Anda di halaman 1dari 21

CRTÍTICA LITERÁRIA

Conceitos e Tipos
Equipe: Gabriel, Esperidião, Cícero, Leonardo,
Wagner, Joelma, Giovannia, Renata, Adrielli e
Solaine
II e III Período do Colegiado de Letras
CONCEITO
● De acordo com Botelho e Ferreira apud Massaud
Moisés (1967), trata de um julgamento positivo ou
negativo de uma obra literária, tanto que a palavra
crítica significa julgamento.
OBJETIVO

“Apreciar o valor estético de uma obra em todas as


fases de sua realização, julgando, inclusive, sua
literáriedade, sua excelência e a hierarquia do seu
valor”. (BOTELHO e FERREIRA, p. 12)
DIVERSIDADE TEÓRICA
DENTRO DA CRÍTICA
LITERÁRIA
● Existem várias formas de realiza-lá;
● Século XIX/XX;
● Contribuições para a literatura.
PRIMEIRAS CORRENTES DE
PESAMENTO TEÓRICO

Século XIX
MASSAUD MOISÉS
● Se divide em descritiva ou analítica;
● Visa primeiramente compreender a obra e em
seguida dar valor ao texto literário;
● Objetivando um julgamento realizado por análises.
SAINTE-BEUVE
● Explicar a obra;
● Empregando estudos biográficos do autor;
● Surgimento sistematizado da teoria literária;
● Enfraquece análise biográfica;
● Teoria dos tipos psicológicos (história da literatura);
● Aborda os escritores de determinada época visando
destacar semelhanças e diferenças e formar grupos de
características parecidas na escrita literária.
HIPPOLYTE TAINE
● Percussor da sociologia da literatura;
● Relação homem-meio social;
● Buscar a inspiração do autor;
● Determinismo;
● Cientificismo;
● Positivismo de Conte na literatura.
IMPRESSIONISMO
● Oposição a crítica literária científica;
● Sem técnicas exatas;
● De acordo com impulsos;
● Descobertas pessoais;
SEGUNDAS CORRENTES DE
PENSAMENTO TEÓRICO

Século XX
FORMALISMO RUSSO
● Enfatizar a obra em especifíco;
● “Para Terry e Eagleton (2001) caberia a essa crítica
dissociar arte e mistério e preocupar-se com a maneira pela
qual os textos literários funcionavam na prática”.
(BOTELHO e FERREIRA, p. 14)
● Oranização singular da linguagem;
● Analisar técnicamente;
● Desintegrada pelo marxismo;
● Foge da realidade.
JULES MOROUZEU
● Estilística literária;
● Análisa autor e obra;
● Expressão de personalidade;
● Influência freudiana;
● Rejeição de Spitzer;
● Formações poéticas apenas.
SPITZER E BOUSONO
● Análise não só sicrônica;
● Interpretação do “eu” individual e social do autor;
● Dimensão diacrônica e ideológica.
A NOVA CRÍTICA
● Entra na universidade;
● Superar o impressionismo;
● Prega a existência metodológica de análise literária;
● Enfâse na obra.
ESTRUTURALISMO
LITERÁRIO
● Opositora da “nova crítica”;
● Considera particularista;
● Com herança do formalismo russo;
● Busca semelhanças entre as obras literárias do
mesmo genêro.
SOCIOLOGIA DA
LITERATURA
● Crítica o determinismo;
● Crê na existência da representação de um grupo
social na obra;
● Textos elaborados sob influência global.
SEMIÓTICA LITERÁRIA
“Essa forma de abordagem crítica priveligia o
estudo dos elementos literários através da obra,
uma vez que mantém seu foco no estudo da
estrutura do discurso ou no estudo de suas
manifestações”. (BOTELHO e FERREIRA, p. 18)
ESTÉTICA DA RECEPÇÃO
● Jauss;
● Foca nos efeitos;
● Causados no leitor;
● Prioriza o leitor.
HERMENÊUTICA
● Significa interpretação de textos;
● Prioriza o lírico;
● Visando compreender;
● Existencialismo humano;
● Partindo da obra e do autor pela sua consciência
humana;
“A obra seria um veículo para que o homem pudesse
se autodescobrir”. (BOTELHO e FERREIRA, p, 19)
JÉRÔME ROGER
“Para ele o papel da crítica não é só julgar a obra
literária, mas também o de se preocupar com os
critérios desses julgamentos”. (BOTELHO e
FERREIRA, p. 19)
REFERÊNCIA
BOTELHO, Cristina. FERREIRA, Luciana
Cavalcanti. CRÍTICA LITERÁRIA: Conceito e
Evolução.