos honra pró-
pria. Somente Deus mesmo pode dizer quem é mais honrado. Mui-
VERSO .ÁUREO: "Hmnilhai-vos perante o Senp.or, e ~le vos to freqüentemente aquêles que parecem os menos merecedores dEl
exaltará." (S. Tiago 4:10). ' respeito e honra são os' mais elevados do ponto de vista de Deus,
que é o único que pode ver o coração, como realmente êle é.
Sábado à tarde Certo dia Jesus estava presente numa festa. Notou que- ha-
via uma disputa pelo melhor assento, e lugar de mais honra. Ler
Ler o que disse Paulo acêrca da humildade de Cristo, em Pi- nas versos 8-11 a que disse enquanta .observava a cena.
lipenses 2: 3-10. Ler o verso áureo algumas vêzes. Lembrar dê Numa outra ocasião viu um fariseu e um publicano irem ao
dizê-Io diàriamente quando fizer Q estudo da lição indicada. templo para orar. O fariseu orgulhoso disse simplesmente o quan-
to era melhor do que as outras pesso'as, m!1s o humilde pubHcano
Domingo compreendendo sua pecaminosidade e a grande misericórdia de
A Humildad.e de .Cristo Deus. orou baseado nisso e foi ao trono do Pai. Dêle disse Jesus:
"Digo-vos que êste desceu justificado para sua casa, e não aquê-
Filipenses 2. ,le; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e
Desde a ocasião de Seu nascimento em uma manjedoura num qualquer que a si mesmo se humilha sérá exaltado." (S. Lucas
estábulo em Belém até quando teve a vergonhosa- morte na despre- 18:14). '
zada cruz de criminoso, Jesus sempre se tornou humilde. ~le que Assim ,Cristo ensinou que somente Deus pode pôr-nos ,em uma
havia assentado à mão direita de Deus nas alturas, condescendeu posição exaltada.
em viver entre o' povo pecador, pobre, ignorante e mau, de modo LEITURA ADICIONAL: Parábolas de Jesus, págs. 150-151.
que pudesse auxiliá-Io para uma vida melhor e mais feliz. Ler
a que Paula diz da manei?'a, de Jesus humilhar-Se em nassa bene- , PENSAI! Sois vós sempre tentados a pensar que sois 'muito
fícia nas versas 7 e 8. melhores do que alguns outros rapazes ou moças com os quais vos
Foi através do orgulho que Satanás trouxe ,ruína à Terra. as sociais ? '
Apesar de Sua humildade, Jesus trouxe a salvação a todos os que ORAl para dardes a honra a outros.
O aceitassem.
"Antes de vir à Terra, Jesus era o Comandante das hostes an- T~rça-feira
gelicais. Os. mais brilhantes e os mais elévados filhos da manhã
ouviram Sua glória na criação. Velaram o rosto diante d~lé Q~ando os Discípulos Contenderam
'quando se assentou em Seu trono. LaNçaram sua coroa aos Seus S. Marcos 9.
pés e cantaram Seu triunfo li)nquanto contemplavam Sua 'grandeza. Certo dia J'esus notou que Seus discípulos estavam discutindo
"Apesar disto o glorioso Ser amou o pecador, e tomou a for- entre êles enquanto estavam caminhando. Quando chegaram em
ma de servo, para que pudesse sofrer e morrer por nós." - The casa em Capernaum ~le perguntou-Ihes sôbre o que estavam dis-
Sta1'y af Jesus, páj?:' 15. cutindo. Sentiram-se envergonhados quando Jesus lhes fêz a per-
LEITURA ADICIONAL: O Desejada de Tôdas as Nações, gunta. Encant1'ar no versa 34 por'que estavam discutinda.
pág. 327. Jesus sabia que êles somente se prejudicariam procurando bus-
- 24- -:25 -
cal' altas pasições. Encon,trar no VM'SO 35 o princípio que, lhes ORAl' para tom ardes a atitude de Jesus', em ressaltar as di-
deu.' reitos das outros e' não as seus próprios.
EntãO' experimentau par uma liçãO' abjetiva a ensinar-lhes a Quinta-feira
necessidade de canservarem-Se humildes. Olhar o verse 36 e en-
cont,rar o que Êle tomou por ilustraçãO'. A Última Lição de Humildade
"Part'anta, aquêle que se tarnar humilde cO'ma êste menina, ês- S. João 13.
se é a maiar na reina das Céus." (S. Mateus 18 :4).
Aquela era uma nava 'idéia para as discípulas. Haviam alhada Foram precisas muitas lições para que as discípulas aprendes-
para as crianças' cama sêres sem impartância e apenas mereceda- sem a liçãO' necessária de serem humildes na abra da Senhor. Es-
res da atençãO' e dO' tempO' de Crista, e agara lhes estava dizendO' tava;m constantemente conversando sôbre quem teria a, pasição de
que precisavam ser humildes cama as meninas! Os meninas nãO' honra no' reino terrestre que esperavam que Cristo estabeleceria.
contendiam par terem a melhar lugar. Amavam e canfiavam em QuandO' juntas vieram para celebrar a última Páscaa, os dis-
Jesus. Havia muita que as discipulas paderiam aprender ,dêles. cípulas se sentiam invejosas uns dos outros. Era costume numa
,LEITURA ADICIONAL: O Desejada de Tôdas as Nações, festa, que um servo lavasse os pés dos hóspedes, empoeiradas e
pág. 328. quentes de sua jarnada. Não havia serva nesta festa e cada um
\,
I
'dos discípulos estava por demais O'rgulhasa para assumir a tarefa
PENSAI! Gastais tempO' a cagitar se sereis escalhidas para de lavar as pés das outros.
alguma hanra?, ' Jesus esperou um momentO' para dar-lhes oportunidade, mas
!.; ORAl para pensardes mais em servir asautras da que serdes nenhum se levantau. Olhar- os V.M·sas4 e 5 e ver o que finalmente
sérvidas pelas autras. Êle fêz.
"Êlle estivera magoada pela sua briga, mas não' os "reprovau
Quarta-feira / com palavras ásperas. Mostral'l Seu amor agindo como' servo pa"
Quando Jesus Recuso~ Ressaltar os Seus Direitos ,ra Seus próprios discípulos." - The Story of Jesus, pág. 97.
Ler-,nos versos 13-17. o que Jesus olhes, disse.
S. Mateus 17. / Êlste pequeno ata ,de humildade foi uma lição objetiva que os
Um dia a coletar de impastas veia a, Pedra' em Capermlum e discipulos jamais esqueceram. Viram que Jesus mostrou Seu amar
fêz-Ihe uma pergunta. Ler qual foi a lJerguntano versa 24. pelo Seu ato e que êles também 'deviam valuRtàriamente pôr (;)eu
A pergunta nãO' era ina,cente. Era uma armadilha para apa- e a' argulha de ladO' e viverem para servir, nãO' impartanda ql'lãa
nhar Jesus. O tributa que a caletar pedia. era uma taxa religiasa humilde aqu~le serviçO' ,pudesse ser,. Sua inveja e discórdia faram
requerida de tadas para a manutençãO' da templO'. 'Das filhas de banidas e a caraçãa encheu"se de ,amar par ~e~u~.
Levi nãO' era reguerida a pagamentO' da tributa. Os fariseus vi- LEITURA ADICIONAL: O Desejada de Tôdas as Naç5es,
ram uma apartunidade para apanhar Jesus na que quer qúe Êlle págs. 482 e 483.
fizesse cam respeita à taxa.
Se. recusasse pagar, paderia ser acusada de ser, desleal 'aO' tem- PENSAI! Já' sentistes baixar vassa dignidade par fazerdes
plO'. Se pagasse, paderiam dizer que estaya negandO' ser um pra- deter.minada tarefa muita necessária? ' -
feta, pais as prafetas estavam isentas da pagamentO' da tributa. ORAl para fazerdes valuntàriamente tudO' quanto seja neces-
Em respasta Jesus fêz uma pel\gunta a Pedra. Encontrar. qual sária para tornar a sarte das autras mais fácil.
foi no verse 25. - ,
Pedra respandeu que somente as estrangeiras pagavam a taxa Sexta-feira
aO' rei. Os filhas da rei estavam isentas. PartantO', Jesus nãO' pre- Contar a história sugerida por cada uma das palavras au fra-
cisava pagar a taxa, pais era a Filha de Deus. NãO' abstante, Je- ses seguintes, mastranda cama Crista ensinau a liçãO' de humildade:
sus Se ,recusau entrar em cantravérsia. na questãO'. Encontrar no Manjedaura.
verso 27 o que disse a Pedro que fizesse. A cruz.
