Anda di halaman 1dari 14

a Aula

O que o aluno poderá aprender com esta aula

 Compreender que a poesia está presente em diversos aspectos como nos textos, nas
obras de arte etc.
 Possibilitar o conhecimento das características dos gêneros literários em suas diversas
formas, considerando o conteúdo temático, a forma composicional e as marcas
linguísticas;
 Reconhecer o contexto de produção da obra literária;
 Perceber e utilizar os aspectos semânticos possíveis na leitura e produção dos textos
literários;
 Contar/narrar poesias utilizando-se dos recursos extralinguísticos, como entonação,
expressões facial, corporal e gestual, pausas etc.

Duração das atividades

5 aulas de 50 minutos
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

Para que a presente aula se efetive de forma exitosa é necessário conhecimento prévio sobre os
gêneros literários.
Estratégias e recursos da aula

"O que eu pediria à escola era considerar a poesia primeiro como visão direta das coisas e depois
como veículo de informação prática e teórica, preservando em cada aluno o fundo mágico, lúdico,
intuitivo e criativo que se identifica basicamente com a sensibilidade poética".
Carlos Drummond de Andrade (1902-1987)

Baseando-se na teoria da estética da recepção, na teoria do efeito e no método recepcional propõe-


se uma aula de literatura, utilizando-se da linguagem poética da letra de música, trecho de filme e
fragmento de livro.
Professor, neste primeiro momento é importante discutir com os alunos o que é poesia e onde a
encontramos. É importante trazer o contexto histórico do poema, comentar sobre a literatura de
cordel, falar dessa proximidade que se tem com a realidade, com a oralidade, entre outros aspectos
que julgar relevante.
Para leitura e interpretação de uma poesia, não podemos nos restringir apenas a sua forma como:
disposição das palavras, organização em versos e estrofes e utilização de rimas. É necessário partir
para uma leitura poética do mundo, incentivando uma apreciação da musicalidade, das emoções
suscitada, da linguagem utilizada, enfim, da maneira de ver o mundo a partir daquele poeta.
Segundo Elias José (2003), “vivemos rodeados de poesia”, é importante salientar que a poesia está
em diferentes lugares, não apenas no poema ou nas letras de músicas, mas podemos encontrá-la
na fotografia, na pintura, numa paisagem, nas obras literárias, na dança e entre outros elementos
que nos cercam e emocionam.
Inicie a aula questionando os alunos sobre:
O que é poesia para eles?
Onde eles veem poesia?
Neste momento, chame atenção também para os poemas que possivelmente eles já leram ou
ouviram. Resgate a história deles de leitor de poesia perguntando:
Qual é o primeiro poema do qual se recorda?
Professor, após realizar uma introdução sobre onde encontramos a poesia, utilizando a TV ou até
mesmo o laboratório de informática, mostre aos alunos o clip da música Beija Eu, interpretado pela
cantora Marisa Monte. Em seguida, distribua a letra da música:
Assista ao clip: www.youtube.com/watch?v=rJEzHWNKJoA

Beija Eu (1991) – Com uma produção bem caprichada para a época, Beija Eu traz a estética do
vídeo no início dos anos 90, com suas tonalidades características das cores RGB e fotografia feita
com luz direta, além de recursos simples como a movimentação da câmera e slow motion. O
cenário de grande porte, figurantes e figurinos remetem às imagens da antiguidade clássica e do
rococó, como o de Aleijadinho.
Fonte: http://musicapave.com/videoclipes/coletanea-marisa-monte/
Acesse o link abaixo para a música: Beija Eu. Disponível em:<http://letras.terra.com.br/marisa-
monte/63/>. Acesso em: 17/04/2012.

Professor, após mostrar ao clip e distribuir a letra da música, organize a sala em duplas para
realizarem a leitura do texto. Direcione para que a leitura seja realizada de maneira que percebam
as formas de expressão do texto, portanto a atenção deve estar voltada a pontuação, ritmo e
entonação que auxiliam no entendimento do poema e também possibilitam perceber os sentimentos
e sensações presentes nas palavras.
A leitura em voz alta e a interpretação da poesia em duplas pode ser muito interessante, pois
permite a troca de entendimento e sensações por parte de cada aluno.
Primeiramente, possibilite que os alunos façam à leitura da poesia em dupla e em voz alta (letra da
música) e em seguida lance as questões interpretativas. Incentive para que as duplas conversem
sobre o texto e sistematizem as respostas das questões com o intuito de discutirem com o restante
da turma.
Questões sobre a letra da música:
1) Vocês já haviam ouvido essa música? O que acharam dela? Justifique.
2) Quais as leituras possíveis da música “Beija Eu”?
3) Perceberam o tipo de linguagem utilizada na música? É uma linguagem
simples e tem fortes traços de coloquialidade. Retire do texto trechos que
comprovem essa afirmativa.
4) Vocês perceberam a poesia presente nesta letra de música? Quais elementos
contribuíram para isso?
5) Observaram que há uma grande repetição de palavras, quais são as palavras
que mais se repetem? Qual é a finalidade destas repetições? (Professor, faça um
breve comentário sobre a licença poética).
6) Observem na letra da música o uso predominante dos verbos no imperativo,
qual é a finalidade do uso dessa função conativa? Substituam as palavras seja,
deixa, aceita, por outras formas verbais e observe se causam o mesmo efeito de
sentido.
Professor, ressalte que o leitor é coautor na leitura, ele quem constrói o sentido do texto. Mas
lembre-se: o texto literário permite diferentes interpretações e é na recepção que ele significa, mas
não está aberto a qualquer entendimento. O texto traz pistas, as quais direcionam o leitor para uma
leitura coerente. Discuta também com a turma a importância da literatura para o cidadão. Com base
nas funções da literatura e considerando a letra da música que acabaram de conhecer, explique aos
alunos a importância da literatura. Acesse o link abaixo para relembrar as funções da literatura,
segundo Antônio Cândido. Disponível
em:<http://www.sitedaescola.com/aulas_inovadoras/keila/funcoes_literatura.pdf>.

Curiosidade
Já que estamos falando em beijo, vocês se lembram de alguma obra literária ou poema que tenha
uma cena de beijo que chamou atenção?
A foto abaixo foi tirada em 1945, quando os marinheiros americanos desembarcaram
voltando da vitória contra os Japoneses na Segunda Guerra Mundial. A festa pelas
ruas foi tão grande que ele encontrou uma enfermeira e a beijou para festejar o fim da
guerra.
O Beijo da Times Square, Nova York, EUA (1945)

Fonte: Coleção Folha de São Paulo: Grandes Fotógrafos - Metrópoles - Fotógrafo:


Alfred Eisenstaedt.

Professor, para a próxima atividade vamos assistir ao trecho da minissérie Capitu, cena Olhos de
ressaca. Ressalte os elementos utilizados no trecho da minissérie e a linguagem que proporciona
uma riqueza de detalhes com base no livro. Na minissérie chame atenção para a iluminação
utilizada, para os figurinos, para a musicalidade, entre outros aspectos que construíram o clima
romântico e envolvente da cena do primeiro beijo. Observe também os detalhes que Bentinho
narrou durante a cena e o quanto o livro descreve tal cena.

Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=3tZsb41EWsM


Considerando o vídeo, peça as duplas para registrem as respostas das questões abaixo para
discutirem com as demais duplas:
1) Vocês gostaram do vídeo? Por quê?
2) Quais elementos mais chamaram sua atenção na cena? Justifiquem exemplificando.
3) Já leram uma história parecida com essa? Narrem-a oralmente.
4) Escolham com base na fala dos personagens e registrem dois exemplos de frases que utilizam
figuras de linguagem, reescrevam o trecho utilizando a linguagem denotativa. A linguagem poética
permaneceu?
5) Vamos ler trechos de um livro bem conhecido e observar se há alguma semelhança com o
vídeo assistido.