. Êlste incidente mq,strau a humildade que havia da parte da ca- Melhar lugaT.
ráter de J e~us. Era de Seu direita estar livre da pagamentq da Um fariseu e um publicana arandO'.
taxa, mas nãO' faria dissO' uma saída. ,Jesus chama "um menina' para Si.
LEITURA ADICIONAL: Idem, págs. 325 e 326: DinheirO' da tributa.
PENS'AI! Estais vós sempre ansiasas par "ressaltar vossas LavandO' pés émpaeirados.
I, direitas"? Recapitular a versa áurea.
- 26 ....,..27

'.
LIÇÃO 7 -15 DE AGôSTO DE 1959 Satanás praticau a opôsto dêste princípiO' de abnegaçãO'. Fai
cuidadasa parlit cansiga mesma, pela pasiçãa e pela glória de si
Abnegação mesma' pai' muitO' que custasse, aas autras. Olhar o ve?'so 50 e ver
o que' Jesus buscou.
"Jesus paderia haver permanecida ao ladO' de Seu Pai. Paderia
VERSO AUREO: "Deleita-Me em fazer a Tua vantade, ó Deus haver retidO' a glória da Céu, e as hamenagens das anjas. 'Mas
Meu; sim, a Tua lei está dentrO' da Meu caraçãa." (8.almo preferiu entregar a cetrO' nas mãas de Seu Pai, e descer da trana
40:8) . da universO', a fim de trazer luz aas entenebrecidas, ·e vida aas
Sábado à tarde
que ,estavam prestes a perecer." - Idem, pá'g. 15.
Ler a história da rica. jovem príncipe que quis ser discrpula de LEITURA ADICIONAL: Idem, pág. 39.
Jesus, em S. Mateus 19 :16-22. Aprender' a versa áurea pensandO' PENSA[! Padeis encantnt.r um só casa na vida .de Jesus em
em seu signIficadO'. que tenha feito um ata au um desejo egaístas?
Domingo
Negação P.rópria ORAl para seguirdes a exemplO'·de Jesus na abnegaçãO' em at~n-
.ção aas autras. Têrça-feira
S. Mateus ].'6.
Vacês têm natada. cama muitas pessaas nãO' parecem pensar
muita nas autras? SãO' cuidadasas· somente de si mesmas. Obtêm " O 'Homem que Quis Tornar-se um Discípulo ~
e fazem a que querem, nãO' impartando cam a que passa custar 'au S. Mateus 19.
incamadar aas autras. Embara possa parecer estranha, estas pes- Entre as que. faram impressianadas pelas ensinas de Jesus e
saas raramente estãO' felizes e cantentes, ainda que elas mesmas as baas ações que praticau estava um hamem que tinha grande
farcem a felicidade. riqueza bem coma uma pasiçãa de respansabilidade. :mste javem
Há entãO' autras pessaas que nunca reservam pensamentO' pa- admirava muito a Jesus. Gastava' da maneira cama recebia as
ra si próprias. Estão sempre fazenda caisas para as autras, nãO" crianças e .,as aben.çaava. Natau Seu amaraso cuidada para cam
impartanda a quanta, possa custar au a incanveniência que haja. .•aliluêles que sofriam. Gastava, da que O auvia dizer. Pela tanta
Par estranha que passa parecer também são felizes, embara não' q.ue viu em Jesus, quis tarnar-se um de Seus seguida'res. Um dia
seja para êles mesmos as, cais as que lillanejam fazer. canseguiu a atençãO' de Jesus' .. Encontra?' no ve?'so 16 ,o que êle pe-
Jesus explicau istO' a Seus discípulas certo dia. Falou-Ihes diu ao Senhor'.
acêrca de um princípiO' que apera, ainda que à primeira vista
rlãa pareça ser. passível. Podem ler êste princípio nos versos . Jesus- nãO' respandeu diretamente a pergunta que a javem prín-
24 e 25. ci~e Lhe fêz. Pravou-a, Perguntau-Ihe par que se tinha rnrigida
a jj':le chamanda'-a de "Bam Mestre." Somente Deus é bam, disse
LEITURA ADICIONAL: O Desejado de Tôdas as Nações, Jesus. camp,reendia realmente a javem príncipe que Jesus era Um
pág. 314. cam '0' Pai? EntãO' Jesus lhe disse que para ganhar a vida eterna
PENSAI ! Calacais a cansideraçãa par vós mesmas e a vassa teria' de guardar as mandamentas.
vantade em primeira lugar na vassa vida, au par último? "Quais?" perguntau a maça, Encontra?' quais dos mandamentos
OR-AI par encantrardes a alegria que sabrevém aO' calacardes. Jesus citou nos vers,os 18 e 19.
a cansideraçãa das autras em primeira lugar. . Os mandamentas que 'Jesus recitau eram as que diziam res-
peita aO' nassa, dever para cam nassas semelhantes. Ler no verso
Segunda-fei,ra 20 o que o jovem 1J1"íncipe respondeu a Jes~ts.
O prín.cipe nãO' tinha dúvida de que era um bam rapaz e um

Como Jesus Negou-Se a Si Mesmo
jqvem carreta - 'Um exemplO"para as autrqs. Precisava ainda dar
S. Jaãa 8. mais um passa para alcançar um caráter perfeita.
Tôda a vida de Jesus fai uma demanstraçãa da que jj':le pensa- LEITURA ADICIONAL: Idem, pág. 386.
va sôbre a nassa abnegaçãO' em auxíliO' das autras. P.ENSAI! Paderíeis vós respander hanestamente cama o. prín-
Se Jesus tivesse Se calacada em primeira lugar, pensaríeis que
:mIe teria deixada Seu lar na Céu para vir e viver entre a pava cipe rica fai capaz- que guardais tadas as mandamentas?
pecadar, infeliz e ignarante? A quem Jesus sempre pracurau ORAl para respeitardes e abedecerdes campletamente as man-
agradar? Ler o verso '29. dos de Deus para uma vida cristã.
- 28 -,.- 29 - . /
Quarta~feira
Uma agl.j.lha do que um rico que' coloca a· confiança em suas ri-
Quando Jesus Se Entristeceu quezas entrar no. reinO' de Deus. Isto surpreendeu os discípulos.
Os judeus pensavam que a riqueza era um sinal de que estava em
S. 'Mateus 19. agrado com Deus.
Jesus tinha citado 0'13 mandamentos Que mencionavam nossa Pedro, pensando sôbre o modo de vida que êle e os outros ti-
.relação para com os outros por um motivo.: O prínCipe tinha guar- nham deixado, perguntou: "Eis que, nós deixamos tudo e Te se-
dado os mandamentos na aparência, mas o espírito de amor e ser- guimos, o que receberemos?"
viço para com os outros estava ausente. Os mandamentos, são Em poucas palavras Jesus disse aos discípulos da grande re-
baseados no amor para com,' Deus e aos outros. Se amamos per-. compensa .que Deus dará àqueles que fazem a entrega de tôdas
feitamente, obedeceremos perfeitamente. Se o príncipe tivesse as coisas que podem impedi-Ios de fazerem a obra de' Deus.' Ler
amado aos outros perfeitamente, tivesse obedeCido o espírito dos nos ver,sos 28 e 29 o que Éle. disse. .
mandamentos, teria usado sua riqueza 'para tornar melhor a vida
.e a existência dos pobres. Olhar o ve1'SO 25 e ver o que Jesus lhe Quanto mais Jesus nos ofere~e! No mundo, podemos ganhar
disse para fazer. . riquez'as, ou posição, ou fama, ou hom'a, mas isto não vale nada
Jesus foi atraído para êste jovem. Estava consciente e reco- quando comparado com a vida de completa feliCidade com Deus
nhecido do que Jesus fêz e seria um perfeito discípulo, mas pri- o· Pai, Jesus nosso Salvador, e os santos anjO's por nossos com-
meiro devia mostrar sua disposição para' dar aquilo que era mais panheiros.
precioso para êle - sua, riqueza - em benefício dos outros. En- LEjJ~URA ADICIONAL: Iâem, pág. 466.
quanto amasse o dinheiro e as coisas que êste pudesse comprar, PENSAI! Tendes vós pesado em vossa mente as coisas que o .
. não poderia ser um bom discípulo. Enc.on-tra1' no, verso 22 como mundo oferece e aI:' que Jesus vos oferece?
êle enfrerttou a prova.
"Queria o tesouro celestial, mas desejava igualmente as van- ,ORAl para estardes dispostos a deixar o que o mundo diz ser
tagens temporais que as rique'zas lhe trariam. Entristeceu-se de desejável, para aceitar a recompensa oferecida pelo Céu.
que existissem essas condições; queria a vida eterna, mas não es- Sexta-feira
tava di.sposto a fazer o sacrifício. O custO' da vida eterna afi-
gurou-se-Ihe demasiado grande e retirou-se tr,íste; .'porque possuía COMPLETAR COM AS PALAVRAS QUE FALTAM estas
muitas 'propriedades.' frases de Jesus:
"Sua afirmação d'e haver observado a lei divina era um en-
1. "Se alguém quis~r vir após Mim; reJ;luncie-se a si mesmo,

l
gano, Mostrou que as riquezas eram seu ídolo. Não podia guar-
dar os mandamentos. de Deus, enquanto o mundo 'ocupàsse o pri- tome sôbre si a sua ' , e siga-Me. Porque aquêle que quiser
f, meiro lugar em suas afeiç'ões. Amava ·os dons divinos mais que Salvar a sua , pe,rdê-Ia-á; e quem perder' a sua vida por
o próprio D'o'ador." -Idem, pág. 388; amor de Mim __: ~ ." (8. Mateus 16 :24 e 25.)
LEITURA ADICIONAL: Idem, págs. 386 e 387. 2. "Porque eu faço sempre <> que Lhe ." (8. João
8 :29).' .
't
PENSAI! Há alguma ambição própria em vossa vida que es- 3. "Eu! não busco a 'Minha (8. João 8:50).
teja evitando' de serdes um discípulo de Cristo?
4. "Se· queres ser perfeito, vai e o que tens e
ORAl para dardes a. Jesus tôdas as coisas que possam impedir dá-os aos ,e terás um ·no Céu; e vem, e
de serdes um bom, discípulo. . segue-Me." (S. Mateus 19:21).
5. "Em verdade vos digo que é,difícil entrar um .' no
Quinta-feira
'reino dos Céus. E outra vez v,os digo que é mais. fácil passar um
A Recompensa dos Discípulos ---------------------- pelo fundo duma . , do que um rico
entrar no reino de Deus." (S. Mateus 19:23 e 24).
S. Mateus 19.
6. "E todo aquêle que tiver deixado casas, ou il'mãos,
Com que tristeza Jesus observou o jovem príncipe afastar-se. ou pai, ou mãe, ou espôsa, ou filhos, ou tel'l'as por _ de
Se tivesse, unicamente feito a entrega daquilo que' havia tornada Meu nome, receberá cem vêzes tanto, e hel'dará a vida 'I)
um ídolo em sua vida - suas possessões. Ler no' ve1'SO 23· a decla- (8. Mateus 19:29).
1'ação que Jesus fêz a Seus discípulos.
Recapitular o verso áureo. Foi Jesus que disse estas 'palavras?
Seria mais fá~il, disse i:le, passa~' um camelo pelo funçlo de Podeis vós àizê-las sinceramente?
- 30- 31

-/
LIÇÃO 8 - 22 DE AGôSTO DE 1959 viou mensageir'os na frente para fazer os preparativos para sua
estada em uma das vilas deSamaria. Olha?' o verso 53 e ver qual
foi a atitude que os moradores toma?'am,
Paciência e Bondade . Os samaritanos odiavam os judeus, e os moradores ficaram
ofendidos porque Jesus estava indo para adorar em Jerusalém.
VERSO ÁUREO: "Não julgueis, para que não sejais julgados, :/i)les O queriam para restaurar o,. culto em seu próprio templo
Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados." (S. em Ger~zim. ,
Mateus 7:1 fi 2). Os· discípulos ficaram muito magoados por esta má recepção;
Sábado à tarde
e semelhante a muitas' pessoail que se ofendem, êles .desejaram que
Ler como Jesus livrou uma mulher daqueles, que a estavam jul- alguma coisa acontecesse àqueles samaritanos que lhes magoa-
ram. Ler no verso 54 o que João e Tiago sugM'i?'am.
gandO' àsperamente, em S. João 8:1-11. Ler o verso áureo algu-
mas vêzes. Mas 'seu Mestre não ,teve êste espírito .. E:le aspirava ter tô-
Domingo das as· pessoas para amá-Lo, e não Se ofenderia, nem procuraria
"Não Julgueis!" retribuir da mesma maneira. Le?' nos versos 55 e 56 o que t:le
disse aos discípulos.
S. Mateus 7.
LEITURA ADICIONAL: O Desejado de Tôdas as Nações,
Já tiveram vocês a experiência de serem acusados de fa- págs, 365 e 366. .
zer ou dizer alguma coisa que não fizeram? Muitos de nós
o fomos, e isto nos faz sentir muito mal, não é verdade? PENSAI! Tendes-vos endurecido quando outros mostram in-
delicadeza para convosco? - \
Quão fácil é errarmos com respeito' às outras pesspas. Ve-'
mos ou ouvimos alguma coisa e traçamos uma conclusão comple- ORAl por auxílio para perdoardes e esquecerdes.
tamente errada. Ler nos versos 1 e 2 o que Jesus nos diz quanto
a julga?'mos a out1'as pessoas. . Têrça-feira
I
Não podemos ver quais as raz"ões que as pessoas têm, então A Mulher que Precisou de um Protetor
p0r que deveríamos julgá-Ias e acusá-Ias? Quando nos determi-
namos como juizes de outros, estamos trabalhando para Satanás, S. João 8.
pois a ,Bíblia diz que êle é O' "acusador dos irmãos." Um dia estava Jesus ensinando no templo quando os escribas
A classe; mais elevada entre 9S judeus tinha, prazer em achar
faltas nos outros. Gostavam de criticar' os outros, apontando seus e fariseus O interromperam. Traziam uma assustada mulher, de-
nunciando-a fortemente, pois quebrara 11m dos mandamentos. En-
erros e falhas. Não alimentavam o espírito de amorosa bondade contrar no verso 5 o que êles perguntaram a Jesus.
e paciência. Cada um de nós tem fardos a suportar e batalhas a Como tinham feito muitas vêzes antes, estavam formando uma
travar e precisamos auxiliar um ao outro, e não estorvar com
ásperos julgamentos e críticas, armadilha para Jesus. Se rellPondesse que ela deveria ser liber-
tada, poderiam acusá"Lo de não estar de acôrdo com a lei de
LEITURA ADICIONAL: O MaiO?" Discu?'so de C?'isto, págs. Moisés. Se, por outro ladO', Jesus dissesse que a mulher deveria
107 e 108. ser apedrejada, seriam capazes de denunciá-Lo aos oficiais ro-
PENSAI! Tendes vós tornado um hábito o estar sempre cri" manos dizendo que estava tomando uma autoridade que não era
ticando os outros? Sua.
ORAl para pensardes com simpatia a respeito dos outros. Aquêles homens empedernidos não se preocupavam quanto à
mulher. Nada tinham' feito para ajudá-Ia a viver uma vida me-
Segunda-feira lhor. Embora J'esus odiasse o pecado, amava .os pecadores, e Seu
Recusando Ofender-Se principa,l objetivo era aj,udar o pecador a uma melhor maneira de
viver. Seu c0ração se estendeu para esta mulher na misericól'dia
S. Lucas 9. dos cruéis escribas e fariseus.
Jesus jamais Se ofeI).deu, e jamais procurou "discutir" com 6s LEITURA ADICIONAL: Idem, pág. 345.
outros, mas freqüentemente os discípulos se ofendiam quando' os
outros eram descorteses para com êles ou para com Seu Mestre. PENSAI! S'entis-vos contentes quando alg'uém se encontra em
dificuldade?
Certa ~ez estavam fazendo uma viagem de Galiléia a J erusa-
lém e precisaram passar pela pr;ovíncia de Samaria. Jesus en- ORAl por odiar o êrro, mas tende simpatia pelos que erram.
32 - 33
\Quarta-feira
Jesus Auxilia à Pecad.ora Êle e cOIlfortando-O com suas orações. Todavia Jesus, vendo a'
S. João 8. sua canseira e sono, disse: "Dormi agora, e repousai," embora
Ansiosamente os escribas. e fariseus se apertaram ao redor de anelasse por sua companhia nessa hora' de luta.