Professor, em seguida realize a leitura do capítulo XXXII – “Olhos de Ressaca” com os alunos. Para
a leitura dos capítulos XXXIII e XXXIV - “Penteado” e “Sou Homem” utilize os áudios abaixo para
que os alunos acompanhem.
Áudio: Capítulo XXXIII - Penteado

Temas recorrentes na literatura: o primeiro beijo: parte 2 [Categorias Literárias]

Áudio: Capítulo XXXVI – Sou homem

Temas recorrentes na literatura: o primeiro beijo: parte 3 [Categorias Literárias]

Peça que acessem o link para baixar os capítulos XXXII, XXXIII e XXXVI. Disponível
em:<http://www.sitedaescola.com/aulas_inovadoras/keila/capitulos_dom_casmurro.pdf>.
Fonte: <http://www.dominiopublico.gov.br/> Acesso em 25/2/2009.
1) Após a leitura, trace um paralelo entre as semelhanças e diferenças entre o trecho do livro e do
vídeo.
2) Observando o trecho da minissérie e a linguagem do livro, qual você mais gostou? Por quê?
3) Considerando o trecho da minissérie, quais informações você obteve somente após a leitura do
trecho do livro?
4) Quem é o autor de Dom Casmurro? Realize uma pesquisa sobre este autor e sua época. O
contexto histórico desta obra influenciou na linguagem e no estilo da obra?
Professor, para colaborar com a pesquisa você poderá indicar a seguinte
webquest: http://www.webquestbrasil.org/criador/webquest/soporte_tabbed_w3.php?id_actividad=11
613&id_pagina=3
Você também pode criar sua própria webquest, seguindo o roteiro de questões acima e os passos
desta metodologia: http://www.webquestbrasil.org/criador/
Webquest

Lembrando que a webquest é uma metodologia de pesquisa online, organizada por


meio de um roteiro que segue com os seguintes passos: introdução, tarefa, recursos,
processo, avaliação e conclusão. O professor dá indicativos de sítios, pré-selecionados,
para que a aula seja aproveitada ao máximo, e os alunos não se distraiam diante de
tantas informações da internet, e organizem a tarefa e a concluam com sucesso. Para
desenvolver sua webquest, o professor pode seguir as orientações do "Tutorial para
criar e editar webquest", disponível
em: http://rosangelamentapde.pbworks.com/w/page/9127654/Webquest

Conhecer o autor desta obra nos revela mais sobre ela. Vamos ouvir este podcast observando
aspectos sobre o escritor Machado de Assis, o movimento literário pertencente, as obras realizadas,
os elementos que compõem a obra Dom Casmurro, entre outros aspectos.

Machado de Assis [Categorias Literárias]

Professor, após assistir ao vídeo, ler os trechos do livro


e discutir as perguntas com a turma, apresente o vídeo
abaixo para chamar atenção para a leitura da obra Dom
Casmurro na íntegra.
Agora que já conhece uma parte da história deste casal,
não quer saber como ela termina? Assista ao livro clip
abaixo e procure em sua biblioteca a obra literária de
Machado de Assis: Dom Casmurro. Observe que o
vídeo abaixo apresenta os principais personagens desta
obra e as situações conflituosas presentes no romance.
Acesse o livro clip:

Dom Casmurro

O trabalho com esta obra literária possibilita realizar


atividades sobre várias outras questões, sugiro após a
leitura do livro na íntegra, utilizar as webquests abaixo
para discutir sobre o comportamento de Capitu e
Bentinho:
http://www.webquestbrasil.org/criador2/webquest/
soporte_tabbed_w.php?id_actividad=5993&id_pa
gina=1
http://www.webquestbrasil.org/criador/webquest/s
oporte_horizontal_w.php?id_actividad=9407&id_p
agina=1
http://www.webquestbrasil.org/criador/webquest/s
oporte_horizontal_w.php?id_actividad=22215&id_
pagina=1
O professor poderá organizar três grupos com a turma
toda e pedir para que cada grupo realize sua pesquisa a
partir de uma webquest acima. Em seguida, em forma
de seminário, apresente a toda sala os trabalhos dos
grupos.