Jesus para ouvirem como responderia sua pergunta, mas Êle fi- Jesus nada resp6ndeu quando os cruéi~ romanos e mesmo Seus
cou em si'lêncio e abaixou-Se na terra. V M' no "verso .6 e. encontrar
por, que fêz assim. mais cruéis seguidores ~ judeus clamavam contra Êle, brigavam
Outra vez os homens fizeram a pergunta. Jesus afinal atraiu com Êle, tórturavam-np e O ~escarneciam. Amor e piedade por
a atenção para Si, mas não para dar uma resposta à pergunta Suits, discórdias tomaram o lugar de ressentimentos e cólera que
quanto ao que deveria ser' feito com a mulher que pecara.'Ler poderiam ter apossado de Seu coração. Então quando chegou S'eu
no verso 7 e ver o que Êle disse. ~ último momento, Seus pens;;tmentos se voltaram em amor e bon-.
Então Se abaixou outra vez e continuou a escrever. Os olhos dade para com aquêles que O tinnam mal compreendido e O ma,l-
dos acusadores da mulher seguiam. o movimento de Seus ,dedos. tratado. Ler no verso 34, primeira pa1·te, como orou por aquêles'
que 6 estavam ma~tratandô.' , '
Horror e vergonha sentirarp enquanto viam, traçada na poeira, a,
história de seús próprios crimes secretos. Um por um ,saítamfur- LÉITURA ADICIONAL: Ide~, pags. 566 e 567.'
tivamente. Nenhum ficou para, atirar, uma 'pedra na 'pecadora. PENSAI! Acariciais vós "sentimentos' duros contra aquêles que
"Mulher, onde estãoaquêles teus acusadores?" perguntou nos- erram?
so Senhor. " " ,
, Atônita, a malheI' 'olhou ao seu redor. 'Todos os seus acusado- OR,AI por aquêles que vos mago~m.
,res tinham desaparecido de sua vista! , ' " Sexta-feira
"Ninguém, ~enhor," disse ela ·maravilhada. Ler na última par-
te do verso 11 o que Jesus disse para ela. ORDENAR est'as palavras' do sermão do monte sôbre julgar
. Nós dizemos que "Isto foi para ela o início de uma nova vida, os outros: ,,' ", f

vida de pureza e p'az, devotada ao .serviço de Deus. No ergui-' JULGApOS J,ULGUEIS NÃO NÃO SEJAIS PARA, QUE tS.
mento dessa alma caída, ·operou· Jesus um milagre maioi' do que
na cura da mais grave enfermidade física; curoa a moléstia es- Mateus ':':1)'. . '.,. ' .1

piritual que traz a morte eterna. Essa arrependida mulher tor- CONTAR ,a história da: ocasião'em que João e Tiago se ofen-
nou-se um de Seus mais firmes segt!idores. Gom abnegado am0l' deram porque Jesus foi repel.ido 'pelos samaritanos. .
e devóção, retribuiu-Lhe a perdoad0ra misericórdia." - Idem, pág. "E8.CREVENDO NA AREIA.'" De que 4istória isto vos faz
347. ' . . lembrar? '
LEI'1'URA ADICIONAL: Ibidem. DE. QUE MANEIRA Jesus mostrou a paciência e bondade de '
Seu caráter durante_ Suas últimas horas na Terra?
PENSAI quão pronto está Jesus para' receber aquêles que co- RECAPITULAR o' verso, áureo.
metem erros, e quão. disposto está a perdoá-Ios e ajudá-Ios a ,co-
meçarem outra vez.
ORAl para que permitais a Jesus vos auxiliar a viver uma
mel'hor vida.
Quinta-fei,ra LiÇÃO 9 - 29 PE AGÔSTo. DE ~i959
o ,Cristo Perdoaclor
S. Lucas 23.' Dar
Ninguém jamais 'recebeu maiores insu,l.tos do' que Jesus., Nin- VERSO ÁUREO: "Cada um contribua segundo propôs no seu
guélJl fo,i tratado com mai.or fa]ta de cortesia do que Jesus, Nin: coração; não com, tristeza, ou por neéessidade; porque Deus
guém em tempo algum foi mais mal entendido e' errôneamente ama ao que dá com alegria.'" (lI Corí,ntios 9':7)'. f
falado do qu'e o fo,i Jesus. Não obstante Êle foi sempre o grande
sofredor. Estava sempre pr,onto a perdoar. Nunca abrigou pen- -.Sábado à ta';de,
samentos amargos em Seu coração. " . '
'Quando estava nos limites de Seu '~ltimo dia na Terra Seus Ler a história' da v,iúva ,que deu tudo O' que tinha para a cau-
discípulos adormeceram em vez de permanec,erem acordados com sa de Deus, em S. Marcos 12: 41-44. Ler também a história de
- 34 Zaqueu ,em S. Lucas'19:1-8. Ler o verso áureo algúmas vêzes.
35

)
Domineo um dia. TO'davia Jesus a elagiO'u, por esta O'ferta. Os versos 43
e 44 vos diréio por ,q,ue Jesus louvou a viúva.
Jesus' Diz-nos Como J:)ar
"Enq.uantO' O'S'ricas e altivO's se apressavam para depO'r suas
S. Mateus 6. dádivas, ela se retraía, cO'mO'se mal O'usasse adiantar-se. Tadavia
Naquele grande sermãO' chamadO' a sermãO' da -mante, ande Je- anelava fazer qualquer 'cO'isa, pO'r pequenina que fôsse, pela causa
sus ensinau as segredas da viver piedO'sO',nassO' SenhO'r nas disse que amava. CO'ntemplO'u,a dádiva que tinha na ,mão. Era dema-
alguma caisa sôbre ecanamizar e dar. Entre ,Seus auvintes esta- ,siado pequena em C9mparaçãO'com a oferta das que a rO'deavam:
vam muitas que tinham lutas difíceis p:;tra praver as necessidades' ali estava, na entantO', tudo quantO', possuía. EspreitandO' a ense-
da vida - alimentO', vestuáriO' e abrigO'. Havia alguns, também, jo, deitau apressadamente suas duas moedinhas, e virou-se para
que, semelhantes aO"rica javem príncipe que aprendemas sôbre êle se afastar, ligeira. Ao fazê-IO', parém, encO'ntrau O'olhar de Jesus,
, autra dia, avaliavam a dinheirO' pela ab!J,stança que traria; e havia cravadO' nela." - O Desejado de Tôdas as Nações, pág. 458. .
alguns ,que ganhavam dinheirO'. para eIÍtesO'urar para sua própria LEITURA ADICIONAL: Ibidem.
satisfaçãO'. Para aquêles cujO' alvO' era abter dinheirO' e O' tesaur@ PENSAI! SeRtis-vO's algumas' vêzes envergO'nhados pO'r po-
que (;)dinheirO' pO'dia camprar, Jesus tinha uma mensagem. Lê-la derdes .dar somente uma pequena O'ferta na Escala SabatÍna au
nos versos 19 e 20. ,
Jesus diz-nas que a verdadeirO' tesO'urO'é a caráter, nãO' as, cO'i- para a igreja? Lembrai O' que é que' tO'rna v@ssa aferta aceitável
a Jesus.
sas que pO'demO'scO'mprar. Amar, fé, caragem, paciência, diligêR-
cia - êstes sãO' guardadas cO'ma tesauras nO' Céu. RESOL VEI estar felizes cam a que 'derdes, embara pequena.
Havia 'alguns, também, eRtre as auvintes de nassO' Senhar, que
tinham meias e davam Hberalmente aO' templO' e a autras causas Têrça-feira
'digRas, mas nunca sem fazer uma graRde ma'nifestaçãa sôbre O'
fatO' de madaque a pava pudesse O'lhar pa,a êles e cantar sô,bre a Maria, 'Que Deu Seu Maior Tesouro
quantO' davam. A êstes Jesus teve uma palavra de advertência S. JaãO' 12.
para dar. Le?' ,o que Êle Çlisse àquelas pessoas'nos versos 1-~. Faltavam apenas dO'is dias para a última Páscaa da vida de
LEITURA 'ADICIONAL: O Maior Discurso d'eCristo, págs. nassO' Sen1:lar. Jesus e .Seus discípulas estav;am em Betânia, e fa-
79 e se. . ram canvidad@s para a casa de um fariseu chamadO' SimãO'. En-
PENSAI!, O que' parece mais impO'rtante para vós - ganhar tre as presentes estava uma família muita querida para Jesus.
uma pO'rçãO'de dinheirO', O'Uganhar. um caráter para tôda a eter- Encont?'ar no VM'S,O 2, quem eram. ' '
nidade. Jesus tinha trazidO' Lázara de' valta da sepultura. Tinha CUl'a:-
ORAl p'ara que 'quandO' derdes vO'ssas O'fertas as deis parque dO' SimãO', Seu haspedeira, de lepra, e Maria irmã de Marta, que
amais a J e'sus. também estava ali Êre' a tinha curada da 'lepra da pecadO'. O
Segunda-feira caraçãa de Maria se enchia de gratidãO' e amar quandO' pensava
a quanta J ~sus fizera pO'r ela. Ouvira falar também que Êle Se
A Yiúva que Deu Tudo o Que Tinha t@rnara rei, e estava ansiO'sa par mastrar-Lhe sua hanra. Que
S. MarcO's 12. preciosa posse ela usou para honrar a Jesus?' Ler o verso 3.
~mb0ra ela tiv.esse ungidO' as pés de Jesus em s1lênciO' e sem
Um d.ia Jesus estava Ruma parte dO' templO' O'nde a arca ,d@ .chamar a atençãa', a fragrância dO' perfume lagO' encheu a sala
tesaura era guardada, abservanda' cO'mO'várias pessO'as vinham e seu ata se tO'rnau canhecida' de tO'das. Um das discípulas presen- .