Professor, comente com os alunos que até agora eles viram várias cenas de beijo, pergunte aos
alunos se eles se lembram de terem visto outras cenas de beijo que não tinham um final tão feliz?
Em seguida, apresente o terceiro ato da obra de Nelson Rodrigues, “Beijo no Asfalto”.
“Beijo no asfalto: tragédia carioca em 3 atos”
Sinopse: Arandir testemunha um atropelamento e ao socorrer a vítima, dá-lhe um beijo na boca a pedido do
agonizante. É imediatamente acusado de homossexualismo pela imprensa e pela polícia. Ridicularizado perante a
opinião pública, os amigos e desamparado pela esposa (Selminha) vem a refugiar-se em uma pensão É visitado
pelo sogro (Aprígio) que declara-lhe seu ódio, revelando-se apaixonado por ele e com ciúmes pelo fato de Arandir
ter-se casado com Selminha e por vir a beijar outro. [...]
Fonte: http://www.aliteratura.kit.net/resumo/r_obeijonoasfalto.html.
Explique aos alunos que esta peça estreou no Teatro Ginástico, no Rio de Janeiro, em 7 de julho de 1961.

Acesse o link para baixar o texto Beijo no Asfalto: tragédia carioca em 3 atos. Disponível em:
<http://www.sitedaescola.com/aulas_inovadoras/keila/beijo_asfalto.pdf>. Em seguida, proponha os
questionamentos abaixo. Lembrando que os alunos devem anotar as respostas no caderno para
discussão ao final da atividade.
Para a leitura deste ato, organize os alunos que farão a leitura interpretativa a partir da fala dos
personagens: Arandir, Dália, Selminha, Aprígio, e ensaie alguns minutos para que possam ler
interpretando a cena da maneira que está indicada. Oportunize a apresentação da leitura para que
todos os alunos acompanhem.
Em seguida, reorganize a turma em duplas para responderem as questões abaixo:
1) Podemos observar uma cena de beijo nesta história, era a cena que vocês esperavam? Por
quê?
2) Quais as relações familiares exploradas na peça? Expliquem.
3) Observando a cena dos policiais e da imprensa chegando, qual foi o papel da polícia e da mídia
no desenrolar dos fatos?
4) Considerando que a peça foi encenada pela primeira vez no Rio de Janeiro, 7 de julho de 1961,
vocêm conseguem imaginar o impacto que causou naquela época. Teria o mesmo impacto hoje?
Professor, você pode aproveitar esse momento para abordar questões sociais como: as
diversidades, respeito ao próximo e outros temas que julgar necessário.

sugestao com botão HQ


Professor, se julgar necessário você pode complementar sua explicação com curiosidades sobre
esta obra: Pode pedir que os alunos acessem o link desta mesma história por meio de História em
Quadrinhos: http://www.ebah.com.br/content/ABAAABh58AE/hq-beijo-no-asfalto-nelson-
rodrigues e realizar uma pesquisa sobre o escritor Nelson Rodrigues, como quais os temas das
outras obras escritas por ele, em que época vivia e quais os impactos que suas obras causaram
para esta época.

Ao final destas atividades é o momento de, após refletirem sobre os textos lidos e discutidos,
observar se os encaminhamentos realizados levaram os alunos a questionar as leituras já
realizadas. Para tanto, vamos realizar a atividade abaixo:

Professor, para finalizar comente sobre as reflexões acima e leve os alunos a perceberem sobre os
enredos previsíveis encontrados em livros e filmes, em que os personagens “vivem felizes para
sempre”.
Ao final, reúna os alunos em grupos, com o intuito de produzirem uma tirinha que retrate uma cena
de beijo com um final diferente. Solicite que elaborem o roteiro e em seguida, no laboratório de
informática, produzam sua HQ. Para a produção de HQ, utilizem o
site: http://www.comicstripcreator.org/ ou desenhem. Apresentem para o restante da escola expondo
num mural onde todos possam ver.
Comic Strip Criador

Comic Strip Criador é um software de auto publicação que permite a você criar e exportar as suas próprias
histórias em quadrinhos em formato jpg.