éom suas ofertas. Viu alguns que vieram cO'm graop,des sO'mas de tes sabia; quãO' carO' custava tal perfum~' e ficou muita indignadO'.
diRheirO', abservandO' aO' redar para estarem certO's de que t@das Nos versos 4-6 encontrar o que êle disse e por quê.
estavam alhanda en'quantO' ,depasitavam suas O'fertas. EntãO' nO'tau "J,udas nãO' tinha coraçãapal'a os pabres. HO''Uvesse'ID-
vendi-
u.ma mulher pO'bremente vestida, certamente uma viúva, veia si-
lencia'samente. para O' átriO' cO'm sua O'ferta. Viu .sua mãO' esten-- da a ungüentO' de Maria, caísse a .lucrO' em Setl pader, e nãO' te.
der-se e deixar cair sua pequena aferta. Era muita pequena, m:as riam as pobres 'recebido benefícia." ~ Idem, pág. 416.
a maneira cO'mO'a deu praduziu na face de nO'ss@SalvadO'r um bri- O descantentamenta de Judas afetou O's autrO's e murmúrias ·de
lha de alegtia,. Encontrar no verso· 42 quanto esta viúva deu. pratesta percarreram aO' redor da sala até que Jesus apaziguau-O's
As duas "mO'edlinhas" cO'm q,ue ,ela cantribuiu eram as menO'res cam algumas palavras. Ler nos ve?'sos 7 e S o que 1!:le disse.
moedas em circu'laçãO'. J untas elas t9talizavam uma quantia mí- Esta açãO' de Maria em ungir setl Senhar com preciO'sO'perfu-
nima - uma sO'ma igua'l a uns sessenta e quatrO' avO's dO'saláriO' de me seria. uma liçãO' O'bjetiva.
36 - - 37-
'"

/
"Como o vaso de alabastro foi quebrado, e encheu tôda a' casa
cQm sua fragrância, assim Cristo havia de morrer' e Seu corpo Quinta-feira
,ser quebrantado; más l!::leSe ergueria da tumba, e o perfume de
Sua vida havia d~ encher aTerrá." - Idem, pág. 418. Quando a Ambição por Dinheiro Toma Posse
Dêsse modo o sacrifício de Maria daquilo que era mais pre- S. Mateus 26.
ci(}so para ela ensinou uma lição que foi espalhada até os confins Não é O poder do dinheiro que trás destruição. É o amor ao
, da Terra. dinheiro, que é prejudicial. Abraão, Ezequias, Jó e outros foram
LEITURA ADICIONAL: Idem, páf!;s., 417-419. ricos, ·mas usaram sua riqueza em favor de outros. Não confia-
vam nêle, mas colocavam sua confiança no Deus que lhes dera o
, PENSAI! Estaríeis, dispostos" a dar o que entesourastes para poder para se tornarem ricos.
'a causa de Jesus?
Entre os discípulos de Jesus havia um cuja ambição era amon·
ORAl para mqstrardes vossa ~preciação naquilo que Jesus faz 'toar, tesouros na Terra. ,Tudas era o tesoureiro do pequeno gru-
por vós. po, e freqüentem ente tirava para SI' moedas que pensava que os
outros não' descobririam. Tornou o amor ao dinheiro a coisa mais
Quarta-feira
importante em sua vida e o levou' a pl'aticar uma ação qÚe todos
o Homem que Estava Pronto a Dar os cristãos têm abominado em sua mente. Le?' os VC?'SOS 14 a 16
e ver qual foi a ação: "
S. Lucas 19. Sabemos bem a história de como Judas traiu' no'sso Senhor e,
como mais tarde voltou para devolver o dinheiro aos sacerdotes
Na bela cidade de Jericó morava um homem que era "chefe e ter a liberdade de J ésus, e comp, quando êles recusaram, foi e
dos publicanos." Sua riqueza r! posição, porém, não atraíam o se enforcou. Aquêle que elevou O' amor ao dinheiro acima do amor
respeito e a admiraçãO' dos judeus, poi's trabalhava Plira os or- a Cristo chegou assim a um trágico, fim. Sua terrível história foi
gulhosos romanos, e obtinha suas riquezas por métodos fraudu- preservada até nós para vermos o que acontece quando a ambi-
lentos. Mas êle era um pecador endurecido. Muitas vêzes ouvira ção p~lo dinheiro toma posse de" nosso ,coraçãO'.
dos viajantes que paravam em Jericó dAquele que ralava do reino LEITURA ADICIONAL,: Idem, pág. 533.
de Deus, que curava os doentes e até ressuscitava os mortos. En-
,quanto escutav;a aquelas coisas teve desejo de ver êste Homem. PENSAI! da vida que foi prejudicada porque o amor ao di-
Quando correu a notícia de que' Jesus ia passar porJ ericó, Za- nhei~9 tomou 'poss.e dela.
queu determinou vê-Lo. Mas a multidão que enchia as ruas 'era ORAl' para permitirdés' que' antes de alguma outra coisa ve-
tão grande e êle era um homem tão pequeno, que parecia que per- nha (} amor de Cristo.
deria a oportunidade. ,Sua determinação, porém, lhe sugeriu uma S~xta-feii'a
idéia. Ler nos versos 3 e 4 como êle conseguiu.
Não somente viu a Jesus, mas, maravilha das maravilhas, Je- RESPONDER ESTAS PERGUNTAS" quando recapitular a lição:
sus o viu! Falou-lhe também, e disse-lhe que queria ir até sua 1. O que nos diz J esus quant~ ao 'armazenar tesouros? ,(S.
casa. Zaqueu jamais sonhara uma tal honra. Mas a honra não Mateus 6:19 e 20).
subiu para a cabeça - foi a seu coração! A bondade de Jesus 2. O que 'nos diz Jesus' quanto à maneira de darmos as nos-
fê-Ia compreender que devia resolver os atos desonestos do passa- sas ofertas? (S. Mateus6:1-4). '
do. Ler mo verso 8 a resolução pública que êle jêz. 3. Por que Jesus' Se agradou da mulher que depositou somen-
te duas moedas na arca do tesQurO' no templo? (S. Marcos 12:43
Jesus não lhe disse para dar' seus bens aos pobres, mas, o ,novo e 44). ,' , .'
coração que Jesus lhe deu disse-lhe isso. Em vez de tirar tudo
o que poderia ,dos 'pobres, agora estava determinado a dar~lhes
.' 4. Quem deu seu- mais caro tesouro para honrar a Jesus numa
festa?, (S. João 12:3).
tudo o' que ,pudesse. Isso é o que Jesus faz por Uma pesl?oa quan- 5. Quem se queixou sôbre a exti-avagância da dádiva e o que
do l!::le penetra no, coração. ' lhe disse Jesus? (S. João 12: 5-8) .
,6~ Como Zaquetl,' o cobiçoso publicano', mostrou publicamente
LEIT1!RA ADICIONAL: Idem, págs. 411-413.
que sua conversão' o tinha tornado um homem inteiramente dife-
PENSAI! O poder de Jesus em vosso coração vos torna mais rente? (S. Lucas 19:8). '
fácil fazer as coisas certas? ' , 7. Como a ambição pelo dinheiro levou alguém a suicidar-se?
ORAl para dardes o contrôle de Jesus a vossa vida. (Indicação de quinta-feira).
38- RECAPITULAR O VERSO ÁUREO.
- 39-
LIÇÃO 10 - 5 DE SETEMBRO DE 1959 A fé é uma coisa ativa, ('111111\ podemos ver desde os milagres
que Jesus executou. O }Il)ltl\'II1 plll'ldllico demo~strou fé pedindo
aos seus amigos que o ('lIndlll'.i';'\OI'Y\aO gl'ande Médico. Mostrou
Fé fé quando Cristo lho dj';~I\l: "LovanLu-tc, toma o teu, leito, e vai
para tua casa." 1'01'; iHibotno::l que "levantou-se, e, tomando logo
VERSO -ÁUREO: "E tudo o que pedirdes na oração, crenqo, re- seu leito, saiu em l1t'C::lcnça do Lodo:;," (S. Marcos 2:11 e 12). A
cebereis." (S. Mateus 21 :22). sua fé era uma f6 ativa. Nill) plJl'Jnancccu deitaclo, para fazer
aqnilo que não fÔl'a capaz dc oroLum' )101' longos anos. Levantou-
Sábado à tarde se, e tomou sua cama em'olando-n.
Um dia em Jerusalém JC>illH líC<::I'COU->iC de um homem que nas-
Ler a história do homem que foi curado de uma paralisia em cera cego. Olha?' nos VC'I"S08 G c 7, 'jJ'I"i'l'l'tcú'aparte, e ver ,o q~!e
S. Marcos 2:1-12. Dizer o verso áureo algumas vêzes, e continuar Jesus disse a.o homem que fizesse.
aprendendo cada dia quando estudar a lição indicada.
'0 homem cego não disse: "Por que deveria eu tatear o meu
caminho até o tanque de Siloé? Se êste Homem é um verdadei-
Domingo
ro profeta, poderá fazer-me ver agora mesmo." .1j';lc agiu pela fé.
Jesus nos Diz para .Pedir e Crer Ler na última parte do verso 7 o que fêz e no que ?'csultou a sua
atitude. .
S. Marcos 11.
LEITURA ADICIONAL: O Desejado de Tôdas as Nações,
Tendes vós já, numa noite escura e tempestuosa, estado um págs. 354 e 355.
pouco incertos quanto ao tomar vosso caminho? Quando vos sen-
tis embaraçados com respeito à alguma cbisa que não podeis ver PENSAI! É vossa fé daquelas que aumentam depois de pedir o
na escuridão, o que fazeis? Não pondes vossas mãos para en- auxíHo de Deus?
contrar as grandes mãos de vosso' pai ou vossa mãe? Quão con- RESOLVEI l1nir vossos esforços com fé no auxílio de Deus.
fortadoras e fortes serão para vós! Quando estendeis vossas mãos
mos trais fé em vosso pai ou mãe. Fé é sentir o poder de Deus. Têrça-feira'
A irmã White define êste caminho: "A fé é a mão, que se apegá
ao auxílio infinito." - Mensagens aos Jovens, pág. 102. Jesus Elogia um Homem por sua Fé
Deus é Todo-poderoso e quer repartir Seu - poder conosco. S. Mateus 8.
Quando procuramos Deus crendo em Seu auxíJio, estamos exer-
citando a fé. ' . Um dia quando Jesus estava em Capernaum, veio a Êle um
Jesus conthlUamente dizia a Seus discípulo's para exercitarem . oficial romano. Tinha ouvido muito sôbre Jesus e Seu poder para
a fé, falando-Ihes que se mostrassem suficiente fé, poderiam fa- fazer milagres. Em casa um de, seus servos estava muito doente.
zer grandes coisas. Le?' no t'e?'so 22 .o que Êle disse. O oficial cria que embora êle fôsse gentio, êste poderoso Médico
faria o bem a seu servo'. Encontra?' nos versos '6-9, como êle se
Jesus disse que se tivermos fé semelhante a um grão de mos-
tarda, poderemos fazer coi~as que parecem impossíveis (S. Ma- aproxi?nou,de Jesus. .
teus 17: 20) . Lembrai-vos que uma semente de mostarda pode . Quão contente ficou Jesus ao ouvir êste homem expi'essar sua
crescer, e quanto mais crermos em Jesus, e mais praticarmos es- fé 'em S1.j.a capacidade para cural' mesmo que não fôsse pessoal-
ta crença, mais forte será nossa fé. Cada vez que oramos por mente. Olhar no ve1'SO 10 e ver o que Jesus disse acê?'ca da fé do
auxílio de Deus, nossa fé se torna um pouco mais forte. Cada vez oficial romano.
que lemos e pensamos sôbre a Bíblia, acrescentamos a nossa fé. "Sua fé apegou-se a Cristo em Seu verdadeiro caráter. Não
LEITURA AI?ICIONAL: Ibidem. cria ntle ap~nas como operador de Illilag'l'es, mas como o amigo
e salvador da humanidade." - Ide?n, pág. 23ll. .
PENSAI! Estais diàriamente alimentando vossa fé enquanto
pensais acêrca da Palavra de Deus· e a tle orais? Os judeus pensavam que Jesus não devia estar disposto' a aju,
dar alguém que não era do povo escolhido, embol'a, como êles
-ORAl' por uma fé q].le aumente em poder cada dia. mesmos indicaram, 'êle .tivesse sido muito simpático para com êles,
tendo mesmo lhes construido uma sinagoga. Mas nflO foi isto que
Segul'l~a.feira o levou a nosso Senhol'. Foi sua fé 110 divino poder. LI,;?' no vers.o
Milagres e F"
13, o que Je.sus disse ao centurião e qual fo·i o 'rcs~!ltado de Suas
S, ·JQftQ 9. palav?~s ..
- 40- ~ 41
LEITURA ADICIONAL: Idem, pág, 232.'
Quinta-feira
PENSAI! Jesus nos aceita por causa do lugar em que nasce-
mos ou da família a que pe,rt~l'lcemos? Quando Jesus não Podia Fazer Milagres
ORAl para tornardes todos os vossos desejos conhecidos' a Je- S, Mateus 13.
sus.
Quando Jesus foi a Capernaum, realizou muitos milagres, pois
Quarta-feira o povo cria nE:le e em Seu poder para cm'al', Assim muitos vieram
para, sel~em curados, de fato, lemos quc num sábado à noite "tôda
Quando Jesus Elogiou u~a Mulher Estrangeira pela sua Fé a cidade se ajuntou à porta." (S. Marcos 1: 33) .
S. Mateus 15. Nas cidades e aldeias por tôcla ])m-tc da turra, foi alegremente
Um dia Jesus e Seus, discípulos caminhavam por uma estra- recebido e rogavam por CtU'uS, MUHn'lO em Jel'usalém, a fortaleza
,da <ltravés da Gàliléia na região da costa de Tiro e Sidon. :F::ste dos f~l'Íseus e escripa:;, opel'O't:Im~,it'IH rnilag'rcs.
Mas numa vila Jesus recebeu :t't'i<L J'ocupçii,o- em Nazaré, Sua
era um, território pagão, ocupadp 'pelos me,mbros, da velha raça cidade natal. Verso 57, pr'imO'ir'o, 'pU/I'~e, (/'i'l'(Í, (t',te c.l'o'ito f;ovc a pr"e-
cananita, Alguns judells habitavam nesta região e sem dúvida sença de. Cristo no povoado de No,z((,'r6.
falaram do Salvador e de Seus milagres, Unia mulher dali qu'e Não estavam preparados para crer naquele IJUC crCl:lCCl'aco-
não duvidou ao ouvir da história' dos poderosos milagres' de Jesus,
veio, a :F::lee ajoelhou-se aos ,Seus pés e fêz-Lhe um pedido. Olhar mo qualquer menino em seu meio,. Aquêle quc cru O I'ilho do car-
no verso' 22 e ver o qyte ela q'lferip,. "
,pinteiro, seria o Messias, VerdadeÍl'amente, Sua vida tinha sido
sem manchas, mas Sua muita bondade era uma rupreensiio para
Jesus não respondeu imediatamente 'o seu apêlo por auxílio. seu mau caminho, Jesus pôde efetuar somentc uns poucos mila-
Desejou que Seus discípulos aprendessem uma lição dêste inci- gres neste lugar onde o povo el'n' geral não Cl'eu n:F::le. V or' '1'1.0 'V(J'I'-
dente. ,De início pareceu ·ignorar a mulher pagã, exatamente como 'so 58 a razão por 'que Seus' milagres ali for'am poucos.
um judeu teria feito. 'Mas a mulher cananita não desanimou.Con- Se tão somente êles tivessem crido, quantos aleijados poderiam
tinuou a fazer seu pedido até que os discípl,llos solicitaram a Jesus ter andado novamente, quantasdoenças poderiam ter desaparecido,
que a mandasse embo'ra. Como ela' ai~da continuasse pedindo por ,quantos entre ,os' cegos, Sl1rdos 'e mudos poderiam ter usado seus
auxílio, Jesus dissé: "NãO"é bom pegar no pão dos filhos e deitá- 'sentidos outra vez! Mas sua falta de fé impediu-lhes das bênçãos
10 aos cachorrinhos,''> como ,se o 'evangelho fôsse prometido somente
que Jesus' lhes poderia ter trazido.
para os judeus e também era bõm para os pagãos. Mas isto não
des'animou a ..mulher que' desesperadamente desejava que su~ filha LEITURA ADIciONAL: Idem, págs. 139.
fôsse curada, Encontrar, como, ela resp.ondeu, no verso 21. , PENSAI! Que vqssa recusa para crer no poder de Jesus evita
"Enquanto' 0S filhos da casa comem à mesa paterna, os cães não que Suas bênçãos vos sejam extensivas?
são deixados s~m alimento,' Têm direito às migil.lhas que caem da ORAl por maior fé no poder de Jesus.
mesa abundantemente provida. Assim, se bem que muitas fôssem
as bênçãos concedidas a Israel, não. haveria também UI)1apara ela? Sexta·feira
Era considerada corrio'um cão; não teria então também o direito de
um cão a uma migalha de sua munificência?" - Idem, pág. 299. O' QJJE disse Jesus acêrca de ter fé em Deus?