* Configure o seu conjunto de quadros com poucos cliques


* Fundos de importação e cliparts (jpg, jpeg, gif, png)
* Adicione facilmente balões prontos para usar em sua história
* Arrastar e soltar objetos para construir o seu tema
* Compartilhe suas criações enviados ou impressas com os seus amigos exportados em formato jpg.
Fonte: http://www.comicstripcreator.org/

Recursos Educacionais

NOME TIPO
Temas recorrentes na literatura: o primeiro beijo: parte 2 [Categorias Literárias] Áudio
Dom Casmurro Vídeo
Temas recorrentes na literatura: o primeiro beijo: parte 3 [Categorias Literárias] Áudio
Machado de Assis [Categorias Literárias] Áudio
Recursos Complementares

Professor, para pesquisar sobre esta aula, indicamos os links abaixo:


O vídeo mostra a importância do trabalho de leitura de poesia em sala de aula e, com dicas práticas,
ensina como aproveitar ao máximo essa atividade. Disponível em:
<http://www.youtube.com/watch?v=xHgFln2dApI>
Este site traz um pouco mais sobre a vida de Machado de Assis. Disponível
em: http://www.bibliotecavirtual.sp.gov.br/especial/200810-machado.php>
Este objeto educacional mostra a importância do poema para o ensino da linguagem escrita
apresentando formas de trabalho da poesia em sala de aula. Disponível
em: <http://objetoseducacionais2.mec.gov.br/handle/mec/8824>
Este site traz uma breve análise sobre a obra Beijo no Asfalto, de Nelson Rodrigues. Disponível em:
<http://www.passeiweb.com/na_ponta_lingua/livros/analises_completas/o/o_beijo_no_asfalto>
Este artigo explora as "estruturas de apelo" tratadas a partir da obra Beijo no Asfalto, de Nelson
Rodrigues. Disponível em: <http://www.facos.edu.br/galeria/129102010021301.pdf>

Referências bibliográficas:
ASSIS, Machado. Dom Casmurro.Rio de Janeiro: Globo Editora, 2008.
JOSÉ, Elias. A poesia pede passagem: um guia para levar a poesia às escolas. São Paulo:
Paulus, 2003
MAGALHÃES, Luka. Licença Poética? Como Usá-la. Recanto das Letras, São Paulo, 23 out.
2008.
PARANÁ, Secretaria de Estado da Educação. Diretrizes Curriculares da Educação Básica do
Paraná. Curitiba: SEED, 2008.
PERFEITO, Alba Maria. VEDOVATO, Luciana. O gênero poema em sala de aula: uma proposta
de estudo e transposição didática. 4. CELLI – Colóquio de Estudos Linguísticos e Literários. 1.
CIELLI - Colóquio Internacional de Estudos Linguísticos e Literários. UEM: 2010.
PERFEITO, Alba Maria. Projeto de Pesquisa Escrita e Ensino Gramatical: um novo olhar para
um velho problema, Universidade Estadual de Londrina: 2007.
RODRIGUES, Nelson. O beijo no asfalto: tragédia carioca em três atos. Rio de Janeiro: Nova
Fronteira, 1995.
Avaliação

A avaliação deve ser diagnóstica, processual e continua, ou seja, ao longo do desenvolvimento das
aulas. O professor observará desde a participação inicial, até a produção das atividades, bem como
a participação individual e coletiva dos alunos no desenvolvimento das atividades.
Durante as aulas é interessante que os alunos relatem o que estão aprendendo, tais relatos devem
ser considerados para que o professor perceba assimilação e aprendizagem por parte dos alunos.
As avaliações nas aulas de literatura devem ocorrer durante o processo de leitura, interpretação e
produção.
As estratégias que os alunos utilizam para a compreensão do texto lido, o sentido construído, a
localização das informações tanto explícitas quanto implícitas, entre outros podem ser observados.
É imprescindível considerar o repertório de experiência e as diferenças culturais e de leituras de
mundo de cada aluno. Com esta aula, busca-se ampliar o horizonte de expectativa em relação ao
tema e textos trabalhados.
É interessante solicitar aos alunos que tenham registrem todas as atividades em seu caderno

Identifica as perspectivas humanística e científica da teoria literária e seus elementos


formadores;

Lírica
· Analisar as imagens poéticas e reconhecer os recursos usados na construção dos versos dos
poemas “O amor é fogo que arde sem se ver”; “Tecendo a manhã” e “Satélite”
· Dar continuidade a construção das etapas de uma narração fazendo com que os alunos criem
vários diálogos entre dois interlocutores em várias situações diferentes;
· Produzir um miniconto contando em seis palavras a própria vida;
Ler e produzir poemas para expor no mural da escola;