Jesus não estava indisposto para ajudar a mulher e curar sua CIT AR os casos de pelo menos duas pessoas por quem Cristo
operou milagres de cura e fêz ver que pela sua atitude demons-
filha, mas desejou provar sua fé e também mostrar aos discípulos traram sua fé. '
quão descortês era a atitude dos jude).ls para com os pagãos. Quis FALAR sôbre um "romano que Jesus elogiou sua fé. Como
mostrar-lhes também que todos eram aceitáveis para receber a Jesus' CU['OU seu servo?
graça de Deus. Olhar' no' verso 28 e ver o que Êle disse sôbre a fé RECAPITULAR a história da mulher cananita cujas pala-
da mulher, e o que aconteceu no seu lar naquele instante. vras e atitude mostraram que realmente ela tinha fé no poder
LEITURA ADICIONAL: Idem, págs. 300 e ilOil.. de Cristo para curar.
PEN'SAI ! Sois. vós tentados a pensar que Deus vos de~e algu- MENCIONAR o lugar onde Jesus não pôde fazer grande tra-
ma coisa especial somente por que pel·tenceis a uma família ad- balho porque o povo não cria n:F::le.
ventista?
DIZER o verso, áureo para esta semana.
ORAl para terdes uma fé que seja perseverante e consistente.
- '12 -43 -
"
Jesus falou a uma mull1er sftmaritana pecadora ao rado dh
vrçÃO 11 ~12 DE' SETEMBRO DE 1959 'peço de Jacó numa manhã, e SljIas palavras fizeram-na mudarpa-
ra sempre do seu modo pecami'nos0 de viver. ,
Nosso 'Falar Uma' noite ijile fal'ou a Nicodemos e ganhou' um converso para
a vida cristã.' -
No dia da ressurreição, Jesus Se encontroU" com dois desani-
VERS:O ÁUREO: "Pois do que há elIlo abundância no coração, mados discípulos no caminho de Jerusalém a Emaús. Estavam
disso fala :;t Mc·a." (S. Mateusl2, :34). preoGupados 'e perplexos com respeito à crucifixão. Contudo, não
reconheceram a Jesus. ,Êle d,eu-lllles um estudo bíblico. enqljlanto
~ábado à tarde cami,nhavam, e mostrou-lhes que as coisas que tinham aconteci-
do estavam no plano de Deus para a salvação" do homem. Ler no
Ler o' que Jesus disse acêrca ·dopoder da língua' para 'I.!,ersé32 o que. disseram um ao' outro depois que Jesus desapareceu.
ou para o mal, 'em S. Mateus 112:31-36. Aprender .,0 verso Su'as pala"ras mudaram seu desânimo para a'legria e zêlo pela
Domingo ob"rade Deus.
"Mas com essas grandes novas á comuniCar, não se podiam
As Agradáveis P,alavras de Jesus sentar e conversar. Desapareceram-}hes a fadiga e a fome. Dei-
xam ,a refeição intacta e, cheios de alegria, põem-se imediatamen-
S. Lucas 4. 1;e a caminho outra ,vez, pela mesma estrada por- onde tinham vin-
Não' góstaríeis vós de ter estado nas congregações ,que' ouvi- do, apressando-se para dar ,as alvissareiras novas aos discípulos
ram J estlS falando numa s1nagoga, ou talvez na margem do rago, na cidade." - Q Desejado de Tôdas as Nações, pág. 596.
ou ao pé ,de uma montanha? Estou cert(:)' de que não haveria :(,EITURA ADICIONAL.: lbidem:,
movimentos e tenho certeza ,que ninguém bocéjar]a ou espregui-
PENSAI! Tomais tempo para ler e Pensar sôbre a Palavra
çaria quando, Jesus estivesse pregando. Sua mensagem ,era dife~
ren'te. Era prática e tinha o que, ver com a vida diária' do povo, de Deus e obter' con~ecimento do plano da salvação?
Sua voz. 'era dara e musical. As pessoas poderiam ouvir-:r.,he c(:)m ORAl para dardes à Palavra de Deus uma opo'rtunidade pa-
,facilidade. E. Suas palavras eram tanto poderosas com0 bondosas. ra tornar o propósito de vossa existência mais brilhante.
Olhar no verso 22 e ver o que até mesmo Seus conte?Tâneos disse-
r,am sô'bt'e Suas palavras. Têrça-f~ira
Jesus contava histórias de cenas e. ilustrações familiares e de" Falando para Jesus
Ias o povO' aprenaia lições que jamais se esqueceriam. Fa:lou sôbre S. Mateus !to.
o verdadeh'o o1>jetivo da vida, guardar tesouro no ·Céu, sôbre a QJ.e eficaz poder está na habilidade de falar. Nossas palavras
oração e' acêrca do testemunho. Ensinou ao ,povo o que êlepre- podem f,erir ou podem curar. ,As palavras do cristão deveriam sem-
cisava saber. D'Êle foi dito: "Nunca homem algum falou assim pre curar e auxiliàr. Quando Jesus enviou 'os doze apóstolos, deu-
como êste." (S. João '7:461· ' , lhes poder para pregm'em palavras que seriam de auxílio, En-
LEI'FURA ADICWNAL: Conselhos aos Pro!essôres, Pais ,e contt'ar no 1iM"SO 7 O. que êles tinham de dizer.
Estudantes, pág. 240. Muitas vêzes, ftle lhes' advertiu de qljle seriam feitas violentas
PENSAI no poder que há nas bóas escolhas e nas boas' pala-o oposições e se apl'esental'Íam diante de concílios, reis e governa-
vras. d(:)res, ,diànte de hon1ens experimenh:dos .em argumen,tar' e el(:)"
qüentes 0r~dores, ma:; n~io (leveriam temer do encontro com aquê-
ORAl para falardes palavras agradáveis. leshomens. Encon'li'rat" l'O?"que nãO', nos versos' 19 e '20.
Segunda-feira 'iDeix3:;ram que Deu::; os llSa::;sem como instrumentos. Freqüen-
temente JJesus cumpl'ia esta p.romessa nas experiências' de Pedro
Os Miragres das Palav,ras e :r:;yulo, ,e' outr@s de SeL1KmensaF'e'i~'os q1:Hmdose apresentavam
.8. Lucas 24. dia~,te daqueles que se opunham ao evangelho.. '
., '''r.l'esus disse a@ enclemoninhado' qtle tinha livrado do poder de
- Que milagres as palavras de Jesus eram capazes de efetuar! S'atanás, "Vai, para ttla casa, panl os teus, e anuncia-lhesquão
Suas paiavras, ligadas com a fé daqueles a quem eram dirigidas, grandes' coisas o Senhor te :fiêz." (S. Marcos 5 :19). Todos os que·
traziam visão ao ceg0, poder a.(:)'al~ijado e saúde ao doente. Mas sentem o poder de Deus em sua vida di7iem aos outr(:)s a respeito
Suas palavras eram mais do que saúde. Mudavam a maneira de daquilo que o poder de Deus tem feíto' por êles.
v1ver dás pessoas.' ' - 45 :-.