· Analisar a estrutura do texto “Os Barões das Biroscas”, de Hélio Pellegrino, 1982, e o tópico
frasal de cada parágrafo bem como os elementos binários que compõe o texto, idéias principais
e secundárias e a intenção do texto.
· Relatar uma experiência vivida usando as estruturas que um texto deve ter;
· Desenvolver estratégias para uma produção criativa através de várias atividades como produzir
o último parágrafo de uma carta de reclamação e o primeiro parágrafo de uma narrativa de
enigma previamente selecionada.
· Descrever uma paisagem, em um pequeno texto, através dos olhos de um homem que acaba de
saber que o filho morreu em um assalto, sem mencionar, o filho, o assalto ou o homem.
Depois descrever a mesma paisagem nas mesmas condições, hora e dia, do ponto de vista de um
amante feliz, sem mencionar a palavra amor e a palavra amada. Deixar que leiam as produções
para que os colegas adivinhem quem é o personagem do texto;

Como atividade de investigação, a crítica se exerce no sentido de conduzir-se para


dentro dos vestígios deixados pelo literário. Assim, a teorização sobre o objeto literário
leva à constituição de um método de estudo, decorrente do próprio objeto
Cabe à crítica literária desempenhar suas funções de caracterização da obra,
objetivando reconduzila à sua origem, ao seu fundamento. Qualquer que seja a via de
acesso escolhida (sociológica, psicológica, lingüística), deve ser entendida como um
modelo de investigação dinâmico e aberto às inúmeras possibilidades

Os estudantes são estimulados a realizar as tarefas de acordo com a complexidade e


autonomia do momento do curso em que se encontram, uma vez que o internato ocorre
durante os dois anos finais de formação. Esta realização das tarefas é de fundamental
importância, pois serve como ponto inicial da concretização do processo pedagógico. Depois
da realização das tarefas e da vivência dos processos de trabalho, os estudantes se encontram
em grupo, e na presença do professor relatam suas experiências nos cenários de prática, suas
dificuldades e suas vitórias diárias (confronto experiencial). Nesta etapa eles aprendem a
conviver com o desafio do que acreditam que sabem, do que sabem e do que não sabem. Após
os relatos de todos os estudantes, é realizada uma reflexão sobre as necessidades de saúde
percebidas em cada caso e, então, pergunta-se: como as tarefas foram conduzidas? O que
poderia ter sido feito? E, principalmente, quais foram os sentimentos que emergiram daquelas
situações? (síntese provisória). Com base nessas reflexões, são elaboradas perguntas que
buscam uma integração dos conhecimentos biopsicossociais e das necessidades de saúde que
servem de norte para a pesquisa (busca de informações). Em um segundo encontro do grupo,
após uma semana, cada estudante apresenta o que estudou sobre o assunto, como respondeu
às perguntas, que novidades puderam perceber, que novas formas de lidar com as descobertas
e com o sentimento de ter “crescido” em relação ao assunto e em relação à forma de construir
o conhecimento (nova síntese). São discutidas, então, as estratégias de intervenção (aplicação
à realidade).
Ao final, os estudantes e o professor realizam a avaliação, que possui, nesta metodologia, uma
característica particular, pois, neste momento, o professor avalia seu trabalho e avalia cada
estudante. Os estudantes também se autoavaliam, avaliam seus pares e o professor. É um
momento rico de conhecimento sobre si e sobre o outro. Ao final, os estudantes e o professor
realizam a avaliação, que possui, nesta metodologia, uma característica particular, pois, neste
momento, o professor avalia seu trabalho e avalia cada estudante. Os estudantes também se
autoavaliam, avaliam seus pares e o professor. É um momento rico de conhecimento sobre si e
sobre o outro.
Cenários de prática:
Sessões de mesa-redonda
Palestras
Café Filosófico
Seminários Integrados com temas de interesse coletivo, bem como temas específicos por área,
mas abertos à participação de quem desejar partilhar análises diferenciadas sobre objetos
distintos.