44 ,-::-
As últimas palavras' de CristO' a Seus discí.pulQS Ped 1'0" teve essa experiência uma vez. Na nQite em que Jesus
instruçãO' para pregar, ensinar e testemunhar -- usar
v;ras para espalhar O' evangelhO'. fQi ,tl'aldQ e Se tQrnQU prisiQneirQ" fQi cQnduzidQ para a côrt,e dO'
paláciO' de Caifás. PedrQ seguiu e experimentQu fingir que nãO'
LEITURA ADICIONAL: Idem, págs. 251 e 252. tinh,a ligações CQm Jesus. Encontrar no ve1'SO 72 o que êle disse
PENSAI! Se alguém salvQu V9ssa vida. de mQrrer afQgadQ, q~w,ndo ?tm dos criados o acusou de 1Jer'tencer' ao grupo de segui-
nãO' desejaríeis CQntar aQS QutrQs sôbre a: açãQ? do,1'es de J es~(s. '
Mas Sua negativa de estal' ligadO' aO' HQmem de Nazaré nãO'
.
ORAl para serdes uma testemunha pelas VQssas fQi aceita. Ler o que um dos cir'c~mstantes lhe disse, no ver-so '73.
"()s discípulQS de Jesus ,eram nQtadQs pela pureza da lingua-
Quarta-feira gem,' e para enganar bem a seus inte,l'1'QcutQrese ,justificar O' as-
Um Tempo para Conservar Silêncio 'pecto que assumira, Pedl'Q negou entãO' O' Mestre CQm impreca-
çãQ e' jlilramentQ.",. Idem, pág. 530.
S. Mateus 12. , PQr estas imprecações e juramentQs PedrQ' prQdamQu que era
SalQmãQ diz-nQs que há '''tempQ de eS,tar caladO', ~ tempQ\de um instrumentO' de Satanás, CQmQrealmente era naquele mQmentú.
falar." (Eclesiastes 3 :7). E é exatamente tãO' impQrtante CQn- ~iin, nQSSQfalar trai-nQs! As peSSQas pQdem dizer pela manei-'
servar silênciO' às vêzes CQmQO' é falar em Qutras Qcasiões. ra que falamQs se SQmQSde um lar QUde uma escQla cristã, se Cris-
PrecisamQs gU'Rrdar silênciO' quandO' podemos fazer uma ten:í- tO' vive em nQSSOcQraçãQ QU se SQmQSfi'lhQS de Satanás.
vel QbservaçãQ. N ecessitamQs silenciar quandO' uma mentira pQde LEITURA ADICIONAL: Ibidem.
tQrnar as cQisas mais fáceis para nós. PrecisamQs silenciar quan- PENSAI! SãO' as, VQssas palavras tais que fariam as pessQas
dO' QutrQS estãO' tagarelandO'. ' pensarem de Jesus? .
Diz-se que uma pessQa média fala tantas palavras num dia que
dá para encher um grande livrO'. Ma's, quantQs dQS pensamentQs ORAl ,para gue VQSSQfal,ar negue O'fatO' de que nãO' SQis asso-
e idéias que expressamQS teriam valQr para serem cQlQcadas num ciadQs CQmo mundO',,mas com O' Senhor Jesus.
"
livrQ! Quantas delas seóa melhQr nãO' usar! Ler o que Jesus dis- Sexta-feir.a '
se sôb1'e as muitas palavr'as ,ociosas que falamos" nos versos 36
,e37. PeIas palavras QciQsas, duras e mentirQsas nós negamQs nes- COMPLETAR êstes adlietivos~ que descrevem as' palavras que
SQ Sallvador, mas se dermQs neSSQ cQl:açãQ à guarda' de Jesus, 'Jesus falQu: GRA--. (S. Lucas 4:22).
nQSSQSpensamentQs serãO' puro's e nQssas pa'la'[ras serãO" cQntadas MENCIONAR pelo menQ~ três peSSQas cuja vida fQi mudada
cQmq boas. Ler' o que Jesus diz sôbre a o1'igem das palavras, nos pelas palavras que ouviram de Jesus. (IndicaçãO' de Segunda-feira).
versos 34 e 35. '
CQm freqüência J~sus efetuava mais por recusar falar dO' que COLOCAR as letras iniciais nestas palavras 'que dizem O' qu~
teria feitO' falandO'. QuandO' Seus acusadores O interrQgavam pa- Jesus disse a Seus discípulQS que deveriam fazer:, - nsinai e
ra prQvá-LQ, Êle CQnserVQUsilênciO' em diversas Qcasiões, pQis as, - regai. (IndicaçãO'. de, Segunda-feira).
palavras teriam sidO' desperdiçadas. A QUEM Jesus disse: "Vai para tua casa, para QS teus, e
anuncia-Ihes quãO' grandes coisas O' Senhor te fêz." , (S. Marcos
LEITURA, ADI,CIONAL: Idem, págs. 238 e 239. 5:19). '
PENSAI! Falai mais dO' que deveríeis? .
QUE nes é ditO' acêrca de Palavras "Qciosas"? (S. Mateus 12:
ORAl 'para permitirdes que QS anjQs guardem QS VQSSQSlábiQS 6 e 7). ~
para que nãO' escapem pQr \êles as palavras duras, QciQsas e men- COMO o modo de ftllu'l' de Pedro O'traiu? (Indicação de Quin-
tirQsas. ta-feira) .
Quinta-feira
RECAPITULAR O VO,,'SQ áLlI'CO.
Palavras ~ue Traem
S. Mateus 26.
Se tendes viajadO' para QutrQ país QU mesmO"para Qutra par-
te de seu própriO' país, prQvàvelrilente tivestes a experiência de ~~
Quvir alguém dizer-vQs: "Viestes de ,----.. ------------? Sim, cQnheci
pela VQssa maneira de falar!" VQssa fala traiu O'fatO' de que vies-
·tes daquela parte de país. '
- 46 - 47
'''j-,

LIÇÃO 1~-19 DE, SETEMBRO DE 1959


-.
Lealdade e Fidelidade
VERSO ÁUREO: '''Sê fiel até a marte, ·e dar-te-!!ia caraa da
vida.'1 (Apacalipse 2:10).
Sábado à tarde
Ler em S. Lucas 9 :,57-62 a que' Jesus dis'se acêrca 'de terminarl
a abra q;ue cameçamas., ]iniciar a decar,ar a versa áurea e. c(mtoi-
nuar decara~d<>,'dural'lrte a".semana.
..
Domingo
Reservando Nossa Mão para o Arad:o
,S. LUCflS 9.
Assisti a uma farmatura de ginásiO' nãO' há muita tempO'. Du-
rante a cerimônia, a diretar cancedeu. prêmias a quatrO' estudan-
tes que durante quatraanas nunca tinham, faltada a nenhuma'
aula, nem à capela. Pensai nissa! Nunca ausentes da classe, dia
:)opôs qia, semaNa após semana, mês após mês, quatrO' anas ,cam-
, pi'etas! NãO' é de. admi~:ar que ta das, tenham sid~lj,;plaudidas! .
_ É' tãa',ili~ciIl
_ dá-nos um Domcame,Çar
princípio,bem,masmasfreqüentemente
"dar em nada".fracassamos,'
'Ü entusiasma',.
pel'o .
caminho ... O cr[stão, 'se sincero nas caisas, que i:t:J.tenta;faz o certo
mesmoq,ue não as aprecie. '
_. Um .,dia um homem veio a Jesus. Pensau ,que poderia ser um
. ~,isc.~p::do,pais admil'ava demais a J esus. J;esu~ lhe dis.se: "S~-I
gue-J\!lfe", mas o homem cameçou a pensar. Naa podepa segmr
a .J ~sus naquele mamento. Encontrar o que êle. disse no verso 59'.
Quando disse que tinha que ,ir sepultar seu pai 'primeiro, istO'
,não significava que seu pai já tivesse morrido e que' tinha de
esperar até que a cerimônia fúnebre f,ôsse feita. Significava que
a hamem queria adiar a união com as discípulas até que seu pai
marresse ~ a qU,e poderia' levar muitos anos! .
Outro pretensa' seguidor veio', a Jesus, mas também adiou sua
uniãO' aO' grupo por um pouca. Encontrar no. verso 61' qual foi,
sua escusa. , ,
Isto. não significa que tinha de ir para cas-a, reunir -seus ami-
gos e dizer um Pil'ecipi.tado adeus. As, desped,idtas..no Oriente, I.eram
cerimônias de dias, envolvendo festas e v.i'sitas, ,durando m.esmo
semanas e meses. Aquêles que auvem o chamada de. Çrista ~nãa
devem sentir que seria uma boa coisa para responder, devem obe"!.
decer o .chamado imediatamenté' seguindo e cantinuanda fjelmente
para sempre. Ler o que Jesus disse sôbre permanecer lfielmente,
no verso 62.
Um lavradar começa a lavrar um campa e entãO' diz: "Oh,
- 48

•.....•...... '