“A avaliação formativa é aquela realizada, regular e periodicamente, ao longo do processo


educacional, para obter dados sobre o progresso conseguido e, deste modo, efetivar a
oportuna correção das distorções observadas, para preencher as lacunas detectadas, bem
como reforçar as conquistas realizadas”

Segundo Aguilar-da-Silva (2009), a avaliação formativa não se constitui como fim em si mesma,
mas deve possibilitar a análise da realidade para focar as ações, com a finalidade de refletir
sobre a mesma na perspectiva da reconstrução da ação.

Os estudantes apontaram a avaliação como um momento de aprendizagem pessoal, do


processo e do outro. Assim, a aprendizagem não se dá apenas na perspectiva do conteúdo
cognitivo, mas aborda também os aspectos afetivos, psicomotores e de comunicação.

O trabalho do professor com os seus alunos passa, necessariamente, por uma organização que
inclui: objetivos a atingir, conteúdos a trabalhar, uma metodologia para desenvolver esse
trabalho e um processo de avaliação de resultados.

A nível epistemológico podemos dizer que uma metodologia é ativa quando o indivíduo
interage dinamicamente com os objetos (fatos, dados, problemas, meio social) em
experiências significativas que lhe posibilitem abstrações, operações, descentrações,
coordenações e formalizações.

O pensamento complexo consiste em uma forma de ver o mundo e a condição humana de


forma conectada e conjunta, aplicável a todos os âmbitos da sociedade. Como exemplo tem-se
o processo educativo que é fundamentado em ações e contextos sociais tais como: os fatores
econômicos, políticos, sociais, psicológicos, afetivos de mitológicos de uma sociedade (MORIN,
2000, p. 38).

Deve buscar ações que provoquem o professor e o aluno a produzir, questionar, refletir,
construir, criar ou projetar para produzir o conhecimento. Especialmente, precisam de
momentos de troca e de discussão com seus pares para manter a proposta e não recuar ao
primeiro imprevisto que aparece em sua jornada (BEHRENS, 2007, p.451).

“estes docentes entendem que seus papéis enquanto profissionais vão além de ensinar na sala
de aula, mas precisam provocar aprendizagens que preparem os alunos para a vida (p. 452)”

atividades teórico-práticas significativas que desafiem os formadores na busca de soluções, a


partir de seus conhecimentos prévios e dos fundamentos teóricos disponibilizados
PARTE DO PROJETO PONTOS CRITÉRIOS – QUESTÕES PARA ANÁLISE DO PROJETO Proposta
Metodológica
a) Descreve as estratégias de ensino que serão adotadas para viabilizar a aprendizagem e a
consecução dos objetivos específicos, descrevendo as ações aluno e do formador, em cada
unidade de estudo?
b) Indica a aplicação de métodos ativos que promovam a participação e integração dos alunos,
na solução de situações reais do trabalho do magistrado?
c) Promove a integração do conhecimento teórico e atividades práticas, com inclusão de
estudo de caso?
d) Indica a carga horária por unidade de estudo considerando o emprego equilibrado dos
métodos expositivos e ativos?

Células de aprendizado

As células de aprendizado também são consideradas como método de aprendizado ativo e


podem ajudar duplas de estudantes em seu desenvolvimento. Basicamente trata-se de um par
de estudantes se revezando para fazer e responder perguntas referentes ao tema discutido em
sala de aula. Para utilizar o método ofereça material como vídeos e textos aos seus alunos e
peça que eles formulem suas próprias questões a respeito do assunto. Durante o exercício é
importante apenas lembrar-se de circular pela sala oferecendo feedback aos estudantes.

Dulce, professora de Língua Portuguesa e Literatura da rede estadual de Senhor do Bonfim, decide fazer
uma pós-graduação em Estudos Literários após sete anos de atuação profissional. Em sua primeira aula,
o professor Ulisses entregou o texto “Literatura em perigo”, de Todorov como ponto de partida para
análise do conto a “A estrutura da bolha de sabão”, de Lygia Fagundes Teles. Dulce acompanhou
atentamente a proposta da aula e participou ativamente das discussões que surgiram a partir de
questionamentos de seus colegas e das provocações do professor. Ao chegar em casa, foi planejar suas
aulas para a turma de 3º ano e verificou que a obra Os sertões estava no plano de ensino da disciplina.
Ao preparar seu plano de aula para trabalhar esta obra literária com os alunos, percebeu que a forma
como ela trabalhava a literatura reproduzia o modelo tradicional do ensino médio e se distanciava da
proposta do seu professor do curso de pós-graduação

PASSOS PROCEDIMENTOS
1. Observação da Realidade Proposição de um trabalho de observação da realidade e
levantamento de dados para a problematização.
2. Apresentação do Problema pelo professor ou construção com os estudantes. 1. Construção
de um ou mais problemas, com a participação dos estudantes, quando houver a observação da
realidade. Importante que os estudantes se sintam desafiados, mas que concebam o problema
como obstáculo possível de ser superado.
3. Pontos fundamentais Nesta fase, o problema será interpretado considerando aspectos
fundamentais à análise, e estas, serão objeto de estudo e pesquisa na próxima etapa.
4. Teorização O estudante estabelece mediações entre o ideal e o real desenvolvendo a
capacidade de reflexão, a criatividade, o pensar e o agir sobre as ações da profissão que a
realidade demanda. É uma etapa de trabalho cuja orientação feita pelo docente se torna mais
evidente.
5. Hipóteses de Solução Apresentam-se as alternativas possíveis para a resolução do problema
em foco.
6. Aplicação à Realidade ou Tomada de Posição. Esta fase possibilita a intervenções e o manejo
das situações associadas à solução do problema. Permite o Retorno da teoria para a prática, a
fim de interferir sobre ela.
7. Considerações Finais O professor fará as considerações finais sobre os objetivos da aula,
com novas orientações, quando necessário, e avaliação formativa do trabalho dos estudantes,
com base em instrumentos previamente apresentados em sala.

O primeiro passo descrito já deixa claras as relações com as duas propostas, pois para as
disciplinas de perfil ligadas aos problemas sociais ou de teor mais prático (profissionais), deve-
se seguir o proposto pela problematização, ou seja, observação da realidade para posterior
elaboração do problema com os estudantes. O que se propõe para o tempo dedicado ao
estudo e formação do estudante, é que cada disciplina já 10 possua no planejamento
estruturado, no mínimo três problemas “macros” que subsidiarão a disciplina durante o
período definido para a formação, com diferentes competências de acordo ao tempo/etapas
da disciplina ao longo do semestre letivo. Cada problema macro deverá ser trabalhado em
quatro a cinco momentos (com tempo definido a partir da necessidade cognitiva dos
estudantes), incluindo a avaliação formativa. Junto aos problemas definidos como
norteadores, o professor pode estar discutindo outros problemas menores que complete o
macro.

Os problemas por sua vez, podem ser classificados da seguinte forma:


Segundo o âmbito: problemas fictícios ou problemas do cotidiano profissional/social;
Segundo o tipo de procedimento: problemas quantitativos e problemas qualitativos;
Segundo o tipo de solução: problemas que requerem respostas pontuais (de solução única) e
abertas (admitem mais de uma solução);
Segundo o material utilizado para sua solução: caneta e papel (de envolvimento
exclusivamente conceitual) ou os materiais de laboratório (caráter empírico do problema).

Dulce, professora de Língua Portuguesa e Literatura da rede estadual de Senhor do Bonfim, decide fazer
uma pós-graduação em Estudos Literários após sete anos de atuação profissional. Em sua primeira aula,
o professor Ulisses entregou o texto “Literatura em perigo”, de Todorov como ponto de partida para
análise do conto a “A estrutura da bolha de sabão”, de Lygia Fagundes Teles. Dulce acompanhou
atentamente a proposta da aula e participou ativamente das discussões que surgiram a partir de
questionamentos de seus colegas e das provocações do professor. Ao chegar em casa, foi planejar suas
aulas para a turma de 3º ano e verificou que a obra Os sertões estava no plano de ensino da disciplina.
Ao preparar seu plano de aula para trabalhar esta obra literária com os alunos, percebeu que a forma
como ela trabalhava a literatura reproduzia o modelo tradicional do ensino médio e se distanciava da
proposta do seu professor do curso de pós-graduação